Arquivo da tag: mitos e verdades

Nutricionista do HCor esclarece mitos sobre alimentos e imunidade

Hábitos saudáveis contribuem com o fortalecimento do sistema imunológico, no entanto, especialista alerta que não existe alimento milagroso

Gargarejo com vinagre elimina o vírus da garganta? Comer alho combate o contágio pelo coronavírus? Derivados do leite facilitam infecções respiratórias? Em meio a pandemia de Covid-19, muitas informações incorretas e fake news circulam pela internet e acabam confundido a população sobre o papel da alimentação equilibrada na prevenção de doenças.

A gerente de nutrição do HCor, Rosana Perin, esclarece que diversos fatores colaboram para o fortalecimento do sistema imunológico, responsável por atuar na defesa contra vírus, bactérias e doenças que ameaçam e “atacam” nosso corpo. Entre essas atitudes, a manutenção de hábitos saudáveis e constantes, como a alimentação equilibrada, sem grandes restrições e excessos, tem grande destaque. “É incorreto apontar que um alimento ou micronutriente, de maneira isolada, vai favorecer a imunidade e eliminar problemas de saúde”, destaca.

A especialista desvendou alguns mitos recentes sobre alimentação e relacionou fontes de vitaminas e nutrientes para incluir nas refeições:

Ingerir alho ajuda na prevenção de infecções virais?

purple Garlic in a bowl
Depositphotos

O alho é rico em componentes que auxiliam nos processos de defesa do corpo, no entanto, não há comprovação científica e nem estudo relacionando o alho com o desenvolvimento de Sars-CoV-2 ou a prevenção de outras doenças.

Tomar vitamina C todos os dias fortalece minha imunidade?

Glass and jug of orange juice and fruits

De fato, a vitamina C tem papel importante na modulação da imunidade, assim como a vitamina D, por exemplo. No entanto, também não é a vitamina C que, sozinha, contribuirá diretamente para o fortalecimento do sistema imune.

Consumo de leites e derivados favorecem as infecções respiratórias?

getty images laticinios
Não existem estudos que comprovem essa relação. Algumas pessoas desenvolvem alergias, que podem desencadear sintomas no trato respiratório, no entanto, não são quadros virais.

Vinagre é mais eficiente do que álcool gel e pode matar vírus quando utilizado para gargarejos?

vinagre de maçã
O vinagre não é um produto relativamente ineficaz na destruição de microrganismos. O gargarejo com água morna e sal também não previne o coronavírus, que infecta as células do pulmão e não da garganta ou nariz, apenas as “portas de entrada” do vírus no organismo. Esse tipo de mistura apenas alivia a irritação na garganta.

Alimentação equilibrada

mulher-bebendo-agua-sol-calor-pixabay
Pixabay

Aumentar a imunidade depende de quantidades suficientes de vitaminas, substâncias e sais minerais. Não se esqueça da hidratação, que desempenha papel fundamental na regulação da temperatura corporal, transporte de nutrientes e na eliminação de substâncias tóxicas. Ao longo do dia, alterne o consumo de água com suco de frutas, água de coco, bebidas reidratantes e chás.

Dicas da nutricionista do HCor para aumentar a imunidade:

oleos sustentavel

Vitamina D: excelente aliado do sistema imunológico. Presente nos óleos e peixes. Lembre-se também da exposição solar por meia hora para auxiliar na absorção. A suplementação deve ser orientada por profissional, quando necessária.

frutas-citricas
Frutas cítricas: laranja, acerola, kiwi, tomate, além de brócolis, couve e pimentão verde e vermelho são ricos em vitamina C, antioxidante que aumenta a resistência do organismo.

brocolis JPPI
Foto: JPPI

Vegetais verde-escuros: brócolis, couve, espinafre são ricos em ácido fólico e auxilia na defesa do organismo, e pode ser encontrado no feijão e em cogumelos.

leguminosas
Alimentos ricos em zinco: nutriente que combate resfriados, gripes e outras doenças do sistema imunológico. Encontrado na carne, cereais integrais, castanhas, sementes e leguminosas.

oleaginosas mixto pixabay
Oleaginosas: além de zinco, as nozes, castanhas e amêndoas são ricos em vitamina E. Ela é benéfica, principalmente para os idosos, agindo no combate à diminuição da atividade imunológica por conta da idade.

