Arquivo da tag: imunidade

Especialista do Hcor dá dicas para manter a imunidade após onda de frio no Brasil

De boas noites de sono ao equilíbrio na alimentação, conheça hábitos que podem te ajudar a ficar com a saúde em dia

No início de agosto, o Brasil passou por uma onda histórica de frio, com várias cidades batendo recordes de baixas temperaturas, com direito até à neve. Dias depois, os termômetros voltaram a subir. Resultado: muita gente gripada, espirrando, tossindo e com crises de rinite. E esses problemas atingem em especial os mais vulneráveis, como crianças e idosos. O que pode ser perigoso em tempos de pandemia.

Para se manter saudável neste sobe e desce, quente e frio, só mesmo fortalecendo o sistema imunológico, principalmente após ter passado por uma gripe. Assim, o ideal é evitar locais fechados, nos quais o ar não circula. Já em casa, vale deixar os ambientes bem ventilados e sempre lavar as mãos ao chegar da rua, hábito que se intensificou na pandemia e que veio para ficar.

A seguir, listamos algumas dicas simples, mas que fazem a diferença quando se fala em incrementar o sistema imunológico, orientadas pelo líder médico da Infectologia do Hcor, Guilherme Furtado:

=Umidifique o ambiente: isso torna mais difícil para os vírus permanecerem no ar. Mas não exagere, pois muita umidade pode favorecer o surgimento de fungos.

=Durma bem: não dormir o suficiente, assim como ter um sono de má qualidade, pode afetar o sistema imunológico. As citocinas, proteínas liberadas durante o sono, desempenham um papel importante na capacidade do corpo de combater infecções.

pixabay

=Hidrate-se: beber muita água ajuda a eliminar as toxinas do corpo e mantém o muco do trato respiratório mais fluído.

=Adote uma alimentação balanceada: manter uma dieta saudável e equilibrada, rica em alimentos integrais, frutas e vegetais frescos, nozes e sementes é importante para um sistema imunológico saudável o ano inteiro. Uma grande parte do seu sistema imunológico está no trato digestivo, portanto, é essencial manter a flora intestinal saudável e funcionando bem.

Daniel Reche/Pixabay

=Pratique atividades físicas: exercícios leves e regulares são bons tanto para o sistema imunológico quanto para a saúde mental. Atividades físicas aumentam o fluxo sanguíneo fazendo os glóbulos brancos circularem melhor pelo corpo.

=Passe algum tempo ao ar livre: ficar confinado pode ajudar na transmissão de vírus, principalmente os respiratórios. Tome um pouco de ar fresco e reabasteça a reserva de vitamina D com o sol, mesmo que seja na varanda do apartamento ou no quintal de casa.

Foto: SelfSetFreeLiving


=Gerencie o estresse: sim, seu estado de espírito pode afetar a saúde do corpo todo, inclusive a mental. Se você estiver com problemas ou se sentindo deprimido, procure ajuda.

=Evite bebidas alcoólicas e cigarro: fumar pode deprimir o sistema imunológico ao suprimir os anticorpos criados pelo corpo para combater o vírus da gripe. Beber mais do que o limite diário recomendado de álcool pode levar ao ganho de peso, e também prejudica a imunidade. Além disso, o álcool desidrata o corpo e cria um ambiente atraente para os vírus.

Agora, se mesmo assim você ficar gripado e sentindo aqueles sintomas clássicos, como dor de cabeça, coriza e febre, você pode utilizar analgésicos e antitérmicos, para ajudar a reduzir a febre e dores no corpo, além de um descongestionante – para ajudar na coriza e nariz entupido. E, se você ficar constantemente gripado, procure um médico para uma melhor avaliação.

Fonte: HCor

Mitos e verdades sobre alimentos que melhoram a imunidade

Nutricionista cadastrada no GetNinjas dá dicas de quais suplementos são essenciais para manter a saúde em dia

Ter a saúde em dia, é um fator necessário para enfrentar várias doenças, já que um organismo desequilibrado pode demandar mais tempo e cuidados para se recuperar. Sendo assim, em meio à pandemia, a preocupação com a saúde redobra e muitos investem na suplementação vitamínica para fortalecer o sistema imunológico.

Mas além desses produtos, também é possível reforçar a imunidade com refeições mais equilibradas. Pensando nisso, a nutricionista de São Paulo Andreia Camilla Oliveira, que atende pelo GetNinjas, aplicativo de contratação de serviços, compartilhou mitos e verdades sobre esses alimentos essenciais para a saúde, e de bônus, elaborou receitas fáceis que vão auxiliar no sistema de defesa do corpo. Confira:

Vitamina C é essencial para a imunidade
Verdade.
A nutricionista cita que frutas cítricas, ricas em vitamina C, são os principais alimentos que auxiliam na imunidade e são essenciais para a saúde. “Além de todos os benefícios quanto à imunidade, esses alimentos são antioxidantes, combatem os radicais livres, aumentam a resistência do organismo e impedem infecções virais e bacterianas”. Andréia listou que não é preciso investir apenas em limão e laranja, mas apostar em frutas como: Acerola, Goiaba, Caju, Kiwi, Morango e Abacaxi é super positivo para melhorar os índices de Vitamina C do corpo.

