Arquivo da tag: férias

Cuidado: verão aumenta incidência de animais peçonhentos

Calor e umidade favorecem aparecimento desses animais, aumentando as chances de acidentes

É nos meses de verão que os acidentes causados por animais peçonhentos – aqueles que produzem veneno, como serpentes, aranhas e escorpiões – se tornam mais comuns. Em 2019, foram mais de 265 mil notificações no Brasil, sendo quase 41,5 mil somente no estado de São Paulo (Ministério da Saúde/SVS – Sinan Net).

“O verão é o período de reprodução dos animais peçonhentos devido às condições climáticas favoráveis de temperatura e umidade. Com um maior número de animais circulando, maiores são as chances de acidentes”, explica a médica-veterinária Elma Pereira dos Santos Polegato, presidente da Comissão Técnica de Saúde Ambiental do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP).

Manter a higiene e limpeza de terrenos e quintais é essencial. Lixo e entulhos podem servir de abrigo e funcionarem como chamariz para estes animais. “A melhor forma de evitar acidentes é a prevenção”, afirma a médica-veterinária Cristina Maria Pereira Fotin, da Comissão Técnica de Médicos-Veterinários de Animais Selvagens do CRMV-SP.

Com a pandemia, o número de casos de aparecimento de escorpiões e cobras tem crescido. Para Elma, os animais podem estar mais próximos às residências em busca de alimento. “Os escorpiões e aranhas, por exemplo, se alimentam de baratas que estão onde há lixo acumulado, atraindo seus predadores.”

Acidentes com cobras estão entre os mais notificados

Foto: Josimar Fabio Jo/Pixabay

Cristina ressalta que os acidentes por animais peçonhentos, especialmente os acidentes ofídicos, foram incluídos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na lista das doenças tropicais negligenciadas que acometem, na maioria das vezes, populações pobres que vivem em áreas rurais.

Somente a partir de agosto de 2010, o agravo foi incluído na Lista de Notificação Compulsória (LNC) do Brasil, publicada na Portaria Nº 2.472 de 31 de agosto de 2010 (ratificada na Portaria Nº 104, de 25 de janeiro de 2011). No Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), segundo o Ministério da Saúde, acidentes por animais peçonhentos estão entre os agravos mais notificados.

Cuidados com o meio ambiente

Foto: Fabricio Macedo FGMsp/Pixabay

Os cuidados com o meio ambiente podem colaborar para o equilíbrio entre humanos e animais, e reduzir as chances deste tipo de situação. Cristina diz que preservar as áreas naturais é algo que coopera com a manutenção dos predadores naturais de espécies peçonhentas.

A médica-veterinária lembra que os animais peçonhentos têm sua função ecológica e devem ser respeitados. “Adotar atitudes com consciência ambiental, respeitando as regras de visitação a áreas e parques naturais, recolhendo o lixo produzido e/ou optando por reciclar são exemplos de ações simples que contribuem com a preservação do meio ambiente e a manutenção de seus ciclos naturais”, conclui.

O que fazer em casos de acidentes com animais peçonhentos

Flickr

Caso ocorra uma picada ou queimadura causada por estes animais é recomendado, primeiramente, lavar o local com água e sabão. “Deve-se levar a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo com informações sobre características do animal como espécie, cor, tamanho, entre outras. Se possível, tirar uma foto”, indica Elma.

O Instituto Butantan oferece um telefone de orientação em casos de emergência e acidentes com animais peçonhentos. O serviço funciona 24 horas por dia e orienta o cidadão sobre o local mais próximo para atendimento por meio do número (11) 3726-7962.

