Arquivo da tag: espumante

Chandon apresenta seu novo espumante: Blanc de Noir

Com a expertise do enólogo chefe Philippe Mével. A Chandon, se dedica exclusivamente à elaboração de espumantes excepcionais de forma inovadora, corajosa, colaborativa, inspiradora e em busca de um futuro mais sustentável com o olhar para a preservação de suas terras e para a comunidade em seu entorno. 

O vinhedo próprio da marca, localizado em Encruzilhada do Sul, a partir de 2020, foi a primeira vinícola brasileira exclusivamente dedicada a elaboração de espumantes a receber a certificação PIUP (Produção Integrada de Uva para Processamento) de viticultura sustentável para elaboração de espumantes.

Esse vinhedo único, em Encruzilhada do Sul, dá origem ao Chandon Blanc de Noir. Em altitudes de 350 m são cultivados uvas Pinot Noir, em clima ameno e bem ventilado. Lá encontramos condições que combinadas a um manejo adequado e totalmente sustentável permitem obter uvas de alta qualidade, sãs, maduras, apresentando bons teores de acidez natural e aromas delicados, características essenciais para elaborar um excelente espumante, como o Chandon Blanc de Noir”, diz Philippe Mével, enólogo chefe da marca.

Em 2022, a Chandon lança seu primeiro espumante extra brut (6 g/L), 100% varietal com uvas Pinot Noir colhidas a mão, procedentes do nosso vinhedo certificado de Encruzilhada do Sul. O novo espumante apresenta um visual de cor amarelo claro, com reflexos esverdeados e prateados, de espuma em abundância e de borbulhas finas ativas e numerosas; no olfato têm aromas de frutas como morango, nectarina, damasco fresco e amora, com toque de amêndoa e pimenta rosa; e no paladar traz muito frescor, acidez marcante, equilíbrio, maciez e delicada estrutura.

“O Chandon Blanc de Noir traz inovação da Chandon no mercado de espumantes com um extra brut marcante e frutado, que alcança paladares diversos. Em um novo mundo de possibilidades, a empresa se posiciona como uma marca que pensa em seus consumidores, nas comunidades e em um futuro responsável e sustentável”, diz Catherine Petit, diretora geral da Chandon do Brasil.

E a marca conquistou a certificação PIUP colocando em prática técnicas de sustentabilidade no terroir único, as quais consistem em estimular as defesas naturais da videira, reduzindo o uso de produtos químicos, racionalizando o manejo do vinhedo e melhorando as condições para cobertura vegetal e o aumento da biodiversidade. Favorece, assim, a vida e a saúde do solo, aumentando sua fertilidade promovendo melhor drenagem e retenção da água. Estes fatores elevam o teor de matéria orgânica do solo, que, desta forma, sequestra o gás carbônico, um dos principais gases responsáveis pelo efeito estufa. Além disso, implementa um sistema de logística reversa que permite que os resíduos sejam revertidos à indústria e reutilizados. 

Hoje em dia, durante o processo produtivo na vinícola são reciclados e esforços constantes são destinados à melhoria contínua desses números. A empresa separa de acordo com cada categoria e o envia diretamente a fornecedores locais que o reciclam mais de 99,34% dos resíduos gerados.

Foto: @pridiabr.png

A Chandon acredita que o espumante é mais do que um produto agrícola, é a reunião de uma comunidade de talentos em busca de um resultado excepcional e sustentável; por isso, a saúde e a manutenção da terra, do meio ambiente e das pessoas são de extrema importância no processo de elaboração até a entrega dos seus espumantes excepcionais na casa de seus consumidores.

As garrafas de Chandon Blanc de Noir estarão disponíveis para vendas à partir de 20 de maio de 2022, no site da Wine.com.br

Vitória Lúcia, o ícone em homenagem às nonas da família

Espumante Nature, Ícone das borbulhas elaborado pela Vinícola Cave do Sol, no Vale dos Vinhedos, é a estrela do mês das Mães

Passam gerações, amadurecem novas safras e o maior valor preservado pela Cave do Sol continua sendo a família. O diretor Arnaldo Passarin, neto de Giuseppe, que veio do Vêneto em 1888, sempre diz que tem duas paixões: a família e o vinho, mas o melhor da vida é a família. E assim, a vinícola eternizou parte dessa história de amor engarrafando seu espumante ícone, o Vitória Lúcia, em homenagem as saudosas nonas da família. E neste mês das Mães, o rótulo é o protagonista de uma ação que tem o propósito de homenagear muitas mães. Durante o mês, comprando duas garrafas, o cliente ganha uma champanheira.

