Arquivo da tag: ervas

Nutricionista lista seis especiarias e ervas que ajudam a perder peso

As ervas e especiarias acrescentam cor, textura, sabor e aroma na culinária. Elas também são usadas há séculos por muitas culturas para fins medicinais, não à toa já serviram até como moeda de troca. Algumas delas possuem o poder de ajudar a perder peso.

A nutricionista Juliana Vieira citou algumas ervas e especiarias que estimulam a queima de calorias e gordura e o poder nutricional delas.

-Chá verde: estudos realizados com humanos mostram aumento do gasto energético de cerca de 4% e da oxidação lipídica com o consumo de chá verde, em função de seu efeito termogênico.

Getty Images

-Ginseng: aumenta o gasto energético com a aceleração do metabolismo.

Healthy Focus

-Dente-de-leão: ele auxilia na limpeza do trato digestivo e ajuda o intestino e o fígado a eliminar toxinas retidas, assim desintoxicando.

-Canela: além de acelerar o metabolismo e manter o apetite controlado, contribuindo para a redução de peso, ainda ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue.

-Pimenta-caiena: contém capsaicina, uma substância que aumenta o metabolismo e combate a obesidade.

Foto: Pixabay

-Cúrcuma: contém propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes.

Juliana diz que as especiarias podem ser acrescentadas em pães, bolos, tortas e biscoitos, doces e salgados para dar um toque especial. Ela afirma que é preciso associar o consumo com uma alimentação balanceada.

“As especiarias e ervas podem ser utilizadas no fim do preparo apenas para salpicar o sabor sobre um prato preparado. Costumo regular em minhas prescrições associar com a dieta em forma de chá, e à prática de atividade física, pode auxiliar na perda de peso. Além disso, a bebida é uma opção mais saudável que o café no consumo de cafeína por ter uma quantidade própria para o consumo diário”, diz a nutricionista.

“O chá não precisa ser feito na hora para ser consumido, fica pronto rapidinho e pode ir a qualquer lugar com você. Ferver a água, preparar o chá e colocá-lo em uma garrafa térmica ou outro recipiente hermético bem fechado, para manter a temperatura e evitar que o líquido escorra na mochila ou na bolsa. Se você preferir beber o chá gelado, pode deixá-lo gelando no refrigerador”, finaliza.

Precisa reduzir o consumo do sal? Confira como usar ervas e especiarias para dar sabor aos pratos

Universo de aromas, sabores e cores das ervas e especiarias ajuda a montar pratos deliciosos sem precisar mexer no saleiro. Kitano dá dicas de preparos do cotidiano explorando só os temperos

As ervas e especiarias nos proporcionam um universo de aromas, sabores e cores tão marcantes, que é possível usá-las como substitutas do sal, deixando o saleiro guardadinho para a criação de alguns pratos. 

Especialista na arte de temperar e presente na vida dos brasileiros há seis décadas, a Kitano mostra como os temperos são ótimos aliados na transformação do gosto das refeições. A lista de sugestões conta com pimenta do reino preta, orégano, cominho, páprica e tomilho. Veja como tornar o dia ainda mais saboroso. 

Ovo frito com Pimenta-do-Reino Preta: 

O tradicional ovo frito é um bom exemplo de como investir em um preparo sem sal. Uma pitada de Pimenta do Reino Preta em Pó Kitano sobre o ovo na frigideira é suficiente para dar um toque levemente picante. A pimenta do reino preta também combina na preparação de verduras, massas, molhos e carnes.

Orégano na Batata

O gosto robusto do orégano ajuda a salgar a batata e ainda leva seu gosto marcante à refeição. Uma curiosidade: o orégano em pó da Kitano é selecionado da sépala da flor (que fica abaixo da pétala) e não da folha, o que dá um sabor mais intenso ao tempero. 

Feijão com Cominho

O feijão nosso de cada dia também pode ser preparado com riqueza de sabor contando apenas com os aromas presentes nas ervas e especiarias. O alho, cebola e o bacon complementam o time que deixará o feijão irresistível. A receita e o preparo do feijão com cominho, para quatro porções, são feitas da seguinte forma.

Ingredientes:

● 1 e 1/4 xícara (chá) de feijão

● 3 xícaras (chá) de água

● 2 colheres (sopa) de azeite

● 50 g de bacon picadinho

● 1 cebola pequena picada

● 2 dentes de alho picados

● 1 colher (chá) de Cominho Kitano

Modo de preparo: coloque o feijão em um recipiente e cubra com água. Deixe de molho por 3 horas. Escorra e descarte a água. Coloque o feijão em uma panela de pressão e acrescente a água. Leve ao fogo médio por 15 minutos depois do início da pressão. Em outra panela, aqueça o azeite e frite os cubinhos de bacon. Junte a cebola e, quando começar a dourar, acrescente o alho. Misture por 1 minuto, acrescente o feijão cozido e o cominho. Adicione o caldo do cozimento e deixe ferver até que o caldo esteja no ponto desejado.

s pedaços de frango. Frite em panela alta, com óleo bem quente, deixando dourar (aproximadamente 15 minutos). Retire, coloque em papel toalha para escorrer e disponha numa travessa, enfeitando com salsa picada.

