Arquivo da tag: emagrecer

Herbalife Nutrition lança suplemento energético Liftoff sabor amora

A Herbalife Nutrition, marca nº 1 no mundo em controle de peso e bem-estar, acaba de trazer mais uma novidade para o Brasil: o Liftoff sabor Amora Intenso

Sucesso em outros países, trata-se de um suplemento em pó levemente efervescente que promove a sensação de energia com um exclusivo blend de taurina (137 mg) e cafeína (84 mg).

“A taurina é um aminoácido produzido pelo próprio organismo ou presente em alimentos ou suplementos que participa da contração muscular e apresenta ação antioxidante, enquanto a cafeína é um estimulante natural do sistema nervoso central, que, em quantidades suficientes, apresenta efeito ergogênico nos exercícios. Dessa maneira, adia a sensação de fadiga, reduz a percepção de esforço e, consequentemente, contribui para o desempenho físico”, explica o médico nutrólogo Nataniel Viuniski, membro do Conselho Consultivo da Herbalife Nutrition do Brasil.

Ótimo para ser consumido como pré-treino, também auxilia a melhorar a concentração nos estudos/trabalho ou mesmo nos momentos em que é necessário ficar mais alerta e disposto. O LIFTOFF® traz ainda vitaminas C e do complexo B, que apoiam no funcionamento do metabolismo energético e, por não conter açúcares, possui apenas 15 calorias por porção.

“Esse é mais um produto que chega para oferecer praticidade e ampliar nosso portfólio para esportistas ou pessoas que têm um estilo de vida saudável e ativo, levando em conta a previsão de crescimento anual do mercado brasileiro de suplementos não proteicos de 14,6% ao ano entre 2022 e 2026, e de bebidas energéticas de 20,9%, de acordo com a Euromonitor”, fala Jordan Rizetto, diretor-geral da Herbalife Nutrition no Brasil.

Liftoff é vendido em embalagem com sachês individuais, práticos e fáceis de carregar para qualquer lugar. Além disso, a bebida é muito fácil de preparar: basta diluir o pó em 240 ml e estará pronta para beber.

Liftoff é vendido ao valor R$ 159,00 (caixa com 15 sachês).*

Como adquirir produtos Herbalife Nutrition

Os produtos Herbalife Nutrition são comercializados exclusivamente por Consultores Independentes. Eles também estão disponíveis nos EVSs (Espaços de Vida Saudável) — procure o mais próximo de você — e para compra online direto da Herbalife, por meio do programa Cliente Premium, que oferece descontos progressivos, entrega em domicílio, promoções exclusivas e todo o serviço personalizado do consultor independente (para quem se interessar).

Para se cadastrar como Cliente Premium, acesse o site Cliente Herbalife Nutrition ou fale com um Consultor Independente Herbalife Nutrition.

**Preços sugeridos para o Estado de São Paulo sem frete.
*Fonte: Euromonitor International Limited, por Consumer Health ed. 2022, definições de controle de peso e bem estar; participação % de mercado da companhia global em valor de venda ao consumidor, dados de 2021.
**Suplemento alimentar de cafeína e vitaminas em pó. Para informações sobre os produtos Herbalife Nutrition, consulte o catálogo ou HERBALIFE NUTRITION Leia atentamente o rótulo antes de consumir o produto.

Médica lista 4 fatores que atrapalham a dieta

O relatório Estatísticas da Saúde Mundial de 2021, divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), aponta que mais de um quinto (22%) da população adulta está obesa, sendo 10,8% entre cinco e 19 anos. A médica da família e diretora técnica da Higia Clinic, Marcia Simões, afirma que a obesidade é uma doença e precisa ser tratada. “Ela é responsável pelo desenvolvimento de outras patologias, como as cardíacas, hipertensão e diabetes. O excesso de peso mantém o organismo inflamado e propenso a outros agravamentos”, alerta.

A obesidade é medida pelo Índice de Massa Corpórea (IMC), calculado pelo peso em quilograma dividido pelo quadrado da altura. O IMC saudável vai até 25, sobrepeso até 29 e obesidade acima dos 30. Confira os fatores que prejudicam o organismo e bloqueiam o emagrecimento do organismo, segundo a médica:

1Medicamentos milagrosos
Hoje encontramos facilmente dietas e medicamentos que prometem uma perda rápida de peso e pasmem, são vendidos sem receita médica. O que vemos nesses casos é uma perda de peso muito rápida na balança, porém, com ele se vão as vitaminas e minerais do organismo, além da tão preciosa massa magra. O processo de emagrecimento deve ser aliado com uma mudança de hábitos, tanto alimentares, quanto de exercícios físicos. Criando um novo hábito de vida, é possível perder peso com saúde e, principalmente, mantê-lo por mais tempo;

