Arquivo da tag: mulheres

Incontinência urinária é um agravante para a saúde mental das mulheres

Condição afeta mais de 68% do público feminino no Brasil; 56% das entrevistadas afirmaram que o escape de urina impacta na feminilidade

Um espirro, uma tosse, esforço ao pegar peso ou até mesmo uma boa gargalhada, se em qualquer uma destas situações (ou em todas elas), acontecer escape de urina já é considerado incontinência urinária. Incontinência urinária é toda perda involuntária de urina, independentemente do tipo ou da causa do escape. É uma condição que pode acometer pessoas de todas as idades, mas principalmente mulheres a partir de 35 anos. Como mostra a pesquisa do IPEC (Inteligência e Pesquisa e Consultoria) encomendada por Bigfral, um estudo nacional com duas mil pessoas entrevistadas.

Os dados da pesquisa também revelam que as mulheres têm sua feminilidade afetada, bem-estar e psicológico por conta da condição. “Embora a incontinência urinária (IU) não traga um risco iminente à vida, suas consequências podem ser drásticas e uma grande ameaça à autoestima das mulheres, apresentando sentimentos como estresse, impaciência, depressão, ansiedade e vergonha”, explica Ana Claudia Delmaschio, psicóloga da Associação Brasileira pela Continência BC Stuart.

Público feminino

O estudo apresentou que a incontinência urinária acomete 30% da população. As mulheres formam a maioria, representando 68% das pessoas afetadas. Porém 69% dos brasileiros afirmam não saber que perda de urina, em qualquer quantidade, é considerada incontinência urinária. Dessa maneira, o número de incidência pode ser subestimado e muito mais mulheres podem sofrer com os impactos psicológicos dessa condição.

Metade dessas pessoas apresentam perda de escapes de urina por esforço, seja por pegar peso, tossir, espirrar e até mesmo rir. 20% das mulheres afirmam que a incontinência começou durante ou após a gravidez, 15% após ou durante a menopausa e 15% na terceira idade.

É frequente que mulheres portadoras de incontinência urinária se isolem socialmente e afetivamente, evitando encontros familiares e com amigos com o intuito de evitar situações constrangedoras diante de um novo episódio de perda de urina. 61% dos entrevistados entendem que as perdas urinárias têm um grande impacto na escolha da pessoa evitar sair de casa e 77% afirmam que não frequentariam locais que não houvesse banheiros próximos se tivessem IU.

“É importante lembrar que a vida profissional também pode sofrer impacto, sendo comum o relato entre as mulheres incontinentes quanto ao medo de perder o emprego em função das constantes interrupções para ir ao toalete, dificuldade de deslocamento em trechos mais longos, dificuldade em poder fazer algum esforço físico que acarrete o escape de urina”, pontua Ana Claudia.

Feminilidade X Sexualidade

56% dos entrevistados afirmaram que a condição de escape de urina impacta na feminilidade, isso pode ser notado até nas mudanças do vestuário destas mulheres, “Muitas buscam vestir-se com roupas mais largas e escuras que disfarcem o uso de fraldas e absorventes ou no caso de ficarem molhadas”, completa a psicóloga.

Sobre a sexualidade, e 19% afirmam que evitaria ter relações com seu/sua parceira (o). Além de demonstrarem mais irritabilidade, cansaço, baixa autoestima, ansiedade e depressão.

Autocuidado

“Essas mulheres que perdem urina precisam receber informações para entenderem o que acontece com elas e consequentemente quais são as possibilidades de tratamento e o que se encaixa melhor no seu caso”. A pesquisa revelou que 69% das pessoas não sabiam que qualquer perda de urina é considerada incontinência urinária. “Isso reafirma a importância de promovermos campanhas de conscientização sobre o que é, quais os tipos e como tratar as incontinências urinárias, evitando dessa forma que tantas mulheres desenvolvam quadros mais graves de IU levando-as a desencadear problemas emocionais”, pontua a médica.

Conhecimento por tratamento

Sobre o tratamento da incontinência urinária, 35% das pessoas não sabem dizer se existe algum tipo de tratamento e 51% das pessoas procuram informações na internet.

“Muitas mulheres ainda acreditam que perder urina é normal e que não há nada a ser feito para mudar essa condição, mas essa ideia é absolutamente errada, incontinência urinária tem tratamento e quanto mais cedo buscarmos ajuda maiores as chances de cura”, diz a psicóloga.

