Arquivo da tag: monica aribi

Guia com 10 dicas para recuperar sua pele dos excessos da Páscoa

Os excessos na alimentação durante a época da Páscoa podem causar danos à pele, favorecendo o surgimento da oleosidade e o surgimento de alterações como inchaço, ressecamento e acne. Felizmente, é possível reverter esse quadro através de alguns cuidados simples

Certamente, a Páscoa é uma daquelas datas em que é difícil demais não se deixar levar pelas tentações. Afinal, ovos, barras de chocolate, sobremesas, colombas, massas, enfim, há uma lista de alimentos hiperpalatáveis que deixam a Páscoa mais especial. Mas, apesar de ser uma época deliciosa e recheada de comidas irresistíveis, os abusos na alimentação durante esse período do ano podem prejudicar seriamente a aparência e a saúde de sua pele. “Há um impacto direto da alimentação na pele que, por conta dos abusos, tende a ficar mais oleosa, desidratada, opaca e sofrer com aparecimento de acne e inchaço”, afirma a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Segundo o dermatologista Gustavo Saczk, membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, e consultor científico da Età Cosmetics, a má alimentação no período, juntamente com a falta de um sono de qualidade, pode deixar a pele com uma característica mais cansada e “exausta”. “Quando passamos por processos inflamatórios, seja pela dieta ou maus hábitos, nossa pele também evidencia alguns sinais de fadiga. E isso afeta a pele, dando um ar cansado e envelhecido, com alterações estéticas principalmente na região dos olhos (olheiras, bolsas e falta de hidratação e viço)”, explica o médico. Mas tranquilize-se, pois é perfeitamente possível recuperar os danos sofridos pela pele devido a alimentação desbalanceada da Páscoa através de alguns cuidados simples, que você pode conferir abaixo:

Higienize a pele com cuidado: se a sua pele acordou mais oleosa, não adianta apelar para o excesso de limpeza, principalmente quando ela já está debilitada. Existe até um termo chamado “overwashing”. “Não lave o seu rosto demais. Lavar muitas vezes a pele, prejudica a barreira cutânea: e ela é o que mantém a pele saudável. Para peles oleosas, é importante notar que a limpeza excessiva, sem repor a umidade, pode causar um ressecamento em um primeiro momento e depois a produção rebote de mais oleosidade. Além disso, nossa pele conta com um microbioma, uma ‘população’ de bactérias boas que nos protegem contra doenças e outros problemas, como ressecamento e sensibilidade da pele”, explica o dermatologista Daniel Cassiano, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

“A presença desses microrganismos mantém o pH da pele em equilíbrio. Mas usar sabonetes e cosméticos que reduzem demais essas bactérias pode deixar a pele desprotegida e suscetível a doenças de pele como a dermatite atópica e acne”, completa o médico. Mas como deve ser, então, a limpeza da pele? “A limpeza da pele remove substâncias indesejáveis, como sujeira, sebo e microrganismos, além de células córneas esfoliadas, contribuindo para rejuvenescer a pele. A água, isoladamente, consegue remover cerca de 65% da sujeira e óleo da pele, mas é necessário complementar com um limpador suave. O limpador ideal não deve irritar, danificar nem romper a pele ou barreira cutânea de hidratação”, explica Cassiano .

Pinterest

Aposte em uma esfoliação suave: para devolver a vida e o brilho a pele, é interessante estimular a renovação do tecido cutâneo através do uso de um esfoliante. “A esfoliação, com cautela, pode ser realizada uma a duas vezes por semana para ajudar na renovação celular. Mas, devemos evitar esfoliar peles finas”, aconselha a dermatologista Patrícia Mafra, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Um produto interessante para essa etapa é o Esfoliante Facial Tribeca, da B.URB, que é capaz de remover impurezas e células mortas da pele, desobstruindo os poros e ajudando na renovação celular. Com sementes de Apricot (damasco) em sua composição, o produto é ideal para higienizar o tecido cutâneo.

Realize uma massagem facial: a automassagem é uma ótima maneira de recuperar a beleza e a saúde da pele, reduzindo o inchaço, recuperando a vitalidade, melhorando o tônus muscular e conferindo hidratação à pele. “Isso porque a massagem facial proporciona uma melhora da circulação sanguínea, o que contribui para uma oxigenação eficiente e faz com que as células da pele sejam nutridas adequadamente”, explica a cirurgiã vascular Aline Lamaita, membro do American College of Lifestyle Medicine.