2-Alimentos inflamatórios
Os alimentos inflamatórios são aqueles produzidos em altas temperaturas e que utilizam muitos conservantes no preparo para que tenham uma validade maior, ou seja, geralmente os alimentos processados. Evite frituras e alimentos muito gordurosos, biscoitos industrializados, salgadinhos, macarrão instantâneo e refrigerantes. As altas doses de conservantes atrapalham o ritmo de funcionamento do organismo e, consequentemente, o processo de perda de peso. A dica é consumir mais verduras, legumes, comidas não processadas, in natura e preparadas em casa;

3-Sedentarismo
Segundo a OMS, até 5 milhões de mortes por ano poderiam ser evitadas se a população global fizesse mais exercícios. Para ser considerado fisicamente ativo, é necessário realizar qualquer prática de atividade física por mais de 150 minutos semanais, ou seja, por meia hora durante cinco dias por semana. Se a atividade for vigorosa, 75 minutos semanais são suficientes. A prática regular de exercícios físicos aumenta a capacidade cardiorrespiratória e acelera o metabolismo, elevando o gasto energético, além de trazer a sensação de bem-estar;

4-Estresse e ansiedade
Estresse e ansiedade são problemas que refletem diretamente na disposição, saúde, apetite e no bem-estar geral, e são gatilhos para um estilo de vida pouco saudável, como o sedentarismo, má alimentação, tabagismo e consumo de álcool. Segundo a OMS, o estresse atinge 90% da população mundial e quase 70% dos brasileiros. O equilíbrio emocional está diretamente ligado ao sucesso da busca por uma vida mais saudável e, consequentemente, do controle do peso.

Fonte: Higia Clinic

O doce é o grande vilão do emagrecimento?*

Quando falamos sobre processo de emagrecimento logo nos vem à cabeça que, para termos resultados, será necessário passar por um longo período de privação em relação aos prazeres alimentares. Mas posso te garantir que este não é o melhor caminho.

Há comprovação que a restrição alimentar severa é a principal causadora da compulsão alimentar. Como nutricionista especialista em emagrecimento e ex-obesa, posso afirmar que é extremamente importante que continuemos sentindo prazer na alimentação para que consigamos manter um processo de emagrecimento. É durante a reeducação alimentar que você deve aprender quanto e como consumir os alimentos mais prazerosos para o seu paladar.

A grande maioria das pessoas considera que o doce é o grande vilão no processo de emagrecimento, é exatamente este tipo de crença limitante que trabalho para desconstruir no consultório. O doce, em quantidades adequadas, cabe diariamente na alimentação. A grande vantagem é que, atualmente, o mercado nos oferece uma vasta opção de doces saudáveis, sem adição de açúcares, os quais entregam um sabor igualmente gostoso aos tradicionais.

A ingestão consciente e equilibrada de doces saudáveis gera ao seu organismo prazer emocional e fisiológico, isto ocorre porque seu consumo está associado a memórias afetivas, além de causar liberação de neurotransmissores que nos dão a sensação de prazer e felicidade.

Se você já passou por diversas tentativas de emagrecimento e vive no efeito sanfona, este é o momento de você mudar a rota. “Escute” seu corpo! Faça as pazes com os alimentos, tornando-os seus maiores aliados. Desta forma você passará a entender sobre fome e saciedade, sobre respeitar seus desejos (sem exceder) e também sobre quais são os gatilhos que te fazem perder a adesão na sua transformação alimentar.

É importante que você saiba que nosso organismo pode oscilar, assim como o processo de emagrecimento. Então, caso algo não saia como o planejado, pare, reflita e recomece. A única maneira de modificar o seu padrão alimentar é, diariamente, querer e praticar uma alimentação consciente, saborosa e balanceada.

*Laura Calipo é nutricionista com experiência clínica voltada ao esporte, emagrecimento e fitoterapia. Formada pela Unicamp, possui pós-graduação em nutrição esportiva e em fitoterapia. Ela escreveu sobre reeducação alimentar a convite da Flormel.

5 dicas de como emagrecer com saúde e ter novos hábitos alimentares e comportamentais

O programa de educação nutricional Alimentação para Vencer — Kachimeshi, desenvolvido pelo Grupo Ajinomoto, busca incentivar mudanças de hábitos para promover o peso saudável

Existem diversos caminhos que levam à perda de peso, contudo algumas opções nem sempre visam a saúde e o bem-estar durante o processo. O emagrecimento deve ser uma consequência da mudança de estilo de vida, englobando a adoção de hábitos alimentares e comportamentais mais saudáveis, gerando impacto na saúde física e emocional.

Para aderir a uma alimentação equilibrada, com o consumo de diferentes grupos alimentares e seus benefícios, é preciso evitar exageros e fazer escolhas inteligentes que proporcionam ampla saciedade.