A força dessas mulheres – Vitória e Lúcia – está representado no nome e no estilo do espumante, elaborado com um corte das variedades Chardonnay e Pinot Noir. “Únicas, elas são exemplos de bravura e determinação para nossa família”, destaca Passarin, filho de Lúcia. A escolha das variedades traduz a personalidade que cada uma delas deixou como legado para a vinícola, seus filhos e netos. Ele explica que a mãe de sua esposa Arlete, Vitória também não poderia deixar de ser homenageada.

Pedidos abençoados

E para reverenciar ainda mais o respeito e a admiração em relação as nonas, a Cave do Sol criou uma nova experiência apoiada na fé e religiosidade que elas tinham. Entre o rico acervo preservado pela família e que está exposto na vinícola estão duas Capelinhas, uma de Nossa Senhora Aparecida, que era da avó Lúcia, e outra da Nossa Senhora de Caravaggio, adorada pela avó Vitória. A partir de agora, as pessoas poderão depositar as rolhas das garrafas que forem abertas, acompanhadas de um pedido, a fim de serem abençoados pelas Santas e pelas avós.

O espumante

Elaborado com uvas Chardonnay e Pinot Noir cultivadas na Serra Gaúcha, este espumante foi elaborado pelo método tradicional. Tem 36 meses de autólise em cave antes do degorgement, com parte do vinho Chardonnay com passagem por barrica de carvalho. De coloração amarelo-dourado, o espumante Vitória Lúcia tem perlage fino e persistente. No nariz, frutas como limão siciliano e abacaxi maduro com notas delicadas de frutos secos e castanhas. Também traz aromas que lembram pão e tostados, resultado de uma maturação prolongada sobre as borras. Na boca, acidez refrescante, excelente equilíbrio com a fruta e agradável cremosidade. Harmoniza muito bem com peixes grelhados, massas com molhos de queijos, risotos leves, bolinho de bacalhau, sendo ideal ser apreciado com temperatura entre 6°C a 8°C.

Informações: Cave do Sol

Aprenda a fazer aperitivo de uva para as festas de fim de ano

Mimo ensina como preparar o irresistível Embriagado de Uva

O tradicional espumante não pode faltar nas celebrações de Ano Novo. Afinal, brindar as taças com quem amamos é uma das melhores partes das celebrações. Como momentos gostosos pedem Mimo, a seleção de uvas especiais da Agrivale sugere uma receita diferente e muito saborosa de aperitivo que traz a bebida no preparo: Embriagado de Uva. A opção também traz vodka e as uvas Mimo Infinity, equilibradas e bastante suculentas.

Além de garantir um sabor adocicado, o toque final do açúcar polvilhado nas uvas deixa uma aparência que lembra neve, semelhante à temática natalina. Importante: lembre-se de sinalizar a família na ceia sobre a uva conter álcool para evitar que crianças ou adultos com restrições consumam. Confira abaixo modo de preparo:

Embriagado de Uva

Ingredientes:
500 g de uvas Mimo Infinity;
350 ml de espumante;
50 ml de vodca;
Açúcar

Modo de preparo:
Solte as uvas Mimo Infinity do cacho e lave-as bem. Em uma tigela, coloque as uvas lavadas, adicione o espumante e em seguida a vodca. Dê uma misturada e coloque na geladeira por 3 horas. Tire da geladeira e escorra todo o líquido da tigela. Passe a uva Mimo Infinity no açúcar, ou se preferir, apenas polvilhe o açúcar por cima. Pronto. Agora é só deixar na geladeira até o momento de servir.

Fonte: Agrivale

Wine divulga lista especial com sugestões de espumantes para o réveillon

Roupa branca, pular sete ondinhas, festas… Tudo isso faz parte do réveillon no Brasil! Mas nada mais tradicional do que fazer aquele brinde com os amigos e a família, não é mesmo? E, claro, com espumantes de qualidade. Pensando nisso, Thamirys Schneider e Marina Bufarah de Souza, Sommelières da Wine, maior clube de assinatura de vinhos do mundo, criaram uma lista super especial de espumantes para serem degustados na virada do ano em grande estilo.  

A lista começa com o Espumante Partridge Stars Brut,  frutado com notas de pêssegos e abacaxi, com discreto toque de pão. Ele é elaborado pelo método charmat longo, no qual a segunda fermentação acontece em garrafa e o vinho fica por 8 meses em contato com suas borras, adquirindo mais cremosidade e maior complexidade de aromas e sabores. Além disso, a vinícola Las Perdices trabalha com sustentabilidade e compromisso social em sua comunidade, nos entregando sempre a melhor expressão do seu terroir argentino.

