Arquivo da tag: maddalena stasi

Dia Internacional das Mulheres: Mercearia do Conde faz homenagem

Comandada pela restauratrice Maddalena Stasi, a Mercearia do Conde resolveu fazer uma homenagem muito especial nesse Dia das Mulheres, celebrado no próximo dia 8 de março. Maddalena vai incluir no “Completinho do Conde” – o menu executivo da casa – uma das receitas mais saborosas e queridas da sua mãe, Dona Yeda: o vatapá.

“Minha mãe e suas receitas maravilhosas são sempre fonte de inspiração para o nosso cardápio. O Vatapá faz parte da historia da casa : logo que abrimos a Mercearia, ela preparava esta iguaria na casa dela e nos mandava para servirmos às sextas feiras. Os clientes faziam fila. Até hoje nos perguntam quando ele vai voltar para o cardápio. Temos também a chamada ‘turma do vatapá’ um grupo superfiel que é avisado quando o prato entra na sugestão e que não falta nunca”, diz Maddalena.

O Vatapá é um ícone da culinária baiana, que, segundo os historiadores, pode ter tido a sua origem nas açordas portuguesas acrescidas de temperos africanos. Nesta receita de família o vatapá é preparado com bacalhau, um toque delicado de azeite de dendê, pão, gengibre, castanha de caju e um bocadinho mais.

O Completinho do Conde da Dona Yeda fica em cartaz de 8 a 11 de março e inclui entrada, principal e sobremesa tem preço de R$ 72,00. Para entrada, Pasteizinhos caprese com mozarela de búfala, tomate e manjericão ou salada do dia. Como prato principal, Vatapá da minha mãe, arroz de castanhas e salada de couve ou Tagliata de filé ao pesto de rúcula, mandioca bem dourada e ratatouille de legumes. Fechando o menu, a sobremesa Gelado de banana com farofinha de castanha-do-pará. Se preferir, o cliente também pode pedir somente o Vatapá com preço de R$ 58,00.

Com um ambiente lúdico e muito colorido com fadas e trapezistas, sacolas de feira, quadros e relicários, a Mercearia do Conde já faz parte dessa esquina da rua Joaquim Antunes desde 1991. Logo no começo, a casa era uma mercearia de verdade e vendia queijos, vinhos, cereais a granel e pães. Com o passar do tempo, foram incluindo algumas receitas de família, colocou-se uma mesa num fim de semana… Por fim se renderam a demanda da clientela e a Mercearia do Conde tornou-se um restaurante com pratos variados que combinam a brasilidade com toques orientais. Foram pioneiros em trazer tendências para o cardápio como o suco de mexerica, nhoque de mandioquinha entre e outros. Atualmente ainda guarda resquícios do antigo armazém, com azulejos brancos e objetos pendurados pelo teto.

Mercearia do Conde – R. Joaquim Antunes, 217, Jardim Paulistano | Tel.: (11) 3081-7204
Horário de Funcionamento: almoço – Terça a sexta, das 12h às 15h30 | Sábado, domingo e feriados, das 12h às 16h. Jantar: terça a quinta das 19h às 22h30.

Mercearia do Conde celebra 30 anos com Festival Mulheres à Mesa

Comandado por mulheres desde a sua inauguração, a Mercearia do Conde comemora com muito orgulho seus 30 anos de história. Para isso, a restauratrice Maddalena Stasi convidou grandes chefs mulheres da cidade para elaborar as receitas em um festival exclusivo batizado de Mulheres à Mesa. Participam do festejo a chef Giovanna Grossi; do restaurante Animus; Chef Viviane Gonçalves do restaurante Chef Vivi e a confeiteira Carole Crema. “Escolhemos a dedo as nossas convidadas que criaram pratos especiais para celebrarmos juntos esta trajetória de 30 anos!” completa Maddalena.

O menu especial é composto por entrada, 2 pratos principais e sobremesa, que podem ser pedidos individualmente. A entrada é um Gaspacho de melancia com crispy de presunto cru (R$ 34), elaborada pela chef Giovanna Grossi. O menu conta também com uma opção vegetariana da Chef Vivi Gonçalves, a Polenta crocante assada com tomate italiano tostado, salsa de ervas da horta e lascas de queijo tulha (R$ 74). Maddalena Stasi contribui para o menu com mais um prato principal, a Pescada cambucu grelhada com mini lulas, emulsão de feijão manteiguinha e baby rúcula ao molho de três limões (siciliano, taiti e cravo) (R$88). Fechando o cardápio, uma deliciosa sobremesa com assinatura de Carole Crema – o Bolo de coco com compota de frutas frescas e especiarias (R$ 31).