Fonte: HCor

Menopausa: especialista esclarece alguns mitos e verdades

Quando o assunto é menopausa, há um certo desconforto no ar. São casos de sofrimento com os hormônios, calor, noites maldormidas. Porém, nem tudo é verdade. Para esclarecer as principais dúvidas em relação ao tema, Lorena Lima Amato, endocrinologista doutora pela Universidade de São Paulo, conta o que é mito e verdade sobre a menopausa

A menopausa faz a mulher engordar.

peso-fita-metrica-balanca

Parcialmente verdade. Devido à diminuição dos níveis de estrogênio que ocorre nessa fase, há mudanças na composição corporal, o que, em geral, está, sim, associado ao ganho de peso, mas a menopausa, por si só, não é a responsável pelo excesso de peso da maioria das pacientes.

Toda mulher tem insônia na menopausa.

mulher calor fogacho menopausa

Mito. Os fogachos, aquele calor muito forte relatado por algumas mulheres, podem piorar a qualidade do sono, mas isso não é unânime.

É possível se preparar para a chegada da menopausa.

mulher corrida sol verão

Verdade. A prática de atividade física, que leva à manutenção do peso corporal, não fumar e ter uma alimentação saudável fazem esse período de transição ser menos difícil.

A menopausa interfere na libido.

menopausa queda libido sexo

Verdade. A diminuição dos níveis de estrogênio associada aos sintomas climatéricos, assim como outros sintomas da deficiência estrogênica como secura vaginal e, eventualmente, dor nas relações sexuais interferem sim na libido.

A menopausa sempre causa calor.

menopausa - reprodução internet fogacho

Mito. Algumas mulheres não experimentam as famosas “ondas de calor”. Isso acontece geralmente em mulheres que estão com excesso de peso, já que o tecido gorduroso pode produzir estrogênio.

Minha mãe sofreu na menopausa, então vou sofrer também.

mae filha smartphone computer

Mito. Os fatores genéticos podem influenciar, gerando mais ou menos sintomas, mas não são os únicos determinantes.

Fonte: Lorena Lima Amato é endocrinologista pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), com título da Sociedade Brasileira de Endocrinologia (SBEM) e endocrinopediatra pela Sociedade Brasileira de Pediatria. É doutora pela USP e professora na Universidade Nove de Julho.

Dia Mundial do Câncer: Avenida Paulista recebe ação para quebrar mitos sobre doença

Ação realizada pelo Instituto Oncoguia será hoje, 4 de fevereiro, em frente à FIESP, parceiro da iniciativa. Pacientes e especialistas abordarão a população para desmistificar a doença

O câncer é a doença que mais mata? O câncer não tem cura? É impossível ter qualidade de vida durante o tratamento de um câncer? O câncer é contagioso?

A fim de esclarecer estes e outros mitos sobre o câncer, o Instituto Oncoguia, ONG de apoio a pacientes com câncer, realizará uma ação no Dia Mundial do Câncer, nesta terça-feira, 4 de fevereiro, das 10h30 às 14 horas, em frente à Fiesp, parceira da ação. A iniciativa contará com a presença da equipe do Oncoguia e com pacientes voluntários para conversar abertamente com a população sobre o câncer.

“Considerando nosso objetivo de disseminar informação de qualidade e divulgar para todo mundo as boas notícias do mundo do câncer, nesse dia 4, queremos quebrar e combater mitos, notícias falsas e outras ideias erradas que as pessoas ainda têm sobre o câncer e seus pacientes. Por isso, convidamos todos que estiverem passando por lá nesse dia, que fiquem à vontade para vir conversar conosco e entender um pouquinho mais sobre esse universo que é a realidade de tantas pessoas”, comenta a presidente do Instituto Oncoguia, Luciana Holtz.

oncoguia

O evento conta com o apoio da Fiesp, Ciesp, Sesi e Senai.

