Arquivo da tag: frutas

7 dicas para quem quer começar o ano se alimentando melhor

Nutricionista seleciona dicas que podem ser incluídas na rotina sem grandes complicações; confira

Ter qualidade de vida é um dos pedidos mais comuns no início de todo ano novo. Para alcançar essa meta, é preciso uma combinação de sono de qualidade, exercícios físicos regulares e manter uma alimentação saudável e equilibrada, com um cardápio variado  e rico em alimentos nutritivos. 

Escolher o que colocamos no prato é o que vai gerar efeitos positivos ou negativos na condução de nossos corpos. Algumas premissas são importantes para saber como se alimentar corretamente e conseguir chegar ao objetivo no final do próximo ano. A nutricionista parceira da MadeReal, Vitória Falcão, selecionou sete dicas para quem deseja ter um ano diferente e mais voltado à saúde. 

Shutterstock

1 – Reduzir o consumo de açúcar: entre as principais ações imediatas é a redução dos açúcares para conseguir equilibrar a alimentação. O açúcar refinado, o mais comum na dieta do brasileiro, é feito a partir da cana-de-açúcar. Ela é submetida a um processo de refinação que a torna o produto uma uma grande fonte de calorias, porém, vazias, já que o processo de refinamento, tira todos os nutrientes da cana. Existem os açúcares provenientes de frutas, que são naturais e dão o sabor adocicado desses alimentos. Eles vêm em quantidades moderadas e acompanhados de fibras, tornando-os mais nutritivos e podem e devem compor uma alimentação balanceada.

2 – Alimentos orgânicos em sua alimentação: eles viraram meta para muitos brasileiros que querem uma alimentação mais saudável e livre de agrotóxicos, que são utilizados para crescimento e conservação dos alimentos. Comprar de pequenos agricultores orgânicos é uma forma de minimizar o impacto econômico do momento, além de proteger a saúde dos efeitos negativos, e claro,  favorecer a saúde do nosso planeta  O uso de adubos químicos, fertilizantes e outros componentes podem causar reações alérgicas, respiratórias, distúrbios hormonais, neurológicos e de fertilidade. É preciso ter cuidado redobrado, ainda mais no momento atual com epidemias de doenças causadas por vírus e bactérias cada vez mais agressivos.

3 – Consuma frutas diariamente: elas são alimentos que possuem a carga de vitaminas, fibras e minerais que atendem a grande parte das necessidades do corpo humano. Por possuírem tantos benefícios em um só alimento, são grandes aliadas para uma boa alimentação diversificada e rica. Tente variar as frutas para conseguir o melhor que todas podem oferecer.

4 – Fuja das gorduras em excesso: antes de tudo é preciso entender que existem as gorduras insaturadas (presentes nos alimentos de origem vegetal, como azeites e castanhas) ou as saturadas (mais encontradas nos alimentos de origem animal, como manteiga e banha de porco) que podem fazer parte de uma alimentação saudável dentro de limites pré-estabelecidos.  O que se deve evitar a todo custo são as gorduras trans porque podem não ser digeridas por completo pelo corpo e permanecer no sangue, o que aumenta o colesterol. Ela geralmente está presente em alimentos ultraprocessados, como bolachas e salgadinhos.

5 – Hidratação: a ingestão de líquidos durante todo tempo é fundamental para o equilíbrio do corpo. Devem ser consumidos cerca de dois litros de água por dia. Mas lembre-se que chás e sucos não substituem água e devem ser contabilizados de outra maneira, pois algumas bebidas podem desidratar, o que faz com que seja necessário um cuidado melhor com a hidratação.

6 – Ingerir alimentos ricos em fibras: elas são primordiais para uma dieta balanceada e de suma importância para diversas funções do corpo. Contribuir com o correto funcionamento do intestino, promover a sensação de saciedade ou até regular os níveis de açúcares e gorduras no sangue são algumas das coisas que acontecem com a ingestão desse nutriente. Para conseguir uma boa ingestão de fibras é necessário consumir grãos integrais, frutas, legumes e verduras.

7 – Preocupação com os rótulos: pode parecer algo fora do contexto, mas a preocupação em ler os rótulos também faz parte do processo de uma boa alimentação. aprenda a ler os rótulos dos alimentos. Saber exatamente o que você come e bebe é importante quando você está de olho no seu peso. Por isso, aprender a ler os rótulos dos alimentos te dará uma ideia sobre as quantidades de calorias, teor de nutrientes e também o tamanho da porção. Entre todos esses benefícios, o mais importante é sempre se atentar a lista de ingredientes, já que essa relação irá nos contar sobre densidade nutricional, que é a qualidade do produto ingerido.

Onde encontrar produtos saudáveis?

A dica é ficar de olho no rótulo para identificar as melhores escolhas dando preferência para os produtos clean label, que preservam e melhoram as características naturais dos alimentos, com compostos extraídos da natureza, sem corantes ou espessantes artificiais, a exemplo da MadeReal, que está no mercado desde 2018, oferecendo granolas, bombs e crackers feitos da forma mais natural possível e sem o uso de ingrediente de origem animal. A marca oferece diversas opções que podem agregar positivamente à estratégia nutricional de quem deseja ter uma alimentação mais saudável no próximo ano

O shot com efeito na imunidade é composto por apenas três ingredientes: Cúrcuma, gengibre e limão. A cúrcuma é um anti-inflamatório e antioxidante natural, além de ser uma excelente fonte de ferro, manganês e de vitamina B6, fibras e potássio. Nessa bebida, o limão e o gengibre contribuem para o fortalecimento da imunidade e alcalinização do sangue. Todos os shots dessa categoria não apresentam aditivos ou conservantes.