Invista nos antioxidantes: a hidratação tópica da pele é um dos cuidados mais importantes para a sua recuperação, pois, quando desidratado, o tecido não se renova de maneira regular, o que causa a piora da qualidade e textura da pele. “Nessa etapa, é especialmente interessante apostar em produtos altamente concentrados e que conseguem penetrar nas camadas mais profundas da pele, potencializando a hidratação. Na formulação, além do ácido hialurônico, as Vitaminas C e E, o resveratrol e outros antioxidantes podem ser incorporados para conferir mais vitalidade à pele”, diz Paola. Um lançamento que traz o resveratrol e alta propriedade hidratante é o Gel-Complex Antissinais, da Età. No produto, um dos trunfos é o resveratrol mimético, que ainda conta com uma associação de ativos naturais biotecnológicos que agem sinergicamente para impedir os danos causados pelos radicais livres, aumentar a quantidade de fibras de colágeno e elastina e melhorar a densidade e integridade da pele.

Dê uma atenção especial aos olhos: a área dos olhos tem pele extremamente fina, então é normal que ela demonstre um ar de “fadiga” após exageros na dieta. Já é uma realidade no mercado o surgimento de dermocosméticos com ação antifadiga, como o Gel-Creme Lifting para Área dos Olhos, desenvolvido pela Età Cosmetics. “Por meio de seus ativos, esses dermocosméticos são capazes de aumentar a produção de energia das células da pele. Com isso, elas voltam a exercer suas funções corretamente e isso ajuda a tratar as alterações estéticas”, diz Saczk. Um dos principais ativos para essa ação é a taurina vegetal. Presente no produto, ela é obtida do cultivo em fotobiorreatores da alga Janiarubens.

“As algas são reconhecidas pela sua capacidade de produzir energia. Esse ativo energético e antifadiga, quando aplicado na pele, é capaz de aumentar a atividade mitocondrial em 24% e a produção de ATP (energia celular) em 50%. Como resultado, as células trabalham em sua perfeita forma para promover controle do estresse oxidativo, aumento da força de tensão dos fibroblastos e hidratação da pele. O ativo também reforça a reserva natural de água na epiderme, restaura a maciez e elasticidade da pele, estimulando a renovação celular e a função barreira da pele. O seu efeito é imediato: a Taurina Vegetal atenua os sinais de fadiga na primeira aplicação”, explica Saczk. A presença da Taurina Vegetal para melhorar o aporte de energia celular na pele é um avanço que se une aos outros mecanismos de ação do Gel-Creme Lifting para Área dos Olhos, um dermocosmético multifuncional que promove redução imediata e progressiva das bolsas sob os olhos, atenuando o aspecto de cansaço e também conferindo efeito tensor e preenchedor imediato para combater sinais do envelhecimento, além de ajudar a clarear olheiras e hidratar a pele.

Potencialize a hidratação com máscaras: para recuperar a pele de maneira ainda mais rápida, vale a pena apostar nas máscaras, que são capazes de promover hidratação por oclusão, assim potencializando o tratamento da pele. “O ideal é escolher as máscaras de acordo com sua necessidade. Por exemplo, enquanto as máscaras de argila e carvão ativado auxiliam no controle da oleosidade, as máscaras hidratantes com ingredientes calmantes contribuem para a hidratação e o viço da pele”, destaca Paola. Por exemplo, a Máscara Mineral de Argila Branca Poros, da Be Belle, auxilia na hidratação e na reestruturação da pele, promovendo ação antioleosidade, purificante e anti-inflamatória.

Consuma cápsulas antioxidantes: a suplementação com antioxidantes, como o Glycoxil e o Bio-Arct, é uma maneira excelente de recuperar a pele e devolver seu brilho natural. “O Glycoxil age inibindo o processo de glicação para impedir os efeitos do açúcar na pele, que podem torná-la envelhecida, opaca e manchada. Já o Bio-Arct aumenta a produção de energia no ATP celular, melhorando a nutrição da pele, com consequente resultado na iluminação e brilho facial”, diz a nutricionista Luisa Wolpe Simas, consultora de nutrição integrada da Biotec Dermocosméticos.

