Arquivo da tag: frio

Maior rede de café “to go” do Brasil prepara chegada à cidade de São Paulo

Considerado o maior produtor e exportador de café do globo, o Brasil é o segundo país do mundo no consumo da bebida, atrás apenas dos Estados Unidos. Com a alta demanda, um novo modelo de cafeteria, o de café “to go”, ganhou força na cidade de Curitiba e está se espalhando por todo o país.

A rede Mais1 – Café, grande fenômeno e referência do segmento, nasceu na capital paranaense, em dezembro de 2019, e acaba de atingir a marca de 100 franquias comercializadas nas cinco regiões do país. Desde o início do mês de julho, foram negociadas 60 novas unidades. A marca iniciou, também, sua entrada no mercado de São Paulo, com 11 unidades na capital paulista e mais 8 espalhadas pelo interior.

A primeira unidade da Mais1 na cidade de São Paulo será inaugurada no dia 4 de setembro, no Jardim Paulista. De acordo com o sócio fundador e diretor de marketing da Mais1 – Café, Gare Marques, ao contrário de outras companhias, o modelo de negócio da empresa surgiu para ser franqueado e não conta com lojas próprias. “É bem diferente de quem fez um estabelecimento funcionar e gostaria de replicar. Às vezes, funciona para ele, mas não para os demais”, destaca.

Essa expansão audaciosa planejada e colocada em prática neste ano de 2020, mesmo durante a pandemia, se baseia em quatro aspectos: a praticidade do formato, com lojas entre 12 e 20 m2; um plano de negócio voltado para o franqueado; a possibilidade de administrar o negócio de forma simples, mesclando com um outro emprego ou empreendimento; e a queda da taxa básica de juros, que fez com que muitos brasileiros buscassem investimentos fora do mercado financeiro.

“Nosso projeto encanta pela tendência de praticidade. Além disso, foi desenhado para o franqueado, de modo a simplificar a forma de operar, retirando o pagamento em dinheiro, automatizando tudo e limitando o número de funcionários em um espaço enxuto. Dessa forma, o franqueado não precisa sair da sua profissão, tendo um segundo negócio”, explica Marques, também sócio da PDMG, empresa que administra as franquias Sniper Airsoft, The Door Burguer e Novo de novo, ao lado de Alan Parise, Hilston Guerin e Vinicius Delatorre.

Conforme Marques, a pandemia não afeta as estratégias da empresa no longo prazo e ajudou formatar um novo perfil consumidor. “Logico que a pandemia nos assustou bastante no início, mas hoje vemos que acabou conscientizando as pessoas a consumir no formato ‘to go’, sem a necessidade de se aglomerar”, ressalta Alan Parise. Além da cidade de São Paulo, a Mais1 abrirá as portas de uma ou mais unidades em cidades como Belo Horizonto (MG), Rio de Janeiro (RJ), Fortaleza (CE), Teresina (PI), Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC).

Formato do negócio

Com investimento inferior a R$ 110 mil e um mês para implantação, o franqueado recebe o suporte na área comercial, nos treinamentos, no controle, na engenharia e arquitetura do ponto comercial, no marketing. “Nossa estimativa é que o payback esteja em torno de 15 meses. A expectativa é de que cada unidade fature em torno de R$ 30 mil ao mês, com margem de lucro que varia de 15% a 20% para o franqueado”, ressalta Vinicius Delatorre.

Com cardápio enxuto – cinco opções de drinques frios com café, três de drinques quentes, duas bebidas quentes sem café e três cafés quentes, além de uma pequena variedade de salgados, doces e cafés moídos –, a empresa selecionou um café produzido na região da Alta Mogiana, em Minas Gerais, com processo de secagem natural, notas de chocolate, encorpado e levemente cítrico. O café utilizado pela rede é produzido pela fazenda ganhadora do prêmio de melhor café do Brasil em 2019.

Informações: Mais1 – Café

Sopas, chás, frutas e oleaginosas são opções para incluir no cardápio na estação mais fria do ano

Tire os agasalhos do armário, a estação mais fria do ano finalmente chegou. E com a temperatura baixa, uma grande oportunidade de variar o cardápio do dia a dia. São muitas opções de sopas e caldos, massas deliciosas e bebidas quentes, que entram com mais frequência na dieta de algumas pessoas. Mas o inverno também requer alguns cuidados especiais com a alimentação.

Durante os dias mais frios, o corpo precisa aumentar o consumo de energia para manter a temperatura corporal, o que faz com que as pessoas comam mais e optem por refeições mais calóricas. A nutricionista Ellen D’Arc da Bio Mundo, rede de lojas que busca gerar saúde e bem-estar por meio de produtos saudáveis, alerta para os possíveis problemas nos excessos que o inverno pode trazer e dá algumas dicas para conservar a saúde durante essa estação.