Frango a Passarinho com Páprica, Tomilho e Cheiro-Verde

Sabe o que acontece quando um trio de peso de temperos se junta para uma refeição? O resultado é comida boa. Que o diga o frango a passarinho temperado com páprica doce, tomilho, cheiro-verde, entre outros ingredientes. Nada de sal! Com suas características próprias, os três temperos dão ao frango frito um paladar magnífico, sendo difícil parar de comer. Confira a receita desse prato:

Ingredientes:

● 12 pedaços de frango cortados na junta (passarinho)

● 5 dentes de alho amassados 

● 1 cebola bem picada

● 4 colheres (sopa) de cheiro-verde Kitano

● 5 colheres (sopa) de suco de limão

● 1 colher (café) de tempero baiano Kitano

● 1 xícara de farinha de trigo

● 1 colher (sopa) de tomilho Kitano

● 1 colher de sopa de páprica doce Kitano

● 1 colher (chá) de fermento em pó

Modo de preparo: misture em tigela, com os pedaços de frango, o alho amassado, a cebola, o cheiro verde, o limão a páprica e o tomilho. Deixe descansar por 10 minutos. Em uma tigela à parte e misture a farinha de trigo. Coloque a segunda mistura em cima da primeira e tampe, agitando bem, para que a farinha e os ingredientes se misturem bem aos pedaços de frango. Frite em panela alta, com óleo bem quente, deixando dourar (aproximadamente 15 minutos). Retire, coloque em papel toalha para escorrer e disponha numa travessa, enfeitando com salsa picada.

Fonte: Kitano

6 especiarias e ervas que ajudam a perder peso e como usá-las

Nutricionista Juliana Vieira fala sobre o poder nutricional das ervas e especiarias e como consumi-las

As ervas e especiarias acrescentam cor, textura, sabor e aroma na culinária. Elas também são usadas há séculos por muitas culturas para fins medicinais, não à toa já serviram até como moeda de troca. Algumas delas possuem o poder de ajudar a perder peso.

A nutricionista Juliana Vieira citou algumas ervas e especiarias que estimulam a queima de calorias e gordura e o poder nutricional delas. Confira:

Chá verde: estudos realizados com humanos mostram aumento do gasto energético de cerca de 4% e da oxidação lipídica com o consumo de chá verde, em função de seu efeito termogênico. Mas não exagere.

Getty Images

Ginseng: aumenta o gasto energético com a aceleração do metabolismo.

Pixabay

Dente-de-leão: ele auxilia na limpeza do trato digestivo e ajuda o intestino e o fígado a eliminar toxinas retidas, assim desintoxicando.

Canela: além de acelerar o metabolismo e manter o apetite controlado, contribuindo para a redução de peso, ainda ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue.

Pimenta-caiena: contém capsaicina, uma substância que aumenta o metabolismo e combate a obesidade.

Foto: Pixabay

Cúrcuma: tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes.

Juliana diz que as especiarias podem ser acrescentadas em pães, bolos, tortas e biscoitos, doces e salgados para dar um toque especial. Ela afirma que é preciso associar o consumo com uma alimentação balanceada.

“As especiarias e ervas podem ser utilizadas no fim do preparo apenas para salpicar o sabor sobre um prato preparado. Costumo regular em minhas prescrições associar com a dieta em forma de chá, e à prática de atividade física, pode auxiliar na perda de peso. Além disso, a bebida é uma opção mais saudável que o café no consumo de cafeína por ter uma quantidade própria para o consumo diário”, diz a nutricionista.

Ela completa: “O chá não precisa ser feito na hora para ser consumido, fica pronto rapidinho e pode ir a qualquer lugar com você. Ferver a água, preparar o chá e colocá-lo em uma garrafa térmica ou outro recipiente hermético bem fechado, para manter a temperatura e evitar que o líquido escorra na mochila ou na bolsa. Se você preferir beber o chá gelado, pode deixá-lo gelando no refrigerador”.

Formaggio Mineiro lança pão de queijo combinando flores de lavanda com queijo canastra

Receita inédita e exclusiva será produzida em edição limitada e disponível somente nas lojas da fábrica, tanto físicas quanto virtuais, até 30 de junho ou enquanto durar o estoque

Pioneira em pão de queijo gourmet no Brasil, a Formaggio Mineiro está sempre inovando o segmento do quitute típico brasileiro com receitas exclusivas. Desta vez, o lançamento é de um produto inédito, feito com flores de lavanda – Multifida sidonie e Lavandin -, folhas de verbena, flores de manjericão e alecrim. Esses ingredientes, misturados harmoniosamente ao queijo canastra e parmesão, resultaram em uma explosão de sabores inusitada, dando origem ao Pão de Queijo com Ervas do Lavandário.

A produção será limitada e o produto ficará disponível somente nas lojas Formaggio Mineiro, tanto físicas quanto virtuais, até 30 de junho de 2022. O pão de queijo é congelado e vem em embalagem de 500 gramas, onde constam todas as instruções para o assamento, inclusive através de QR Code.

A empresária e fundadora da Formaggio Mineiro, Mirany Soares, responsável por desenvolver as receitas exclusivas do mix de opções da marca, conta que a ideia desse produto surgiu assim que eles conheceram O Lavandário, em Cunha, cidade turística de São Paulo que fica na divisa com o Rio de Janeiro. “Além do lugar, que é incrivelmente lindo, acolhedor e delicioso, fiquei maravilhada com as possibilidades de sabores que as flores de lavanda proporcionam na gastronomia. Trouxemos o azeite de lavanda para harmonizar com nossos pães de queijo nas lojas e o sucesso é absoluto”, revela a empreendedora mineira.

