Arquivo da tag: legumes

Você sabe o que são flavonoides e por que eles são importantes?

Verduras, legumes, frutas, temperos e até o chocolate amargo contam com flavonoides, compostos químicos altamente antioxidantes que só trazem benefício ao cérebro e ao coração

O que mirtilos, espinafre e chocolate amargo têm em comum? Eles são todos ricos em flavonoides, compostos químicos encontrados nas plantas que lhes dão cor – e poderes medicinais. “Pesquisas mostram que os flavonoides fornecem uma ampla gama de benefícios à saúde, desde sua alta capacidade antioxidante para ajudar a prevenir e combater o câncer e reduzir o risco de doenças cardíacas até preservar a função cerebral. Eles também são apontados como uma estratégia para combater rugas”, explica a médica nutróloga Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran). “A principal razão pela qual os flavonoides são bons para nossa saúde é que eles têm efeitos anti-inflamatórios e são antioxidantes”, esclarece.

Os antioxidantes ajudam a combater a inflamação e o envelhecimento celular, segundo Marcella. “Os flavonoides também têm propriedades que podem ajudar a prevenir a formação de coágulos sanguíneos. Um estudo publicado no ano passado na revista Hypertension, da American Heart Association, sugere que flavonoides em alimentos como frutas vermelhas, vinho tinto, maçãs e peras podem influenciar as bactérias intestinais de uma forma que reduz a pressão arterial”, explica.

Por causa disso, os flavonoides desempenham um papel central nas dietas mediterrânea (baseada no consumo de alimentos frescos e naturais como azeite, frutas, legumes, cereais, leite e queijo, e excluindo ou evitando produtos industrializados como salsicha e comida congelada), DASH (que tem como plano principal diminuir a pressão arterial) e MIND (mescla da dieta mediterrânea e DASH), os padrões alimentares mais recomendados pelos especialistas em saúde do coração e do cérebro. “Embora existam algumas diferenças, as três dietas colocam um foco pesado em frutas, vegetais, nozes e feijões ricos em flavonoides”, explica a Dra. Marcella.

No Brasil, a maioria das pessoas não consome flavonoides suficientes, principalmente porque não comem a quantidade diária recomendada de frutas e vegetais. É recomendado que os adultos comam de 1,5 a 2 xícaras de frutas por dia e de 3 a 4 xícaras de vegetais. “Mas, no padrão alimentar ocidental apenas 1 em cada 10 adultos come tantos vegetais e apenas 1 em 8 come uma quantidade suficiente de frutas”, conta a Dra. Marcella.

A boa notícia é que os flavonoides são encontrados em uma variedade tão ampla de frutas, vegetais e outros alimentos que não deve ser difícil encaixá-los em sua dieta. “Eles são encontrados em cerejas, maçãs, uvas, alho-poró e vegetais verdes folhosos, como espinafre, alface romana e couve, além de temperos e especiarias como cúrcuma, páprica, cominho, tomilho, salsa e orégano. Se você come alho e cebola, também vai encontrá-los lá. A soja também conta com esses compostos”, explica a médica.

O ideal, enfatiza a médica nutróloga, é comer uma ampla variedade de alimentos ricos em flavonoides para obter o maior valor nutrológico proveniente deles. “O objetivo é comer uma variedade de frutas e vegetais de cores diferentes. Comer um arco-íris”, exemplifica. “Se você não está acostumado a comê-los, pode incluí-los em sua dieta lentamente, para adequar o paladar. Coma mais um pedaço de fruta por dia; coloque mais um vegetal no seu prato na hora do jantar. Tentar reformular toda a sua dieta pode ser difícil, então comece fazendo pequenas mudanças.”

Comer alimentos frescos e integrais é a melhor maneira de obter os flavonoides de forma como o organismo precisa, mas não é a única maneira. “Se as frutas frescas não estiverem disponíveis, as misturas de frutas congeladas são uma boa alternativa. Frutas e vegetais que são congelados rapidamente retêm altos níveis de nutrientes, armazenam facilmente e podem adicionar variedade ao prato mesmo fora de época. Lembre-se de descongelar lentamente, na geladeira”, explica a médica.

Você também pode beber flavonoides. Bebidas como vinho tinto e chá, especialmente chá preto ou verde, são boas fontes. “Frutas e vegetais também podem ser espremidos em sucos ou smoothies, mas o suco não é o ideal porque remove muita fibra benéfica”, explica a médica. “No entanto, se essa é a única maneira de colocá-los em sua dieta, então faça isso”.

Pixabay

Para os amantes do chocolate, uma boa notícia: ele é, talvez, a forma mais palatável de incluir flavonoides na rotina. “Mas o chocolate amargo, por conter maior quantidade de cacau, é o que concentra mais flavonoides”, comenta a médica. “Há muitos alimentos que você pode escolher, então coma os que você gosta. E não tenha medo de experimentar novos. Qualquer pessoa que já siga as dietas mediterrânea, DASH ou MIND – ou qualquer dieta baseada em vegetais de alta qualidade – não deve se preocupar. O objetivo é consumir um padrão alimentar saudável. E se estivermos fazendo isso, estaremos consumindo flavonoides suficientes”, finaliza a médica nutróloga.

Fonte: Marcella Garcez é médica nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo. Membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética e da Sociedade Brasileira para o Estudo do Envelhecimento. Instagram: @dra.marcellagarcez

Outono: conheça as frutas, verduras e legumes da estação

A estação, que é marcada por climas amenos e noites mais frias, traz diversas frutas para compor a alimentação; confira

É preciso ter atenção especial com a alimentação durante todo o ano, mas em algumas épocas, como outono, o organismo precisa de nutrientes diferenciados e alimentos que reforcem o sistema imunológico contra gripes e resfriados por conta das temperaturas mais baixas desta estação que é marcada por climas amenos e noites mais frias.

Para começar, a dica é eliminar a dieta monocromática e dar mais cor ao cardápio, incluindo frutas, verduras, legumes e evitando alimentos gordurosos, açucarados e ultraprocessados. Alimentos ultraprocessados, em sua maioria, apresentam muitos aditivos artificiais e uma quantidade muito alta de sódio que pode comprometer a saúde com o tempo.

