Arquivo da tag: ferro

Quem tem deficiência de ferro e falta de cálcio não deve ingerir café junto das principais refeições

Os fanáticos por café se deliciam com a bebida principalmente no início ou logo após as refeições. Isso pode ser especialmente danoso para quem sofre de carências nutricionais

Muitos amam e não vivem sem, outros são extremamente sensíveis a uma pequena xícara. Mas é necessário ter cautela com o consumo dessa bebida, que pode ajudar a causar deficiências nutricionais. “Substâncias presentes no café, como taninos e cafeína, podem comprometer a absorção de ferro, um nutriente presente nas carnes, vegetais folhosos e feijões, geralmente consumidos nas principais refeições; além de prevenir a anemia, esse nutriente funciona também como um combustível para que a hemoglobina, célula do sangue, transporte o oxigênio para todo o corpo, da cabeça aos pés. Por isso que sua deficiência pode impactar na queda capilar, palidez da pele e formigamento das pernas”, diz a médica nutróloga Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Por esse motivo, para as pessoas com carências do mineral, a médica explica que o ideal é beber café duas horas antes ou depois das principais refeições para não prejudicar a absorção.

Stock Photo

Segundo Marcella, outra combinação que requer atenção, principalmente para crianças, gestantes, lactantes, idosos e mulheres na menopausa, é o pingado: café com leite. “O café também pode interferir na absorção de cálcio e, enquanto os idosos têm maior tendência à diminuição desse nutriente, as crianças têm necessidades elevadas desse nutriente como resultado do intenso desenvolvimento ósseo e muscular”, afirma a médica.

Entre os principais sintomas da falta de cálcio estão a confusão mental, espasmos musculares, fraqueza dos ossos, e formigamento nas mãos e pés. “Além do cuidado com a absorção de cálcio por crianças e gestantes, esses grupos são muito mais sensíveis à cafeína, que a população em geral, portanto devem consumir quantidades muito restritas. Lembrando que crianças menores de 12 anos têm contraindicação de consumo de qualquer bebida que contenha cafeína.”

Outro nutriente cuja absorção pode ser comprometida é a vitamina C, então o café deve ficar longe também de suco e vitamina batida de frutas cítricas, para não dificultar a assimilação desse nutriente. “É necessário estar atento também, pois a cafeína está presente também em chás, como o mate e o verde, e refrigerantes à base de cola”, diz a médica.

No entanto, não é necessário eliminar de vez a cafeína da sua vida, até porque para muitos ela pode trazer benefícios, desde que consumida com moderação. “Recomendamos um consumo de uma a quatro xícaras de café por dia, recém preparado, não adoçado, sempre respeitando as necessidades individuais de cada paciente”, afirma a médica, acrescentando que a melhor forma de ingestão varia de acordo com o gosto de cada pessoa, podendo ser quente, frio, fresco ou gelado.

“A maneira mais saborosa e saudável de obter os benefícios do café é moendo os grãos imediatamente antes do preparo e consumo que deve ocorrer logo depois. Para aproveitar os benefícios da bebida o ideal é que seja sem açúcar ou adoçante”, diz a médica. “É necessário ter cuidado com o consumo excessivo, que pode levar à dependência das substâncias estimulantes do café, além de consequências indesejadas, como problemas de digestão e gástricos, alterações de ritmo cardíaco e pressão arterial, agitação emocional e distúrbios do sono”, finaliza.

Fonte: Marcella Garcez é médica nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. A médica é Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Saiba quando os pets precisam de suplemento

Olá, escrevo antes da matéria para avisar que criei um novo blog para tratar apenas dos temas pets, animais de estimação, natureza, meio ambiente, comportamento: Se meu pet falasse. Vou passar a postar esses assuntos por lá, portanto, se tiver interesse neste assunto, comece a seguir clicando aqui. Os demais assuntos continuam por aqui. Obrigada.

Por causa de tratamento, doença ou em alguma fase da vida, quando os nutrientes das rações não são suficientes para suprir as necessidades dos pets, os complementos alimentares podem entrar em ação. “Há vários tipos de suplementos que são usados desde o desenvolvimento, quando o pet ainda é filhote, até em algumas patologias depois de velhinho”, afirma o veterinário da Petz Felipi Bruno Espada.

