Arquivo da tag: Moda

Malwee lança campanha #AtitudesdoBem 2019

Com o tema “Bonito não é o que a gente veste, bonito é o que a gente faz”, marca aposta em filme emocional para engajar consumidor na maior campanha de doação da sua história

Despertar gentilezas por meio de pequenas atitudes para construir um mundo melhor. É com esse propósito que a Malwee apresenta a campanha #AtitudesdoBem 2019. Lançada pela primeira vez em 2018, a segunda edição da campanha pretende ajudar mais de 20 mil crianças em todo o país na maior corrente de doação da história da marca.

Para mobilizar os consumidores, o filme explora a relação de pai e filha e mostra como a criança absorve os ensinamentos positivos que recebe ao longo da vida. Em um pequeno gesto da menina, as situações se entrelaçam e, com um tom emocional, reforça a mensagem: ‘bonito não é o que a gente veste, bonito é o que a gente faz’.

Cocriação da Malwee com a produtora Ventura TV, o filme, que tem 2 minutos e 30 segundos, pode ser visto nas redes sociais da marca Malwee e no programa Domingo Legal, do SBT. A campanha conta ainda com embaixadores como o apresentador Celso Portiolli e os atores Ricardo Pereira, Miá Mello, Dani Suzuki e Dudu Azevedo. Eles vão incentivar, em suas redes sociais, a participação do público.

“A campanha #AtitudesdoBem busca uma grande mobilização. Queremos incentivar pequenos gestos que podem fazer a diferença na construção de um mundo melhor. São ações simples, mas que mostram como podemos mudar a vida de quem está à nossa volta”, explica Guilherme Weege, CEO do Grupo Malwee.

malwee1

Campanha apoia 20 projetos sociais em todo o Brasil

A campanha #AtitudesdoBem tem dois meses de duração e apoia 20 projetos sociais em diversas regiões do Brasil. Quem escolhe o projeto beneficiado por cada doação é o próprio consumidor. Para participar, basta o consumidor comprar qualquer peça das coleções de fim de ano das marcas Malwee, Malwee Kids! ou Malwee Liberta (Alto Verão ou Celebration), cadastrar o código #AtitudesdoBem (impresso na etiqueta) no site da campanha, escolher a ONG que deseja ajudar e a Malwee faz uma doação para a causa escolhida.

Cada cadastro contabilizará uma doação equivalente ao valor de uma camiseta básica para uma das ONGs participantes. Para conhecer cada uma e saber o que esse valor significa para elas, basta entrar no site da ação. Essa campanha e toda a curadoria das instituições foram criadas em parceria com o Movimento Arredondar.

Confira o vídeo da campanha clicando aqui

Informações: Malwee

Bazar de arte, roupas vintage e gastronomia no fim de semana em Pinheiros

O evento terá vários artigos de arte e decoração, além comida e bebida na galeria Exílio Art

Exílio Art, galeria de arte em Pinheiros, realiza um bazar no sábado, 12 de outubro, das 12 às 19 horas, junto ao brechó Laranja Lima Vintage Shop. O evento contará com artigos de arte, decoração, acessórios, roupas, além de café, bebidas e comida.

O Exílio Art é uma galeria de arte que expõem o trabalho de vários artistas, além de receber eventos e palestras. O Laranja Lima Vintage Shop vende peças de roupa e acessórios vintage e novos.

hamburger lady gagahamburger madonna

A comida fica por conta do Burgay, que faz hambúrgueres diferentes, com glitter e em homenagem às divas pop, como Madonna e Lady Gaga.

Local: Exílio Art
Endereço: Rua Cardeal Arcoverde, 467, Pinheiros.
Data: 12/10 (sábado)
Horário: 12h às 19h

Interesse por moda cresce entre os novos 50

Em 2017, durante a edição 43 da SPFW, a estilista Raquel Davidowicz, da grife UMA, convidou a prima, Suzana Kertzer, uma ex-modelo, então com 67 anos, para desfilar um de seus modelos. Na época, Raquel declarou: “Hoje, a roupa não tem idade, então, não tem que só mostrar modelos tão jovens”. Ela também lembrou que entre as mulheres que usam suas roupas havia clientes de 70 anos, “bacanérrimas”, que eram as mais ousadas e se vestiam com muita personalidade.

UMA SUZANA
Suzana Kertzer desfilando para a prima

Em agosto do mesmo ano, na 44ª edição da SPFW, foi a vez da estilista Gloria Coelho, em parceria com a Natura, abordar o tema #velhapra questionando os padrões de beleza da moda. Na época, ela comentou que “a idade não pode restringir a carreira, a atitude, a forma de se vestir e as feições de ninguém”. Na passarela, mulheres de várias idades, como a cantora Marina Lima e a empresária Teresa Fittipaldi, entre outras, desfilavam.

marina-lima.jpg
A cantora Marina Lima

Sim, ao que parece, a moda está caminhando para ser ageless (sem idade) e os novos 50 estão cada dia mais interessados nesse tema. Eles não apenas são consumidores atentos que sabem o que querem, como também têm mostrado interesse em aprender a fazer e a entender a moda.

Auge da carreira

“Entre meus clientes, 25% deles estão na faixa dos 50 anos. E tenho percebido o aumento do interesse desse público por moda”, afirma a consultora de imagem Raissa Starosta, que acrescenta: “Antigamente, uma mulher dessa idade era considerada uma senhora. Hoje, ela está no auge da carreira e tem filhos pequenos. Creio que isso de ser mãe mais tarde esteja ajudando a manter a mulher mais jovem”.

viola michael kors
A atriz Viola Davis

Raissa diz que a maior diferença entre as mulheres jovens e as maduras é que as segundas sabem o que querem. “As de 50 geralmente passaram por um divórcio ou estão se reinventando na carreira e me procuram querendo mudar o estilo, mas sabem o que querem usar”.

Na opinião da profissional, não existe mais roupa para jovem e roupa para senhora. “Se uma garota comprar uma camisa branca, pode ser que a use em uma entrevista de emprego e, depois, dará um nó e a vestirá com shorts. Já uma mulher de 50, irá usar com jeans ou calça social e cinto. A maneira como se usa é o que diferencia, não a idade”.

Nasce uma modelo

Maria Rosa Von Horn tinha o desejo, desde pequena, de ser modelo. Porém, como a maioria das mulheres, fez a trajetória clássica: formou-se em Direito, se casou e teve filhos. Em 2007, prestes a completar 50 anos resolveu concretizar o sonho. E lá foi ela fazer um curso de passarela com meninas de 13 anos: “Sou meio fora da curva: mais alta que a média, sempre estive bem fisicamente e de saúde, então, por que não?”, diz ela, hoje com 61 anos.

fiftymodels.jpg

Ela conta que não conseguiu nada, foi tachada de maluca e, decepcionada, resolveu escrever para uma revista mostrando o preconceito que sentiu. A matéria repercutiu tanto que ela acabou dando entrevistas para vários outros veículos de comunicação. Maria Rosa recebeu milhares de mensagens de mulheres que a apoiavam: “Elas se sentiam inexistentes, criticavam o mundo restrito da moda e beleza e também a visão preconceituosa da publicidade, que retratava mulheres de 50 anos em anúncios de remédio ou fralda geriátrica”, conta. Mesmo sem um tostão, ela teve o insight de criar sua própria agência virtual, algo que não era comum em 2007. Assim nasceu a FiftyModels, especializada apenas em modelos maduras e na qual Maria Rosa também atua.