Dia Mundial do Câncer – Quebrando Mitos
Data: 4/2/2020
Horário: 10h30 às 14h
Local: Fiesp 
Endereço: Av. Paulista, 1313 — São Paulo

 

Alguns mitos e verdades sobre o ar-condicionado no verão

A utilização do aparelho em casas, empresas e automóveis é positiva no verão, mas alguns cuidados devem ser tomados para se evitarem problemas, explica o médico pneumologista Álvaro Gradim, presidente da Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo (Afpesp)

O uso do ar-condicionado no verão é positivo, pois ameniza o efeito do calor excessivo sobre o organismo, que, além de desconforto e mal-estar, pode ser prejudicial à saúde, explica Gradim, salientando: “Ao contrário do que muitas vezes se propaga, baixar artificialmente a temperatura do ambiente nas casas, empresas e veículos não causa gripes e resfriados ou quaisquer outras doenças. No entanto, é preciso adotar alguns cuidados, para se evitarem riscos e se obterem apenas benefícios”.

mulher bebendo agua pixabay
pixabay

A primeira medida é manter-se bem hidratado, pois o ar-condicionado retira a umidade do ar e deixa o ambiente mais seco. Isto — e não a baixa temperatura — pode provocar infecções respiratórias, pois o ressecamento do epitélio respiratório destrói anticorpos e enzimas que defendem o organismo contra os germes.

“É fundamental tomar água e líquidos com frequência durante todo o período em que o aparelho estiver ligado”, orienta o médico. À noite, aconselha-se deixar um copo de água ao lado da cama, para tomar antes de dormir. Também se pode deixar um recipiente com água no ambiente, para que o ar não fique muito seco. Umedecer as narinas, com uso de soro fisiológico, colírios e hidratantes para a pele também podem ajudar.

Air conditioning decoration interior
LifeForStock

“O mais importante, porém, é manter o aparelho de ar-condicionado sempre limpo e em boas condições de funcionamento. Os filtros devem ser lavados pelo menos uma vez por mês e trocados a cada seis meses se o local não tiver muito movimento. Se o ambiente for frequentado diariamente por número grande de pessoas, o ideal é limpar a cada 15 dias e trocar a cada três meses”, ressalta Gradim, alertando: “Quando os filtros estão sujos, acabam concentrando pó, bactérias, fungos e outros microrganismos prejudiciais à saúde, principalmente afetando os pulmões. Por isso, o equipamento deve estar sempre limpo e em perfeitas condições”.

sala ar condicionado mulher

Deve-se regular bem a temperatura. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomenda que os aparelhos sejam ajustados na temperatura de 23ºC. O ideal é manter o local fresco, saudável e agradável para o organismo.

 

Faça o teste do All Things Hair sobre cabelo e aprenda a cuidar melhor dele

Muitas de nós temos dúvidas sobre os cabelos e curiosidades sobre os melhores tratamentos. “Receitas caseiras irão fazer o seu cabelo crescer mais rápido e forte?”, “Escovas de cerdas naturais podem dar mais brilho ao cabelo?”. Responda a essas e outras perguntas e descubra mitos e verdades sobre cabelos e o quanto você sabe sobre eles participando do teste do All Things Hair, canal sobre cabelos da Unilever.

Ao terminar o teste, você vai entender algumas das causas da queda e como aplicar os melhores tratamentos nas suas madeixas. Veja como o tabagismo, a alimentação, alterações hormonais, problemas de saúde e alguns medicamentos podem influenciar na queda.

Para ter fios mais fortalecidos, aprenda a montar um cronograma capilar de crescimento. Você vai receber dicas de como tornar seus fios mais saudáveis com hidratação, nutrição e reconstrução. E ver como a limpeza profunda, o uso de produtos estimulantes, tônicos e uma boa alimentação podem influenciar no crescimento.

Um texto especificamente desvendando mitos e verdades dos xampus, um dos principais aliados na rotina capilar, traz vários detalhes sobre o uso desse produto importante. O artigo te responderá a algumas de suas dúvidas mais comuns, como se ele pode ser usado todos os dias ou se você deve esfregar o couro cabeludo ao aplicá-lo.

Comece o teste agora, é só clicar na imagem abaixo

Teste cabelos

 

 

Conheça sete mitos e verdades sobre diabetes

Amanhã, 14 de novembro, é Dia Mundial do Combate ao Diabetes, doença que vem crescendo no mundo todo, e o Brasil não é exceção.