Foto: Nicole Franzen

Além da imunidade, a Vitamina C é essencial para outras funções
Verdade.
A Vitamina C é fundamental para o funcionamento das células e auxilia na formação dos colágenos tipos I e III, que contribuem com até 90% do colágeno total sintetizado do corpo. “Atua diretamente no combate ao envelhecimento e melhora a cicatrização”, comentou Andréia.

Vegetais não são tão importantes para cuidar do sistema imune
Mito.
Vegetais escuros são ricos em ácido fólico (folato) e vitamina B9. As principais fontes alimentares de ácido fólico são: espinafre, feijão branco, aspargos, verduras de folhas escuras, couve-de-bruxelas, soja e derivados, laranja, melão, maçã, brócolis, gema de ovo, fígado, peixes, gérmen de trigo, salsinha, beterraba crua e amendoim. “O ácido fólico é responsável por fabricar células sanguíneas e pela produção dos músculos. Além disso, melhora a cicatrização e a formação de RNA e DNA, e por isso são tão importantes (inclusive para gestantes), pois amenizam o risco de anemias e controle de hipertensão. Evitam as perdas auditivas e doenças crônicas”, salienta a profissional.

Ômega 3 é a gordura boa que atua como antioxidante
Verdade.
Além de ser anti-inflamatório, é conhecido como uma “gordura boa” e previne várias doenças graves. O ômega 3 é encontrado principalmente nos peixes de água fria, tais como o atum, salmão, sardinha, tainha e bacalhau. A nutricionista comenta que: “É um ácido graxo importantíssimo para o coração, pois reduz o risco de infarto e as taxas de triglicerídeos, além disso, previne batimentos cardíacos que estejam ‘desritmados’, melhorando a saúde dos hipertensos. Além disso, o ácido diminui o risco da arteriosclerose, alivia dores e inflamações, previne pressão alta, controla o apetite, previne a depressão pós-parto, auxilia no desenvolvimento cerebral dos fetos, previne o câncer de próstata e reduz o mau colesterol (LDL)”.

Ômega 3 não auxilia no emagrecimento
Mito.
Por auxiliar no emagrecimento, o ácido é muito utilizado na prática clínica, já que, após inserido na reeducação alimentar, ajuda na perda de peso sem restrições. Mas a profissional alerta: “As quantidades desses alimentos devem ser orientadas por um profissional de acordo com cada indivíduo”.

Café faz mal para a imunidade
Mito
. De modo geral, essa bebida é rica em cafeína, vitaminas e minerais como cálcio, fósforo e potássio. O consumo moderado do café pode ter efeitos benéficos com relação à depressão e a perda da memória a longo prazo, pelo fato de que doses moderadas de cafeína, causam regulação da plasticidade sináptica e contribui para o ajuste dos padrões de sono, do estado emocional, da memória e do aprendizado. “Pensando nesse momento de pandemia, com certeza muitos precisam do consumo desse alimento, não é mesmo? Pois é, o café é o grande aliado no combate a doenças graves, como a demência ou a diabetes, por exemplo. A bebida também possui alta concentração de antioxidantes, que combatem inflamações e ajudam a evitar o enrijecimento dos vasos sanguíneos”, salienta Andréia. Além de suas propriedades antidepressivas, estudos apontam que esse efeito natural é causado pelo estímulo da cafeína no sistema nervoso central. Assim, aumenta a produção de neurotransmissores cerebrais, responsáveis pela sensação de bem-estar, entre eles noradrenalina, dopamina e serotonina.

Tomar chá pode potencializar o envelhecimento da pele
Mito.
As pessoas que costumam tomar chá no dia a dia têm risco menor de acidente vascular cerebral e doenças cardíacas. Entre outras coisas, o chá é conhecido por melhorar a saúde cerebral. “O chá está associado ao antienvelhecimento. As células dos apreciadores regulares de chá, têm uma idade biológica mais jovem do que as daqueles que não ingerem essa bebida. Em outras palavras, beber chá ajuda a aumentar a expectativa de vida” informa.

Para finalizar, a Nutricionista elaborou receitas de “shots” que auxiliam na imunidade, acompanhe a seguir:

Shots para ajudar o sistema imunológico

Em tempos de cuidados com a saúde, toda ajuda é bem-vinda. Uma das formas de prevenir doenças de maneira geral é fortalecer o sistema imunológico. Uma solução caseira são os “shots de imunidade”. Eles fornecem uma combinação de ingredientes naturais e concentrados com o objetivo de contribuir com o bom funcionamento do sistema imunológico. Eles são fonte de nutrientes, vitaminas, minerais e antioxidantes, perfeitos para começar o dia.

Shot Rápido

Ingredientes:
1 limão
20 gotas de própolis
1 colher (café) de açafrão da terra (cúrcuma)

Modo de preparo:
Esprema o limão, misture com os demais ingredientes e adicione um pouco de água ou adicione no suco verde. Beba imediatamente.

Shot Clássico

Ingredientes:
1/2 copo de água.
Suco de 1 limão.
10 gotas de própolis.
1/2 colher de café de cúrcuma e pitada de pimenta caiena.
1/2 colher de café gengibre.