Pensando nisso, a equipe de Marketing-Nutrição da Ajinomoto do Brasil listou algumas dicas conforme o conhecimento em aminoácidos e os direcionamentos do conceito Alimentação para Vencer – Kachimeshi, programa de educação nutricional do Grupo Ajinomoto, alinhado à orientação da Política de Nutrição da Ajinomoto do Brasil, de modo a contribuir com a saúde e a nutrição da população:

1-Faça boas escolhas em sua rotina

Diante da oferta crescente de alimentos de alto teor calórico, a escolha por alimentos saudáveis pode parecer desafiadora. Porém, à medida que a prática se torna hábito e a percepção de bem-estar for associada, consumir tais alimentos será uma escolha natural.
Reduzir o consumo frequente de alimentos com maior valor energético, como frituras, por exemplo, nas principais refeições. Importante ingerir frutas, verduras e beber bastante água. Estes são passos importantes para modificar os maus hábitos alimentares e reprogramar a mente em relação à comida. Além disso, manter as três principais refeições do dia é fundamental, bem como os lanches intermediários para promover saciedade, evitando assim o exagero no momento do café da manhã, almoço e jantar. Aqui é fundamental ter atenção a porção de cada alimento consumido para evitar o excesso de calorias.
A partir dessa transformação na rotina, o paladar se adapta e tem-se uma nova compreensão da diferença entre ter fome e vontade de comer.

2-Consuma proteínas e tenha mais saúde

Foto: Marina Davydenko/Pixabay

O consumo de proteínas traz inúmeros benefícios para a saúde, como o fortalecimento dos ossos e músculos, deixando o corpo mais forte e saudável. Para garantir esses benefícios é importante fracionar o consumo das proteínas ao longo das refeições. Ademais, o consumo de proteínas contribui para uma saciedade mais duradoura, o que auxilia no emagrecimento.
Mas, em quais alimentos as proteínas estão presentes? A resposta é simples: carnes, ovos, peixes, aves, leite e queijos são exemplos de alimentos de origem animal. Já as proteínas de origem vegetal podem ser consumidas por meio de feijões, ervilha, grão-de-bico, lentilha, amendoim e nozes.

3-Descubra novas receitas e se aventure na cozinha

Quando o assunto é alimentação saudável, muitas pessoas pensam que o preparo dos alimentos é difícil e trabalhoso. Mas a verdade é que existem inúmeras receitas práticas e saborosas que podem colaborar no prazer em criar pratos e experimentar comidas que despertem os sentidos gustativos. No portal Sabores Ajinomoto – Alimente-se bem é possível encontrar diversas opções de receitas, nutritivas, equilibradas e práticas, desenvolvidas pelo time de especialistas em alimentação da Ajinomoto do Brasil, atendendo às necessidades de diferentes estilos e fases da vida.

4-Movimente o seu corpo

A prática de exercícios físicos é importante para somar ao novo estilo de vida e adquirir hábitos comportamentais que visam melhorar a saúde física e emocional. Além de auxiliar na queima de calorias, manutenção e ganho de massa magra, promover mais disposição e colaborar para um sono melhor, as atividades físicas são uma forma de aliviar a tensão da rotina. Com opções variadas, a escolha da atividade deve ser prazerosa e divertida. Portanto, é importante selecionar alguma que dê vontade de movimentar o corpo e curtir o momento.

5-Se houver algum deslize, não se culpe

Pinterest

Lembrar que você está em um processo de mudança de estilo de vida é essencial para não se culpar, caso ocorra algum deslize na alimentação. Caso aconteça, evite ações drásticas para compensar esses deslizes. Alguns fatores emocionais do dia a dia podem ser verdadeiros gatilhos para o consumo de alimentos mais calóricos. Por isso, é fundamental reconhecer os fatos e recalcular a rota para avançar.

Para saber mais sobre o programa de educação nutricional Alimentação para Vencer – Kachimeshi, clique aqui.

Fonte: Ajinomoto do Brasil

Não era saudável, era cilada: descubra três erros que estragam a dieta

O CEO do Emagrecentro, Edson Ramuth, explica quais são os erros mais comuns na hora de perder peso de forma saudável

Já ouviu falar que para emagrecer basta cortar o jantar? Ou que trocar comidas sólidas por sopa é o suficiente para uma dieta saudável? Algumas informações que circulam pela internet parecem até saudáveis, mas são verdadeiras ciladas para quem quer ou precisa perder peso e diminuir medidas. O médico Edson Ramuth, CEO do Emagrecentro, desmistificou três fake news sobre emagrecimento com saúde.

