Arquivo da tag: harmonização

Vie Rose e Emiliana Organic promovem jantar com vinhos sustentáveis e biodinâmicos

Chef Álvaro Alencar assina o menu do restaurante de inspiração mediterrânea, novidade em Pinheiros, e que trabalha com horta orgânica

Nem todo vinho é vegano, nem todo vinho orgânico é vegano ou biodinâmico. Essas e outras curiosidades serão tema de aula-jantar que o restaurante Vie Rose promove, nesta terça (8), às 20 horas, em Pinheiros, em parceria com a Emiliana Organic, empresa chilena considerada hoje a maior vinícola orgânica do mundo.

vinicolas_credito divulgacao.jpg

O jantar harmonizado em seis etapas é assinado pelo chef Álvaro Alencar (ex-Maní, Manioca e A Figueira Rubayat) e custa R$ 260,00 por pessoa, já incluindo os vinhos e bebidas não-alcoólicas.

Na cozinha do Vie Rose, recém-inaugurado em Pinheiros, inspirações numa culinária mediterrânea, simples, fresca e versátil. A restauratrice Leticia Lopes têm a preocupação de trabalhar com pequenos produtores rurais e produtos agroecológicos. Ela fechou parceria com a Fazu Rede de Fazendas Urbanas, que promove um trabalho de produção de hortaliças orgânicas em São Paulo.

Alface, alface roxa, rúcula e agrião são todos hidropônicos, não levam agrotóxicos ou outros produtos químicos e são plantados e colhidos diretamente da horta do restaurante, às vistas do cliente. Total sintonia com a proposta da Emiliana e sua linha de vinhos orgânicos e biodinâmicos.

Para começar o jantar, o Vie Rose sugere: Dadinho de Tapioca com Queijo Serra da Canastra e Geleia de Pimenta, Pastel de Abóbora com Especiarias Servido com Geleia de Pimenta, Queijo Coalho Grelhado com Mel Trufado e Tartare de Beterraba (beterraba defumada com sour cream vegano, feito com leite de castanha, óleo de canola e limão). As entradinhas harmonizam com o Adobe Rosé, lançamento da vinícola Emiliana. O vinho é orgânico, ou seja, as videiras são cultivadas com adubos e fertilizantes naturais, preservando o fruto da forma mais pura.

Na sequência, será servida a Salada Tropical com Queijo (folhas verdes colhidas da horta do Vie Rose, acompanhadas de frutas da estação, gorgonzola, nozes e emulsão de mostarda e mel). Para harmonizar, o vinho branco orgânico e biodinâmico Novas Chardonnay, feito com uvas Chardonnay, cultivadas em solo franco-argiloso. Um rótulo que reproduz fielmente seu terroir. Como pratos principais, o Risoto de Cogumelos finalizado com azeite trufado (prato que pode vir na versão vegana) e que combina com o tinto orgânico e biodinâmico Coyam (que, em dialeto mapuche, significa carvalho chileno, fazendo referência às majestosas árvores frondosas dos vinhedos de Los Robles).

www.tbfoto.com.brVIE ROSE - SP/SP - 28/05/2019
Foto: Tadeu Brun
Foto: Tadeu Brunelli

O segundo prato será Filé Mignon com Molho Rôti e Gratin de Mandioquinha, acompanhado do vinho tinto Gê, composto pelas uvas Syrah, Carmenère e Cabernet Sauvignon. O rótulo, intenso em aromas e sabores, traduz muito bem o conceito de biodinâmico: seu nome faz menção ao planeta Terra e a toda a energia biodinâmica que o envolve. Para finalizar com doçura, o Pudim de Leite do Vie Rose e o Brownie de Chocolate, servido com sorvete de caramelo com flor de sal e ganache de chocolate amargo.

