Arquivo da tag: legumes

Namorados: faça você mesma pratos saudáveis e gostosos para comemorar

Com opções de entrada, prato principal e sobremesa, receitas prometem deixar a data dos casais ainda mais especial

Comemorado neste sábado (12), o Dia dos Namorados é considerado por muitos como o dia perfeito para declarações de amor, trocas de presentes e, claro, jantares românticos. E em um momento onde a ida a restaurantes continua incerta – e para fugir dos tradicionais deliveries de comida -, Júlia Canabarro, nutricionista da Dietbox, startup de nutrição, sugere um menu completo composto de entrada, prato principal e sobremesa. As indicações, além de saudáveis e saborosas, são ótimas para colocar as mãos na massa, sair da rotina e criar momentos que vão ficar gravados na memória.

Para o cardápio, a profissional separou três opções: salada de quinoa, quiche de legumes e brownie integral. A quinoa, rica em magnésio, dá um ar mais sofisticado ao prato, fugindo do convencional. Já o brownie, feito com farinha de aveia, açúcar mascavo e cacau, promete fechar o jantar com chave de ouro, estimulando ainda mais a sensação de bem-estar.

Confira abaixo as receitas completas preparadas pela nutricionista da Dietbox:

Entrada: Salada de Quinoa com Legumes


Ingredientes:
– 1 xícara de quinoa em grãos
– 1 abobrinha pequena ralada crua
– 1 cenoura pequena ralada
– 1/2 cebola picada
– 1 dente de alho
– Azeite
– 1 tomate picado
– Sal, pimenta do reino e salsinha picada a gosto

Modo de preparo

Refogue rapidamente a cebola e o alho com um pouquinho de azeite. Acrescente a quinoa e 2 xícaras de água. Adicione uma pitada de sal e tampe a panela, cozinhando a quinoa em fogo baixo por aproximadamente 15 minutos ou até que a água seque. Quando a água estiver quase secando, acrescente os legumes ralados e o tomate picado por cima da quinoa e abafe até a água secar completamente. Incorpore os legumes e a salsinha na quinoa e regue de azeite quando estiver pronta.

Prato principal: Quiche de Legumes

Ingredientes

  • 1 xícara de farelo de aveia
  • 2 ovos inteiro + 1 clara
  • 1 colher de café de óleo de coco (caso prefira, pode substituir por manteiga)
  • 4 colheres (sopa) de queijo cottage
  • 1 alho-poró cortado em rodelinhas
  • 1 cebola pequena picada
  • 1 tomate pequeno picado
  • 1 cenoura ralada
  • 1/2 abobrinha picada

Modo de preparo

Para a massa, misture todos os ingredientes até ficar homogenia. Despeje-a em uma forma untada e asse em forno preaquecido por 10 min. Após, retire para colocar o recheio. Para o recheio,misture o ovo com o queijo cottage e reserve. Em um fio de óleo, refogue os demais ingredientes e tempere conforme sua preferência (pimenta, sal, ervas). Adicione o refogado à mistura reservada. Cubra a massa com o recheio e decore como quiser. Retorne ao forno a 200ºC e asse por 20 min ou até dourar.

Sobremesa: Brownie Integral

Ingredientes

  • 2 ovos
  • 1 xícara de farinha de aveia
  • 3 colheres (sopa) de manteiga
  • 3 colheres (sopa) de açúcar mascavo
  • 2 colheres (sopa) de cacau em pó
  • Quadradinhos de chocolate

Modo de preparo

Misture todos os ingredientes e distribua em uma fôrma pequena untada. Leve ao forno por 15 a 20 minutos.

Fonte: Dietbox 

Aumento modesto no consumo de frutas, vegetais e grãos reduz risco de diabetes, aponta estudos

Dois estudos publicados em julho no British Medical Journal associam maior consumo de frutas, vegetais e alimentos integrais a um menor risco de desenvolver diabetes tipo 2. Acredite se quiser, o aumento no consumo pode ser até modesto para evitar o problema

Sabemos dos benefícios de frutas, vegetais e grãos para a nossa saúde, justamente por fornecerem macro e micronutrientes importantes para o funcionamento do organismo. Mas acredite se quiser, dois estudos recentes, ambos publicados em julho no British Medical Journal, relacionam um aumento, mesmo que modesto, na ingestão de frutas, vegetais e grãos inteiros a um menor risco de desenvolver diabetes tipo 2.

“Uma maior ingestão desses alimentos em um contexto de uma dieta saudável pode ajudar a prevenir o diabetes tipo 2 segundo os estudos”, afirma a médica nutróloga Dra. Marcella Garcez, professora e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

No primeiro estudo, uma equipe de pesquisadores europeus examinou a associação entre os níveis sanguíneos de vitamina C e carotenoides (pigmentos encontrados em frutas e vegetais coloridos) com o risco de desenvolver diabetes tipo 2. Os níveis de vitamina C e carotenoides são indicadores mais confiáveis da ingestão de frutas e vegetais do que o uso de questionários dietéticos. As descobertas são baseadas em 9.754 adultos que desenvolveram diabetes tipo 2 de início recente e um grupo de comparação de 13.662 adultos que permaneceram sem diabetes durante o acompanhamento entre 340.234 participantes da Investigação Prospectiva Europeia sobre Câncer e Nutrição (EPIC) – Estudo InterAct em oito países europeus.