Para chegar à formulação perfeita do Pão de Queijo Ervas do Lavandário, a mineira revela que foram inúmeros testes ao longo de meses, e garante que não existe nada similar no mercado. “Chegamos a um resultado único, do jeitinho que a gente aprecia e gosta de proporcionar ao cliente: sem adição aromatizante, sem glúten, muito queijo e ingredientes puros de verdade. Assim, seguimos gourmetizando a categoria do pão de queijo, com uma receita de família que alia a tradição mineira à qualidade italiana na produção de pães”, ressalta Mirany.

A Formaggio Mineiro foi criada em 2010 na capital paulista e ficou muito conhecida por ser a primeira a produzir um pão de queijo tradicional com 40% de puro queijo canastra e parmesão, diferentemente da grande maioria dos produtos apresentados no varejo, que possuem entre 3% e 8% de queijo. Além disso, é a única a produzir uma diversidade de sabores exclusivos, como pão de queijo de chocolate, por exemplo, feito com chocolate belga. Todos feitos artesanalmente em escala industrial, com todo queijo sendo ralado na própria fábrica em São Paulo, não levam fécula de mandioca -o que resulta em muito mais sabor e consistência ímpar-, não têm aromatizantes e nem gordura trans, e são glúten free.

O mix de produtos Formaggio Mineiro é composto por: pão de queijo tradicional, a versão multigrãos –produzido com linhaça, gergelim, quinoa e semente de girassol-; chipa três queijos –com provolone, parmesão e mussarela-; waffle de pão queijo; pão de queijo de gorgonzola; pão de queijo de chocolate com chocolates belga ao leite, meio amargo e branco misturados ao queijo canastra; espetinho de pão de queijo; pão de queijo com recheio de goiabada e farofa de pão de queijo.

Atualmente, a Formaggio Mineiro possui uma rede de lojas físicas em São Paulo, com nove unidades, e uma em Goiânia. Além de dez outras lojas somente virtuais, incluindo interior paulista, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Informações: Formaggio Mineiro – @formaggiomineiro

Aprenda receitas caseiras para tratar os cabelos

Tudo pra Cabelo elege ingredientes naturais poderosos como aliados na hidratação capilar

É inegável que os hábitos do consumidor mudaram e a busca por produtos naturais ganhou mais força na pandemia. Uma pesquisa de mercado recente da Nielsen apontou que a sustentabilidade já é uma das três maiores preocupações para 32% dos brasileiros na hora de comprar. No setor de beleza, isso se reflete de várias maneiras: uma delas é que cada vez mais mulheres buscam receitas caseiras quando o assunto é hidratação capilar. O Tudo pra Cabelo, hub de conteúdo de cabelos da Unilever, reuniu uma série de dicas para quem deseja cuidar das madeixas com frutas, ervas e flores, facilmente encontradas em feiras e supermercados. Afinal, faz todo o sentido agora investir em ingredientes que possuem, naturalmente, nutrientes capazes de beneficiar a saúde dos cabelos e melhorar sua aparência.

Para garantir esse cuidado extra com os cabelos, vale apostar em máscaras cujas funções se baseiam nas necessidades dos fios no momento da aplicação, já que as demandas por nutrição e hidratação variam bastante ao longo do tempo. Há um vasto leque de opções para quem busca cuidar de fios ressecados, com química, queda ou até para o cabelo crescer mais. Por isso, vale buscar o recurso ideal para ajudar cada objetivo específico. Segundo o time de experts do Tudo pra Cabelo, seja com receitas caseiras ou produtos das grandes marcas, hidratar o cabelo em casa com uma máscara de tratamento é simples, não requerendo processos complicados.

Já para quem prefere as máscaras encontradas nas gôndolas, vale lembrar que não é preciso colocar nada nos cremes, pois esses produtos já são formulados para fornecer um tratamento completo nos fios. Mas, caso a pessoa queira turbinar seus efeitos com mais algum ingrediente, podem ser usadas algumas gotinhas de óleos, como o de amêndoas, de argan e de coco.

E, mesmo sabendo que é possível cuidar da beleza com receitas caseiras, quando se trata de cabelos, vale ressaltar que é sempre mais seguro usar produtos que foram testados previamente e tiveram a segurança garantida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Na dúvida, é recomendável conversar para um dermatologista.

Fonte: Tudo Pra Cabelo

Gallo ensina receita de panqueca, berinjela e massa

A cozinha é um lugar de afeto, onde conseguimos demonstrar todo o nosso carinho, quer preparando uma receita especial ou mesmo as receitas do dia a dia. Pensando nisso, Gallo preparou para você, três sugestões de receitas para ajudar a deixar o seu fim de semana mais gostoso.

Panqueca com mel e azeite, berinjela grelhada e uma massa com muçarela de búfala. Opções para: café da manhã, almoço e jantar. Confira abaixo o passo a passo e bom apetite:

Panquecas com mel e azeite, acompanhada de salada de frutas

Ingredientes:
250g Farinha
2 Ovos
300ml Leite
75ml Azeite Gallo Extra Virgem Clássico
25g Mel
300g Salada de frutas

Modo de preparo:
Em uma tigela misture os ovos, o mel, o Azeite Gallo Extra Virgem Clássico, o leite e a farinha. Bata tudo até obter uma massa homogênea. Aqueça a frigideira antiaderente, coloque um fio de azeite e com auxílio de uma concha despeje uma porção da massa. Espalhe de forma uniforme por toda a superfície da frigideira. Quando ficar com uma textura mais consistente, vire de lado. Assim que ficar dourada, retire da frigideira e reserve. Repita o preparo com o restante da massa. Na hora de servir, regue a panqueca com um fio de mel e coloque a saladinha de frutas ao lado.