“Quanto mais brevemente se controla o diabetes, melhor será a evolução do paciente, com menores complicações crônicas. É importante não deixar de rastrear o diabetes e o pré-diabetes naqueles pacientes com fatores de risco. E uma vez feito o diagnóstico, não se pode retardar o tratamento”, comenta Andressa Heimbecher, endocrinologista da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional São Paulo (SBEM-SP).

Veja abaixo sete mitos e verdades sobre o diabetes:

doces mulher chocolate

O mito – Comer doce leva ao diabetes. A verdade – para ter diabetes é preciso ter pré-disposição genética à doença e outras associações, como obesidade, sedentarismo e histórico familiar. Portanto, consumir açúcar exclusivamente, não leva à doença. Mas para quem tem diabetes, certamente há necessidade de moderar esse consumo.

mulher meia idade diabete

O mito – é fácil saber os sinais do diabetes. A verdade – os sintomas do diabetes não são claros e variam de uma pessoa para outra. É importante fazer exames de rotina para saber os fatores de risco e obter diagnóstico preciso.

mulher computador lendo

O mito – É possível curar o diabetes. A verdade – existem vários estudos sérios para achar a cura, mas nada ainda que possa ser afirmado. “Portanto, cuidado com falsas promessas disseminadas na internet”, reforça Andressa.

doenças frio mulher espirro gripe doente

O mito – Diabéticos podem ter mais gripes e resfriados. A verdade – não há relação. O que os médicos indicam é que portadores de diabetes tomem a vacina, pois gripes e resfriados costumam dificultar o controle do diabetes, levando a complicações.

obesidade mulher obesa gorda pixabay
Pixabay

O mito – Só obesos têm diabetes tipo 2. A verdade – embora o sobrepeso seja um fator, não é causa única. A doença também está associada ao histórico da família e à idade. Muitas pessoas consideradas magras também são diabéticas.

pizza massa jantar almoço comida

O mito – Diabéticos não podem comer pães, batata e massas. A verdade – não há restrições, o que se deve fazer é controlar a porção. Isso porque a alimentação saudável é a chave da boa saúde. Os diabéticos que precisam controlar a quantidade de carboidrato ingerida devem ficar atentos aos níveis de glicose, para saber a porção certa desses alimentos a ser ingerida.

frutass

O mito – Frutas podem ser consumidas sem controle pelos diabéticos. A verdade – depende, pois, embora sejam muito saudáveis, elas contém carboidratos e, por isso, devem obedecer ao planejamento alimentar e à contagem dos carboidratos.

“Para profissionais de todas as áreas envolvidos no controle da doença, a abordagem multidisciplinar como base de tratamento deve ser sedimentada para alavancar processo de melhora nos níveis glicêmicos. Para o paciente, o entendimento das causas do diabetes e a implementação de uma rotina de mudanças de hábitos de vida é o pilar para todo o tratamento”, alerta a endocrinologista da SBEM-SP.

De acordo com o Atlas da International Diabetes Federation o Brasil tem cerca de mais de 12 milhões de diabéticos. Esse número representa quase 8% da população do nosso país, que é o 4º do mundo em números absolutos de portadores da doença. Globalmente, há 415 milhões de diabéticos, o que corresponde a uma pessoa em cada 11 habitantes.

O diabetes mata precocemente. Em 2015, no Brasil, 42% dos diabéticos que morreram tinham menos de 60 anos. No mesmo ano, 5 milhões de pessoas morreram no mundo por causa do diabetes, mais que a soma dos óbitos causados por AIDS, tuberculose e malária.

teste-de-glicemia-diabetes-tipo

Com o objetivo de alertar sobre a prevenção ao diabetes e o papel da família o tratamento, haverá palestra e convite à caminhada no dia 24, das 11 às 14 horas, no Parque Villa Lobos, em São Paulo. Entre os temas de alerta estão Prevalência, incidência e complicações, Mitos e Verdade sobre alimentação no Diabetes, Papel da Família, Apoio emocional para pessoas com Diabetes, A Criança e o Idoso com Diabetes e a Importância da atividade física.