Segundo a médica, após o ajuste para estilo de vida, fatores de risco sociais e dietéticos para diabetes, níveis mais elevados de vitamina C e carotenoides no sangue e sua soma quando combinados em um “escore composto de biomarcador” foram associados a um risco menor de desenvolver diabetes tipo 2. “Os pesquisadores calculam que cada aumento de 66 gramas por dia na ingestão total de frutas e vegetais foi associado a um risco 25% menor de desenvolver diabetes tipo 2. Sabemos que as frutas e vegetais são ricos em fibras que diminuem a inflamação e estão relacionados à melhoria do metabolismo da glicose, lipídios e tecido adiposo em pesquisas experimentais em humanos e animais”, afirma a médica. “Sabe-se também que diferentes fibras alimentares têm diferentes efeitos na saúde”, diz.

No segundo estudo, pesquisadores nos Estados Unidos examinaram associações entre a ingestão total e individual de grãos integrais e diabetes tipo 2. As descobertas são baseadas em 158.259 mulheres e 36.525 homens que estavam livres de diabetes, doenças cardíacas e câncer e participaram do Nurses ‘Health Study, Nurses’ Health Study II e Health Professionals Follow-Up Study. Após o ajuste para estilo de vida e fatores de risco dietéticos para diabetes, os participantes da categoria mais alta para o consumo total de grãos inteiros tiveram uma taxa 29% menor de diabetes tipo 2 em comparação com os da categoria mais baixa. “Para alimentos de grãos inteiros individuais, os pesquisadores descobriram que consumir uma ou mais porções por dia de cereais matinais de grãos inteiros frios ou pão integral estava associado a um risco menor de diabetes tipo 2 (19% e 21% respectivamente)”.

Foto: Jules -Stonesoup

Para outros grãos inteiros, o consumo de duas ou mais porções por semana, em comparação com menos de uma porção por mês, foi associado a um risco 21% menor no caso da farinha de aveia e 12 % menor risco de desenvolver diabetes para arroz integral e gérmen de trigo. “Ambos os estudos são observacionais, portanto, não podem estabelecer a causa, e há uma possibilidade de que alguns dos resultados possam ser devido a fatores não medidos. No entanto, ambos os estudos levaram em consideração vários fatores de risco de estilo de vida bem conhecidos e marcadores de qualidade da dieta, e as descobertas confirmam outras pesquisas que relacionam uma dieta saudável com uma saúde melhor”, afirma a médica nutróloga.

Dessa forma, ambas as equipes de pesquisa dizem que suas descobertas fornecem mais suporte para as recomendações atuais para aumentar o consumo de frutas, vegetais e grãos inteiros como parte de uma dieta saudável para prevenir o diabetes tipo 2. “E para frutas e vegetais, as descobertas também sugerem que o consumo mesmo de uma quantidade moderadamente maior entre as populações que normalmente consomem baixos níveis pode ajudar a prevenir o diabetes tipo 2, portanto incluir esses alimentos na rotina é fundamental por todos os seus benefícios”, finaliza a médica.

Fonte: Marcella Garcez é médica nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Prepare receitas doces e salgadas usando biscoitos

Adria ensina como fazer Quiche de Cream Cracker e Legumes e Torta de Brigadeiro de Banana

Você quer elaborar cardápios mais leves e saudáveis, mas que sejam também práticos de fazer? Para te ajudar na missão de criar receitas balanceadas e saborosas, a Adria ensina como fazer duas receitas diferencias usando biscoito. O resultado será surpreendente e repleto de detalhes que farão a diferença.

Confira abaixo como fazer Quiche de Cream Cracker e Legumes e Torta de Brigadeiro de Banana:

Quiche Leve de Cream Cracker e Legumes

Ingredientes

Para o recheio:
2 colheres (sopa) de azeite
2 dentes de alho picados
1 cebola pequena picada
1 alho-poró em rodelas
1 lata de milho verde em conserva, escorrido (200 g)
1 abobrinha italiana pequena, ralada grossa
sal a gosto

Para a massa:
400 g de Biscoito Cream Cracker Adria
¾ xícara (chá) de leite
2 colheres (sopa) de azeite

Para a montagem:
250 g de creme de ricota
3 ovos
sal e noz-moscada, moída na hora, a gosto

Modo de Preparo

Recheio:

Em uma frigideira, aqueça o azeite, refogue o alho, a cebola e o alho-poró. Acrescente o milho, a abobrinha, refogue mais um pouco. Tempere com o sal, misture e desligue o fogo.

Massa:

No processador ou liquidificador, triture o biscoito, acrescentando o leite e o azeite para obter uma mistura granulada. Acomode essa mistura em uma forma redonda (26 cm de diâmetro x 4 cm de altura), de fundo falso, levemente untada. Pressione com as mãos para forrar todo o fundo e lateral da forma. Reserve. No liquidificador, coloque o creme de ricota junto com os ovos, o sal e a pimenta. Bata bem para obter um creme homogêneo. Ligue o forno em temperatura média (180 °C – 200 °C) para preaquecer por 10 minutos e, enquanto isso, monte a quiche: sobre a massa, distribua o refogado de legumes e, por cima, despeje o creme. Leve ao forno para assar por cerca de 20 minutos.