Não esqueça do fotoprotetor: o uso de protetor solar é indispensável para evitar que a pele fique ainda mais debilitada do que já está. “Isso porque, ao proteger a pele contra os danos causados pela radiação ultravioleta do sol, o fotoprotetor ajuda a preservar a barreira cutânea, mantendo a pele viçosa, iluminada e livre do ressecamento excessivo”, explica Cassiano. O ideal é que o fotoprotetor contenha, no mínimo, FPS 30 e proteção de amplo espectro (UVA/UVB/Infrared), como é o caso do protetor solar Bonelli Solare, da Be Belle, que ainda confere ação hidratante, antioxidante e rejuvenescedora.

Inclua sessões de HydraFacial: procedimento rápido, eficaz e sem downtime para conferir a melhor pele de sua vida, HydraFacial é precursor do inédito conceito de Beauty Health, que consiste em melhorar a aparência ao mesmo tempo em que promove uma restauração completa da pele para torná-la mais saudável e exuberante. HydraFacial é uma experiência personalizável de hidrodermoabrasão. “O HydraFacial promove melhora instantânea da qualidade da pele, auxiliando na uniformização do tom e da textura e no aumento da firmeza, viço, maciez e brilho da pele graças à patenteada tecnologia Vortex-Fusion presente nas ponteiras, que possui um design espiral exclusivo capaz de gerar um efeito de vórtice que, combinado a tecnologia de sucção a vácuo do equipamento, consegue expelir e remover facilmente as impurezas da pele enquanto fornece soluções hidratantes”, explica a dermatologista Mônica Aribi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. “Rápida, completamente indolor, não invasiva e sem downtime, assim não atrapalhando a rotina, a experiência HydraFacial pode ser vivenciada por qualquer pessoa, até mesmo por aquelas que possuem pele seca ou sensível”, diz a médica.

Invista nos hábitos saudáveis: de nada adianta apostar em uma série de cuidados para recuperar a pele e continuar com a mesma alimentação desbalanceada adotada no período da Páscoa. Por isso, volte à rotina dos bons hábitos, evitando alimentos ricos em gorduras e açúcar e buscando por opções mais saudáveis na alimentação. “Invista principalmente em alimentos antioxidantes, como a maioria dos vegetais escuros e as frutas. As proteínas também contribuem muito para a recuperação do tecido cutâneo, assim como a Vitamina C, que é um potente antioxidante, e a Vitamina D, responsável por regular diversas proteínas que fazem parte da estrutura da pele, como o colágeno. Além disso, procure dormir bem, praticar exercícios físicos e evitar vícios como o tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas”, finaliza a cirurgiã plástica Beatriz Lassance, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Isaps (International Society of Aesthetic Plastic Surgery).

Hora de tratar as manchas da pele

É no inverno, quando há baixa incidência dos raios de sol, a melhor época para investir em tratamentos para apagar as marcas do verão. Confira o que há de melhor – e de novo nesta área.

Boa parte das mulheres brasileiras sofre com manchas na pele. Em geral, elas ocorrem devido à excessiva exposição ao sol. Os raios solares incidem na pele e esta responde com ativação dos melanócitos, células responsáveis pela pigmentação da pele, com aumento de melanina. As manchas seriam, então, uma resposta à agressão dos raios solares. E há vários tipos, que podem aparecer no rosto e no corpo. Confira cada uma delas e os tratamentos mais indicados pela dermatologista Mônica Aribi, de São Paulo:

Melasma

melasma 1

As chamadas “manchas da gravidez” em geral acontecem por conta das alterações hormonais, mas a sua causa ainda não está esclarecida. Hoje já sabe que inclusive as temperaturas altas podem causar o melasma. Essas manchas aparecem principalmente nas maçãs do rosto, buço e testa. Podem surgir ainda no colo, mas é raro.

“Ainda não há tratamento definitivo para o melasma, mas nós temos boas novidades, como o uso do ácido tranexâmico durante o microagulhamento com ‘drug delivery’, isto é, as pequenas perfurações feitas entregam o ácido aplicado na superfície da pele de forma mais direta e eficiente para sua profundidade”, diz Mônica. “Aplicações de laser com baixas energias também podem ajudar bastante”, completa.