Todos os vinhos do menu-degustação da noite no Vie Rose serão veganos. Os enólogos da Emiliana explicarão por que a maioria dos vinhos do mercado não é vegana. No processo de clarificação do vinho, normalmente entra algum tipo de proteína animal: como caseína (proteína do leite), gelatina (de origem bovina ou suína), cola de peixe, óleo de peixe, quitina (produto da casca de crustáceos) e até clara de ovo. Para ser vegano, o produtor faz uso de agentes não-animais no processo, como carbono, argila, calcário, sílica e caseína vegetal.

emiliana_credito divulgacao

O jantar marca também os 20 anos de início da vinícola Emiliana com o trabalho de orgânicos. É considerada hoje a maior empresa do mundo certificada nas práticas de vinhos orgânicos e biodinâmicos, com manejo 100% orgânico. Foi reconhecida como “Companhia Verde do Ano”, em concurso realizado pela prestigiada revista inglesa The Drink Businness. A divisão de vinhos da La Pastina é a responsável pelos vinhos da Emiliana no Brasil. Noite que harmoniza alta qualidade de vinhos e gastronomia com o respeito ao meio ambiente.

Vendas pelo Sympla ou pelo celular: (11) 9 3318-2019.

Vie Rose: Rua Vupabussu, 199 – Alto de Pinheiros

Maremonti Trattoria & Pizza Iguatemi Alphaville promove jantar harmonizado

Evento alia alta gastronomia italiana e vinhos de bom terroir

Conhecido por oferecer o melhor da cozinha italiana, o Maremonti Trattoria & Pizza, localizado no piso Xingu do Iguatemi Alphaville, apresenta aos seus clientes um Jantar Harmonizado de quatro tempos, dia 2 de outubro (quarta-feira), às 20 horas, sob o comando do chef Pascal Valero. O evento une o melhor da alta gastronomia italiana a rótulos especiais e de bom terroir.

Stellina Toscana_HR_004.jpg

Como entrada será servida a Stellina Toscana – pizza napoletana em forma de estrela, tomate, linguiça, artesanal moída, mozzarela de búfala e parmesão – acompanhada de Chandon Brut. Na sequência, será servido o primeiro prato principal, um Tagliatelle al Funghi – massa com molho funghi finalizado em azeite de trufas brancas e Grana Padano, que harmonizará com o Maremonti Rosso Barbera. O vinho, da região de Piemonte, na Itália, é seco, fresco e, por ter médio corpo e aromas de frutas vermelhas com toque terroso, acompanha bem massas, risotos e carnes leves.

maremonti 1

Como segundo prato principal, a casa sugere o Baccalà al Forno – posta de bacalhau no azeite com pimentões, cebola, batata al murro, azeitonas pretas e alcaparras, harmonizado com o clássico Maremonti Bianco 2017,produzido nas áreas ensolaradas do Castello di Gabiano, vinícola localizada no Piemonte, noroeste da Itália, uma das melhores regiões vinícolas do mundo.

vinhos Gladstone Campos Realphotos
Foto: Gladstone Campos / Realphotos

Um vinho elaborado com predominância de uvas Sauvignon Blanc e complemento de uvas Chardonnay. Trata-se de um vinho seco, leve e fresco, de aromas florais e levemente frutado ideal para aperitivos e acompanhamento de pratos leves, peixes e saladas.

maremonti

Por fim, Tortino di Mele, tradicional torta de maçã com sorvete de creme, finaliza a noite com um Porto Tawny.

O valor do jantar harmonizado é R$ 150,00 por pessoa e acompanha, além da combinação dos quatro pratos e vinhos, café e água.

Jantar Harmonizado Maremonti
Quando: quarta-feira, 2 de outubro, às 20h
Onde: Maremonti Trattoria & Pizza Iguatemi Alphaville – Piso Xingú
Endereço: Alameda Rio Negro, 111 – Alphaville Industrial, Barueri – SP
Valor: R$ 150,00
Reservas: podem ser feitas pelo e-mail – alphaville@maremonti.com.br ou pelos telefones (11) 4688-1160 e (11) 94536-8369.

 

Sábado e domingo tem Festa Cioccolato e Vino no Eataly

Empório italiano apresenta final de semana dedicado ao chocolate e vinhos italianos

O Eataly preparou um fim de semana especial dedicado a um dos doces mais apreciados do mundo, o chocolate, e a uma das bebidas mais aclamadas, o vinho. A Festa Cioccolato & Vino acontece nos dias 24 e 25 de agosto, a partir das 12 horas, com grandes marcas de chocolates e doces à base de chocolate em uma feira nos dois andares da loja.