Dica: Se preferir, substitua o creme de ricota por 200 g de ricota batida com ½ xícara (chá) de leite.
Rendimento: 8 porções
Tempo de preparo: 40 minutos

Torta de Brigadeiro de Banana

Ingredientes

Brigadeiro de Banana:
2 latas de leite condensado
4 bananas nanicas, amassadas
2 colheres (sopa) de margarina sem sal

Massa:
1/3 de embalagem de Biscoito Leite Adria
100 g de margarina sem sal, em temperatura ambiente

Cobertura:
200 g de chocolate meio amargo picado
¼ xícara (chá) de creme de leite
½ xícara (chá) de castanha-do-pará, grosseiramente picadas

Modo de Preparo

Brigadeiro de Banana:

Em uma panela média, coloque o leite condensado, as bananas e a margarina. Leve ao fogo baixo, mexendo sempre, até soltar do fundo da panela. Desligue o fogo e reserve.

Massa:

Ligue o forno em temperatura média (180 °C – 200 °C). No processador ou liquidificador, triture os biscoitos. Passe para uma tigela e, com as mãos, misture a margarina para obter uma farofa grossa. Acomode essa mistura em uma forma redonda (20 cm de diâmetro) e de fundo falso. Pressione com as mãos para forrar todo o fundo da forma. Leve ao forno por 5 minutos, retire e reserve.

Cobertura:

Em um refratário, coloque o chocolate com o creme de leite e leve ao micro-ondas, potência média, por 2 minutos, mexendo na metade do tempo. Retire e mexa bem para obter um creme liso e homogêneo. Reserve.

Montagem:

Sobre a base de torta despeje o brigadeiro de banana. Por cima, espalhe a cobertura e leve à geladeira para firmar por, pelo menos, 2 horas. Desenforme, decore com as castanhas e sirva.

Rendimento: 10 porções
Tempo de preparo: 40 minutos

Fonte: Adria

2021 é o Ano Internacional das Frutas e Vegetais; entenda a importância desses alimentos

Criada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, campanha visa conscientizar a população sobre a importância do consumo de frutas e vegetais para a manutenção da saúde e prevenção de doenças. Médica nutróloga dá dicas sobre como consumir e conservar esses alimentos

Todos sabemos a importância de uma alimentação saudável, balanceada e diversificada, rica, principalmente, em frutas e vegetais. Porém, nem todos colocam em prática esse hábito. Na verdade, estudos1 estimam que 3,9 milhões das mortes em todo mundo em 2017 foram recorrentes do consumo insuficiente de frutas e vegetais. Então, visando conscientizar a população sobre a importância do consumo regular desses alimentos, a Assembleia Geral das Nações Unidas declarou 2021 como o Ano Internacional das Frutas e Vegetais.

“Excelentes fontes de fibras, vitaminas, minerais e fitoquímicos benéficos, as frutas e vegetais são parte indispensável de uma dieta saudável, sendo essenciais para o bom funcionamento do organismo e prevenção de uma série de doenças”, explica Marcella Garcez, médica nutróloga e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

E são inúmeros os benefícios das frutas e vegetais. Segundo Marcella, esses alimentos são, por exemplo, fundamentais para o crescimento e desenvolvimento adequado durante a infância, devendo assim serem introduzidos já a partir dos seis meses de idade e mantidos como uma parte regular da dieta ao longo de toda a vida.

“Além disso, o consumo adequado de frutas e vegetais é capaz de aumentar a longevidade, potencializar o sistema imunológico, melhorar a saúde mental, do coração e do intestino e reduzir o risco de condições como ansiedade, depressão, câncer, diabetes, obesidade e doenças cardiovasculares”, ressalta a médica. Mas de nada adianta ingerir apenas uma maçã por dia como forma de conseguir tais benefícios. “A recomendação geral para o consumo de frutas e vegetais é de, no mínimo, 400 gramas por dia, sendo que as porções devem ser compostas de frutas e vegetais variados”, aconselha a nutróloga.

No entanto, pode ser um pouco difícil definir o que exatamente são frutas e vegetais, afinal, não existe uma definição amplamente aceita para essa categoria de alimentos. Mas, segundo material divulgado pela Assembleia Geral das Nações Unidas para promoção do Ano Internacional das Frutas e Vegetais, consideram-se frutas e legumes partes comestíveis de plantas em seu estado bruto ou minimamente processado, excluindo-se raízes, tubérculos, leguminosas, oleaginosas, sementes, ervas, temperos e estimulantes como chás, café e cacau.

“Por sua vez, alimentos processados e ultra processados derivados de frutas e vegetais também não se enquadram nessa categoria de alimentos, incluindo sucos de caixinha, vinhos, ketchup e molhos de tomate, xaropes, conservas, fermentados e substitutos de carne à base de vegetais”, completa.

Foto: Nicole Perry/Popsugar Photography

Então, a primeira dica para aumentar o consumo de frutas e vegetais é apostar nos alimentos mais naturais. “Devemos sempre optar por frutas e vegetais frescos ou minimamente processados, isto é, que passaram apenas por procedimentos que não afetam sua qualidade, como higienização e separação, mantendo assim seus valores nutricionais. Inclusive, a escolha de frutas pré-cortadas e saladas prontas é uma boa dica para aqueles que alegam falta de tempo”, diz Marcella.

iStock

Além disso, procure consumir, no mínimo, cinco porções de frutas e vegetais por pelo menos cinco dias na semana, dando preferência a alimentos de diferentes tipos e cores. “Montar um prato composto por frutas e vegetais variados e coloridos é uma ótima maneira de potencializar a saúde, pois, na maioria dos casos, as cores desses alimentos estão relacionadas aos nutrientes que contêm. Por exemplo, frutas e vegetais de cor roxa ou azul geralmente possuem altas quantidades de antioxidantes que auxiliam na prevenção do câncer e derrames, enquanto alimentos da cor vermelha ajudam na melhora da saúde cardiovascular. Da mesma forma, frutas e vegetais brancos e marrons são ricos em potássio e possuem propriedades antibacterianas e antivirais, enquanto aqueles de cor laranja contribuem com a visão e a beleza da pele devido ao betacaroteno”, afirma a especialista.