“Nesse período é importante redobrar a atenção com o que comemos. Ficamos propensos a cometer exageros nas refeições, ao mesmo tempo que ficamos vulneráveis à algumas doenças sazonais. Manter uma alimentação equilibrada será um bom aliado para evitar esses problemas”, comenta a nutricionista.

1 – Aproveite para variar nas sopas

Caldos e sopas são pratos típicos do inverno e ótimas opções para incluir no cardápio. Podem ser muito nutritivos e excelentes aliados da saúde quando bem preparados. “O uso de produtos integrais vai aumentar a sensação de saciedade, por causa das fibras, e evitar exageros. Além disso, o recomendado é combinar vegetais e legumes para deixar a refeição ainda mais nutritiva”, aconselha a especialista.

2 – Se beneficie das gorduras boas nas pequenas refeições

Lena Volkova/Unsplash

Um excelente item para incluir nas pequenas refeições do dia são as oleaginosas. São ricas em nutrientes e auxiliam no controle do nível do colesterol ruim e bom. “As vantagens dessas sementes são muitas. Por serem práticas vão ajudar a diminuir o consumo de doces e de salgadinhos que aumentam o nível do colesterol ruim”, destaca Ellen.
As formas de utilizar esses grãos e sementes nas refeições são muitas. “Salpique grãos sobre saladas de frutas, vitaminas, iogurtes, caldos e sopas, chia e linhaça são excelentes opções, tornando sua refeição mais saudável e nutritiva” sugere a nutricionista.

3 – Frutas são ótimas opções também

Pixabay

Para as refeições intermediárias, a especialista ainda sugere o consumo de frutas da estação. “Uma boa alternativa é optar por frutas secas e cristalizadas, elas são mais práticas para carregar e não vão deixar você perder os nutrientes e as vitaminas que elas oferecem”, diz a nutricionista.

4 – Não esqueça da hidratação no dia a dia
Com o clima frio a vontade de beber água pode não aparecer tanto quanto no verão, mas isso não quer dizer que no inverno diminui a necessidade de se manter hidratado. “Independentemente da estação do ano, a água desempenha um importante papel no organismo. Além de regular a temperatura corporal, auxilia no transporte de nutrientes, na digestão e em muitas outras reações do corpo humano. Por esses motivos, mesmo quando não sentimos sede, devemos nos hidratar durante todo o dia”, comenta.

5 – As bebidas são aliadas no inverno

A nutricionista destaca que esse é um período para aproveitar e beber chás e sucos de frutas naturais, principalmente as que são fonte de vitamina C, mas alerta sobre o uso do açúcar refinado. “Algumas dessas bebidas podem ajudar a reforçar o sistema imunológico, por serem ricas em vitaminas e nutrientes. Os chás ainda podem exercer a função de auxiliarem o sistema digestivo e no controle do peso. Mas é importante ficar atento na hora de adoçar e não cometer exageros, uma boa opção é o uso do açúcar de coco ou mascavo”, sugere a especialista.

6 – Substituir alguns alimentos


A nutricionista sugere a substituição de alimentos comuns por integrais. Eles são ricos em fibras e promovem benefícios como o bom funcionamento do intestino, controle de açúcar no sangue e colesterol. Também prolonga a sensação de saciedade. “Investir na qualidade das refeições e não somente na quantidade é uma dica valiosa para manter a saúde e o bem-estar em dia no inverno. Substituir alguns alimentos vão ajudar no dia a dia, como por exemplo, escolher uma massa integral quando bater aquela vontade de uma macarronada, ou optar pelos chocolates mais amargos ou alfarroba, um excelente substituto para o doce”, completa Ellen.

Fonte: Bio Mundo

O frio chegou e, com ele, as dores nas articulações

Frio e dores articulares, entenda a relação

Você já percebeu que as dores nas articulações pioram bastante no frio? Sim, e não depende da idade. Quem tem problemas nas articulações sabe que no inverno, naqueles dias mais frios, as articulações ficam mais doloridas e mais sensíveis.

Porque isso acontece e como temos que lidar com isso para minimizar as dores?

Em primeiro lugar, precisamos entender o que são dores articulares. São dores nas juntas. Pode ser no ombro,  no joelho, no quadril, no tornozelo e nos punhos. As causa são diversas, entre elas, as mais comuns são: artrose, artrite, doenças reumatológicas, históricos de lesões traumáticas e fraturas.

Na verdade, existe uma infinidade de doenças ~que pode causar dores nas articulações e, quando chega o inverno, nesses dias mais frios, os consultórios de especialistas ficam lotados de pacientes reclamando que as dores pioraram.