Variações:
-1/2 copo de água mineral (pode ser substituído por chá de gengibre ou hortelã) + 1/2 limão + pitada de sal rosa + 1/2 colher chá de canela + 1/2 colher chá de gengibre.
-1/2 copo de água + 10 gotas de extrato de própolis + 1/2 limão, 1/2 colher de chá de cúrcuma + 1 colher de chá de pólen orgânico e pitada de pimenta em pó.
-1/2 copo de água + 1 colher de chá de machá em pó + colher de chá de vinagre de maçã (ou suco de 1 limão) + 1 colher de chá de gengibre ralado.

Fonte: GetNinjas

Quatro dicas que podem ajudar você a espantar o frio e praticar mais exercícios físicos

Com temperaturas baixas e o frio, o inverno é uma das principais razões para a queda na prática de exercícios físicos; saiba como mudar isso

No próximo dia 23 de julho, começam as Olimpíadas de Tóquio, no Japão. E assistir a uma sequência de grandes esportes como basquete, ginástica artística, atletismo, vôlei, ciclismo e canoagem, dentre outros, pode ser um ótimo estímulo para incentivar a prática de esportes diariamente.

Entretanto, enquanto o Japão está no auge da estação de verão, no Brasil, o inverno já chegou provocando mudanças nos hábitos com temperaturas bem mais baixas principalmente no Sul e Sudeste do país. E essa mudança de clima pode afetar a disposição de fazer exercícios físicos.

Uma cama quente e a sensação de preguiça são os principais fatores que justificam essa diminuição na vontade de se exercitar. Mas vale lembrar que praticar exercícios físicos no inverno pode trazer muitos benefícios, como:

=Queime mais calorias: ao se exercitar em um clima frio, o corpo humano é obrigado a ajustar a temperatura corporal, para que as células aumentem o consumo energético e transforme em calor, para ficarmos aquecidos. Isso resultará em uma significativa perda calórica;

Shutterstock

=Melhore a saúde do seu coração: à medida que você pratica um exercício físico, o seu coração trabalha constantemente para bombear sangue suficiente para suportar o seu ritmo físico. Ou seja, uma ótima forma de manter seu coração ativo e saudável;

=Sinta o bem-estar emocional e mental: praticar uma atividade física auxilia na produção e liberação dos chamados hormônios do “prazer”, tais como: dopamina, serotonina, endorfina e ocitocina. Essa união é capaz de proporcionar um bem-estar emocional e mental, tão importantes em um momento como o atual, de pandemia.


=Durma melhor: um esporte praticado de forma regular e constante é capaz de proporcionar uma noite de sono bem dormida e ainda melhorar a qualidade de vida.

Vale destacar que, além das dicas acima, a prática de exercícios físicos no inverno é uma das melhores formas para fortalecer o sistema imunológico, pois a exposição ao frio pode balancear o número de leucócitos e granulócitos, responsáveis pelo funcionamento adequado do nosso sistema de defesa.

Pinterest

Se não for possível encarar o frio para se exercitar, não tem problema! Exercite-se dentro de casa, com o auxílio dos móveis – sofá, cadeira, dentre outros. “É muito importante que as pessoas se conscientizem das possibilidades e benefícios da realização de exercícios no frio. Podemos vencer o frio e a preguiça em prol da qualidade de vida e bem-estar”, afirma Renan Conde, clínico geral do HSANP.

Por fim, lembre-se sempre de, durante os exercícios, manter-se aquecido com roupas adequadas e específicas para atividades ao ar livre, além do uso da máscara e, sempre, respirar pelo nariz. Isso previne contra a possível infecção pelo coronavírus (Covid-19) e evita o ressecamento das vias aéreas devido ao contato com ar mais frio.

Fonte: HSANP Hospital referência na Zona Norte da Grande São Paulo

Chás podem auxiliar na elevação da imunidade

Em tempos de pandemia é importante manter o sistema imunológico fortalecido. De ervas, flores, quente ou frio, os chás em todas as suas variações fazem toda a diferença para a qualidade de vida e podem contribuir bastante para o processo de elevação da imunidade.

Stocksy

O consumo dos chás verde e de genciana pode ajudar quem tem doenças no trato respiratório como bronquite, sinusite e rinite, por exemplo. “Já o chá de romã é um ótimo antiviral e antitumoral, e também possui substâncias que impulsionam as células de defesa do corpo, como o ácido fólico e as vitaminas A, C e E. O chá de maçã previne e colabora no tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica, asma e diabetes. Os seus compostos fenólicos podem evitar a formação de alguns tipos de cânceres”, explica Lucas Penchel, médico e speaker da Soulchá, empresa mineira especializada na fabricação de chás.

Chá de melissa – Foto: Ivabalk/Pixabay

Os chás de Echinacea purpurea, de gengibre, de jabuticaba, de melissa, de limão, de canela da china e de astrágalo chinês possuem propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e imunoestimulantes que reduzem a incidência de resfriados comuns e gripe.

Chá de boldo – Foto:WiseGeek

“As infusões de tanchagem, cúrcuma e camomila têm ação anti-inflamatória e antibacteriana. O chá de sabugueiro é reconhecido por seu grande poder antivirótico. O boldo, além de solucionar os incômodos da indigestão, também atua como um eficiente imunomodulador, garantindo o aumento da resposta orgânica contra determinados microrganismos, como os vírus, fungos, bactérias e protozoários”, recomenda.