Serão nove produtores artesanais trazendo suas especialidades ao Eataly. Entre os participantes, estão: Pietra Patisserie, Venchi, Chocolat du Jour, New Brown, Rusticookies, Brownie Affair, The Good Cup Donut, Brigaderô e Magrela Shop. Serão diversos tipos de produtos, entre chocolates artesanais em barra, bombons, brigadeiros, donuts, churros, cookies, brownie e doces low carb entre outras opções com valores que partem de R$ 10,00.

Além disso, durante os dois dias de festa, serão realizados diversos workshops gratuitos e live shows com o mestre confeiteiro da Venchi, Luís Vilela.

Para harmonizar com os melhores doces e chocolates da cidade, a importadora Itália Mais terá um bar exclusivo com vinhos italianos que estarão à venda em taças pelo valor de R$ 20,00 cada.

cioccolato_e_vino.jpg

Festa Cioccolato  & Vino
Dias: 24 e 25 de agosto
Horários
Sábado: 12h às 20h
Domingo: 12h às 18h
Local: Eataly
Endereço: Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1.489, São Paulo – SP

Você sabe como harmonizar cachaça com comida?

Fatores como teor alcoólico, índice de acidez e envelhecimento são essenciais para a combinação

aguadoce250419.png

Genuinamente brasileira, a cachaça é uma bebida que, assim como o vinho, pode ser utilizada na harmonização com diferentes tipos de pratos, desde os mais simples até os mais rebuscados. Apesar de não ser uma prática tão difundida no mercado gastronômico, é um hábito que vem ganhando o gosto dos brasileiros com o passar dos anos.

Para não errar nas combinações, separamos algumas dicas de Julio Bertolucci, diretor de franquias da Água Doce Sabores do Brasil, rede de franquia de alimentação. Os 78 restaurantes da marca apresentam pratos típicos com um toque caseiro e regional, porções generosas, drinques criativos com ou sem álcool, além de uma carta extensa com opções variadas das melhores cachaças brasileiras.

caipirinha-pixabay

Atualmente, a harmonização com a cachaça, em específico, é uma prática muito aceita pelos consumidores. Neste caso, pratos com acento tropeiro, como linguiças, torresmos, carnes suínas e tutu de feijão, se encaixam bem com uma boa cachaça. Segundo Bertolucci, há dois tipos básicos de harmonização: por semelhança, com uma cachaça suave com pratos mais suaves ou cachaças adocicadas com pratos agridoces; ou contraposição, apostando no contraste, ou seja, uma cachaça mais ácida com pratos adocicados. Para que a bebida possa valorizar a comida é preciso levar alguns fatores em consideração, como o teor alcoólico, o índice de acidez, os sabores, o aroma e o tipo de envelhecimento.

“Outra questão que pesa muito é o tipo de madeira utilizada na fabricação, pois isso traz uma modificação química e sensorial na cachaça, além de contribuir com aromas, cores e sabores. O processo de envelhecimento é feito de acordo com cada tipo de madeira utilizada, sendo que as mais comuns são carvalho, amburana e bálsamo. Isso influencia diretamente no produto final, pois cada madeira cria sabores diferenciados e amoras frutados”, revela o diretor.

Com base nestas informações, é possível indicar quais alimentos combinam mais. No caso das cachaças neutras, que apresentam aspecto cristalino e não passam pelo processo de envelhecimento, os pratos mais indicados são: iscas de tilápia, tilápia ao molho de camarão, casquinha de siri, bolinho de bacalhau, camarão crocante, salmão de água doce, saladas, queijo provolone e tilápia crocante.