O Quitanda, mercado de produtos frescos localizado na rua Mateus Grou, em Pinheiros, selecionou alguns alimentos para você incluir na sua compra semanal. O estabelecimento trabalha com um vasto hortifruti, incluindo uma área dedicada aos orgânicos. O cliente ainda encontra uma grande variedade de carnes, peixes, temperos gourmet, produtos de mercearia, veganos, pães, e itens de marca própria, como geleias, molhos, sucos e refeições congeladas.

Confira a seleção e veja o que incluir na sua compra semanal:

Abacate: a fruta é repleta de nutrientes, além de ter fibras, potássio, magnésio e vitaminas do complexo B, K e C, ideias para o bom funcionamento do organismo. O abacate também apresenta um aminoácido chamado triptofano que ajuda na produção de serotonina, responsável pela sensação de bem-estar no corpo.

Laranja: a fruta é rica em vitamina C, cálcio, fósforo e ferro que vai melhorar a imunidade. Os antioxidantes presentes ajudam a diminuir o colesterol, além de bloquear células cancerígenas. As fibras presentes também auxiliam na diminuição de problemas intestinais.

Foto: Ceeline/Pixabay

Caqui: é uma fruta excelente com doses de vitamina A, C e fibras. O caqui também sais minerais como cálcio, ferro e fósforo, magnésio, manganês e zinco. Em se tratando de saúde, ele é benéfico para a prevenção de doenças cardíacas, controle da pressão arterial, melhora o funcionamento do intestino e da imunidade.

Banana: muito comum em todo o Brasil, a fruta é um alimento rico em vitaminas do complexo B, como B1, B2, B6 e B12 que auxiliam diretamente no sistema nervoso. A presença de ferro estimula a produção de hemoglobina, sendo indicada para o combate de anemia.

Maçã: famosa por diminuir o índice glicêmico, a fruta é rica em fibras solúveis que eliminam impurezas pelo intestino. A florizina, substância encontrada na maçã, protege o fígado contra a ação dos radicais livres, incentivando que ele elimine toxinas e excesso de gordura.

Maracujá: protagonista em receitas como mousses, bolos, molhos, geleias, vinagretes e até farofas, o maracujá é repleto de nutrientes essenciais para a manutenção do organismo, como vitaminas do complexo B, cálcio, ferro, fósforo, sódio e potássio. A fruta também é conhecida por ter efeito calmante graças à ação de flavonoides e alcaloides que atuam no sistema nervoso central agindo como tranquilizantes, analgésicos e relaxantes musculares, o que também contribui para o combater a depressão, ansiedade e distúrbios do sono.

Inhame: o tubérculo tão popular em carboidratos de baixo índice glicêmico e fibras solúveis é uma excelente fonte de vitaminas do complexo B, como vitamina B6, vitamina B1, riboflavina, ácido fólico e niacina. Ele também apresenta potássio, ferro, cálcio, fósforo, magnésio e cobre que são minerais importantes para o organismo.

Gengibre: ingrediente sempre presente em chás e sucos, a especiaria ajuda a acelerar o metabolismo. Suas propriedades anti-inflamatórias e digestivas, melhoram a limpeza do intestino e a digestão de gorduras, o que facilita o trabalho do fígado.

Foto: Clara Sander/Pixabay

Espinafre: as folhas apresentam boas doses de ferro, cálcio, fósforo, potássio, magnésio, fibras, proteínas, carboidratos, além de vitaminas A, K e B2. O consumo regular contribui para a saúde dos olhos e pode prevenir doenças cardiovasculares. Para a absorção de todos os minerais, é recomendado ingerir a hortaliça com alimentos ricos em vitamina C, tais como laranja, abacaxi ou acerola.

Agrião: de sabor marcante, o agrião é rico em cálcio, ferro, potássio e vitaminas A e C. A vitamina C, aliás, atua na prevenção e combate de problemas respiratórios, resfriados e gripes graças a sua ação expectorante e descongestionante. O alimento pode ser consumido como salada e também usado como complemento em carnes refogadas, sopas e caldos.

Pepino: não é somente bom pele, ele é rico em vitamina C, B5, potássio, magnésio, folato, fibras e antioxidantes. Composto de 90% de água, o vegetal apresenta 24% de proteína que podem beneficiar os músculos.

Além desses dos alimentos acima, compõem a estação: abóbora, abobrinha brasileira, ameixa estrangeira, atemoia, batata-doce, berinjela, limão, caqui, cará, carambola, cebola, chuchu, cupuaçu, ervilha-torta, figo, graviola, jiló, kiwi, lima-da-pérsia, louro, mamão, mandioca, mandioquinha, mexerica, milho, pera, pinhão, pitaya, rabanete, salsa, tangerina, tomate e uva.

Fonte: Quitanda

Frutas, legumes e verduras que são mais baratos em março

É safra de abacate, goiaba, ameixa, repolho, escarola, rúcula, pepino, quiabo e tomate

O grupo alimentar dos hortifrútis ricos em vitaminas, minerais e fibras, que fazem muito bem para saúde, também protegem contra o aparecimento de diversas doenças. Consumir produtos da época como abacate, ameixa, goiaba, repolho, escarola, rúcula, pepino, quiabo e tomate proporcionam uma alimentação mais saudável, são mais baratos e nutricionalmente melhores.

Segundo, Glaucia Braggion, nutricionista e professora do curso de Nutrição da Faculdade Santa Marcelina, o fato de ser período da safra, garante maior oferta no mercado e faz com que os preços caiam. “Os vegetais quando estão no período de safra, geralmente apresentam valor nutricional mais rico, porque conseguem se desenvolver melhor e aproveitar ainda mais os nutrientes ofertados pelo solo, o que garante mais qualidade nutricional e exige menor utilização de adubos e fertilizantes para seu cultivo”, disse.