Trocar sólidos por líquidos: até parece uma boa ideia trocar a comida sólida por líquidos, mas a verdade é que o que conta são as calorias, carboidratos e os nutrientes envolvidos na refeição. As sopas, cremes e shakes são uma delícia e podem ser uma opção saudável, contudo, não é o estado dos alimentos que vai garantir que o indivíduo perca peso ou não. Um copo de vitamina pode apresentar muito mais carboidratos em sua composição do que um prato de filé com verduras, uma refeição mais interessante nutricionalmente, por exemplo.

Pular refeições e passar fome: parece até dica de emagrecimento da vovó ‘fechar a boca’. No entanto, a ciência envolvida nas técnicas de emagrecimento evoluíram e hoje mostram que passar fome pode até ter o efeito reverso e prejudicar a perda de peso. “Hoje, a medicina entende que pode ser mais interessante ter um cardápio variado e com refeições nutritivas ao longo do dia, como no método 4 fases. Do contrário, a chance do paciente abandonar o tratamento é muito maior”, afirma Ramuth. O método mencionado acima pelo profissional é baseado em estudos científicos e que consiste num plano dividido nas etapas de desintoxicação, emagrecimento, reeducação alimentar e manutenção de peso.

Pixabay

Saudável não significa baixa caloria: contar calorias é um erro. No entanto, é preciso saber usá-las de maneira inteligente. Muitas pessoas confundem alimentos saudáveis com opções menos calóricas e não é verdade. Por exemplo, nozes e castanhas devem fazer parte da dieta, mas é preciso ficar de olho na quantidade. As oleaginosas podem ser consideradas hiperpalatáveis, ou seja, é superfácil acabar com um pacote de amendoim sem perceber. Apesar de supernutritivos, em grande quantidade podem atrasar os resultados.

Dica Final: decidir que vai incluir hábitos saudáveis na rotina é uma decisão que traz muitos benefícios. O que não é nada saudável é começar com dietas e exercícios sem auxílio profissional. “O entusiasmo é muito importante, mas se perde quando os resultados não são como o esperado. É uma mudança de vida e, por isso mesmo, no Emagrecentro realizamos um acompanhamento semanal que leva, no mínimo, cinco semanas, porque sabemos que não é do dia para a noite que se conquista um bom resultado”, finaliza.

Sobre a Emagrecentro
Referência nas áreas de emagrecimento e estética corporal, a Emagrecentro foi fundada pelo médico Edson Ramuth em 1986 e entrou para o franchising em 1994. A rede que oferece tratamentos a preços acessíveis atualmente conta com 250 unidades no Brasil e cinco nos Estados Unidos com a bandeira de Best Shape.

Emagrecimento saudável: confira mitos e verdades

Trocar refeições por frutas emagrece? Água com limão funciona? Desvendamos algumas crenças sobre perder peso com saúde

Na teoria, emagrecer é simples: gastar mais energia do que foi ingerido ao longo do dia. No entanto, na tarefa de manter o déficit calórico, alguns mitos atrapalham o resultado final. Há mais de 35 anos à frente da Emagrecentro, rede especializada em emagrecimento saudável, o médico Edson Ramuth explica que, na maioria das vezes, a desinformação e a falta de acompanhamento profissional capacitado é a causa do desânimo em adotar uma alimentação mais nutritiva e adequada para o organismo.

Receitas milagrosas, chás, entre outras dicas circulam pela internet, mas será que funcionam? Conheça os principais mitos e verdades sobre emagrecimento saudável para não cair em fake news na hora de perder peso:

Água com limão emagrece? Bem gelada e no calor, a água com limão é uma delícia e faz muito bem para saúde, só que na prática ela sozinha não emagrece. Apesar de ser um mito, a fruta é rica em vitamina C e outros nutrientes que auxiliam na imunidade. Assim, apesar de não ajudar a perder peso, vale a pena manter este hábito para uma vida mais saudável.

Botswanayouth

Substituir refeições por frutas é saudável? Para quem busca um emagrecimento saudável, refeições exclusivamente de frutas podem deixar de fora macro e micronutrientes importantes para o corpo. Outro fator é que existem frutas com bastante carboidratos e calorias que podem atrapalhar, e muito, uma estratégia para perder peso.

Programas de emagrecimento funcionam? Verdade, desde que sejam realizadas em clínicas sérias e que se guiem em pesquisas científicas sobre emagrecimento saudável. Para ter ideia, o método 4 fases do Emagrecentro foi baseado em mais de 100 trabalhos científicos. O protocolo de cinco semanas, por exemplo, conta com check-up semanal para acompanhar a evolução da dieta e promover uma reeducação alimentar.

Chás emagrecem? Sozinhos, sem uma alimentação saudável, os chás não emagrecem. Apesar disso, uma infusão de hortelã, hibisco e camomila, por exemplo, podem colaborar com o bem-estar e a saúde, além de ajudar no controle da compulsão alimentar ou a saciar a vontade de comer doces. No entanto, é preciso tomar cuidado com receitas milagrosas, já que elas não existem, e com a dosagem e a frequência do consumo.