O português Espumante Castelo do Sulco Demi-sec aposta na afirmação dos vinhos de Lisboa, tendo mesmo assumido a assinatura “Lisboa em garrafa”, como selo de qualidade e reforçando um hype que a capital tem registrado internacionalmente. É uma marca democrática, uma oferta para jovens, turistas, amantes de boa gastronomia, e foi elaborado pelo método tradicional, segunda fermentação em garrafa, trazendo um blend demi-sec diferenciado da já conhecida Chardonnay com a Arinto. Vale muito a pena conhecer!

As sugestões especiais da Wine continuam com o Espumante Dadá Nº 7 White Sweet 2021, que utiliza métodos para acentuar notas únicas em cada uma das variedades, com muita irreverência para transformar o comum em extraordinário. Este é um espumante vibrante, jovem, frutado, delicado e muito refrescante, e pode ser degustado com comidas mais leves como sushi e frutos do mar, ou até sobremesas à base de massa folhada, creme ou  frutas de caroço.

O francês Espumante Veuve d’Argent Rosé Brut incrementa as dicas com seu aroma de frutas vermelhas frescas como morango, framboesa e cereja. No paladar é frutado, fresco e com saborosas notas de frutas frescas, e foi elaborado pelo método Charmat. Fechando a lista, o Champagne Montaudon Brut aparece com notas de frutas brancas, mel, pão e fermento no aroma, e preenche o paladar com sua cremosidade, boa acidez, médio corpo e delicada perlage. Ele foi elaborado pela Maison Montaudon, uma tradicional casa de Champagne fundada em 1891. 

Conhecidos por sua versatilidade, os espumantes são capazes de encantar até mesmo os paladares mais exigentes, surpreendendo os sentidos. Mesmo com métodos de produção variados e origens diferentes, eles têm pontos em comum, como a vivacidade, a acidez que refresca, limpa o paladar e convida para o próximo gole. São verdadeiros coringas para os mais variados momentos – especialmente na chegada das festas de fim de ano – com seus toques mais frutados ou notas mais complexas.  

Afinal, é sempre bom começar o ano com o pé direito e, claro, com uma taça de espumante nas mãos para brindar na virada.

Sobre os espumantes:

Espumante Partridge Stars Brut

Espumante Castelo do Sulco Demi-sec

Espumante Dadá Nº 7 White Sweet 2021

Espumante Veuve d’Argent Rosé Brut

Champagne Montaudon Brut

Informações: Wine

Espumantes: confira guia sobre a bebida preferida das celebrações

Espumantes remetem a celebrações, ao brindar a vida e aos inícios, sendo geralmente a bebida escolhida para o réveillon

Em clima de festas de final de ano, a sommelière Érika Líbero preparou um Guia dos Espumantes incluindo dicas de 10 espumantes brasileiros que custam até R$ 100,00. O espumante é um dos tipos de vinhos mais democráticos. Tem para todos os gostos, todos os níveis de açúcar, todas as cores, todos os bolsos e acompanha todos os tipos de refeição – da entrada à sobremesa.

Érika começa explicando o que é o espumante: é o vinho que passa por duas fermentações, a primeira para transformar a uva em um vinho base branco ou rosé, e a segunda para adicionar o gás carbônico nesse vinho base.

Métodos para produção de espumante

Há três métodos para produção dos espumantes. Para obter um espumante, o vinho base deve ser fermentado novamente para a formação da perlage (aquelas bolhas do espumante). Essa segunda fermentação pode ser feita de dois métodos:

Tradicional: também conhecido como método champenoise ou clássico, a segunda fermentação ocorre na garrafa.
Charmat: a segunda fermentação ocorre em tanques de inox e só depois é envasado.
Asti: uma única fermentação. Esse método é uma variação do método charmat, mas consiste em uma única fermentação, gerando álcool e perlages de uma só vez.

Nem todo espumante é champagne ou prosecco

“Vamos começar já dizendo que nem tudo que borbulha é champagne ou prosecco. É muito comum usar os termos ‘champanhe’ e ‘prosecco’ para falar de um espumante.” conta Érika. Esclarecendo algumas dúvidas.

O champagne é o espumante feito em Champagne (região da França) pelo método tradicional (champenoise) com as uvas permitidas na região: Chardonnay, Pinot Noir e Meunier. Outras quatro uvas são permitidas (Arbane, Petit Meslier, Pinot Blanc e Pinot Gris), mas estas representam menos de 0,3% da produção.