Confira abaixo algumas frutas, legumes e verduras da safra de março listados pela nutricionista:

Frutas

-Abacate é um alimento rico em energia, que provém das gorduras de boa qualidade como os ácidos graxo poli-insaturados e o ácido oleico (ômega 9) que proporcionam, além da saciedade, redução no risco de dislipidemia. Essa característica se deve ao perfil de lipídios (gorduras) da fruta que ajuda a manter bons níveis de colesterol (promove redução do LDL e aumento do HDL). Devido à característica sacietógena dos alimentos gordurosos (capacidade de aumentar saciedade), ele pode e deve ser indicado em dietas em que se pretende restrição calórica ou redução de peso uma vez que pequenas quantidades dessa fruta podem manter a fome controlada por mais tempo.

Silverstylus/Pixabay

Além disso, ele contém vitaminas (como a Vitamina C e a Vitamina E) que exercem papel antioxidante no organismo, auxiliando no controle do estresse oxidativo e prevenindo doenças crônicas. A Vitamina A presente no abacate tem função antioxidante e, também anti-inflamatória. O teor de fibras solúveis aliado a gordura da fruta ajuda o bom funcionamento do intestino, que é a porta de entrada de todos os nutrientes do organismo.

-Goiaba é uma fruta rica em fibras com baixo teor de calorias capaz de promover vários benefícios para o organismo. Devido ao seu elevado teor de fibras, a goiaba melhora da função do trato gastrointestinal, especialmente quando o intestino está ‘solto’. Por ser uma das frutas mais ricas em vitamina C, ela participa do processo do organismo de aumentar as defesas imunológicas, favorecendo a imunidade e reduzindo risco de infecções recorrentes.

Possui elevado teor de licopeno, especialmente a goiaba vermelha. O licopeno é um composto bioativo que atua em mecanismos que promovem menor risco cardiovascular e redução inclusive do risco de câncer de próstata. Esse composto bioativo também atua na saúde da pele e na proteção quanto ao estresse oxidativo causado pelo sol, protegendo a pele dos raios UV.

-Ameixa é uma fruta com sabor adocicado e muito rica em fibras e vitaminas, que atuam proporcionando efeitos benéficos para a saúde quando combinadas num contexto de dieta equilibrada. Seu elevado teor de fibras, celulose e pectina, auxilia o funcionamento intestinal promovendo efeito laxativo. Esse efeito é ainda mais intenso devido à presença de quantidades significativas de sorbitol e isatina, que são mais disponíveis na versão desidratada (ameixa seca). Essa ação na saúde intestinal promovida pelas fibras auxilia inclusive no controle do colesterol modulando sua absorção intestinal.

Foto: Max Straeten/Morguefile

O seu elevado teor de vitaminas do complexo B, vitamina A, C e K atuam no sistema imunológico, na proteção da pele, da visão e na manutenção da saúde óssea. Outra substância presente em quantidades relevantes na ameixa são as antocianinas, compostos bioativos que conferem a cor arroxeada à fruta e que exercem importante função antioxidante e anti-inflamatória, beneficiando a saúde cardiovascular e atuando na prevenção das doenças crônicas. Esses efeitos são potencializados pela presença de minerais como magnésio, potássio, ferro, zinco, cálcio e fósforo.

Legumes

-Tomate , apesar de ser uma fruta, é tratada como legume. Nutricionalmente muito rica, de baixo teor de calorias e de sabor adaptado perfeitamente ao paladar do brasileiro. Seu consumo é frequente seja cru, na salada, seja refogado nos alimentos, cozido na forma de molhos e até em produtos industrializados. É uma importante fonte de licopeno, um composto bioativo com função antioxidante e que é mais biodisponível na versão cozida do tomate (molhos, por exemplo) uma vez que o aquecimento melhora a absorção desse composto pelo organismo humano.

O licopeno, por sua função antioxidante, está associado à redução do risco de diversas condições patológicas decorrentes de processo inflamatório e do estresse oxidativo, entre elas destacamos o câncer de próstata, pulmão e estômago, a doença de Alzheimer, o diabetes (papel combinado do cromo presente no tomate), e as doenças cardiovasculares por participar do controle dos níveis de colesterol. Além do licopeno, o tomate contém várias vitaminas como A e C (envolvidas com a visão e o sistema imunológico), a vitamina K (envolvida com a saúde óssea) e vitaminas do complexo B.

Devido à presença de bioflavonoides e carotenoides, o tomate pode contribuir para redução de processos inflamatórios e aliviar dores. O Potássio presente em grande quantidade auxilia na regulação da pressão arterial também. Uma fruta completa e saborosa com versatilidade culinária e fácil acesso não pode faltar na dieta dos brasileiros.

-Pepino é um vegetal muito consumido na forma de saladas e que possui características nutricionais importantes. Por ser rico em água é capaz de ajudar na hidratação do organismo e exercer efeito diurético, auxiliando na redução da retenção hídrica. O pepino pode ser incluído em dietas de emagrecimento por possuir fibras e promover saciedade. Apesar de algumas pessoas apresentarem dificuldade de digerir esse vegetal, sua composição nutricional rica em fibras pode ajudar o funcionamento intestinal em algumas pessoas.

Possui boa quantidade de potássio que ajuda a regular a pressão arterial, além de flavonoides e lignanas, que compreendem compostos antioxidantes que atuam na prevenção de doenças inflamatórias e decorrentes de estresse oxidativo como câncer, doenças cardiovasculares e diabetes. Seu consumo pode ser feito na forma crua, em saladas ou batido em sucos, ou até mesmo em conserva. A única ressalva para a versão em conserva é ficar atento ao teor de sódio e açúcar adicionados na preparação que podem ser bastante elevados.

-Quiabo é um fruto de sabor peculiar e bastante polêmico quanto à sua aceitação ou não. Apesar de muito presente em pratos típicos de culinária regional, muita gente ainda tem preconceito por conta da chamada “baba”do quiabo. Trata-se de uma substância que contém mucilagem e aspecto denso, que atrapalha a característica sensorial do alimento. Mas, se preparado corretamente, pode ficar livre da baba e oferecer diversas vantagens como por exemplo: possuir uma boa quantidade de fibras alimentares, vitaminas A, B, C, E e K. Esses nutrientes cujos benefícios já foram descritos na descrição do tomate, por exemplo.

