Arquivo da tag: mulheres

Accor e Instituto Avon unidos no enfrentamento à violência contra mulheres e meninas

Fundo para ações de enfrentamento à violência contra mulheres e meninas lança hotsite

O espaço virtual é mais um passo do Fundo de Investimento Social Privado pelo Fim das Violência contra as Mulheres e Meninas, que tem o objetivo de reduzir os impactos da violência ao apoiar os serviços públicos de abrigamento e proteção e oferecer suporte para a recolocação profissional de mulheres, ajudando-as no enfrentamento a curto, médio e longo prazos

O Fundo de Investimento Social Privado pelo Fim das Violências Contra as Mulheres e Meninas, anunciado no último mês de julho, ganhou mais uma importante ferramenta para sua divulgação. Lançado pela Accor e Instituto Avon, com o apoio do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), o fundo agora tem um hotsite, com objetivo de captar novos parceiros, divulgar os projetos provenientes deste investimento em detalhes e mostrar transparência para empresas que já compõem o fundo.

Pelo novo endereço virtual, empresas interessadas em fazer parte da causa podem conhecer as formas de participar. Para pessoa jurídica, é possível entrar no Fundo seja como Empresa Gestora (doações a partir de R$450 mil), participando do Comitê Gestor do Fundo, responsável por definir as organizações e projetos a serem beneficiados; seja como Empresa Apoiadora (doações entre R$250 mil e R$450 mil), ou, ainda, como Empresa Parceira (doações entre R$50 mil e R$249 mil). O site também traz um espaço para contribuição de pessoa física.

No hotsite, o Fundo também esclarece sua meta em captar R$10 milhões para destinar a organizações que atendam às necessidades materiais, psicológicas e jurídicas das mulheres e crianças em situação de violência, com o objetivo de suprir a insuficiência e a defasagem dos serviços públicos de abrigamento e proteção às vítimas em 2020 e 2021.

Além disso, a forma como os recursos captados serão aplicados também ganhou destaque no conteúdo. São elas: distribuição de 4.500 cestas básicas, durante quatro meses, para famílias lideradas por mulheres; ajuda emergencial de R$ 150 por mulher, por mês, durante quatro meses, para 60 mulheres egressas do abrigamento (em cada estado), impactando, ao menos, 500 mil mulheres ao ano; apoio psicológico e jurídico a 1.500 mulheres; 4.200 diárias em hotéis operados pela Accor em todo o Brasil, com pensão completa, para mulheres e filhos em situação de violência; e apoio a cinco organizações para ações de advocacy, aquelas cujo objetivo seja o de influenciar e potencializar a criação e implementação de políticas públicas relativas à causa do fim da violência contra mulheres e meninas.

“O Fundo de Investimento Social Privado pelo Fim da Violência contra Mulheres e Meninas reforça o quão fundamental é o papel da iniciativa privada para conter os impactos da pandemia na vida de tantas mulheres, especialmente aquelas em situação de violência. O novo hotsite veio para complementar essa iniciativa, de forma a nos ajudar a concentrar todas as informações sobre a gestão do fundo, os projetos por ele impactados, bem como o destino dos recursos, com transparência e credibilidade”, destaca Daniela Grelin, diretora executiva do Instituto Avon.

Projeto Acolhe

Um importante destaque no hotsite é o Acolhe, projeto da Accor financiado pelo Fundo. “O Acolhe é uma iniciativa para hospedar e capacitar mulheres vítimas de violência, oferecendo-lhes um abrigo temporário nos hotéis operados pela Accor, além de dispor ferramentas para auxiliar na construção de um futuro com mais protagonismo, autoconfiança e autonomia para essas mulheres”, explica Magda Kiehl, vice-presidente sênior de Jurídico, Riscos e Compliance Accor América do Sul e líder do Riise – Programa Mundial de Diversidade de Gênero da Accor.

“Ao todo, 295 hotéis da Accor, localizados em 133 municípios no país, vão beneficiar milhares de mulheres. Esse recurso é proveniente do fundo de emergência global da Accor, o Heartist Fund, dedicado a iniciativas de solidariedade às vítimas do novo coronavírus. Aliada com medidas de segurança física e sanitização, o objetivo é prover hospitalidade, conforto e acolhimento às mulheres desde o momento do check-in”, completa Magda.