Mas, de acordo com a médica, a melhor forma de adotar esse novo hábito alimentar é através do prazer. Por isso, o ideal é tentar achar frutas e vegetais cujos sabores agradem ao seu paladar. “Vale também apostar nos sucos, incluir vegetais em sopas e caldos, fazer refogados, acrescentar temperos para disfarçar o gosto e preparar receitas que você já gosta, mas em versões que incluam vegetais, como macarrão de espinafre ou lasanha com berinjela”, recomenda.

Em último caso, é possível também consumir alguns desses alimentos na forma liofilizada. “Utilizada em alimentos que apresentam alto teor de água, a liofilização ou criodessecação é um processo de desidratação em que a fruta ou vegetal à vácuo é congelado e, posteriormente, sublimado. O resultado é um pó que pode ser adicionado ao arroz, feijão, macarrão, molho e preparações caseiras, conferindo os nutrientes do alimento sem interferir no sabor”, completa.

No entanto, o aumento no consumo de frutas e verduras vai muito além das mudanças nos hábitos alimentares propriamente ditos. Por exemplo, a alta perecibilidade desses alimentos é um fator que faz com que muitas pessoas deixem de comprá-los por medo de estragarem. Mas a boa notícia é que é possível contornar o problema por meio de alguns cuidados.

“Por exemplo, para conservar as frutas por mais tempo, é interessante separá-las pela quantidade de etileno que emitem, visto que esse gás é o responsável pelo amadurecimento das frutas. Abacate, banana, manga, maçã, mamão, maracujá, pera e tomate, por exemplo, são algumas das frutas que mais emitem etileno, devendo então serem armazenadas em ambientes ventilados e frescos. Já abacaxi, limão, goiaba, laranja, melancia, morango e uva não produzem tanto etileno, devendo então serem guardadas separadas das frutas do primeiro grupo”, explica a médica.

“Já para aumentar a vida útil dos vegetais, uma boa estratégia é lavá-los assim que chegarem do mercado ou feira, secando-os bem e guardando-os em sacos plásticos bem fechados. Caso o alimento seja muito úmido, vale a pena retirar um pouco da umidade com um papel toalha. E deixe para temperar a salada apenas quando for consumi-la, já que os alimentos crus duram mais tempo.”

Infelizmente, uma série de outros fatores alheios ao indivíduo também dificultam a procura da população pelas frutas e vegetais, incluindo a disponibilidade, visto que muitos desses alimentos são sazonais e a acessibilidade, já que, principalmente as frutas, podem ser caras, e questões culturais, pois nossos gostos são diretamente influenciados pela cultura em que estamos inseridos.

“Até mesmo fatores como políticas nacionais, segurança dos alimentos, falta de conhecimento e a grande publicidade em torno dos alimentos processados também interferem no consumo de frutas e vegetais pela população. Justamente por esses motivos que campanhas governamentais, como o Ano Internacional das Frutas e Vegetais, são tão importantes para conscientizar e informar a população de diversas faixas etárias e classes sociais sobre a importância de uma alimentação balanceada e diversificada na manutenção da saúde e na prevenção de doenças”, finaliza a médica.

Fonte: Marcella Garcez é médica nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Dieta baseada em vegetais e pouca quantidade de carne e laticínios ajuda a diminuir pressão arterial

Queijos e outros produtos lácteos, além da carne, são alimentos que devem ser consumidos com muita moderação por pacientes hipertensos. Estudo, publicado em julho no Journal of Hypertension, avaliou que mais importante que não comê-los é priorizar os vegetais na dieta.

“Segundo o estudo, qualquer esforço para aumentar alimentos à base de plantas em sua dieta e limitar produtos animais provavelmente beneficiará sua pressão arterial e reduzirá o risco de ataques cardíacos, derrames e doenças cardiovasculares”, diz a médica nutróloga Marcella Garcez, professora e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Os pesquisadores da Universidade de Warwick conduziram uma revisão sistemática de pesquisas anteriores de ensaios clínicos controlados para comparar sete dietas à base de plantas, várias das quais incluíam produtos de origem animal em pequenas quantidades, a uma dieta de controle padronizada e o impacto que estes tiveram na pressão arterial dos indivíduos.

Foto: Olga’s Flavor Factory

“As dietas à base de plantas sustentam o alto consumo de frutas, vegetais, grãos integrais, legumes, nozes e sementes, limitando o consumo da maioria ou de todos os produtos de origem animal (principalmente carne),” afirma a médica. A pressão alta é o principal fator de risco global para ataques cardíacos, derrames e outras doenças cardiovasculares. Uma redução na pressão sanguínea traz importantes benefícios à saúde, tanto para indivíduos quanto para populações.