Além das bebidas, há granolas ricas ricas em fibras, que ajudam a regular a atividade intestinal evitando a sensação de inchaço abdominal, além de ter baixos índices de gordura. Já os crackers são feitos à base de castanha-do-pará, o que pode substituir os biscoitos comuns em lanches intermediários.

Fonte: MadeReal

Conheça as frutas campeãs de hidratação e aprenda receitas com elas

A nutricionista do Oba Hortifruti, Renata Guirau, ensina o que consumir para manter o corpo hidratado e atenuar efeitos nocivos dos raios solares

O verão está chegando. Com as altas temperaturas e clima seco, a hidratação do corpo é fundamental. A nutricionista do Oba Hortifruti, Renata Guirau, ensina que, além de aumentar o consumo de água, incluir frutas ao cardápio é uma forma saudável de hidratar o organismo e também consumir antioxidantes, que podem atenuar os efeitos nocivos dos raios solares. “Devemos incluir mais as frutas como opções de refeições intermediárias ou mesmo de sobremesa, já que elas nos ajudam fornecendo nutrientes e água”.

As frutas mais suculentas, como melancia, melão, laranja, mexerica e abacaxi, são boas opções para melhorar a hidratação por conterem mais água em sua composição, orienta Renata. Já manga, mamão, romã, acerola, ameixa, uva e cereja devem ser consumidas com mais frequência, por serem fonte de betacaroteno e resveratrol, que ajudam na saúde da pele e são fotoprotetores. A lichia, fruta da estação, fonte de vitamina C e antioxidante também deve integrar o cardápio.

Renata explica que é importante consumir a maior parte das frutas in natura. Se optar pelo suco, quanto mais fresco, melhor para aproveitar os nutrientes. Uma dica: caso elas estejam passando do ponto, uma sugestão é congelar no formato de polpa para usar em vitaminas, shakes e smoothies.

A nutricionista ensina quatro receitas para se refrescar (e se hidratar) nos dias quentes do verão.

Smoothie de ameixa

Ingredientes:
200ml de água de coco
3 ameixas picadas com casca
½ xícara de chá de amoras congeladas
1 maçã cortada em cubos
Suco de 1 limão

Modo de preparo:
Bata tudo no liquidificador ou mixer e sirva em seguida, sem coar. Se desejar, pode bater com gelo ou usar ameixas congeladas.

Smoothie de romã com gengibre

Ingredientes:
½ xícara de chá de morangos congelados
Sementes de 1 romã
1 xícara de chá de água de coco gelada
1 colher de café de gengibre ralado

Modo preparo:
Bata tudo no liquidificador ou no mixer e sirva em seguida.

Chá verde com frutas e gengibre

Ingredientes:
3 xícaras de chá de água
3 colheres de sopa de folhas de chá verde
1 pedaço grande de gengibre (3cm)
Suco de 1 limão
Suco de 1 laranja
Modo de preparo:
Aqueça a água com o gengibre picado. Deixe cozinhando por cerca de 5 minutos após levantar fervura. Desligue o fogo e espere cerca de mais 5 minutos. Então, acrescente as folhas de chá verde, o suco de limão e o suco de laranja. Tampe e deixe descansar por 10 minutos. Coe e sirva em seguida.

Sorbet de iogurte com frutas

Ingredientes:
1 banana bem madura congelada
1 xícara de chá de frutas vermelhas congeladas — picadas e sem semente (morango, cereja, amora, framboesa)
1 pote de 170g de iogurte natural sem soro
Castanhas trituradas para decorar

Modo de preparo:
Bata tudo no processador, exceto as castanhas. Coloque em taças e decore com as castanhas. Sirva imediatamente.

Suco de acerola com abacaxi e hortelã

Ingredientes:
2 xícaras de chá de abacaxi picado
1 xícara de chá de acerolas
Suco de 1 limão
1 colher de sopa de hortelã picada
1 xícara de chá de água
Açúcar ou adoçante a gosto

Modo de preparo:
Bata tudo no liquidificador, coe e adoce a gosto. Sirva gelado.

Fonte: Oba Hortifruti

Pesquisas indicam o aumento exponencial de pessoas que deixam de consumir carne animal

Levantamento mais recente do Ibope aponta um crescimento de 75% dos brasileiros que se declaram vegetarianos, em relação a estudos anteriores

A Sociedade Vegetariana Brasileira, entidade fundada em 2003, e criadora do Selo Vegano, programa que concede certificação confiável a produtos de diversos ramos, celebra o Dia Mundial do Veganismo, comemorado hoje, 1º de novembro, destacando o avanço do movimento pelo não consumo de carnes e produtos de origem animal, apontando o aumento progressivo de brasileiros que têm aderido a esse estilo de vida.

Respeito pela vida animal, conscientização ambiental e busca por uma alimentação saudável e livre de riscos são os principais argumentos que pautam a existência do movimento vegano, que tem adquirido cada vez mais adeptos, inclusive provocando um impacto socioeconômico positivo, com o surgimento de novos mercados especializados, que atendam esse público desde a alimentação até a vestimenta, passando por produtos cosméticos, de higiene, farmacêuticos e diversos itens produzidos sem nada de origem animal.