Os projetos financiados pelo fundo se apoiarão em algumas frentes de atuação, consideradas prioritárias para a proteção de mulheres e crianças em situação de violência e vulnerabilidade: abrigamento, segurança alimentar, suporte jurídico e psicológico, capacitação para a inserção socioeconômica e fortalecimento de políticas públicas de proteção à mulher.

Mulheres em situação de violência devem acessar o site do Mapa do Acolhimento para encontrar os serviços públicos de proteção disponíveis para abrigamento, que podem ser hotéis, casas-abrigo ou casas de passagem.

Informações: Fundo ISP ou contato@fundoisp.com.br

O Boticário promove ação para capacitar mulheres 40+ para serem novas influenciadoras digitais

“Geração Botik” é uma iniciativa inédita que quer transformar o espaço de influência e marca o lançamento da linha de cuidados faciais

O Boticário acaba de lançar Botik, nova marca de cuidados faciais e, com a proposta de democratizar o skincare e os ativos presentes nos produtos, convida o público a deixar ‘seu rosto no modo ativo’.

Potencializando ainda mais esse convite, a marca desenvolveu, em parceria com a Youpix, um treinamento inédito para capacitar mulheres acima dos 40 anos para serem influenciadoras digitais. Com essa iniciativa, Botik vai colocar o rosto de novas mulheres, que não são nativas digitais, no modo ativo, protagonizando mais espaços e celebrando as diferenças. “Vamos dar voz à Geração Botik, uma geração que não se limita ou define por idade, mas que tem muitas experiências e conteúdos incríveis para compartilhar nas redes sociais”, conta Gustavo Fruges, diretor de Comunicação do Boticário.

Com a iniciativa, a marca vai selecionar 200 candidatas para serem capacitadas em um curso online, com linguagem e olhar específicos para elas. As inscrições acontecem a partir de 20 de outubro no site da marca. Para se candidatar, todas as mulheres – com 40 anos ou mais – interessadas devem inserir seus dados para cadastro e uma mini biografia. A seleção será feita por um júri técnico que vai avaliar o potencial de geração de conteúdo das candidatas, especialmente, no que diz respeito a autoestima e autocuidado.

A criação, inédita e necessária, tem como ideia central dar voz às mulheres de todas as idades, provando que nada deve limitá-las, bem como Botik que foi desenvolvida para a diversidade brasileira, abrangendo todos os tipos, cores e idades de pele. “Ao incluir essas mulheres nas redes sociais em posição e responsabilidade de serem influenciadoras, queremos que mais e mais mulheres, em toda a sua diversidade, incluindo a etária, sejam inspiradas a dividir experiências, independente de idade. Mostrando como todas podem estar ativas, tanto na sua rotina como na internet “, completa Gustavo.

Para estrelar essa campanha e abrir o debate com o público a partir da provocação “Quem são as mulheres acima dos 40 que te influenciam nas redes sociais?”, Botik lança um manifesto com um time de mulheres 40+ inspiradoras que pode ser conferido nas redes sociais da marca.

“No mundo digital, a influência para além da idade tem pouca representatividade e o Boticário quer abrir esse caminho. Ficamos muito felizes em fazer parte dessa história! Mais do que dar protagonismo para mais mulheres, estamos provocando gerações mais jovens a terem um leque mais rico de referências. Vamos ver mais mulheres de 20 e 30 anos trocando experiências com mulheres de 60, por exemplo, sobre assuntos diversos, como autocuidado, autoconhecimento, bem-estar e beleza em qualquer fase da vida”, comenta Bia Granja, sócia e CCO da Youpix.

Após o período do curso, as novas influenciadoras da Geração Botik serão acompanhadas e apoiadas pela marca. “A forma de apresentar produtos e serviços mudou. Marcas buscam influenciadores que estejam engajados em causas, que sejam verdadeiros e empáticos e acreditamos que a construção desse programa contribuirá para essa demanda do mercado e para uma sociedade cada vez mais inclusiva, finaliza Gustavo.

A ação foi idealizada pela agência Pros.

Inscrições: de 20 a 25 de outubro pelo site d’O Boticário

Brasileira lança rede social gratuita para mulheres empreendedoras

Donadelas é a nova plataforma digital para conectar ideias, projetos e serviços entre mulheres a frente de seus próprios negócios

O Brasil é um terreno muito fértil para o empreendedorismo feminino. Um relatório do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), divulgado no ano passado, demonstra que a taxa de empreendedoras no estágio inicial do negócio (de até 3,5 anos) chegou a 16 milhões de mulheres, ou seja, elas são responsáveis por metade dos negócios nesta fase, no país.