“Precisamos entender que os produtos que estão disponíveis no mercado são de extrema importância para o manejo diário do problema e certamente terão grande serventia durante o tratamento e melhora do quadro, principalmente, por serem produtos específicos que se preocupam em ter uma boa absorção deixando a mulher mais confiante e segura durante as suas atividades diárias”, completa.

Sobre Bigfral:

A Bigfral é especialista em produtos para incontinência proporcionando a segurança que você precisa para o seu dia. Sempre atenta às tecnologias mais recentes para levar inovação, oferecendo opções de lenços, absorventes, roupas íntimas e fraldas. Uma marca da empresa belga Ontex, um dos mais importantes fabricantes internacionais de soluções de higiene pessoal há mais de 35 anos, presente em mais de 110 países.

Bigfral acredita que a parte mais bonita da vida deve ser compartilhada e que ninguém deveria deixar de se sentir parte da família e comunidade que vive pela insegurança de que algo pode acontecer. Buscar especialistas e tratamento é fundamental e Bigfral é o parceiro ideal para essa jornada. Bigfral traz segurança e confiança para que pessoas com incontinência urinária possam continuar pertencendo à vida familiar, inseridos na vida da comunidade, fazendo parte dos momentos importantes da vida com quem consideram especiais

Mulheres lideram ranking de negócios por necessidade, mas saem melhor frente às crises

Elas são as mais afetadas durante a pandemia, mas também as mais resilientes e conseguiram ter jogo de cintura para retomar as atividades

Se já não bastasse estarem à frente de negócios próprios, as mulheres, durante 2020, tiveram cargas extras para gerenciar, como casa, filhos e relacionamentos. Segundo uma pesquisa do Sebrae, empreendimentos femininos ficaram mais tempo com as portas fechadas, o que não as impediram de serem mais ágeis na hora de implementar inovações, como uso de redes sociais, delivery e adaptações em produtos e serviços.

Hoje já são cerca de 10 milhões de empreendedoras segundo a entidade, o que corresponde a 34% dos empresários do País, e revela que a força feminina tem muito potencial para salvar o mercado.

A pandemia, inclusive, revelou ser uma oportunidade para muitos negócios novos, como é o caso de Priscila Cabral, que investiu na rede de publicidade em sacos de pão, PremiaPão. “Saí do emprego na área de RH e não queria mais a rotina de chegar tarde em casa e só ver minha bebê à noite. Pesquisei por microfranquias, escutei que era loucura, que as coisas estavam incertas demais, mas as vendas estão indo bem, graças às negociações que faço com os clientes que, mesmo com recursos reduzidos, entendem que a publicidade é importante”, conta.

Outro ramo que se deu muito bem em 2020 foi o moveleiro, que veio bem a casar com o sonho do próprio negócio da fonoaudióloga Sueli Alves Miglorini. Aos 38 anos, ela decidiu se mudar para Itapema (SC), onde abriu uma unidade da Anjos Colchões & Sofás. “Fui em busca de detalhes sobre o modelo de negócio e, após conhecer melhor a proposta, me senti segura para empreender e me tornar uma franqueada da rede, sobretudo com as iniciativas de vendas online que passaram a ocorrer durante a pandemia”, declara.

Embora considerado essencial, o setor alimentício também precisou inovar, com iniciativas de delivery, por exemplo. É o caso de Osana Scalzer, uma pedagoga de 43 anos que transformou o desejo de empreender em uma realidade deliciosa. Apaixonada por chocolates, tornou-se a primeira franqueada da rede Chocolateria Brasileira no estado de Rondônia.

“Há algum tempo eu buscava algo para empreender e como nossa região é muito carente deste tipo de produto premium, eu tinha a certeza de que a marca seria um enorme sucesso por aqui. Pesquisei vi que a rede estava concedendo ofertas para novos franqueados durante o período pandêmico e foi então que vi que era o momento certo de investir”, relata.

Osana não foi a única a apostar em doces e chocolates. Francisca Fortunato, de 52 anos, investiu na rede Bendito, especializada em cookies, brownies e cafés. A inauguração da loja coincidiu com o fechamento de comércios em meados de março do ano passado e se o começo não foi nada fácil, trouxe, em contrapartida, um aprendizado: se aproximou ainda mais de seu negócio e passou a ter contato pessoalmente com os clientes da vizinhança.