Segundo a médica, dietas não saudáveis são responsáveis por mais mortes e incapacidades, globalmente, do que o uso de tabaco, alto consumo de álcool, uso de drogas e sexo inseguro juntos. Segundo o estudo, um aumento no consumo de grãos integrais, vegetais, nozes, sementes e frutas, como alcançado em dietas à base de plantas, poderia evitar até 1,7, 1,8, 2,5 e 4,9 milhões de mortes globalmente a cada ano, respectivamente, anualmente, de acordo com pesquisas anteriores.

“Já se sabe que dietas vegetarianas e veganas com total ausência de produtos de origem animal diminuem a pressão arterial em comparação com dietas onívoras. Sua viabilidade e sustentabilidade são, no entanto, limitadas. Até agora, não se sabia se era necessária uma completa ausência de produtos de origem animal nos padrões alimentares baseados em plantas para obter um efeito benéfico significativo na pressão sanguínea”, diz Marcella.

O estudo estima que uma redução na escala da pressão arterial causada por um maior consumo de dietas à base de plantas, mesmo com produtos de origem animal limitados, resultaria em uma diminuição de: 14% nos acidentes vasculares cerebrais, 9% nos ataques cardíacos, e 7% na mortalidade geral. “Esta é uma descoberta significativa, pois destaca que a erradicação completa de produtos de origem animal não é necessária para produzir reduções e melhorias na pressão arterial. Dessa forma, fica mais fácil para o paciente colocar em prática uma mudança em direção a uma dieta baseada em plantas”.

A pesquisa ainda sugere ações multissetoriais por parte de governos e sociedade para aumentar a disponibilidade e diminuir os custos de alimentos vegetais com a intenção de promover mudanças de políticas com foco na sustentabilidade ambiental da produção de alimentos, coleta de informações científicas e consequências para a saúde. “Introduzir mais vegetais à dieta trará uma série de benefícios à saúde. Independente da opção alimentar pessoal, as escolhas devem compor um hábito de consumo variado, equilibrado e o mais natural quanto possível”, finaliza a médica.

Fonte: Marcella Garcez é médica nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Outono: conheça frutas, verduras e legumes da estação

A vitamina C presente nos alimentos da época fortalecem o sistema imunológico contra gripes e resfriados

É preciso ter atenção especial com a alimentação durante todo o ano, mas em algumas épocas, como outono, o organismo precisa de nutrientes diferenciados e alimentos que fortalecem o sistema imunológico contra gripes e resfriados por conta das temperaturas mais baixas. Uma forma de atingir esse objetivo é investir em alimentos da estação com a presença de vitamina C, que vão aumentar as defesas do corpo. Além dos benefícios para a saúde, o cliente ganha em qualidade e sabor, já que os alimentos quando colhidos no auge de sua produção têm um gosto mais acentuado.

A Boa Terra selecionou alguns alimentos da estação de outono para você incluir na sua dispensa, confira:

Silverstylus/Pixabay

Abacate: a fruta é repleta de nutrientes, além de ter fibras, potássio, magnésio e vitaminas do complexo B, K e C, ideias para o bom funcionamento do organismo. O abacate também apresenta um aminoácido chamado triptofano que ajuda na produção de serotonina, responsável pela sensação de bem-estar no corpo.

Laranja: é rica em vitamina C, cálcio, fósforo e ferro que vai melhorar a imunidade. Os antioxidantes presentes ajudam a diminuir o colesterol, além de bloquear células cancerígenas. As fibras presentes também auxiliam na diminuição de problemas intestinais.

Banana: muito comum em todo o Brasil, é um alimento rico em vitaminas do complexo B, como B1, B2, B6 e B12 que auxiliam diretamente no sistema nervoso. A presença de ferro estimula a produção de hemoglobina, sendo indicada para o combate de anemia.

Maçã: famosa por diminuir o índice glicêmico, a fruta é rica em fibras solúveis que eliminam impurezas pelo intestino. A florizina, substância encontrada na maçã, protege o fígado contra a ação dos radicais livres, incentivando que ele elimine toxinas e excesso de gordura.

Shutterbug75/Pixabay

Limão: o suco da fruta já é conhecido por suas propriedades alcalinas e digestivas, que facilitam a desintoxicação do organismo. O limão também é rico em vitamina C e minerais como cálcio, ferro e magnésio que são importantes para a manutenção da saúde.

Gengibre: ingrediente sempre presente em chás e sucos, a especiaria ajuda a acelerar o metabolismo. Suas propriedades anti-inflamatórias e digestivas, melhoram a limpeza do intestino e a digestão de gorduras, o que facilita o trabalho do fígado.

Espinafre: as folhas apresentam boas doses de ferro, cálcio, fósforo, potássio, magnésio, fibras, proteínas, carboidratos, além de vitaminas A, K e B2. O consumo regular contribui para a saúde dos olhos e pode prevenir doenças cardiovasculares. Para a absorção de todos os minerais, é recomendado ingerir a hortaliça com alimentos ricos em vitamina C, tais como laranja, abacaxi ou acerola.

Agrião: de sabor marcante, o agrião é rico em cálcio, ferro, potássio e vitaminas A e C. A vitamina C, aliás, atua na prevenção e combate de problemas respiratórios, resfriados e gripes graças a sua ação expectorante e descongestionante. O alimento pode ser consumido como salada e também usado como complemento em carnes refogadas, sopas e caldos.