O fenômeno da entrada maciça de mulheres no terreno do empreendedorismo, que até pouco tempo atrás era majoritariamente liderado por homens, pode estar relacionado aos dados apresentados pelo Governo Federal que dão conta de que três em cada quatro lares brasileiros são hoje chefiados por mulheres — 41% tem o próprio negócio. Eles, geralmente, são voltados para varejo e serviços.

De olho neste movimento e com a proposta de criar um espaço único e inovador para discussão de ideias e troca de experiências entre mulheres que estão adentrando o mundo do empreendedorismo — a maioria dos negócios chefiados por elas está em estágio inicial como mencionado –, a empreendedora Ely Ribeiro aposta no ineditismo de uma rede social dedicada a elas.

“Muitos dos lares brasileiros chefiados por mulheres têm como característica o esforço individual de cada uma. Grande parte das vezes, essas mulheres não têm emprego formal, se veem diante da necessidade de empreender e apostam naquilo em que têm algum conhecimento, mas sem metas pré-definidas. Desenvolver ações práticas e com foco em resultados rápidos torna-se primordial para atender as limitações de tempo que elas dedicam ao negócio, nessa premissa, a rede Donadelas apresenta um layout simples, com foco em negócios, que pode gerar um impacto positivo na vida dessas mulheres – explica Ely.

O Donadelas foi idealizado para proporcionar mais oportunidades de negócios a essas brasileiras que estão iniciando seu caminho na seara do empreendedorismo e também àquelas que já se encontram há mais tempo no mercado, já aprenderam com os erros e têm boas perspectivas de crescimento.

“O interessante é que se trata de uma rede gratuita, disponível a qualquer mulher que deseje divulgar seu trabalho ou fazer networking com outras empreendedoras. Na página pessoal é possível postar fotos, colocar detalhes de seu perfil e história. Há também espaço para enquetes rápidas, que podem facilitar em muito na pesquisa de tendências ou ideias, e ajudar as empreendedoras na tomada de boas decisões”, conta a idealizadora da rede social.

Ilustração: Pete Linforth/Pixabay

O Donadelas tem uma vertente internacional, com a participação de um sócio-investidor, o francês Mohamed Moulaye: “Nosso foco inicial é apresentar uma plataforma que facilite a vida e os negócios das mulheres empreendedoras no Brasil, e em breve visamos conectá-las numa rede mundial de partilha de conhecimentos, experiências e negócios, beneficiando-as com a possibilidade de expansão de seus empreendimentos além-fronteiras”, relata.

Informações: Donadelas

Brasil tem aumento de pessoas estressadas; mulheres são mais propensas

Dormência nos braços, sensação de fraqueza, dor de cabeça, tontura e falta de ar. Parece a descrição clara de sintomas de infarto, mas nem sempre estes sinais do corpo sinalizam um problema mais grave. A rotina muito atarefada da maioria das famílias, faz com que os compromissos profissionais e sociais tenham um ponto de começo, mas não um final.

A sensação é de que 24 horas seja pouco tempo na vida de quem trabalha, estuda, cuida da casa e dos filhos, por exemplo. E é ai que o estresse vai agindo em nosso organismo, liberando hormônios e substâncias químicas que deixam nosso corpo em estado de alerta.


A pandemia da Covid-19 fez o mundo parar e a grande maioria das pessoas passou a trabalhar remotamente. Porém, nem todo mundo se adapta à rotina do home office e acaba misturando o trabalho com a rotina do lar, gerando mais estresse. Antes da pandemia o Brasil já era o segundo no hanking de população mais estressada do mundo, de acordo com uma pesquisa realizada pelo International Stress Management Association (Isma – Brasil), de 2017.

Agora, uma pesquisa recente da Universidade do Rio de Janeiro (UERJ), mostrou que os casos de estresse e ansiedade aumentaram em 80% com o distanciamento social. O estudo mostrou ainda que as mulheres são as mais afetadas com a ansiedade e estresse durante a epidemia do novo coronavírus.


O médico cardiologista Augusto Vilela alerta para os cuidados com o excesso de estresse, que em altos níveis pode sim levar a um infarto ou acidente vascular cerebral (AVC). Embora os sintomas de estresse e infarto possam ser parecidos, existem algumas diferenças que ajudam no diagnóstico inicial. De acordo com Vilela, a maioria dos pacientes que está sofrendo um ataque cardíaco, apresenta dor aguda no meio do peito, no braço esquerdo, gerando formigamento e nas costas podendo refletir em outros pontos como nuca, ombros, mandíbula, queixo e estômago.