Hoje, 12 anos depois, a agência tem clientes como Arthur Caliman, Globe, Natura, Casas Pernambucanas, entre outros. Para Maria Rosa, o segmento só tende a aumentar: “Mulheres de 50 anos, hoje, estão no auge da vida, são ativas, elegantes, antenadas com o mundo e experientes. Representam a melhor fatia consumidora do mercado, pois chegaram ao topo da realização pessoal e profissional”.

Usando e criando moda

mulher estudando wiseGEEK

Para o professor e coordenador da Pós-Graduação em Styling e Imagem de Moda das Faculdades Santa Marcelina, Marcio Banfi, os novos 50 estão, sim, mais interessados em moda: “Essas pessoas não querem mais se vestir como ‘velhas’, querem usar as mesmas roupas que pessoas mais jovens usam, sem distinção”.

O professor confirma que tem visto um aumento de alunos, nesta faixa etária, nos cursos de moda: “Sem dúvida, há muitos casos de pessoas com 50 anos procurando graduação, pós e cursos de moda. Sinto que aumentou e noto isso nas minhas proximidades”.

Porém, mesmo com essas mudanças, ele não acredita que se possa falar que a moda agora é ageless. “Ainda não chegamos lá, mas estamos caminhando para isso. Seria o ideal, uma roupa sem distinção de idade”. Quanto a quem faz a moda, Banfi é menos otimista: “Ainda são poucos os que pensam nesse público. Sei que, por exemplo, algumas marcas têm clientes maduros que acabam se identificando com parte da coleção. Porém, não posso dizer, exatamente, se existe o pensamento voltado especificamente para eles”.

Revista para mulheres reais

capa senhora atual.png

A advogada e empresária Soraya Casseb Bahr de Miranda Barbosa estava folheando uma revista, com a filha, formada em publicidade e marketing, e as duas começaram a analisar o material: “Chegamos à conclusão que as publicações que existem retratam uma moda que não é para jovens nem para maduras. Fotos com moças muito magras usando roupas que não chamaríamos de ‘descoladas’. E o poder de compra dessa jovem não alcança os valores dos produtos oferecidos, como uma bolsa Chanel, por exemplo”, analisa.

E completa: “E os saltos altos? A maioria das jovens usa sapatilha, bota, tênis. Quem compra sapatos de saltos e vestidos de grifes costuma ser a mulher na faixa dos 50, que tem poder aquisitivo elevado, que pode se dar ao luxo de pagar R$ 5 mil por um sapato Louboutin”.

Foi aí que ela teve um insight e pensou em fazer uma revista diferente, para mulheres maduras e reais: “Criei a Senhora Atual para mulheres que estão trabalhando, produzindo, comprando e que só pensam em se aposentar depois dos 70 anos, e olhe lá. A revista mostra uma mulher vaidosa, que se cuida, paga suas contas, viaja, usa joias, troca de carro, investe em imóveis. Uma mulher que movimenta um mercado que a ignora e que, ao fazer uma propaganda, coloca uma garota que nem sabe o que está fazendo ali.”

No início, ela teve dificuldades em convencer anunciantes que teriam retorno. “Não tive problemas em colocar empresas brasileiras nos editoriais, não houve resistência. Agora, um ano depois, o retorno tem sido maior que o esperado. Não havia uma publicação como a nossa no Brasil”, finaliza a empresária, que tem 62 anos.

“Orgulho da pessoa que me tornei”

THEREZINHA 1

Therezinha Lima Fernandes, 51 anos, advogada e modelo, casada há 30 anos, tem 3 filhos e 4 netos. “Tornei-me modelo aos 50 anos. Consumidora e muito vaidosa, atenta ao mundo da moda e aos lançamentos de produtos de beleza, percebi que o mercado de propaganda estava começando a exibir modelos maduros, de vários perfis. em seus lançamentos. Eu me interessei e fui pesquisar agências que contratavam modelos acima dos 50 anos. Assim, conheci a FiftyModels. Mandei uma foto, fui agenciada e, para minha surpresa, logo no primeiro mês participei de um editorial de moda. Tenho uma autoestima elevada, estou de bem com a vida e me agrada a imagem que vejo diante do espelho. Hoje busco capacitação profissional, faço cinema no Studio Fátima Toledo e acabei de concluir curso de passarela e expressão corporal na Namie Wihby School. Confesso que pessoas que me cercavam levaram um susto quando optei por essa nova carreira, pois, por exercer o Direito, aparentava um perfil muito sisudo, e a minha nova escolha exigia carisma e alegria. Hoje, no local onde trabalho, ou quando estou com os meus filhos e netos, sinto que as pessoas exibem certo orgulho da pessoa que me tornei, estão sempre distribuindo a revista na qual fiz parte do editorial de moda. Em relação ao mercado de trabalho, existe um estereótipo das mulheres acima de 50 anos que não condiz com a nova realidade. A publicidade rejeita as mulheres que considero fashion. Nós almejamos além dos comerciais e propagandas de reuniões de família e produtos para terceira idade, queremos exibir os produtos de beleza, roupas e acessórios modernos do qual somos consumista. Enfim, estamos invadindo as redes sociais por meio dos nossos ensaios fotográficos e mostrando um padrão que já existe, embora não se divulgue”.

Mudando a autoestima

ALICE OKUDA 4

Alice Yuka Okuda, 52 anos, empreendedora, divorciada, sem filhos: “Não era modelo. Comecei depois que fui desligada de uma multinacional em 2017, aos 50 anos. Trabalhei na área tributária durante 27 anos, tinha um cargo de gerente, com muitas responsabilidades. Um ritmo muito estressante, que afetava minha saúde e lado pessoal, ou seja, não tinha qualidade de vida. Então, decidi que não voltaria a trabalhar nessa área, apesar do salário ser bem atrativo. Pensei que não tinha muito tempo para aproveitar a vida e que o momento de trabalhar com algo que me desse prazer, ser feliz, mesmo ganhando menos, tinha chegado. Vi um anúncio sobre modelos com mais de 50 anos na internet, pesquisei sobre o assunto e encontrei a Maria Rosa da FiftyModels. Isso mudou minha autoestima. Percebi que depois que sai da zona de conforto e da rotina, consegui desenvolver outras habilidades que nem conhecia. No início, as pessoas desconfiaram, mas depois que os resultados foram aparecendo, todos me apoiaram e entenderam a importância do meu momento. O mercado é muito concorrido, ainda mais com atual situação do país. Tenho muita coisa para aprender, começar uma nova atividade leva algum tempo para decolar. De qualquer forma, acredito que hoje tenha mais chances para pessoas de 50 anos ou mais do que antes. A leitura que estou fazendo, é que esse mercado está pedindo pessoas reais, não somente aquela modelo jovem e que tem as medidas perfeitas. Começar uma nova atividade, seja como modelo ou qualquer outra coisa que você ame, exige coragem e determinação. As pessoas não podem deixar seus sonhos de lado, têm que acreditar e ir até o fim. Afinal de contas, estamos aqui para viver e ser felizes. Viver é muito mais que existir”.