Prosecco é o espumante feito no Vêneto (Itália) pelo método charmat com a uva glera. Antigamente, esta uva era chamada de prosecco, mas mudou de nome para evitar que espumantes de outras regiões e países que usassem essa uva também fossem chamados de prosecco.

Cava: é o espumante da região de Penedés (Espanha) com as uvas Macabeo, Xarel-lo e Parellada. É feito pelo método tradicional.

Não se fala “a” espumante e, sim, “o”: “É comum ouvir ‘Vou tomar uma espumante’, mas o correto é um espumante, substantivo masculino”, destaca Érika que também fala sobre a questão linguística em relação ao champagne: “O Volp traz champanhe como substantivo masculino e feminino, portanto é permitido dizer o ou a champanhe.”

Espumantes brancos podem ser feitos de uvas tintas

Uma das uvas de champagne é a pinot noir, uma uva tinta. Um espumante branco pode ser feito 100% com esta uva. O termo usado para um espumante feito com uvas tintas é blanc de noir, enquanto que blanc de blancs só leva uva branca. Quando encontrar um rótulo com a descrição blanc de blancs, se trata de um espumante branco feito exclusivamente com uvas brancas. Em geral, esses vinhos são produzidos 100% com a uva chardonnay.

Você sabia que a pressão de uma garrafa é superior a 4 atm?

Um dos fatores que classifica um espumante é a pressão, que deve ser acima de 4 atm – atm é a unidade de medida da pressão atmosférica, ou seja, a força exercida pelo ar. Uma pressão de 4 atm pode causar um bom estrago, por isso, cuidado ao abrir uma garrafa de espumante. A gaiola, aquele arame que segura a rolha, está lá justamente para a garrafa não expulsar a rolha, então, a partir do momento que a gaiola é retirada, a atenção deve ser redobrada para evitar acidentes.

Érika compara: “Para ter uma ideia do que é 4 atm, a panela de pressão de 4 litros tem 2,5 atm (temperatura acima de 100 graus Celsius), já o pneu de caminhão, geralmente, tem 4 atm. Não precisa se apavorar, mas é bom manipular com cuidado. Não aponte a garrafa em direção às pessoas, animais, objetos, e cuidado com lâmpadas e lustres!”

Já reparou que, em geral, o espumante não é safrado como outros tipos de vinho? Sim, geralmente não há o ano da safra no rótulo do espumante. Isso ocorre porque o enólogo faz cortes com diferentes safras para manter o padrão do espumante ano a ano.

O termo Brut encontrado nos espumantes diz respeito ao teor de açúcar. Conferindo o teor de açúcar do espumante, de acordo com a descrição do rótulo:

Nature: até 3g
Extra–brut: superior a 3g e até 8g
Brut: superior a 8g e até 15g
Sec (ou seco): superior a 15g e até 20g
Demi-sec (meio-seco ou meio-doce): superior a 20 e até 60g
Doce: superior a 60g

No Brasil, há um espumante que pode ser chamado de champanhe

A Vinícola Peterlongo possui um espumante que pode ser chamado de champanhe. O Recurso Extraordinário 78.835 concedeu de maneira irrevogável o direito do uso do termo champagne em alguns de seus rótulos. Ela foi a pioneira na produção de espumantes no Brasil, em 1915.

Espumantes tintos?

Não é muito comum, mas existe. No Brasil, duas vinícolas já produziram espumante tinto com a uva merlot: Estrelas do Brasil e Guatambu. A vinícola Viapiana (Flores da Cunha-RS) lançou um espumante tinto elaborado 100% com a uva gamay.

Hamonizações

Érika destaca a versatilidade do espumante: “É um tipo de vinho que vai bem do começo ao final da refeição. Espumantes harmonizam da salada à sobremesa”. A sommelière dá uma sugestão de ordem para que os espumantes sejam servidos do início ao fim da refeição:

Entrada: brut/nature elaborado pelo método charmat.
Prato principal: brut/nature elaborado pelo método tradicional.
Sobremesa: moscatel, elaborados pelo método asti.

Os espumantes brasileiros estão entre os melhores do mundo

“Pode comprar sem medo! Temos espumantes de todos os métodos , todos os teores de açúcar e todas as cores. Recebem vários prêmios mundiais e são elogiados mundo afora. Não tenha medo de comprar espumantes nacionais baratos, temos excelentes opções, aqui abaixo sugiro 10 espumantes nacionais por até R$ 100,00”, conta Érika.

