Arquivo da tag: espumante

Miolo é Campeã da Grande Prova Vinhos do Brasil 2019

Vinícola segue sendo a mais premiada da competição nacional, liderando as categorias Espumante Brut Rosé, Touriga Nacional, Rosé e Bag in Box, além de alcançar 92 pontos com três rótulos

Única campeã em quatro categorias, a Vinícola Miolo continua sendo a marca de vinhos e espumantes brasileiros mais premiada na Grande Prova Vinhos do Brasil (GPVB). A empresa saltou de 11 para 26 rótulos bem avaliados pela competição que reuniu, de 3 a 6 de junho, 25 especialistas no Hotel Vila Galé, no Rio de Janeiro. Os grandes vitoriosos foram o Terranova Brut Rosé, Miolo Single Vineyard Touriga Nacional 2018, Miolo Seleção Rosé 2019 e o Bag in Box Miolo Seleção Cabernet Sauvignon/Merlot 2017, campeões nas categorias Espumante Brut Rosé, Touriga Nacional, Rosé e Bag in Box.

A marca que possui o maior portfólio de rótulos nacionais – hoje com mais de 100 – mostrou não apenas a diversidade de sua produção como também a capacidade que o Brasil tem de elaborar vinhos e espumantes de alto nível, aproveitando o que cada região tem de melhor. Única a cultivar vinhedos e produzir em quatro diferentes terrois brasileiros – Vale dos Vinhedos (Serra Gaúcha), Seival/ Candiota (Campanha Meridional), Almadém / Santana do Livramento (Campanha Central) e Terranova / Casa Nova (Vale do São Francisco) -, a Miolo é a expressão mais autêntica da riqueza de solo e clima que o Brasil oferece.

“Apostamos nesse projeto de terroirs porque acreditamos no potencial de cada um deles. Respeitamos a natureza, entendendo suas potencialidades. Assim, criamos rótulos únicos que hoje são admirados pelo mundo inteiro. Receber mais esta distinção nos enche de orgulho e nos dá a energia de que precisamos para seguir adiante, conquistando novos paladares, gerando ainda mais prazer”, comemora Adriano Miolo, diretor superintendente da Miolo.

Além de ser campeã nas quatro categorias, a Miolo também se destacou na GPVB por alcançar 92 pontos com três rótulos, sendo eles: Terranova Brut Rosé, Miolo Single Vineyard Touriga Nacional 2018 e Miolo Lote 43 Safra 2012, mais um resultado que demonstra a qualidade da marca tanto em espumantes quanto em vinhos tranquilos. Os 26 rótulos com mais de 86 pontos contemplaram produtos de todas as regiões de atuação da Miolo.

A Campanha Meridional lidera com 11 destaques, seguida pelo Vale do São Francisco com nove, Vale dos Vinhedos com cinco e Campanha Central com um. Dos quatro Campeões, três são provenientes da Campanha Meridional, região que vem se destacando no cultivo de uvas propícias para a elaboração de vinhos diferenciados.

A GPVB reuniu 1.072 amostras inscritas por 122 vinícolas de oito estados brasileiros. A competição é uma realização do Grupo Baco Multimídia dirigido pelo jornalista Marcelo Copello, também presidente do júri. O resultado completo será publicado no Anuário Vinhos do Brasil 2019/2020, que será lançado no Rio Wine and Food Festival, em agosto. A cerimônia de entrega da premiação será durante a Wine South America, em setembro, em Bento Gonçalves (RS).

Bag in Box premiado

Atenta as mudanças no comportamento do consumidor de vinho, a Miolo é exemplo de inovação. Há mais de 10 anos, a empresa aposta no Bag in Box como alternativa para quem aprecia degustar apenas uma taça de vinho nas refeições, por exemplo, ou até mesmo levando em consideração a crescente consciência sobre o consumo moderado. O conceito vem ganhando espaço no mercado e a preocupação com a qualidade do produto é permanente.

“Todos nossos vinhos Bag in Box são os mesmos dos que são embalados em garrafa. A alternativa e a inovação do Bag in Box é apenas mais uma opção de atendimento das várias oportunidades e demandas do mercado. Ser Campeão na categoria Bag in Box da maior competição às cegas do Brasil é quebrar o paradigma de que vinho bom é somente aquele envasado em garrafa”, ressalta Adriano Miolo.

Campeões Miolo Grande Prova Vinhos do Brasil 2019

Categoria: Espumante Brut Rosé Charmat

Terranova Brut Rosé
Terranova Brut Rosé (Miolo Terranova – Vale do São Francisco, BA)

Categoria: Tinto Touriga Nacional

Miolo Single Vineyard Touriga Nacional 2018b
Miolo Single Vineyard Touriga Nacional 2018 (Seival/Candiota – Campanha Meridional, RS)

Categoria: Rosé

Miolo Seleção Rosé
Miolo Seleção Rosé 2019 (Seival/Candiota – Campanha Meridional, RS)

Categoria: Bag in Box

Miolo Seleção Bag in Box
Miolo Seleção Cabernet Sauvignon / Merlot 2017 (Seival/Candiota – Campanha Meridional, RS)

Jurados
Presidente do Júri: Marcelo Copello, Grupo Baco Multimídia
Sérgio Queiroz – Grupo BACO Multimídia
Alexsander de Oliveira – sommerlier chefe do Grupo Claude Troisgros
Beto Duarte – jornalista e diretor de documentários
Bruno Vianna – presidente SBSomm e Dip WSET
Danio Braga – chef e sommelier, fundador da ABS Brasil
Deise Novakoski – jornalista e consultora em vinhos
Ed Arruda – sommelier chefe do Copacabana Palace
Fernando Lim -, blogueiro e diretor da ABS-Rio
Gilvan Passos – WSET, consultor e autor de livros e DVDs sobre vinho
Homero Sodré – consultor de vinhos
Jéssica Marinzeck – sommelier, Dip WSET
João Pedro Lamonica – sommelier campeão do RWFF 2013
Jocelyn Sodré – professora de vinhos da Universidade Estácio de Sá
Joseph Morgan Jr. – presidente da ABS-Rio
Luiz Nunes – diretor e ex-presidente da ABS-Rio
Marcelo Copello – Grupo Baco Multimídia
Marcelo dos Santos – sommelier do Mr Lam
Marcelo Rebouças – proprietário da Cave Nacional
Maria Helena Tahuata – diretora da ABS-Rio
Rafael Puyau – WSET, embaixador Enocultura RJ
Raphael Zanon – sommelier chefe do restaurante Satyricon
Ricardo Farias – diretor e ex-presidente da ABS-Rio
Rodrigo Machado – Wset e colunista de vinhos na Band News FM/RS
Rodrigo Moura – sommelier e diretor de profissionais da ABS Rio
Wandyr Hagge – WSET, enólogo e produtor