“É muito importante que em ambos os casos o paciente procure ajuda médica imediatamente. Somente um médico pode fazer um diagnóstico preciso, afinal, não se pode ‘brincar’ com doenças cardíacas”, avalia o médico.


Segundo o cardiologista, para combater o estresse, não devemos nos descuidar da alimentação saudável e atividade física, que dentre seus inúmeros benefícios, ajuda a liberar endorfina, hormônio responsável pela sensação de bem estar e prazer. Cuidar da mente também é fundamental, evitando notícias catastróficas em excesso, escolhendo boas leituras e amizades verdadeiras. “A ansiedade não ajuda a resolver os problemas e traz prejuízos para a saúde de todos”, completa.

 

Chega ao mercado absorvente íntimo para mulheres com incontinência urinária leve

A incontinência urinária atinge pessoas de todas as idades. As mulheres são mais impactadas: 1 a cada 3 acima de 40 anos tem algum tipo de perda de urina. Então, apesar de ser uma condição muito comum, é um assunto cercado de tabus e dúvidas Mesmo as aquelas que possuem a chamada incontinência urinária leve, gotejamento ou pequenos escapes de urina esporádicos, por exemplo, quando espirram, riem ou carregam peso, sentem receio de tratar o tema abertamente e, nesta hora, acabam utilizando um produto menos adequado para lidar com essa condição. Isso também pode ocorrer por falta de informação.

Agora, Tena acaba de lançar uma solução feminina e discreta para aquelas mulheres que possuem escapes leves: o Tena Lady Discreet Mini Plus, um absorvente específico para incontinência, com três vezes proteção: seco, seguro e com controle de odor. Com tecnologia que promove rápida absorção,  é duas vezes superior ao absorvente comum. Além disso, Lady Discreet Mini Plus é o primeiro absorvente com abas, proporcionando maior fixação na roupa íntima e mais conforto.

Aliado da mulher que quer mais segurança ao utilizar os absorventes e realizar suas atividades cotidianas sem sustos, o produto chega em formato que não marca as roupas ao mesmo tempo e que garante muita segurança. “É importante ressaltar que os absorventes convencionais não são suficientes para esse controle, por isso a necessidade de uma solução especifica e eficiente como a desenvolvida pela Tena”, afirma Hazel Villarreal, diretora de marketing da Essity no Brasil, empresa responsável pela marca Tena.

Tena Lady Discreet Mini Plus faz parte da linha Tena Lady Discreet de absorventes para incontinência urinária especialmente desenvolvida para mulheres. Conta com produtos específicos para cada nível (leve a moderado) e absorvem até 9 vezes mais do que o absorvente menstrual. A linha é indicada para usuárias ativas e com mobilidade.

Recebi uma linda caixa com amostras, assim que testar, publicarei minha opinião no Instagram.

Tena Lady Discreet Mini Plus – 8 unidades – R$ 7,90

Informações: Tena

Três em cada cinco mulheres já viveram um relacionamento abusivo

Ao contrário do que muitos pensam, relacionamento abusivo acontece de diversas formas e não somente em relações homem X mulher, mostram estudos

Estudos relatam que três a cada cinco mulheres já viveram um relacionamento abusivo, mas não é só na relação homem-mulher que isso acontece. O abuso pode ocorrer de diversas formas: de pai para filha, de filho para pai, de filha para mãe, entre casais homoafetivos…

E o que são relacionamentos abusivos?

São aqueles em que há vítima e agressor. Acontece a partir do momento em que alguém tenta dominar o outro fisicamente ou por artifícios psicológicos e emocionais. Neste momento, o relacionamento deixa de ser saudável e pode inclusive evoluir para uma relação doentia e perigosa, resultando em crimes passionais, por exemplo.

O agressor tende a querer dominar tudo o que for possível na vida da outra pessoa; tentando controlar as amizades, o modo de se vestir, o uso do celular e das suas redes sociais. O abuso dentro de um relacionamento, não se restringe à violência física, mais fácil de ser detectada, seja no meio familiar ou social, mas ele existe sempre que há a violência psicológica, mais difícil de identificar e cujo manejo é bem mais complexo e demorado.

Em qualquer situação, mas, principalmente por meio do abuso psicológico, o agressor obtém poder sobre a outra pessoa, usando de controle e manipulação emocional.