Em relação às regiões que produzem espumantes no país, a sommelière explica que Garibaldi é conhecida como a capital nacional do espumante, já Farroupilha é a capital nacional do moscatel e a Região do Vale do Rio São Francisco produz excelentes espumantes.

Confira abaixo as sugestões de Érika:

Virtus Brut
Vinícola: Monte Paschoal
Região: Farroupilha – RS
Uvas: Prosecco, Trebbiano e Moscato
Preço Médio: R$ 29,90

Miolo Cuvée Tradition Brut Rosé
Vinícola: Miolo
Região: Vale dos Vinhedos – RS
Uvas: Pinot Noir
Preço Médio: R$ 89,00

Penultimo
Vinícola: Villaggio Conti
Região: São Joaquim – SC
Uvas: Ribolla Gialla, Vermentino e Glera
Preço Médio: R$ 62,00

Terranova Brut Rosé
Vinícola: Miolo
Região: Vale do São Francisco – BA
Uvas: Grenache
Preço Médio: R$ 60,00

Salton Evidence
Vinícola: Salton
Região: Serra Gaúcha – RS
Uvas: Chardonnay e Pinot Noir
Preço Médio: R$ 75,00

Amitié Cuveé Brut Rosé
Vinícola: Amitiè
Região: Farroupilha
Uvas: Chardonnay e Pinot Noir
Preço Médio: R$ 79,00

Garibaldi Prosecco
Vinícola: Garibaldi
Região: Garibaldi – RS
Uvas: Glera
Preço Médio: R$ 30,00

Cave Amadeu Brut
Vinícola: Família Geisse
Região: Pinto Bandeira – RS
Uvas: Chardonnay e Pinot Noir
Preço Médio: R$ 72,00

Sur Lie Casa Valduga
Vinícola: Casa Valduga
Região: Vale dos Vinhedos – RS
Uvas: Chardonnay e Pinot Noir
Preço Médio: R$ 78,90

Moscatel Cave Antiga
Vinícola: Cave Antiga
Região: Farroupilha – RS
Uvas: Moscato Giallo, Moscato de Alexandria, Moscato Bianco
Preço Médio: R$ 55,90

Os preços apresentados aqui foram consultados em 07/12/2021.

Linha de espumantes Henkell recebe certificação vegana

A União Vegetariana Europeia (EVU) concedeu à alemã Henkell a certificação V-Label. O título confirma que os espumantes da marca são veganos, ou seja, produzidos sem nenhum componente de origem animal.

A certificação oferece para Henkell o direito de usar em suas garrafas o selo V-Label, um símbolo registrado usado internacionalmente para identificar os produtos veganos e vegetarianos.

A marca solicitou a certificação para atender os consumidores que estão preocupados com a origem dos itens consumidos e se posicionar como uma opção para eles. No Brasil, Henkell está presente com o Henkell Brut, Blanc des Blanc, Trocken e o Zero Álcool.

“Nossos espumantes já eram veganos, e agora passam a ser certificados. Estamos crescendo no mercado nacional e investindo na comunicação da marca. Nosso Instagram já está no ar e até o final do ano também investiremos na ampliação de portfólio. Em 2021, a nossa meta é fechar o ano com 44.000 garrafas vendidas”, declarou Fabiano Ruiz, Diretor Executivo da Henkell Freixenet Brasil.

Fonte: Henkell Freixenet

Novos roteiros na Cave do Sol, vinícola para adultos e crianças

Meditação, experiência kids com suco de uva e degustação com chocolate são as novidades que já estão em operação

Novidades não param de brotar no Vale dos Vinhedos. A Cave do Sol, mais nova vinícola do destino, inaugurada em setembro de 2020, acaba de lançar mais três roteiros para quem busca viver experiências únicas e seguras, que vão além de visitas guiadas e degustações orientadas. Pensadas para adultos e crianças, em grupos limitados, essas vivências contemplam yoga e meditação na cave, degustação de suco de uva para as crianças e uma degustação harmonizada com chocolate.

No espaço mais particular e restrito, a própria Cave do Sol, destino das degustações especiais e onde está a Enoteca da vinícola, acontece a ‘Saudação ao Sol’, uma aula de yoga e meditação para apenas seis pessoas, conduzida pelos instrutores Augusto e Manoela Schiavenin. Na Cave, o sol, imortalizado na arte de um mosaico multicolorido, ganha a luz natural do astro, faça chuva ou faça sol, iluminado naturalmente por uma cavidade idealizada pela família.

Ali, de forma inédita, os visitantes poderão relaxar para, posteriormente, visitar a vinícola e suas obras de arte, além de degustar espumantes e sucos de uva e saborear uma mesa de antepastos. Cada participante ganha uma taça de cristal personalizada.