Desemprenho dos produtos Miolo

CATEGORIA PRODUTO/SAFRA ORIGEM PONTOS CLASSIFICAÇÃO
Espumante Brut Rosé Charmat Terranova Brut Rosé Vale do São Francisco (BA) 92 Duplo Ouro

Campeão

Tinto Touriga Nacional Miolo Single Vineyard Touriga Nacional 2018 Campanha Meridional (RS) 92 Duplo Ouro

Campeão

Tinto Super Premium Miolo Lote 43 2012 Vale dos Vinhedos (RS) 92 Duplo Ouro
Rosé Miolo Seleção Rosé 2019 Campanha Meridional (RS) 90 Ouro

Campeão

Tinto Tannat Miolo Reserva Tannat 2017 Campanha Meridional (RS) 90 Ouro
Branco Gewurztraminer Almadén Gewrztraminer 2018 Campanha Central (RS) 89  
Espumante Brut Rosé Charmat Almadém Brut Rosé Vale do São Francisco (BA) 89  
Tinto Merlot Miolo Merlot Terroir 2015 Vale dos Vinhedos (RS) 89  
Espumante Brut Branco Charmat Terranova Brut Vale do São Francisco (BA) 89  
Tinto Cabernet Sauvignon Quinta do Seival Cabernet Sauvignon 2015 Campanha Meridional (RS) 89  
Doces e Fortificados Miolo Late Harvest 2012 Campanha Meridional (RS) 89  
Espumante Brut Branco Champenoise Miolo Millesime Brut 2015 Vale dos Vinhedos (RS) 89  
Branco Sauvignon Blanc Seival by Miolo Sauvignon Blanc 2018 Campanha Meridional (RS) 89  
Tinto Pinot Noir Miolo Single Vineyard Pinot Noir 2017 Campanha Meridional (RS) 89  
Bag in Box Tinto Miolo Seleção Cabernet Sauvignon/Merlot 2017 Campanha Meridional (RS) 89 Campeão
Espumante Moscatel Branco Terranova Moscatel Vale do São Francisco (BA) 88  
Branco de Outras Castas e Cortes Terranova Reserve Verdejo 2019 Vale do São Francisco (BA) 88  
Branco Sauvignon Blanc Seival by Miolo Sauvignon Blanc 2019 Campanha Meridional (BA) 88  
Espumante Brut Branco Charmat Almadém Brut Vale do São Francisco (BA) 88  
Branco Chardonnay Miolo Reserva Chardonnay 2017 Campanha Meridional (BA) 87  
Tinto Syrah Testardi Syrah 2017 Vale do São Francisco (BA) 87  
Tinto Tempranillo Miolo Reserva Tempranillo 2017 Campanha Meridional (BA) 87  
Espumante Demi-Sec Branco Charmat Terranova Demi Sec Vale do São Francisco (BA) 87  
Branco Chardonnay Miolo Cuvée Giuseppe Chardonnay 2017 Vale dos Vinhedos (RS) 87  
Espumante Demi-Sec Branco Charmat Almadém Demi Sec Vale do São Francisco (BA) 86  
Tinto Cortes Miolo Cuvée Giuseppe Merlot/Cabernet Sauvignon 2017 Vale dos Vinhedos (RS) 86

 

O que encarece ou barateia um vinho?

É preciso entender quais características fazem de um rótulo mais econômico para acabar com o preconceito de que somente vinho caro tem qualidade

você sabe como acertar em cheio na escolha dos produtos? A Evino vem explica quais características fazem um vinho ser mais caro ou barato. Antes de tudo é preciso pontuar que vinho barato não é vinho ruim. De acordo com Stephani Vaz, sommelière da Evino, é preciso acabar com o preconceito de que somente vinho caro tem qualidade.

“Muitas vezes pagamos a mais em uma garrafa sem entender por que: seja por marketing, embalagem e/ou fama do produto. Rótulos econômicos ajudam a aumentar o consumo da categoria, tornam a bebida acessível a todos os públicos e estimulam o comércio e a produção”, pontua.

Confira abaixo nove características que encarecem ou barateiam um vinho:

1. Cultura

vinhas_vinhos-verdes
Na Europa o vinho é tido como um alimento e, por isso, possui taxas menores. Já no Brasil ele entra na categoria de bebidas alcoólicas. Com isso as taxas por aqui acabam sendo bem diferentes.

2. Intermediários

Vinhos de Portugal_divulgação_inf02
Podem ser negociantes ou importadoras. Tanto faz! A questão é que, quanto mais intermediários, maior o preço final do produto. Por isso, a Evino atua em um sistema de compra e venda sem intermediários e consegue oferecer ao seu público produtos de qualidade por valores mais acessíveis.

3. Garrafa

Garrafas - Vinho Madeira - Credito Turismo da Madeira
Garrafas – Vinho Madeira – Foto: Turismo da Madeira

Quanto mais espesso o vidro mais caro o vinho é. E por quê? Fundo côncavo serve somente para evitar que a garrafa quebre. Não tem nada a ver com a qualidade do líquido. Então aquele papo de “vinho bom tem aquela bundinha” é balela. O mesmo pode-se dizer em relação ao peso, à cor e à espessura: garrafa pesada só beneficia vinho de guarda. Vinhos para serem consumidos jovens não precisam disso. Não à toa a garrafa de brancos geralmente são transparentes.

4. Espumante

espumantes
É importante pontuar que espumantes geralmente são mais caros por uma questão de segurança: pressão interna, gaiola, rolha diferenciada.