Segundo Aline Machado Oliveira, psiquiatra e psicoterapeuta junguiana, uma das primeiras coisas que um agressor faz em um relacionamento abusivo, é destruir a autoestima da outra pessoa. Ela explica que a autoestima da vítima é afetada drasticamente e pode ser destruída quando o agressor usa de jogos psicológicos com frases de acusação como: “ela faz isso porque quer” ou “ela sempre foi assim, só está se fazendo de vítima” , a fim de manipular a realidade.

A vítima torna-se a culpada pela agressão sofrida e ela aceita isso como verdade. Desta maneira, a vítima passa a ter uma percepção distorcida de si. Quanto mais oprimida, mais passiva a pessoa pode ficar, até se tornar completamente impotente, pois foi convencida pelo agressor de que ela está errada e é a culpada pelos problemas no relacionamento.

A chantagem emocional é um artifício muito usado para a manipulação e, geralmente, é de difícil identificação. O chantagista conhece os pontos fracos da vítima e se utiliza de sentimentos como o medo e a culpa para manipular as pessoas e alcançar os seus objetivos. Também é preciso observar que nem sempre o manipulador tem consciência de que pratica a chantagem emocional.

O chantagista vai levar a outra pessoa a fazer o que ela não quer fazer; aqui o abusador se faz de vítima para manipular a vontade do outro. Frases como: “Se você não fizer isso, nunca mais vou perdoar você”, funcionam como punição e colocam a vítima sob a ameaça da culpa.

Notemos que o sentimento de culpa na chantagem emocional, é facilmente colocado como uma via de mão dupla; no caso do chantagista usar de falso arrependimento, puxando para si toda a culpa, mas ao mesmo tempo se dizendo arrependido e fazendo promessas de não voltar a cometer o erro, ganhando a confiança da outra pessoa, para usá-la depois, até mesmo em outra ocasião.

Embora sejam mais conhecidos e tratados, os relacionamentos abusivos em que a vítima é a mulher e o agressor o homem, esse tipo de situação vai muito além e envolve pais e filhos, relacionamentos homoafetivos, relacionamentos entre patrões e empregados, relações de amizades, etc; ou seja, o relacionamento abusivo não se resume exclusivamente entre um casal em que a vítima é sempre a mulher, ainda que esse seja o caso mais recorrente, ao menos, o mais registrado.

Hoje em dia é bem mais comum a violência doméstica quando a mãe ou o pai é a vítima de filhos adolescentes que, muitas vezes, usam de agressão física. Mas não para por aí. Além das agressões físicas o abuso psicológico e a manipulação também se fazem presentes nestes casos. Ocorrem comumente a chantagem emocional e a agressão verbal. Acusações como: “você acabou com a minha vida” ou “você só me faz passar vergonha” entre outras, são apelativas e até teatrais.

Elder abuse

A falta de imposição de limites nos filhos desde a infância, levam os pais a sofrerem esse tipo de problema doméstico, e não sabendo como agir, acabam cedendo. Desde a infância, o papel de autoridade dos pais se perde pela dominação dos filhos. A situação mais conhecida e explorada é a inversa, o abuso dos pais contra os filhos e, nesse caso, a violência física acaba sendo a mais comum.

A vida social é inerente ao ser humano e as relações de trabalho, estudo e lazer fazem parte do nosso dia a dia, e nem sempre podemos escolher com quem trabalhamos ou estudamos. Em qualquer dos casos, os relacionamentos abusivos começam da mesma forma: xingamentos e gritos, humilhações e a violência psicológica, envolvendo manipulação e controle.

Não é fácil sair de um relacionamento abusivo, ainda mais quando já é um relacionamento de longa data. A pessoa que é vítima de um relacionamento abusivo precisa de ajuda profissional que possa auxiliá-la a identificar o problema e superá-lo, principalmente quando esses relacionamentos deixam traumas mais profundos e que afetam uma ou mais áreas da vida.

Relacionamentos são sempre um desafio e para termos relacionamentos saudáveis é preciso impor limites ao outro e entendermos que nós também precisamos de limites. Isto implica inclusive saber lidar com as relações quando detemos alguma posição de poder- diz a especialista.

Aprender a dizer “não” é necessário, e saber aceitá-lo também. Se você se identificou com as situações citadas, procure ajuda profissional. Não desista de você!