Um estudo da Allied Market Research aponta que o mercado vegano foi avaliado em US$ 19,7 bilhões em 2020, apresentando expectativa de crescimento para mais de US$ 36,3 bilhões até 2030. Um levantamento encomendado pela CNN Brasil ao Ministério da Economia aponta que nos últimos 10 anos aumentou em 500% o número de empresas abertas com o termo “vegano” no nome.

“Entendemos que a conscientização e a decisão por deixar de consumir produtos de origem animal é um processo lento, que enfrenta fatores culturais, hábitos e conceitos arraigados, e essa mudança acontece aos poucos. Mas, percebemos que muitas pessoas têm diminuído o consumo de carne e já fazem questão de adquirir produtos que não tenham sido testados em animais”, diz Ricardo Laurino, presidente da da SVB.

Segundo levantamento da Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec) em 2021, 46% dos brasileiros já deixam de comer carne por vontade própria pelo menos uma vez por semana. O estudo mais recente sobre o tema, realizado pelo IBOPE Inteligência em 2018, revela que 14% dos brasileiros se declaram vegetarianos. Esse número representa um aumento de 75% em relação ao mesmo levantamento feito em 2012.

Em questões como saúde e meio ambiente, estudos científicos comprovam os riscos do consumo de carne e a relação deste hábito com casos de câncer e problemas cardiovasculares. Da mesma forma, estudos internacionais revelam que a produção de carne e laticínios é responsável por 60% das emissões de gases do efeito estufa da agropecuária.

“Hoje, o veganismo por meio de uma nova relação com os animais impacta em outras questões importantes da nossa vida”, conclui Laurino.

Pesquisas indicam o aumento exponencial de pessoas que deixam de consumir carne animal

Levantamento mais recente do Ibope aponta um crescimento de 75% dos brasileiros que se declaram vegetarianos, em relação a estudos anteriores

A Sociedade Vegetariana Brasileira, entidade fundada em 2003, e criadora do Selo Vegano, programa que concede certificação confiável a produtos de diversos ramos, celebra o Dia Mundial do Veganismo, em 1 de novembro, destacando o avanço do movimento pelo não consumo de carnes e produtos de origem animal, apontando o aumento progressivo de brasileiros que têm aderido a esse estilo de vida.

Respeito pela vida animal, conscientização ambiental e busca por uma alimentação saudável e livre de riscos são os principais argumentos que pautam a existência do movimento vegano, que tem adquirido cada vez mais adeptos, inclusive provocando um impacto socioeconômico positivo, com o surgimento de novos mercados especializados, que atendam esse público desde a alimentação até a vestimenta, passando por produtos cosméticos, de higiene, farmacêuticos e diversos itens produzidos sem nada de origem animal.

Um estudo da Allied Market Research aponta que o mercado vegano foi avaliado em US$ 19,7 bilhões em 2020, apresentando expectativa de crescimento para mais de US$ 36,3 bilhões até 2030. Um levantamento encomendado pela CNN Brasil ao Ministério da Economia aponta que nos últimos 10 anos aumentou em 500% o número de empresas abertas com o termo “vegano” no nome.

“Entendemos que a conscientização e a decisão por deixar de consumir produtos de origem animal é um processo lento, que enfrenta fatores culturais, hábitos e conceitos arraigados, e essa mudança acontece aos poucos. Mas, percebemos que muitas pessoas têm diminuído o consumo de carne e já fazem questão de adquirir produtos que não tenham sido testados em animais”, diz Ricardo Laurino, presidente da da SVB.

Segundo levantamento da Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec) em 2021, 46% dos brasileiros já deixam de comer carne por vontade própria pelo menos uma vez por semana. O estudo mais recente sobre o tema, realizado pelo IBOPE Inteligência em 2018, revela que 14% dos brasileiros se declaram vegetarianos. Esse número representa um aumento de 75% em relação ao mesmo levantamento feito em 2012.

Em questões como saúde e meio ambiente, estudos científicos comprovam os riscos do consumo de carne e a relação deste hábito com casos de câncer e problemas cardiovasculares. Da mesma forma, estudos internacionais revelam que a produção de carne e laticínios é responsável por 60% das emissões de gases do efeito estufa da agropecuária.

“Hoje, o veganismo por meio de uma nova relação com os animais impacta em outras questões importantes da nossa vida”, conclui Laurino.

Fonte: SVB

Dicas de como conservar frutas, legumes e verduras + receitas deliciosas

Aprenda também como fazer Penne com Brócolis e Bolo Gelado com Flocos de Biscoito e Morango

Consumir frutas, verduras e legumes é fundamental para o bom funcionamento do organismo. Além de selecionar esses alimentos com cautela durante as compras, é preciso armazená-los corretamente em casa para evitar o desperdício. A Adria, marca de massas, biscoitos e torradas da M. Dias Branco, traz dicas que vão ajudar a mantê-los fresquinhos e saborosos por mais tempo.

Frutas: por serem perecíveis, as frutas precisam de alguns cuidados especiais no armazenamento. Recomenda-se deixá-las em temperatura ambiente, caso ainda estejam maduras. Depois desse período, é preferível guardá-las na geladeira descascadas ou cortadas em um pote, de preferência de vidro ou plástico. Congelar as frutas descascadas e guardar em sacos plásticos, sem o caroço, também é uma boa opção.

Verduras e legumes: após lavar, separe-os em potes, preferencialmente de vidro ou plástico, e guarde-os na geladeira. É importante que as verduras e legumes estejam secos. No caso de hortaliças folhosas, procure envolvê-las em um papel toalha na hora de guardar para auxiliar na absorção da água.