5. Fechamento

vinho rosca rolha nhpr
Foto: NHPR

Uma simples rolha de cortiça é bem mais cara que screwcap, por exemplo. Vinhos de consumo imediato são produzidos com tampas de roscas, já que não necessitam de envelhecimento. A rolha ajuda na micro-oxigenação para o vinho envelhecer com qualidade durante anos. Mas serve somente para vinho de guarda, que geralmente tem preços a partir de 150 reais. Todo vinho tem a sua proposta. Um vinho de 30 a 40 reais não precisa de todo esse preparo. Economize e seja feliz.

6. Trabalho manual versus trabalho automatizado

Vindimas na Herdade da Malhadinha Nova, Alentejo_Crédito - Divulgação Turismo do Alentejo
Esse tópico faz de fato muita diferença nos valores dos rótulos. O trabalho foi manual ou automatizado? Quantas pessoas demandaram o serviço? Essas são informações que encarecem um rótulo. Mas, no fim, o quanto disso é percebido na taça?

7. Tempo do vinho em barrica

Caves - Vinho Madeira - Turismo da Madeira
Caves – Vinho Madeira – Foto: Turismo da Madeira

Por que o tempo do vinho em barrica encarece o produto? Simples: o tempo do vinho em barrica é o tempo que a vinícola não está gerando dinheiro com a comercialização do produto.

8. Produção

vinho verde
Vale pontuar que um dos pontos que mais encarece um rótulo é a baixa quantidade de garrafas produzidas a cada safra. Um vinho com produção feita em grande escala, consequentemente, é comercializado por valores mais baixos.

9. Know-how do produtor

champanhe rothschild
Produtores de renome, com prêmios ou boas avaliações da crítica, tendem a cobrar mais simplesmente pela garantia da qualidade do produto produzido.

Fonte: Evino

Dia Internacional da Mulher: celebre com vinhos e espumantes

8 de março é o Dia Internacional da Mulher, oficializado pela ONU em 1975. A data faz referência às conquistas, porém, o propósito da celebração é reforçar o muito que ainda falta a ser alcançado nos âmbitos sociais e políticos, buscando a igualdade de gênero, independente da etnia, cultura, idioma ou poder econômico.

No mundo do vinho não é diferente, essa busca por equidade vem se mostrando de forma mais efetiva, onde cresce exponencialmente o número de mulheres envolvidas em todas as fases da elaboração do vinho, desde o cultivo da matéria-prima até seu posicionamento no mercado. Segundo a famosa crítica e escritora inglesa, Jancis Robinson, esta é a década da “feminilidade do vinho”.

Na Itália, por exemplo, as mulheres são representadas pela Associação Nacional “Le Donne del Vino”, fundada em 1988, que atualmente conta com 750 integrantes, no país que mais produz vinhos no mundo. O objetivo é divulgar a cultura e o conhecimento do vinho com a formação e a valorização do papel da mulher no setor vitivinícola. Outro dado que reforça a importância das mulheres em relação aos vinhos é o significativo consumo nos Estados Unidos e na Inglaterra, ultrapassando 50% do público.

Se ainda restam dúvidas sobre a sinergia entre o público feminino e os vinhos, saiba que atualmente nas escolas de Enologia do Brasil a parte mais expressiva dos alunos são mulheres. E para complementar a OIV (Organização Internacional da Vinha e do Vinho) é presidida por uma mulher brasileira, a Regina Vanderlinde.

Pensando nisso, a Casa Valduga selecionou alguns de seus melhores rótulos para celebrar os triunfos femininos e inspirar os próximos avanços. Confira:

Casa Valduga Maria Valduga Brut Vintage

maria valduga.jpg

Esse clássico espumante é uma homenagem à matriarca da Famiglia Valduga e idealizadora do sonho de elaborar espumantes no Brasil apenas pelo método tradicional. De excelente cremosidade, com perlage fino e persistente, resulta não apenas da seleção das melhores uvas Chardonnay e Pinot Noir cultivadas no Vale dos Vinhedos, como também da evolução no silêncio e na penumbra das caves subterrâneas da vinícola por longos 48 meses. É límpido e brilhante, de coloração amarelo palha, como laivos dourados. As notas aromáticas revelam nuances de brioche, pão delicadamente tostado e frutas secas, enaltecendo a complexidade adquirida durante a lenta maturação deste espumante.

Casa Valduga 130 Brut Rosé

Casa Valduga_130 Brut Rosé

Para as mulheres que gostam de complexidade e elegância, essa é a indicação da marca. Elaborado com uvas Chardonnay e Pinot Noir de safras especiais, por meio do método tradicional, o espumante é mantido durante 36 meses em autólise de leveduras. Luminoso, possui coloração salmão e bouquet expressivo, denotando frutas confitadas e licor de cereja. Ao longo da degustação as notas de sua maturação revelam amêndoas e brioche. Sua cremosidade e elegância são destacados no paladar, com a acidez suculenta, combinada com o retrogosto evidenciado pelos toques amanteigados.

Casa Valduga Storia Merlot

storia merlot valduga.jpg

Segundo a Amavi (Associação dos amantes da cultura do vinho), realizada através da pesquisa de hábitos diários das espanholas, mulheres preferem vinho tinto. Por isso, que tal um Merlot encorpado e de personalidade marcante? Ele possui coloração intensa e profunda. No aroma, notas de frutas vermelhas e compota de figo estão evidentes com grande nitidez. A passagem por 18 meses em barricas novas de carvalho francês proporciona a este tinto notas de chocolate e café de forma muito sutil e elegante. Na boca, apresenta-se denso e volumoso, feito para que aprecia grandes vinhos.

Casa Valduga Naturelle Branco Suave

naturelle bco valduga.jpg

Se você, no entanto, prefere vinhos brancos delicados, o Naturelle Branco Suave pode ser uma ótima opção. Elaborado com as variedades Malvasia e Moscato, apresenta coloração amarelo palha, límpido e brilhante. Com predominância de aromas frutados e florais, possui notas de melão, pêssego e limão, complementados com flores brancas. Caracteriza-se pela sua leveza, reflexo do equilíbrio entre acidez e doçura. Além de tudo, é muito refrescante!

Casa Valduga Terroir Merlot Rosé

terroir merlot rose.jpg

Esse rosé seco é produzido 100% com a casta Merlot e tem coloração rosa pêssego, límpido e vivaz. Sua intensidade aromática merece destaque, sendo nítidas as notas de frutas vermelhas maduras, como framboesa, morango e cereja. No paladar, tem um ataque inicial que demonstra todo seu frescor e versatilidade, perfeito para embalar conversas animadas.