Pepino: o pepino não é somente bom para a pele, ele é rico em vitamina C, B5, potássio, magnésio, folato, fibras e antioxidantes. Composto de 90% de água, o vegetal apresenta 24% de proteína que podem beneficiar os músculos.

Além desses alimentos acima, compõem a estação: abóbora, abobrinha brasileira, ameixa estrangeira, atemoia, batata-doce, beringela, canjica, caqui, cará, carambola, cebola, chuchu, cupuaçu, ervilha-torta, figo, graviola, inhame, jiló, kiwi, lima-da-pérsia, louro, mamão, mandioca, mandioquinha, mexerica, milho, pera, pinhão, pitaya, rabanete, salsa, tangerina, tomate e uva.

Para facilitar a semana e ter sempre alimentos fresquinhos na dispensa, A Boa Terra, empresa pioneira na produção e comercialização de produtos orgânicos, entrega cestas com frutas, verduras e legumes fresquinhos na porta de casa. O cliente ainda pode personalizar ou escolher a sugestão do sítio (R$ 36,00 a R$ 124,00) – assinaturas semanais custam de R$ 50,00 a R$ 163,00. As encomendas podem ser feitas diretamente no site.

Fonte: A Boa Terra

Dicas de apetitosos pratos feitos com sardinha

Sardinha é uma paixão do povo brasileiro, não é mesmo?! Então nada melhor do que se preparar para o fim de semana com algumas dicas que caem muito bem nesse calor. Para te ajudar a Gomes da Costa separou três receitinhas especiais que vão entrar para história. Dá só uma olhada nesses pratos maravilhosos, saudáveis e que cabem no seu bolso. Bom apetite.

Forminhas de Ricota, Sardinha e Legumes

Ingredientes:
Creme de Queijo:

• 2 xícaras (chá) de ricota passada pela peneira
• 1 lata de Sardinha com Ervas Gomes da Costa (125g)
• Sal e pimenta do reino a gosto
Legumes:
• 5 colheres (sopa) de pepino com casca cortado em cubos pequenos
• 4 colheres (sopa) de tomate, sem semente, cortado em cubos pequenos
• 2 colheres (sopa) de salsão picado
• Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de Preparo:
Creme de Queijo:

• Numa tigela junte a ricota e o molho da Sardinha Gomes da Costa.Tempere com sal e pimenta a gosto, se necessário.
Legumes:
• Numa tigela junte o pepino, o tomate, o salsão e a Sardinha Gomes da Costa picada. Tempere com sal a gosto.
Montagem:
• Forre com filme plástico 6 forminhas altas de empada (com cerca de 4 cm de base x 4 cm de altura). Distribua a mistura de legumes e sardinha entre elas e cubra com o creme de queijo. Aperte a preparação para que adquira o formato da forminha. Desenforme em seguida ou deixe na geladeira até o momento de servir.

Dica de chef: dê preferência ao pepino japonês por ter sementes menores que os outros (caipira e comum).
Variação: sirva a preparação acompanhada de um molho preparado a base de iogurte e endro (numa tigela junte, 1 copo de iogurte, 2 colheres (sopa) de azeite, meia colher (sopa) de endro fresco picado e sal a gosto). Misture bem.

Salada Grega com Sardinha

Ingredientes:
• 1 pepino tipo japonês médio com casca cortado em cubos (150g)
• 1 tomate grande cortado em cubos
• 3 colheres (sopa) de pimentão verde cortado em cubos
• 2 colheres (sopa) de cebola picada
• 2 colheres (sopa) de azeitona preta picada
• Sal a gosto
• 1 lata de Sardinha com Molho de Tomate Picante Gomes da Costa (125g)

Modo de Preparo:
Numa tigela, junte o pepino, o tomate, o pimentão, a cebola e a azeitona. Tempere com sal a gosto. Junte a Sardinha Gomes da Costa com seu molho. Misture bem. Sirva em temperatura ambiente.

Dica de chef: prefira o pepino japonês por ter menos sementes. Corte o tomate e o pepino em cubos médios e o pimentão em quadrados menores.
Variação: misture “croutôns” (pão amanhecido cortado em cubinhos e passados no azeite ou manteiga até dourar) à salada.

Linguine com Sardinha e Pangratatto

Ingredientes:
Para a farofa de pão italiano (pangratatto):

• ¼ pão italiano ralado grosseiramente
• 2 dentes de alho picados
• 1 pimenta dedo de moça picadas sem sementes
• 4 ramos de alecrim picados (só as folhas)
• 2 ramos de tomilho picados (só as folhas)
• 1 colher (chá) de pimenta do reino moída grosseiramente
• Sal a gosto
• 30 ml de azeite de oliva extravirgem
Para o linguine:
• 200 g de linguine seco
• ½ bulbo de erva doce picado finamente (reserve as folhas)
• 1 cebola roxa pequena picada
• ½ colher (sopa) de sementes de erva doce esmagadas
• 3 latas de Filés de Sardinha com Pimenta Gomes da Costa (125g/drenadas)
• 50 g de pinolis
• 30 g de uva passa branca
• 75 ml de vinho branco
• 50 ml de azeite de oliva extravirgem
• Suco e raspa de 1 limão
• Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:
Para a farofa de pão italiano:
Em uma frigideira grande aqueça bem o azeite. Frite rapidamente o alho, a pimenta, o alecrim, o tomilho e a pimenta do reino. Quando dourar, adicione o pão italiano ralado, abaixe o fogo e misture vagarosamente até dourar e virar uma farofa.
Para o linguine:
Leve ao fogo 6 colheres de azeite, acrescente o bulbo, as sementes de erva doce e as cebolas e cozinhe em fogo baixo por 20 minutos sem deixar corar os vegetais. Adicione metade das sardinhas, os pinolis e as uvas passas e continue cozinhando por mais 10 minutos, mexendo de vez em quando. Acrescente o vinho branco e cozinhe até que o líquido tenha evaporado. Acerte o sal e a pimenta. Acomode o restante das sardinhas sobre o molho e regue com o restante do azeite das latas de sardinha. Abaixe o fogo sem mexer no molho. Enquanto isso, cozinhe a massa de acordo com as instruções da embalagem. Misture imediatamente a massa quente com o molho. Regue a mistura com um pouco de limão, azeite extra-virgem e salpique as folhas da erva doce.
Montagem:
Disponha a massa sobre um prato e salpique o pangratatto.