O ácido fólico presente no quiabo também chama atenção pelo seu potencial benefício na formação desenvolvimento do feto durante a gestação. Com relação aos minerais, no quiabo estão presentes em quantidades significativas o selênio, cálcio, manganês, potássio, zinco, magnésio e ferro, além de ácidos graxos essenciais para o organismo. O magnésio está intimamente ligado ao alívio de sintomas da depressão, de ansiedade e de estresse por reduzir a atividade do cortisol. É, ainda por cima, um alimento pouco calórico, sendo um ótimo aliado nas dietas de emagrecimento.

Verduras

As verduras, ou vegetais folhosos como a rúcula, escarola e repolho, estão presentes frequentemente na alimentação humana e são excelentes opções de alimentos que se encaixam em quase todos os tipos de dieta. Por serem ricos em fibras e água, participam da melhora da função intestinal. Embora sejam pobres em carboidratos, proteínas e lipídeos (os chamados macronutrientes que conferem energia e possuem calorias), as folhas possuem elevado teor de vitaminas, minerais e compostos bioativos que variam de acordo com a coloração e intensidade da cor desses vegetais.

Entre os vegetais crucíferos (como a rúcula, o repolho e até a escarola e o brócolis), a oferta de betacaroteno, vitamina C, vitamina K e minerais como o potássio, ferro, manganês, magnésio, zinco e cobre é abundante, conferindo a esses alimentos um ótimo potencial antioxidante e anti-inflamatório, que associado a diversos fitoquímicos presentes exercem papel anticancerígeno. Possuem também papel digestivo e de melhoria do trânsito intestinal pela presença abundante de fibras alimentares. Eles têm também propriedade diuréticas auxiliando o corpo na eliminação de toxinas.

A sugestão para estimular seu consumo é preparar saladas coloridas, diversificadas e temperadas com molhos caseiros saborosos que facilitam a aceitação. Sugestões de molhos com azeite temperado com limão e especiarias, molhos à base de iogurte desnatado ou até mesmo o tradicional vinagre, limão e sal tornam as saladas mais palatáveis e estimulam seu consumo.

Fonte: Faculdade Santa Marcelina

Aprenda a preparar pudim salgado

Aprenda a receita do delicioso Pudim de Legumes com Queijo, com modo de preparo rápido e prático

Mesmo diante de dias intensos e de muito trabalho, é possível tirar um tempinho para preparar uma receita coringa, que combina com diversas ocasiões. Assim, toda a família tem à disposição um prato delicioso para quando a fome bater. A Zabet, marca de biscoitos da M. Dias Branco, ensina como fazer o Pudim de Legumes com Queijo, que leva ingredientes como atum, azeitonas e mussarela, facilmente encontrados na despensa. Além disso, a receita é bem fácil de fazer, com tempo de preparo de apenas 30 minutos, sendo o restante do período no forno.

Gostou da dica? Veja a receita completa abaixo.

Pudim de Legumes com Queijo

Ingredientes:

Para a massa:
1 embalagem de Biscoito Cream Cracker Zabet (400 g)
2 ½ xícaras (chá) de leite
½ xícara (chá) de óleo
3 ovos
1 colher (sopa) de fermento em pó
2 colheres (sopa) de queijo parmesão, ralado
Sal

Para o recheio:
2 colheres (sopa) de azeite
2 dentes de alho, picados
1 cebola pequena, picada
2 tomates sem pele e sem sementes, picados
2 latas de atum sólido, escorrido
100 g de azeitonas pretas, picadas
200 g de mussarela, ralada
1 colher (sopa) de suco de limão
Sal, salsa e orégano a gosto

Modo de preparo:

Prepare a massa:
Leve ao processador o biscoito cream cracker e bata até obter uma farofa.
Leve ao liquidificador o leite, o óleo, os ovos, o queijo parmesão, a farofa de biscoito, reservando um pouco para polvilhar a forma. Bata até envolver bem todos os ingredientes e reserve.

Prepare o recheio:
Em uma frigideira média com azeite, refogue o alho e a cebola. Junte os tomates, o atum, a salsa, o orégano, acerte o sal, mexa delicadamente e reserve. Em uma tigela grande, junte a massa, o refogado de atum, as azeitonas pretas, a mussarela ralada e o fermento em pó. Mexa delicadamente até envolver bem todos os ingredientes. Unte com margarina polvilhada com farofa de biscoito uma forma de cone central, acomode o bolo e leve ao forno preaquecido 180ºC por cerca de 50 minutos. Retire do forno, espere amornar, desinforme, polvilhe queijo parmesão e sirva a seguir.

Tempo de preparo: 1h20

Fonte: Zabet

Hora do Detox: o poder antioxidante e anti-inflamatório dos alimentos

Como retomar a rotina alimentar depois das festas? A regra é clara: descasque mais e desembale com responsabilidade

Um cardápio carregado de bebidas alcoólicas e alimentos processados, com alto teor de aditivos químicos, conservantes e açúcares. É raro encontrar alguém que não se rendeu a esses alimentos pobres em nutrientes ou acabou cometendo excessos durante as festas de fim de ano. Esse comportamento, no entanto, tende a sobrecarregar o sistema digestivo e o fígado, prejudicando o bem-estar e a saúde de forma geral. Com a chegada de janeiro, quem agiu por impulso e extrapolou na alimentação já deve estar pensando: é hora de entrar na linha novamente.

Antes de tudo, é importante ter em mente que episódios pontuais de exagero tendem a não afetar de forma agressiva o organismo e que não será um alimento específico que trará de volta o equilíbrio nutricional do corpo. “Tudo o que é muito agressivo e restritivo, ou que cause uma mudança grande na rotina alimentar, pode ser prejudicial. Mas, sim, uma dieta desintoxicante, feita por um curto período de transição e com acompanhamento médico, pode trazer benefícios quando a questão é se recuperar do período de festas”, explica o coordenador médico do Hospital Universitário Cajuru, de Curitiba, e especialista em nutrologia esportiva, José Rodriguez.

A dieta não “vinga”? Repense sua rotina alimentar

É muito comum as pessoas sentirem sintomas como cansaço excessivo, sono desregulado, ansiedade e estresse, inchaço causado pela retenção de líquido e sensação de fome constante. Todos esses sinais são indicativos que o organismo precisa eliminar impurezas e neutralizar toxinas. Tentar compensar ou restringir demais certos grupos alimentares não é a solução.