Já no caso das cachaças que passam pelo processo de envelhecimento em tonéis madeiras, é preciso levar em consideração o tipo de madeira utilizado para escolher o prato para harmonização. As cachaças envelhecidas no bálsamo, por exemplo, combinam com filé-mignon com gorgonzola, picadinho de carne e picanha na chapa.

bacon pao bebida pixabay

Amburana pode ser perfeita quando a opção é um bolinho de carne de sol, bolinho de mandioca recheado, chapa mista de carne e, por incrível que pareça, até mesmo com sobremesas. O carvalho, por sua vez, pode ser harmonizado com pratos como escondidinho, costelinha suína, torresmo e carne de sol.

Fonte: Água Doce

Dicas para harmonizar vinhos no almoço de Páscoa

Já é tradição as famílias brasileiras se reunirem em volta da mesa para celebrar o domingo de Páscoa e o vinho é a bebida que marca esta ocasião, pois realça os sabores dos pratos elaborados com bacalhau, peixes, carnes vermelhas, carnes suínas e massas. Incentivos não faltam para ter à mesa esta saborosa bebida, então que tal descobrir como harmonizar o vinho com os pratos prediletos que costumam ser servidos no almoço de Páscoa? A Importadora Costazzurra traz algumas dicas, confira.

O momento de confraternização entre familiares e amigos começa antes do almoço, portanto, enquanto o prato principal não fica pronto degustar alguns petiscos regados a um bom bate-papo faz parte do ritual. Se a escolha para recepcionar os convidados for pela tábua de frios recheada de queijos, a melhor opção são os vinhos tintos. E o vinho tinto português Fortíssimo, da Casa Santos Lima, atende as expectativas, pois é encorpado, de cor rubi, tradicional da região do Alentejo produzido com as uvas Alicante Bouschet, Touriga Nacional, Syrah e Petit Verdot que apresentam notas de especiarias e sabores de frutas vermelhas maduras. Rico e encorpado este é um vinho envolvente que oferece um longo e agradável final de boca.

original_Fortissimo

O Fortíssimo é também indicado para acompanhar a famosa bacalhoada, um prato clássico da culinária portuguesa, porém muito comum e apreciado pelos brasileiros, elaborado com batatas, pimentões coloridos, azeitonas pretas, ovos, tomates e muitos outros ingredientes ao gosto de quem está cuidando do seu preparo. Este vinho vai muito bem ainda com picanha suína assada ao molho de vinho, rabada com polenta e galinha a cabidela.

Outra sugestão para quem vai servir peixe como prato principal é o vinho Confidencial Branco, da Casa Santos Lima. Produzido em Lisboa com mais de 10 variedades de uvas confidenciais (por isso este nome: Confidencial), é um vinho leve cheio de aromas vivacidade e frescor. Apresenta notas de frutas tropicais e florais muito refrescantes no paladar. Além do peixe, que pode ser um salmão grelhado ou ao forno por exemplo, este vinho vai muito bem para acompanhar uma receita a base de mariscos ou uma saborosa salada.

original_Confidencial_branco_2012

As massas são uma opção valiosa para agradar tantos os vegetarianos quantos aqueles que apreciam peixes ou carnes e neste caso a Costazzurra sugere o Macarrão Italiano Riscossa produzido artesanalmente na Itália e apontado como uma das melhores massas do país. Com cortes versáteis e variados, as massas podem ser utilizadas no preparo de pratos quentes ou frios, como saladas.

massas

Ideais para acompanhar molhos mais densos com legumes, vegetais ou carnes, as massas Riscossa estão presentes no Brasil em 16 opções, inclusive massa para lasanha e mais duas versões de massas Integrais Bio Orgânicas feitas com grano duro 100% integral, rico em fibras, proteínas e baixo índice glicêmico.

original_Confidencial_Tindo_Reserva

Para acompanhar essas deliciosas massas em diferentes receitas, a dica da Costazzurra é o vinho Confidencial Tinto Reserva, da Casa Santos Lima, elaborado com mais de 10 variedades de uvas. Este vinho demonstra grande diversidade e complexidade de aromas como frutos vermelhos e baunilha. Na boca, revela novamente sensações de fruta vermelha, com notas de madeira e taninos elegantes. Seu final é suave, com boa acidez e complexidade que se juntam a agradáveis notas de fruta madura, chocolate e madeira.