“Não acho que haja algo proibido para uma mulher de 50 anos vestir”

laura e karl
Laura com o estilista Karl Lagerfeld

Laura Wie, 52 anos, casada, duas filhas, modelo, empresária, palestrante: Continuo envolvida com a moda, mas, claro, os convites para trabalhos, especialmente desfiles, diminuíram. Normalmente, a passarela é para mais jovens. Fiz as primeiras edições da SPFW, mas acho que houve uma mudança de perfil, hoje não há mais aquela supermodelo ou mesmo a mai conhecida. As meninas fazem parte de um grupo. Aquela fase passou. Como sempre trabalhei e gostei de moda, mesmo não sendo mais uma modelo tradicional, continuo envolvida. Fiz uma personagem no teatro, na peça Mademoiselle Chanel, entre 2004 e 2007. Marília Pêra era a Gabrielle Chanel e eu uma modelo da maison. Naquela época, já era apresentadora de televisão, e as matérias diziam: a modelo Laura Wie volta às passarelas pelo teatro. Fiquei receosa de ser chamada de modelo. E ela me disse: ‘Sempre fui bailarina e sempre serei. E estou com quase 70 anos. E você, pelo seu perfil e histórico, sempre será uma modelo. Aceite”. E eu aceito. O fato de manter a mesma forma de me vestir fez com que as pessoas continuem a me ver assim. Sobre mulheres maduras continuarem a trabalhar como modelo, isso sempre foi decisivo tanto na Europa quanto nos EUA. Quando trabalhei na Ford Models em Nova York , há cerca de 25 anos, havia um setor de mulheres maduras. O Brasil demorou para dar espaço para as plus size e negras, mas agora as vemos, o que é positivo, e acho que isso vai englobar as mais velhas também. Minha sogra, por exemplo, tem 75 anos, e se veste de forma bem moderna. Já minha mãe é mais classuda, então, tem aquele ar mais de senhora, enquanto minha sogra passa algo atemporal, alguém cuja idade você não sabe. Antes, uma mulher de 75 era uma senhorinha, hoje pode ser um mulherão. Não acho que haja algo proibido para uma mulher de 50 anos vestir. Sempre usei minissaia, mas outro dia vesti uma e me senti insegura, perguntei às minhas filhas, de 20 e 16 anos, se estava ridícula. Elas disseram que não, que tenho pernas bonitas e que era para eu não me trocar. Vale lembrar que meu campo de atuação me permite essa liberdade no vestir. Acho que o importante é ser mais elegante que moderna, não passar por uma mulher madura querendo ser uma garota. Se uma mãe, uma avó for a uma loja, tipo fast fashion, e quiser algo mais moderno, encontrará peças bacanas. Mais importante que ter roupa para essa ou aquela idade é ter numeração, havia um tempo em que ia até o 44 apenas. Creio que as pessoas maduras acham que não são representadas porque vemos campanhas de moda com jovens. Um exemplo bacana vem da Dolce & Gabbana, que sempre usou senhorinhas nas campanhas, aquela matriarca italiana e modelos mais novas, juntas. Outra grife que faz isso é a Missoni, também italiana. Tudo que sai da Itália vai para o mundo e incentiva a fazer parecido. Talvez, por aqui não tenhamos chegado a isso, mas estamos perto, pois estamos abarcando todos os tipos físicos e logo todas as idade entrarão nas campanhas também.

Bazar da Troc permite ajudar causas sociais e moda sustentável

Começa hoje (16) e vai até dia 21 a Semana Bazar em Sale na Troc, maior brechó online do Brasil. Os bazares de famosas em prol de causas sociais estarão com ofertas especiais com mais de mil e quinhentas peças com descontos de 50% e opções nas categorias fast fashion, premium e luxo. O lucro total das vendas será revertido às instituições de caridade e, ao comprar na Troc, o cliente ainda estimula o consumo sustentável da moda. Esta é uma oportunidade de fazer o bem duas vezes.

Entre os bazares está o da musa Sabrina Sato. A renda da venda das peças será revertida para o seu próprio instituto e para ajudar o @guerreirinhonicholas. O menino de 2 anos nasceu com anomalia anorretal e duplicidade de vários órgãos, usou bolsa de colostomia e vai passar por sua quinta cirurgia.

Outro bazar em destaque é do Instituto Luisa Mell, fundado em fevereiro de 2015, que atua principalmente no resgate de animais feridos ou em situação de risco, recuperação e adoção. A ativista mantém um abrigo com cerca de 300 animais, entre cães e gatos, todos resgatados das ruas. Comprando as peças do Bazar da Luisa você possibilita que mais animais tenham uma vida feliz.

luisa-mell.png

A Fundação Amor Horizontal é uma iniciativa da Carol Celico que está há quase 5 anos ajudando crianças e adolescente em situação vulnerável em todo o país. A fundação trabalha com uma plataforma de e-donation (doações via web) para conectar diversas instituições. Hoje, a Amor Horizontal já ajudou milhares de crianças e com Bazar da Troc vai ajudar ainda mais. A ação conta com um time de mães influenciadoras que se propuseram a doar e ajudar com suas peças.

São elas: Mica Rocha, Lu Tranchesi, Dani Mattar e, é claro, da fundadora de todo o projeto, Carol Celico. Toda a renda arrecadada será revertida em doações para projetos e instituições que ajudam no desenvolvimento de crianças e adolescentes e no apoio a famílias que precisam de auxílio para a melhor criação dos seus filhos.

Para quem quer aproveitar as promoções e ainda ajudar os animais uma outra opção é comprar no Bazar dos Amigos de São Francisco, ONG destinada ao cuidados com os animais de qualquer raça e espécie e que acredita que uma sociedade só estará em equilíbrio quando souber tratar com dignidade seus animais.

Hoje, a Troc realiza por volta de 2 mil pedidos por mês e tem mais de 4 mil “lojinhas” ativas no site, páginas onde qualquer pessoa pode se tornar um vendedor. Já passaram pela plataforma nomes como Anitta, Bella Falconi, Flávia Pavanelli, Carol Celico, Dupla Carioca, Gabi Pugliesi e Ticiane Pinheiro. Segundo o CEO, Marcelo Iwakura, o objetivo é tornar a TROC o maior solucionador da moda consciente para o Brasil e para a América Latina.

Para quem quer vender, e mora em Curitiba ou São Paulo, a Troc retira as peças no local indicado, sem nenhum custo. Já para as outras regiões do país, é possível enviar por correio, também gratuitamente. As peças passam por uma curadoria e, se aprovadas, são incluídas na plataforma. “Um dos critérios para avaliação é analisar se você daria de presente para sua melhor amiga. Porque se tem algum defeito, um fio puxado, bolinha ou zíper emperrado, você não aceitaria como um presente para alguém especial”, explica Luanna Toniolo, fundadora da Troc, sobre o processo de seleção dos produtos.

Após aprovação final do valor sugerido pelas especialistas da startup, as peças ficam disponíveis para venda. Quando os itens não passam pela seleção – e os motivos vão desde mau estado, até mofo – , o cliente tem duas opções: pagar pelo frete de devolução ou autorizar a doação. Cerca de 12% das peças recebidas são destinadas para instituições de caridade.

luanna toniollo.jpg

Luanna é advogada e apaixonada pelo universo da moda. A ideia de iniciar esse negócio veio após realizar uma especialização em Marketing em Harvard. “Mais do que permitir que todas as usuárias tenham acesso aos produtos que sempre sonharam, a startup tem como objetivo educar as brasileiras para que cada vez mais apostem na economia circular. A nossa alta taxa de recorrência mostra que estamos no caminho certo. Quem conhece a Troc começa a confiar na roupa de segunda mão, entende que essa é uma alternativa e que a roupa usada não é mais um tabu”, finaliza.

Informações: Bazar da Troc

Mercado das Madalenas especial para Dia dos Namorados neste fim de semana

23ª edição do evento, que se fortalece como um ícone da economia criativa paulista, homenageia a data mais romântica do ano em um espaço exclusivo com produtos artesanais para todos os gostos

Consagrada como uma das cinco maiores feiras da economia criativa da cidade de São Paulo, o Mercado das Madalenas se prepara para realizar a sua 23ª edição, que desta vez será em comemoração ao Dia dos Namorados no espaço A Casa – Museu do Objeto Brasileiro. O evento é uma excelente opção de passeio para casais e famílias, e será realizado nos dias 8 e 9 de junho, das 10h às 21h.