Todas as chefs tem muita sintonia com a Mercearia do Conde. A chef Giovanna Grossi é um dos nomes mais promissores dessa nova geração, foi a primeira mulher brasileira a chegar às finais mundiais do Bocuse D’or em Lyon, e com apenas 29 anos – coincidentemente a mesma idade que Maddalena abriu a casa – já tem muita história boa para compartilhar. Cosmopolita, a Chef Vivi passou por Londres, foi premiada com seu restaurante na China e traz em sua essência a sustentabilidade e o aproveitamento total dos ingredientes, um conceito que a Mercearia do Conde sempre priorizou. Os doces afetivos de Carole Crema remetem à criação dos pratos do cardápio que sempre levaram em conta as receitas de família.

Muita história

A história da Mercearia do Conde começa em 1991 como um empório de bairro, no coração do jardim Paulistano, vendendo queijos, vinhos, cereais a granel, pães e uma série de produtos especiais. Com as vendas aumentando, a mercearia inclui algumas receitas de pratos que faziam sucesso nas reuniões de família das sociais como o vatapá levinho, uma frigideira de bacalhau de comer rezando, o cuscuz paulista molhadinho… A clientela foi crescendo e pedindo mais. No espaço que tinham, meio no improviso, colocaram duas mesinhas e um menu bem enxuto com dois ou três pratos apenas. Logo foram descobertas pelo público, aumentaram o menu, os funcionários e até ganharam uma estrela no antigo Guia Quatro Rodas – um dos mais importantes da década de 90.

No início, a casa virou ponto de encontro de publicitários e aquela esquina de cores vibrantes ficou conhecida pelo grande bochicho que causava. Naquela época, todos procuravam novidades que ninguém oferecia até então, como suco de mexerica. Depois do suco de mexerica, uma série de tendências e sucessos foram criados na cozinha da Mercearia do Conde, como o nhoque de mandioquinha e a salada de cuscuz marroquino com frango e especiarias. Outros pratos mais simples, porém deliciosos, como as Tortas altas com bastante recheio de frango ou cenoura com ementhal, uma massa fininha e muita salada acompanhando também começaram a ganhar destaque e estão até hoje no cardápio. Além disso a casa vendia objetos e artesanatos da própria decoração do restaurante, tendência que se mantém viva e dinâmica até hoje.

O objetivo da marca sempre foi juntar, misturar e combinar sabores e culinárias diferentes sem perder as raízes brasileiras. Por isso, até hoje, é classificada como uma cozinha variada e tem pratos com influências tailandesas, indianas e italianas, misturadas com receitas e ingredientes regionais. Muitas receitas eram trazidas dos encontros familiares e das conversas com os tios de Maddalena – Caloca Fernandes – um dos maiores pesquisadores da alimentação brasileira – e Betina Orrico, uma das idealizadoras da Cozinha de Cláudia (a revista).

Durante esses 30 anos, a Mercearia do Conde foi palco para muitos primeiros encontros – é incrível o número de casais que contam que começaram suas histórias na Mercearia! -, aniversários e histórias afetivas de famílias e amigos. Por isso, a casa lançou também um concurso de histórias e fotografias que contam um pouco desses 30 anos de existência.

Pioneira, a marca abriu caminho para que outros restaurantes como Mani, Evvai e Basilicata Trattoria se instalassem por lá, tornando essa região um dos polos gastronômicos da cidade.

O Festival Mulheres à Mesa vai até o dia 24 de dezembro.