“Com planejamento e persistência, podemos superar todos os obstáculos, que estão fora de nosso alcance. Arregacei as mangas, busquei forças e continuo, até hoje, com muito mais conhecimento e propriedade sobre o meu negócio, principalmente em liderar equipe, tomar decisões e perceber o que ainda precisa ser corrigido e o que está correto”, finaliza.

E o começo da pandemia assustou todo o mundo, como Cleonice Silva, que viu sua rotina mudar completamente na quarentena, do isolamento à abertura do novo negócio, a Sofá Novo de Novo . “No início, como dona de casa, foi um impacto muito grande e me vi trancada com meu marido e meu filho todos os dias, 24 horas. Vivemos todas as fases: o medo, a insegurança, o desespero de ver a nossa renda sendo diminuída; mas a pandemia também mudou minha maneira de ver as coisas. Comecei a ter mais foco e passei a estudar como poderia empreender e acrescentar na renda de casa”, conta.

A nova empresária encontrou na rede a chance de começar seu próprio negócio. “Já vinha pesquisando há algum tempo por algo inovador e esta oportunidade de poder levar o cuidado para dentro das casas das pessoas me satisfaz bastante”, complementa.

Mulheres, whisky … e sandubas!

Para o Caledonia Whisky &CO, é sempre bom lembrar o que está por trás das comemorações do Dia da Mulher, com um bom copo de whisky e um belo sanduba na mão, e relembrar algumas mulheres que se destacam no fascinante universo dos whiskies

Dia Internacional da Mulher é uma ocasião em que é sempre bom lembrar a boa causa que está por trás desta data universal – 8 de março – e que já se incorporou ao calendário anual de celebrações no mundo inteiro.

Em homenagem, o bar Caledonia Whisky & Co e o Quimera Sandwich & Co, ambos negócios dos sócios Mauricio Porto e Guilherme Vale, lançam um combo de sanduíche e dose de 30 ml de The Glenlivet Founder’s Reserve em garrafinhas especiais, que ficará disponível a partir de hoje, 9 de março, até o final do mês para pedidos no aplicativo Rappi.

Serão quatro opções de sanduíches: o Meatball Bahn, Schwarma Li, Ouef Bao e Croque Senhor, que harmonizam com este single malt único, destilado em alambiques de cobre na lendária destilaria de Speyside e que usa os mais puros grãos de cevada maltada. Cada combo vai custar entre R$ 74,00 e R$ 80,00 reais com a dose de The Glenlivet Founder’s Reserve. Confira como é cada sanduíche:

Meatball Bahn – combinação de uma receita dos Estados Unidos (Meatball Sub) com o lanche vietnamita Bahn Mi. Leva almôndegas de carne bovina, molho apimentado, picles de cebola roxa, maioneses, coentro e amendoim, no pão de leite.

Schwarma Li – um dos lanches mais consumidos no mundo inteiro, consiste em carne grelhada enfincada num esperto verticalmente com legumes e pastas no pão pita ou árabe. Nessa versão com um pé na China, entra tofu defumado, falafel, beterraba cozida, picles de beterraba, broto de beterraba, salsa no pão folha.

Oeuf Bao – oeuf et champignon é ovos e cogumelos em francês. É um clássico da França, famoso por seu equilíbrio de sabores e texturas. A adição do Bao e nori vindos da cultura chinesa dão uma nova perspectiva sobre o jeito de comer esse clássico. Pão Bao, Mix de cogumelos, maionese de páprica e ovo mollet empanado.

Croque Senhor – França e México em um sanduíche: A versão mexicana para o tradicional e clássico sanduíche francês Croque Monsieur, substitui o presunto por carnitas de porco desfiada com molho levemente picante. Preparado com pão de miga, carne desfiada ao molho levemente picante, molho mornay e queijo gruyere gratinado.

The Glenlivet Founder’s Reserve – leve e fácil de beber, equilibrado e com os sabores cítricos e frutados típicos da marca, o Founder’s Reserve é uma aposta certeira para quem está se tornando um entusiasta de single malt. O nome do whisky faz homenagem ao fundador da destilaria, George Smith, o primeiro a legalizar sua destilaria em 1823.