Dez dicas para evitar picadas ou o contato com animais peçonhentos

=Mantenha a higiene da casa, incluindo quintais, jardins, paióis e celeiros;
=Use calçados e luvas nas atividades rurais e de jardinagem;

=Examine calçados, roupas pessoais, de cama e banho, antes de usá-las;
=Afaste camas das paredes e evite pendurar roupas fora de armários;
=Não acumule entulhos e materiais de construção;

=Limpe regularmente móveis, cortinas, quadros, cantos de parede;
=Vede frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés;
=Utilize telas, vedantes ou sacos de areia em portas, janelas e ralos;

Foto: JayMantri/Pixabay

=Evite plantas tipo trepadeiras e bananeiras junto às casas e mantenha a grama sempre cortada;
=Limpe terrenos baldios, pelo menos na faixa de um a dois metros junto ao muro ou cercas da residência.

Fonte: Elma Polegato e Cristina Fotin/ CRMV-SP

Pais separados: quem fica com as crianças nas férias escolares?

As férias podem ter um significado diferente para os casais que estão em processo de divórcio ou perto de se divorciar. Quando há filhos e o casamento termina, os pais buscam dividir o tempo de convivência com as crianças. Mas, nas férias escolares, aceitar quem fica com os pequenos pode se tornar um problema.

A convivência é geralmente estabelecida por meio de uma decisão judicial ou então em um acordo entre as partes. Mesmo que o seu divórcio ainda não seja definitivo, deve ser ajustado um regramento temporário e que fornecerá as orientações.

O regime de guarda compartilhada é a regra atual no que se refere à guarda de filhos, salvo exceções estabelecidas pelo juiz. Tanto a mãe quanto o pai tem responsabilidade sobre a criação dos filhos quando a vida conjugal chega ao fim. Mas nessa época do ano surgem dúvidas e disputas. Como serão as viagens e as férias escolares?

Foto: Stocksnap/Pixabay

A maioria dos arranjos inclui uma dessas três opções: não há uma programação especial para feriados e férias; pode haver um cronograma especificado, mas os pais podem concordar em flexibilizar esse cronograma; ou são inflexíveis, seguindo acordos sem negociação entre as partes.

Muitas famílias têm o hábito de passar as férias de verão na casa de tal vô/vó ou na casa da praia dos tios ou padrinhos. E agora? Mesmo que a lei não defina claramente uma regra para esse tipo de situação, o ideal é que haja diálogo e equilíbrio entre pai e mãe separados.

“O importante é pensar nas crianças. Mesmo que a busca por alegria e paz durante esse período seja um desafio gigantesco, certamente isso é possível se os pais concordarem em permanecer flexíveis e colocarem as necessidades dos filhos em primeiro lugar”, comenta a advogada gaúcha Martina Madche, colaboradora do site Idivorciei.

Se o filho ainda é pequeno, por exemplo, o período de convivência exclusiva deve ser mais curto e mais frequente. Isso se aplica, inclusive, quando a criança ainda não dorme sozinha na casa nova de um ou de outro. É preciso paciência na adaptação. Por isso, não é aconselhável, nestes casos, que se tire muitos dias de férias com a criança. Ela pode ficar triste e não aproveitar os dias de descanso.

“Se você está pedindo ao ex-parceiro ou parceira que desista de algo, esteja disposto a dar, em troca, algum tempo extra com os filhos. Embora você tenha a opção de rediscutir tudo em juízo, os tribunais preferem que as partes resolvam seus problemas entre si e decidam o que é melhor para as crianças, em vez de pedir para um juiz que o faça”, lembra Martina.

Uma modificação nas regras provavelmente não terá sucesso se for simplesmente baseada na própria conveniência ou na conveniência do/a ex. O ideal é consultar um advogado especializado em direito da família para receber orientações, já que é comum que os pais separados priorizem suas próprias emoções ao tomar decisões importantes sobre as férias.

“Você e o/a ex devem sempre tentar manter o foco nos filhos, deixando-os saber ao longo da temporada de férias que eles são amados por vocês dois. Mas se estiver enfrentando qualquer tipo de questão jurídica familiar, como divórcio, guarda, pensão alimentícia ou necessidade de modificações, pode entrar em contato com diversos advogados por meio do Idivorciei para agendar uma consulta inicial”, aconselha a advogada.