Mas ele adverte: apenas o veterinário pode orientar que suplemento deve ser dado ou não. Acrescentar vitaminas ou suplementos desnecessários à dieta do pet pode causar desequilíbrio e prejudicar a saúde.

“É preciso entender o estilo de vida, saber como está a saúde do pet, para indicar o tipo de alimentação e o que é legal suplementar ou não”, explica Espada. Os produtos são encontrados em cápsulas, em pó ou na formulação da ração. No caso dos gatos, tem inclusive em pasta, para colocar nas patinhas e eles lamberem.

Reposição de nutrientes

Os suplementos são selecionados para garantir a reposição de nutrientes e ajudam em diferentes funções do corpo: mantém o sistema imune forte, a visão funcionando bem, aliviam dores em juntas e quadril, melhoram a digestão e a pelagem, auxiliam sistema cardíaco e combatem a alergia, por exemplo.

Filhotes, grávidas ou lactantes muitas vezes necessitam de suplementos para atender necessidades únicas dessas fases. “Assim como nos humanos, os cães têm apresentando muitas alterações cardíacas. Para esses casos, os suplementos ajudam a diminuir inflamação dos vasos e a minimizar sintomas causados por problemas cardíacos.”

A ação dos suplementos

Condroprotetores – favorecem a hidratação e nutrição da cartilagem articular. Indicados nos casos de problemas ósseos e articulares, pois ajudam a prevenir artropatias.

Vitamina A – fundamental para as células da pele e dos folículos capilares dos pets.

filhotes vetnil

Biotina – vitaminas do complexo B ajudam a promover um crescimento saudável de tecidos. A deficiência é mais comum em filhotes que apresentam crescimento acelerado, causando pelos frágeis, pele ressecada e perda da coloração normal da pelagem.

Vitamina C – com ação antioxidante, fortalece o sistema imunológico.

Vitamina E – antioxidante e protege as células contra os radicais livres.

gato e cachorro deitados

Ômega 3 e Ômega 6 – auxiliam na elasticidade da pele, no brilho da pelagem e em toda a nutrição dos animais. O ômega 3 é importante também no tratamento de doenças cardiovasculares – diminuição de arritmias, por exemplo.

Zinco – antioxidante, combate radicais e age retardando o envelhecimento celular. Ajuda na prevenção de coceiras, inflamações e até infecções causadas por fungos e bactérias.

gato e cachorro 2

Cobre – auxilia na manutenção da cor da pelagem, prevenindo a queda dos pelos e os mantendo macios e brilhantes.

Ferro – auxilia na recuperação de pets com algum tipo de anemia.

Fonte: Petz

“Campanha de Eletro” da Camicado, para facilitar a vida

Já não seria possível viver sem a tecnologia dos eletroportáteis, que auxiliam e facilitam a vida no dia a dia. Eles simplificam e aceleram as tarefas na cozinha, organizam a área de serviço e dão aquela mãozinha na limpeza.

camicado22camicado44

Pensando nisso, a Camicado criou a Campanha de Eletro, com uma seleção de produtos modernos e de alta performance que fazem ganhar mais tempo em casa. Até dia 13 de agosto, todas as lojas físicas e o e-commerce terão em destaque as melhores peças desta categoria com preços especiais.

Confira alguns dos destaques da campanha:

liquidificador

º Liquidificador Osterizer Inox – Design retrô e grande potência / R$ 379,90

chaleira

º Chaleira Elétrica Escalate Kitchenaid / R$ 699,90

batedeira

º Batedeira Planetária Mix Pro Vermelha – Tramontina By Breville / R$ 2.699,90

ferro

º Ferro Chrome Oster – R$ 259,90

adega

º Adega Climatizada Preta 12 Garrafas – Easycooler / R$ 999,90

aspirador

º Aspirador Easybox Electrolux / R$ 499,90

grill

º Bioceramic Grill Panini Oster / R$ 399,90

mixer

º Mixer High Power Vermelho Escarlate – Oster / R$ 329,90

barbeador

º Barbeador Preto Bivolt – GA.MA Italy / R$ 367,92secador

º Secador de Cabelo Lumina Tourmaline Champagne e Rosa – GA.MA Italy / R$ 229,90

lavadora

º Lavadora de Alta Pressão Amarelo e Preto – Electrolux / R$ 399,90

camicado33camicado11

Hemocentro e hemonúcleos de SP realizam mutirão para conscientização sobre sobrecarga de ferro