Mulheres no Whisky

Onde mulheres talentosas, desbravadoras e inspiradoras põem a mão e alma, o feito é geralmente grandioso e inusitado, passando a ocupar seu lugar de honra na história. Não é diferente no mundo do whisky, onde se destacam muitas personalidades como Bessie Williamson, razão pela qual ainda podemos desfrutar do single malt Laphroaig, ou a pioneira Rachel Barrie, primeira mulher a ocupar a posição de master blender do whisky. Ou ainda Georgie Crawford, por trás da venerada e ultra “cult” destilaria de Islay Lavagullin e Alison Patel, que reina no mundo do whisky na região de Cognac (quem diria?), com o rótulo Brenne.

Não dá para excluir dessa lista, Cara Laing e seu trabalho impecável na criação da série Director’s Cut na destilaria Douglas Laing &Co. E uma segunda Georgie integra também a lista: Georgie Bell, que se tornou embaixadora internacional da Scotch Malt Whisky Society, passando mais tarde para a Mortlach, da Diageo e, mais recentemente para a Bacardi. Como diz Mauricio Porto no seu blog “O Cão Engarrafado”, essas mulheres empoderadas deixaram um legado e formaram uma corrente de sororidade, que Alisson Patel denomina de irmãs de whisky. “Suas histórias são um suspiro de alívio e a certeza de que lugar de mulher é onde ela quiser, e com um copo de whisky na mão”, comenta Porto.

Dia da Mulher: Bullguer realiza promoção pelo delivery

Nesta segunda-feira (8), rede presenteará clientes com porção de mini donuts com recheio de doce de leite ou frutas vermelhas

Bullguer – rede de hamburguerias especializada em smashburguer – homenageará as mulheres hoje (8 de março), data em que se comemora o Dia da Mulher. Nos pedidos de um lanche + bebida + acompanhamento pelo delivery ou retirada para viagem, as clientes serão presenteadas com uma porção de seis mini donuts com recheio de doce de leite ou frutas vermelhas. Recém-lançada no cardápio Bullguer, a sobremesa é vendida por R$ 16.

Exclusivamente hoje, a oferta é válida enquanto durarem os estoques, nos pedidos pelo app Rappi e também com retirada no balcão, para mulheres, trans e cis. O Bullguer conta com cerca de 30 unidades localizadas em São Paulo, Campinas, Santo André, Tamboré, Cotia, Jundiaí, São José dos Campos, Santos, Rio de Janeiro (Ipanema), Belo Horizonte (Vila da Serra e Centro) e Brasília (Venâncio Shopping e Bloco C/410 Sul).

Para conferir a unidade Bullguer mais próxima, clique aqui.

Mês da Mulher: profissionais femininas ganham 20% menos que os homens

Projeto promove equidade de gênero e protagonismo feminino no ambiente de trabalho

Ainda que as mulheres tenham muita representatividade no mercado de trabalho, de acordo com dados do IBGE, aproximadamente 50% das mulheres brasileiras com mais de 18 anos estão trabalhando, mas 20% delas ganham menos que os homens no mesmo cargo. O estudo Panorama Mulher, elaborado pela Talenses em parceria com o Insper, mostra que em 2019 a participação feminina em cargos de liderança foi baixíssima: 26% no caso de diretorias, 23% em vice-presidência, 16% como integrantes de conselho deliberativo e apenas 13% no papel de presidentes.

Foi pensando em dar protagonismo às mulheres, por meio da autoestima adquirida com a independência financeira e afetiva, que a psicóloga, coach executive e diretora da Duomo Educação Corporativa, Mari Martins, criou o projeto Mulherar.

“Até hoje, algumas expressões de comportamentos femininos são traduzidas como fragilidade, tais como: chorar, emocionar-se, quando, na verdade, eles demonstram sensibilidade, capacidade de entrar em contato com as emoções. Nosso intuito é desmistificar essas ideias e mostrar que elas são capazes e devem ter a autoconfiança que precisam para superar os desafios da vida pessoal e profissional”, conta a especialista.

O trabalho funciona da seguinte forma: diagnóstico e preparação, palestras, workshop e estímulo à prática.

“Durante o diagnóstico, fazemos reuniões, tanto com os gestores quanto com os colaboradores, para afinar quais serão os propósitos a serem abordados. Realizo, então, a palestra Inteiras para Mulherar o Mundo, em que discutimos o cenário que elas vivem na empresa, as ameaças e obstáculos internos e externos para a ascensão feminina, além das mudanças necessárias em prol da diversidade. Já na fase do workshop, são 10 encontros que discutem temas como arquétipos do feminino, inteligência emocional, estereótipos e preconceitos. Por fim, vem o estímulo à prática, em que cada etapa leva um tempo maior para acontecer por meio de um game interativo. A verdadeira transformação está na mudança da autopercepção e fazer diferente”, explica Mari.