Em relação às viagens, é bom lembrar que, desde 2019, uma lei federal determina que nenhum menor até 16 anos pode viajar para fora da cidade onde mora desacompanhado dos pais ou responsáveis, sem autorização judicial. A nova lei modificou o artigo 83 do Estatuto da Criança e do Adolescente que regula as viagens de crianças e adolescentes em território nacional. Para viagens ao exterior, se a criança estiver acompanhada apenas de um dos pais, precisa ter autorização expressa do outro, com firma reconhecida em cartório. Outra forma de conseguir essa autorização é por meio de decisão judicial.

Fonte: Idivorciei

Aprenda a fazer lasanha de salmão com ervas e deixe as férias mais gostosas

Adria ensina receita que surpreende nos detalhes e promete encantar toda a família

Janeiro é o mês de férias e do verão. Não à toa, é um período muito esperado e apreciado por todos. Tudo fica ainda melhor com pratos que tornem os dias de descanso cheios de sabor. E para contribuir com esse momento, Adria ensina como fazer a deliciosa Lasanha de Salmão com Ervas, a união do peixe com as ervas trará um toque especial ao preparo. Confira:

Lasanha de Salmão com Ervas

Ingredientes:

Molho branco:
9 colheres (sopa) de manteiga ou margarina
9 colheres (sopa) de farinha de trigo
3 ½ litros de leite
sal, pimenta-do-reino e no-moscada a gosto

Para a montagem:
1 embalagem de Lasanha Direto ao Forno Adria (500g)
1 kg de filé de salmão
4 colheres (sopa) de azeite
3 dentes de alho, picados
suco de 1 limão
ervas picadas a gosto (alecrim, tomilho, salsinha, coentro etc.)
400 g de mussarela, em fatias
queijo parmesão, ralado
Sal

Modo de preparo:

Comece preparando o salmão com ervas. Em uma assadeira média, acomode os filés de salmão e tempere com azeite, alho, suco de limão, ervas e sal. Cubra com papel-alumínio e leve ao forno médio (180ºC) preaquecido por 25 minutos. Retire do forno, corte os filés de salmão em lascas e reserve.Prepare o molho branco. Em uma panela média, aqueça a manteiga ou margarina e doure com a farinha de trigo. Junte o leite aos poucos, mexendo sempre para não empelotar.Acerte o sal e tempere com pimenta-do-reino e noz-moscada. Retire do fogo e reserve. Monte a Lasanha Direto ao Forno em um refratário grande e fundo. Divida as tiras de lasanha em 4 partes, o molho branco em 5 e as fatias de mussarela e as lascas de salmão em 2. Alterne as camadas de molho e massa da seguinte forma: molho branco, fatias de mussarela, tiras de lasanha, molho branco, lascas de salmão, tiras de lasanha, molho branco, fatias de mussarela, tiras de lasanha, molho branco, lascas de salmão, tiras de lasanha, molho branco e finalmente queijo parmesão. Cubra com papel-alumínio e leve ao forno médio (200ºC) por 50 minutos. Para dourar a superfície, retire o papel-alumínio 10 minutos antes de finalizar o tempo.

Rendimento: 15 porções
Tempo de preparo: 1 hora e 50 minutos
Dica: para a lasanha ficar perfeita, coloque as tiras sempre entre os molhos e não se esqueça de utilizá-los ainda quentes. Para cada 500g de massa utilize no mínimo 3 ½ litros de molho. Querendo reduzir o tempo de preparo, deixe a lasanha montada por 10 minutos antes de levá-la ao forno.

Fonte: Adria

Três dicas para viajar com segurança no fim do ano

A Flix, seguradora digital com foco na venda de seguros e assistências residenciais, conta como o planejamento pode ser um aliado para o novo modelo de férias coletivas

A ideia de segurança para as viagens de fim de ano mudaram com a pandemia do coronavírus. Se antes a procura se dava por espaço suficiente para encontrar com todos os amigos e familiares em regiões de praia ou interior, agora o ideal é reservar lugares aconchegantes, afastados de aglomerações e em pequenos grupos para evitar novos contágios.