Fonte: Aline Machado Oliveira é médica psiquiatra e especialista em Psicologia Clínica Junguiana e Analista Junguiana em formação pelo Instituo Junguiano do Rio Grande do Sul. Membro da Associação de Psiquiatria do Rio Grande do Sul e da Associação Brasileira de Psiquiatria,e atua há mais de 9 anos com psiquiatria clínica e psicoterapia.
Atendimentos presenciais na cidade de Lajeado-RS. Online para todo o Brasil.

Produtos Mahogany que potencializam a vitalidade feminina

Opções da marca proporcionam glamour, plenitude e muita sofisticação

Mahogany aposta no poder da sofisticação para potencializar a vitalidade feminina. Por isso, apresenta uma série de produtos para as mulheres que não abrem mão da exuberância, glamour e plenitude.

Como a linha Chardonnay, que traduz a nobreza dos vinhos aromáticos em uma essência harmoniosa e elegante, marcada pela saída refrescante da laranja e bergamota, enquanto a baunilha e o cedro se encarregam de esquentar a composição, tornando-a assim, uma essência irresistível e perfeita para perfumar o corpo inteiro.

Chardonnay Fragrância Desodorante Corporal 250ml – R$ 99,90


Pirâmide Olfativa
Notas de saída: citrus, laranja, bergamota
Notas de corpo: floral, cyclamen, ylang-ylang, jasmim, pau-rosa
Notas de fundo: musk, bálsamo, madeira, baunilha, cedro

Chardonnay Óleo em Creme Desodorante Corporal 200ml – R$ 42,90


Possui alto poder de hidratação, promovendo nutrição intensa à pele ressecada devido ao seu alto teor de óleos vegetais presentes na formulação. Com ceramidas e extrato de uvas Chardonnay, realça a barreira de proteção da pele, além de uma sofisticada perfumação. Óleo livre de parabenos. Com notas frutadas e florais, a linha Glam é inspirada no glamour da vida noturna das grandes cidades e na audácia de quem sempre procura ir adiante, ou seja, é perfeita para quem tem espírito livre e irreverente e que busca uma assinatura olfativa sofisticada com um toque de ousadia.

Glam Fragrância Desodorante Corporal 100ml – R$ 179,00

Pirâmide Olfativa
Notas de saída: frésia, pera, toranja, pimenta rosa
Notas de corpo: tuberosa, flor de laranjeira, rosa turca, jasmim, noz-moscada
Notas de fundo: sândalo, cedro, musk branco, avelã, flor de íris, baunilha, musk

Glam Hidratante Desodorante Corporal 300ml – R$ 58,90


Revela a mesma essência sofisticada da linha Glam e estende a perfumação floral por todo o corpo, com toque suave, fácil espalhabilidade e rápida absorção.

Para finalizar, Rosewood é a assinatura olfativa da mulher cativante, que revela pouco a pouco sua feminilidade com uma essência delicada e sofisticada que encanta a todos ao seu redor.

Rosewood Fragrância Desodorante Corporal 100ml – R$ 129,00


Pirâmide Olfativa
Notas de saída: limão, mandarina, pimenta preta
Notas de corpo: ciclâmen, íris, jasmim, coriandro, folhas de cedro
Notas de fundo: sândalo, vetiver, patchouli, musk, baunilha

Os produtos podem ser encontrados nas lojas da marca, no e-commerce e também por meio de consultoras de venda direta.

Curseria e Kyra Gracie lançam curso de defesa pessoal para mulheres

Dividido em dez aulas, conteúdo reúne ensinamentos da lutadora de jiu-jitsu para ajudar as mulheres a se defender de agressões físicas

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registra, a cada quatro minutos, pelo menos um caso de agressão cometida por homens contra mulheres. Em 2018, foram registrados mais de 145 mil casos de violência física, sexual ou psicológica. Desde o início da pandemia do novo coronavírus, só no estado de São Paulo, os atendimentos da Polícia Militar a mulheres vítimas de violência física aumentaram 44,9%.

A quantidade de feminicídios também subiu no estado para 46,2%. Diante desse cenário, Kyra Gracie, lutadora de Jiu-Jitsu e oito vezes campeã mundial, lança o curso “Defesa Pessoal para Mulheres” na plataforma online Curseria, com a proposta de ensinar maneiras de se proteger ante a situações de risco que possam surgir no dia a dia.

Criado por mulheres e para mulheres, o programa trará dez aulas com cerca de trinta minutos cada. Todas adaptadas para pessoas de qualquer idade e biotipo, não havendo necessidade de experiência prévia para praticarem os exercícios. Kyra conduzirá suas alunas a identificarem e desenvolverem ao máximo seu potencial, capacitando-as para que possam se defender em situações de ameaça.