Onde encontrar: delicatessen, empórios e lojas especializadas em vinho do Brasil.

Informações: Costazzurra – SAC (11) 3018-2300

 

Páscoa e vinhos: uma combinação perfeita

Saiba como harmonizar pratos típicos do feriado com vinhos selecionados

Páscoa é um dos feriados favoritos do ano para reunir a família em torno de uma bela mesa para o almoço. Os pratos típicos a base de frutos do mar e o celebrado chocolate pedem bons vinhos para a harmonização perfeita durante a refeição. Cada vez mais difundidos no Brasil, os vinhos passaram a fazer parte das mais variadas comemorações.

A mais famosa e aclamada opção na mesa dos brasileiros durante a Páscoa é o Bacalhau à Gomes de Sá, versão da receita onde o peixe é acompanhado por batatas, ovos e azeitonas. A harmonização perfeita para o prato é um vinho branco, seco e com boa acidez.

Verão_ Vinho branco

Uma excelente escolha é o Pionero Mundi, rótulo espanhol da vinícola Viña Almirante, feito com a emblemática uva Albariño tradicional da região Rías Baixas. “O Pionero Mundi traz complexidade nos aromas e no paladar, e isso é o resultado do contato das cascas da uva com o líquido”, explica Nicole Negrão Gomes, sommelière da Garage Vinhos, loja conceito da Bodegas Wine na cidade de Curitiba.

vinho taça rose.jpg

O Risoto de Camarão é um dos principais acompanhamentos escolhidos para compor a mesa durante o almoço do feriado. A receita prática e saborosa harmoniza muito bem com vinhos brancos e rosé. “O BIS Rosé, rótulo da vinícola portuguesa Encostas de Estremoz, é leve, frutado e com um bom final e acompanha perfeitamente um risoto de camarão, bem como saladas e mariscos”, complementa a especialista.

vinho tinto

Como não poderia faltar, a troca de chocolates é o momento mais aguardado da Páscoa e muito se engana quem acha que bons vinhos não fazem parte desse momento. Para Nicole, o Insensato, vinho tinto da Bodegas D. Mateos, harmoniza perfeitamente com chocolates amargos. “O rótulo é saboroso, com taninos macios, frutado e elegante. Além disso, ele harmoniza muito bem com um mix de queijos curados”, completa a especialista.

Fonte: Garage Vinhos

Três dicas de vinhos para três tipos de chocolates

Você, que aprecia um bom vinho, com certeza já procurou aprender um pouco sobre como harmonizar o seu rótulo favorito com algum prato. Mas já reparou que, normalmente, quando se fala no assunto, muitas vezes se esquece que o vinho harmoniza bem com doce?

Sabia também que uma das combinações mais deliciosas é com vinho e chocolate? Seja sincero: juntando dois elementos como esses, tem como ficar ruim? No entanto, assim como ocorre nas harmonizações salgadas, existem alguns truques para não errar na escolha.

Pois bem, com a Páscoa chegando, a preocupação fica por conta do chocolate. Item mais querido nesta época, ele pode ser apreciado tanto pelos pequenos, como também pelos adultos. E, neste caso, a dica é harmonizá-lo com vinho. Pensando nisso, Jean Stelmach, embaixador dos Vinhos do Alentejo no Brasil, preparou uma seleção de vinhos para harmonizar o seu chocolate predileto com o vinho adequado para que sua experiência no feriado seja fora do comum.

Ficou interessado? Descubra abaixo as três dicas dos Vinhos do Alentejo:

vinhos e chocolates.jpg

Eleja um tinto com chocolate ao leite

A maioria dos consumidores brasileiros prefere o tradicional chocolate ao leite. Como você pode deduzir, a mistura do cacau com a cremosidade do leite pode proporcionar experiências gastronômicas incríveis.