Fonte: Emagrecentro

Entenda seu padrão alimentar e não caia nas dietas da moda que comprometem a saúde

Paula Pires, endocrinologista e metabologista pela USP, detalha que encontrar o equilíbrio alimentar é o ideal para perca de peso. Não há alimento vilão, mas padrões alimentares podem levar à obesidade e suas consequências metabólicas

O comportamento de dois participantes do BBB chamou à atenção de endocrinologistas, nutrólogos e nutricionistas. É valido restringir os carboidratos por um tempo e depois atacá-los ferozmente? E estar todo o tempo preocupado com o que se come, jejuando constantemente e enxergando um simples macarrão como um arqui-inimigo?

“Não existe alimento vilão. Não existe alimento bonzinho. Nenhum alimento faz mal, nenhum alimento engorda, nenhum alimento emagrece. Tudo depende da frequência, da quantidade, das escolhas ao longo dos dias, meses e anos e, também, de cada indivíduo” explica Paula Pires, endocrinologista e metabologista pela USP.

Para emagrecer, chegar ao peso ideal, são necessários quatro itens essenciais:
Comer menos calorias;
Exercitar-se;
Comer com mais qualidade nutricional;
Ter uma mente saudável.

Sabe-se que a base de todas as dietas conta com muitas fibras, muitos vegetais e legumes, fontes de gordura boa, prato colorido, controle de calorias, ausência de excesso de açúcar, de fast food, de comidas muito processadas e pouco nutritivas. Ou seja, comida de verdade, como se diz.

Sabendo disso, a melhor escolha é a dieta que mais se adapte à sua rotina, ao seu paladar e a cultura da sua família. “’Cada panela tem a sua tampa’ e você também terá a alimentação saudável que mais se adapte às suas preferências e que vá conseguir seguir a longo prazo. Se não conseguir escolher sozinho, procure ajuda especializada e de confiança”, aconselha a médica.

Não é proibido comer algo não saudável. Mas, entender do que se trata aquele algo não saudável, e escolher comer em determinados momentos, como pequenas exceções, não vai prejudicar sua saúde. “Muitas vezes vejo que quando entendemos que biscoito recheado não passa de gordura hidrogenada + excesso de açúcar e xarope de frutose + gordura trans e zero fibras e nutrientes, fica mais fácil trocar por um biscoito caseiro mais saudável e tão gostoso quanto. Exceção é exceção. Não fazer da exceção a regra é um ótimo começo rumo a um estilo de vida saudável”, alerta.

Posso comer carboidratos?

A médica relata que escuta muito essa pergunta em seu consultório. O problema não é o consumo de carboidratos, e sim dos carboidratos errados e em excesso: farinhas brancas, açúcar, xarope, maltodextrina, tapioca, refrigerantes, sucos adoçados, doces em geral, sucos ricos em frutose e pobres em fibras como uva e laranja quando em grande quantidade, iogurtes adoçados, balinhas, biscoitos.

“Devemos dar prioridade aos carboidratos certos como vegetais, frutas com casca, leguminosas como feijão, grão de bico, lentilha, pois como também são fontes de fibras, atenuam o efeito do açúcar no seu corpo. Não é que não pode, mas o ideal seria nesses casos reduzir a porção e associar a alimentos de maior qualidade. Lembre-se: açúcar é açúcar!”, ensina a médica.

Qual seu padrão alimentar: hiperfágico prandial; beliscador, caótico, sofisticado, alcoólico ou emocional?

Para ajudar alguém a perder peso, é necessário levar em conta sua história pessoal, que é única e deve ser individualizada. Exames clínicos e laboratoriais se somam ao conjunto de informações ajuda a criar estratégias para o melhor tratamento.

“O padrão alimentar é um dos itens que mais importam na história pessoal de cada um e, detalhadamente, é importante avaliar em quais momentos estão os excessos e qual o tipo de alimento está sendo consumido exageradamente. Traçar esse perfil ajuda a direcionar qual será o melhor plano alimentar e qual será o melhor tratamento medicamentoso, se ele for necessário”, detalha a médica.