Ação em 10 Centros de Transfusão do Estado de São Paulo oferece informações e orientação ao paciente adulto e infantil

Durante todo o mês de setembro, acontece em 10 hemocentros e hemonúcleos do Estado de São Paulo um mutirão para conscientização e detecção da sobrecarga de ferro em adultos e crianças. O objetivo é identificar entre os pacientes do hemocentro que recebem transfusão regularmente aqueles que são acometidos por esta doença.

A ação será promovida pelo hemocentro com o apoio da Divisão de Oncologia da farmacêutica Novartis. Todos os pacientes do Centro de Transfusão poderão fazer o exame de ferritina gratuitamente, além de tirar dúvidas sobre a importância do monitoramento e cuidado contínuo em relação à sobrecarga de ferro.

Bastante comum em pacientes com anemia falciforme e talassemia, essa sobrecarga é ocasionada pelo acúmulo de ferro no sangue e tecidos devido a frequentes transfusões sanguíneas ao longo da vida. Os pacientes com essas doenças necessitam de constantes transfusões de sangue, pois o organismo não consegue produzir quantidades suficientes de hemácias. Como o ferro se liga à hemoglobina, em cada transfusão de sangue o paciente acumula ferro.

Cada unidade de sangue transfundida carrega consigo de 200 a 250 mg de ferro. Um indivíduo em terapia transfusional chega a absorver de 8 a 16 mg de ferro/dia, enquanto um indivíduo que não se submete à terapia transfusional absorve de 1 a 2 mg/dia. O alto nível de ferro pode se tornar tóxico. Esse quadro oferece risco à vida do paciente, com danos ao fígado, coração e glândulas endócrinas, podendo inclusive levar o paciente à morte.

SERVIÇO:
Evento: Mutirão para conscientização sobre a sobrecarga de ferro
Período: 31 de agosto a 30 de setembro

Locais:
São Paulo (SP)
Hospital das Clínicas – FMUSP – Hematologia Adulto
Santa Casa de São Paulo – Hematologia Pediátrica e Adulto
Hospital Infantil Darcy Vargas
Hospital Santa Marcelina
IAMSPE

Presidente Prudente (SP)
Núcleo de Hemoterapia de Presidente Prudente

Franca (SP)
Núcleo de Hemoterapia de Franca

Sorocaba (SP)
Hemonúcleo de Sorocaba

Taubaté (SP)
Hemonúcleo de Taubaté

Santos (SP)
Hospital Guilherme Álvaro

Sobre as doenças com sobrecarga de ferro

Anemia Falciforme: caracteriza-se por sintomas como dor nas articulações, palidez, pele e olhos amarelados, problemas de crescimento, feridas nas pernas, cansaço intenso, problemas neurológicos, cardiovasculares, pulmonares e renais. Isso acontece porque os glóbulos vermelhos do sangue perdem sua forma arredondada e adquirem um aspecto de foice; daí o nome falciforme. Além disso, eles se tornam mais rígidos, dificultando a passagem do sangue pelos vasos e a oxigenação dos tecidos. O tratamento é focado na prevenção das crises, no alívio das dores e na prevenção de complicações. Porém, quando o paciente entra em crise e apresenta piora da anemia ou é acometido por infecções mais graves, as transfusões de sangue podem ser necessárias para que o paciente se recupere. A terapia transfusional, além de atenuar os sintomas de anemia, também diminui a proporção de glóbulos vermelhos defeituosos, levando à melhora do transporte de oxigênio aos tecidos.

Talassemia: é uma desordem hereditária que pode causar anemia. Causada por uma falha genética, que leva a uma má formação da hemoglobina. As talassemias são conhecidas como “anemias do mediterrâneo”, pois a maioria dos casos inicialmente identificados foi em famílias residentes em locais próximos ao Mar Mediterrâneo, como Itália, Grécia, Turquia e Líbano. O nome se origina do grego “thalassa” (mar). Com a globalização, migração e miscigenação entre os povos, casos passaram a ser relatados em todo o mundo.