No charmoso espaço do A Casa – Museu do Objeto Brasileiro, o Mercado das Madalenas oferece aos seus visitantes um ambiente com variadas opções de produtos exclusivos, feitos artesanalmente, que incluem desde peças de vestuário (masculino, feminino e infantil), acessórios, objetos de decoração e presentes, além de opções para alimentação. Apresentações musicais também serão oferecidas nos dois dias de evento.

Inara Prudente e Monica Isnard, idealizadoras do Mercado das Madalenas, contam que desde 2012 o evento tem como meta fomentar a economia criativa paulistana, oferecendo oportunidades para que os pequenos empreendedores exponham as suas marcas e criem laços com clientes, pois o ambiente proporciona essa interatividade direta com o público. Com isso, o Mercado das Madalenas se fortaleceu ao longo dos anos como um ambiente de consumo e diversão para as famílias, deixando de lado o conceito de grandes shoppings centers. “Procuramos criar uma atmosfera alto-astral para pessoas de todas as idades e fazer com que as relações entre produtores e consumidores sejam espontâneas, mas com uma criteriosa curadoria em relação aos expositores”, afirmam.

Edição no espaço A Casa – Museu do Objeto Brasileiro

Essa será a primeira vez que o Mercado das Madalenas será realizado no espaço A Casa – Museu do Objeto Brasileiro, localizado na Avenida Pedroso de Morais, no bairro de Pinheiros, em São Paulo. O local foi criado em 1997 por Renata Mellão – que até hoje permanece como diretora do museu – com o objetivo de reconhecer e valorizar o desenvolvimento do design e de artesanatos produzidos no Brasil, recebendo com frequência exposições, música e gastronomia de âmbito local.

Marcas participantes já confirmadas:

Adedo; Alê Feola Hand Made; Argana Ethenic; Ateliê Alaine Colucci; Ateliê Andreas Martorelli; Atelier Soave; Bagbag Store; Cacau e Curas; Camila Romero; Cheek Children; Collab L2; Criativo Curioso; Dad’s Love; Dafna Edery, carteiras em couro; Dela Fiore; Dot; Ecolov; Essências da Terra; Fabiana Zerbinatto Joias; Féder; Figa Swin; For Her; Goiaba; HB Arte em Cerâmica e Joia; House of Freyja; Iza Trinas; Juprá; Le Diable Sex Joy; Loom; Luli Ateliê; Maria Decor; Maria Sublime; Marianna Aurbach; Marion Kopel; Mauricio Duarte; Mayamunii; Mien; Mole Bags; Mumo; Mundujú; NUZ; Ó A Saia Dela; Para Dormir; Pat Motta; Paula Fabbri; Porfiria Budetti; REVER Camisaria; Studio Dalzotto Susu Bijoux; Tear Paulista; Temos Vagas Knit; Tita Point Arte Interativa; Viajantesss; Vira Mundo Ateliê e Botanikos Brasil.

Alimentação:

Pão di Queijo da Mineira, Quinta do Quiriri, Pimentas e Pitadas, Jais Hand Made, Tamara Chocolates, Mapuche, Mestiço Chocolates, O Pão de Mel.

mercado das madalenas.jpg

Mercado das Madalenas – 23ª Edição (Dia dos Namorados)
Dias 8 e 9 de junho, das 10h às 21h
Local: A CASA Museu do Objeto
Endereço: Avenida Pedroso de Morais, 1216, Pinheiros – São Paulo
Entrada gratuita

 

Quatro ideias para parecer mais jovens transformando o look

Tudo o que quase toda mulher deseja é parecer mais jovem do que é realmente. O que acha de conhecer alguns bons truques de moda que facilitarão essa “tarefa” para você? Quem dá as dicas é a consultora de moda e influenciadora Deborah Zandonna. Confira:

1-Use cores vibrantes:

viola davis stealthelook
Foto: stealthelook

As cores são a primeira coisa que vemos e sempre comunicam algo no look. Preto, bege, marrom são cores lindas e elegantes, mas se você optar somente em vestir esses tons pode parecer mais velha do que é. Use um vermelho, laranja ou a cor da moda, para dar um up no seu visual.

2- Atualize seu guarda-roupa:

gizlileylak
Foto: Gizlileylak

Modernidade anda de mãos dadas com a mocidade. Fique de olho se aquela peça que você tanto ama (lembrando que roupas boas duram muitos anos) está fora de moda. Não precisa se desfazer da roupa, mas guarde para quando houver um retorno da tendência. Refresque seu look.

3- Adote o jeans

sandra-bullock
Pinterest

Para parecer mais jovem, nada como um jeans. Mas use jeans com o corte do momento e com uma lavagem moderna.

4- Invista na terceira peça

jennifer aniston

“A terceira peça tem a função de tirar a produção do óbvio e torná-la mais interessante e dependendo pode dar aquele toque jovial que tanto almeja. Aqui pode entrar também a mistura de estilos que eu tanto amo”, ensina a consultora.

“Ponto de atenção: existe uma linha tênue entre como se vestir para parecer mais jovem de forma elegante e como tentar parecer mais jovem utilizando peças de um guarda-roupa adolescente. Saiba que as duas opções não são, nem de longe, a mesma coisa! Use sempre o bom senso e se tiver dúvidas consulte meu Instagram que está cheio de boas dicas. Mas experimente sem medo e não se prenda a sua idade, ok?”, finaliza Deborah.

Dia das Mães: presentes para cuidar da beleza

O Dia das Mães está chegando e para ajudar na escolha do presente, a Akmos, empresa de saúde, nutrição e bem-estar dá dicas de presentes que fazem sucesso com as mulheres. Para quem deixa para última hora, ou é indeciso e não sabe por onde começar.

Para ajudar na hora da decisão, abaixo estão quatro sugestões de presentes:

Liberté Corp Hidratant Pour Le Corp

liberte_corp_hydratant_pour_le_corps_250g.png

Mantém o corpo sempre hidratado. Com agentes que preservam a umidade corporal natural da pele, garante profunda e duradoura hidratação. Disponível em dois tamanhos. Preços: de 250ml – R$ 69,99 e o de 60ml  – R$ 39,99.

Óleo Essencial Fresh Mint

oleo-essencial-fresh-mint-sinosite-descongestiona-akmos-D_NQ_NP_.jpg

Para quem quer relaxar, refrescar e se energizar depois de um dia cansativo de trabalho, esse é o produto ideal. Óleo de hortelã com alto teor de mentol utilizado na Grécia antiga como tônico e perfume. Disponível em frasco de 4,5ml – Preço: R$ 49,99.

Bolsa média com chaveiro

bolsa com chaveiro.jpg

Item essencial no dia a dia da mulher para conseguir tudo que é necessário para diversos eventos, ou mesmo para o trabalho. Preço: R$ 499,99.

Masked

fragrancia_femininas_8.png

Do inglês, Mascarada. Masked remete à uma mulher misteriosa, que se divide em suas diversas personalidades e múltiplas fantasias. É um perfume que traz leveza e sofisticação. Preço R$ 99,99.

Os produtos da Akmos não são testados em animais, são livre de parabenos e contam com embalagem de frasco reciclável. Além disso, todos possuem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o que garante a qualidade dos mesmos.