O ácido tranexâmino funciona muito bem com todos os tipos de manchas, não só o melasma. “Nós observamos uma melhora na circulação da pele quando utilizamos esse ácido. Ele é um inibidor da tirosinase, enzima que age na formação da melanina e com isso a pigmentação diminui progressivamente, chegando até a desaparecer”, afirma Mônica. Além de clareador, ele previne a ativação do melanócito pela radiação solar. Por isso, é também indicado como suplemento, por via oral.

Melanoses solares ou manchas “senis”

Fotolia_Subscription_Monthly

São as marcas que surgem com o tempo e indica o quanto a pessoa tomou de sol ao longo da vida. São escuras, arredondadas e podem surgir no corpo todo, mas mais comumente no dorso das mãos. Os tratamentos são feitos com laser Q-Switched preferencialmente, mas também pode ser usada a luz pulsada, dependendo do caso. “A tecnologia da luz intensa pulsada atinge dois níveis da pele, a profunda e a superficial. A aplicação superficial reduz manchas, sardas, pigmentações e pequenos vasos. A profunda estimula o colágeno, melhorando rugas, cicatrizes de acne. Por isso, este tratamento é chamado de fotorejuvenescimento”, diz Mônica.

Efélides ou sardas

melasma

Acometem principalmente pessoas de pele clara. O fator genético também é importante. Podem aparecer desde a infância, tanto no corpo quanto no rosto. Laser e peelings de ácido retinoico ou glicólico são os tratamentos mais indicados para tratar as sardas.

Manchas de pós-acne

Este problema surge depois do processo inflamatório da acne e, portanto é chamado de hipercromia pós-inflamatória. “No início, são manchas avermelhadas que se tornam amarronzadas”, diz a dermatologista. Para tratar, temos atualmente peelings químicos especiais para esse problema, que contem clareadores e ácidos associados promovendo a melhora do problema após 4 sessões. Outro bom procedimento é a radiofrequência fracionada que melhora as cicatrizes e ainda servem como microagulhamento para o “drug delivery” de acido tranexâmico ou outros clareadores.

Fonte: Mônica Aribi é dermatologista e clínica cirúrgica. Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, International Fellow da Academia Europeia de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. Além de ser Mestra em Ciências da Saúde pelo Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (IAMSPE) e médica responsável pela Cosmiatria da residência médica do Hospital Ipiranga (SBD). 

 

Saiba como amenizar as olheiras

Especialista orienta sobre as causas do problema e os tratamentos disponíveis para combater a aparência de cansaço

Uma das queixas mais relatadas nos consultórios de dermatologistas do país são as olheiras. Essas marcas escuras, que conferem um ar de abatimento, podem acometer pacientes de todas as idades e têm causas variadas. Na tentativa de suavizar o incômodo, muitas mulheres buscam ajuda na maquiagem, o que não sabem, é que há tratamentos eficientes e com resultados imediatos

Em um primeiro momento, é importante que o médico avalie a possível causa para definir a melhor conduta. “Os pacientes têm olheiras por fatores genéticos, porém as razões são diversas. Em peles morenas pode ser por hiperpigmentação, que resulta em manchas acastanhadas. Já em cútis claras ocorre aumento de vascularização na área e a coloração é mais arroxeada. Também existem aquelas causadas pela configuração facial, quando o olho é profundo e por isso a incidência de sombra é maior, deixando a região mais escura”, explica a dermatologista Mônica Aribi.

olheiras13539564941_web_

Alguns fatores podem agravar a aparência das olheiras, como noites mal dormidas, pele desidratada, tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas e alguns tipos de alergias respiratórias. O envelhecimento também torna as manchas escuras mais chamativas porque a região malar (área das bochechas) fica mais flácida e o sulco mais aparente.

De acordo com a dermatologista, um procedimento eficiente para amenizar a aparência de cansaço é o preenchimento com ácido hialurônico. “A aplicação é feita com creme anestésico e uma agulha bem fininha. O objetivo é preencher o sulco lacrimal, atenuando o aspecto de olheira profunda. As partículas são pequenas, finas e se adaptam à área aplicada. O resultado é uma aparência descansada com duração de 12 a 15 meses”, orienta.

Além do preenchimento, a especialista também recomenda os lasers vasculares para as olheiras arroxeadas e os lasers pigmentares para as escuras. O ideal é procurar um especialista para que ele dê as orientações necessárias e defina qual o melhor procedimento para cada paciente.

Fonte: Alergan / Além da Beleza