Com esse processo, é possível fazer o ambiente corporativo mais próspero, incorporando os melhores talentos dos homens e mulheres para gerar soluções mais criativas, ampliando a diversidade da organização para gerar alta performance e resultados desejados.

“Precisamos fazer aflorar na equipe qualidades psíquicas ligadas ao feminino que é a empatia, espírito de colaboração, afetividade e relação. O mundo precisa desse equilíbrio, avanço das tecnologias, prosperidade, mas também do trato humano mais aguçado”, afirma.

O projeto Mulherar já foi realizado com mais de 300 mulheres de diferentes empresas, com resultados importantes de autoestima, autoconfiança e mais protagonismo tanto na vida pessoal quanto no mercado de trabalho.

Informações no Instagram: Duomo Aprendizagem e Mari Martins

Linha Aquabella Nuxe: para presentear e homenagear as mulheres importantes de sua vida

No Dia Internacional da Mulher, a marca francesa quer proporcionar uma rotina de beleza simplificada, que equilibra, purifica e hidrata a pele

Com um dia a dia corrido, na maioria das vezes, o autocuidado é esquecido ou deixado de lado. No mês de março, a Nuxe quer fazer parte do seu momento com a pessoa mais importante da sua história: você. E para esta experiência ser ainda mais especial, a linha Aquabella, de cuidados faciais, oferece uma solução completa de limpeza, tonificação e hidratação em 3 passos descomplicados.

O ritual de beleza oferecido pela linha Aquabella é o equilíbrio perfeito para peles mistas e oleosas, o tipo mais comum no Brasil. Os itens possuem combinação de três ativos naturais: a Flor de Lótus Branca de Madagascar, Ácido Hialurônico Botânico e o Exclusivo Complexo Blur de Nuxe, composto de aveia, agrião e lentilha verde, que juntos têm a função de limpar, tratar e hidratar a pele, proporcionando um glow radiante, enquanto promovem efeito mate para as regiões mais oleosas do rosto.

São três produtos eficazes que trabalham com efeito inibidor de bactérias, melhoria da textura e reoxigenação da pele, o necessário para um cuidado diário: Gel Microesfoliante Purificante, que pode ser usado para lavar o rosto todos os dias, Loção Tônica Hidratante, que retira as impurezas sem ressecar, e a Emulsão Hidratante, responsável pela hidratação que não pesa no rosto.

Antes de cuidar de tudo, é necessário cuidar de si mesma. Neste mês, comemore o autocuidado e o amor próprio. Os produtos Nuxe são a combinação perfeita do luxo com ingredientes ultra sensoriais de origem natural. Fórmulas que garantem uma rotina de cuidados indispensável e sob medida para o bem-estar do corpo, rosto e cabelos com um toque de glamour.

Preços sugeridos:

Gel Diário Purificante – R$ 132,90
Loção Hidratante – R$ 121,90
Emulsão Hidratante – R$ 143,90

A Linha Aquabella está disponível no site Beleza na Web

Novos iogurtes Corpus em versões maiores e econômicas com ilustração especial

São duas novas opções de iogurtes zero gorduras, zero lactose e sem adição de açúcares: o iogurte liquido sabor amora e maracujá e o iogurte de bandeja sabor morango

A marca Corpus, da Danone, tem como propósito promover uma alimentação saudável, sem deixar de lado o sabor. Somando esse objetivo com a necessidade de produtos voltados para o abastecimento, reflexo da maior permanência da população em casa nos últimos meses, a marca decidiu ampliar sua linha de iogurtes zero, trazendo dois novos produtos: iogurte líquido 850g sabor amora e maracujá e o tradicional iogurte de bandeja sabor morango.

Seguindo o padrão já estabelecido pela linha Corpus, o novo sabor de iogurte líquido possui aroma natural e uma formulação zero gorduras, zero lactose e sem açúcares adicionados, contendo apenas aqueles naturalmente presentes nos ingredientes. Além disso, o novo produto possui a combinação de dois sabores populares nesta categoria, amora e maracujá, trazendo uma mistura inusitada, mas incrivelmente deliciosa para uma rotina saudável.