Chá de erva-doce – Foto: fresh design pedia

Devido à presença da vitamina C, o chá de hibisco pode fortalecer a imunidade e reduzir os riscos de inflamações e infecções. “Os chás de erva-doce, de hortelã pimenta e de sálvia tem ação antiviral, antimicrobiana e anti-inflamatória. O chá mate tem ação antioxidante e efeito comprovado na estimulação do sistema imunológico. Os taninos presentes no chá-preto garantem a saúde do sistema digestivo e ainda têm a capacidade de combater os vírus responsáveis pela gripe, disenteria e hepatite”, conta Penchel.

Chá de capim cidreira – Foto: Rickyy Sanne/Morguefile

“O chá de pimenta caiena é rico em vitaminas A e C que evitam infecções e mantém os tecidos epiteliais saudáveis, incluindo as membranas mucosas que revestem as vias nasais, os pulmões, os intestinos e o sistema urinário. Ao aprimorar a absorção de nutrientes, o chá de capim cidreira também impulsiona os nossos mecanismos de defesa”, indica.

Penchel aponta que vários tipos de chás podem ajudar a fortalecer o sistema imune de nossos organismos, mas para potencializar este benefício é essencial que o consumo das infusões esteja aliado a uma dieta saudável e a prática regular de exercícios físicos. “Uma pessoa que consome chás, mas tem uma alimentação rica em gorduras e açucares, ingere bebidas alcoólicas em excesso e é adepta do tabagismo, ainda estará propensa a desenvolver doenças ou condições relacionadas a imunidade baixa, caso não abandone os maus hábitos. Por isso, a importância de combinar uma rotina sadia ao uso dos chás”, destaca.

A resposta do corpo à ação dos chás dependerá da dose ingerida, do horário, duração da administração e do estado imunológico de cada pessoa no início do tratamento. “As orientações de consumo adequado devem ser prescritas e orientadas por um profissional, respeitando sempre a quantidade máxima de três xícaras por dia”, conclui.

Fonte: Soulchá

A fascinante relação entre intestino, imunidade e Covid, por Pedro Schestatsky*

Há muito tempo se sabe da influência que os alimentos exercem em nossa imunidade. De fato, as vitaminas e sais minerais encontradas nos mais variados tipos de alimentos são fundamentais para o equilíbrio e manutenção da saúde. Mas você sabe como fortalecer um dos órgãos mais importantes do corpo? O intestino é um dos principais órgãos do corpo humano, sendo responsável tanto pelo bom funcionamento do cérebro (por isso chamado de segundo cérebro), mas também pelas nossas defesas, também chamada de imunidade. Por causa desta última, a saúde intestinal vem se tornando prioridade no combate ao coronavírus. Mas como isso acontece?

Diversos tipos de bactérias vivem naturalmente no nosso organismo desde que nascemos. O saudável desenvolvimento do nosso sistema imunitário depende intimamente da diversidade da microbiota intestinal, antigamente conhecida por flora intestinal. Ou seja, se houver pouca diversidade bacteriana, haverá baixa imunidade e consequentemente mais chance contrairmos doenças em geral, incluindo Covid-19.

Segundo uma recente revisão publicada na Vírus Research, os probióticos (um concentrado de bactérias intestinais) agem diretamente no vírus ligado à infecção respiratória e inibe a ligação desse vírus ao receptor da célula hospedeira. Os lactobacilos, por exemplo, são capazes de bloquear a fixação de partículas virais às células humanas. Na infecção por SARS-CoV-2, as células T auxiliares e os macrófagos (uma célula de defesa do organismo e que atua no sistema imunológico) iniciam a liberação descontrolada de citocinas. Essa tempestade de citocinas leva a uma forte síndrome do desconforto respiratório agudo associada à inflamação. Assim, a suplementação de probióticos se mostra útil promovem ações anti-inflamatórias para redução da carga viral pulmonar.

Foto: News Medical

Um intestino em desequilíbrio, também chamado de “disbiótico” pode criar um ambiente inflamatório que o novo coronavírus pode adorar. A replicação viral no intestino determina um aumento exponencial da carga viral na mucosa digestiva, levando a uma perda da integridade da barreira intestinal e uma forte produção de citocinas pró-inflamatórias. A inflamação pode desencadear uma reação imunológica descontrolada. A ação dos probióticos é tão ampla, que foram usadas cepas de lactobacilos nasais com efeitos imunoestimulante como adjuvantes para a vacinação intranasal contra SARS-CoV-2.

Se o microbioma está por trás da prevenção e do combate de incontáveis doenças, seria imprescindível que os médicos soubessem e orientassem seus pacientes a produzirem seus próprios probióticos caseiros também chamados de fermentados.

Na prática, a produção e consumo de alimentos probióticos são mais simples e baratos do que imaginamos. Vale destacar que qualquer alimento pode ser fermentado, nome que se dá ao processo bioquímico da privação de oxigênio por determinado tempo.

Por isso, ensino o passo a passo de como fazer o probiótico fácil, barato seguro e eficaz na sua própria casa. Trata-se de um potente anti-inflamatório que pode salvar vidas não só evitando a Covid, mas também criando saúde em geral. Aqui, pode-se usar cebolas, repolho, rabanete, cenoura ou o vegetal que preferir.