Agora, que tal aprender receitas irresistíveis que utilizam frutas e legumes no preparo? Adria acredita que a vida acontece nos detalhes. Então, convide toda a família para degustar um delicioso Penne com Brócolis e, de sobremesa, o Bolo Gelado com Flocos de Biscoito e Morango.

Confira o modo de preparo das receitas abaixo:

Penne com Brócolis, Tomatinhos, Queijo Minas e Manjericão

Ingredientes:
6 colheres (sopa) de azeite
5 dentes de alho em lâminas
1 cebola pequena picada
400 g de brócolis cozido no vapor, separados em buquês
sal e pimenta-do-reino preta moída na hora, a gosto
300 g de tomate-cereja cortados ao meio
300 g de queijo Minas light cortado em cubinhos

Massa
1 embalagem de Adria Grano Duro Penne
1 colher (sopa) de sal

Para finalizar
1 xícara (chá) de folhas de manjericão

Modo de preparo:
Em uma frigideira, aqueça o azeite e doure o alho. Junte a cebola e os brócolis e refogue. Tempere com o sal, a pimenta e acrescente os tomatinhos, o queijo e mexa delicadamente. Desligue o fogo, tampe e reserve. Em uma panela grande, ferva 5 litros de água com o sal. Cozinhe a massa durante o tempo indicado na embalagem ou até que esteja “al dente”, ou seja, macia, porém resistente à mordida. Escorra imediatamente, junte ao refogado, finalize com o manjericão e sirva em seguida.

Rendimento: 8 porções
Tempo de preparo: 40 minutos

Bolo Gelado com Flocos de Biscoito e Morango

Ingredientes:
1 pacote de Biscoito Maisena Adria
500g de chocolate ao leite, picado
1 lata de creme de leite
1 colher (sobremesa) de margarina

Mousse de ricota:
500g de ricota, amassada
2 xícaras (chá) de leite
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
1 colher (chá) de essência de baunilha
1 envelope de gelatina incolor sem sabor

Calda de Morango:
250g de morangos, picados
10 colheres (sopa) de açúcar

Para decorar:
1 pacote de Biscoito Tortinhas Chocolate Adria

Modo de preparo:
Comece preparando a massa. Derreta o chocolate no micro-ondas ou em banho-maria, acrescente o creme de leite e mexa delicadamente. Junte o biscoito maizena picado grosseiramente e envolva bem com o creme de chocolate. Unte com margarina uma forma desmontável (25cm de diâmetro), acomode a massa e reserve. Prepare a calda de morango. Em uma panela pequena, junte os morangos, o açúcar e leve ao fogo baixo até os morangos ficarem macios. Reserve. Prepare o mousse de ricota. Dissolva a gelatina sem sabor em 5 colheres (sopa) de água fria, leve ao banho-maria ou micro-ondas e deixe aquecer sem ferver.
Bata no liquidificador a ricota, o leite, o leite condensado, o creme de leite, a essência de baunilha e despeje o mousse de ricota sobre a massa. Leve à geladeira por 3 horas.
Retire a torta da geladeira, desinforme, decore por cima com a calda de morango e as laterais com biscoito recheado. Sirva a seguir.

Rendimento: 15 porções
Tempo de Preparo: 30 minutos

Fonte: Adria

Quais são os alimentos típicos da primavera e os benefícios de consumi-los durante o período?

Respeitar a sazonalidade da natureza pode trazer mais economia e frutas, legumes e verduras mais frescos à sua mesa

Na hora de comprar frutas, legumes e verduras para consumir em casa, existem alguns fatores que devem ser levados em consideração, são eles: preço, se estão frescos, orgânicos ou não e que além de não conter agrotóxicos, também priorizam a sazonalidade dos produtos, e a escolha de alimentos mais frescos fazem toda a diferença.

Segundo o próprio Guia Alimentar para a População Brasileira, feito pelo Ministério da Saúde, o consumo de alimentos regionais, oriundos da agricultura familiar, que respeitam a natureza e técnicas agrícolas naturais são infalíveis para melhorar a saúde. Por esse motivo, com a entrada da primavera, que teve início no último dia 22, nada melhor que aproveitar as frutas, legumes e verduras da estação. E você sabe quais são eles? Veja a seguir algumas dicas:

Principais vantagens de escolher esses produtos

Antes de saber quais são, é preciso entender os motivos que determinado produto pode oferecer na ocasião.. Além de gerar economia para o bolso, as frutas da estação saem do pé na hora certa e chegam ao consumidor mais fresco e saboroso. Para escolher as frutas da safra, a Raízs, foodtech que conecta pequenos produtores de orgânicos com consumidores das cidades, é pioneira, e possui um supermercado online com diversas opções de frutas da época, desde as mais comuns, até algumas que não estão sempre disponíveis nos supermercados, sacolões e hortifrutis, sempre respeitando a sazonalidade e o tempo da natureza.

Além disso, a foodtech comercializa produtos orgânicos 25% mais baratos que os habituais, isso porque elimina intermediários da cadeia e faz uma ligação direta entre produção e cliente.

Quais são os produtos da época?

De acordo com o Organis – Associação de Promoção dos Orgânicos, na primavera, a safra de frutas é marcada pela alta da acidez, com a presença do kiwi, maracujá, abacaxi, e outras como mamão, morango, manga, e pêssego. Já com relação às verduras da época, é neste período que o almeirão, o brócolis e o espinafre aparecem em abundância, e no caso dos legumes, são eles os mais comuns: abobrinha, alcachofra, berinjela, beterraba, ervilha, tomate e cenoura.