Mercearia do Conde – R. Joaquim Antunes, 217, Jardim Paulistano | Tel.: (11) 3081-7204

Mercearia do Conde promove festival dedicado à mandioca

Festival Raízes do Brasil explora a versatilidade do ingrediente, em receitas com tapiocas, beijus, farinhas, pirão e até bebidas fermentadas e destiladas

Do salgado ao doce, do Norte ao Sul do país, do boteco ao jantar mais refinado, a mandioca está em todos os pratos. Não por acaso é considerado o ingrediente mais versátil e democrático da culinária brasileira. Pensando nisso e também no clima de comemoração pelo seu aniversário de 28 anos, o restaurante Mercearia do Conde, no Jardim Paulistano, promove, no mês de novembro, o Festival Raízes do Brasil, em que homenageia o mais nacional dos ingredientes, a mandioca. A casa preparou dez receitas – entre pratos e drinques – cuja estrela principal é a macaxeira.

A chef Maddalena Stasi comemora os 28 anos de aniversário do seu restaurante Mercearia do Conde, no Jardim Paulistano, com festival dedicado ao mais brasileiro dos ingredientes, a mandioca.

chef maddalena stasi_romulo fialdini
Foto: Rômulo Fialdini

A chef Maddalena Stasi, soteropolitana radicada em São Paulo e à frente de um restaurante com 28 anos, trajetória que se mistura à própria história da cidade, vem de uma família de raízes gastronômicas. Seus tios, Caloca Fernandes, jornalista e pesquisador de cozinha patrimonial, e a culinarista Bettina Orrico, que foi consultora da revista Claudia por décadas, são nomes que fazem parte da gastronomia brasileira. A colorida casa de esquina, na Joaquim Antunes com a Sampaio Vidal, que começou como um armazém de secos e molhados, antes de se tornar um badalado restaurante de culinária contemporânea com ingredientes nacionais, comemora seu aniversário homenageando a raiz mais cultivada e consumida no país.

Da folha à raiz da mandioca, tudo se aproveita para formar tapiocas, beijus, farinhas, polvilhos, caldos, bebidas fermentadas e destiladas. Para o festival, a chef Maddalena Stasi sugere começar com o Duo de Beijus de Goma de Tapioca Caseira (um deles servido com queijo curado com tomatinho da roça e o outro com carne-seca e pastinha de chèvre, R$ 38).

Camarões com pirao_mercearia do conde_romulo fialdini
Camarões Empanados Crocantes ao Molho Aromático de Limão-Cravo, Pirão de Farinha de Copioba com Açafrão da Terra e Vinagrete de Maxixe – Foto: Rômulo Fialdini

Como pratos principais, há opções com diferentes tipos de mandioca e variações de subprodutos e usos como farinhas, tapiocas e polvilhos. Destacam-se, no festival, os seguintes pratos: Camarões Empanados Crocantes ao Molho Aromático de Limão-Cravo, Pirão de Farinha de Copioba com Açafrão da Terra e Vinagrete de Maxixe (R$ 92), Pescada Amarela em Crosta de Tapioca Flocada sobre Braseado de Banana-da-Terra com Salada de Feijão Manteiguinha e Tian de Legumes ao Azeite de Ora-Pro-Nobis, (R$ 88), Carne do Sertão Maturada na Casa, Crumble de Mandioca e Espetinho de Queijo Coalho com Melado de Cana em Leito de Couve Fresca Temperada (R$ 79), Lasanha Vegana de Legumes Laminados com Emulsão de Quiabo e Gratin de Farinha d’Água (opção sem glúten, R$ 68).

Para finalizar com doçura, Pudim de Mandioca e Coco Fresco com Baba de Moça (R$ 28). E quem pedir o menu completo – em 3 tempos – do festival ganha um cafezinho da casa, acompanhado de biscoito de polvilho, mais uma receita feita com a versátil mandioca.

Para harmonizar, rótulos de cerveja até com mandioca na composição. É o caso da Colorado Cauim (R$ 22, 300 ml), de Ribeirão Preto, cerveja pilsen com adição de cereais, malte importado, lúpulo tcheco e mandioca. Também foram criados alguns drinques pelo bartender Ray de Souza, feitos com a aguardente de mandioca, a potente tiquira: Pitiquira (pitanga, tiquira, cherry brandy, R$ 32) e Castelinha (caipirinha de limão-cravo, abacaxi, gelo de cidreira e tiquira, R$ 30).