“É importante que qualquer prática detox seja realizada com acompanhamento nutricional individualizado. Com a exclusão de certos alimentos, o organismo pode levar um choque devido às carências nutricionais, além de reduzir o desempenho esportivo e até ocasionar alguma compulsão alimentar”, explica a nutricionista dos hospitais Universitário Cajuru e Marcelino Champagnat, Laleska Vignoli.

O consumo de alimentos com potencial anti-inflamatório e antioxidante pode ajudar bastante neste período pós festas. “Mas a recuperação do organismo deve passar pela retomada da rotina completa e pela prática diária de hábitos mais saudáveis, de forma consciente e contínua“, acrescenta Rodriguez. A orientação é simples: descasque mais e desembale com consciência.

“Desintoxicar o organismo significa fazer uma limpeza natural que começa estrategicamente pelo fígado e intestino. O fígado é o órgão que filtra o sangue do corpo humano, ou seja, ele retém grande quantidade de impurezas. Um corpo sobrecarregado de impurezas ou toxinas perde vitalidade”, complementa Laleska.

Para retomar a rotina alimentar, o ideal é se hidratar muito, procurar ingerir alimentos naturais, como frutas, vegetais, legumes, carnes frescas e cereais verdadeiramente integrais, que preservam as propriedades dos grãos inteiros e não possuem porções refinadas em sua composição. Cabe destacar ainda a importância de priorizar alimentos que tenham procedência e garantia de um processo produtivo cuidadoso, seguro e de qualidade, que realmente ofereça os benefícios que promete.

A Jasmine foi uma das primeiras empresas brasileiras a acreditar na agricultura orgânica. “Somos pioneiros no desenvolvimento de uma linha de orgânicos integrais e nossos produtos são livres de adubos químicos, agrotóxicos e sementes transgênicas”, destaca a gerente de P&D da Jasmine Alimentos, Melissa Gomide Carpi. Os produtos que compõem o portfólio da empresa, dentre eles, cereais, grãos e frutas desidratadas, são amplamente indicados pelos profissionais da área de nutrição para a retomada dos hábitos saudáveis e de um 2022 com vitalidade e bem-estar.

É mesmo possível desintoxicar o corpo?

Os consumidores estão fazendo escolhas cada vez mais conscientes e menos impulsivas nos últimos anos, indica a gerente de P&D da Jasmine Alimentos, Melissa Gomide Carpi. “Esse comportamento é fundamental para manter uma relação saudável e equilibrada com o alimento. Nosso propósito é mostrar que nossos snacks saudáveis, com verdadeiros benefícios nutricionais, são gostosos e de fácil inclusão no dia a dia”.

Para reequilibrar o fígado e a flora intestinal, e auxiliar no armazenamento e metabolização dos nutrientes, é importante incluir certos hábitos na rotina alimentar que impactam diretamente na redução da inflamação e na oxidação do corpo. Confira abaixo algumas dicas:

Adobe Stock

-Beba água, pelo menos 35 ml por quilo de peso diariamente.
-Evite o consumo de carne vermelha em grande quantidade, pois é um alimento de difícil digestão.
-Prefira proteína animal magra, como peixe, frango e porco e ovos.
-Aumente o consumo de verduras, legumes e frutas, principalmente as vermelhas.


-Alimente-se com cereais integrais e leguminosas (como aveia, linhaça), pois as fibras têm papel essencial no funcionamento do intestino.
-Evite açúcar em excesso, principalmente as opções refinadas.
-Reduza o consumo de frituras, dando preferência a preparos crus, assados, cozidos ou grelhados.
-Para cozinhar, utilize azeite, manteiga ou óleo de coco, sempre na menor quantidade possível.
-Substitua o sal por temperos naturais como alho, cebola, cúrcuma, coentro, manjericão, entre outros.


-Na hora de montar o prato, dê mais espaço aos legumes e verduras.
-Coma devagar e mastigue bem os alimentos.
-Faça uso de probióticos, as conhecidas bactérias do bem, que reequilibram a flora intestinal.

Fonte: Jasmine

Novembro: frutas, legumes e verduras de época bons para a alimentação

Confira os benefícios em consumir alimentos da safra do mês com a nutricionista Adriana Stavro

As frutas da estação geralmente são mais frescas, mais saborosas e mais nutritivas. Quando comemos alimentos da maneira que a natureza planejou, desfrutamos não apenas de um melhor sabor, como também dos ingredientes adequados às necessidades do corpo com aquela época do ano, como frutas de verão com alto teor de líquidos. Além disso, costumam ter o melhor preço, o que significa que é possível comer de forma saudável sem prejudicar seu orçamento.

Frutas e vegetais são fonte de vitaminas e minerais. Com todos os seus sabores únicos e interessantes, os alimentos vegetais permitem criatividade na cozinha. Experimente sabores fortes como cebola, azeitona e pimentão, ou opções mais suaves, como berinjela e cenoura. Sabores doces abacaxi, manga, ou pêssego são ótimas, enquanto maracujá e laranjas são mais azedos.

Ricos em fibras, baixos em calorias e gordura, e com muitos nutrientes que protegem de inúmeras doenças como diabetes tipo 2, derrame, doença cardíaca, hipertensão, câncer entre muitas outras.

Fonte: Adriana Stavro é nutricionista funcional e fitoterapeuta. Especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis – Mestre do Nascimento a Adolescência pelo Centro Universitário São Camilo.

Deseja adotar uma dieta vegetariana? Conheça produtos que podem ajudar na transição

Entre queijos vegetais e produtos feitos à base de planta, Superbom explica como fazer a mudança de vida da forma mais natural possível

Com a forte presença de movimentos cruelty free nas redes sociais nos últimos anos, as dietas vegetarianas e veganas – muitas vezes vistas como um estilo de vida – passaram a ser cada vez mais disseminadas e aceitas pela população em geral, conquistando cada vez mais adeptos e simpatizantes. Prova disso é que, enquanto em 2012 apenas 8% da população do Brasil se declarava vegetariana, em 2020, 14% dos brasileiros (ou cerca de 30 milhões de pessoas) afirmaram não consumir nenhum tipo de carne em suas refeições.