Os exercícios oferecidos pretendem intensificar a potência corporal através de técnicas de defesa pessoal e simulações práticas. “O curso nasceu por conta do crescimento de agressões contra a mulher no Brasil. Queremos contribuir com a sociedade para que esse número diminua e que por meio desses ensinamentos, possamos ser um caminho para ajudarmos essas mulheres. Percebi que podia oferecer essas informações e condições para que toda e qualquer mulher possa se defender e se proteger”, conta Kyra.

Criado para garantir a integridade e o bem-estar da mulher em situações de risco mais comuns, durante as aulas, as alunas passam por simulações de possíveis agressões e junto com a Kyra, aprenderem os métodos para se defender em momentos como esses. “Estar preparado para se defender inclui saber como reagir e quando não reagir. Nós queremos ensinar como elas podem garantir sua segurança”, conclui Gracie.

“Para a equipe da Curseria, o Defesa Pessoal para Mulheres com a Kyra é mais do que criar um conteúdo de qualidade e poder ensinar a todas as mulheres um meio de defesa. É um compromisso da nossa equipe de contribuir com a mudança de um panorama tão devastador, que é a violência contra a mulher”, conta Mariana Nacarato, COO da Curseria.

A plataforma se destaca por oferecer cursos online que, além de contarem com grandes nomes nacionais como professores, abordam processos, técnicas e filosofias diversas que possibilitam a transformação de carreira e a ampliação do conhecimento. Muito além do que já se conhece em EAD, a plataforma de conhecimento pode expandir o ensino a um público ilimitado, com a flexibilidade do acesso e a possibilidade de aproximar seus alunos a profissionais renomados que, ali, se tornam professores.

Informações e valores: Curseria

 

Dia da Cerveja: mulheres estão cada vez mais conquistando espaço no meio cervejeiro

A data é comemorada sempre na primeira sexta-feira de agosto, e apesar da cerveja estar sempre ligada ao universo masculino, desde os primórdios da bebida elas sempre tiveram participação em sua história

Em 2007, em Santa Cruz, na Califórnia, foi criado o Dia Internacional da Cerveja, comemorado sempre na primeira sexta-feira de agosto, com o objetivo de saborear a bebida e celebrar as cervejarias ao redor do mundo. Apesar de muita gente ainda associar o universo masculino ao hábito de tomar cerveja, as mulheres sempre tiveram participação ativa na cena cervejeira desde os primórdios da bebida.

Com relação à história da cerveja, sua produção teve início por volta de 4.000 a.C., e as responsáveis foram as mulheres da Suméria, que as produziam e comercializavam enquanto os homens saíam para caçar. Além disso, os sumérios também tinham uma deusa que representava a bebida, chamada Ninkasi.

Outra deusa também contribuiu para a história: Ceres é conhecida como a deusa dos cereais, daí a origem do nome cerveja. “Por volta de 1.800 a.C., foi escrito um poema chamado Hino para Ninkasi, que era a primeira receita de uma cerveja, cuja fórmula contém ervas e grãos variados”, explica Camila Nassar, técnica de produção da cervejaria Berggren.

Cervejeira por acaso

camila nassar

Natural de Itajubá, sul de Minas Gerais, Camila tem 32 anos e seu interesse pela produção de cerveja foi por acaso. “Estava procurando estágio obrigatório e qualquer lugar que abria uma vaga para engenharia, eu mandava meu currículo. Foi aí que surgiu a vaga de estágio em uma empresa do ramo cervejeiro, sendo que no assunto de cerveja eu só sabia beber e fazer balanço de massa em grandes equipamentos, confesso que nem sabia que dava para fazer cerveja em casa”, diz ela.

No mesmo ano ela começou a estudar sobre insumos (lúpulo, fermento, malte) e ler livros para cervejeiros caseiros. Em pouco tempo ela já comprou seus equipamentos para começar a fazer cerveja em casa e pôr em prática toda a teoria que acumulara. Apesar de ter aprendido muito com esse estágio, ela diz que vivenciou alguns episódios de preconceito.

“Em 2016 eu já era gerente de uma loja de cervejas de Campinas e, apesar de entender bastante sobre o assunto, muitos clientes gostavam de tirar dúvidas com um dos atendentes homens, porém, esses últimos sempre acabavam recorrendo a mim, o que deixava os clientes sem graça quando presenciavam tal cena.”, ressalta Camila.