“O motivo mais comum dessas dores articulares no frio se deve, em primeiro lugar, ao fato de ficarmos mais parados no inverno, mais imóvel e mais contraídos e, com isso, a musculatura também fica mais enrijecida e a articulação acaba sentindo essa rigidez da musculatura e da articulação. Isso gera mais dor”, explica o ortopedista, especialista e referência em cirurgias do joelho e trauma do esporte Samuel Lopes.

“Existem também duas questões mais técnicas que podem explicar o porquê da pior das dores articulares com a chegada do frio. A primeira delas é que o líquido sinovial, que fica dentro das articulações para ajudar a lubrificá-las, fica um pouco mais espesso e a alteração da viscosidade deste líquido gera mais rigidez na articulação, causando, naturalmente, mais dor”, explica o especialista.

A segunda questão são as alterações de circulação. Na circulação periférica, mãos e pés principalmente, são os locais que mais sofrem com essas alterações, pode existir uma diminuição da circulação periférica e isso vai gerar mais dor.

Lopes conta que isso ocorre com poucos pacientes, que podem ter alterações circulatórias e, em alguns casos, com portadores da doença de Renault, que não é muito comum, mas que causa alteração da circulação periférica e gera dedos roxos, por exemplo, o que é um alerta para que as pessoas observem se podem estar diante deste problema.

E o que fazer para minimizar as dores articulares no frio?

#1 – Movimentar-se e manter a rotina de exercícios

Pixabay

Para minimizar essas dores que pioram com o frio, o primeiro ponto é procurar não ficar parado o tempo todo e se movimentar. Fazer algum tipo de exercício físico, um alongamento, uma caminhada, mesmo que dentro de casa e manter uma rotina de exercícios de preferência, orientada por um profissional.

#2- Mantenha-se agasalhada, hidratada e consuma alimentos quentes


Mantenha-se sempre agasalhada nos dias nos dias mais frios e procure consumir alimentos mais quentes. E não se esqueça de manter o corpo hidratado. Beba bastante líquido, mesmo os quentes, porque eles também vão ajudar no controle da dor.

#3- Não pratique a automedicação.

FreeGreatPictures

Não podemos falar de dor sem lembrar de algumas coisas muito importantes, e a primeira delas é não fazer a automedicação. Tomar remédios anti-inflamatórios pode ser a pior decisão que você pode tomar, segundo Lopes, pois você corre o risco de ter os efeitos colaterais e criar outros problemas até mais sérios. Contudo, se você sente que não está conseguindo, não tente ficar lidando com a dor. Procure um profissional. Se você tem dor e se é persistente, se já está incomodando há algum tempo, procure um especialista para que ele possa avaliar e dar o diagnóstico e tratamento corretos. É necessário identificar a origem e a causa e, aí sim, atacar a origem do problema e não só ficar lidando com a dor. Mas, isso, somente um profissional poderá fazer.

Fonte: Samuel Lopes é médico ortopedista, especialista em cirurgias do joelho e trauma do esporte. Membro efetivo da sociedade Brasileira de Ortopedia (SBOT), Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho (SBCJ) e da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte. Chefe do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Santa Casa de Juiz de Fora – MG.

 

Vento e frio aumentam as dores, confira dicas que podem minimizá-las

Inverno, época de frentes frias que podem chegar acompanhadas de ventos fortes e aumentar as dores ósseas, articulares e musculares e também na coluna lombar. Mas, é possível minimizá-las com algumas dicas simples. Cadu Ramos, fisioterapeuta de São Paulo conta como.

“Quando a temperatura cai é inevitável sentir incômodo ou mal-estar já que, com o frio, a tendência é enrijecer os músculos e ficar mais encolhido para tentar diminuir a sensação de frio. Isso pode gerar tensão muscular, contraturas, má circulação ou mal-estar”, explica Cadu.

“Quando ocorre a postura de contração dos músculos dos braços, há um aumento da curvatura fisiológica da coluna dorsal (corcunda) e anteriorização da coluna, desta forma fica mais fácil manter o corpo aquecido”, esclarece. Mas, essa contração muscular involuntária deixa as articulações e músculos mais rígidos, facilitando as inflamações de músculos e nervos.

Além disso, a circulação sanguínea diminui no inverno, para que o organismo consiga preservar a temperatura por volta de 36,5 graus centígrados. “Em consequência, há também uma diminuição na circulação dos músculos, piorando as dores de origem muscular, pois eles permanecem em estado contrátil por mais tempo”, relata.