Nessa perspectiva, donos de imóveis para aluguel de temporada e até mesmo interessados em tirar um período fora de casa, podem recorrer a algumas medidas que ajudem nesse novo modelo de férias. Para Felipe Barranco, CEO e cofundador da Flix, seguradora digital com foco na venda de seguros e assistências residenciais, muitos segmentos devem trabalhar juntos para que esse momento seja um período de descanso responsável.

“Nós já percebemos um aumento da preocupação com o bem-estar em consequência do isolamento social, e depois de um ano com muitas transformações, é natural que as pessoas busquem um refúgio. Para que esse movimento seja seguro, é imprescindível estar preparado para possíveis imprevistos e contato com pessoas fora do círculo de convívio”, comenta o CEO.

Pensando nesse cenário, a Flix separou três dicas para quem pretende viajar no recesso sem preocupações. Confira:

  1. Certifique-se dos cuidados básicos com a casa
Getty Images

Antes de viajar, é importante verificar as condições da casa que ficará sem manutenção diária por um tempo. Para isso, é necessário entender se a saída de gás, torneiras e tomadas estão em dia e sem riscos aparentes. Uma boa opção é deixar uma cópia da chave com uma pessoa de confiança que não vai viajar, assim, caso haja um imprevisto, a resolução será mais ágil e eficaz. Outra alternativa é contratar um seguro residencial personalizado, assegurando que qualquer dano causado possa ser revertido em pouco tempo e não comprometa as economias para o próximo ano – este também vale para quem possui uma casa de aluguel, uma vez que ela terá maior utilização com a privação de passeios.

  1. Verifique se existem centros de saúde não comprometidos perto do destino que vai viajar

Fazer um planejamento de emergência deixará a viagem mais fácil e segura, para isso é importante mapear hospitais, farmácias e centros de atendimento que são próximos da residência alugada. Ter esse controle diminui o tempo de acesso em caso de emergências e previne filas e aglomerações no caminho. “Essa é uma boa iniciativa para ser adotada pelos contratantes neste final de ano, assim é possível preservar não apenas os inquilinos temporários, mas também toda a comunidade residente”, explica Felipe.

  1. Vai viajar com pets? Lembre-se de que eles também precisam de cuidados

Certifique-se, antes de viajar, que a carteira de vacinação do animal esteja atualizada. Procure um veterinário, se necessário, para entender qual é a melhor forma de viajar com o seu companheiro e invista em cuidados básicos de saúde e higiene. Assim como a residência, existem planos e seguros focados na prevenção e cuidados com os pets. Caso seu animal possua alguma predisposição, você estará seguro de que o atendimento será rápido e sem causar aglomerações em centros de medicina veterinária.

Sobre a Flix

Flix é a primeira seguradora digital brasileira com foco exclusivo na venda de seguros e assistências residenciais. Fundada em março de 2020 por Felipe Barranco e Marcos Carneiro, a insurtech possui um portfólio com 45 opções de ofertas, entre cobertura financeira e assistências e permite a personalização da cobertura securitária de acordo com a necessidade do cliente. Desenvolvida com o propósito de ressignificar e acessibilizar o mercado de seguros residenciais, a Flix realiza todo o processo de maneira descomplicada, simples e flexível.

Conheça os seis perigos da praia

Para aproveitar o verão, as férias e feriados, não há melhor lugar do que a praia, mas é importante tomar alguns cuidados para que os dias de lazer na areia não deixem a saúde comprometida. O farmacêutico Adriano Ribeiro, da rede de farmácias Extrafarma, aponta os principais riscos para a saúde para quem quer passar os dias de calor aproveitando o mar e o sol.