Passo a passo:
=Use um pote de vidro com tampa que vede bem;
=Limpar bem o pote com água quente;
=Escolher um vegetal cru e limpá-lo bem com água corrente;
=Picar de forma que caiba no pote de vidro;
=Acomodar bem o vegetal dentro do pote para que caiba mais;
=Adicionar água com sal marinho neste pote até o topo (de forma que o vegetal fique totalmente submerso e não tenha ar). Basta que a água esteja levemente salgada, não precisa colocar muito sal;
=Deixar o pote vedado por duas semanas em ambiente fresco e sem sol, como na pia da cozinha.

Dica: abrir e fechar o pote rapidamente todos os dias ou a cada dois dias para evitar que o pote exploda. É recomendável abrir dentro da pia e mantê-lo em uma bandeja, pois, às vezes, pode respingar pela pressão gerada pelo processo de fermentação.

The Daring Gourmet

Depois de aberto, o probiótico ou fermentado (são sinônimos) dura seis meses dentro da geladeira. O difícil é não acabar antes disso, de tão gostoso que fica, seja misturado na salada ou mesmo puro. Fermentação é probiótico, e o nome já diz: pró-vida.

*Pedro Schestatsky é médico e autor do Best-seller Medicina do Amanhã

Probióticos reforçam sistema imunológico contra Covid-19

Nutricionista da Sapore dá dicas de como preparar e utilizar essas bactérias benéficas em diversos alimentos

A alimentação merece uma atenção especial em tempos de pandemia. A escolha correta dos alimentos pode auxiliar na manutenção e recuperação da saúde. Uma das tendências que vem ganhando cada vez mais força é a introdução de probióticos na dieta alimentar.

“Eles são capazes de interagir com nossa microbiota intestinal e possuem diversos benefícios, inclusive podem reforçar o sistema imunológico, fazendo assim aumentar a imunidade para combater o vírus da Covid-19”, afirma Samantha Marinho, nutricionista da Sapore, empresa de origem nacional especializada em alimentação para os segmentos corporativo, saúde, educação, eventos, varejo e restaurantes virtuais (delivery).

De acordo com a profissional, um estudo recente que diz que os probióticos podem aprisionar o vírus na infecção respiratória, bem como inibir a ligação do vírus ao receptor da célula hospedeira. “Estudos em humanos mostraram que os probióticos protegem em mais de 50% contra resfriados comuns e gripe”. Samantha explica que essas bactérias benéficas podem ser encontradas em produtos como iogurte natural, leites fermentados e o famoso kefir, que contém as bactérias e leveduras benéficas vivas.

A nutricionista dá dicas de como produzir e utilizar o probiótico em casa. “O kefir pode ser encontrado facilmente por doação em sua cidade, nas redes sociais é possível achar diversos grupos de compartilhamento do alimento. Caso você não consiga uma doação, ele pode ser adquirido em sites especializados”, diz Samantha.

Kefir

Ingredientes
1 pote de vidro,
1 colher de plástico ou de madeira
1 pano limpo ou papel toalha
1 elástico
1 colher de sopa de grãos de kefir de leite
500 ml de leite integral de vaca, cabra ou búfalo

Modo de preparo
Esterilize o vidro e a colher com água quente. Adicione os grãos dentro do pote de vidro, adicione o leite e tampe com o pano e o elástico. Leve para fermentar em temperatura ambiente e em lugar escuro e fechado por 24 horas. Depois de se passar 24 horas, é só coar o leite fermentado, os grãos que ficaram na peneira devem voltar ao vidro, mas antes você deverá lavar e esterilizar. Tampe e faça uma nova fermentação. Importante, a peneira não pode ser de metal. Passa o leite fermentado para uma jarra ou garrafa. Leve à geladeira, espere resfriar e pronto, seu kefir já pode ser servido. Se preferir, bata com frutas, mel, aveia ou outra mistura a seu gosto. Com o Kefir você consegue fazer várias preparações como queijos, pudins, frozen, guacamole, bolos entre outros.

Fonte: Sapore

Seis óleos essenciais que podem auxiliar no controle da imunidade por meio do equilíbrio emocional

Os óleos essenciais são aromas naturais extraídos diretamente das plantas, seja de sua raiz, de seu caule, de sua semente, de sua flor ou de seu fruto. Eles possuem uma enorme variedade de benefícios, podendo ser utilizados para auxiliar a saúde, como auxilio do controle da imunidade e também para proporcionar bem-estar físico e emocional.

As plantas possuem propriedades que exercem efeito em vários sistemas do nosso organismo, o imunológico é um deles. O sistema imunológico responde a todas as funções do corpo, por isso, uma das indicações para contribuir com o reforço da imunidade é ter mecanismos de controle do estresse. Nesse caso a aromaterapia pode ajudar nesse período de pandemia. Há relatos de pessoas que conseguem equilibrar as emoções, usando os óleos essenciais na sua rotina diária.

A Phytoterápica listou os principais óleos essenciais que, além de liberarem um cheiro delicioso pelo corpo, poderão ajudar a controlar a imunidade.