O Alento Tinto é uma boa escolha para acompanhar este tipo de chocolate, pois a sua doçura entra em sintonia com o açúcar presente no doce. Feito na região do Entremoz, no Alentejo, o delicioso neste vinho sem dúvida é sua fruta e o rico toque floral. Na boca, é alegre e traz as características da região e de suas castas. Tem equilíbrio, frescor e taninos macios. Além do chocolate ao leite in natura, você pode apreciar este vinho com o bolo de floresta negra.

Descrição do vinho: Alento Tinto – Adega do Monte Branco – Entremoz – Alentejo. Onde encontrar: Magnum Importadora.

Aposte no branco para chocolates brancos

Segundo predileto pelos brasileiros, a opção mais clara não pode faltar na Páscoa. A harmonização interessante para o chocolate branco é o Monte da Ravasqueira Viognier. Produzido na região de Arraiolos, no Alentejo, este tradicional branco descansa 6 meses em carvalho francês, além de um pequeno período em contato com borras, dando a esse vinho uma textura cremosa e amanteigada, que somado a um frescor e nuances das frutas cítricas o deixam um bom corpo e um ótimo paladar. Além do chocolate branco in natura, você pode apreciar este vinho com torta de chocolate branco com frutas da estação.

Descrição do vinho: Monte da Ravasqueira Viognier – Arraiolos – Alentejo – Portugal. Onde encontrar: Divvino.

Vá de vinho aromático para chocolate mais amargo

Altamente gastronômico, o chocolate meio amargo não pode faltar para os paladares mais exigentes. Uma das grandes dificuldades para esta combinação é a presença marcante de açúcar e de gordura do chocolate. Essas duas características envolvem as papilas gustativas de uma maneira que pode dificultar a percepção de outros sabores. Para sustentar esse peso, o vinho deve ser encorpado, aromático e complexo e ter alto teor de açúcar residual. A aposta correta acaba sendo o vinho Ripanço.

Produzido na região de Reguengos Monsaraz, no Alentejo, este vinho gordo, de características generosas é muito aromático e combina as frutas vermelhas de bosque a um toque floral, com especiarias, chocolate e a baunilha do estágio em carvalho.  Além do chocolate meio amargo in natura, você pode apreciar este vinho com tiramisú.

Descrição do vinho: Ripanço – José Maria da Fonseca – Reguengos Monsaraz – Alentejo. Onde encontrar: Decanter

Páscoa: harmonize vinhos, azeites e pratos

Além de todo o significado religioso de renascimento, a Páscoa é um momento de união e celebração em família e, geralmente, as pessoas se encontram ao redor da mesa. Na Sexta-Feira Santa ou no Domingo de Páscoa, certamente o cardápio será especial, com bacalhau ou outra preferência culinária.

Para acompanhar, vinho e azeite de oliva extravirgem são unanimidade. Veja sugestões com estas iguarias para você harmonizar os seus pratos favoritos. Todos os produtos são trazidos ao Brasil pelas importadoras Porto a Porto e Casa Flora.

Régia Colheita branco.png

Para a tradicional bacalhoada, com azeite e batatas, a sugestão de harmonização é o vinho branco Régia Colheita. Elaborado no Alentejo, em Portugal, pelo produtor Carmim, possui excelente acidez que acompanha bem pratos com abundância de azeite de oliva extravirgem.

Don Roman.jpg

Se você prefere a combinação com tintos, uma opção interessante é o Don Román, da região de Rioja, na Espanha, elaborado pelo produtor Marqués de Tomares. A estrutura e a complexidade, aliadas ao frescor em boca, darão um ótimo resultado também com pratos à base de lombo de bacalhau.

Marquês de Borba Colheita.png

Outra sugestão é o português Marquês de Borba, tinto assinado pelo enólogo João Portugal Ramos, que apresenta aromas frutados, taninos suaves e ótimo equilíbrio em boca. Combinação de algumas das melhores uvas nativas de Portugal, acompanha receitas como lasanha de bacalhau.

Regia Colheita Tinto.jpg

Se a opção para o almoço de domingo for churrasco, experimente com o tinto alentejano Régia Colheita, do produtor Carmim. Saboroso, estruturado e com prolongado final, acompanha os cortes mais gordurosos e malpassados.