Areia

pés na areia

Quando contaminada por fezes de cães ou gatos, a areia pode abrigar a larva migrans, causadora da doença conhecida como Bicho Geográfico. As larvas penetram na pele e por onde passam deixam um rastro com lesões avermelhadas visíveis, formando uma espécie de “mapa” (daí o nome), e causando coceira intensa. O parasita costuma se alojar nos pés, mas pode atingir qualquer parte do corpo que entre em contato com a areia contaminada.

bicho geografico larva migrans

“Em casos mais simples, o tratamento é feito com o uso de pomadas, mas, se a doença tiver se espalhado por muitas áreas, pode haver necessidade de medicamentos ingeridos por via oral. Por isso, é necessária a avaliação de um médico para decidir a melhor forma de tratamento”, diz o farmacêutico.

Sol

praia mulher chapeu

Para se bronzear sem arriscar a saúde da pele, evite expor-se diretamente ao sol entre 10 e 16 horas e, em qualquer horário, use sempre filtro solar. “Para que a pele esteja bem protegida, é recomendável a reposição a cada 2 horas e um fator de proteção solar acima de 30. Caso queira se proteger também dos mosquitos, o filtro solar deve ser aplicado sempre antes do repelente, para que ambos os produtos tenham a máxima eficácia possível”, diz Ribeiro.

A não proteção adequada ao sol pode trazer à saúde e à pele inúmeros riscos, a começar pela vermelhidão indesejada, passando pela insolação e, ao longo praz, o câncer de pele. “Com a pele ardendo e avermelhada, o melhor a fazer é tomar um banho com sabonete suave ao sair da praia ou piscina, enxugar-se com delicadeza numa toalha macia e aplicar hidratante.”, destaca o farmacêutico.

pele-queimada-de-sol

Quando ficamos muito tempo em um calor forte, como praia com sol quente, a temperatura do nosso corpo sobe, os poros se abrem e começamos a suar. A insolação ocorre quando o corpo esquenta muito e esse mecanismo não dá conta de abaixar a temperatura. Entre os sintomas estão pele avermelhada, quente e seca, aumento de batimentos cardíacos, respiração acelerada, boca e olhos secos, náusea, vômito e até perda de consciência.

“Para prevenir-se da insolação, é importante proteger-se do sol, usar protetor solar e ingerir líquidos regularmente, para manter o organismo hidratado. Água mineral e água de coco são boas opções. Já a bebida alcoólica potencializa o processo de insolação, pois em excesso causa desidratação.”, afirma o farmacêutico.

Biquíni molhado

praia

Refrescar-se com mergulhos no mar é ótimo, mas passar muito tempo com a roupa de praia molhada traz riscos para a saúde, principalmente na forma de infecções. O problema mais comum é a candidíase, que durante o verão chega a afetar cerca de 75% da população feminina. A umidade e o calor criam um ambiente mais favorável à proliferação de germes e fungos, como é o caso do causador da candidíase. Os principais sintomas são coceira, ardência, vermelhidão e secreção vaginal. “Em caso de ocorrência de um ou mais desses sintomas, é importante consultar um médico para iniciar o tratamento adequado. Para prevenir o problema, o ideal é trocar o biquíni molhado por uma roupa seca o mais breve possível após o mergulho”, diz Ribeiro.

Comida de praia

mulher praia comendo shutterstock
Shutterstock

Diarreia, febre, vômito e desidratação são alguns dos sintomas de intoxicação causada pelo consumo de alimentos contaminados por bactérias. Caso não seja possível verificar as condições de higiene dos alimentos na praia, o ideal é levar petiscos e lanches de casa, acondicionados em bolsas térmicas, para que sejam conservados por mais tempo. Em caso de intoxicação alimentar, a primeira medida a ser tomada é hidratar o organismo, com água, sucos e água de coco. Se o problema persistir ou os sintomas piorarem, é preciso procurar um médico.