Dica do chef: regue a salada de frutas também com fio de Azeite Gallo Extra Virgem Clássico e perceba como os sabores se intensificarão.
Tempo de Preparo: rápido
Porção: 2 pessoas

Berinjela grelhada com queijo feta e ervas

Ingredientes:
Azeite Gallo Extra Virgem Reserva
Azeite Gallo Tipo Único
200g de queijo feta
2 berinjelas grandes
2 dentes de alho
Hortelã a gosto
Manjericão a gosto
Salsa a gosto
Sal a gosto
Cominho a gosto
Pimenta-do-reino moída a gosto

Modo de preparo:
Corte as berinjelas em fatias médias, coloque sal por cima de cada uma. Aqueça o Azeite Gallo Tipo Único em uma frigideira e grelhe as fatias de berinjela por cerca de 2 minutos de cada lado e reserve. Amasse o alho e coloque em uma vasilha, juntamente com a hortelã, manjericão, salsa, cominho, pimenta do reino moída, sal e misture bem. Em seguida adicione o Azeite Gallo Extra Virgem Reserva para fazer o molho e misturando novamente ao final.

Montagem:
Em uma travessa, disponha aleatoriamente as fatias de berinjela. Em cima de cada uma coloque uma fatia do queijo e regue com o molho de Azeite Gallo Extra Virgem Reserva e ervas.

Tempo de Preparo: 15-45min
Porção: 4 pessoas

Linguini com muçarela de búfala

Ingredientes:
4 colheres de sopa de Azeite Gallo Extra Virgem Reserva
300g de tomate cereja
3 dentes de alho picados
400g de massa linguini
Pão francês amanhecido ralado
Manjericão a gosto
300g de muçarela de búfala fresca
Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:
Preaqueça o forno a 190°C.Coloque o tomate cereja em uma forma.Polvilhe o alho picado e tempere com sal, pimenta e um pouco de manjericão. Logo em seguida, regue com o Azeite Gallo Extra Virgem Reserva. Enquanto isso, cozinhe a massa conforme as instruções da embalagem.Em uma frigideira, aqueça o Azeite Gallo Extra Virgem Reserva e junte o restante do alho, o pão ralado e o manjericão restante. Deixe fritar até que o pão esteja dourado. Após, adicione a massa cozida, os tomates e deixe ao fogo por mais 2 minutos. Por fim, coloque as fatias de muçarela, deixe derreter e regue com um fio de Azeite Gallo Extra Virgem Reserva.
Tempo de Preparo: Médio
Porção: 4 pessoas

Fonte: Gallo

Casa Madeira lança chás em sachê Libertea Dia e Noite

Acompanhando as tendências de consumo com pessoas em busca de uma alimentação saudável e mais qualidade de vida, a Casa Madeira, delicatessen do Grupo Famiglia Valduga,apresenta Libertea Dia e Noite, chás em sachê, 100% naturais, compostos por blends exclusivos de diversas ervas, sem adição de açúcares e conservantes.

O Libertea Dia é elaborado com chá verde, hortelã, carqueja, limão, guaraná com gengibre e alecrim. Essa seleção exclusiva de ingredientes resulta em uma bebida de aroma e sabor intenso, sendo ideal para trazer mais energia e disposição para o dia.

Já para relaxar no final do dia e ajudar a ter uma noite de sono mais tranquila, o Libertea Noite é composto por sete ingredientes com propriedades calmantes, como melissa, camomila, jasmim, erva-doce, capim cidreira, maracujá e laranjeira.

As novidades estão disponíveis em caixas individuais com 30 sachês e outra versão com 60 unidades, sendo 30 de cada sabor, e podem ser encontrados na loja virtual.

Informações: Casa Madeira

Ervas e especiarias, entenda a diferença e saiba mais sobre elas

Nutricionista Adriana Stavro ensina a usar 33 ervas e especiarias para tornar suas refeições ainda mais deliciosas

Qualquer pessoa conhece a importância das ervas e especiarias, usadas há séculos, tanto para fins culinários quanto medicinais.Elas acrescentam cor, textura, sabor, aroma e são basicamente a alma de qualquer cozinha.

Definir o que é uma erva e o que é uma especiaria pode ser complicado. De um modo geral, as ervas são usadas frescas e têm uma vida útil mais curta. Já as especiarias são secas e podem ser armazenadas em recipiente de vidro hermético por muito mais tempo (máximo 1 ano). Mas vamos descrevê-las um pouco melhor.

Sunset Magazine

Erva – É uma planta ou parte de uma planta, que é usada como medicamento ou para dar sabor aos alimentos. Os botânicos descrevem as ervas como uma planta pequena com sementes e partes carnudas, amigas dos médicos e elogiadas por cozinheiros. As ervas acrescentam sabor e aroma com sutileza.

Foto: Atul Prajapati/Pixabay

Especiarias – São a parte seca da planta como as sementes, cascas, raízes e frutas. Por exemplo, canela (casca), pimenta (fruta), noz-moscada (semente), alho (raiz). As especiarias acrescentam sabores fortes por isso, menos é sempre mais.

Algumas plantas podem ser consideradas ervas e especiarias. Por exemplo, o coentro, sua folha é a erva, enquanto a semente é a especiaria.

Especiarias, inteiras ou moídas?