O sabor amora e maracujá vem em uma embalagem de 850g, para aqueles que procuram uma boa equação de preço versus quantidade, com o preço sugerido de R$ 14,29. O produto traz, ainda, novas ilustrações nas embalagens que representam as consumidoras de Corpus e simbolizam as mulheres em suas diferentes atividades cotidianas, fortalecendo a proposta da marca de ajudá-las a serem livres para fazerem o que quiserem, sem estereótipos. Parceira do time feminino do Corinthians, uma das ilustrações das novas embalagens foi inspirada nas jogadoras de futebol do time.

“Temos a Danone como uma grande parceira do futebol feminino do Corinthians e saber que nossa equipe serviu de inspiração para o rótulo de Corpus é um motivo de enorme orgulho. Nossa modalidade é formada por inspirações. Quantas atletas de hoje em dia não se inspiraram em Roseli e na nossa capitã Grazi? E quantas garotas mais serão inspiradas pelo nosso time, que bateu tantos recordes nos últimos anos? Estar no rótulo de um produto tão qualificado e que cada vez mais faz parte do dia a dia do brasileiro é ter a certeza de que estamos no caminho certo. Que nossa parceria com a Danone seja como o futebol feminino: forte, inspiradora e cada vez mais sólida”, afirma Cristiane Gambaré, Diretora de Futebol Feminino do Corinthians.

Outro lançamento vem no formato bandeja com o sabor morango, reconhecido como top seller do mercado de iogurtes. Também possui aroma natural, além de, claro, ser 0% de lactose, 0% gorduras e sem adição de açúcares, contendo apenas açúcares próprios dos ingredientes. A novidade é comercializada em embalagens de 540g e tem o preço sugerido de R$7,99.

Os novos produtos reforçam a missão de levar alimentação saudável e saborosa ao maior número de pessoas, além de trazer, num simples gesto, mais pluralidade nas embalagens, visando inspirar ainda mais os consumidores.

Informações: Danone

O açúcar e o sexo feminino

Sabia que aquela vontade irresistível de comer doces, pode ser apenas seu corpo querendo uma compensação? Quem explica melhor isso é Bruna Marisa, médica, pós graduada em endocrinologia e Medicina ortomolecular, Membro da SBEM (Sociedade Brasileira Endocrinologia Metabologia) e especialista em emagrecimento.

Depois de ouvir por volta de 5 mil pessoas, o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia de São Paulo, concluiu em pesquisa de campo, que o consumo de açúcar é maior entre as mulheres (53,3%) em relação aos homens.

Isso pode estar associado a certos períodos na vida da mulher, quando o corpo vai em busca de alimentos com maior concentração de açúcar. Esse desejo de comer doces é mais intenso principalmente no período pré-menstrual (durante a TPM) e depois da menopausa; período de baixa nos níveis de progesterona e estrogênio.

“Esses períodos delicados na vida da mulher requerem maior atenção, seja na manutenção hormonal ou mesmo na dieta alimentar adequada que ela deve buscar”- comenta Bruna Marisa, médica, especialista em emagrecimento, pós graduada em medicina ortomolecular e endocrinologia, com diversos títulos em medicina esportiva.

O consumo acentuado de doces, entre as mulheres, significa que o corpo está buscando uma compensação para a queda na produção hormonal que acaba alterando a geração de neurotransmissores.

Alguns alimentos acabam ajudando na produção de neurotransmissores. Como muitas pessoas já sabem, o chocolate estimula a produção de serotonina; neurotransmissor responsável pela sensação de prazer. O cacau ajuda também na liberação de endorfina, substância natural (neuro-hormônio), responsável pela sensação de bem-estar e bom humor.

Mas como lidar com o consumo de açúcar?

Sabemos que o açúcar é o vilão que nós colocamos dentro da nossa casa, que ele é responsável não apenas pelo ganho de peso, mas porque o açúcar é viciante; ele é absorvido rapidamente pelo nosso organismo, isso faz com que o corpo necessite de mais doses diárias. Além do cansaço demasiado e da irritação causados pelo consumo, o açúcar não vai acrescentar nenhum tipo de nutriente ao nosso organismo.

O açúcar não vai diminuir os sintomas de ansiedade, tampouco o estresse. A sensação de alívio é momentânea. O seu consumo ao longo da vida pode aumentar o risco de desenvolvimento de algumas doenças como hipertensão, diabetes e outros males.

“A dieta Low Carb pode ser uma alternativa bem interessante para muitas pessoas que desejam ter um maior controle sobre o consumo de carboidratos”- ressalta Bruna Marisa, que é praticante deste estilo de vida e indica para todos seus pacientes, conseguindo uma taxa de 100% de sucesso entre eles.