Os dias mais frios também têm impacto sobre as articulações, já que o esfriamento do corpo torna o líquido sinovial (líquido transparente e viscoso das cavidades articulares e bainhas dos tendões) mais espesso, que pode prejudicar movimentos e gerar incômodos.

E ainda há um agravante: nos dias mais frios as pessoas tendem a ficar paradas e abandonar as atividades físicas. Elas se esquecem que esse é o principal ponto para não sentir dores nesta época do ano. Isso porque, os exercícios ajudam a diminuir a sensibilidade à dor.

A seguir, o fisioterapeuta lista algumas dicas para encarar os dias frios sem dor e com mais disposição:

mulher-frio-cachecol

• Agasalhe-se corretamente. Manter o corpo aquecido é fundamental. Para sentir-se aquecido, o ideal é cobrir as extremidades do corpo: pés, punhos, mãos, pescoço e cabeça;

gato aquecedor eastday
• Coloque um aquecedor no quarto para atenuar as dores noturnas;

freepik mulher acordando negra cama
Freepik

• Espreguiçar-se quando acorda, é uma forma de despertar o corpo, não pule essa etapa do dia;

mulher alongamento ioga
• Alongue-se. Embora a vontade seja a de “ficar na cama”, a prática de alongamentos é essencial para evitar a contração dos músculos e para ajudar as articulações a se manterem lubrificadas;

osso quebrado braço healthtap
Foto: HealthTap

• Quem tem fraturas antigas que voltam a doer com o frio ou doenças ósseas degenerativas pode recorrer a sessões de fisioterapia como estratégia para aliviar os incômodos;

pes-massagem-everydayhealth
Foto: EverydayHealth

• Faça massagens, elas ajudam a estimular a circulação e a destravar a musculatura enrijecida, aliviando as dores;

bolsa de agua quente dor
• Bolsas de água quente podem trazer alívio imediato para dores musculares, sequelas de fraturas ou desconfortos provocados por artrose, artrite e fibromialgia. A aplicação local de calor estimula a circulação e relaxa os músculos. Nas dores crônicas e sem edema, use compressas quentes. Já nas dores agudas com edema se deve fazer uma compressa fria ou aliar a fria e quente. Faça isso entre 20 e 30 minutos.

Fonte: Cadu Ramos é fisioterapeuta clínico, especialista em Fisioterapia e Traumatologia – Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Escola Paulista de Medicina (EPM), em Aparelho Respiratório – Ventilação Mecânica Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) – Escola Paulista de Medicina (EPM) e em Fisioterapia em Geriatria – trabalho voltado para queixa principal, atividades da vida diária (AVD’S) e socialização do idoso. (Instituto ILEA). Graduado em Fisioterapia pela Universidade Bandeirante de São Paulo.

Como manter a região íntima feminina saudável durante outono e inverno

Clima frio favorece proliferação de microrganismos e queda da imunidade, fatores que podem levar ao surgimento de infecções vaginais. Ginecologista dá dicas para prevenir o problema

Com a chegada das estações frias, como outono e inverno, todos nós devemos nos atentar à saúde. Porém, mulheres devem tomar cuidados redobrados, principalmente no que diz respeito à higiene íntima. “Isso por que o clima frio é propício para a proliferação de microrganismos nocivos aos genitais. Além disso, durante o outono e o inverno, sofremos com queda da imunidade, o que nos torna mais suscetíveis a infecções bacterianas, fúngicas e até virais”, afirma Ana Carolina Lúcio Pereira, ginecologista membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).

Para ajudar a evitar doenças e infecções genitais nesse período, a especialista listou quatro cuidados que as mulheres devem tomar para manter a saúde íntima em dia. Confira:

sabonete liquido

Faça uma boa higienização: é comum que durante o inverno, por suarmos e nos sujarmos menos, algumas pessoas não tomem banho diariamente. Porém, a higiene diária da região íntima é indispensável, principalmente no inverno. “O ideal é limpar a região no mínimo uma vez por dia para controlar a quantidade de fungos e bactérias causadores de corrimentos, coceiras e doenças do trato vaginal, como candidíase e vaginose”, destaca a médica. “Para isso, utilize sabonetes neutros, sem cor, sem perfume e ginecologicamente testados, que vão manter o pH vaginal equilibrado. Além disso, dê preferência aos sabonetes líquidos, que não ficam expostos a bactérias que podem estar presentes no ar”, recomenda. Mas tome cuidado para não higienizar a região íntima com muita frequência, pois o hábito, quando em excesso, pode causar o ressecamento da região. “Por fim, não se esqueça de secar bem o local para prevenir o crescimento de fungos.”

agua copo

Beba água: no frio, sentimos menos sede e, consequentemente, bebemos menos água. Porém, a água é fundamental para o bom funcionamento do organismo, visto que estimula a circulação de sangue e ajuda a prevenir a infecção urinária. “Então procure ingerir, no mínimo, dois litros de água por dia para permanecer hidratada e saudável”, diz a ginecologista. Durante o clima frio, uma boa dica é apostar nos chás, que, além de hidratar, também ajudam a aquecer.