Estarão presentes os endocrinologistas Marcio Krakauer (referência em tecnologias aplicadas ao diabetes), a Érika Parente, e Adriana Moretti, além de atletas que têm diabetes. Haverá participação especial do ator e cantor Daniel Boaventura, que vai palestrar sobre saúde e bem-estar nos dias de hoje. A ação será aberta ao público e o evento é realizado em parceria com a Sociedade Brasileira do Diabetes.

Ações pelo Novembro Diabetes Azul
Quando: 24 de novembro de 2019
Horário: das 11 às 14 horas
Local: Parque Villa Lobos
Endereço: Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 2001 – Alto de Pinheiros, São Paulo, SP
Atividade: palestras de conscientização, alongamento e convite à caminhada

Fonte: SBEM-SP

Mitos e verdades sobre perda auditiva

A perda auditiva pode ser causada por diversos fatores, como envelhecimento, genética e hábitos ruins ao longo da vida relacionados ao excesso de barulho, por exemplo. Segundo dados do Hear-it, site referência no tema, a capacidade de ouvir, em geral, diminui a partir dos 40 anos e mais da metade das pessoas que chegam aos 80 anos têm deficiência auditiva.

A exposição frequente a sons elevados, seja em casa, no carro, no trabalho, ao frequentar shows e boates, é um grande risco para a audição e muita gente ainda não se deu conta disso.

É melhor ficar atento desde cedo para chegar na fase madura com a audição ainda em dia. Preste atenção. A fonoaudióloga Marcella Vidal, da Telex Soluções Auditivas, analisou os principais mitos e verdades quando se trata de saúde auditiva. Saiba quais são:

1 – Escutar música alta em fones de ouvido pode causar perda auditiva

mulher ouvindo musica fone de ouvido stocksnap pixabay

Verdade. Segundo a fonoaudióloga, que é especialista em audiologia, a perda auditiva ocorre porque o hábito frequente de ouvir música com som muito alto pode causar danos às células ciliadas, responsáveis pela audição, que não se regeneram. “O limite de exposição a sons recomendado é de 85 decibéis; e quanto mais tempo exposto ao volume alto, pior para as orelhas”, alerta. Foi o caso do cantor britânico Brian Johnson, líder do AC/DC, que desde 2016 relata o problema em entrevistas e palestras.

2 – Cera de ouvido em excesso pode causar surdez

ouvido

Mito. O acúmulo de cera pode impedir o som de chegar ao tímpano. Entretanto, não pode causar surdez. “Esse problema pode ser resolvido com a remoção do excesso de cerume e, posteriormente, a pessoa conseguirá ouvir de forma adequada”, esclarece Marcella Vidal.

3 – Zumbido e sensação de tontura podem ser sintomas de perda auditiva

tontura falta de equilibrio bebada pixabay333

Verdade. Tanto o zumbido quanto a sensação de tontura podem ser indícios de problemas auditivos. “O ideal é procurar um médico otorrinolaringologista para ter o diagnóstico correto e saber o melhor tipo de tratamento. Em alguns casos, a indicação é o uso de prótese auditiva”, pontua.

4 – Perda auditiva não tem solução

surdez

Mito. Em grande parte dos casos, a dificuldade para ouvir pode ser tratada com o uso de aparelhos auditivos, adequados para cada grau de perda auditiva. Marcella Vidal explica que as próteses auditivas estão cada vez mais tecnológicas e modernas. “Elas são capazes de amplificar os sons, ajudando as pessoas no processo de reabilitação auditiva de maneira bastante eficaz”, conta.

5 – Infecção de ouvido pode causar perda de audição

orelha rosto ouvido

Verdade. As infecções de ouvido – otites –, podem trazer transtornos caso ocorram de forma repetitiva e sejam tratadas de forma errada. É necessário ficar atento, em especial no caso de crianças, que são mais suscetíveis a inflamações. Para evitá-las, o ideal é tratar de maneira adequada gripes e dificuldades respiratórias, pois isso pode afetar diretamente a audição. “A qualquer sinal de dificuldades para ouvir, é importante procurar um otorrinolaringologista para uma avaliação detalhada”, finaliza a fonoaudióloga da Telex.