Para quem aprecia chocolates, a Cave do Sol está oferecendo em qualquer dia da semana mediante agendamento prévio, a ‘Experiência Vinhos & Chocolates’. O roteiro inclui visita à vinícola e suas obras de arte, além da degustação de cinco estilos de chocolates com vinhos e espumantes. O participante ganha uma taça de cristal personalizada. Para crianças, a experiência é adaptada, substituindo os vinhos por três tipos de suco de uva.

Pensando nos ‘baixinhos’, a Cave do Sol criou uma experiência lúdica e saudável. Enquanto os pais fazem a visita pela vinícola, as crianças se divertem degustando três tipo de suco de uva puro, além de chocolates ou cookies infantis e de um kit pinturinha que acompanha o livreto Purinho, personagem do suco de uva. Como recordação, cada criança ganha um copo de suco de uva personalizado. É a ‘Experiência Kids Suco Puro’.

Para a diretora Cristiane Passarin, as novidades foram pensadas para contemplar toda a família. “O Sol é a nossa grande inspiração. A partir dele, criamos espaços como a própria Cave do Sol que reúnem uma energia mística que faz com que as pessoas queiram desfrutar deste ambiente. Ao mesmo tempo, recebemos famílias com crianças pequenas que podem se divertir com os nossos sucos sem adição de açúcar, água, conservantes, aromatizantes ou qualquer outro tipo de aditivo, somente uva”, destaca.

Novos Roteiros Cave do Sol

Saudação ao Sol (Adultos)
O quê? Aula de yoga e meditação, visita à vinícola e suas obras de artes, degustação de espumantes e sucos de uvas e uma mesa de antepastos. Uma taça de cristal personalizada por participante.
Quando? 10 de julho7 de agosto.
Horário: das 9h30min às 11h30min
Valor: R$ 180,00 por adulto.

Experiência Vinhos & Chocolates (adultos e crianças)


O que? Visita à vinícola e suas obras de arte, degustação de cinco estilos de chocolates harmonizado com vinhos e espumantes e uma taça de cristal exclusiva.
Quando? Diariamente, mediante agendamento prévio.
Horários: de segunda a sábado, às 11h 13h, 14h30min e 15h30min. Aos domingos, às 11h, 13h e 14h30min.
Valor: R$ 90,00 por adulto; R$ 45,00 por criança

Produtos degustados:


Drágeas de Amêndoas com chocolate meio amargo
Vinho: Cave do Sol Chardonnay
Bombom 70% Cacau
Vinho: Cave do Sol Cabernet Sauvignon
Barra de Café 70% Cacau
Vinho: Cave do Sol Tannat
Damasco com chocolate ao leite
Espumante: Solar do Vale Prosecco
Chocolate branco com nozes
Espumante: Solar do Vale Moscatel

Experiência Suco Puro (Crianças)

Degustação de 3 tipos de suco de uva puro
Degustação de cookies infantis ou Degustação de chocolates
Kit pinturinha, contendo um livreto do Purinho, personagem do suco de uva, e uma caixa de lápis para colorir
Ganha 1 copo de suco personalizado
R$ 45,00 se optar por chocolates / R$ 30,00 se optar por cookies no acompanhamento.
Diariamente, horários agendados conforme a escolha da experiência dos pais.

Cave do Sol: RS 444 KM 20,7, no Vale dos Vinhedos. Agendamento pelo e-mail turismo@cavedosol.com.br ou pelo telefone/WhatsApp 54 98418.9882

Casa Valduga lança Maria Valduga Rosé em homenagem ao Dia das Mães

Considerada a joia do espumante brasileiro, icônico rótulo ganha edição limitada para homenagear a matriarca da família

Idealizadora do sonho de elaborar espumantes no Brasil pelo método champenoise, seguindo a tradição da região de Champagne na França, a matriarca da Casa Valduga recebe como tributo Maria Valduga Rosé, uma edição especial e limitada deste que é considerado a joia do espumante brasileiro, em homenagem ao Dia das Mães. O rótulo icônico é uma consagração a quem dá origem à vida.

Em uma tiragem de apenas três mil garrafas, Maria Valduga Rosé é elaborado com a seleção das melhores uvas Chardonnay (70%) e Pinot Noir (30%). De excelente cremosidade, com perlage fino e persistente, esse espumante é resultado da evolução no silêncio e na penumbra das caves subterrâneas por 60 meses.