Castelinha é um dos muitos apelidos regionais para a mandioca. Também chamada de aipim, macaxeira, maniva, uaipi, dependendo do Estado. Mandioca significa literalmente “filha da tribo” (mani = filha, oca = local onde mora a tribo). Para o historiador Luís da Câmara Cascudo, a raiz branca e de casca escura era simplesmente a “rainha do Brasil”. No mês de novembro no Conde, a coroa será mesmo dela, a mandioca.

Mercearia do Conde: Rua Joaquim Antunes, 217 – Jardim Paulistano – São Paulo – SP
Horário de funcionamento: de segunda a quinta, das 12 às 16h para almoço e das 19h às 23h30 para jantar. Sexta: das 12h às 24h30, sem intervalo. Sábado: das 12h30 às 24h30, sem intervalo. Domingo: das 12h30 às 23h, sem intervalo. Abre todos os dias.
Almoço executivo (Completinho do Conde): de segunda a sexta, R$ 62 (3 tempos). Só o prato principal, R$ 48.

Mercearia do Conde lança sobremesa comemorativa de 26 anos a R$ 26,00

Sabores brasileiros e espumante para brindar com clientes e amigos. Em clima da festa de aniversário, a Mercearia do Conde serve, no dia 30, uma taça de espumante cortesia para celebrar seus 26 anos. A colorida casa de esquina, entre a Joaquim Antunes e a Sampaio Vidal, no Jardim Paulistano, zona oeste de São Paulo, ainda estende a comemoração, durante todo o mês de dezembro, oferecendo a Torta Merengue de Cupuaçu com Queijo de Cuia, que ficará disponível, por R$ 26,00, tanto no almoço quanto no jantar.

A sobremesa especial leva a fruta amazônica cupuaçu, de sabor marcante, e o queijo do tipo Reino. Em Belém, devido ao formato, leva o nome de “queijo cuia”. A receita está no livro “Viagem Gastronômica Através do Brasil”, de Caloca Fernandes, que é pesquisador de cozinha patrimonial e jornalista, além de ser tio da restauratrice Maddalena Stasi, sócia da Mercearia do Conde. Rica em informações de folclore e história, a obra recupera receitas da culinária nacional, trazendo uma verdadeira viagem gastronômica pelo país.

fachada_mercearia do conde_créditos Romulo Fialdini
A fachada do tradicional restaurante, no Jardim Paulistano, também está entre as novidades e ganhou mais alegria com tons vibrantes de laranja e azul anil. Foto: Romulo Fialdini

Novidades nas cores da fachada e no restauro interno do salão também fazem parte da comemoração. A charmosa casa de esquina ganhou cores vivas na fachada, com tons vibrantes de laranja e azul anil, em restauro coordenado pelo arquiteto Carlos Tavares. No salão, os azulejos decorados que remetem aos tempos de armazém foram restaurados e o piso de cimento queimado retoma o seu tom original.

“Tudo começou de maneira despretensiosa sobre um balcão de mármore azul. A intenção era oferecer um bom armazém de secos e molhados, até então, em falta no bairro. Do pequeno balcão de frios começaram a sair sanduíches com os pães que vendíamos na casa. Aos poucos, meio sem querer, fomos virando um restaurante e começamos a servir tortas, saladas e depois alguns pratos. Os sacos de cereais deram lugar aos balcões improvisados onde atendíamos os clientes, que vinham cada vez em maior número. E lá se vão 26 anos! Já estamos atendendo à segunda geração de muitas famílias do bairro”, comemora Maddalena Stasi.

torta merengue de cupuaçu_mercearia do conde_créditos Romulo Fialdini
A Torta Merengue de Cupuaçu com Queijo de Cuia, do pesquisador Caloca Fernandes, faz parte da comemoração dos 26 anos da Mercearia do Conde. Foto: Romulo Fialdini.

A casa conta também com uma charmosa saleta de eventos, anexa ao salão principal, onde realiza pequenos casamentos, aniversários e outros eventos sociais e corporativos. O restaurante lançou recentemente o serviço de delivery e de atendimento a domicilio para festas e coquetéis.

Mercearia do Conde: Rua Joaquim Antunes, 217 – Jardim Paulistano Horário de funcionamento: de segunda a quinta, das 12 às 16h para almoço e das 19h às 23h30 para jantar. Sexta: das 12h às 0h30, sem intervalo. Sábado: das 12h30 às 0h30, sem intervalo. Domingo: das 12h30 às 23h, sem intervalo