Informações: Casa Valduga

Espumantes para quem está curtindo o carnaval em casa

Com muitas borbulhas e frescor, o espumante é a cara do carnaval. Dá para preparar deliciosos drinques e tem ainda a vantagem de ser uma das bebidas consideradas menos calóricas. Então, para quem gosta de curtir a folia de carnaval sem sair de casa e aproveitar o feriadão, a dica da Costazzurra são os espumantes importados da Espanha Cava Cristalino Demi SEC e Cava Cristalino BRUT que harmonizam perfeitamente com canapés, saladas e aperitivos em geral.

O Demi SEC tem aroma apetitoso, sugere notas florais de frutas brancas, pêssego e maçã verde. No paladar, apresenta balanço perfeito entre suavidade e vivacidade, com excelente acidez. Já o Brut tem coloração amarelo brilhante, levemente dourada. Intenso bouquet de frutas brancas como melão e maçã verde. No paladar é fresco, com excelente perlage e final persistente.

Preços sugeridos: Cava Cristalino Demi SEC ou Brut 750 ml R$ 50,00 cada.

Os produtos podem ser encontrados nas melhores delicatessen, empórios e lojas especializadas em vinho do Brasil.

Informações: Costazzurra – SAC (11) 3018-2300

As tendências no mundo dos vinhos em 2019*

O ano de 2018 foi desafiador para o mercado de vinhos no Brasil, pois foi afetado por duas forças que deram aquele baque no bolso dos winelovers. Primeiramente, as geadas do inverno dos anos de 2016 e 2017 na Europa destruíram muitas vinhas.

Regiões principais como a Bordeaux, Borgonha, Vale do Loire, Toscana, Rioja e outras passaram a oferecer volumes muito menores e isso refletiu diretamente em um aumento drástico nos valores de alguns dos vinhos mais queridos dos brasileiros. O valor de Chablis, por exemplo, subiu 30% de um ano para o outro.

O segundo fator foi a queda do real frente a crise sociopolítica brasileira, que aconteceu em meados de 2018 e dificultou ainda mais as condições de mercado. Aquele vinho que você comprava a R$ 59,90 em janeiro? Em agosto já estava a R$ 79,90.

Acredito que 2019 será promissor para o nicho, que contará, sim, com algumas tendências. Eis as apostas no mundo dos vinhos para este ano:

Portugal em foco

Vinhos de Portugal_divulgação_inf04_vinho Flor de São José - produtor João Brito e Cunha

Queridinhos dos brasileiros, os vinhos lusitanos surpreenderam a todos com sua conquista em 2018: pela primeira vez, Portugal entrou nos Top 2 países com maior número de vinhos importados, ficando atrás somente do Chile – campeão graças à força de vinhedos grandes, como a Santa Helena e a Concha y Toro, que traz por importação própria as marcas populares do rótulo Casillero del Diablo.

Porém, é interessante observar que a gigante chilena não conseguiu manter o crescimento dos anos anteriores, ao passo que Portugal só evolui sua aderência ao público. Não duvido que ao menos ganhe mais espaço no nosso mercado e aposto minhas fichas nisso, pois os vinhos portugueses oferecem a melhor relação custo-benefício da Europa. Os vinhos verdes, por exemplo, são divertidos e gostosos, além de leves, ideais para nosso clima. As regiões de Alentejo e Douro entregam potência, músculo e complexidade nos seus tintos, enquanto Dão oferece elegância e, Lisboa, tons de frutas frescas. Realmente, há vinhos portugueses para todos os gostos.

Saúde, senhores!

Você sabia que hoje entre 10% a 20% de todos as vinhas do mundo são orgânicas ou estão em vias de adaptar seus processos? A “tendência mundial” não é mais tendência e, sim, preferência – tanto do consumidor quanto do produtor.

Quem aqui quer consumir pesticidas e agrotóxicos? Eu não! E estou disposto a pagar um pouco a mais para saber que minha comida e meu vinho são livres dessas substâncias. Claro, podem dizer que sou da Califórnia e, assim, um pouco suspeito, já que há algum tempo somos considerados “hippies” demais quando tocamos neste assunto. Mas muitos produtores também acham que o melhor vinho é produzido de forma orgânica.

Empolgados pela mudança de hábito dos consumidores, estão optando por tirar químicas das vinhas, diminuir o uso de sulfitos e interferir menos na produção – tudo isso para oferecer a melhor expressão possível do seu terroir. E isso inclui grandes produtores de regiões tradicionalíssimas: Os Bordeaux de Domaine Chevalier, que estão entre os mais longevos do mundo, são orgânicos, assim como os Brunello di Montalcino de Pertimali e os Chianti Classico da Il Molino di Grace, entre outros.

mulher bebendo vinho

Já no Brasil, demorou bastante para essa onda pegar. Mas hoje a procura por vinho orgânico, biodinâmico e natural está começando a esquentar e, por isso, podemos esperar um boom no ano que vem, acompanhando a tendência da indústria alimentícia. Mas se quiser aderir já, aí vai uma dica de insider: Liderado em São Paulo por restaurantes como a Enoteca Saint Vin Saint e bares como o Clube Beverino, já é possível encontrar esses vinhos em vários sites e lojas de importadoras de todos os portes.

Descobertas exóticas

vinho.png

O Brasil já não é mais criança no consumo de vinho, está entrando na sua adolescência. O consumo anual per capita na cidades de São Paulo e Rio de Janeiro já está por volta dos 10 litros, que rivaliza com os EUA. No Rio Grande do Sul, este consumo é maior ainda.

Um dos maiores prazeres da vida é a descoberta de um achado e os enófilos do país estão entendendo que isso também se encaixa no mundo dos vinhos. Por isso, procuram cada vez mais sair da mesmice e provar versões exóticas, de regiões diferentes e pouco divulgadas. Pela lei da oferta e da demanda, minha aposta é que vamos passar a encontrar muitos novos vinhos desse perfil no nosso mercado em 2019.

Não seria surpreendente, por exemplo, vermos por aqui mais vinhos da Europa Central (Hungria, Alemanha e Áustria), os excelentes brancos de Nova York e Virgínia, os cativantes Riesling e Gewurztraminer da Alsácia, os grandes Godellos de Bierzo ou raridades como os espumantes da Inglaterra, que hoje estão dando muito o que falar.