Hiperfágico prandial: é aquela pessoa que geralmente não come fora de horário, mas que na hora da refeição come uma quantidade calórica muito importante. Os pratos são grandes e são ingeridas grandes quantidades e grandes volumes de uma só vez.
Beliscador: é a pessoa que come pequenas porções ao longo do dia, várias vezes ao dia. O tamanho das refeições não é tão grande, o que muitas vezes leva a pessoa a achar que não come tanto e que também não sente muita fome, mas, muitas vezes, ela não tem consciência de quantas calorias ingere ao longo do dia. Geralmente, guardam alimentos na bolsa, gavetas, carro. Beliscam enquanto estão cozinhando ou passam o dia todo mastigando alguma coisa.
De padrão alimentar caótico: são aquelas pessoas que não têm nenhum tipo específico de padrão alimentar. Ora alimentam-se de forma hiperfágica, ora de forma beliscadora e, às vezes, ficam longos períodos em jejum. Não se preocupam com os horários das refeições. Não têm nenhum tipo de organização ou de preocupação com a sua forma de alimentação e, muitas vezes, nem recordam o que comeram no dia anterior, demonstrando o quanto não se atentam aos seus próprios hábitos alimentares.
Comportamento alimentar sofisticado: são pessoas que comem em horários regrados e alimentos muitas vezes até saudáveis, mas exageram nas calorias por elaborarem demasiadamente seu prato, com excesso de alimentos como azeite, castanhas/nozes/uva passas, molhos feitos com óleos ou à base de queijo ou creme de leite. “Por exemplo, aquela salada gourmet, com molhos, castanhas e queijos. As sobremesas também são superelaboradas, além dos vinhos, licores, entradas antes da refeição principal etc. Geralmente são pessoas que gostam de cozinhar e apreciam um bom restaurante. Exageram, no entanto, nas calorias por rebuscarem demais o prato”, adverte a endócrino.

Freepik

Alcoolismo: muitos ingerem muito mais calorias na forma de álcool do que na forma de alimentos e, nestes casos, deve-se também prestar atenção ao risco de deficiências nutricionais mesmo que o paciente esteja acima do peso.
Padrão emocional: são aqueles que comem apenas para aliviar certas emoções do dia a dia. E esses fatores emocionais servem de gatilho para comer mesmo estando sem fome ou sem vontade, como, por exemplo: uma ansiedade repentina por comida diante de alguma situação difícil, com sensação de alívio no momento de comer.
Atenção: você pode ter um padrão diferente em cada fase da vida

Dependendo do estado emocional, nosso nível de estresse e, no caso de muitas mulheres, até mesmo uma variação mensal relacionada à famosa TPM (tensão pré-menstrual) podem fazer o seu padrão alimentar oscilar. Nessa fase, muitas mulheres ficam hiperfágicas e beliscadoras, ou seja, com fome, gula e ansiedade.

“O maior desafio do profissional de saúde é ajudar o paciente atingir a sintonia entre comida, mente e corpo. E lembre-se sempre: o primeiro passo é ter a consciência dos comportamentos alimentares que fazemos de forma automática, sem pensar”, finaliza Paula.

Fonte: Paula Pires é especialista em Endocrinologia, Metabologia e Clínica Médica. Graduação pela Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília – UnB. Residência Médica em Clínica Médica pela Unicamp. Residência Médica em Endocrinologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FM USP).

5 dicas para uma alimentação saudável

Nutricionista cadastrada no GetNinjas ensina como manter uma dieta balanceada e rica em nutrientes

A alimentação saudável é um hábito que vem conquistando os brasileiros aos poucos e com a pandemia, muitas pessoas repensaram suas refeições especialmente preocupadas com o sistema imunológico. Sendo assim, comer de forma equilibrada é um fator de extrema importância, mas também um desafio cotidiano. A nutricionista Bárbara Ramires, que atende pelo GetNinjas, maior plataforma de contratação de serviços do Brasil, selecionou algumas dicas que podem ajudar. Confira:

Prefira os alimentos orgânicos
Passe longe dos fast foods, comidas congeladas ou alimentos pré-prontos. “Essas comidas são altamente calóricas e gordurosas e não contém nenhum nutriente, nem vitaminas e tampouco minerais”, explica Bárbara. “É importante sempre optar por alimentos orgânicos ou frescos e conhecer as feiras da sua região, o que além de econômico é mais saudável”.

Pixabay

Consumo consciente
Não ultrapasse o limite. Tudo que é demais não faz bem à saúde. Reduza o sal, opte pela segunda sem carne.

Gordura do bem
Existem gorduras que são importantes para o nosso corpo, como por exemplo, o azeite de oliva, óleo de coco, e gordura de porco.

Opte por reeducação alimentar
Reeducação alimentar é a melhor escolha para quem deseja perder peso. Não existe dieta milagrosa. Não faça dieta sem acompanhamento de um profissional de saúde.

Adobe Stock

Frutas são de extrema importância!
Não exclua as frutas, verduras, legumes, sementes e grãos da sua alimentação diária, são eles que darão o equilíbrio necessário para manter a sua alimentação mais saudável.

No GetNinjas, é possível encontrar mais de 500 tipos de serviços, que são oferecidos por mais de 3 milhões de profissionais cadastrados na plataforma, entre eles, serviços de saúde e serviços domésticos, como nutricionistas, personal chef, entre outros.