No olfato, Maria Valduga Rosé revela um bouquet elegante e intenso de frutas em calda, remetendo principalmente à frutas vermelhas. Os aromas de brioche amanteigado se entrelaçam com um leve toque frutado e expressam a complexidade adquirida durante sua lenta maturação.

No paladar, este rótulo icônico de Casa Valduga reflete de maneira ímpar a excelência do Terroir do Vale dos Vinhedos na elaboração de espumantes, apresentando cremosidade incomparável, vigoroso frescor, intensidade e um retrogosto onde se evidenciam suas notas evolutivas.

Maria Valduga Rosé harmoniza com pratos à base de peixes e carnes brancas, molhos leves e canapés variados, e é ideal para o brinde do almoço de 9 de Maio, ou para quando os encontros em família forem possíveis novamente.

Vendas: Loja

Informações SAC: 0800-721-1875

Vinho e sobremesa: saiba como harmonizar corretamente

Não é segredo para ninguém que o universo da confeitaria proporciona experiências únicas através da combinação infindável de ingredientes. Uma receita bem elaborada tem o poder de melhorar o dia de qualquer um – um pedaço de bolo acalenta corações tal qual um abraço apertado.

Mas é claro, toda experiência gastronômica pode, e deve, ficar mais completa e especial. Uma das formas de celebrar a complexidade da confeitaria é adicionar um toque de outro universo igualmente mágico e cheio de possibilidades: o do vinho. Engana-se, aliás, quem pensa que a harmonização de vinhos restringe-se tanto a receitas salgadas como a eventos altamente refinados. O vinho é, acima de tudo, amplo e democrático.

Nessa arte de harmonizar vinhos com comidas, a experiência adocicada no paladar pode ser verdadeiramente enriquecedora. Para comprovar essas possibilidades, Cake By Yu, Ateliê de Bolos e Doces na Vila Mariana, e o sommelier de vinhos e cervejas Elias Varella, dão dicas incríveis. Confira:

Quais são os vinhos que mais harmonizam com receitas adocicadas?

Existem combinações clássicas com os chamados “vinhos licorosos”, que também são conhecidos como “vinhos de sobremesa”. Dentre eles, destacamos o famoso húngaro Tokaji e o francês Sauternes. Também não poderia deixar de citar os famosos vinhos fortificados, como o icônico Vinho do Porto nas suas versões Tawny e Ruby, os Late Harvest, ou vinhos de colheita tardia, em que as uvas são maturadas por um longo período, concentrando grande quantidade de açúcar. Outra boa opção são os espumantes mais adocicados, como o italiano Asti, assim como Champagne ou Cava nas suas classificações mais doces (Sec, Demi-Sec e Doux).
Apesar de essas serem algumas das opções de vinhos doces que combinam com sobremesas, não se prenda somente a eles. Dependendo da sobremesa, alguns vinhos secos, como um Sauvignon Blanc da Nova Zelândia, um Chardonnay californiano com longo envelhecimento em barricas, um Riesling alemão ou até mesmo alguns vinhos tintos como o Pinot Noir, Cabernet Sauvignon e Zinfandel, podem criar harmonizações surpreendentes!

Na gastronomia brasileira, temos muitos doces com alto teor de açúcar entre os queridinhos, principalmente aqueles com cobertura de brigadeiro. Nesse caso, o vinho ajuda a quebrar esse excesso? Quais cepas equilibram o paladar?

Depende muito da sobremesa. Mas pensando na cobertura com brigadeiro, que é um chocolate doce, eu sugeriria um Vinho do Porto Ruby, por combinar pela semelhança, ou um espumante tinto do Piemonte chamado Brachetto d’Acqui, que possui perlage e acidez suficientes para equilibrar o dulçor da sobremesa.

Quais são os “no go’s” da harmonização entre vinhos e pratos adocicados?

Tudo depende do tipo da sobremesa. Temos que pensar na intensidade, na quantidade de açúcar e nas notas complementares, como a adição de frutas ou especiarias. A comida e a bebida têm que interagir de forma harmônica para que uma não se sobressaia em relação à outra. É uma questão de bom senso e de conhecer bem a sobremesa e o vinho que se deseja harmonizar. Para citar um exemplo: uma sobremesa delicada à base de frutas cítricas não combina com um vinho tinto encorpado e adstringente; assim como um bolo de chocolate amargo não harmoniza em nenhum aspecto com um vinho branco delicado.

Quais dicas você daria para um couvert levemente ‘açucarado’, com vinho, e equilibrado para abrir o paladar?