Os especialistas dizem que, poucas horas depois de serem moídas, as especiarias podem começar a perder o aroma e o sabor. Por isso, o melhor seria moer conforme necessário.Um bom exemplo disso é a pimenta-do-reino moída na hora e a versão pré-moída. No entanto, no mundo real, quando procuram o salgo rápido para dar sabor a um molho, ensopado ou refogado, os temperos pré-moídos são realmente convenientes e, desde que estejam dentro da validade, proporcionam um bom sabor, portanto, não hesite em usá-los.

Em meio a este universo, alho, sal e cebola são a trilogia básica. Porém, na hora de preparar uma refeição especial, o básico já não serve. Para aguçar ainda mais o paladar, é preciso inovar, trazer à tona novos sabor e, incitar novas sensações. Aí surgem as combinações que podem criar uma sintonia de aromas e sabores inesquecíveis,que valem a pena ser exploradas.

Uma mistura famosa é o buquê garni, típica da cozinha francesa. Já a culinária indiana é reconhecida por suas misturas de especiarias, como o Garam Masala. Veja aqui algumas combinações clássicas:

Cinco especiarias (chinesas) – anis estrelado, canela, cravo, pimentão e sementes de erva-doce.
Ervas da Provença (sul da França) – alecrim, semente de erva-doce, manjerona, estragão, tomilho, orégano e lavanda
Tempero italiano – manjericão, orégano, alecrim, tomilho
Tempero Jerk (Caribe) – pimenta da Jamaica, cravo, canela, noz-moscada, tomilho, alho e as pimentas fortes
Garam Masala (indiano) – sementes de coentro, cominho, pimenta preta, cardamomo, canela, cravo, pimentão vermelho seco e açafrão
Bouquet garni (francês) – salsa, tomilho, folhas de louro e aipo

E como combinar sem exagerar?

Na cozinha, escolher as combinações e quantidades corretas dos condimentos para cada tipo de alimento,é um verdadeiro desafio. O truque é obter a mistura certa, para que nenhuma erva ou especiaria domine o sabor do prato.

Por isso, antes de sair misturando tudo com tudo, vale a pena conferir algumas sugestões sobre quais temperos combinam como que. Com o tempo e a vivência na culinária, é possível desenvolver o chamado “bom senso”. Com essa habilidade, só de cheirar e provar o alimento vai saber se exagerou na quantidade ou se precisa complementar. Para quem ainda não chegou neste estágio, confira  algumas ervas e especiarias e explore suas combinações em suas receitas.

Steve Buissinne/Pixabay

Curry: é uma mistura de especiarias incluindo açafrão-da-índia, cardamomo, coentro, gengibre, cominho, noz-moscada, cravo, pimenta e canela. Algumas marcas de Curry chegam a levar setenta plantas diferentes. Inicialmente o Curry servia para temperar exclusivamente o arroz, mas atualmente é usado em inúmeras receitas, como o frango ao Curry.

Cravo: de sabor intenso e ligeiramente picante, combina bem com canela, pimenta do reino, noz-moscada e gengibre. O cravo pode incrementar o sabor de doces, assados e bebidas em geral.

Cominho (moído ou inteiro): adiciona um sabor terroso ligeiramente amargo, e é popular em pratos da América Latina, Oriente Médio, Marrocos e Espanha. Combina bem com coentro, pimenta do reino e gengibre. Sementes recém-moídas têm mais sabor que moídas.

Canela: é uma casca, popular por seu aroma doce e quente. Acrescenta uma nota doce e perfumada a sobremesas e bolos (é essencial para torta de maçã e crumble). Canela em pó tem mais sabor que ramas, que precisam ser quebrados para liberar o aroma .Combina muito bem com cravo e pimenta-do-reino.

Pimenta-do-reino: vinda da Índia, a pimenta do reino além de dar um sabor picante à comida, ajuda o organismo a absorver os nutrientes e facilita a digestão. Ela é encontrada nas variedades verde, vermelha, branca e preta. A cor varia de acordo com a fase em que é colhida. O tempero combina com carnes e molhos, mas não exagere na quantidade.

Pimenta da Jamaica: como o nome sugere, é nativa da América Central e a principal produção vem da Jamaica. É uma especiaria apimentada e quente, vai bem em marinados, picles,e receitas de bolo com mel.Pode ser combinada com canela em pratos doces.

Pimenta calabresa seca: é excelente para dar sabor picante a molhos e temperar carnes. Deve ser usada em pequenas quantidades.

Páprica: de sabor picante ou doce, esse condimento deriva de um tipo de pimentão de cor vermelha e cura e costuma ser usada para adicionar um toque de cor aos alimentos. No entanto, nos últimos anos, fomos apresentados à páprica espanhola, que tem sabor e aroma intensos e defumados. Embora mais caro, vale a pena experimentar. Uma pequena quantidade transforma muitos pratos,molhos, ensopados, sopas e assados com um delicioso sabor de churrasco defumado. Ela vem em variedades quentes, doces e agridoces.

Açafrão da Terra (cúrcuma): além de deixar os pratos com uma cor linda, o sabor do açafrão é único. A especiaria é famosa desde a antiguidade, principalmente na culinária mediterrânea. É indicado para temperar risotos, aves, caldos, massas e doces.

Pixabay

Açafrão: um dos condimentos mais caros do mundo, é essencial na paella espanhola, no risoto alla milanese e em pratos marroquinos. É encontrado também em pó.

Anis estrelado: de sabor forte e aroma doce, vai bem com peixes, frutos do mar, frango, pães, biscoito e doces

Cardamomo: a essência aromática está nas sementes dentro das cápsulas. Usada para aromatizar doces, salgados e algumas bebidas, como chás.