 

Female bottom in tight jeans

Evite roupas apertadas: com a chegada das estações mais frias, começamos a utilizar roupas mais robustas para manter o corpo quente, como calças abafadas. O problema é que essas peças de roupas são inimigas da boa saúde íntima. “Isso porque abafam a região íntima e favorecem a proliferação de fungos e bactérias que podem causar infecções vaginais, como a candidíase”, alerta a especialista. “Por isso, evite usar calças muito apertadas com frequência e dê preferência aos tecidos mais leves e que permitem que o ar circule adequadamente. Se não for possível durante o dia, uma boa solução é usar peças mais leves na hora de dormir. Por exemplo, pijamas largos de algodão são uma boa substituição para o moletom.”

shutterstock calcinha regiao intima
Shutterstock

Opte por calcinhas de algodão: pode não parecer, mas a escolha da calcinha é fundamental para garantir uma região íntima saudável, visto que a peça está em contato direto com o local. “Geralmente, opta-se por calcinhas de tecidos sintéticos, já que tendem a ser mais baratas. Porém, esse tipo de tecido pode ser prejudicial para a genitália feminina, pois abafa a região, aumentando a transpiração e a umidade do local, o que, além de causar desconforto, favorece a proliferação de microrganismos responsáveis pelas infecções vaginais”, explica Ana. Por isso, dê preferência às calcinhas de algodão, tecido natural que permite que a região íntima respire adequadamente.

Por fim, caso você note algum tipo de alteração na região genital,  Ana Carolina recomenda que você consulte um ginecologista. “Apenas ele poderá realizar uma avaliação do quadro e dar um diagnóstico correto, indicando o melhor tratamento e as recomendações mais adequadas para lidar com cada caso”, finaliza a médica.

Fonte: Ana Carolina Lúcio Pereira é ginecologista, membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), especialista em Ginecologia Obstetrícia pela Associação Médica Brasileira e graduada em Medicina pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro em 2005. Especialista em Medicina do Tráfego pela Abramet, a médica realiza consultas ginecológicas, obstétricas e cirurgias, atuando na prevenção e tratamento de doenças gineco-obstétricas com foco em gestação de alto risco.

Oscilação de temperatura em um mesmo dia pode ‘estressar’ e desidratar a pele

Em um mesmo dia, a diferença de temperatura entre máximas e mínimas pode chegar a 15ºC. Isso faz com que a nossa pele fique estressada, pois recebe estímulos diferentes do meio ambiente. Dermatologista explica como prevenir problemas

Nos últimos dias, principalmente o sudeste do Brasil tem virado refém das oscilações de temperatura em um mesmo dia, de forma que o calor provocado pelo sol, em questão de horas, vence e é vencido pelo frio de inverno.

“Num intervalo de 24 horas, experimentamos temperaturas muito altas e muito baixas, com diferenças de máximas e mínimas que podem chegar a 15ºC. Isso é motivo de preocupação para a imunidade do nosso corpo e pode causar também problemas de pele, por conta desse estresse constante das oscilações”, diz o dermatologista Jardis Volpe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

antipoluicao pele mulher.png

“Quando falamos em estresse por conta das oscilações, estamos nos referindo aos estímulos que o meio ambiente dá à pele: enquanto o calor instiga a produção de oleosidade, o frio (juntamente com a baixa umidade do ar) retira até 25% da umidade da nossa pele, causando ressecamento”, completa o médico.

O dermatologista explica que, por meio do suor, o corpo regula sua temperatura, preservando calor durante temperaturas quentes e frias, respectivamente: “O problema é que as grandes variações em um mesmo dia podem confundir nosso corpo e aumentar o estresse fisiológico. Com isso, fisiologicamente nosso corpo tem dificuldade na regulação da ingestão de líquidos, resultando em desidratação, cãibras musculares e fadiga, que podem deixar a pele com aspecto cansado, sem viço e desidratada”.

O problema é que, no período noturno, geralmente o frio é mais rigoroso e algumas pessoas usam o aquecedor, como forme de ter uma noite menos “gelada”. “Mas esse aquecimento retira muita umidade da nossa pele, favorecendo ressecamento, vermelhidão, secura e irritação. A situação pode piorar se no dia seguinte o calor tomar conta, pois a pele ficará mais oleosa e não necessariamente mais hidratada, pois hidratação da pele é um equilíbrio entre água e óleo. Nesse caso, teríamos excesso de óleo e falta de água”, diz. Além de manter a pele hidratada, o dermatologista diz que o umidificador de ar pode ajudar.