Olíbano: forte atividade para proporcionar relaxamento. Preço médio: R$ 94,00

Gengibre: traz uma força vibracional para questões de fraqueza, letargia, proporcionando mais coragem e confiança de forma geral. Preço médio: R$ 48,00

Eucalipto Globulus: proporciona alívio para as vias respiratórias. Preço médio: R$ 30,80

Laranja: atua no bom humor, auxiliando no equilíbrio do estresse e estados de ansiedade.
Preço médio: R$ 27,00

Palmarosa: traz a vibração do amor-próprio, pode auxiliar no equilíbrio da saúde física.
Preço médio: R$ 36,00

Patchouli: auxilia no equilíbrio causado por mudanças de humor, comportamento ansioso, culpa e sentimento vazio. Preço médio: R$ 36,50

Modo de usar: no aromatizador elétrico (5 a 8 gotas), no colar difusor pessoal (1 a 2 gotas), na massagem (diluído num óleo vegetal ou creme base) e na inalação (1 gota no inalador, complete com soro fisiológico).

Sobre a Phytoterápica

Há 15 anos no mercado, é referência em óleos essenciais e produtos cosméticos 100% naturais, com certificação orgânica e veganos, livres de petroquímicos e de ativos de origem animal. A empresa está sediada em São Paulo e possui escritório no Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Minas Gerais e conta com parceiros (lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação e de homeopatia) no país inteiro, e-commerce e mais de 5 mil revendedoras.

Nutricionista da Secretaria de Agricultura de SP indica alimentos que reforçam imunidade

Alimentação saudável pode auxiliar na recuperação de doenças como dengue, o Zika virus e a Chikungunya

As águas de março podem até sinalizar o término do verão, mas a falta de cuidados com a água das chuvas recorrentes nessa época continuam formando o ambiente propício para a proliferação de mosquitos. Com a pandemia da Covid-19, muitos têm se esquecido de um outro grande vilão à saúde: o Aedes aegipty, mosquito que transmite doenças como a dengue, o Zika vírus e a Chikungunya, e se desenvolve em água limpa empoçada, local ideal para colocar suas larvas.

Então, além de seguir todas as recomendações que vêm sendo feitas neste período, como a prevenção contra focos e criadouros, é importante também manter a imunidade em alta. Nessa questão, consumir os alimentos certos é fundamental.

A nutricionista da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Sizele Rodrigues, que atua na Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), dá as dicas para uma alimentação saudável que poderá deixar adultos e crianças menos vulneráveis às gripes, aos resfriados e outras doenças que deixam o corpo dolorido e perseveram por dias e até semanas. Segundo Sizele, vale a pena pensar melhor nos alimentos ingeridos, o que poderá não imunizá-lo totalmente, mas certamente vai contribuir para não contrair as doenças e, caso aconteça, ter uma melhor e mais breve recuperação.

“Manter uma alimentação saudável e adequada é um fator de extrema importância para o fortalecimento do sistema imunológico. Alguns nutrientes encontrados nos alimentos desempenham a função de modular a resposta imune do corpo e com isso ajudam a prevenir o desenvolvimento de diversas doenças”, afirma Sizele.

O sistema imunológico é a principal defesa do corpo humano, atuando contra inúmeras substâncias estranhas e essencial na prevenção de infecções. São vários os fatores capazes de influenciar o funcionamento desse sistema, como a idade, os fatores genéticos, metabólicos, ambientais, anatômicos, fisiológicos, nutricionais e microbiológicos, mas uma boa alimentação é a base de um bom funcionamento do corpo humano.

Alimentos que auxiliam a imunidade, aliado a exercícios físicos e boas horas de sono podem fazer a diferença

Steve Buissinne/Pixabay

A vitamina C ou ácido ascórbico possui papel importante no fortalecimento da imunidade por ter propriedades antioxidantes e auxiliar na integridade das células de defesa, o que aumenta a resistência contra infecções. Frutas como laranja, tangerina, limão, acerola, morango e goiaba são importantes fontes de vitamina C.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) a ingestão diária de 45mg de vitamina C, ou o consumo de apenas uma laranja por dia já supre essa necessidade no organismo. Muitos estudos apontam que 200mg/dia de vitamina C pode ser bastante benéfico à saúde e pode ser alcançado com apenas um copo grande (400ml) de suco da fruta. Já a deficiência severa de vitamina C pode levar ao aparecimento de escorbuto, doença caracterizada por hemorragias, sangramento de gengivas, dores musculares e queda de dentes em crianças e adultos.

“Apesar de o ácido ascórbico estar diretamente relacionado à boa imunidade, uma alimentação realmente capaz de proteger o organismo de doenças deve ser rica em várias outras vitaminas e minerais que estão presentes nos mais diversos tipos de alimentos. Portanto, as refeições diárias devem ser bem completas e equilibradas”, ensina Sizele Rodrigues.

Capri23auto/Pixabay

A vitamina A, encontrada em alimentos vermelhos e alaranjados, como cenoura, manga, abóbora e tomate, é outro nutriente importante na manutenção da integridade das células de defesa.

A vitamina E ajuda a proteger células contra substâncias tóxicas e favorece a função imunológica. As castanhas, o amendoim, as sementes de girassol e os vegetais verdes escuros, como brócolis, couve, por exemplo, são ricos neste nutriente.

Pixabay

O zinco é um mineral que está altamente relacionado ao fortalecimento do sistema imune, e é encontrado em carnes, laticínios, frutos do mar e cereais.

Além destes nutrientes, Sizele recomenda o consumo de probióticos, como o iogurte natural, por contribuir para o equilíbrio da microbiota intestinal e auxiliar as células de defesa no combate às infecções.