Pimenta caiena acelera o metabolismo e ajuda a reduzir o apetite

De tempos em tempos, algum ingrediente é apontado como aliado da saúde, como é o caso da pimenta caiena. O condimento é um ingrediente versátil que pode ser encontrado em receitas doces e salgadas, além de ser usado na composição de alguns suplementos e cápsulas por apresentar efeito termogênico – que aumenta a produção de calor no corpo, ajudando na queima de calorias e na redução do apetite.

“A pimenta caiena possui uma alta concentração de capsaicina quando comparada às outras pimentas. A substância é um composto bioativo que além de antioxidante estimula o metabolismo, gerando o aumento da termogênese e assim, o estímulo à queima de gordura corporal”, explica a nutricionista Alessandra Luglio.

Na culinária, a especiaria é usada para temperar alimentos, como carne, frango, peixe, salada, arroz, sopa, caldos, molhos e omeletes. Uma outra opção de consumo é na forma de suplementação, a exemplo do UltraCoffee da linha Plant Power SuperFoods, desenvolvido pela A Tal da Castanha.

Antes de entrar no mercado, a nova marca escutou por meses vários consumidores em potencial e ouviu a opinião de nutricionistas para incluir na composição ingredientes prioritariamente íntegros que tivessem efeito imediato no metabolismo. O suplemento natural ainda conta com a presença de ingredientes como o café, o gengibre e a canela que possuem ação termogênica, potencializando o metabolismo de forma sinérgica, auxiliando na queima de gordura corporal.

A nutricionista, que também é consultora da marca, participou de todas as etapas do desenvolvimento do produto, ela explica que o produto auxilia na manutenção da forma física potencializando resultados satisfatórios, mas os benefícios vão além. “A combinação de ingredientes também é capaz de otimizar a performance esportiva e produzir efeitos expressivos na função cognitiva, principalmente nos dias de maior desgaste mental”, esclarece.

O que mais pode ser feito para melhorar o metabolismo?

A ingestão de suplementos não garante o emagrecimento. É preciso ter acompanhamento nutricional, além de uma dieta equilibrada com a presença de atividades físicas. E não se esqueça da hidratação. A regra é consumir – ao menos – dois litros de água por dia para manter o corpo em pleno funcionamento. Refletir sobre o que comemos é muito importante, assim como ter disciplina para que possamos ter momentos de prazer.

Fonte: A Tal da Castanha

Projeto verão: segredos para aumentar a massa magra e definir músculos

Algumas estratégias podem ajudar na construção muscular e elas vão desde a alimentação ao bom descanso

Ainda existe muita gente que faz atividade física, bate cartão todo dia na academia de musculação, mas se esquece que existem outras variáveis envolvidas no processo de hipertrofia muscular, com ganho de massa magra. “Precisamos entender o que gera a hipertrofia. Basicamente precisamos estar atentos a três fatores: ter uma boa alimentação, comendo a quantidade certa de proteínas, dormir pelo menos oito horas por dia e estimular bem os grupos musculares”, explica a médica nutróloga Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia. “Além disso, os suplementos podem ser úteis nesse processo”, acrescenta.

Consumo de proteínas: quem pratica atividade física para ganhar massa magra certamente já ouviu falar que precisa inserir alimentos ricos em proteínas na dieta. “Isso é necessário, uma vez que os aminoácidos proporcionam o crescimento e a reparação de tecidos, e isso inclui a massa muscular. Esses nutrientes também atuam no metabolismo celular e na contração dos músculos”, afirma Marcella.

“Estudos mostram que para um ganho focado em hipertrofia deveremos ingerir 1,5g a 2g de proteína por quilo de peso corporal. Isso significa que, se você tem 80kg, deve ingerir no processo de hipertrofia entre 120g e 160g de proteína. Para dar um exemplo, um filé de frango tem em média 30g de proteína. Talvez você precise suplementar, mas consulte sempre um especialista. E não esqueça de incluir nessa conta as proteínas vegetais”, diz a especialista.

Com ferro e nitratos, o espinafre é uma boa opção vegana para aumentar o ganho de massa magra, pois é rico em proteína, vitaminas e minerais. “Fonte de proteína vegetal, o espinafre contém boas quantidades de vitamina K, vitamina C, vitamina E, Ferro, Fibras, Cálcio e vitaminas do grupo B”, diz a médica.