Fonte: Telex Soluções Auditivas

Sete mitos sobre o câncer de mama que precisam parar de circular

Eles aparecem de tempos em tempos nas redes sociais e no WhatsApp, mas não correspondem à verdade sobre a doença

Antes, eles eram espalhados no boca a boca ou em textos impressos que circulavam entre as mulheres; hoje, estão nas redes sociais e são compartilhados livremente em correntes e grupos de WhatsApp. Estamos falando dos boatos sobre o câncer de mama, que não ajudam em nada nas campanhas sérias de prevenção da doença — que causa mais de 450 mil mortes por ano no mundo, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), e acomete principalmente as mulheres (a cada 100 mulheres com câncer de mama, um homem tem a doença).

“Esses mitos são como um bumerangue e sempre voltam a circular, não importa o que seja feito em termos de difundir informação verdadeira”, afirma Daniel Gimenes, oncologista do Grupo Oncoclínicas em São Paulo.

Para o especialista, a maior dificuldade é convencer as pessoas de que elas não devem acreditar em qualquer coisa que leem. “O problema é que, de tanto receberem, elas acabam confiando naquilo e achando que é verdade. Uma mentira falada tantas vezes acaba parecendo uma verdade para elas”, diz.

A seguir, Gimenes esclarece os sete principais mitos sobre o câncer de mama que precisam parar de circular o quanto antes.

É preciso lavar os sutiãs com frequência para evitar o câncer de mama

sutia varal secando istock photo
iStock Photos

A limpeza e a sujeira de sutiãs, tops ou quaisquer outras roupas usadas em contato com os seios não têm nenhuma relação com o câncer de mama. “As causas do câncer de mama são relacionadas a histórico familiar, questões hormonais, obesidade. Não existe fundamento em associar vestimentas à doença”, esclarece o oncologista.

O uso de sutiãs pretos em dias de sol aumenta o risco de câncer de mama

-wallpaper-flare mulher usando sutia preto
Foto: Wallpaper Flare

“Se isso fosse verdade, se descobririam cores que seriam benéficas e se curaria o câncer de mama com cromoterapia. Mas não é o caso. Nenhuma cor é relacionada com o desenvolvimento ou com a cura do câncer de mama”, diz Gimenes.

Usar sutiã para dormir aumenta o risco de câncer de mama.

istock-mulher dormindo
iStock Photos

Não existe nenhuma ligação entre os tumores do câncer de mama e o fato de os seios estarem “livres” ou “presos” durante o sono.

Sutiãs com aro, usados com frequência, causam risco de desenvolvimento de tumor nas mamas

316980_717018_sutiA_demi_roxy_de_r_99_90_por_r_49_90_web_

Mesmo que os aros de arame acabem machucando os seios por causa do contato, as eventuais feridas causadas por eles não se transformam em tumores, como o especialista explica: “O tumor ocorre como consequência de alterações genéticas que fazem as células se dividirem descontroladamente. É um processo interno.”

Expor os seios ao sol, de topless, aumenta o risco de câncer de mama

mulher praia topless pixabay
Pixabay

Não há nenhuma relação entre o câncer de mama e a exposição ao sol. O oncologista alerta, porém, para o risco de câncer de pele nessa situação: “Se os seios forem expostos sem proteção solar passa a haver um risco de câncer de pele”. É importante, portanto, passar filtro solar nos seios — principalmente nos mamilos — e evitar a exposição direta aos raios do sol entre as 10 e às 16 horas.

Desodorantes antitranspirantes causam câncer de mama

mulher usando desodorante clip dealer

“A relação entre câncer de mama e uso de desodorantes de todos os tipos é estudada há muitos anos, e de maneira muito aprofundada, e nunca se encontrou nenhuma evidência científica que ligasse antitranspirantes ou qualquer outro destes produtos às causas da doença”, afirma Gimenes.

Passar desodorante para dormir aumenta o risco de câncer de mama

mulher desodorante

Este é um hábito de muitas mulheres, que não precisam temer e podem continuar indo dormir perfumadas. A não-relação entre o uso de desodorantes e o desenvolvimento de câncer de mama vale para todos os horários do dia e da noite, inclusive durante o sono.

Fonte: Grupo Oncoclínicas

 

Confira alguns mitos e verdades sobre os vinhos

Garrafas devem ser guardadas deitadas? O vinho verde não é verde? Como segurar a taça? Vinho tinto só combina com carnes vermelhas? Sommelier responde essas e outras dúvidas a respeito da bebida.