Douro_Quinta do Cachão.png

Já para os que preferem carnes vermelhas com menos gordura e bem-passada, a recomendação é vinho tinto seco e de taninos sedosos Quinta do Cachão, da Caves Messias, elaborado no Douro, Portugal.

Cava Don Roman SemiSec.jpg

Para as sobremesas, pensamos em um espumante e um vinho fortificado. O espanhol Cava Don Román Semi Sec é frutado, equilibrado e com ótima persistência. Elaborado pelo mesmo método que os champanhes (segunda fermentação na garrafa), apresenta certa doçura que acompanha sobremesas leves, como morangos com suspiros.

Porto Messias Ruby.png

Para os mais tradicionalistas, indicamos o Porto Messias Ruby, da Caves Messias, fortificado que harmoniza com chocolates, dos trufados aos mais amargos.

Dicas de azeite de oliva extravirgem

Como bacalhau é um verdadeiro clássico da culinária na época da Páscoa, selecionamos algumas dicas de azeite de oliva extravirgem de qualidade para incrementar as receitas.

Azeite Monsaraz Garrafa 250ml

Se a escolha for um prato mais leve, como um Bacalhau à Gomes de Sá ou Bacalhau com Salada, a sugestão é o Azeite de Oliva Extravirgem Monsaraz, delicado e de qualidade superior. Apresenta aroma suave e fresco de amêndoas, característica própria da variedade Galega em ótimo estado de maturação. Excelente também para saladas e outros peixes grelhados. Fruto da primeira prensagem, possui acidez máxima é de 0,5%.

Azeite Grezzo Naturale Paganini.png

Para pratos mais encorpados, como Bacalhau Assado, na Brasa ou Brandade de Bacalhau, sugerimos o Azeite Grezzo Naturale Paganini, que apresenta sabor mais acentuado e agradável picância. Também é fruto da primeira prensagem das melhores azeitonas e possui tonalidade verde oliva intensa com aspecto turvo (em função de não ser filtrado). A acidez é menor que 0,5%.

Preços sugeridos (em Curitiba):

Régia Colheita DOC branco: R$ 69,90
Don Román: R$ 70,90
Marquês de Borba tinto: R$ 76,90
Régia Colheita DOC tinto: R$ 69,90
Quinta do Cachão: R$ 50,90
Cava Don Román Semi Sec: R$ 58,90
Porto Messias Ruby: R$ 69,90
Azeite de Oliva Extravirgem Monsaraz: R$ 38,90
Azeite de Oliva Extravirgem Grezzo Naturale Paganini: R$ 38,80

Informações: Importadora Porto a Porto

Páscoa na Serra Gaúcha: vinícola harmoniza trufas e vinhos

É impossível negar que o período de Páscoa desperta nosso paladar para apreciar diferentes tipos de chocolate – e, no que depender da Cooperativa Vinícola Garibaldi, esses sabores chegarão a outro patamar. Isso porque a atração Taça & Trufa oferecida no complexo enoturístico, em Garibaldi, apresenta aos visitantes da Serra gaúcha surpreendentes harmonizações entre chocolates artesanais e vinhos e espumantes premiados.

A experiência enogastronômica dura cerca de 45 minutos, incluindo três espumantes e dois vinhos, cada qual combinado a uma variedade do doce feito à base de chocolate e com recheios saborizados. Bebida intensa e complexa, com os fatores de paladar e aromas bem marcantes, o vinho se combina com as diferentes escalas de intensidade do chocolate: a parceria entre os dois é empírica e passional.

As sugestões são: vinho Chardonnay e trufa de maracujá; espumante Prosecco e trufa de laranja; espumante Rosé Pinot Noir e trufa de cereja; vinho tinto seco e trufa de chocolate meio amargo; espumante Moscatel e Trufa champanhe.

É necessário realizar agendamento para os horários: 10h, 13h30min ou 15h30min (de segunda-feira a sábado) ou 10h30min e 13h (domingos e feriados). A experiência custa R$ 35,00 por pessoa.