Informações: Akmos

 

Bazar Moda do Bem: mais de 70 lojas com até 70% de desconto, gastronomia e espaço kids em Curitiba

15ª edição do evento acontece nos dias 3 e 4 de maio no Buffet du Batel, em Curitiba

Nesta sexta e neste sábado, 3 e 4 de maio, é realizada a 15ª edição do Bazar Moda do Bem, o maior evento de compras de Curitiba. São mais de 70 lojas e grandes marcas com descontos de até 70% de desconto. Uma super oportunidade para adquirir bons produtos a preços especiais, além de garantir o presente para o Dia das Mães.

bazar do bem

O evento acontece das 12 às 21h na sexta-feira e, das 10 às 21h no sábado, 4 de maio. No local do evento, Buffet du Batel (Alameda Dom Pedro II, 238, Batel) haverá vallet a R$15 (período até 3 horas). A entrada custa R$ 5 + 1 kg de alimento (ou ração).

Lojas e restaurantes de comidinhas deliciosas também estarão no evento. Na praça de alimentação, delícias como cafés, doces, lanches, sucos, massas e sorvetes. Para as Mães que não abrem mão de fazer compras acompanhadas dos filhos, o evento oferece um espaço kids gratuito com ambiente exclusivo, atividades especiais e oficina de slime com Julia Manzalli para entreter os pequenos e interagir com os pais.

bazar verd co
As delícias saudáveis da Verd&Co estão presentes.
lari cakes
Doces da Lari Cakes
sorvetes dvicz
Os variados sabores dos sorvetes D’Vicz

Clube da Alice também estará presente com as Alices Blacks, empreendedoras de um time especial focadas em um atendimento de excelência, expondo produtos com foco em presentes. Segundo Monica Berlitz, do Clube da Alice, participar e apoiar o Moda do Bem é sempre um grande prazer já que se trata de um evento marcante no calendário de Curitiba.

“Esperamos vocês no nosso cantinho especial bem na entrada do evento”, convida Monica. Entre os expositores que estarão no estande do Clube da Alice estão: a Canecaria da Flor com o famoso Kit Café; a Styllus Pratas com jóias, berloques e pulseiras banhadas a prata; Carolina Küster com planners, agendas, cadernos, cadernos especiais, bloquinhos, pastas e artigos personalizados para festas; Silmara com a Ternamente Lembranças Personalizadas; a Mix Papelaria Criativa CWB; a Artesãs com produtos personalizados criados pela técnica da cartonagem e também crochê.

“Chegamos a 15ª edição do evento e nosso objetivo é, mais uma vez, reunir solidariedade com oportunidades de compras com produtos de grandes marcas e descontos de até 70%. Essa edição traz opções para quem procura presentes especiais para o Dia das Mães, mas que também quer curtir o fim de semana com as amigas e/ou em família. Teremos um espaço gastronômico com muitas delícias, além de mais de 70 expositores e espaço kids com programação dedicada às crianças”, explica Yannih Tsushima, empresária e idealizadora do evento.

O evento é uma oportunidade para quem deseja fazer compras de produtos de qualidade, com preços especiais, além de ajudar as instituições. Serão mais de 70 lojistas, entre eles grandes marcas como Colcci, Carmem Steffens, Anacapri, Luiza Barcelos, Animale, Farm, Cantão, Lez a Lez, Skazi, Ruby Rose, Vanessa Taques, Oxyfit, Puket, TVZ, My Shoes. As bolsas queridinhas da Colcci, Cavalera, Fórum com preços especiais.

Achados como o Batom Ruby Rose por apenas R$ 5 e 5 batons por R$ 20; Lenços a partir de R$ 9,99; Brincos Maria Chica por R$ 5; Porta Retratos Vanessa Taques por R$ 15. Entre as novidades dessa edição estão itens para as gestantes e bebês.

A 15ª edição do Bazar Moda do Bem acontece nesta sexta, 3 de maio, das 12 às 21 horas; e no sábado, 04 de maio, das 10 às 21 horas. O valor da entrada é R$ 5 mais a doação de 1kg de alimento não perecível ou 1kg de ração. Crianças até 12 anos não pagam entrada. Entre as instituições que serão beneficiadas estão: Fas | Provopar | Lar Adelaide | Projeto Dê Uma Chance | Instituto Forja | Turma da Sopa.

bazar do bem 2

bazardobem.jpg

15ª edição Bazar Moda do Bem
Datas:
3 de maio (sexta-feira) das 12 às 21h
4 de maio (sábado) das 10 às 21h
Local: Buffet Du Batel
Endereço: Alameda Dom Pedro II, 238, Batel, Curitiba/PR
Entrada: R$ 5 + 1kg de alimento não perecível ou 1kg de ração. Crianças até 12 anos não pagam entrada.

Bazar da Cidade leva 110 expositores ao Museu da Casa Brasileira

Em sua 11ª edição, o Bazar da Cidade ocupa pela segunda vez o privilegiado terraço e jardim do Museu da Casa Brasileira. O evento – com entrada gratuita – ocorre no sábado 27 e no domingo 28 de abril, sempre das 10 às 21 horas, reunindo 110 expositores.

Parte deles – exatos 27 – são dedicados à gastronomia. Estão divididos em dois grupos: Mercearia, com produtos para se presentear ou serem levados para casa –; e Praça de Alimentação, com delícias para serem consumidas lá mesmo, no incrível espaço do MCB.

O Bazar da Cidade reúne também dezenas e dezenas de expositores de vestuários e acessórios, joias e bijuterias, casa e decoração, bem-estar, arte indígena e infantil.

Desde sua primeira edição, em agosto de 2015, o Bazar da Cidade dá importância à Gastronomia, sempre tratada de forma muito especial por Bel Pereira, curadora do evento.

“Dentro do conceito do nosso bazar de valorizar o diverso, o visitante encontrará opções interessantes que aguçarão seu paladar e sua criatividade”, afirma Bel Pereira. Dessa vez, por exemplo, a culinária húngara e toda sua tradição poderão ser apreciadas na barraca do É dos Anjos – Sabores do Mundo. Há ainda a comida típica venezuelana da Arepas Picatta SP e os sanduíches e pratos do Mapu, de legítimas raízes taiwanesas.

O bazar promove também uma série de oficinas para crianças e adultos. Uma das oficinas para adultos é gastronômica, e ocorre nos dois dias do bazar, sempre às 12h30:

Ervas, Especiarias e Masalas. Pitadas afetivas de aromas e sabores, com Marcelo Nastari, da Grão Vizir Masalas & Especiarias – Encontro regado a aromas, sabores e atividades sensoriais. A partir do uso dos sentidos serão abordados: “Conceitos de ervas, especiarias e masalas”, “Noções gerais de uso culinário de três a cinco temperos (ervas, especiaria e masala)” e “Armazenamento e qualidade”. Inclui degustação e material de apoio (temperos e material impresso) – Duração: 1h e 15 minutos – Vagas limitadas: 12 pessoas

Relação completa dos participantes gastronômicos:

Mercearia

Alho Negro do Sítio
O alho negro é o alho in natura, que passa por um processo de fermentação, é depois submetido a uma condição de temperatura contínua de aproximadamente 65 graus centígrados e umidade controlada e assim vai escurecendo sem nenhum aditivo químico. Ele ganha sabor, odor e textura diferenciados. Fica adocicado e perde aquela característica ardida. Com ele, são desenvolvidos diversos produtos: azeite, geleia, chimichurri, mostarda, pasta, pesto e pimenta de alho negro. O alho negro puro é vendido em embalagens de 100g, 250g e 500g. Há ainda embalagens gourmets para restaurantes.