Noz-moscada: possui um sabor adocicado e um aroma bastante forte. Ela é nativa das Ilhas Moluccas e é muito utilizada na índia. Combina com queijos, abóboras, sopas, espinafres, massas, caldos, molho branco, risotos, pratos indianos etc. Além de dar um sabor único a bebidas, como cappuccino e vinhos.

Erva doce – Foto: Hheidi/Pixabay

Erva Doce: de aroma adocicado, as sementes entram no preparo de infusões, peixes, legumes, bolos e biscoitos.

Papoula: é uma semente bem miudinha, crocante e saborosa. São ótimas polvilhadas em pães, bolos, bolachas antes de ir ao forno ou em massas de pudins, pães e tortas salgadas. Pode ser misturada com manteiga Ghee derretida, e usada em preparações com batatas, cenouras, macarrão, risotos, carnes e peixes. Também pode ser misturada com mel e limão e ser usada em recheios de bolos, caldas de sobremesas ou simplesmente ser consumida com frutas e iogurtes. n

Louro: embora seja muito usado no Brasil como tempero aromático do feijão, ele também pode ser adicionado no preparo do arroz e caldos. Basta colocar uma folha lavada na água borbulhando.

Mostarda – Foto; Rieth/Pixabay

Mostarda: os grãos podem ser usados para realçar o sabor de conservas, batatas cozidas e receitas de carne de porco. Já a mostarda em pó é ótima opção para caldos, sopas e molhos.

Ervas frescas

Foto: Gulzer Hossain/Pixabay

Salsa: ou salsinha combina muito com canapés, molhos de ervas, pães, tomates, omeletes, grelhados, recheios e aromatizar manteiga. É encontrada salsa lisa e salsa crespa. A crespa é muito utilizada para decoração de pratos. Também pode ser encontrada na forma desidratada. Porém o ideal é utilizá-la fresca.

Cebolinha: muito utilizada em omeletes, molho vinagrete e molhos à base de creme de leite para peixes. Ótimo também em patês de ricota, queijo cremoso, sopas e saladas. Geralmente é combinada com a salsinha.

Tomilho: aromatize queijos, licores, carnes de churrasco, peixes, tomates ao forno, pizzas e grelhados. Use-o em pó quando quiser só seu sabor e aroma. É ótimo para compor marinadas.

Alho: pode ser utilizado de diversas formas, cru, refogado, picado ou em rodelas. Em geral, os povos mediterrâneos são os maiores apreciadores, empregando-o, geralmente, junto com o tomate e a cebola. Fica ótimo em carnes assadas e para temperar o arroz e feijão.

Bazinga1k980/Pixabay

Alho-poró: é o alho verde, com bulbos e folhas grandes. Bom para o preparo de sopas, ensopados e saladas.

Gengibre: a raiz é quente, doce e picante. Moída, é ideal para bolos, pães, molhos, sopas, aperitivos, carnes, peixes, aves, legumes, saladas, frutas e sucos. Experimente usá-lo junto com o alho no arroz branco, fica uma delícia.

Foto: CreativeCommons

Manjericão: existem mais de cinquenta tipos de manjericão. A maioria das pessoas pensam no manjericão com tomate ou pesto ou usado como guarnição de sobremesa e pratos salgados. Pense além, eles podem ser usados com outras ervas como alho, zimbro, mostarda, páprica, alecrim e adicionado em sopas, saladas e tortas.

Orégano: pode ser usado para os mesmos fins que o manjericão, embora seu aroma seja diferenciado. É tempero típico de cobertura de pizzas, dos molhos italianos para massas. Aromatize saladas de frutos do mar, coloque nos antepastos de azeitonas pretas, em queijos, use no feijão branco em recheios para carnes, aves e carneiro. Podemos utilizar as folhas secas ou frescas, fica ao critério de cada um.

Hortelã: tem um aroma forte e fresco e é um dos sabores mais populares do mundo. Nativa do sul da Europa e mediterrâneo, se adaptou com facilidade ao Brasil. Na culinária ocidental é usada para dar sabor a berinjelas, abobrinhas, ervilhas, batatas e tomates. Vai bem com carnes de frango, porco e vitela. Na culinária árabe a hortelã é essencial para o tabule e o quibe.Combinam bem com sementes de coentro e cominho.

Coentro – Foto: Hans Braxmeier/Pixabay

Coentro: enquanto as folhas são usadas como erva, a semente é uma especiaria. Tem um sabor muito suave e não é nada picante. Esta é provavelmente uma das especiarias mais suaves. É o principal ingrediente do Garam Masala.

Manjerona: é outro tempero que vem das terras mediterrâneas. Possui uma folha semelhante com a do orégano, porém o sabor é diferente. Ela é ideal para aromatizar simples saladas e para valorizar carnes e aves, assim como pratos à base de tomate, sopas, saladas e em peixes grelhados. Vale a pena experimentá-la no feijão preto, o sabor é incomparável.

Alecrim: bata o alecrim seco no pilão com sal e use para temperar batata. Coloque na carne de carneiro para grelhar. Acrescente ao alecrim salsa em pó, alho e pimenta-do-reino para marinar por meia hora carnes brancas que serão grelhadas ou cozidas. Dica: Faça um molho com tomates cozidos e amassados. Misture salsa, cebola picada, açúcar de coco ou demerara (opcional) e pimenta malagueta socada. Sirva o molho com verduras, legumes cozidos e carnes.