Valorização do nacional

Espumante

Ainda novidade para muitos consumidores, há dezenas de microprodutores nacionais em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul que produzem vinhos excelentes. Os tintos são bons, alguns realmente fantásticos (um exemplo é o Miolo Single Vineyard Touriga Nacional, com excepcional relação custo-benefício). Por sua vez, em São Paulo, os tintos à base de Syrah da Guaspari são cada vez mais procurados.

No entanto, a força do Brasil está sem dúvida nos seus espumantes, tendo como líderes Pizzato, Cave Geisse, Campos de Cima e vários outros pequenos produtores de peso. Hoje, essa categoria tem reconhecimento internacional – tanto é que, pela primeira vez, são exportados para Inglaterra e EUA – e, finalmente, estão começando a receber o mérito devido dentro do próprio país: só em 2018, a venda dos espumantes nacionais subiu mais que 50% com relação ao ano anterior.

Se a tributação interestadual for resolvida ou simplificada no próximo ano, o consumo do espumante nacional poderia explodir. (Hoje há um imposto de ICMS/ST de 40% arrecadado de um vinho do Sul que entra em SP, MG ou RJ, muito oneroso para produtores artesanais).

Vamos torcer para que aconteça. Também vamos tomar uma taça ou outra a mais para comemorar o início de um novo ano com tantas previsões de novidades para os winelovers. Tim-Tim!

*Alykhan Karim é CEO do e-commerce de vinhos premium Sonoma e expert em curadoria de vinhos

Água Doce Sabores do Brasil ensina a preparar ponche de frutas

Fim de ano, férias, verão, praia, piscina… Clima para bebidas refrescantes é que não falta, não é mesmo? Vale a pena investir nesta receita de ponche, sugestão da Água Doce Sabores do Brasil. Confira o passo a passo e se delicie:

Ponche de frutas

Ingredientes:
2 maçãs verdes cortadas em fatias
10 morangos grandes cortados ao meio
3 rodelas de laranja cortadas em quatro partes
3 ameixas sem caroço cortadas em quatro partes
7 pêssegos em calda sem caroço cortados ao meio
6 cerejas
3 colheres de sopa de açúcar
2 copos americano de água com gás
300ml de suco de laranja
1 garrafa de espumante

Modo de preparo:
Em uma jarra de sua preferência, coloque as maçãs, os morangos, as laranjas, as ameixas, os pêssegos e as cerejas. Acrescente o açúcar, a água com gás, o suco de laranja e, por último, a champanhe. Mexa delicadamente. Sirva gelado.

ponche-fruta_jpg_465x600_upscale_q85

Fonte: Água Doce

Especialistas dá dicas especiais para escolher bebida para noite de Ano Novo

Nos últimos anos, os espumantes têm conquistado as taças dos brasileiros. Muito comum em datas comemorativas, a bebida passou a ser consumida com mais frequência por todos. O aumento da procura tem contribuído, também, para a melhora da qualidade dos espumantes nacionais e importados encontrados no país.

Agora, com a proximidade das festas de Réveillon, a bebida que teve origem na França, na região de Champagne, a partir de um erro na produção de vinho que gerava uma grande gaseificação natural, ganha status de estrela da virada de ano.

O especialista Abel Blumenkrantz, executivo da Garage Vinhos, explica que a elaboração de espumantes pode ser feita por diferentes processos, mas dois são os mais utilizados: o método Champenoise e o Charmat.

“O Champenoise é conhecido como o método tradicional, onde a segunda fermentação – responsável pela formação do perlage (bolhas) – ocorre na própria garrafa. No Charmat, ela acontece em enormes tanques autoclaves de aço inox, e também é conhecido por método natural”, detalha Abel.

espumante2.jpg

As diferenças dos métodos de produção acabam resultando em bebidas com características diferentes. O espumante Champenoise é mais estruturado, cremoso e gastronômico. O Charmat, mais leve e aromático. “Os espumantes são fascinantes, e abrilhantam qualquer celebração. Nada melhor do que brindar o ano que está acabando, e receber o ano que está começando com bebidas de excelência”, complementa.

Para quem busca ótimas opções de espumantes para as festas de Réveillon, o especialista indica rótulos da América do Sul, que tem se destacado na produção, entre eles as bebidas da vinícola argentina Viña Las Perdices, que está localizada ao pé da Cordilheira dos Andes, em Mendoza.

“Os espumantes da América do Sul têm conquistado um espaço muito importante no mercado internacional, apresentando bebidas com personalidade e com muito frescor. Da região de Mendoza, na Argentina, surgem espumantes fantásticos, com uma ótima relação custo-benefício”, completa Abel.

Confira algumas dicas de espumantes para as festas de Réveillon disponíveis em todo Brasil:

brut-nature

Charmat Brut (Viña Las Perdices – R$ 58): espumante composto pelas uvas Chardonnay e Chenin, de cor amarela pálido com reflexos verdes apresenta aromas de frutas cítricas, perlage persistente e delicada. Na boca, tem a predominância de frutas frescas que equilibra perfeitamente sabor e acidez, fazendo você sentir o frescor da fruta. Deixa uma sensação de verdadeira festa na sua boca. Harmonização: para acompanhar aperitivos, carnes brancas, mariscos e saladas frescas.

sweety

Charmat Sweety (Viña Las Perdices – R$ 58): com a combinação das uvas Torrontes, Viognier e Sauvignon Blanc, este espumante de bolhas finas é delicado e frutado, ideal para começar as comemorações da noite. Com seus aromas de flores e notas de pêssego branco e cítricos, na boca tem um ótimo volume que equilibra a doçura das uvas com a sua acidez. Harmonização: aperitivos, frutos do mar, sushi e diferentes tipos de sobremesas ou sorvetes.

brut-rose-1

Champenoise Brut Rosé (Viña Las Perdices – R$ 85): com uma cor rosa salmão brilhante, perlage delicada da combinação das uvas Pinot Noir e Chardonnay, este espumante de intensos aromas de frutos vermelhos tem uma excelente acidez. Com um volume médio e redondo, é ideal para brindar com estilo neste Réveillon. Harmonização: como aperitivo ou para harmonizar com frutos do mar, ceviches, carpaccios e demais preparos com de peixes.

champenoise

Champenoise Brut (Viña Las Perdices – R$ 85): de cor amarela dourado suave, perlage delicada e fina, este espetacular espumante é feito com a segunda fermentação dentro da garrafa. Com combinação de duas uvas, Chardonnay e Pinot Noir, apresenta aroma de mel, amêndoas e frutas, é suave na boca, com boa acidez, elegância e frescor equilibrado. É um brinde perfeito para continuar as harmonizações da noite de Réveillon. Harmonização: como aperitivo ou para harmonizar com frutos do mar, ceviches, carpaccios e demais preparos com de peixes.