É a hora certa de aproveitar as cores e sabores da estação. Todos esses produtos estão disponíveis no site da Raízs, que entrega na Capital Paulista, Campinas e Região, Grande ABC e Litoral, acesse o link e veja as opções.

Fonte: Raízs

Nutricionista ensina quais alimentos vão dentro e fora da geladeira

Acompanhe dicas sobre o armazenamento de produtos e descubra o porque esses hábitos devem ser seguidos com atenção

Na rotina da casa, mesmo achando que sabemos fazer as tarefas, podemos ser surpreendidos e descobrir que temos alguns hábitos incorretos, como guardar o café e o açúcar na geladeira, por exemplo.

Muitos alimentos são refrigerados para melhor conservação de suas características. Em geral, aqueles que, em temperatura ambiente tem maior proliferação de bactérias, e que são muito perecíveis, como leites e derivados, carnes e ovos, devem sempre ser mantidos sob refrigeração. Já verduras, frutas e legumes vão depender das suas características individuais. Alguns hortifrutis como cebola, alho, banana, melão e maçãs, por exemplo, não precisam ser deixados sob baixa temperatura. O mesmo vale para mel, açúcar, café e pães.

Segundo a coordenadora de nutrição e dietética do São Cristóvão Saúde, Cintya Bassi, quando colocamos a fruta na geladeira, o processo de maturação desacelera. “Por exemplo, uma manga ou um pêssego devem ser mantidos apenas em local fresco e arejado. Porém, se já estiverem maduros e a intenção é guardar por mais alguns dias, podem ser levados para a geladeira para durarem um pouco mais. Cada caso deve ser analisado, porque nem todos são beneficiados pela conservação na geladeira. A cebola é um exemplo, pois ela pode ficar mais úmida e perder a crocância”.

Assim como há alguns alimentos que não devemos guardar na geladeira, há outros que não devem ser congelados, pois podem ficar murchos e sem sabor. Segundo a especialista, o processo de congelamento retira o calor do alimento e isola a água contida nele em forma de cristais de gelo, diminuindo o desenvolvimento dos microrganismos.

“Apesar disso, alguns alimentos não devem ser congelados, como o repolho, a escarola, o agrião e a alface, porque eles já têm uma composição muito grande de água e, ao reverter o processo de descongelamento, teremos um alimento murcho e sem sabor. Ovos cozidos ou omeletes também não devem ser congelados, pois a textura será modificada e ficarão borrachudos. Queijos podem talhar e ficar rançosos e iogurtes possuem estabilizante para prevenir a perda de água, por isso, também não devem ser congelados, já que alteraria sua textura natural”, explicou a nutricionista.

Para quem quer congelar um alimento já temperado, a dica é reduzir a quantidade de tempero, pois o processo pode acentuar o sabor e reduzir o tempo de cozimento para que, ao serem reaquecidos, fiquem no ponto certo. Alimentos prontos como carnes fritas e macarrão não devem ser congelados, pois a umidade faz com que percam a textura e fiquem amolecidos.

Para finalizar, Cintya dá dicas que servem como regra para todos os alimentos na hora de congelar, como:
-Os recipientes e os alimentos devem estar higienizados e secos;
-Deve-se respeitar o tempo de cozimento e resfriamento do alimento;
-Alimentos cozidos não devem ser congelados enquanto estiverem quentes, pois aumenta a concentração de água;
-Sele o alimento a vácuo ou em sacos com fechamento hermético, que diminui a exposição do alimento ao ambiente frio e seco;
-O descongelamento deve ser feito passando o alimento para a geladeira, em vez de simplesmente deixar em temperatura ambiente.

Fonte: Grupo São Cristóvão Saúde

Você sabe o que são flavonoides e por que eles são importantes?

Verduras, legumes, frutas, temperos e até o chocolate amargo contam com flavonoides, compostos químicos altamente antioxidantes que só trazem benefício ao cérebro e ao coração

O que mirtilos, espinafre e chocolate amargo têm em comum? Eles são todos ricos em flavonoides, compostos químicos encontrados nas plantas que lhes dão cor – e poderes medicinais. “Pesquisas mostram que os flavonoides fornecem uma ampla gama de benefícios à saúde, desde sua alta capacidade antioxidante para ajudar a prevenir e combater o câncer e reduzir o risco de doenças cardíacas até preservar a função cerebral. Eles também são apontados como uma estratégia para combater rugas”, explica a médica nutróloga Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran). “A principal razão pela qual os flavonoides são bons para nossa saúde é que eles têm efeitos anti-inflamatórios e são antioxidantes”, esclarece.

Os antioxidantes ajudam a combater a inflamação e o envelhecimento celular, segundo Marcella. “Os flavonoides também têm propriedades que podem ajudar a prevenir a formação de coágulos sanguíneos. Um estudo publicado no ano passado na revista Hypertension, da American Heart Association, sugere que flavonoides em alimentos como frutas vermelhas, vinho tinto, maçãs e peras podem influenciar as bactérias intestinais de uma forma que reduz a pressão arterial”, explica.

Por causa disso, os flavonoides desempenham um papel central nas dietas mediterrânea (baseada no consumo de alimentos frescos e naturais como azeite, frutas, legumes, cereais, leite e queijo, e excluindo ou evitando produtos industrializados como salsicha e comida congelada), DASH (que tem como plano principal diminuir a pressão arterial) e MIND (mescla da dieta mediterrânea e DASH), os padrões alimentares mais recomendados pelos especialistas em saúde do coração e do cérebro. “Embora existam algumas diferenças, as três dietas colocam um foco pesado em frutas, vegetais, nozes e feijões ricos em flavonoides”, explica a Dra. Marcella.