O estudo realizado pela Sociedade Vegetariana Brasileira ainda vai além, mostrando que 63% dos entrevistados gostaria de reduzir o consumo de produtos de origem animal em seu dia a dia. Os dados e estimativas indicam que as dietas veganas e vegetarianas, agora não sendo vistas sob uma perspectiva restritiva, tendem a seguir este crescimento e se estabilizar ainda mais no país até 2030.

Seja em dietas vegetarianas, veganas ou flexitarianas (quando a pessoa faz frequentes refeições sem produtos de origem animal, mesmo que não completamente), uma importante pauta é como realizar a transição alimentar de forma gradual e sem extremismos para que a mudança ocorra da maneira mais natural possível. Pensando nisso, a Superbom conta em seu catálogo com diversos produtos que podem facilitar na transição daqueles que desejam adaptar sua alimentação às dietas livres de produtos animais.

“Uma das nossas principais preocupações é oferecer alimentos saborosos e nutritivos que façam com que as pessoas sintam o mesmo prazer de comer carnes e queijos ‘tradicionais’. Nossos produtos vegetais e plant-based passam por diversas etapas de curadoria e controle de qualidade que, quando chegam à mesa dos nossos consumidores, fazem com que eles percebam que dietas vegetarianas e veganas não são necessariamente sinônimos de restrição, mas sim de prazer e satisfação”, declara David Oliveira, Diretor de Marketing da empresa.

A Superbom conta em seu catálogo com diversos produtos como carnes plant-based e queijos veganos que são ideais para aqueles que desejam adotar a dieta, mas que têm dificuldade em desapegar de produtos de origem animal. Enquanto as carnes vegetais da marca têm cheiro, sabor e textura semelhantes à da carne tradicional, os queijos são compostos em grande parte por água, amido, óleo de coco e extrato de levedura, sendo livres de leite e qualquer componente animal.

Outra preocupação relatada muitas vezes ao adotar uma dieta vegetariana é ideia de que este estilo de vida pode levar a alguma deficiência nutricional, pois acreditam que os alimentos de origem animal são mais completos nutricionalmente. Cyntia Maureen, nutricionista da Superbom, explica, no entanto, que é importante atentar-se à inclusão de fontes de proteínas vegetais na dieta e, quando necessário, suplementar alguns nutrientes como a vitamina B12. Segundo a profissional, as leguminosas como feijões, grão de bico, lentilha e ervilha (presente nas carnes vegetais da marca) são uma ótima alternativa para substituições, proporcionando uma alimentação que favorece a saciedade e supre as necessidades do organismo.

“As pessoas estão percebendo cada vez mais que dietas vegetarianas e veganas podem ser tanto saborosas quanto nutritivas, trazendo benefícios ao nosso corpo quando feitas de forma balanceada e saudável. Assim como em toda alimentação, equilíbrio é a chave. Minha dica para aqueles que desejam se aventurar nas dietas livres de componentes animais é que fiquem atentos aos rótulos dos produtos e prefiram sempre aqueles que são feitos com alimentos naturais e sem aditivos químicos. Sendo feitos com base em alimentos de verdade, você terá uma alimentação equilibrada e saudável e realizará sua transição alimentar da melhor maneira possível”, finaliza a nutricionista.

Sugestão de produtos disponíveis no catálogo da Superbom para a transição alimentar:

Burger Gourmet Vegan da Superbom

O Burger Gourmet Vegan da Superbom é uma inovação no mercado vegetariano/vegano. Um burguer vegano com cheiro, sabor e textura semelhante ao de origem animal, no entanto, totalmente plant based por ser um hambúrguer à base de ervilha.

Com 15g de proteína, esse hambúrguer vegano complementa o cardápio com facilidade, sendo o elemento que faltava para criar os melhores lanches com mais sabor e nutrição. Rico em proteínas vegetais, o hambúrguer de ervilha contém vitaminas A, B9 e B12 além dos minerais zinco e ferro, sendo uma ótima opção para substituir o hambúrguer de origem animal.

O hambúrguer pronto sem carne animal da Superbom está disponível em embalagem com 227g.

Frango Vegano em Pedaços à Base de Ervilha

O Frango Vegano à base de ervilha Superbom é uma inovação para o mercado vegetariano. Depois da versão ovolactovegetariana, demos um upgrade e apresentamos a versão de frango vegano que substitui o frango de carne animal.

Enriquecido com vitaminas A, B9 e B12, bem como dos minerais ferro e zinco, o frango vegano pronto é prático e permite excelentes combinações na elaboração de diferentes receitas, como aperitivos, saladas ou pratos quentes.

Com textura macia e sabor único, o frango sem carne animal vem em pedaços e está disponível em embalagem de 400g.

Steak à Base de Ervilha Sabor Frango

Crocante, delicioso e super saudável, os famosos empanados ganharam uma versão vegetariana, à base de ervilha. O Steak Vegetariano sabor Frango da Superbom é uma ótima opção para qualquer refeição. Contém vitaminas A, B9 e B12, e os minerais ferro e zinco. Vai ser difícil resistir!

Linguiça Tradicional à Base de Ervilha

A Linguiça Tradicional à Base de Ervilha Superbom é um alimento ovolactovegetariano pronto para o consumo. É fonte das vitaminas A, B9 e B12, bem como dos minerais ferro e zinco. Excelente combinação no preparo de aperitivos, acompanhamentos ou pratos mais elaborados. Sua textura é macia e, no paladar, é surpreendente.

Salsicha à Base de Ervilha

Excelente na elaboração de cachorro quente vegetariano, a salsicha à base de ervilha é versátil, podendo ser usada em muitas outras preparações.

Com a salsicha ovolactovegetariana seu hot dog nunca mais será o mesmo! textura é macia e o sabor é surpreendente. Estando disponível em embalagem de 300g, a salsicha ovolactovegetariana substitui a salsicha de carne animal.