Fonte: Abel Blumenkrantz, da Garage Vinhos

Verão: chegou a hora dos vinhos

Em franca expansão no Brasil, o mercado de vinhos oferece opções para a estação mais quente do ano

O verão chegou, e junto com o calor é cada vez mais comum a busca por bebidas refrescantes, que sejam capazes de amenizar, ao menos um pouco, a sensação térmica elevada nesta época do ano. E não é só de cerveja que vivemos. O vinho pode ser uma excelente alternativa para os dias mais quentes. Além de refrescante, a bebida possui propriedades benéficas a saúde e ainda apresenta 50% menos conteúdo energético que sua concorrente.

Abel Blumenkrantz.jpg

De acordo com Abel Blumenkrantz, executivo da Garage Vinhos, a principal dica para consumir vinho no Verão é buscar bebidas com boa acidez, notas frutadas e com bastante frescor, que é o caso dos brancos, rosés e dos espumantes. “Por serem leves e terem baixa presença de taninos, causam uma sensação refrescante e, além disso, acompanham muito bem os pratos mais cotados para a referida estação, como saladas, aperitivos, canapés e pratos leves com frutos do mar e queijos magros”, detalha Blumenkrantz .

Os vinhos brancos, mais tradicionais no Brasil, são cotados para a estação graças à sua acidez equilibrada, seu aroma de frutas cítricas e seu baixo teor alcoólico. São refrescantes e fáceis de beber, sendo muito bem aceitos até mesmo por aqueles que não estão acostumados com a bebida. Já os rosés apresentam quase que as mesmas características do vinho branco leve, porém com um pouco de tanino e coloração em tons de cereja claro e salmão. “São vinhos igualmente refrescantes e versáteis, muito bem aceitos até mesmo para serem apreciados individualmente”, explica o especialista.

Mais tradicionais nas estações com temperaturas elevadas, os espumantes também são uma ótima pedida. Conhecidos pela perlage, as famosas bolinhas originárias da presença do gás carbônico da bebida, os espumantes têm frescor e sabor diferenciados, que dependem também do tipo de uva utilizado na produção e da região de origem.

Para os vinhos brancos, rosés e espumantes, o ideal é que sejam servidos em temperatura entre 8 e 10 °C. “Ao degustarmos em temperatura inferior a essa faixa, as papilas gustativas presente em nossas línguas podem se ‘fechar’, fazendo com que não seja possível apreciarmos a bebida na sua totalidade de sabores”, comenta Blumenkrantz.

Mas se você é do tipo que não abre mão dos tintos, de acordo com o especialista, eles também podem ser degustados nessa época: “O segredo é ficar ligado nas uvas que são utilizadas, e na região em que ele é produzido. Geralmente vinhos com notas frutadas, com poucos taninos e com corpo equilibrado acompanham muito bem um entardecer ou uma noite de altas temperaturas”.

No caso dos tintos, a temperatura ideal é entre 13 e 15 °C. “É importante se lembrar de que adicionar cubos de gelos nessas bebidas não é uma prática recomendada, pois deixará a bebida aguada e dissolverá o sabor original”, completa.

Confira seleção de rótulos especiais para o verão:

Vinho_ branco taças

Dicas de vinhos brancos: Bis Branco (Portugal – R$ 53) e Casas del Toqui Sauvignon Blanc Gran Reserva (Chile – R$ 66)

Verão_Vinho rosé

Dicas de vinhos rosés: Finca La Daniela Malbec Rosé (Argentina – R$ 55) e Navaldar Rosé (Espanha – R$ 59,90)

espumantes

Dicas de espumantes: Las Perdices Charmat Brut (Argentina – R$ 58) e Las Perdices Champenoise Brut Rosé (Argentina – R$ 85)

Verão_Vinhos branco e tinto

Dicas de vinhos tintos: Casas del Toqui Pinot Noir Reserva (Chile – R$ 66)

Fonte: Garage Vinhos

Natal World Wine oferece opções exclusivas e perfeitas para presentear

Cestas completas, kits com acessórios, embalagens especiais e seleção de produtos que harmonizam com as festas de final de ano

Com a chegada do final do ano a World Wine importadora – uma das maiores referências na difusão da cultura do vinho no Brasil -, apresenta as novidades do seu tão esperado Catálogo de Natal, que conta com uma coleção especial de itens e presentes exclusivos, além da parceria com marcas renomadas como La Pastina, Grupo Fasano, Grey Goose, Blue Label, Tanqueray, Scarf Me, entre outras.

A seleção inclui 32 opções de presentes com produtos clássicos de regiões como Bordeaux, Bourgogne, Chianti, Prosecco e Champagne, novidades World Wine como a linha de alimentos e vinhos Fasano e o tradicional Panettone Fasano. São diferentes tipos de Cestas, Kits Gourmet, Kits com acessórios, Kits Fasano, seleção de espumantes e vinhos de sobremesa e licores. Confira algumas das opções:

Cestas

São quatro tipos de cestas completas, com vinhos e delícias gastronômicas. Entre elas está a Cesta 1 – uma cesta de vime com 13 itens, que inclui uma garrafa de Mionetto Vivo Cuvée Oro Extra-Dry, uma garrafa de Bisquertt Petirrojo Reserva Carménère 2017, uma garrafa de Terra Rossa A.Mare Bianco Puglia IGP 2016, Azeite de Oliva Extravirgem “Colinas de Garzón” e Panettone Fasano Tradicional 1kg (R$ 643,00). Com 28 produtos, a Cesta Fasano vem em um baú de madeira e inclui cinco vinhos como o Dom Pérignon Blanc Vintage 2006 e o novo Chianti Fasano DOCG 2015; entre os quatro destilados, uma garrafa de Blue Label JW e uma de Grey Goose; inclui também diversos itens da linha Fasano, como o Aceto Balsâmico Di Modena Fasano e o Panettone Tradicional Fasano 1kg (R$ 4.760,00).