Cadeira de praia

verão praia mar

A falta de higiene das cadeiras pode aumentar o risco de contágio por fungos e bactérias causadores de micoses, como o “pano branco”. Também conhecida como micose de praia ou pitiríase versicolor, é uma doença de pele causada pelo fungo Malassezia furfur, que impede a pele de produzir melanina quando exposta ao sol, causando manchas brancas na área afetada. “O tratamento é feito com pomadas antifúngicas, que devem ser prescritas por um dermatologista”, orienta Ribeiro. Para se proteger das micoses, recomenda-se higienizar as cadeiras com álcool em gel antes de sentar-se ou forrá-las com uma toalha grossa.

Mar

mulher praia topless pixabay
Pixabay

Nadar em praias consideradas impróprias para banho deixa o organismo suscetível a doenças e infecções. O contato com águas contaminadas pode causar infecções de olhos, ouvidos, nariz e garganta e doenças como a gastroenterite, cujos sintomas são enjoo, vômitos, dores de estômago, diarreia, dor de cabeça e febre. Em águas muito contaminadas, os banhistas podem estar expostos a doenças mais graves, como disenteria, hepatite A, cólera e febre tifoide. Crianças, idosos ou pessoas com baixa resistência imunológica são as mais vulneráveis. Para se proteger, verifique sempre a balneabilidade, que é a condição de qualidade das praias que pretende visitar, determinada a partir da quantidade de bactérias do grupo coliforme presentes na água.

Fonte: Extrafarma

Férias de verão: é possível aproveitar sem se preocupar com a balança

Os quilos extras estão te incomodando? Calma. Nutricionista dá 5 dicas que vão te ajudar a perder peso de forma saudável nos dias de folga 

O verão é considerado por muitos, a melhor época do ano. E motivos não faltam, não é mesmo? Afinal, é nessa estação que os dias são mais longos, o clima é mais quente, as praias ficam lotadas e as pessoas aproveitam para tirar férias, viajar, passear e curtir os momentos com a família e amigos. Alguns chegam até a fazer loucuras para perder peso quando se lembram dos quilos extras que ganharam no fim do ano.

Esse desespero às vésperas da estação pode não funcionar e alguns hábitos podem comprometer uma dieta equilibrada. Por isso, é importante lembrar dos cuidados diários com o corpo. Um estudo realizado pelo site Female First mostra que as mulheres pesam, em média, três quilos a menos no verão.

Quando questionadas sobre as preocupações em relação ao corpo, elas responderam que o fato de olhar fotos antigas e não servir na roupa que tanto gostavam, era uma sensação angustiante. Das 2 mil mulheres que participaram da pesquisa, 32% disseram que ter um amigo próximo em forma as motivou a seguirem um estilo de vida mais saudável para estarem mais magras no verão.

Mas, é possível manter a dieta e o peso mesmo nesta época do ano? Matheus Motta, Nutricionista do Vigilantes do Peso explica que o verão é um incentivo a mais na hora de buscar o peso saudável e a aparência dos sonhos. “É possível sim, manter uma rotina equilibrada. Basta planejar-se com antecedência, lembrando sempre de manter uma alimentação saudável e uma boa rotina de atividades físicas. Isso além de proporcionar bem-estar, vai fazer aqueles quilos indesejáveis irem embora”, explica.

Confira as dicas que separamos para aproveitar o verão e ainda emagrecer:

peso-fita-metrica-balanca

• Mude seus hábitos: tenha em mente que para alterar hábitos é preciso paciência e perseverança. Vá com calma. Quando começar a perceber as mudanças – não só na balança – verá que a jornada  está valendo a pena.

jantar almoço comida vinho mulher

• Permita-se: sua relação com a comida deve ser a mais natural possível, sem sofrimento e nem restrições. Não é preciso se privar do convívio social e nem deixar de comer fora, só porque está de dieta. 

academia-3

• Pratique exercícios: se exercitar com regularidade contribui para o ganho de massa muscular e perda de gordura. Além de evitar quadros de estresse, ansiedade, insônia e depressão. Escolha a atividade que mais te agrada e mexa-se. Seu corpo irá agradecer.