Vegan Cheese Mussarela 200g

O Queijo Mussarela Vegano da Superbom não possui leite e não tem nenhum componente de origem animal, além de ser um produto de grande versatilidade. Vegan friendly, esse queijo vegano é um alimento 100% vegetal. Escolha o prato e faço sucesso com deliciosas receitas com queijo vegano. É um produto livre de alergênicos e com um sistema abre e fecha, prático e fácil de armazenar – também disponível na versão 480g.Vegan Cheese Gourmet Parmesão 200g

O Queijo Vegano sabor Parmesão Gourmet é um alimento 100% vegetal e vegan friendly. Esse queijo vegano é livre de alergênicos e e, em comparação ao queijo brie tradicional, possui baixo valor calórico.

Muito prático, o queijo vegano sabor parmesão não possui leite e não tem nenhum componente de origem animal, podendo ser consumido frio ou quente. Sirva como aperitivo ou prepare deliciosas receitas com queijo vegano.

Sanduíches, macarronadas, molhos ou até mesmo pizzas veganas e pão de queijo vegan agora ficaram bem mais fáceis de preparar e agradar!

Vegetale

A maionese vegana Vegetale é um alimento 100% vegetal, ou seja, não contém leite animal ou qualquer outro componente de origem animal, ou até mesmo que possa causar algum dano ao reino animal.

Fonte: Superbom

Safra do mês de outubro: nutricionista lista quais os alimentos saudáveis

Frutas e vegetais (FV) estão disponíveis durante o ano todo, mas você sabia que cada estação tem sua própria lista de frutas e vegetais?

Consumir alimentos da safra tem muitos benefícios dentre eles:

=São mais abundantes, portanto, custam menos.
=Comprar sazonalmente, garantirá o consumo de variedade, o que o ajudará a ter uma alimentação balanceada.
=Recebem menos pesticidas porque estão dentro do seu ciclo natural de cultivo
=São mais saborosos e nutritivos
=Têm aroma mais acentuado

Confira os alimentos da safra de outubro

Frutas

-Abacaxis são deliciosos, com poucas calorias e ricos em nutrientes e antioxidantes.

-Acerola é fonte de vitamina C e minerais importantes

-Banana-nanica: mais doce e muito aromática. É mais rica em potássio de todas as variedades de banana.

-Banana prata: não é tão doce quanto a maioria das outras bananas. É a variedade mais consumida no Brasil. Assim como a banana-maçã, é importante fonte de manganês além do potássio.

Foto: Giovanni42/Pixabay

-Cajus são ricos em fibras e gorduras saudáveis. Eles também contêm vitaminas e minerais benéficos à saúde

-Mangas contêm alto nível de vitamina C, fibras e pectina tornando-se uma fruta perfeita que ajuda no controle do alto nível de colesterol

-Caqui é uma fruta de clima tropical, e por isso é cultivado em praticamente todo o país. É uma excelente fonte de vitaminas C e E que, ambas auxiliam na defesa e no bom funcionamento do organismo. Além disso, possui um elevado teor de fibras, o que contribui para o bom funcionamento do intestino.

Pixabay

-Jabuticaba: fonte de fito químicos que ajudam a prevenir o câncer, ótimo para a saúde do fígado e previne o envelhecimento.

-Laranja lima é uma fruta para bebês e gestantes. É muito recomendada por ser menos ácida e com vitamina C em abundância, possuindo ainda antioxidantes e características com ação anti-inflamatória.

Legumes

-Alcachofra, aspargo, berinjela, beterraba, ervilha, fava, pepino, tomate caqui.

Verduras

-Almeirão, catalonha, cebolinha, coentro, espinafre, hortelã, mostarda.

É importante comer verduras e legumes pois estes alimentos fornecem nutrientes vitais para a saúde e manutenção do corpo:

-São naturalmente pobres em gordura e calorias e sem colesterol.

-Os vegetais são fontes de vitaminas e minerais.

-Dieta rica em verduras e legumes pode reduzir o risco de várias doenças, dentre elas, problemas cardíacas, derrame, diabetes, hipertensão e muitas outras.

Pescados:

Foto: Tarasov/Pixabay

Atum, bonito, corvina, lambari, linguado, pintado, robalo, salmão, tilápia.

O peixe é uma excelente fonte de proteína de alta qualidade. As espécies gordurosas também contêm ácidos graxos ômega-3 saudáveis para o coração e outros benefícios, incluindo proteção da visão e melhora da saúde mental. Além disso é fácil de preparar e muito gostoso.

Fonte: Adriana Stavro é Nutricionista Mestre pelo Centro Universitário São Camilo. Especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) pelo Hospital Israelita Albert Einstein, Pós-graduada em Nutrição funcional pela VP e em Fitoterapia pela Courses4U

Estação das flores e cores: quais alimentos típicos e benefícios de consumi-los durante o período?

Na hora de comprar frutas, legumes e verduras para consumir em casa, existem alguns fatores que devem ser levados em consideração, são eles: preço, se estão frescos, orgânicos ou não e que além de não conter agrotóxicos, também priorizam a sazonalidade dos produtos, e a escolha de alimentos mais frescos fazem toda a diferença.

Segundo o próprio Guia Alimentar para a População Brasileira, feito pelo Ministério da Saúde, o consumo de alimentos regionais, oriundos da agricultura familiar, que respeitam a natureza e técnicas agrícolas naturais são infalíveis para melhorar a saúde. Por esse motivo, com a entrada da primavera, nada melhor que aproveitar os FLVs da estação. E você sabe quais são eles?

Principais vantagens de escolher esses produtos

Além de gerar economia para o bolso, as frutas da estação saem do pé na hora certa e chegam ao consumidor de forma mais fresca e saborosa. Para escolher as frutas da safra, a Raízs, foodtech que conecta pequenos produtores de orgânicos com consumidores das cidades, possui um supermercado online com diversas opções de frutas da época, desde as mais comuns, até algumas que não estão sempre disponíveis nos supermercados, sacolões e hortifrutis, sempre respeitando a sazonalidade e o tempo da natureza.

Além disso, a foodtech comercializa produtos orgânicos 25% mais baratos que os habituais, isso porque elimina intermediários da cadeia e faz uma ligação direta entre produção e cliente.

