Arquivo da tag: negras

Mulheres negras e periféricas recebem apoio psicológico com projeto idealizado pelo Instituto Cactus e Casa de Marias

A iniciativa, que inicia os atendimentos em agosto, visa oferecer assistência de saúde mental a grupos de mulheres em situação de vulnerabilidade

Buscando oferecer acolhimento psicológico emergencial para mulheres negras, indígenas e/ou periféricas em situação de vulnerabilidade, chamar a atenção para a demanda urgente de se olhar a saúde mental de mulheres e possibilitar novas práticas de cuidado em saúde mental o Instituto Cactus em parceria com Casa de Marias desenvolveu um projeto social de acolhimento e assistência durante a pandemia. Realizado de forma remota no país inteiro, o projeto promove um espaço de escuta e acolhimento, com uma equipe qualificada de psicoterapeutas para receber mulheres que precisam de cuidados psicológicos.

A iniciativa dedica atenção especial às questões que envolvem classe, gênero, raça e território. Para isso, oferece atendimentos psicológicos individuais e em grupo.

“Nosso espaço nasceu para ser mesmo uma casa, para criar raízes, para ser oásis em tempos difíceis. A Casa de Marias é, acima de tudo, um espaço de resistência. E, por isso, a nossa missão é cuidar, escutar e acolher. Promover processos terapêuticos e curativos não só dentro dos nossos consultórios, mas fora deles também”, reforça Ana Carolina Barros Silva, Coordenadora Geral da Casa de Marias.

Falar sobre saúde mental, promover ações e prevenção é uma necessidade pública, que deve envolver o engajamento de diversos setores, em especial do governo, academia e da própria sociedade civil. Nesse sentido, o objetivo do Instituto Cactus e da Casa de Marias com esse projeto é chamar a atenção para a necessidade de se pensar em projetos de saúde mental segmentadas, realizar o acolhimento de mulheres em situação de vulnerabilidade e, ainda, gerar insumos para validar o quanto este tipo de escuta emergencial, principalmente a feita em grupos de apoio em um formato inovador, como uma modalidade que pode ser institucionalizada e replicada em contextos de urgência.

Mas por que focar em mulheres?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a determinação do gênero na diferença que mulheres e homens têm sobre o poder e o controle dos determinantes socioeconômicos em suas vidas, posição social e forma de tratamento na sociedade. Além disso, enfatiza que o gênero determina diferentes suscetibilidades e exposições a riscos específicos para a saúde mental.

Para além de fatores sociais, de empregabilidade, de recursos e disponibilidade financeira, agendas dos filhos, da casa e falta de perspectivas, as mulheres podem vivenciar diversos transtornos mentais associados ao esgotamento emocional. A crise provocada pela pandemia de Covid-19 agravou muito esse cenário. Com a perda da renda e o aumento da desigualdade, os efeitos da crise socioeconômica na saúde mental são ainda piores para as pessoas em situação de vulnerabilidade.

Com o isolamento social, a disparidade de gênero, a violência doméstica e a sobrecarga das mulheres aumentaram ao mesmo tempo em que as redes de suporte diminuíram, uma vez que muitas vítimas ficaram confinadas com seus agressores sem possibilidade de ajuda externa. Todos esses fatores favorecem a prevalência de doenças mentais nas mulheres, por isso precisamos cuidar desse público com ainda mais urgência.

“Enquanto houver preconceitos e vieses subjetivos não combatidos e desmistificados, o atendimento à saúde mental feminina, especialmente de mulheres negras e periféricas, sempre será insuficiente e enviesado. Por isso, é necessário termos políticas mais focadas nos problemas de saúde mental da mulher, tanto individual quanto estruturalmente, assim como o fortalecimento de outras instituições e projetos de acolhimento que possam reforçar o olhar intersetorial da saúde mental”, afirma Maria Fernanda Resende Quartiero, Diretora Presidente do Instituto Cactus.

Sobre o Instituto Cactus e a Casa de Marias

O Instituto Cactus é uma organização sem fins lucrativos que trabalha para a prevenção e a promoção da saúde mental no Brasil, através da geração de conhecimento e evidências, identificação e multiplicação de boas práticas, incidência em políticas públicas, articulação de ecossistemas e conscientização da sociedade sobre o tema.

A Casa de Marias é um espaço de acolhimento e apoio psicológico para mulheres em sofrimento mental ou que necessitam de cuidados específicos, composta por um corpo clínico de mulheres, em sua maioria, negras e periféricas.

Sobre o projeto

Gerd Altamann/Pixabay

Coordenado por quatro psicólogas, o grupo de acolhimento emergencial será liderado pela psicóloga Camila Generoso. Psicóloga e psicopedagoga, possui especialização em Desenvolvimento Infantil e aprimoramento em Psicanálise da Criança pela PUC-SP; e pela psicóloga Deisy Pessoa, graduada em Psicologia com ênfase Clínica e Saúde Pública, com atuação na Atenção Psicossocial, trabalhando com a comunidade local do Capão Redondo em ações de inclusão de diversidades nas atividades artísticas terapêuticas oferecidas pelo Cecco.