Profissão que virou hobby

mulheres bebendo cerveja
Foto: Shutterstock

Já em 2018, ela começou a trabalhar em um pequeno brewpub em Sousas (Campinas), fazendo de tudo, desde a parte de entrega de Barril e montagem da chopeira para o cliente até a produção (brasagem). Em 2019, ela continuou sua trajetória na cervejaria Berggren, no laboratório, cuidando da qualidade de todo o processo. Posteriormente, ela foi para o setor de produção de cerveja. “Aqui foi onde menos sofri preconceito por ser mulher. Talvez pelo detalhe de não trabalhar diretamente com o público como nas outras empresas”, explica.

Hoje ela se diz realizada na profissão e que o trabalho se tornou um hobby, tanto que em alguns finais de semana ela fica em casa criando receitas e produzindo. “Trabalhar hoje com a marca é um sonho realizado, pois minha trajetória não foi fácil, tive sempre que provar que era capaz, estudar e mostrar meu potencial, mas creio que se eu fosse um homem tudo isso seria mais fácil”, finaliza Camila.

Fonte: Berggren

 

Linha Make Me Fever Mahogany: para potencializar a feminilidade

Disponível em diversas versões, produtos combinam elegância e sofisticação

A Mahogany reconhece a importância da mulher cuidar de si e buscar alternativas que potencializem a feminilidade. Por isso, a marca especializada em produzir e comercializar cosméticos de alto padrão, indica alguns itens da sua linha de maior sucesso: a Make Me Fever.

Desenvolvida para aquelas que priorizam sofisticação e autenticidade, os produtos da linha Make Me Fever Blue são os mais indicados, como o Hidratante Desodorante Corporal, que promove uma hidratação intensa e de rápida absorção, assegurando um toque suave e macio à pele.

Além, é claro, da Fragrância Desodorante, que possui essência floral graças aos seus componentes como Bergamota, Flor de Laranjeira e Sândalo, responsáveis por promover horas de perfumação delicada, porém intensa, sendo indicada tanto para o dia, quanto para a noite.

Já para as mulheres que buscam delicadeza e elegância, a aposta da marca são os itens da linha Make Me Fever Rose. Com uma ação hidratante intensa, o Sabonete em barra, garante uma higienização eficaz, ao mesmo tempo que mantém a pele nutrida e macia, principalmente diante do cenário atual, onde lavar as mãos regularmente se faz ainda mais necessário.

Para completar, o Hidratante Desodorante Corporal tem textura leve que envolve o corpo todo, deixando na pele um toque sedoso e delicadamente perfumado, que se deve ao extrato de rosas presente em sua composição.

“Os itens Make Me Fever foram pensados para atender às diversas necessidades das mulheres. Por isso, buscamos trazer em todos os itens dessa linha, cosméticos que cuidem não somente da saúde corporal, mas também, fragrâncias que potencializem, ainda mais, a sensualidade e delicadeza do universo feminino”, afirma Brian Drummond, Head de Marketing da Mahogany.

A seguir, confira alguns itens exclusivos da marca:

Make Me Fever Blue Fragrância Desodorante Corporal 100ml – R$ 179,00

make me fever blue
Pirâmide Olfativa
Notas de Saída: bergamota e mandarina
Notas de Corpo: gengibre, jasmim, flor de laranjeira, tuberosa e magnólia
Notas de Fundo: patchouli, sândalo, âmbar e baunilha

Make Me Fever Blue Hidratante Desodorante Corporal 350ml – R$ 58,90

hidratante
O hidratante desodorante corporal revela a mesma essência sofisticada da linha Make me Fever Blue e estende a sua perfumação por todo o corpo com um toque suave e rápida absorção.

Sabonete em Barra Make Me Fever Rose 160g – R$ 19,90

sabonete
Sabonete esculpido com pétalas na face principal, com base hidratante e fórmula exclusiva que promove uma deliciosa sensação ao tocar a pele.

Fragrância Desodorante Corporal Make Me Fever Rose 100ml – R$ 179,00

make me feve rose
Pirâmide Olfativa
Notas de Saída: mandarina, bergamota e maracujá
Notas de Corpo: jasmim, folhas de violeta, lírios do vale, frésia, rosas e neroli
Notas de Fundo: musgo de carvalho, cedro, patchouli, sândalo, âmbar e musk

Onde encontrar: em lojas da marca, no e-commerce e também por meio de consultoras de venda direta.