Pouring water from bottle into glass on blue background

E, claro, não se deve esquecer que a boa hidratação também é fator essencial para manter a imunidade em alta. A ingestão de dois litros, em média, de água por dia é fundamental, lembrando que não basta apenas se alimentar bem e ingerir água, é preciso aliar a essa alimentação saudável e balanceada, horas de sono regulares e a prática de exercícios físicos. “Controlar o estresse é imprescindível para o funcionamento do sistema imunológico e, consequentemente, para a prevenção de doenças”, afirma a nutricionista.

No mês de março é fácil encontrar, além das laranjas e limões, alimentos ricos em nutrientes para consumo durante todo o ano. A goiaba, a acerola e o caqui são algumas das frutas da época, o melhor momento para degustá-las por terem mais qualidade e sabor.

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Pandemia serviu de estímulo na busca por alimentos funcionais, mostra pesquisa

Relatório elaborado pela Takasago mostra que consumidores estão procurando mais por alimentos que tragam imunidade, bom humor e intestino saudável

Utilizar a alimentação como uma forma de medicação natural não é um conceito novo, mas tem atraído cada vez mais as pessoas. Além de vitaminas e suplementos, os consumidores têm se voltado para alimentos e bebidas que contenham ingredientes específicos para atender a certos estados de necessidade, e a pandemia da Covid-19 trouxe para primeiro plano a importância de se cuidar da saúde e do bem-estar.

Essa conscientização crescente fornece, aos fabricantes, a oportunidade de desenvolver produtos funcionais voltados às necessidades de curto e longo prazo dos consumidores. De olho no mercado, a Takasago – uma das cinco maiores empresas de aromas e fragrâncias do mundo, com operação em 26 países, incluindo o Brasil – elaborou um relatório com as três principais tendências no espaço de alimentos e bebidas funcionais: imunidade, humor motivado e microbioma.

“Essa pesquisa forneceu à Takasago a oportunidade de trabalhar em conjunto com nossos clientes para desenvolver produtos que fossem saborosos e, ao mesmo tempo, saudáveis, atendendo a uma crescente demanda do mercado”, comenta Rafaela Bedone, Head de Marketing e de Consumer Insights da Takasago.

Imunidade

A imunidade já era um “sonho de consumo” mesmo antes do surgimento do novo coronavírus. Lançamentos em alimentos, bebidas e suplementos com tal funcionalidade cresceram 29% em comparação aos biênios 2015/2016 e 2018/2019. Com a pandemia, a esperança de se prevenir do vírus fez aumentar a procura por produtos de reforço imunológico. Esta vertente do mercado de alimentos e bebidas deverá crescer 6,6% ao ano, até 2024, no Brasil.

Tendências em ingredientes:

Foto: Joseph Mucira/Pixabay

• Gengibre
• Canela
• Zinco
• Pimenta-preta
• Açafrão
Tendências em sabores
• Citrus
• Capim-limão
• Maçã
• Açaí
• Romã

Motivação de humor

A pandemia da Covid-19 trouxe consigo o isolamento físico, as medidas restritivas e as quarentenas. No “pacote”, veio também o aumento do estresse, a ansiedade e os problemas relacionados à saúde mental. Por isso, o consumo de alimentos que trazem sensação de conforto aumentou. Além disso, os funcionais ganharam ainda mais espaço, fornecendo aos consumidores produtos que podem ajudar a melhorar o humor e aliviar algumas das preocupações com a saúde.

Tendências em ingredientes

Lavanda

• Lavanda
• Hibisco
• Cannabis
• Camomila
• Pepino

Tendências em sabores

Foto: Laura Musikanski/Morguefile

• Amora
• Morango
• Limão
• Melancia
• Menta

Microbioma

Um intestino saudável é mais do que apenas a decomposição e a absorção de nutrientes. O microbioma, um espectro de bactérias vivas encontradas no intestino, passou a ser compreendido e conectado ao cérebro e à saúde imunológica. Os produtos para a saúde intestinal estão sendo formulados para tratar da saúde digestiva, bem como de outras áreas da saúde geral, por meio de ações no intestino.

A saúde do microbioma intestinal está evoluindo além dos ingredientes probióticos e prebióticos para outros ingredientes, como os pós-bióticos, nos quais a pesquisa científica ainda está no início. Tal entendimento também aqueceu o mercado de alimentos e bebidas no Brasil, mas, desta vez, no nicho de saúde digestiva, que, segundo a Euromonitor, também deve crescer na ordem de 6,6% ao ano, até 2024.

Tendências em ingredientes

Foto: BenefitsHeader

• Kombucha
• Pós-bióticos
• Kefir
• Fibras
• Cardamomo

Tendências em sabores


• Maçã
• Pera
• Goiaba
• Abacaxi
• Pêssego

Fonte: Takasago

Começando o ano bem: sete metas para ter mais qualidade de vida em 2021

Confira as dicas dos especialistas para começar o ano com foco na saúde

Começar o ano cuidando da saúde é muito importante. Desde os cuidados mais complexos como realizar exames preventivos de rotina e fazer um acompanhamento médico até os cuidados mais básicos que devemos ter no dia a dia como as mudanças nos hábitos alimentação, cuidados com a saúde mental e até mesmo com a vida financeira.