Caiu do Pé

CAIU DO PÉ geleias premium 100% artesanais 1
Geleias premium e licores artesanais por Dulce Botelho. Semanalmente, as melhores frutas são higienizadas e cortadas, recebem adição de açúcar e suco de limão – base de todas as geleias. Para os licores, as frutas são colocadas em infusão alcoólica para maturação de 30 a 90 dias.

Campo Místico Cafés Especiais
Cafés produzidos em Bueno Brandão, Sul de Minas Gerais. Agricultura familiar de montanha, cujo processo de colheita é manual e seletivo, com secagem natural em terreiro suspenso. Tudo isso confere ao café aromas e sabores únicos.

Cantinho de Minas
Queijos artesanais e outros deliciosos produtos fazem o sucesso da Cantinho de Minas, empresa de Soraya Vilhena. Sete queijos são da Fazenda Pé de Serra, propriedade da família Vilhena, em Carmópolis. Mas a Cantinho trabalha com uma variedade maior do produtos. No total, são vinte diferentes tipos de queijos. Há ainda doces de leite, goiabadas, geleias e cachaças – entre elas, a Cachaça Sant’Ângela, armazenada em carvalho e umburana.

Empório Dona Mita
Empório Dona Mita, de Patricia Ioannou, produz de forma natural uma saborosa linha de antepastos e conservas, além de risotos incríveis. Para os antepastos e conservas, são usados azeite de oliva, óleo de girassol, alimentos frescos e não congelados. Destaques para o antepasto de alcachofra, bacalhau confit, relish picante de erva-doce, carpaccio vegetal de chuchu, chucrute artesanal. Os preços dos antepastos variam de R$ 25,00 a R$ 45,00. Os kits para risotos são de cinco sabores e custam R$ 30,00 cada. Entre eles, destacam-se o de pera com alho-poró e o de figo turco com nozes.

Grão Vizir Masalas e Especiarias
Marcelo Nestari leva ao Bazar da Cidade as ervas e temperos da sua Grão Vizir, produtos exclusivos que encantam todos os sentidos. As masalas (termo indiano para mistura de ervas e especiarias) são pra lá de especiais. Entre elas, Curry de Madras, Garam Masala, Kashmir Masala, Panch Phoron Rajasthani, Tandoori Masala e Tchai Masala. Destaque também para a Calda de vinho e especiarias, para ser explorada em muitos pratos, carnes, queijos, bolos e frutas.

Jais Hand Made
Empresa formada pelo alemão e fotógrafo publicitário Egon Jais e sua esposa Karina Jais, brasileira que atuava no mercado de moda. Egon é de família de cozinheiros alemães, onde os homens sempre dominaram a cozinha e trabalhavam da forma mais natural possível. A empresa produz charcutaria de carne suína e bovina, conservas no azeite, manteigas temperadas, chutneys, relishes, picles, mostarda e geleia de bacon.

K.Lab
Dos irmãos Renato Mendes e Victor Mendes, a K.Lab surgiu a partir do sucesso do Kittychenlab, canal de gastronomia do YouTube. A empresa produz uma linha de sete diferentes azeites aromatizados, elaborados com azeite extravirgem, ervas frescas e orgânicas processadas através de desidratação e sous-vide. A produção é artesanal e feita em São Paulo. Preocupada com a sustentabilidade, a Klab tem um sistema de refil, que é o azeite no saco, hermeticamente fechado.

La Conserveria
A empresa nasce da paixão pela gastronomia da italiana Graziana Matera, que une a tradição de fazer conservas à inspiração pela busca de novos sabores. Na Itália, conservar vem da necessidade e de respeito às estações – é armazenar o melhor das frutas e legumes para todos os momentos do ano. A proposta da Le Conserveria é perpetuar esse tipo de conhecimento, através de uma fabricação artesanal de qualidade, sem quaisquer aditivos químicos. No Bazar da Cidade, Graziana Matera estará com suas geleias e chutneys. Entre os chutneys, o mediterrâneo e o de cebola roxa com vinagre balsâmico. Entre as geleias, entre outras a de alho com pimenta calabresa, a de pimenta com alecrim, geleia de amora com lavanda e laranja com manjericão.

Mestiço Chocolates
Trazendo o cacau certificado da Fazenda Bonança, em Itacaré, Bahia, a Mestiço produz artesanalmente o chocolate em pequenas bateladas, preservando as características varietais e imprimindo identidade em cada receita. A família Galvão Kamei inaugura fábrica em São Paulo, na Vila Olímpia, onde desenvolve o conceito Tree-to-Bar, observando todo o processo desde o plantio da árvore até a elaboração das barras. A Mestiço Chocolates faz parte da 3ª geração de cacauicultores de Itacaré, na Bahia. O grande propósito da marca é fazer da Fazenda Bonança uma referência ainda mais forte no cultivo sustentável e de qualidade. O cacau é separado por variedades, permitindo a elaboração de chocolates com características diferenciadas, respeitando a individualidade dos frutos e do terroir.

Pain Vert
A Pain Vert é uma micropadaria artesanal de verdade, que faz pães veganos, orgânicos e de fermentação natural. Pães elaborados apenas com farinhas, sal, água e sementes ou frutas secas. Todos eles são fermentados por mais de 24 horas em ambiente controlado, e modelados manualmente, um a um. Depois de crescerem em panos de linho (couches), os pães são levados ao forno à lenha – assam diretamente no piso do forno.

Quinta do Quiriri
É uma propriedade em Paraibuna, SP, propriedade do português Nuno Carvalho e de sua esposa Joana Mattei, radiestesista e acupunturista. O casal tem uma preocupação bastante séria com o ato de nutrir-se. Assim, cada alimento produzido recebe, pela radiestesia, uma programação energética em seu processo de fabricação. São produzidos pães de fermentação natural, pães de batata doce (típico português), pastas de castanhas, granolas doces e salgadas, manteigas Ghee e iogurte grego sem lactose.

São João das Três Ovelhas

SÃO JOÃO DAS TRÊS OVELHAS queijos e outros produtos.jpg
Queijos artesanais de leite de ovelha produzidos em Terra Fria, Gonçalves, Minas Gerais. As ovelhas crescem livres, se alimentam de gramíneas orgânicas e nativas, bebem água de fonte natural. Os queijos produzidos são curados: o Serrinha é mais firme e o Sertão de Cantagalo, mais cremoso. O leite de ovelha resulta em um queijo de sabor marcante e é facilmente digerido pelos intolerantes à lactose e alérgicos.

Vestra Panem
Panificadora que produz pães artesanais de levain, de longa fermentação natural, assados diretamente na pedra, sem quaisquer aditivos ou melhoradores. A base é somente farinha de boa qualidade e sal. O resultado da arte do levain são pães escuros, com casca crocante e miolo aerado, macio e de sabor marcante e fácil digestão.

Xá de Cadera
“Nós não vendemos chá, vendemos a pausa, a reconexão individual”, afirma Manuela Sanchez, que criou a marca há poucos meses. Os chás são vendidos em tubos de ensaio de vidro. Cada frasco é fechado com uma rolha queimada. O processo é manual e os chás são feitos um por um. “O chá é uma bebida viva”, afirma Manuela. “E meu trabalho está em reconhecer as folhas, os aromas e suas caraterísticas, suas nuances, seus tons e seus benefícios”.