No Brasil, a maioria das pessoas não consome flavonoides suficientes, principalmente porque não comem a quantidade diária recomendada de frutas e vegetais. É recomendado que os adultos comam de 1,5 a 2 xícaras de frutas por dia e de 3 a 4 xícaras de vegetais. “Mas, no padrão alimentar ocidental apenas 1 em cada 10 adultos come tantos vegetais e apenas 1 em 8 come uma quantidade suficiente de frutas”, conta a Dra. Marcella.

A boa notícia é que os flavonoides são encontrados em uma variedade tão ampla de frutas, vegetais e outros alimentos que não deve ser difícil encaixá-los em sua dieta. “Eles são encontrados em cerejas, maçãs, uvas, alho-poró e vegetais verdes folhosos, como espinafre, alface romana e couve, além de temperos e especiarias como cúrcuma, páprica, cominho, tomilho, salsa e orégano. Se você come alho e cebola, também vai encontrá-los lá. A soja também conta com esses compostos”, explica a médica.

O ideal, enfatiza a médica nutróloga, é comer uma ampla variedade de alimentos ricos em flavonoides para obter o maior valor nutrológico proveniente deles. “O objetivo é comer uma variedade de frutas e vegetais de cores diferentes. Comer um arco-íris”, exemplifica. “Se você não está acostumado a comê-los, pode incluí-los em sua dieta lentamente, para adequar o paladar. Coma mais um pedaço de fruta por dia; coloque mais um vegetal no seu prato na hora do jantar. Tentar reformular toda a sua dieta pode ser difícil, então comece fazendo pequenas mudanças.”

Comer alimentos frescos e integrais é a melhor maneira de obter os flavonoides de forma como o organismo precisa, mas não é a única maneira. “Se as frutas frescas não estiverem disponíveis, as misturas de frutas congeladas são uma boa alternativa. Frutas e vegetais que são congelados rapidamente retêm altos níveis de nutrientes, armazenam facilmente e podem adicionar variedade ao prato mesmo fora de época. Lembre-se de descongelar lentamente, na geladeira”, explica a médica.

Você também pode beber flavonoides. Bebidas como vinho tinto e chá, especialmente chá preto ou verde, são boas fontes. “Frutas e vegetais também podem ser espremidos em sucos ou smoothies, mas o suco não é o ideal porque remove muita fibra benéfica”, explica a médica. “No entanto, se essa é a única maneira de colocá-los em sua dieta, então faça isso”.

Pixabay

Para os amantes do chocolate, uma boa notícia: ele é, talvez, a forma mais palatável de incluir flavonoides na rotina. “Mas o chocolate amargo, por conter maior quantidade de cacau, é o que concentra mais flavonoides”, comenta a médica. “Há muitos alimentos que você pode escolher, então coma os que você gosta. E não tenha medo de experimentar novos. Qualquer pessoa que já siga as dietas mediterrânea, DASH ou MIND – ou qualquer dieta baseada em vegetais de alta qualidade – não deve se preocupar. O objetivo é consumir um padrão alimentar saudável. E se estivermos fazendo isso, estaremos consumindo flavonoides suficientes”, finaliza a médica nutróloga.

Fonte: Marcella Garcez é médica nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo. Membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética e da Sociedade Brasileira para o Estudo do Envelhecimento. Instagram: @dra.marcellagarcez

Karuna lança e-commerce de kombucha com receita milenar sem açúcar

Novidade para quem já é amante de kombucha e pra quem quer entrar no hype das bebidas fermentadas não alcoólicas

A ideia da criação da marca começou ainda em 2018, quando Luan, fundador e CEO da Karuna, conheceu a bebida em uma das lindas praias de Santa Catarina. Gostou tanto do sabor e da proposta que virou consumidor assíduo até lançar oficialmente a própria kombucha, em março de 2020. A Karuna, que significa amor e compaixão em sânscrito, está presente em mais de 300 pontos de venda espalhados pelo Brasil, com foco em São Paulo e região.

“Como sempre gostei de me alimentar de forma saudável, foi amor à primeira vista. Quando experimentei, eu me apaixonei, principalmente pelos benefícios que ela traz e a sensação de refrescância e bem-estar”, diz Luan.

Conforme a Associação Brasileira de Kombucha, há registros sobre a existência da bebida há mais de 2 mil anos. Produzida a partir de chá preto ou verde, ela tem adição de açúcar e do scoby para que ocorra o processo de fermentação. O açúcar adicionado, inclusive das frutas, é consumido pelos organismos vivos do scoby, que geram os componentes que dão característica à bebida: gás carbônico, ácido acético, ácido lático, ácido glucônico, álcool (menos de 0,5% não sendo considerada alcoólica), vitaminas e enzimas. O resultado é uma bebida super saudável e extremamente refrescante.

Entre os benefícios da Karuna, que é fonte de probióticos, estão a melhora da imunidade, a regulação da flora intestinal, o auxílio no processo de emagrecimento e seu poder antioxidante e anti-inflamatório. Os quatro sabores da marca foram desenvolvidos pensando nas necessidades de cada momento do dia a dia das pessoas. A base é sempre o chá verde, e os ingredientes usados são livres de agrotóxicos.