Uma opção para diminuir o consumo de açúcar são os chamados “doces funcionais”, que não tem açúcar branco e nem farinha refinada em sua composição; eles são feitos com ingredientes específicos para um melhor aproveitamento do alimento em benefício da saúde.

Não adianta o produto ser light ou mesmo diet, é necessário que o produto tenha os ingredientes adequados, necessário para se ter um alimento nutritivo. Por exemplo, o chocolate amargo, sem adição de leite, oferece os inúmeros benefícios do cacau.

Outra alternativa que pode ajudar para estimular a serotonina é a banana, carnes brancas, ovos e frutos do mar. Seja qual for a dieta alimentar, seja no caso da manutenção hormonal ou não, é necessário deixar de lado os maus hábitos e adotar hábitos saudáveis, realizando exercícios físicos com regularidade, dormir bem e consumir muita água. E claro, ter sempre o acompanhamento profissional multidisciplinar; nutrólogos, nutricionistas, endocrinologistas e educadores físicos.

“A dieta alimentar ajuda, seja na saúde da mulher ou do homem, mas não podemos nos esquecer de que para termos uma vida saudável ao longo dos anos, se faz necessário uma mudança de hábitos integrais, ainda que isso venha exigir disciplina e esforço pessoal, os resultados são incríveis”- completa Bruna Marisa.

Fonte: Bruna Marisa é médica, pós-graduada em endocrinologia, membro da SBEM, pós-graduada em Medicina Ortomolecular, especialista em Emagrecimento e Low Carb, com vários cursos na área de Medicina Esportiva, na qual também atua. Autora do e-book: Guia de Emagrecimento Definitivo e Duradouro.

Canabidiol é indicado para mulheres que sentem desconforto e/ou dores durante o sexo

A sexualidade feminina é considerada um tabu em muitas famílias brasileiras, especialmente quando o tema principal é o desconforto ou a incidência de dores no sexo, mesmo considerando que, no país, 18% das mulheres sentem dor durante a relação sexual. Os dados integram um estudo realizado em dezembro de 2019 pelo Programa de Estudos em Sexualidade (ProSex), da Faculdade de Medicina de São Paulo.

“Esse índice aumenta quando falamos de dor ou desconforto não só durante, mas também após o sexo – em todo o mundo, estima-se de 60% das mulheres já viveram este episódio”, diz Ailane Araújo, médica especializada e que é referência em cannabis medicinal, além de diretora do Centro Brasileiro de Referência em Medicina Canabinóide (CBRMC), o primeiro do Brasil, localizado em São Paulo.

Em que pese a necessidade de uma avaliação clínica completa, com a realização de exame físico ginecológico e conhecimento da história clínica da paciente, o que permitirá encontrar a causa da dor, que pode ter uma série de origens (emocionais ou físicas), um tratamento vem despontando como alternativa: o uso do canabidiol, ou CBD na forma de gel vaginal.

Para ter acesso ao produto (que não é disponibilizado para livre comercialização no Brasil) e, consequentemente, ao tratamento, a mulher precisa estar acompanhada por um médico que fará a prescrição adequada. A partir daí, é preciso fazer um cadastro no site do Governo Federal e dar início ao processo de envio de documentos, indicação do produto e empresa importadora. “Este processo já foi muito mais burocrático e demorado. Hoje, considerando a prescrição, em aproximadamente 20 dias é possível ter o produto em casa e iniciar o tratamento”, diz Ailane.

A especialista explica que o produto se conecta a receptores de corpo presentes em vários órgãos. No caso da dor ele provoca uma dessensibilização nos canais de dor, aumentando o limiar de dor, sem diminuir a sensibilidade, o que leva ao aumento da lubrificação natural e da excitação, gerando um relaxamento muscular e tornando a região mais sensível ao toque, além da redução do incômodo na região antes ou durante o sexo.

“Ele age como anti-inflamatório – e muitas patologias são de origens inflamatórias -, além de auxiliar na redução da ansiedade e melhorar também a libido”, destaca a médica, reforçando que é este também é um dos grandes diferenciais em relação aos tratamentos usuais. “O uso de ansiolíticos impacta diretamente na libido feminina”, diz.