“A ervilha também é uma boa fonte de proteínas vegetais e ainda fornece muitas fibras. Com alta quantidade de aminoácidos essenciais, ideais para quem quer ganhar massa muscular, pois são necessários para a síntese proteica, a ervilha tem quantidades de aminoácidos essenciais comparáveis às proteínas de origem animal”, explica. Mas cuidado com os excessos: proteína demais, além de ter efeito catabólico (de diminuição da massa muscular), ainda pode fazer mal para os rins. Quer uma dica? Tente calcular o consumo diário ou use aplicativos de contagem de calorias e macronutrientes, já que eles podem dar uma boa ideia de como está a sua rotina alimentar.

Foto: Pop Sugar

Treinos: nas academias, o ideal é buscar exercícios que possam ser feitos com o máximo de peso (priorizando o movimento correto de exercício), buscando fazer a série até a falha, algo entre 8 e 12 movimentos. Também podemos contar com estratégias para quem treina com o peso do corpo: “No caso das flexões de braço e agachamentos, pode ser variado o estímulo, utilizando técnicas de ‘tempo’ e isometria, mantendo o músculo acionado por mais tempo”, explica. Em vez de simplesmente agachar e voltar ao normal, tentar segurar nessa posição por 20, 30, 45 segundos ou 1 minuto por ser mais eficiente. “Após o término do exercício também há a necessidade da ingestão de carboidratos para a reposição de glicogênio muscular e hepático”, diz a médica. Vegetais também são importantes, porque contêm vitaminas e minerais, que ajudam na recuperação do organismo depois dos exercícios.

ThinkStock

Sono: você já deve ter ouvido seu professor de academia enfatizar que “é no descanso que o músculo cresce”. “Dormir as oito horas por dia é indispensável”, explica. “Além de ajudar a manter a massa magra e regenerar as fibras musculares, o nosso organismo precisa desse descanso reparador para melhorar a resposta imune”, acrescenta a médica.

Suplementação: “O mais importante de tudo é saber que a suplementação não substitui a alimentação, ela serve justamente para complementar uma dieta. São preparações indicadas para complementar e adequar a dieta a uma nutrição que talvez esteja com uma carência de algum nutriente. Tem como principais funções: melhorar a performance de treino, aumentar a massa muscular, diminuir o percentual de gordura e diminuir a fadiga”, explica. Com relação à ajuda dos suplementos, as substâncias atendem três frentes importantes para a hipertrofia: 1) contribuem para construção muscular, por meio da oferta de nutrientes; 2) colaboram para a performance durante o exercício, oferecendo melhores condições, como mais energia e instigação para se exercitar; e 3) apoiam todo o processo, seja favorecendo o emagrecimento, melhorando a qualidade do sono, reduzindo a condição de estresse e melhorando a imunidade. “Em treinos normais, os suplementos permitem que o indivíduo execute treinos mais elaborados, com resultados mais rápidos e visíveis”, diz Marcella. Há vários disponíveis, com opções de origem animal (whey protein e albumina), vegana (proteína da soja, do arroz e da ervilha) e associações importantes como creatina monohidratada, que potencializa a reposição proteica, aumentando a massa muscular e força.

LMG

Para quem quer ganhar ainda mais músculos em áreas que teimam em não crescer, isso é possível com a ajuda da tecnologia do T Sculptor, um procedimento que contribui para o enrijecimento, fortalecimento e hipertrofia muscular e utiliza-se da tecnologia Hifem (High-Intensity Focused Electromagnetic), o que permite ao paciente fazer um treino muito mais forte e pesado do que ele conseguiria na academia.

“A tecnologia não invasiva, ao entrar em contato com a pele, gera um campo eletromagnético focado de alta intensidade capaz de estimular o músculo por meio de contrações contínuas e intensas. São realizadas até 36 mil contrações em cada sessão de 30 minutos, proporcionando assim hipertrofia muscular com consequente aumento do volume da musculatura, redução de gordura devido a ampliação do gasto calórico e, dependendo do protocolo realizado, até mesmo aumento da força muscular”, explica o dermatologista Abdo Salomão Jr., membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

De forma geral, os estudos mostram 19% de redução de gordura e 16% de aumento de massa magra com o tratamento. T Sculptor permite tratar ombros, braços, abdômen, coxas, glúteos e panturrilhas. “Enquanto ocorre a sessão, o paciente sente apenas uma contração muscular (sem fazer força)”, explica o médico. Os protocolos de redução de medida ou ganho de músculos são feitos em oito sessões, com intervalo mínimo de 48 horas entre elas.

Fontes:
Abdo Salomão Jr: Doutor em Dermatologia pela USP (Universidade de São Paulo). Sócio Efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Membro da American Academy of Dermatology (AAD), Sociedade Brasileira de laser em Medicina e Cirurgia e do Colégio Ibero Latino Americano de Dermatologia. Professor universitário, ministra aulas nos principais congressos nacionais da especialidade. Diretor da Clínica Dermatológica Abdo Salomão Junior.
Marcella Garcez: Médica Nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.