Conheça os sabores da Karuna e suas indicações:

Todas têm o chá verde como base e possuem apenas o residual do açúcar:
Kaya: feita com mate, limão e gengibre, tem poder termogênico que auxilia na queima de gordura e desintoxicação do organismo. É recomendada para momentos em que a pessoa quer se recuperar de dias mais intensos de bebida e comida, para aquele detox poderoso.
Prana: feita com mate e guaraná, ajuda no foco para o trabalho ou atividade física. A maior concentração de cafeína traz a energia necessária para esses momentos.
Nandi: com amora e jabuticaba, é rica em antioxidantes. Traz a força e o auxílio para aumentar a imunidade do corpo.
Shanti: feita com maracujá, ótima para relaxar e proporcionar mais tranquilidade no dia a dia corrido.

Novidades

Para os próximos meses, a Karuna planeja lançar o Kit Faça VC Mesmo que permitirá com que qualquer pessoa possa ter a experiência de produzir sua própria kombucha em casa. O kit contempla um pote de vidro, a quantidade de chá necessária para a primeira produção artesanal, o scoby – a cultura de bactérias e leveduras fundamental para o processo – e as instruções para a preparação.

Inicialmente, a novidade estará disponível apenas para os moradores da capital paulista, que também terão a possibilidade de comprar os quatro sabores da Karuna Kombucha através das lojas parceiras e do seu e-commerce.

Além do lançamento do kit, as entregas também serão expandidas para todo Brasil até o final de 2022 – a qualidade é garantida porque um dos diferenciais da Karuna é não necessitar de refrigeração no transporte e na armazenagem.

“Com pesquisa e uso de tecnologia, conseguimos criar uma linha de kombucha feita a partir da verdadeira receita autêntica e milenar, que após o processo de fermentação, sobra apenas o residual do açúcar, deixando a bebida ainda mais saudável, e estável fora da refrigeração. ”, comenta o CEO e fundador da Karuna, Luan Paris.

Como comprar:
Lojistas: pelo marketplace da Preserve

Consumidores: pelo e-commerce

Sucos funcionais: conheça os benefícios de misturar frutas e verduras para fortalecer a saúde

Bebidas naturais podem ser incorporados na rotina alimentar para equilibrar a alimentação, sendo um substituto ao refrigerante

As bebidas funcionais são marcantes no cardápio de quem mantém uma alimentação equilibrada em prol da saúde. Isso acontece porque ao misturar as propriedades de diferentes alimentos como frutas, verduras e hortaliças o nosso organismo recebe um grande aporte de vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes essenciais para o seu bom funcionamento.

Inclusive a bebida é uma opção para quem deseja substituir ou diminuir o consumo de refrigerantes. A mistura de laranja, maracujá e couve, por exemplo, auxilia na eliminação de toxinas acumuladas no organismo. Já as bebidas com água de coco em sua composição ajudam a repor sais minerais contribuindo para o funcionamento do intestino e no combate ao colesterol ruim.

Abaixo, você confere os benefícios de alguns de mais alguns sucos funcionais. A sugestão é do Quitanda, mercado de produtos frescos localizado na rua Mateus Grou, em Pinheiros, que trabalha com diversos sabores diariamente. As bebidas, frescas e autorais, são sucesso no estabelecimento. Confira abaixo:

Maracujá, manga e laranja
Além de refrescante, ajuda a acalmar, hidratar e fortalecer a imunidade. A base da bebida que é o maracujá é rico em minerais como o potássio e magnésio, além de ter boas quantidades de fibras que promovem o controle dos níveis de glicose no sangue. Já a manga e a laranja ajudam a fortalecer o sistema imunológico.

Açaí com banana
O açaí contribui para o fortalecimento do sistema imunológico por ter boas doses de vitamina C, vitamina E, o ômega-9 e as antocianinas. Já a banana é um alimento rico em vitaminas do complexo B, como B1, B2, B6 e B12 que auxiliam diretamente no sistema nervoso. A presença de ferro estimula a produção de hemoglobina, sendo indicada para o combate de anemia.

Pitaya, banana e morango
Também conhecida como fruta do dragão, a pitaya atua na prevenção de doenças crônicas, como diabetes e câncer, além de combater o envelhecimento precoce e auxiliar no funcionamento correto do intestino. Já o morango reforça a imunidade e contribui para a eliminação de toxinas, enquanto a banana fortalece os músculos e evita problemas como as cãibras.

Melancia
A fruta ajuda a desintoxicar o organismo após o consumo exagerado de guloseimas, petiscos e drinks que costumam trazer a sensação de estufamento quando passamos da conta. A melancia possui até 94% de água em uma porção de 100 gramas. Além de saboroso, o suco é excelente para limpar os rins, proteger o coração e desintoxicar o organismo.

Capim Santo, Pitaya, Abacaxi e Gengibre
O capim santo é muito usado para tratar gripes, além de ajudar a diminuir o colesterol ruim, controlar a pressão arterial e auxiliar no tratamento de problemas digestivos. Enquanto isso, o abacaxi apresenta propriedades anti-inflamatórias, boas doses de vitamina C, água e fibras que estimulam o funcionamento do organismo. Já o gengibre protagoniza muitas ações benéficas, como o fortalecimento do sistema imunológico. A raiz também apresenta ação anti-inflamatória que melhora os sintomas de artrite, dores musculares e doenças respiratórias, como asma e bronquite.