Pixabay

Uma boa escolha são os espumantes adocicados. Além de ser uma tradição iniciar uma refeição com um espumante, a perlage e a acidez ajudam a abrir o paladar. A melhor opção vai depender do couvert e do gosto do cliente, mas um espumante com Moscatel, um Cava ou Champagne costumam agradar bastante.

Por fim, após o isolamento social e pensando em um evento completo, com entrada, prato principal e sobremesa com vinhos, quais escolhas são certeiras do começo ao fim?

iStock

Temos que pensar numa escala de intensidades, que vá do mais leve para o mais encorpado. E claro: tudo vai depender do menu de comidas proposto. De modo geral, abrimos o evento com um espumante, já que a perlage e acidez ajudam abrir o paladar, como já mencionado. Para entradas leves, saladas ou carnes brancas, podemos harmonizar com vinhos brancos vibrantes. No prato principal, se pensarmos em carnes vermelhas e pratos intensos e estruturados, os tintos amadeirados e encorpados, como um Syrah ou um Cabernet Sauvignon, podem ser uma boa opção. Por fim, para as sobremesas, podemos aproveitar todas as dicas que foram passadas aqui, seja um vinho fortificado, de colheita tardia, licoroso ou até mesmo um belo espumante!

Fonte: Cake By Yu

Tinto Português e Espumante Francês são rótulos de degustação virtual beneficente

Com a experiência “Como Degustar Vinhos – Edição Vinhos do Bem”, Talk Wine vai destinar parte do valor das vendas a uma instituição de caridade

“Fazer o bem sem olhar a quem”. A máxima é o ponto de partida para a temporada de degustações virtuais de 2021 da Talk Wine, a primeira startup brasileira 100% dedicada ao tema. A experiência “Como Degustar Vinhos – Edição Vinhos do Bem” aliará bons vinhos e solidariedade, pois será um evento beneficente, em que parte da receita será destinada à APAE de Maringá/PR.

Além de ajudar ao próximo, quem adquirir o kit de vinhos poderá provar dois clássicos antagônicos: o robusto tinto português Marques de Borba e o delicado espumante francês Veuve du Vernay Brut Rosé, edição limitada. Os rótulos serão recebidos em casa e degustados ao vivo, na companhia do especialista, Marcelo Copello, no dia 27 de fevereiro.

“Decidimos por um evento beneficente pois entendemos nossa responsabilidade social. Em um ano que se inicia com grandes desafios para todos, nada melhor do que começar com um ato de amor ao próximo”, destaca André Barros, um dos sócios-fundadores da Talk Wine, que ressalta a importância de reverter algo também para a cidade. “Escolhemos uma entidade de Maringá, pois é onde está nossa sede e é o município em que vivemos. Por esta razão, temos laços fortíssimos com este lugar”.

Além dos dois vinhos, o kit conta com um completo material de apoio, contendo informações sobre a experiência e dicas para a degustação. Contém ainda uma receita de chef para preparar em casa e harmonizar com as bebidas. A experiência já está à venda no site a R$ 299,00.

Degustação Virtual – Para participar de uma degustação virtual não precisa ser nenhum expert em tecnologia, nem tampouco em vinhos. A experiência é completa e segura. Após a compra online do kit, os rótulos são recebidos em casa.

No dia e hora marcados, o entusiasta do vinho tem o link de acesso à live. Durante a transmissão, conta com orientações e aprende como analisar e apreciar as bebidas. Tudo é conduzido de forma didática e divertida pelo curador da Talk Wine, Marcelo Copello, um dos mais renomados degustadores do país, jurado em diversos concursos ao redor do mundo e presidente do júri da Grande Prova Vinhos do Brasil.

“O evento é completo. Há entretenimento e conhecimento, incluindo dicas de harmonização”, comenta mais um dos sócios-fundadores da Talk Wine, José Roberto Mattos. “A vantagem da degustação virtual é promover a companhia online de especialistas que podem estar em qualquer lugar do mundo. E isso, com certeza, torna a vivência muito mais interessante do que a simples compra em um e-commerce de bebidas”.

Não somente online, mas também offline, é possível ter a companhia de amigos ou familiares durante o evento. A dica é compartilhar o kit adquirido e aproveitar a experiência ao máximo, pois o box enviado serve até quatro pessoas. “Uma pequena reunião em casa, cozinhando a receita sugerida, é a harmonização perfeita para a degustação virtual”, indica Mattos.

Vale lembrar que a live tem data e horário predeterminados, mas, depois de realizada, pode ser vista quando quiser, pois fica gravada e o acesso à quem comprou o kit é liberado a qualquer momento.

Informações: Talk Wine