“Cannabis medicinal não é maconha”

A afirmação que soa quase como um mantra na voz da médica, uma das primeiras e principais prescritoras da cannabis medicinal no Brasil, é um alerta para a necessidade de aumento da informação na sociedade. “Hoje, temos resultados efetivos e melhora na qualidade de vida de pacientes que tratam de patologias como Alzheimer, epilepsia, Parkinson, esquizofrenia, dores crônicas, ansiedade, depressão e até câncer. O CBD, princípio ativo do canabidiol, não pode ser confundido com o uso recreativo da cannabis”, explica.

Geralmente vendido na forma de um óleo extraído da planta, o canabidiol também está disponível em outras apresentações de uso fora do Brasil que incluem gel, creme, vaporização, aplicação por supositórios entre outros – no caso do Brasil, temos algumas restrições ainda para uso quanto a apresentação do produto e precisa ter sua importação aprovada individualmente pela Anvisa. A médica reforça que o uso do canabidiol também está diretamente ligado ao processo de investigação do motivo e da escala da dor, o que dará a recomendação para o tratamento adequado.

Causas mais comuns da dor no sexo

Mesmo sabendo que a dor durante a relação sexual pode ter sua origem em causas psicológicas, de acordo coma médica, entre as causas físicas mais comuns estão a doença inflamatória pélvica (geralmente ocasionada por uma doença sexualmente transmissível como gonorreia ou clamídia); a menopausa (que pode ocasionar o ressecamento e a atrofia vaginal); a vulvodinia (irritação crônica da vulva que pode ser desencadeada por alterações hormonais ou por uma infecção ou inflamação); o vaginismo (contração involuntária da musculatura pélvica); o líquen (doença dermatológica que também tem como efeito o ressecamento vaginal) e a endometriose.

“A cannabis medicinal é uma opção terapêutica desejável e pode ser considerada, além de um complemento, um redutor da carga dos sintomas, atuando na causa. Ou seja, trata-se de uma abordagem sistêmica que promove a qualidade de vida dos pacientes”, finaliza Ailane.

Fonte: Centro Brasileiro de Referência em Medicina Canabinóide (CBRMC)

Long bob é o cabelo favorito do Brasil

O All Things Hair, canal de cabelos da Unilever, revela que o long bob é o cabelo mais popular do Brasil. O corte, considerado fácil de manter por muitas mulheres, apareceu com grande destaque quando analisada as palavras-chaves mais buscadas na internet quando se trata do assunto cabelo. Por meio da ferramenta SemRush verificou-se que de outubro de 2019 a setembro de 2020, o corte foi digitado no Google, em média, cerca de 165 mil vezes ao mês. 

“Eu acho que o long bob faz sucesso porque é prático. Não é tão longo, mas mesmo assim tem comprimento suficiente pra prendê-lo e dá um ar sofisticado a toda pessoa que o use”,  opina Virginia Barbosa, hair stylist do All Things Hair.

Janet Jackson na Ebony Magazine

A boxbraids também não ficaram atrás. O penteado registrou uma procura, em média, de 110 mil vezes, ao mês. A sua popularidade pode ser explicada pela grande popularidade da tendência natural dos últimos anos.  “Elas são a opção perfeita para quem tem fio cacheado e crespo e quer mudar o visual sem danificar os fios. Como a discussão sobre abandonar a progressiva e assumir o cabelo natural explodiu nos últimos anos, muitas mulheres que têm esses tipos de fios procuram formas para transição ou para mudar o visual”, explica Virginia. 

Entre as cores, o platinado se mostrou forte na pesquisa. Ele foi procurado cerca de 110 mil vezes ao mês. 

Região

Os cabelos mais populares também foram verificados, por meio do Google Trends, como aparecem nos 10 estados mais populosos do Brasil. O chanel de bico, por exemplo, teve a sua popularidade mais alta no estado de São Paulo, assim, como a cor chocolate. “Esse tom,  na verdade, já é um clássico. Diria que muita gente gosta pois é neutro e fica bom em todos os tons de pele”, opina Roma Rodrigues, sênior hairstylist do Retro Hair, em São Paulo. 

A trança boxeadora, por sua vez, parece fazer a cabeça das cariocas. O Google Trends aponta o Rio de Janeiro como o estado onde ela é mais popular. 

Os homens também estão procurando por estilos de cabelo na internet. O undercut, que foi buscado no Google, mensalmente, cerca de 33 mil vezes por todo o Brasil, se destacou mais no estado do Ceará. 

Fonte: All Things Hair