Para enfrentar o problema, que também pode causar rachaduras na pele, levando a uma maior secura e sensibilidade, o dermatologista indica cremes reparadores e altamente hidratantes, com substâncias que promovam hidratação imediata e duradoura, como Hyaxel e Overnight Repair (que deve ser usado à noite). Outra boa dica é manter sempre por perto o hidratante com antioxidantes como Alistin, Exo-P e Vitamina C e o protetor solar.

Para potencializar ainda mais o efeito do hidratante, o médico indica evitar contato com poeira, poluição do ar e lugares lotados. “Lave as mãos frequentemente com sabão e água morna. E use um hidratante específico para as mãos. Também é importante manter-se hidratado, portanto beba muita água”, diz o médico.

mulher bebendo agua pixabay
Pixabay

Outro cuidado é com relação à dieta, de forma que é necessário comer bem durante o almoço e jantar para ajudar o corpo a lidar com as flutuações de temperatura e resistir a infecções. “Prefira alimentos quentes durante o período noturno e alimentos frescos durante o dia. Chá e café durante o dia devem ser evitados, pois eles ajudam a causar desidratação. Os nutracêuticos também podem ser aliados nesse processo, com substâncias como InCell e FC Oral, para promover nutrição e hidratação celular, de dentro para fora”, finaliza.

Fonte: Jardis Volpe é dermatologista; diretor clínico da Clínica Volpe (São Paulo). Formado pela Universidade de São Paulo (USP); Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia; Membro da Sociedade Americana de Laser, da SBD e da Academia Americana de Dermatologia; Pós-graduação em Dermatocosmiatria pela FMABC; Atualização em Laser pela Harvard Medical Scho

Dia dos Namorados: dormir de conchinha é gostoso, mas faz bem?

Conheça as vantagens e desvantagens que a posição dos apaixonados oferece ao casal

Dormir de conchinha é considerada uma das posições preferidas dos casais. Faz as pessoas se sentirem acolhidas e seguras. A sensação é que ambos os corpos estão mais próximos e a união causa bem-estar, ainda mais no friozinho.

Dividir a cama com outra pessoa exige certos cuidados para que seja realmente relaxante e para que não comprometa a qualidade do sono do casal. “Noites maldormidas podem ser um gatilho para doenças cardiovasculares, diabetes, depressão e envelhecimento precoce”, explica Renata Federighi, Consultora do Sono da Duoflex.

Vantagens

casal dormindo buzzfuse

Pesquisadores comprovam que essa posição tem consequências bastante benéficas para o nosso organismo, especialmente em relação aos hormônios. Um estudo da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, revelou que dormir de conchinha com o parceiro diminui o nível de cortisol no sangue, hormônio responsável pelo estresse. A razão, segundo eles, é porque, ao dormir com alguém, a pessoa se sente mais segura e protegida e o corpo não vê a necessidade dessa substância para lhe deixar atento.

Ao mesmo tempo, a posição estimula a produção de ocitocina, o mesmo hormônio liberado durante o sexo. “Esse segundo proporciona uma grande sensação de relaxamento, além de combater inflamações e ajudar no bom funcionamento do sistema digestivo”, complementa Renata. Outro benefício apontado por especialistas é que dormir de conchinha, mesmo que apenas no início da noite, contribui de modo positivo para a intimidade do casal.

Desvantagens

Quando o assunto é postura, é importante se atentar a essa posição pois ela pode causar formigamento e dores no braço e na coluna. “Quem fica atrás tende a colocar o braço por baixo do parceiro. Essa pressão afeta o nervo radial e depois de um período causa dormência e dor. O formigamento é sinal de má circulação sanguínea, por exemplo, e a exposição a longo prazo pode causar lesão no músculo do membro”, explica Renata. A tentativa de deixar o braço acima da cabeça também não é a solução, pois tenciona o ombro e o pescoço, e também pode causar dores. Utilizar travesseiros ou rolos entre as pernas pode ajudar a aliviar a pressão em algumas juntas.

Para quem fica na frente, a posição também pode causar alguns males. Com a cabeça apoiada no braço do companheiro, o pescoço não fica reto como deveria e isso pode implicar em alguns problemas de coluna ou dores. Nesse caso, a recomendação é apoiar a cabeça direto no travesseiro e não no braço do parceiro.