E como início de ano é uma época em que muitas pessoas aproveitam para refletir sobre os erros cometidos no ano anterior e impor metas para o novo ano que se inicia, foi pensando nisso que separamos sete metas para ajudar no bem-estar e qualidade de vida em 2021.

Confira a lista e use como base para montar as suas metas pessoais e lembre-se que para alcançá-las, só depende de você.

• Mantenha uma boa alimentação

Foto: Pablo Merchan Montes/Unsplash

Sem dúvidas, essa é uma das metas mais importantes dessa lista. De acordo com a nutricionista Tayna Fernandes, da Clínica NN Estética, a alimentação saudável é essencial para quem quer ter uma melhor qualidade de vida. “Consumir alimentos ricos em vitaminas e nutrientes fazem toda a diferença. O ideal é começar com pequenas mudanças, incluindo verduras no almoço, frutas no lanche, dois litros de água por dia, optar por alimentos integrais, evitar o sal e trocar o refrigerante por sucos naturais ou chás gelados é uma ótima maneira de garantir o seu bem-estar. ”

• Mexa-se e saia do sedentarismo

Foto: Jeviniya-Pixabay

A prática de exercícios físicos promove a produção e liberação de substâncias como a endorfina e a dopamina, que nos dão a sensação de bem-estar, concentração e bom humor. “Os benefícios vão além do aumento da massa muscular ou redução dos níveis de gordura, os exercícios também promovem a quebra do quadro de “preguiça” e sensação de incapacidade nos indivíduos. É importante saber que quando somos orientados por um profissional, a atividade física traz os mesmos benefícios que alguns remédios, mas sem contraindicações ou efeitos colaterais”, explicou Felipe Barboza, profissional de Educação Física da Pulse Nutrition.

• Sua saúde mental também importa

“Olhe para si com carinho. Olhe para o outro com devido valor. Humanize as relações. Tenha empatia. A nossa saúde mental também importa. Como eu costumo dizer: ‘o bem-estar em primeiro lugar’. Por isso, pratique sempre a humanização, seja para a sua equipe de trabalho, amigos, família ou, principalmente, para os desconhecidos, isso vai ajudar você a se sentir bem e cuidar de si também”, disse a especialista em desenvolvimento humano Ester Gomes.

• Cuide da sua imunidade

BePure

O papel da alimentação é muito importante nesta meta, pois ela influencia diretamente no consumo de minerais e vitaminas que são responsáveis por ajudar a proteger o nosso sistema imunológico. Mas muitas pessoas não se alimentam corretamente ou ainda assim precisam de suplementos vitamínicos para ajudar. Tamara Borges, Health Coach da Pulse Nutrition, explica que os suplementos ajudam a turbinar a imunidade. “Existem diversos suplementos vitamínicos, mas um dos mais procurados é a vitamina D3, que regula a presença do cálcio e ferro no sangue, controla a pressão arterial, combate doenças autoimunes e também auxilia no fortalecimento dos ossos. Além dessa, a vitamina C também é uma ótima pedida pois ela é antioxidante, ajuda no metabolismo e combate os radicais livres. É importante antes de escolher o suplemento ideal para você, procurar a orientação de um especialista no assunto. ”
A biomédica Adriana Lima, também indica shots matinais para imunidade. “São shots preparados com água, limão, hortelã, gengibre e outros alimentos que são antioxidantes. O shot prepara o seu corpo para receber um café da manhã bem nutrido, causando uma desinflamação rápida e fazendo com que seu corpo absorva melhor os nutrientes e colaborando com a sua imunidade. O ideal é tomar ele assim que você acorda. ”

• Não abra mão de proteger sua saúde bucal


“A limpeza diária faz parte da rotina básica de cuidados para garantir que a saúde bucal está em dia, devemos escovar os dentes, passar fio dental e enxaguante bucal diariamente. Essa rotina ajuda a prevenir doenças como cárie e gengivite, além de fazer a limpeza básica”, explicou a dentista Rita Ventura.

• Tenha atenção à sua saúde financeira

Stocksy Unites

O consultor financeiro André Aragão traz algumas dicas que parecem simples, mas que ajudam muito no seu planejamento financeiro. “É importante sempre analisar os gastos e caso você seja empreendedor, separar a pessoa física da jurídica. Gaste de acordo com seu padrão de vida atual, especifique suas metas, utilize ferramentas para acompanhas os seus gastos como planilhas, compare preços antes de comprar, pague à vista sempre que possível e defina seus objetivos financeiros. Também é muito importante se planejar a longo prazo.”

• Passe mais tempo com quem você ama

“A proximidade com as pessoas que você ama precisa fazer parte da sua rotina. Seja presencial ou virtual, cercar-se de pessoas que te energizam é algo poderoso, que traz benefícios não só para o seu vigor físico e mental, mas que também funciona como fonte geradora de novos estímulos positivos, que te impulsionam para o cumprimento de outras metas e objetivos. Quando estamos na companhia de pessoas que amamos, nos sentimos mais à vontade e confortáveis. Nesse momento, o cérebro liga uma “chave de escape”, permitindo o descanso mental, fazendo uma clara a separação dessa vivência, com outras experiências que nos causam fadiga”, explicou Flávia Knop, especialista em desenvolvimento humano.