O vinho é uma das bebidas mais consumidas em todo o mundo, e deve ser apreciado por todos, sem medo ou qualquer tipo de receio. Para te ajudar a desfrutar melhor de todos os aromas e sabores da bebida, o sommelier da Enoteca Decanter Blumenau, Sidney Lucas, responde as dúvidas mais comuns a respeito dos vinhos. Confira:

O queijo é a melhor opção para acompanhar vinhos?

vinho merlot com queijos concha

Mito. É, sim, uma ótima opção, porém, é necessário saber que não se coloca qualquer queijo com qualquer vinho. Existem alguns tipos de queijos de sabor muito intenso que acabam anulando o sabor do vinho. Como é o caso do roquefort ou o gorgonzola que ficam ótimos com vinho do Porto, mas podem anular os tintos mais delicados. Portanto, para que isso não venha a acontecer, é necessário escolher os vinhos de acordo com o que vai ser servido. Por exemplo, queijos leves para bebidas leves, e queijos mais gordurosos com um vinho mais encorpado e de preferência com um pouquinho a mais de acidez.

Vinho branco é feito somente com uva branca?

Verão_ Vinho branco

Mito. Os vinhos brancos podem ser produzidos com uvas brancas e tintas, visto que a polpa de ambas é clara. Quando feito com uvas brancas, o mosto – suco das uvas depois de prensadas – tem contato com as cascas por algumas horas enquanto fermenta, já com as uvas tintas, não há contato com as cascas para não colorir o mosto.

Para garantir qualidade, as garrafas devem ser guardadas deitadas?

vinhos
Foto: Jeronimo Heitor Coelho

Parcialmente verdade. Por muitos anos, houve a suposição de que, se a garrafa estivesse em pé, a rolha poderia ficar seca, gerando danos de qualidade a bebida. Porém, o sommelier explica que para armazenamento por um curto período, de até um ou dois anos por exemplo, a qualidade do vinho se mantém, independentemente da posição da garrafa.

O vinho verde não é verde?

vinho verde

Verdade. O vinho verde pode ser um espumante, rosé e até mesmo um tinto. A bebida tem esse nome por conta da região em que é produzido na região Demarcada dos Vinhos Verdes (RDVV) no Minho, que fica localizada ao norte de Portugal. O local é conhecido pelas suas belíssimas paisagens.

Deve-se  segurar a taça de vinho pelo bojo

shutterstock maturidade mulher brinde vinho

Mito. Nunca segure a taça pelo bojo! É recomendado segurar pela haste da taça, garantindo que a bebida não fique quente e permaneça em sua temperatura ideal, já que, assim, evitamos o contato das mãos.

Vinhos brancos só combinam com carnes brancas e tintos com carnes vermelhas

churrasco e vinho branco uvinum

Mito. É perfeitamente possível beber um vinho branco comendo carne vermelha ou tinto com vinho branco. A maneira de cocção do prato e também a quantidade e tipos de condimentos utilizados são tão ou mais importantes do que o tipo de carne. Por exemplo, um filé de peixe grelhado com um risoto de alcachofras teria como par ideal um vinho branco leve, já uma moqueca baiana pode ser acompanhada por um branco potente e barricado ou um tinto leve sem passagem por barricas. Neste caso, ambos são peixes, o que define que tipo de vinho harmonizar é o modo de preparo e ingredientes. Outro exemplo: um medalhão de filé grelhado guarnecido com arroz de amêndoas pode ser acompanhado por um Chardonnay barricado do Novo Mundo, já este mesmo filé cortado em tiras é adicionado ao arroz arbóreo e funghi secchi, dando forma a um risoto, passa a “exigir” um tinto encorpado”, comenta Lucas.

Espumante e champagne são a mesma coisa

vinho champanhe

Mito. Todo champagne é um espumante, mas, nem todo espumante é um champagne. Confuso, não é? Calma, pra ficar mais simples, siga essa dica: apenas o espumante produzido na região francesa de Champagne pode ser chamado de champagne.