Como escolher o travesseiro e o colchão da casa

02_Spoon_Sleep-Positions-for-Couples-and-What-They-Reveal-About-Your-Relationship_iStock_43052798_LARGE-760x506

Para que o casal consiga dormir bem, independentemente da posição, é essencial escolher corretamente os travesseiros e o colchão. No caso dos colchões, o ideal é que os dois estejam juntos para experimentar a sensação de conforto do colchão. Se o casal tiver grande diferença no biótipo de um para o outro, é importante considerar a maior estatura e peso para escolher o colchão de comprimento e densidade adequados.

No caso de grande diferença de peso, é indicado comprar um colchão com molas ensacadas individualmente, pois não provocam ruídos, garantem maior estabilidade e a mínima transferência de movimentos de um lado para outro. Assim, se um dos dois se virar na cama, o outro não irá sentir e não terá o seu sono interrompido.

Já no caso dos travesseiros, o modelo deve ser escolhido de acordo com às necessidades de cada um, levando em conta a posição em que dorme, o biótipo e, claro, o gosto pessoal. É apenas indispensável que o item preencha o espaço entre a cabeça e o colchão e proporcione alinhamento da coluna cervical com o tronco.

A espuma, por exemplo, é uma preferência de cada pessoa, e existem diversos tipos no mercado. Para quem gosta de maciez, a espuma Nasa é indicada. Automoldável e termossensível, o material se molda ao contorno do corpo, diminui a pressão e acompanha a temperatura corporal, oferecendo maior conforto térmico. Já para quem aprecia maior sustentação para a cabeça e um sono mais fresquinho, uma boa opção é a espuma de látex, extraído da seringueira. Moldada com furinhos, que facilitam a respiração e a ventilação, é ideal para pessoas que transpiram muito durante a noite.

O tipo de cama também pode influenciar na escolha do travesseiro. Se a cama for king size, por exemplo, o casal pode optar por modelos para fronha 50cmx90cm, que não deixarão lacunas entre o casal ou nas laterais, aumentando a sensação de conforto durante a noite. Já em uma casa de casal convencional, os travesseiros podem ter o padrão para fronha 50cmx70 cm.

Fonte: Duoflex

Campanha do Agasalho: Pão de Açúcar, Extra, Assaí e CompreBem arrecadam doações

Cobertores e roupas em bom estado podem ser levados às lojas do GPA

O Pão de Açúcar, Extra, Assaí e CompreBem, por meio do Instituto GPA, junto às organizações Rotary, Cruz Vermelha, Exército da Salvação, Legião da Boa Vontade, Instituto SOS Gente, entre outras, anunciam a Campanha do Agasalho 2019, que será realizada até o dia 9 de junho (domingo).

A arrecadação de agasalhos faz parte da Agenda Solidária promovida anualmente, com o objetivo de mobilizar colaboradores(as) do GPA, clientes, fornecedores e organizações sociais, para atuarem como agentes de transformação social. Em 2018, cerca de 40 toneladas de roupas foram recolhidas em todo o Brasil, beneficiando mais de 29 mil pessoas vinculadas às instituições parceiras. Para este ano, a estimativa é arrecadar 50 toneladas. As doações podem ser realizadas no horário de funcionamento das lojas do Pão de Açúcar, Extra, Assaí e CompreBem de todo o Brasil.

GPA.png

“Essa é mais uma ação que une colaboradores e clientes do GPA em prol da solidariedade, com números surpreendentes de arrecadações de roupas e cobertores que melhoram a cada ano. É importante nos espelharmos em práticas positivas, aumentando o nível de conscientização coletiva”, afirma Thatiana Pereira Zukas, Gerente de Investimento Social.

Campanhas de inverno começam a movimentar vaquinhas na Internet

· ONG´s e grupos de apoio buscam doações para poder proteger moradores de rua e animais do frio
· Arrecadações virtuais são oportunidade para qualquer pessoa ajudar a diminuir o sofrimento e até salvar vidas
· Para escolher qual campanha ajudar, basta fazer uma busca com as palavras “frio” ou “inverno” no site Vakinha

Com a proximidade inverno, começam a surgir na internet vaquinhas virtuais que visam arrecadar dinheiro para poder ajudar a proteger cidadãos em situação de rua e animais do frio, que além de aumentar o sofrimento também é a causa de muitas mortes.

No site Vakinha, maior plataforma do país de vaquinhas online, ONG´s e grupos de apoio de várias cidades buscam recursos para comprar desde água e cobertores até luvas e kits de higiene para populações de rua.

“Essa é uma grande oportunidade de ajudar a quem ajuda, viabilizando ações de solidariedade capazes de salvar vidas e ainda poder acompanhar a chegada da doação ao seu destino por meio das redes sociais”, explica Cristiano Meditsh, diretor de marketing do Vakinha.