Praça de Alimentação

Aguzzo Cucina
Uma linha de massas artesanais simples e recheadas, preparadas a partir de receitas e molhos clássicos, estará em uma das principais tendas gastronômicas do Bazar da Cidade. O comando é da equipe do Aguzzo Cucina, restaurante inaugurado em 2006 e localizado no bairro de Pinheiros. Serão cinco massas frescas combinadas com cinco diferentes molhos. As massas: ravioli caprese, ravioli manzo, gnocchi de batata, gnocchi de espinafre, fetuccine. Os molhos: pomodoro, bechamel, bolonhesa, manteiga de trufas negras, ragu de cordeiro.

Arepas Picatta SP

AREPAS PICATTA SP tortilha venezuelana grossa, feita de milho branco, assada e bem recheada.jpg
A comida típica venezuelana também estará presente no Bazar da Cidade. Arepas Picatta SP é a marca comandada por Rosalva Vanesa Cardona de Silva, venezuelana de Puerto Ordaz, há quase quatro anos vivendo no Brasil, em São Paulo. No cardápio, “arepas” – uma espécie de tortilha feita de milho branco ou amarelo, servida com diferentes recheios –; empanadas fritas recheadas, também feitas de milho amarelo; “tequeños” – dedos de queijo, envoltos por uma massa de trigo –; e “papelón com limón” – limonada típica venezuelana, adoçada com rapadura.

La Cuisine Crepes Artesanais

LA CUISINE CREPES ARTESANAIS crepes de autênticas receitas francesas - salgados com farinha integral e doces com farinha branca (2).jpg
Os crepes são feitos com massa autêntica francesa, aprendidos e reproduzidos à risca de uma dupla de amigas francesas. Serão servidos no Bazar da Cidade crepes salgados, com três diferentes tipos de recheio. Entre eles, o de mozarela e pesto. Há ainda deliciosos crepes doces: de Nutella, de chocolate Hershey’s e de doce de leite .

Cervejaria Los Compadres
Cervejaria artesanal de Atibaia, SP, que nasceu da união de dois compadres. Os rótulos das garrafas são geralmente caricaturas em homenagem aos amigos que contribuíram para o surgimento da empresa. No Bazar da Cidade, a Los Compadres estará com quatro estilos de chopp: Lager, Weiss, Ipa, Red Ipa.

Cheers (Drink Truck)
Taças de vinhos e drinques preparados na hora fazem parte da carta de bebidas da Cheers, empresa criada por Alessandra Miguel. Numa simpática kombi azul, pode-se provar dos drinques da moda, como Aperol Spritz e Gin Tônica, tomar uma dose de uísque ou optar por uma taça de espumante, ou de vinho tinto, branco ou rosê. Os vinhos são da Argentina, Chile, Espanha, Portugal ou ainda da França e Estados Unidos.

Deliciss
A Deliciss é especializada em charcutaria artesanal. Criada em 2014 por Eduardo Augusto da Silva, descendente de italianos, a empresa está sediada na Mooca e tem conquistado São Paulo com suas receitas resgatadas da paixão dos avós de Eduardo, que chegaram ao Brasil no início do século XX. No Bazar da Cidade, Eduardo levará o melhor de seu portfólio: salame, butifarra (salame catalão), copa, lombo, porchetta, pancetta, bacon, linguiça curada, pastrami.

Dom – Emporium & Cozinha Artesanal

DOM EMPORIUM & COZINHA ARTESANAL maha mantra.jpg
Sanduíches, petiscos, pratos informais e drinques. Tudo muito gostoso, desenvolvido a partir de uma cozinha que ocupa a garagem de um sobrado na cidade de Mauá, Grande São Paulo.

É dos Anjos – Sabores do Mundo
Os pratos e doces dessa pequena empresa são inspiradas em receitas de família e homenageiam a culinária húngara. Entre as criações, destaques para Kürtos Kalács, um bolo doce de espeto, típico do leste europeu, cujo primeiro registro escrito remonta a 1.679. Ele nasceu com os húngaros da Transilvânia. Outra delícia típica é o Gulyás (conhecido como Goulash), um dos pratos mais antigos da Hungria, conhecido desde o séc. IX, e originalmente preparado pelos pastores húngaros que eram nômades.

Farfalla Gelato Leggero

FARFALLA GELATO LEGGERO gelato de amora
A Farfalla Gelato Leggero, da mexicana Julieta Osório Borba Pereira e do brasileiro Eduardo Borba, seu marido, estará no Bazar da Cidade com seu tradicional e delicioso gelato italiano: cremoso, leve e artesanal. São tradicionalmente oito sabores, sendo quatro deles veganos: cacau, limão siciliano, manga e maracujá stracciatella. Os outros quatro sabores são baunilha, chocolate, pistache e stracciatella (produzido com o melhor leite fresco e chocolate 53% de origem Bahia). Para a edição do Bazar da Cidade haverá um sabor muito especial: o de amora.

Mapu (Food Truck)

MAPU FOOD TRUCK bao de língua
Comandado por Duilio Biin Homg Lin e sua mãe, o Mapu, criado há pouco mais de um ano, tem como propósito oferecer os aromas e sabores de uma gastronomia de raízes taiwanesas, por meio de um projeto de comida itinerante. Para o Bazar da Cidade, Duilio montou um cardápio delicioso: são três sanduíches que têm como base o bao (pãozinho chinês feito no vapor), dois petiscos e um prato principal: o Lu Rou Rice, uma espécie de picadinho de carne de porco taiwanês.

Pão di Queijo da Mineira
Renata Goulart é mineira e uma verdadeira mestra quando o assunto é “o melhor pão de queijo que alguém já provou”. Nascida em Campanha, cidade do sul de Minas, Renata resolveu, em 2015, transformar em negócio o “pão de queijo produzido cuidadosamente pela família”. Para o Bazar da Cidade, ela levará uma boa mostra dessas delícias mineiras, como o pão de queijo tradicional, que pode ser apreciado em porções de cinco unidades; em unidade formato grande ou deliciosamente recheados. Neste caso, são os lanches de pão de queijo, como o de salmão defumado, com cream cheese e rúcula ou o de calabresa com queijo Serra da Canastra. Há também os pães de queijo recheados com doce de leite e com goiabada cascão.

Petiscleta (Food Bike)
A proposta da Petiscleta é oferecer sempre opções fáceis e criativas para se comer. Um exemplo é o hambúrguer de pinhão, combinado com guacamole, salada de repolho e cenoura. Há ainda hambúrguer de espinafre, batata suíça e pizza aperitivo de massa artesanal, fina e crocante.

Bazar da Cidade
Datas: 27 e 28 de Abril (sábado e domingo), das 10 às 21 horas
Local: Museu da Casa Brasileira
Endereço: Av. Brigadeiro Faria Lima 2705
Entrada gratuita

Museu da Casa Brasileira antecipa Dia das Mães com Mercado das Madalenas

Evento ocorre nos dias 13 e 14 de abril, das 10h às 20h, tem entrada gratuita e reúne moda, artes, decoração, gastronomia e entretenimento

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela Sociedade Civil por meio de A Casa Museu de Artes e Artefatos Brasileiros, apresenta a 22ª edição do Mercado das Madalenas. Com temática voltada ao Dia das Mães, o evento sazonal que fomenta o desenvolvimento da economia criativa paulista, será realizado nos dias 13 e 14 de abril, sábado e domingo, das 10h às 20h, com entrada gratuita.

Os visitantes encontrarão uma variedade de produtos exclusivos feitos artesanalmente por aproximadamente 120 expositores oriundos de diversas cidades do país, característica que contribui para a pluralidade regional do evento, que reúne marcas de segmentos entre vestuário (feminino, masculino e infantil), decoração, joias, acessórios e presentes, além de uma gama de opções gastronômicas. Será oferecido ainda, gratuitamente, uma intensa programação cultural, com oficinas e palestras para públicos de diferentes faixas etárias.