Endro (dill ou aneto): muito usado para marinar peixes. É o tempero do famoso bufê de frios dos povos nórdicos, composto de vários peixes marinados. Fica ótimo em cremes de queijos, omeletes, molhos e sopas frias. Sempre colocar no final da preparação.

Foto: CreativeCommons

Salvia: o ideal é usá-la sempre fresca. Basta adicioná-la à comida, seja no início do preparo, no final, ou um pouco nos dois momentos. Desse modo, ela sempre liberará o máximo de seu aroma e sabor. Também não pode ser cortada muito antes de usar para que não escureça e perca suas características. A sálvia libera o máximo de sabor e aroma quando aliada a um tipo de óleo ou gordura, como azeite e manteiga. Combinações clássicas: Carne de porco, vitela, frango, pato, ganso, peru, grãos, ovos, queijos, sobretudo o grana pada no, pecorino e os queijos de cabra. A combinação de abóbora e sálvia é um clássico italiano. Manteiga e sálvia também são acompanhamentos ideais para massas recheadas.

Dica: derreta um pouco de manteiga junto com algumas folhas inteiras de sálvia, e quando a massa estiver pronta, misture a essa manteiga e um pouco da água de cozimento. É simples, mas delicioso. Para aromatizar um azeite com sálvia, é só colocar algumas folhas dentro do azeite e aquecê-lo bem levemente (cerca de 50º C). Depois deixe o azeite esfriar e passe para uma garrafa.

Cerefólio: é um tempero agradável, de sabor sutil. Combina muito bem com saladas, peixes, mariscos cozidos, sopas, omeletes, ovos mexidos, frango, arroz, molhos suaves de manteiga e queijos macios.

Quantidades sugeridas para uso em vários pratos: 2 colheres (sopa) de Cerefólio desidratado para 1 ½ kg de peixe e carnes; 1 colher (chá) de Cerefólio fresco em sopa, em caldos, arroz, omeletes e arroz

Estragão: é uma erva típica da cozinha francesa, usada para realçar o sabor de alguns ingredientes e alimentos. Pode ser combinada com o tomilho e a salsa. O sabor do estragão é adocicado e levemente picante. Lembra um pouco o cheiro e gosto do funcho (erva-doce). Combina muito com saladas, conservas, molhos (como o clássico molho Béarnaise, que acompanha carnes grelhadas e peixes), frango, ovos e tomates. Pode ser usado fresco ou seco, tudo depende da receita.

Foto: Eszter Miller/Pixabay

Dill: também chamado de endro, é muito usado na culinária escandinava e do leste europeu. Suas folhas podem ser delicadas, mas o aroma e sabor são marcantes. As folhas do dill perdem muito seu sabor quando secas, por isso, o ideal é usar sempre fresco. Se acrescentá-lo a um prato quente, prefira fazê-lo no final da preparação, para manter as características da erva. Fica ótima com peixes, creme azedo, maionese, queijos frescos, legumes, verduras, tubérculos, sopas e caldos. Sementes levemente tostadas podem aromatizar manteigas e azeites.

Dicas gerais:

• Todas as ervas frescas podem ser congeladas picadas. Para isso, basta colocá-las em formas de gelo e completar com água ou azeite. Uma vez congeladas, guarde os cubos com as ervas em um pote no freezer. Quando precisar, é só colocar os cubos com as ervas no final da cocção.
• Prefira sempre a versão fresca ao invés da desidratada, são mais saborosas e saudáveis.
• Não compre em grandes quantidades, pois as ervas frescas estragam rapidamente e as especiarias perdem sua cor e o sabor.
• A maioria das ervas não deve ser cozida por muito tempo. É sempre recomendado acrescenta-las no momento final da preparação.
• Alguns temperos podem ser usados crus no final do cozimento, como a pimenta, mas outros ficam mais saborosos quando cozidos, como o cominho e o louro. Se estiver seguindo uma receita, preste atenção na ordem em que os ingredientes são adicionados ao prato.
• Verifique os temperos em sua despensa regularmente. Qualquer especiaria com mais de um ano deve ser descartada.
• As ervas devem ser retiradas do prato no momento de servir.

Receita de Salmão Marinado com Endro

Ingredientes:
700g de salmão fresco
2g de endro liofilizado
50 ml de suco de limão
100 ml de vinagre de framboesa
2 colheres de sopa de azeite de oliva
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Fatie finamente o filé de salmão e coloque-o numa vasilha. Polvilhe com sal, pimenta-do-reino e endro. Junte o suco de limão, o vinagre de framboesa e regue com azeite de oliva. Leve à geladeira em recipiente fechado por no mínimo duas horas. Sirva em travessa decorada com ramos de endro.

Receita com Tomilho

Faça uma base com fatias de batatas, coloque o peixe sobre elas, regue com azeite, acrescente sal, vinho branco, ramos de tomilho, feche com papel alumínio e leve ao forno para assar.

Fonte: Adriana Stavro é nutricionista mestre pelo Centro Universitário São Camilo Especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) pelo Hospital Israelita Albert Einstein. Pós-graduada em Nutrição funcional pela VP e em Fitoterapia pela Courses4U

Linha de sementes para jardinagem traz novidades em ervas e pimenta

Topseed Garden é uma das mais completas do mercado, com mais de 60 anos de tradição em horticultura

A Topseed Garden, uma das mais tradicionais linhas de sementes voltada para jardinagem, hobby e lazer, acaba de agregar ao seu portfólio quatro novas variedades: o levístico Erva-Maggi, o manjericão Lemonette, a pimenta habanero White e o manjericão Toscano Folha de Alface.