Fonte: Quitanda

Outono: conheça as frutas, verduras e legumes da estação

A estação, que é marcada por climas amenos e noites mais frias, traz diversas frutas para compor a alimentação; confira

É preciso ter atenção especial com a alimentação durante todo o ano, mas em algumas épocas, como outono, o organismo precisa de nutrientes diferenciados e alimentos que reforcem o sistema imunológico contra gripes e resfriados por conta das temperaturas mais baixas desta estação que é marcada por climas amenos e noites mais frias.

Para começar, a dica é eliminar a dieta monocromática e dar mais cor ao cardápio, incluindo frutas, verduras, legumes e evitando alimentos gordurosos, açucarados e ultraprocessados. Alimentos ultraprocessados, em sua maioria, apresentam muitos aditivos artificiais e uma quantidade muito alta de sódio que pode comprometer a saúde com o tempo.

O Quitanda, mercado de produtos frescos localizado na rua Mateus Grou, em Pinheiros, selecionou alguns alimentos para você incluir na sua compra semanal. O estabelecimento trabalha com um vasto hortifruti, incluindo uma área dedicada aos orgânicos. O cliente ainda encontra uma grande variedade de carnes, peixes, temperos gourmet, produtos de mercearia, veganos, pães, e itens de marca própria, como geleias, molhos, sucos e refeições congeladas.

Confira a seleção e veja o que incluir na sua compra semanal:

Abacate: a fruta é repleta de nutrientes, além de ter fibras, potássio, magnésio e vitaminas do complexo B, K e C, ideias para o bom funcionamento do organismo. O abacate também apresenta um aminoácido chamado triptofano que ajuda na produção de serotonina, responsável pela sensação de bem-estar no corpo.

Laranja: a fruta é rica em vitamina C, cálcio, fósforo e ferro que vai melhorar a imunidade. Os antioxidantes presentes ajudam a diminuir o colesterol, além de bloquear células cancerígenas. As fibras presentes também auxiliam na diminuição de problemas intestinais.

Foto: Ceeline/Pixabay

Caqui: é uma fruta excelente com doses de vitamina A, C e fibras. O caqui também sais minerais como cálcio, ferro e fósforo, magnésio, manganês e zinco. Em se tratando de saúde, ele é benéfico para a prevenção de doenças cardíacas, controle da pressão arterial, melhora o funcionamento do intestino e da imunidade.

Banana: muito comum em todo o Brasil, a fruta é um alimento rico em vitaminas do complexo B, como B1, B2, B6 e B12 que auxiliam diretamente no sistema nervoso. A presença de ferro estimula a produção de hemoglobina, sendo indicada para o combate de anemia.

Maçã: famosa por diminuir o índice glicêmico, a fruta é rica em fibras solúveis que eliminam impurezas pelo intestino. A florizina, substância encontrada na maçã, protege o fígado contra a ação dos radicais livres, incentivando que ele elimine toxinas e excesso de gordura.

Maracujá: protagonista em receitas como mousses, bolos, molhos, geleias, vinagretes e até farofas, o maracujá é repleto de nutrientes essenciais para a manutenção do organismo, como vitaminas do complexo B, cálcio, ferro, fósforo, sódio e potássio. A fruta também é conhecida por ter efeito calmante graças à ação de flavonoides e alcaloides que atuam no sistema nervoso central agindo como tranquilizantes, analgésicos e relaxantes musculares, o que também contribui para o combater a depressão, ansiedade e distúrbios do sono.

Inhame: o tubérculo tão popular em carboidratos de baixo índice glicêmico e fibras solúveis é uma excelente fonte de vitaminas do complexo B, como vitamina B6, vitamina B1, riboflavina, ácido fólico e niacina. Ele também apresenta potássio, ferro, cálcio, fósforo, magnésio e cobre que são minerais importantes para o organismo.

Gengibre: ingrediente sempre presente em chás e sucos, a especiaria ajuda a acelerar o metabolismo. Suas propriedades anti-inflamatórias e digestivas, melhoram a limpeza do intestino e a digestão de gorduras, o que facilita o trabalho do fígado.

Foto: Clara Sander/Pixabay

Espinafre: as folhas apresentam boas doses de ferro, cálcio, fósforo, potássio, magnésio, fibras, proteínas, carboidratos, além de vitaminas A, K e B2. O consumo regular contribui para a saúde dos olhos e pode prevenir doenças cardiovasculares. Para a absorção de todos os minerais, é recomendado ingerir a hortaliça com alimentos ricos em vitamina C, tais como laranja, abacaxi ou acerola.

Agrião: de sabor marcante, o agrião é rico em cálcio, ferro, potássio e vitaminas A e C. A vitamina C, aliás, atua na prevenção e combate de problemas respiratórios, resfriados e gripes graças a sua ação expectorante e descongestionante. O alimento pode ser consumido como salada e também usado como complemento em carnes refogadas, sopas e caldos.

Pepino: não é somente bom pele, ele é rico em vitamina C, B5, potássio, magnésio, folato, fibras e antioxidantes. Composto de 90% de água, o vegetal apresenta 24% de proteína que podem beneficiar os músculos.

Além desses dos alimentos acima, compõem a estação: abóbora, abobrinha brasileira, ameixa estrangeira, atemoia, batata-doce, berinjela, limão, caqui, cará, carambola, cebola, chuchu, cupuaçu, ervilha-torta, figo, graviola, jiló, kiwi, lima-da-pérsia, louro, mamão, mandioca, mandioquinha, mexerica, milho, pera, pinhão, pitaya, rabanete, salsa, tangerina, tomate e uva.

Fonte: Quitanda