Kits Gourmet

São quatro tipos de kits a partir de R$ 170,00, como o Kit Gourmet Azeites Colinas de Garzón, em uma caixa para presente da World Wine, vem com quatro itens, entre eles os azeites de Oliva Extravirgem “Colinas de Garzón” um Bivarietal, Trivarietal e Corte Italiano. Há também o Kit Gourmet Château Roubine, que vem em uma charmosa cesta de piquenique com sete itens, incluindo um Château Roubine Cru Classé Cuvée Premium Rosé, um La Vie en Rose Brut Rosé, uma Bruschetta de Aspargo Verde La Pastina e uma Geleia Frutas do Bosque com Agave Casa Giulia – R$ 538,90).

Kits Espumante & Panetone

São três opções em caixas de presente da World Wine, perfeitos para impressionar com produtos de alta qualidade! São eles: uma garrafa de Veuve Ambal Blanc de Blancs Brut e um Panettone Fasano Crema Cacao 1kg (R$ 251,00), o que inclui uma garrada de Prosecco Mionetto DOC Treviso Brut e um Panettone Fasano Tradicional 900gr (R$ 306,00) e um com uma garrafa de Champagne Pierre Moncuit Blanc de Blancs Cuvée Hugues de Coulmet Brut e um Panettone Fasano Tradicional 1 kg (R$ 642,00)

“Borbulhas”

Para brindar com estilo, foram selecionados quatro espumantes especiais! Cava Pere Ventura Tresor Brut Rosé com taça para espumante em acrílico branca, em caixa de presente da World Wine (R$ 121,00); Cava Pere Ventura Tresor Reserva Brut com taça para espumante em acrílico preta, em caixa de presente da World Wine (R$ 121,00); Crémant de Bourgogne Grande Cuvée Brut com duas taças para espumante em acrílico, em embalagem personalizada Veuve Ambal (R$163,00); Prosecco Mionetto com duas taças para espumante em acrílico, em embalagem personalizada Prosecco Mionetto (R$125,00).

Kits Fasano

São quatro kits somente com itens do Grupo Fasano: Kit 1, em uma caixa para presente da World Wine, inclui um Prosecco di Valdobbiadene Superiore “Fasano” DOC e um Panettone Tradicional Fasano (R$383,00); Kit 2, em uma caixa para presente da World Wine, conta com um Pinot Grigio “Fasano” IGT e um Chianti “Fasano” DOCG (R$304,00); Kit 3, em uma cesta de vime, vem com quatro itens, entre eles um Chianti “Fasano” DOCG, o Azeite Extravirgem 100% Siciliano Nocellara Fasano, um molho ao Sugo Riviera Dop Fasano e um Fusilli Fasano (R$391,20); E o Kit 4, uma caixa para presente da World Wine, com um Fasano Chianti Classico DOCG (R$190,00).

Kits com Acessórios e embalagens especiais

São sete kits de acessórios com embalagens especiais para dar um toque de sofisticação, entre eles o Cono Sur Single Vineyard com Conjunto para petiscos, em uma caixa para presente da World Wine, com um Cono Sur Single Vineyard Pinot Noir Block 21 “Viento Mar” e um Conjunto para Petiscos e Patês em Bambu com cinco peças (R$ 217,00); (reescrever esse trecho, achei repetitivo) o Marqués de Murrieta com Decanter, vem em uma caixa para presente da World Wine, com um Marqués de Murrieta Gran Reserva Edição limitada e um Decanter de 1,5 litros (R$ 651,00). Há também o Chablis com Echarpe Scarf Me, em uma caixa para presente da World Wine, com Chablis Les Chanoines e um Echarpe Scarf Me Lírio Azul (R$ 397,00).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Vinhos de Sobremesa e Licores

São seis tipos deliciosos de vinhos e licores, entre eles:

Porto Krohn Vintage (Edição Comemorativa) – R$ 1.333,00;
Porto Krohn Vintage “Quinta do Retiro Novo” – R$ 399,00;
Colección Vivanco 4 Varietales Dulce de Invierno (375ml) – R$ 281,00;
Crema Di Liquore Al Cioccolato – R$ 148,00;
Amaro Francescano – R$ 124,00;
Limoncello – R$ 124,00.

Formas de Pagamento:

Os kits são despachados para todo o Brasil e a entrega é gratuita na Grande São Paulo para pedidos acima de R$500,00 por entrega. Todas as compras podem ser parceladas em até 6X sem juros em todos os cartões de crédito e débito. Depósito DOC, TED ou Boletos somente para clientes cadastrados. Ofertas válidas até 31/12/2018 ou enquanto durarem os estoques.

Informações: World Wine

Como harmonizar vinhos e espumantes com as ceias de Natal e Ano Novo

As festas de fim de ano estão se aproximando e, com isso, já começam os preparativos para as ceias de Natal e Réveillon e, consequentemente, os vinhos que irão acompanhar cada um dos pratos, a fim de uma harmonização perfeita. A Wine to You (W2U) selecionou alguns vinhos e espumantes para não errar nas escolhas.

Para o começo de noite, onde os convidados ainda estão chegando e aproveitando a mesa de queijos e entradas, o ideal é harmonizar esses sabores com os espumantes, já que eles têm um sabor mais suave, ideal para apreciar uma boa entrada e começar as celebrações com o pé direito. As opções são os espumantes Saint Hilaire Blanquette de Limoux; o Angel’s Eye Bianco Brut e Mousseux Sparkling 2 You Blanc de Blancs Brut.

Para a ceia de Natal, o ideal é um vinho branco que pode combinar com quase todos os pratos típicos de uma mesa farta, como aves de caça, farofa de frutas secas, queijos, entre outros. Outra opção – que harmoniza perfeitamente com peixes e molhos de ervas – é o Rosé Piscine, um vinho rosé para beber com três pedras de gelo.

Já os vinhos tintos harmonizam com o prato principal, no caso uma carne, já que eles combinam bem com filé recheado com queijo brie. Ou ainda, um risoto de funghi, além de pratos que tenham uma média intensidade.