Idealizado por Inara Prudente Corrêa e Mônica Isnard, o Mercado das Madalenas tem como missão gerar oportunidades para produtores independentes apresentarem seus trabalhos e estreitarem relações com os consumidores. A proposta é sair do clichê dos shoppings centers, razão pela qual, a curadoria segue critérios bastante seletivos.

“Unimos os mais diferentes criadores a consumidores interessados em adquirir produtos autorais artesanais, atraídos não só pela relação de consumo, mas também pela troca de conhecimento, em uma integração direta entre o produtor e o consumidor”, explica Inara. “Encurtamos as distâncias porque, além de levarem para casa um produto, as pessoas também levam uma história, pois podem conversar com os produtores e entender como é o processo de criação, as matérias primas usadas e a motivação dos nossos expositores”, comenta Mônica.

Seja na curadoria dos produtos ou das atrações, o Mercado das Madalenas busca valorizar e promover ações que contribuam para o bem-estar. “Nossa marca registrada é o alto astral, pois procuramos criar um ambiente onde a amizade é valorizada e a relação entre o expositor e o consumidor é resultado de uma conexão espontânea e natural”, afirma Mônica. “Queremos incentivar pequenos empreendedores a divulgarem seus trabalhos reunindo pessoas em um ambiente agradável para todos os gostos e idades, com temáticas relacionadas à vida em equilíbrio e à produção em cadeia sustentável”, completa Inara.

“O MCB é único museu do país voltado ao design e à arquitetura. Realizamos eventos que estimulam a economia criativa e valorizam o pequeno produtor ou artesão, como o Mercado das Madalenas, promovendo seu contato direto com o consumidor final, a fim de garantir a sustentabilidade desta cadeia”, acrescenta Miriam Lerner, diretora geral do Museu.

madalenas

Programação Cultural

As atividades oferecidas no evento são gratuitas. Para participar, é necessário chegar com 1h30 de antecedência e se inscrever no local.

Dia 13/04 – Sábado
Atração infantil
11h00 | Oficina ‘Construção de Fantasias’, com Atelier ZigZag – Atividade com duração de 30 minutos a cada 10 participantes – Duração: 6 horas
Atração para a família
11h15 | 13h15 | 15h15 | 17h15 | Mágica e Ilusionismo, com Celio Aminio – Vagas ilimitadas – Duração: 45 minutos
15h | Yoga com contação de histórias para pais e filhos, com Claudia Sant’Anna e Juliana Furlaneto – Vagas ilimitadas – Duração: 40 minutos
17h00 | Mandala das Dez Direções (exercícios em roda para qualquer idade), com Ondina Clais – Vagas ilimitadas – Duração: 40 minutos
Aulas
11h00 | Aula de Meditação, com Prem Ratna – 30 Vagas – Duração: 1 hora
Oficinas
12h00 | ‘Oficina de Kokendama’ (técnica japonesa de jardim suspenso), com Eveline Duarte – 15 Vagas – Duração: 1h30min
15h30 | ‘Carta de Colagem’ (confecção de cartas para a figura materna), com Sofia Lemos – 15 Vagas – Duração: 1 hora
Palestras
14h00 | ‘Qual a lógica sobre Alimentação Orgânica?’, com Ricardo Corrêa – 25 Vagas – Duração: 1 hora
17h00 | ‘A autoconfiança de mãos dadas com o autoconhecimento’, com Nininha Campedelli – 25 Vagas – Duração: 1 hora

Dia 14/04 – Domingo
Atração infantil
11h00 | Oficina ‘Construção de Fantasias’, com Atelier ZigZag – Atividade com duração de 30 minutos a cada 10 participantes – Duração: 6 horas
Atração para a família
11h15 | 13h15 | 15h15 | 17h15 | Mágica e Ilusionismo, com Celio Aminio – Vagas ilimitadas – Duração: 45 minutos
15h | Yoga com contação de histórias para pais e filhos, com Claudia Sant’Anna e Juliana Furlaneto – Vagas ilimitadas – Duração: 40 minutos
17h00 | Mandala das Dez Direções (exercícios em roda para qualquer idade), com Ondina Clais – Vagas ilimitadas – Duração: 40 minutos
Aulas
11h00 | Aula de Meditação, com Prem Ratna – 30 Vagas – Duração: 1 hora
Oficinas
12h00 | ‘Arranjo Tropical’, com Fernanda Procoppe – 15 Vagas – Duração: 1 hora
15h30 | ‘PapperCutting’ (técnica de recortes em desenho no papel), com Sofia Lemos – 15 Vagas – Duração: 1 hora
Palestras
14h00 | ‘Benefícios das Plantas e Flores para o corpo, mente e alma’, com Hilda Pontes – 25 Vagas – Duração: 1 hora
17h00 | ‘Relacionamentos na era digital’, com Nininha Campedelli – 25 Vagas – Duração: 1 hora

Praça de Alimentação:
Arepas Picatta SP, Café Campo Místico, Caminhoneta Burger & Co, Capril do Bosque, Cheers, Cozinha Voilá, Da Villar Food Cart, Jais Hand Made, Kiro, Limoncello Di Gagliardi, Mapuche Bier, Mocotó Aqui!, Muu, Pão di queijo da mineira, Pedala Café Bistro, Priscila França Chocolates, Quinta do Quiriri, Tâmara Alimentos, Verdô Sucos, Villa Lucchese.

Marcas participantes já confirmadas:
2b Eco, Adedo, Agü Bebê, Aline Vito, AR Atelier d’Art, Ateliê Alaine Colucci, Ateliê Andreas Martorelli, Ateliê Beta Macedo, Ateliê Fernanda Precoppe, Atelier Luciana Pivato, Ava Velas, AzuLar, Bagbag Store, Bossa Basics, Bossapack, Brestudio, Brisa moda ao ar livre, Bruno Moreno Studio, Bubblebee, Camila Romero, casa MO, Ceci Borges acessórios, Cheeky Children, Coisas de Nine, Collab L2, Coquine Intimates, Criativo Curioso, Crochê Moderno, Dafna Edery, Easy Company, Ecletnica, Eco.tube, Essências da Terra, Estilo Barkoh, Estúdio Capim, Fabiana Zerbinatto, Feira Moderna / Edith Pittier Bolsas, Feminist.Joy, FigaSwim, Fita de Moça, Giuliana de Fiori Atelier, Iguana Eco, Iluminismo, Ju Pellizzon, Juprá, Klatsch, Lejour Homewear, Leninha Roupa de Baixo, Lhanas, Loom Knitwear, Lu Montenegro, Michele Brito, Miemy Stilo, Mien Atelier, 1985 d.D, Miriam Pappalardo, Mole Bags, Moeê, Mumo Moda, My Bag Studio, Naná Flores, Nuz demi couture, Ó a saia dela, O coletivo megafone, O Ponto Mosaico & Artes, Panou, Para Dormir, Patmotta, Paula Fabbri, Peixe Amarelo, Porfiria Budetti, Psicotrópica, Regina Lindenberg Aquarelas, Roxanne Duchini, Sacola Tropical, Simone Aguilera Design, Sophos Rio, Studio Dalzotto, TA Tear Paulista, Tecer, Terral, Teti Lis, Timirim, Tina LIsboa bolsas, Trecos e Trapos, Utopiar, Viajantesss, ViraMundo ateliê / Bothânikos, Yunques, Zona de Conforto.

madalena6

Museu da Casa Brasileira: Av. Brigadeiro. Faria Lima, 2705 – Jardim Paulistano, São Paulo – SP