Fonte: Gomes da Costa

Tirolez ensina receitas leves e nutritivas, ideais para o verão

Com a chegada do verão e das altas temperaturas, aprenda como fazer pratos principais saudáveis e nutritivos com a cara da estação

O verão é marcado pelas altas temperaturas. Então, para aproveitar todos os benefícios que o período oferece, é necessário buscar equilíbrio, ingerindo bastante líquido para manter o corpo hidratado e apostando em alimentos leves. Por isso, a Tirolez, uma das principais marcas de laticínios do país, sugere três receitas deliciosas e nutritivas de pratos principais, que levam queijos e são repletos de nutrientes capazes de proporcionar energia na alimentação.

O Canelone de legumes com cottage, feito com abobrinha e berinjela, é recheado com Queijo Cottage Tirolez, que possui menor teor de gordura, além de ser rico em proteínas e minerais, como cálcio, potássio e zinco.

As saladas são versáteis e refrescantes, a cara do verão. Então, que tal experimentar uma Salada Mediterrânea de Gorgonzola? A receita leva alface americana ou roxa, rúcula, peras, figos e nozes, além do Queijo Gorgonzola Tirolez, rico em minerais, vitaminas A e D, cálcio e proteína.

Para quem não resiste às massas, seja em tortas ou empadas, nada melhor que o Pot Pie Integral, uma massa integral recheada com frango, cenoura e ervilhas, envolvidas no Creme de Ricota Tirolez, rico em proteínas e com baixo teor de gordura.

Gostou das dicas? Agora é só aprender o passo a passo de cada receita e aproveitar o verão com muito sabor!

Canelone de legumes com Queijo Cottage Tirolez

Ingredientes:
1 abobrinha
1 berinjela
400 g de Queijo Cottage Tirolez
Raspas de 1 limão-siciliano
Sal e pimenta-do-reino a gosto
Azeite de oliva extravirgem

Para o molho:
2 latas de tomate pelado
1 colher de sopa de Manteiga sem sal Tirolez
½ xícara de folhas de manjericão
100 g de Queijo Parmesão Tirolez ralado
Noz-moscada a gosto

Modo de Preparo:
Fatie os legumes no sentido longitudinal e tempere-os com sal e pimenta.
Em uma frigideira bem quente, grelhe-os em um fio de azeite dos dois lados.
Em uma tigela, tempere o Queijo Cottage Tirolez com sal, azeite, pimenta e as raspas de limão.
Coloque um pouco do Queijo Cottage Tirolez na ponta de cada fatia de legume e enrole no formato de canelone.
Molho: leve o tomate com a manteiga para cozinhar em fogo baixo por 20 minutos. Acerte os temperos e adicione o manjericão. Em uma travessa refratária, disponha o molho e coloque os canelones por cima. Polvilhe o parmesão ralado por cima e leve para gratinar por 15 minutos no forno com o grill ligado.

Rendimento: 4 porções
Tempo de preparo: 40 minutos

Salada mediterrânea de Queijo Gorgonzola Tirolez

Ingredientes:
1 colher (café) de mostarda
3 colheres (sopa) de suco de limão
150 g de Queijo Gorgonzola Tirolez
5 colheres (sopa) de azeite de oliva
100 g de nozes picadas
1 pé de alface americana ou roxa lavada e seca
1 pé de rúcula
2 peras
4 figos
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Coloque o sal, a pimenta e a mostarda no fundo de uma saladeira e junte o suco de limão, mexendo bem. Vá acrescentando 1/3 dos cubos de Gorgonzola Tirolez, amassando bem com um garfo para transformar em um creme grosso. Acrescente o azeite aos poucos, mexendo sempre. Junte as nozes, o restante do Gorgonzola Tirolez e cubra com as folhas de alface rasgadas e as folhas de rúcula. Momentos antes de servir, corte as peras em 8 partes e os figos em 4 partes, disponha sobre as folhas e mexa a salada de baixo para cima até que fique bem temperada.