mulher bebendo agua na praia

• Hidrate-se: com as altas temperaturas, perdemos muito líquido por meio do suor e, quando temos a sensação de sede, é porque já perdemos uma boa parte da hidratação do organismo. A água refresca e contribui para o bom funcionamento do organismo. Além de regular a temperatura do corpo, ela faz bem à pele, ao aparelho digestivo e aos rins.

sanduiche natural frango
Pixabay

5. Escolha o que comer: na praia ou em passeios ao ar livre, procure ingerir bastante líquido e escolha sempre comer alimentos frescos. Sanduíches de pão integral com proteínas magras, como peito de peru light ou queijo cottage, são uma boa opção.

Siga esses conselhos e transforme o seu dia a dia, sem restrições – coma melhor, mexa-se mais e seja mais feliz. Comer bem implica em qualidade de vida, bem-estar, saúde, disposição e elevação da autoestima.

Fontes: Vigilantes do Peso / Female First

China in Box oferece descontos em janeiro

Combo Férias oferece para o consumidor uma economia de 40% em combinações deliciosas durante o mês de janeiro

Para tornar as férias ainda mais gostosas, o China in Box preparou uma oferta imperdível com combinação de delícias com 40% off. É a promoção Combo Férias, na qual dois dos pratos mais pedidos pelos consumidores ganharam reforços: o combo Yakissoba Vegetariano Grande + 2 Rolinhos Vegetarianos + 2 Coca-Cola latinhas e o combo Frango Xadrez Grande + 2 Rolinhos Primavera + 2 Coca-Cola latinhas, ambos os combos com 40% de desconto durante todo o mês de janeiro.

Executivo---Frango-Xadrez-bx--1-CIB---YAKISSOBA-VEGETARIANO--SEM-COUVE-FLOR----RECORTE

A ação Combo Férias é válida para pedidos feitos pelo site e App oficiais da marca, delivery por telefone, iFood ou no salão de qualquer unidade da rede até 31/01/2020. Promoção não acumulativa, taxa de entrega não inclusa e área de entrega restrita.

Informações: China in Box

Alerta para férias: bebidas energéticas são ciladas e saúde pode ser prejudicada

Especialistas explicam como funciona a “bomba” de energia que ganha espaço nas baladas

Com as férias, as baladas “bombam” em todo o Brasil. Para aguentar a noite inteira, as bebidas energéticas ganharam espaço, prometendo conceder grandes quantidades de empolgação e energia para quem as consome. No entanto, de acordo com especialistas da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), o produto é uma grande cilada para o organismo.

bebida energetica energeticos

O presidente da entidade, José Francisco Kerr Saraiva, explica que uma latinha já acelera os batimentos cardíacos, independentemente de fatores de risco como obesidade, diabetes, sedentarismo e estresse. “O energético estimula receptores responsáveis pela vasodilatação coronária e periférica, podendo gerar problemas cardiovasculares até em jovens”, afirma.

Cardiologista especialista em Medicina Esportiva, Nabil Ghorayeb destaca que os energéticos são, na verdade, um concentrado de cafeína e taurina em bebida adocicada. “Na teoria, eles oferecem mais energia, mas a única consequência após a ingestão é a redução da sonolência”, diz o especialista.

drinque energetico.png

Ambos concordam que o principal risco é quando se mistura o produto com bebidas alcoólicas, como vodca e gim. “Isso gera uma confusão no cérebro da pessoa, já que os destilados agem como soníferos, enquanto o energético é estimulante. O efeito principal é a taquicardia, extremamente desagradável, que pode gerar falta de ar e tontura, além de desmaios”, explica Ghorayeb.