Quais são os produtos da época?

De acordo com o Organis – Associação de Promoção dos Orgânicos, na primavera, a safra de frutas é marcada pela alta da acidez, com a presença do kiwi, maracujá, abacaxi, e outras como mamão, morango, manga e pêssego.

Já com relação às verduras da época, é neste período que o almeirão, o brócolis e o espinafre aparecem em abundância; e no caso dos legumes, os mais comuns são: abobrinha, alcachofra, berinjela, beterraba, ervilha, tomate e cenoura.

É a hora certa de aproveitar as cores e sabores da estação Todos esses produtos estão disponíveis no site Raízs, que entrega na Capital Paulista, Campinas e Região, Grande ABC e Litoral, clique aqui e veja as opções.

Primavera: alimentos da estação e seus benefícios nutricionais

A primavera chegou. Os dias estão cada vez mais longos, o ar cada vez mais fresco e todos parecem estar de bom-humor. Esta mudança de estação marca um momento em que todas as coisas ganham vida e experimentam renovação. Na natureza, isso significa crescimento, flores e deliciosos produtos coloridos. E para nossos corpos, significa deixar para trás a alimentação pesada do inverno e iniciar um novo ciclo.

Na primavera, é a alimentação mais leve do ano e deve conter alimentos refrescantes como brotos, folhas verdes, grãos integrais, frutas, raízes em especial beterraba e cenoura. Sabores doces pouco concentrados e pungentes como mel, hortelã, manjericão, erva-doce, manjerona, alecrim, endro e louro podem criar uma primavera interna com muita proteção. Use cebola, alho e hortelã com arroz, Sopas leves de vegetais são preparações simples, que ajudam a limpar e refrescar o organismo. Esta ampla variedade de produtos frescos fará você se sentir nutrido, ao mesmo tempo que limpam e reconfiguram suavemente o sistema digestivo e imunológico evitando o aparecimento de doenças.

Para ajudá-lo a desfrutar esta estação maravilhosa, cheia de vida, a nutricionista Adriana Stavro fez uma lista dos alimentos da primavera e como usá-los.

Plooploe/Pixabay

Rúcula e outras folhas verdes como alface romana: rico em vitaminas A, K e ácido fólico, além de clorofila, fibra e água, essas folhas ajudam a reduzir inflamação, ao mesmo tempo que hidratam e desintoxicam o corpo.
Como comer: basta misturar as verduras cruas em uma tigela com outros vegetais e algumas nozes ou sementes. Regue com um pouco de azeite de oliva extra virgem e vinagre balsâmico ou suco de limão.

Djedj/Pixabay

Alcachofras: aproveitando um alimento da safra (de setembro a novembro), as alcachofras são ricas em ácido fólico, vitamina C, vitaminas do complexo B e muitos minerais. Esses nutrientes ajudam a diminuir o colesterol, garantem uma gravidez saudável e reduzem os radicais livres.
Como comer: há uma arte na forma básica de cozinhar e comer alcachofra. Eu gosto de fervê-las por + ou – cerca de 20 minutos com muito alho e cebola e um pouco de sal entre suas folhas. Depois sirvo uma inteira para cada convidado, é só descascar e comer a parte comestível do fundo do folhas.

Aspargos: abundante em vitamina K, fundamental para a coagulação do sangue, saúde do coração e dos ossos, bem como cobre, selênio, vitaminas B e muitos outros nutrientes importantes.
Como comer: são deliciosos salteados com um alho, sal e azeite. Fique atento para não cozinhar demais. + ou -10 minutos é o suficiente.

Anna Sulencka/Pixabay

Beterraba: são suculentos, adocicados, saboroso. Eles podem reduzir a pressão arterial, aumentar sua resistência e ajudar a desintoxicação devido seu fitonutriente chamado betaína.
Como comer: você pode adicioná-los a um smoothie, assá-los como acompanhamento, usar cru em saladas.

Cenouras: estamos todos familiarizados com este vegetal clássico, mas quando estão na estação, as cenouras são absolutamente deliciosas. Rico em vitamina A e outros antioxidantes, eles são ótimos para manter cabelos, pele e unhas saudáveis, portanto considerado um alimento antienvelhecimento, da beleza.
Como comer: são muitas maneiras diferentes de consumir, cru, cozido, assada, em sopas, picar, fatiar, usar em lanches, e até mesmo como uma alternativa à junto com a abobrinha para fazer macarrão.

Hortelã: esta erva tem propriedades curativas. A hortelã contém um antioxidante chamado ácido rosmarínico, que pode aliviar os sintomas da alergia sazonal. O mentol que contém é um descongestionante natural e também pode aliviar dores de estômago.
Como comer: a hortelã é delicada, por isso é melhor não cozinhá-la. Eu adoro adicioná-la à água ou ao chá gelado para um sabor natural refrescante, ela também é uma ótima guarnição comestível e pode ser picado e adicionado a saladas de frutas.

Morangos: ricos em polifenois vão apoiar a imunidade, renovação das células e muitas outras funções.
Como comer: poder comer cru, adicioná-los aos smoothies, pode colocá-los em pudim de chia, fazer uma geleia e muitas outras receitas

Alicja/Pixabay

Cebolinhas: a cebola contém grande quantidade de polifenois, principalmente, flavonoides, compostos que desempenham papel importante na prevenção de doenças e na redução do estresse oxidativo. Eles também são anti-histamínicos naturais e têm propriedades antibacterianas e antifúngicas.
Como comer: adicione cebolinhas cruas para finalizar preparações. Molhos, arroz, patês, arroz etc.

Alicja/Pixabay

Rabanetes: os rabanetes são ótimos para remover resíduos e toxinas do estômago e do fígado. Eles também são um diurético natural e ajudam a tratar problemas urinários e renais.
Como comer: o ideal é consumir crua. Fatiar em fatias finas para salada, adicioná-los a uma salada de quinua ou em outra salada de sua preferência.

Lembre-se, variedade maior que quantidade, e boa primavera para você.

Fonte: Adriana Stavro é nutricionista funcional e fitoterapeuta. Especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis – Mestre do Nascimento a Adolescência pelo Centro Universitário São Camilo.