Tempo de preparo: 15 minutos
Rendimento: 6 porções

Pot Pie Integral

Ingredientes:

Para o recheio:
½ cebola descascada e picada em cubos pequenos
1 colher (sobremesa) de Manteiga Sem Sal Tirolez
1 xícara (chá) de frango cozido e desfiado
1 talo de alho-poró cortado em rodelas finas
1 cenoura descascada e cortada em cubos pequenos ou ralada
1 xícara (chá) de ervilhas (congeladas ou in natura cozidas)
1 embalagem de Creme de Ricota Tirolez
1 colher (café) de sal
Noz-moscada ralada a gosto
Salsinha picada a gosto

Para a massa:
½ xícara (chá) de farinha de trigo
½ xícara (chá) de farinha de trigo integral
¼ xícara (chá) de água
2 colheres (sopa) de Manteiga Sem Sal Tirolez em temperatura ambiente
1 pitada de sal

Modo de Preparo:

Recheio:
Recheio: doure a cebola na manteiga em uma panela, acrescente o frango e refogue.
Junte o alho-poró, a cenoura e as ervilhas e deixe cozinhar rapidamente.
Desligue o fogo e adicione o Creme de Ricota Tirolez, tempere com o sal, noz-moscada e finalize o recheio com a salsinha. Reserve.
Massa: misture em um recipiente todos os ingredientes da massa e sove com as mãos até ficar homogênea. Com ajuda de um rolo, abra a massa em espessura fina e corte em círculos 1 dedo maiores do que os recipientes a serem utilizados (recomenda-se o uso de pequenos ramequins individuais para a montagem das tortas).
Montagem: montar a torta, distribua o recheio em ramequins, até que estejam completos e cubra a boca dos ramequins com as massas cortadas. Leve para assar em forno médio por aproximadamente 30 minutos. Sirva em seguida.

Tempo de preparo: 50 minutos
Rendimento: 5 porções

Fonte: Tirolez

Quem come mais frutas, verduras e legumes por dia reduz risco de morte, aponta pesquisa

Quanto mais frutas e vegetais as pessoas comem, menor a probabilidade de morrerem, em qualquer idade

Segundo Mariela Silveira, médica diretora do Kurotel – Centro Contemporâneo de Saúde e Bem-Estar, um trabalho publicado na Journal o Epidemiology and Community Health em 2014 precisa ser aproveitado neste momento de pandemia da Covid-19 em todo o mundo. Pesquisadores da University College London estudaram 65.226 homens e mulheres acima de 35 anos de idade e os acompanharam durante sete anos e meio para avaliar o impacto da ingestão de frutas verduras e legumes ao dia na saúde.

Quem comia no mínimo três porções ao dia tinha 14% menos risco de mortalidade. Os que ingeriam pelo menos cinco frações tinham 29% menos, quem absorvia sete porções reduzia em 36% e quem alimentava-se mais do que sete quantidades de frutas, verduras ou legumes ao dia reduzia para 42% o risco de morte, incluindo doenças cardiovasculares e câncer. O ideal é que cada porção tenha o tamanho da palma da mão.

“Ou seja, quanto mais frutas e vegetais as pessoas comiam, menor a probabilidade de morrerem, em qualquer idade. Se este trabalho mostra que a mortalidade é reduzida comendo-se frutas, verduras e legumes, significa que o organismo se torna mais forte e a redução de doenças, bem como sua recuperação, também. Por isso esta é uma medida barata e de saúde pública”, comenta Mariela.

A alimentação é um item fundamental para a saúde. Somos o reflexo daquilo que comemos, pois cada célula do nosso corpo é formada a partir dos nutrientes que fornecemos ao organismo por meio da alimentação. A falta ou quantidade insuficiente de um único nutriente já é capaz de gerar consequências negativas ao organismo. Os alimentos são como remédios naturais.

Foto: Nicole Franzen

No verão, por exemplo, uma grande aliada da pele é a vitamina C, que tem ação antioxidante, protege dos raios UVA e UVB, preserva a firmeza, elasticidade e resistência da pele. Alguns alimentos ricos em vitamina C são as frutas cítricas (laranja, mexerica, limão), mamão papaia, morango, kiwi, melão, tomate, manga etc.

Também precisamos buscar a adequação dos níveis de vitamina D, por meio de orientação dietética, mudança dos hábitos de vida e suplementação, caso necessário. As duas principais fontes de vitamina D são a síntese pela pele, em resposta à exposição aos raios ultravioleta B, e as fontes dietéticas, que incluem peixes gordurosos, gema de ovo, óleo de fígado de bacalhau e alimentos fortificados.

Fonte: Kurotel

Confira os benefícios em consumir alimentos da safra de novembro

As frutas da estação geralmente são mais frescas, mais saborosas e mais nutritivas. Quando comemos alimentos da maneira que a natureza planejou, desfrutamos não apenas de um melhor sabor, como também dos ingredientes adequados às necessidades do corpo com aquela época do ano, como frutas de verão com alto teor de líquidos. Além disso, costumam ter o melhor preço, o que significa que é possível comer de forma saudável sem prejudicar seu orçamento.

Frutas e vegetais são fonte de vitaminas e minerais. Com todos os seus sabores únicos e interessantes, os alimentos vegetais permitem criatividade na cozinha. Experimente sabores fortes como cebola, azeitona e pimentão, ou opções mais suaves, como berinjela e cenoura. Sabores doces abacaxi, manga, ou pêssego são ótimas, enquanto maracujá e laranjas são mais azedos.

Ricos em fibras, baixos em calorias e gordura, e com muitos nutrientes que protegem de inúmeras doenças como diabetes tipo 2, derrame, doença cardíaca, hipertensão, câncer entre muitas outras.

Fonte: Adriana Stavro é nutricionista funcional e fitoterapeuta, especialista em doenças crônicas não transmissíveis, mestre do nascimento a adolescência pelo Centro Universitário São Camilo.