Segundo Saraiva, os energéticos, quando consumidos em excesso, também podem causar aumento de pressão arterial e arritmias, levando a casos mais sérios, como Infarto Agudo do Miocárdio e Acidente Vascular Cerebral. A bebida promete reduzir fadiga e melhorar o estado de vigília, possibilitando horas de atividades e, por isso, é comumente utilizada em baladas.

coração médico

Além dos problemas cardiovasculares já expostos, os energéticos podem gerar nervosismo, desidratação, insônia e tremores. No rótulo, deve constar a informação que a mistura com bebidas alcoólicas não é recomendada, já que também pode mascarar a embriaguez.

Fonte: Socesp

É possível manter uma boa alimentação durante uma viagem?

Quem nunca saiu de uma dieta durante uma viagem? A nutróloga Marcella Garcez explica que manter-se regrado não é tão difícil como parece

Viajar e conhecer novos lugares é uma ótima experiência, muito pelo fato de nos desligarmos um pouco da nossa rotina habitual. Porém, essa mudança de rotina geralmente afeta bastante a nossa alimentação, pois, quando estamos viajando, acabamos optando por refeições fora de casa – muitas vezes através de alimentos de caloria vazia.

“É possível, sim, manter uma alimentação regrada durante uma viagem, mas é preciso organização prévia e força de vontade”, afirma Marcella Garcez, médica nutróloga e professora da Associação Brasileira de Nutrologia.

A dificuldade já começa no local de embarque. “Muitas vezes não temos boas opções para ingerir alimentos saudáveis nos aeroportos e rodoviárias. A saída é se programar antes: compre snacks saudáveis, barrinhas, leve frutas e prepare lanches naturais para levar com você durante o percurso. Dessa forma você garante lanches leves e saudáveis, com o bônus de gastar menos dinheiro”, destaca.

Uma vez que já estamos no local da viagem, não é tão difícil como parece. Marcella sugere não pular nenhuma das grandes refeições (café da manhã, almoço e jantar), nem as realizar muito distante do horário habitual, pois isso faz com que a rotina se perca, nos deixando mais suscetíveis a sair do foco.

café da manhã viagem.jpg

“Ao acordar, faça um café da manhã reforçado, com frutas, ovos ou iogurte, cereais, aveia etc. Evite pães brancos, bolos e biscoitos. “Não saia de casa ou do hotel sem estar bem alimentado, pois a fome virá quando estiver na rua, e as opções diversas que a rua oferece pode acabar te seduzindo”, alerta.

prato-comida

Quanto ao almoço e ao jantar, o ideal é preparar a própria refeição. Como nem sempre é possível – e nem mesmo desejável –, nesse caso dê preferência a restaurantes que possuem opções saudáveis e nutritivas. “Escolha alimentos naturais, incluindo os molhos, temperos e bebidas. Ainda que seja tentador, não exagere na sobremesa”, sugere a especialista.

Durante os passeios, evite comer petiscos de ambulantes, pois não se sabe a procedência do alimento e ninguém quer correr o risco de passar mal durante uma viagem, não é? Recorrer aos fast-foods? Nem pensar.

praia comida

“Para esse tipo de passeio, a dica é a mesma do local de embarque: prepare previamente o que for consumir. Lanches naturais são sempre uma ótima opção, pois matam a fome de maneira saudável. Uma visita a mercados que vendem alimentos frescos locais sempre é um bom programa e uma oportunidade para se abastecer de snacks saudáveis e frutas para os passeios. E não se esqueça de se hidratar bastante, preferencialmente tomando água”, ressalta.

Por fim, a pergunta que não quer calar: não posso comer nada fora da dieta? A nutróloga esclarece: “Pode. Tudo é uma questão de equilíbrio. É claro que, muitas vezes, em uma viagem, queremos conhecer a cultura local e seus pratos típicos e isso deve ser incentivado. Só não vale exagerar e comer ‘errado’ em todos os dias da viagem, pois dessa forma a dieta vai por água abaixo, além do fato que a má alimentação prejudica a nossa saúde”, finaliza

Fonte: Marcella Garcez é médica Nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. A médica é Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.