É o caso da Organização Bem da Madrugada, de São Paulo, que se define como uma ação social, dividida em equipes responsáveis por alimentos, bebidas, roupas, sapatos, higiene pessoal e rações para animais, destinadas a atender a população em situação de rua. Em sua campanha no Vakinha, o valor arrecadado será totalmente usado para a compra de água e cobertores a serem distribuídos nas ações de inverno.

Também para ajudar moradores de rua de São Paulo, o grupo Anjos da Leste, busca doações para a compra de itens como luvas, meias e kits de higiene. E a vaquinha do Família do Bem visa doar cobertor, casaco e um kit higiene a 250 pessoas atendidas pelo projeto no centro da capital paulista.

Moradores de rua também são o foco da campanha “São Sebá sem frio”, que pretende arrecadar dinheiro para comprar cobertores e alimentos para os moradores de rua de São Sebastião, no litoral de São Paulo, que se compromete a divulgar e comprovar todo a compra e entrega de todo o material.

Morte de animais por frio

cachorro de rua abandonado barkpost
BarkPost

Para ajudar animais, a campanha da ONG AuMigos pede doações para comprar cobertores para mais de 250 animais, que se encontram à espera de adoção em 120 canis localizados em Juquitiba, cidade do interior do Estado de São Paulo, conhecida por temperaturas muito baixas no inverno. Em sua página da campanha, a ONG explica que o objetivo é evitar que o frio mate os animais, algo que infelizmente já aconteceu.

Agasalhos novos para crianças

campanha-agasalho-122222

Com o título “inverno mais quentinho”, a vaquinha criada por Rossana Bruksch, de Porto Alegre (RS), pretende fazer agasalhos para crianças carentes. Segundo a criadora da campanha, essas peças são as menos doadas. “Estou aprendendo a costurar com o objetivo principal de fazer roupas de criança para doação (…). Gostaria de poder contar com a sua colaboração para confeccioná-las”, explica Rossana, que colocou a foto de um conjuntinho de blusa e calça feitos por ela, em malha colegial ao custo de R$ 35,00 de material.

Conheça as campanhas (clique sobre o nome):

Organização Bem da Madrugada

Anjos da Leste

Família do Bem

São Sebá sem frio

Aumigos

Inverno mais quentinho

Outras vaquinhas de inverno também podem ser encontradas clicando aqui.

209.png

Sobre o Vakinha

Criado em 2009 por empreendedores gaúchos, o Vakinha é o primeiro site de arrecadações online do país, inaugurando o sistema de crowdfunding, que só despontou no exterior meses depois. Ao longo de uma década se tornou líder no segmento de campanhas ligadas a solidariedade e causas sociais. Hoje ele é um diário de histórias contadas por milhares de pessoas que se juntam para salvar vidas e transformar sonhos em realidade.

Creme de Ervilha com Linguiça Blumenau

Friozinho pede caldo e pede bebidas quentes. Além de saborosas, as receitas são reconfortantes. Ajudam a espantar o frio e manter a temperatura do corpo mais agradável. Como resistir?

Para deixar o preparo dessas receitas ainda mais prático, a Predilecta apresenta receita do Creme de Ervilha com linguiça Blumenau. A Ervilha Livre Predilecta, como o nome sugere, é livre de adição de açúcar, sal e conservantes.

Creme de Ervilha com linguiça Blumenau

Ingredientes

½ xícara de chá de ervilha enlatada Livre Predilecta
1 xícara de chá de linguiça Blumenau picada
½ cebola média
1 colher de sopa de azeite de oliva
1 ½ xícara de chá de água
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo

Corte a cebola em cubos ou, se preferir, passe pela parte grossa do ralador. Reserve. Leve uma panela ao fogo médio, quando estiver quente, acrescente a linguiça picada. Vá mexendo até que fique dourada e crocante. Com um garfo, tire a linguiça e despeje-a em um prato forrado com papel toalha. Na mesma panela coloque a cebola picada e refogue, mexendo sempre, até ficar transparente. Junte a ervilha, mexa bem e coloque a 1 ½ xícara de chá de água. Tempere com sal e pimenta-do-reino e deixe cozinhar por 15 minutos, mexendo de vez em quando. Na própria panela, ou no copo do mixer, bata a sopa (com o mixer), até que fique lisa. Se preferir, deixe a sopa esfriar um pouco, transfira-a para um liquidificador e bata, segurando firmemente a tampa (o vapor a faz saltar). Volte para a panela, aqueça novamente e sirva com as rodelinhas de linguiça.

creme de ervilha e bacon.jpg

Porções: 2 pessoas
Tempo: 30 minutos
Dificuldade: Fácil

Fonte: Grupo Predilecta