Para sobremesa, o momento de celebração pede uma Champagne. Envelhecido por 30 a 36 meses, o Delamotte Brut harmoniza com sobremesa e vai bem com panacota de frutas e torta de brigadeiro.

ESPUMANTES:

saint hilaire
Saint Hilaire Blanquette de Limoux Brut: acabou de receber a medalha de prata no concurso Effervescents du Monde. Com coloração amarelo claro, este rótulo apresenta aromas cítricos e de maçã, com toque de levedura e fermento. No paladar é leve e refrescante, revelando textura cremosa e envolvente. No nariz, aromas cítricos e de maça, com toque de levedura e fermento. Na boca é leve, refrescante, revelando textura cremosa e envolvente.
Harmonização: aperitivos e canapés.
Vinícola: Aimery Sieur d’Arques
País: França
Região: Limoux
Variedade: Chenin Blanc, Chardonnay
Safra: 2015
Graduação alcoólica: 12% vol.
Volume: 750ml
Preço sugerido ao consumidor: R$ 138,28

angels eye

Angel’s Eye Bianco Brut: tem cor amarelo palha com tons dourados. Intensos aromas de crosta de pão, mel e nozes. Na boca é harmônico e bem equilibrado. Gosto persistente de amêndoa.
Harmonização: indicado como aperitivo, é perfeito com peixes, frutos do mar e queijos duros.
Vinícola: Casa Vinícola Caldirola
País: Itália
Região: Piemonte
Variedade: Moscato – Cortese – Barbera
Safra: NT
Graduação alcoólica: 12% vol.
Volume: 750ml
Preço sugerido ao consumidor: R$ 70,50

blanc de blancs

Mousseux Sparkling 2 You Blanc de Blancs Brut: no nariz é frutado, com notas de frutas amarelas como pêssego e damasco. O que dá lugar a um agradável e suave paladar. A cor amarela dourada deste Blanc de Blancs e suas bolhas ?nas e delicadas destacam o requinte de sua efervescência.
Harmonização: é perfeito para aperitivos servidos com torradas de queijo. Recomenda-se servir entre 7°C e 8°C, com uma paleta de cordeiro temperada, cabrito assado com brócolis.
Vinícola: Veuve Ambal Crémant de Bourgogne
País: França
Região: Bourgogne
Variedade: Blanc de Blancs
Safra: NT
Graduação alcoólica: 11,5% vol.
Volume: 750ml
Preço sugerido ao consumidor: R$ 70,50

BRANCO:

el volquete

El Volquete Verdejo Blanc: cor amarela palha com reflexos esverdeados e aromas de frutas tropicais como abacaxi e maracujá. Nuances delicadas de cor de limão e herbáceo. Na boca é potente, com ótimo frescor e boa vivacidade.
Harmonização: ideal consumir entre 9°C e 11°C harmonizado com saladas de folhas, queijo de cabra fresco ou como Welcome Drink.
Vinícola: Bodega Alcasor
País: Espanha
Região: La Mancha
Safra: 2106
Variedade: Verdejo
Graduação alcoólica: 12o vol.
Volume: 750ml
Preço sugerido ao consumidor: R$ 65

ROSÉ:

Vinho-Piscine-1.jpg

Rosé Piscine: o sabor do Rosé Piscine é extremamente frutado, com notas de lichia, limão, pêssego, morango e maior concentração de açúcar, o que exige a adição do gelo, deixando-o mais equilibrado, mas sem perder o sabor. De coloração rose salmão pálido, quase transparente, com reflexos azulados. No nariz é refinado, com notas de limão e morango. Paladar harmonioso, um vinho para degustar, mas também muito gastronômico.
Harmonização: com culinária japonesa, peixes em molhos cítricos, queijos frescos com ervas, terrine de peixe, camarão, sopas de legumes, fondue de queijo, massas com molho de tomate, risoto de cogumelos e carnes brancas. Servir entre 8° C e 11° C. Beber com duas ou três pedras de gelo.
Produtor: Vinovalie
País: França
Região: Sudoeste
Safra: NT
Variedade: 100% Négrette
Graduação alcóolica: 11% vol.
Volume: 750 ml
Preço sugerido ao consumidor: R$ 110,00

TINTO:

chateau-l-enclos-pomerol

Chateau L’enclos Pomerol: Desde 2004, os donos deste château trabalham por meio de agricultura sustentável. Obviamente esta preocupação serve para otimizar ainda mais a qualidade dos vinhos produzidos. É um vinho muito aromático e na boca mostra-se fresco e redondo.
Harmonização: ótimo para acompanhar carnes grelhadas.
Produtor: Domaine Vignoble Roux
País: França
Região: Bordeaux
Safra: 2015
Variedade: Merlot, Malbec, Cabernet Franc
Graduação alcóolica: 12% vol.
Volume: 750 ml
Preço sugerido ao consumidor: R$ 84,12

CHAMPANHE:

deelamotte

Delamotte Brut: produzido há mais de 250 anos na Côtes de Blancs, na França, os champanhes Delamotte são icônicos. Todas as uvas de Delamotte vêm de terroirs Grand Cru como Avize, Cramant, Mesnil sur Oger e Oger. O vinho tem grande mineralidade, bem como acidez firme e sabores cítricos. Tem a perlage fina e borbulhas velozes. É feito com 55% Chardonnay, 35% Pinot Noir e 10% Petit Meunier. No corte domina a branca Chardonnay, que traz a estrutura; a Pinot Noir entra para trazer profundidade e o aroma frutado e a Pinot Meunier, menos ácida, colabora com a densidade aromática. No paladar, é estruturado e potente. Estão presentes as frutas secas, o pão e a boa presença mineral. Aromaticamente, é delicioso e com ótimo frescor.
Harmonização: com toast de salmão defumado, canapé com patê de pato ou kiwi e ovas de peixes. Com sobremesa, vai bem com panacota de frutas e torta de brigadeiro.
Produtor: Champagne Salon Delamotte
País: França
Região: Champagne
Safra: NT
Variedade: 55% Chardonnay, 35% Pinot Noir, 10% Pinot Meunier
Graduação alcóolica: 12% vol.
Volume: 750 ml e 1,5 litro
Preço sugerido ao consumidor: 750 ml (R$ 570,00) e 1,5 litro (R$ 1.195,00)

Informações: Wine To You (W2U)