O manjericão Lemonette possui folhas pequenas com aroma de limão, é principalmente usado na cozinha asiática para temperar peixe e camarão grelhado; já a pimenta habanero White é uma planta alta, robusta e muito produtiva, com frutos de até 50 x 30 mm de cor creme, em formato de jujuba. Pode ser consumida em conservas, molhos ou seca; o manjericão Toscano Folha de Alface clássico com folhas gigantes, aromáticos e tem sabor um pouco mais doce que as demais variedades.

A planta cresce até uns 50-60 cm de altura; e o levístico Erva-Maggi, uma erva muito versátil com sabor de salsão, cresce até 60 cm. Todas as partes da planta podem ser usadas em sopas, saladas e refogados. As sementes secas são usadas em conservas, queijos e pães.

A Topseed Garden faz parte do portfólio da Agristar do Brasil, empresa referência no desenvolvimento e comercialização de sementes de hortaliças, ervas e flores. Todas estas variedades e outras podem ser cultivadas em casa, para garantir a qualidade final do seu tempero. Saiba mais sobre a forma de cultivo e ainda conheça receitas no site da Agristar do Brasil.

Pratique Plantoterapia

A jardinagem e o cultivo de hortas caseiras vem ganhando cada vez mais espaço na casa dos brasileiros como uma forma de se reconectar com a natureza, produzir seus próprios alimentos e inserir uma alimentação variada, livre de defensivos e transgênicos na rotina diária.

O conceito “Pratique Plantoterapia”, criado pela Agristar do Brasil, consiste em ressaltar os benefícios que o cultivo caseiro tem levado a milhares de pessoas que procuram uma atividade de contato com a natureza. Saiba mais clicando aqui.

Fonte: Agristar

Chás podem auxiliar na elevação da imunidade

Em tempos de pandemia é importante manter o sistema imunológico fortalecido. De ervas, flores, quente ou frio, os chás em todas as suas variações fazem toda a diferença para a qualidade de vida e podem contribuir bastante para o processo de elevação da imunidade.

Stocksy

O consumo dos chás verde e de genciana pode ajudar quem tem doenças no trato respiratório como bronquite, sinusite e rinite, por exemplo. “Já o chá de romã é um ótimo antiviral e antitumoral, e também possui substâncias que impulsionam as células de defesa do corpo, como o ácido fólico e as vitaminas A, C e E. O chá de maçã previne e colabora no tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica, asma e diabetes. Os seus compostos fenólicos podem evitar a formação de alguns tipos de cânceres”, explica Lucas Penchel, médico e speaker da Soulchá, empresa mineira especializada na fabricação de chás.

Chá de melissa – Foto: Ivabalk/Pixabay

Os chás de Echinacea purpurea, de gengibre, de jabuticaba, de melissa, de limão, de canela da china e de astrágalo chinês possuem propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e imunoestimulantes que reduzem a incidência de resfriados comuns e gripe.

Chá de boldo – Foto:WiseGeek

“As infusões de tanchagem, cúrcuma e camomila têm ação anti-inflamatória e antibacteriana. O chá de sabugueiro é reconhecido por seu grande poder antivirótico. O boldo, além de solucionar os incômodos da indigestão, também atua como um eficiente imunomodulador, garantindo o aumento da resposta orgânica contra determinados microrganismos, como os vírus, fungos, bactérias e protozoários”, recomenda.

Chá de erva-doce – Foto: fresh design pedia

Devido à presença da vitamina C, o chá de hibisco pode fortalecer a imunidade e reduzir os riscos de inflamações e infecções. “Os chás de erva-doce, de hortelã pimenta e de sálvia tem ação antiviral, antimicrobiana e anti-inflamatória. O chá mate tem ação antioxidante e efeito comprovado na estimulação do sistema imunológico. Os taninos presentes no chá-preto garantem a saúde do sistema digestivo e ainda têm a capacidade de combater os vírus responsáveis pela gripe, disenteria e hepatite”, conta Penchel.

Chá de capim cidreira – Foto: Rickyy Sanne/Morguefile

“O chá de pimenta caiena é rico em vitaminas A e C que evitam infecções e mantém os tecidos epiteliais saudáveis, incluindo as membranas mucosas que revestem as vias nasais, os pulmões, os intestinos e o sistema urinário. Ao aprimorar a absorção de nutrientes, o chá de capim cidreira também impulsiona os nossos mecanismos de defesa”, indica.

Penchel aponta que vários tipos de chás podem ajudar a fortalecer o sistema imune de nossos organismos, mas para potencializar este benefício é essencial que o consumo das infusões esteja aliado a uma dieta saudável e a prática regular de exercícios físicos. “Uma pessoa que consome chás, mas tem uma alimentação rica em gorduras e açucares, ingere bebidas alcoólicas em excesso e é adepta do tabagismo, ainda estará propensa a desenvolver doenças ou condições relacionadas a imunidade baixa, caso não abandone os maus hábitos. Por isso, a importância de combinar uma rotina sadia ao uso dos chás”, destaca.

A resposta do corpo à ação dos chás dependerá da dose ingerida, do horário, duração da administração e do estado imunológico de cada pessoa no início do tratamento. “As orientações de consumo adequado devem ser prescritas e orientadas por um profissional, respeitando sempre a quantidade máxima de três xícaras por dia”, conclui.

Fonte: Soulchá