Roteiros de imersão

Além do Taça & Trufa, a Cooperativa disponibiliza o projeto Desperte seus Sentidos, uma degustação às cegas que ocorre no interior de uma pipa de 100 mil litros anexa à cave Acordes, que também dá nome aos produtos ícone da marca. Por aqui, o turista é desafiado a explorar seus sentidos em uma experiência apaixonante, e claro, com muito vinho e espumante. São três modalidades com duração aproximada de 50 minutos cada (preços sob consulta).

Outros atrativos são a Degustação de Produtos Premiados, que ocorre no wine bar localizado no complexo enoturístico, e Uma História para degustar – visita guiada gratuita entre pipas e tanques. Para que a experiência seja mais marcante, a dica é participar da visita e combinar pelo menos uma das degustações temáticas, conhecendo o mundo dos vinhos de modo diferenciado.

garibaldi.jpg

Atrações no complexo enoturístico da Cooperativa Vinícola Garibaldi
Endereço: Avenida Independência, 845 – Garibaldi (RS)
Horário de atendimento ao público: de segunda-feira a sábado, das 9h às 17h; nos domingos e feriados, das 10h às 15h
Horários do Taça & Trufa: 10h, 13h30min ou 15h30min (segunda-feira a sábado) ou 10h30min e 13h (domingos e feriados)
Duração: 45 minutos
Quanto: R$ 35,00 (Taça & Trufa) – demais atrações sob consulta
Informações e agendamento: (54) 3464.8104 | turismo@vinicolagaribaldi.coop.br

Conheça harmonizações de vinhos ideais para um cardápio vegano

A culinária vegana é muito rica e as opções de harmonização são infinitas. A ideia básica é tentar compensar o “peso” do prato com o “peso” do vinho

Você deve estar se perguntando qual é o diferencial de um rótulo vegano sendo que vinho nada mais é que o suco da uva fermentado, certo? Mas esse é só o começo. O processo de fabricação pode ser bem mais complexo e definir, inclusive, se um vinho é vegano ou não. Isso porque para chegar límpida e brilhante à taça, a bebida passa por um processo importante chamado clarificação.

De acordo com Natália Cacioli, sommelière da Evino, o vinho, como um produto natural, tem substâncias que podem deixá-lo turvo e com sedimentos. Por isso, o líquido é normalmente filtrado e clarificado. Esse processo é realizado por meio de substâncias que funcionam como “ímãs” para a retirada de sedimentos – e os mais populares são derivados de animais.

“Para fornecer alternativas veganas, alguns produtores têm utilizado outras substâncias como placas de fibras vegetais, carbono, pedra calcária, argila de caulim e gel de sílica. Por esses métodos, portanto, o produto final pode ser considerado livre de artigos de origem animal e pode fazer parte da dieta de qualquer um adepto da dieta vegana”, pontua.

As opções de harmonização vão muito além das clássicas sugestões de carne vermelha com vinho tinto e vinho branco com peixe. A culinária vegana é muito rica e as opções de harmonização são infinitas. A ideia básica é tentar compensar o “peso” do prato com o “peso” do vinho.

Ou seja, para um vinho mais encorpado, como um Malbec ou um Cabernet Sauvignon, a sugestão é escolher uma comida com molhos ou frituras. Já os brancos e rosés, que são vinhos mais cítricos e de corpo mais leve, vão bem com praticamente qualquer prato, como saladas de grãos e ceviche com coentro e limão.

Confira abaixo sugestões de harmonizações veganas indicadas pela Evino:

Malbec

vinho taça tinto
Espaguete de pupunha com molho de cogumelos
Hambúrguer de lentilha

Cabernet Sauvignon

vinho tinto taças shutterstock
Moussaka vegana
Moqueca de banana da terra

Chardonnay

villaggio-grando-chardonnay-vinho-e-delicias_thumb[1]
Curry de abóbora com leite de coco e abacaxi
Ceviche vegano de chuchu e nabo com leite de coco, limão e coentro

Rosé

Verão_Vinho rosé
Salada 7 grãos com manga
Canelone de abobrinha recheado com rúcula e tomate seco

Fonte: Evino