Vinho pode ir para a geladeira

vinhos na geladeira.jpg

Verdade. Após aberto, o vinho deve ser mantido em uma temperatura mais baixa que o ambiente, diminuindo a oxidação e garantindo mais durabilidade. Mas, atenção, os vinhos duram em média três dias após abertos. Portanto, beba o quanto antes!

Vinho com gelo

chandon_ginger_passion_4

Parcialmente verdade. Prefira não gastar muito dinheiro com o vinho, já que o mesmo será um pouco descaracterizado. O sommelier lembra que você deve ingerir a bebida da maneira que preferir, ou seja, beba da maneira que você goste. Portanto, branco, rosé e espumantes podem ser ingeridos com alguns cubos de gelo para refrescar, principalmente, na estação mais quente do ano: o verão. Só lembre que, ao acrescentar gelo ao vinho, você estará diluindo a bebida. Então, avalie bem se esse é o seu objetivo ou se prefere desfrutar bem dos sabores e aromas da bebida.

Vinhos com tampa de rosca são falsificados ou tem qualidade inferior

vinho rosca rolha nhpr
Foto: NHPR

Mito. As tampas de rosca são muito utilizadas para diminuir custos, além disso, dificultam a proliferação de bactérias. Portanto, pode beber sem medo, eles não são falsificados e nem de qualidade inferior.

Vinhos têm corante

vinho tinto.jpg

Mito. Algumas pessoas acreditam que o sedimento que fica no fundo da taça é corante. Porém, esse sedimento significa que o vinho é de uma produção totalmente natural, já que alguns vinhos não são filtrados. Os sedimentos também se formam devido à matéria do corante natural do vinho passar para o estado sólido depois de alguns anos na garrafa.

O vinho do Porto não é produzido na região que lhe dá o nome

784_vinho_do_porto_messias_tawny_750ml_1

Verdade! Os vinhos do Porto são produzidos no Douro, ao norte de Portugal. O vinho só ficou famoso dessa forma, porque, antigamente ele ficava armazenado na região do Porto.

Fonte: Decanter

Alguns mitos e verdades sobre o câncer de mama

O cenário do câncer de mama no Brasil e no mundo traz números expressivos. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), no país, quase 60 mil mulheres são atingidas pela doença por ano. A enfermidade está entre as mais comuns neste grupo, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma, além de ser a número um no ranking de causa de morte por câncer no mundo.

Diante desta dimensão, o problema ainda gera muitas dúvidas. O mastologista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Yong Kyun Joo, explica o que é mito e verdade sobre o assunto:

1. Realizar o autoexame todo mês e não sentir nada exclui a necessidade de fazer a mamografia?

autoexame seios cancer rivermedical

Mito: apesar de importante, o autoexame feito como única forma de prevenção não é um método eficaz para detectar o câncer de mama. Isso porque o indivíduo só consegue apalpar o nódulo cancerígeno quando ele está em estágios avançados. Portanto, se você tem 40 anos ou mais, deve fazer mamografia todos os anos.

2. Apenas quem tem casos na família pode ter câncer de mama?

Mito: devemos sempre valorizar os antecedentes familiares, principalmente em parentes de primeiro grau. Porém, cerca de 90% das pacientes com diagnóstico de câncer de mama não tem nenhum histórico familiar, ou seja, a maioria não tem um componente hereditário.

3. Ter filhos diminui a chance de ter câncer de mama?

amamentação mãe pixabay
Foto: Pixabay

Verdade: a gestação é um dos principais fatores protetores para câncer de mama, principalmente antes dos 30 anos. Isso porque o tecido mamário só atinge a sua diferenciação completa com a gestação, tornando-se, desta forma, menos suscetível à transformação maligna.

4. Homens também podem ter câncer de mama?

Verdade: é muito mais raro, com uma proporção de 1/100, mas homens também podem ter câncer de mama. Neles, a doença aparece mais tardiamente, geralmente na sexta ou sétima década de vida.

5. O ultrassom de mamas é um bom substituto para a mamografia no rastreamento de câncer mamário?

mamografia-2

Mito: embora o ultrassom seja muito mais confortável, ele não é eficaz para rastreamento como método isolado. Apesar de amplamente utilizado, o seu principal papel é complementar à mamografia, que é ainda o principal exame para a detecção do câncer de mama.

Fonte: Hospital Edmundo Vasconcelos