O plantão psicológico é liderado pela psicóloga Eneida de Paula, psicóloga formada pela FMU, com especialização em Psicologia e Relações Raciais – Instituto AMMA Psique e Negritude e em Técnica de Estresse Pós-Traumático segundo Modelo Francine Shapiro – EMDR; e pela psicóloga Lucila Xavier, psicóloga formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com experiência de cinco anos como Acompanhante Terapêutica de crianças e adolescentes com TEA e estágios nas áreas de psicologia jurídica e clínica. Atualmente em formação no curso teórico vivencial de Psicologia e Relações Raciais do Instituto AMMA.

Nivea anuncia ações sociais por meio da campanha “O Toque que Transforma e Inspira Conexões”

Marca apoiará ações sociais com base em estudos científicos para transformar vidas de milhares de brasileiros por meio do toque

Nesta manhã, a Nivea promoveu uma entrevista coletiva, virtual, para apresentar algumas novidades. Com intermediação da atriz Camila Pitanga, o Presidente da Nivea Brasil, Christian Goetz, a Diretora de Marketing, Andréa Bó, o Diretor de Recursos Humanos, Juan Pablo Leymarie falaram sobre as novidades da empresa, enquanto a Doutora em Patologia, mestre em Biotecnologia e Biomédica Jaqueline Goes, explicou a importância do toque para o ser humano.

Considerada a marca número 1 em cuidados com a pele no mundo, a Nivea revela no Brasil o propósito O Toque que Transforma e Inspira Conexões. A empresa fortalece a sua missão social e a relação com as centenas de colaboradores no país para gerar impacto social e transformar a vida de milhares de pessoas. Nesta jornada, as ações, embasadas em estudos científicos proprietários da marca, também são um convite aos consumidores para se juntarem à causa.

Juarez e Heloísa se conheceram há 56 anos em São João Del Rey (MG). Para eles, até hoje os abraços e os carinhos são sinais de amor e conforto. NIVEA os encontrou para o relatório O Estado do Toque Humano, de 2020 (foto: ©NIVEA, 2020/Oliver Lassen)

“O propósito não é algo novo, é parte do nosso legado e também o futuro da Nivea. Cuidar das pessoas faz parte do nosso DNA há 110 anos. O toque na pele desempenha um papel vital para criarmos conexões uns com os outros e para melhorar a saúde física e mental das pessoas. Por isso, iniciamos essa jornada de conscientização: vamos auxiliar grupos vulneráveis que sofrem com o isolamento social, físico ou emocional. Desejamos criar vínculos verdadeiros e ser relevantes na vida dos consumidores e da sociedade”, afirma Christian Goetz, presidente da Nivea no Brasil.

Christian Goetz

O propósito da marca conta com transformações em três frentes: colaboradores, sociedade e consumidores e a combinação dessas 3 frentes é que o torna verdadeiro e relevante. É por isso que a marca acredita que pode promover uma diferença real na sociedade usando seu alcance e influência para revelar os benefícios do toque físico para a saúde, assim que as circunstâncias permitirem. A Nivea irá apoiar organizações que dão suporte àqueles que necessitam de acolhimento, transformando-as em amplificadoras do toque humano e potencializando a capacidade que têm de levar o cuidado adiante.

Agente de transformação social

Projetos apoiados pela Nivea beneficiarão idosos e cuidadores, pessoas LGBTQIA+ e mulheres negras de regiões de periferia (foto: divulgação)

O toque é uma necessidade humana de se sentir cuidado e uma das formas mais poderosas para transferir energias positivas entre duas pessoas. É também a base fundamental para criar relacionamentos sociais positivos ao longo da vida: define e solidifica as relações sociais, facilita a formação de novas conexões, auxilia na resolução de conflitos e na redução da agressão. Nos últimos tempos, a vida moderna e agitada tem afastado as pessoas das manifestações de toque, o que intensifica a sensação de solidão – situação potencializada pela pandemia da Covid-19. Este comportamento traz à tona a importância do toque humano para as relações sociais.

Nivea acompanha essas mudanças há mais de três anos e realizou pesquisas antes da pandemia, com quase 12 mil entrevistados, que comprovam que as pessoas entendem a importância do toque, mas que o vivenciam cada vez menos. O levantamento foi repetido durante o atual cenário, com mais de 9 mil pessoas, constatando que a solidão e a falta de toque são mais latentes do que nunca. As medidas para conter a disseminação do coronavírus ainda colocam algumas comunidades em situação de risco de isolamento social e emocional de forma mais acentuada.

Nivea se uniu a uma consultoria parceira, a Purpose para definir os grupos que sofrem com o isolamento social e a falta do toque. A marca irá apoiar ações sociais ao longo dos próximos anos para beneficiar comunidades que mais precisam de cuidado.

Idosos e cuidadores: no Brasil, mais de 2 milhões de idosos possuem algum tipo de doença mental degenerativa e o sentimento de solidão pode aumentar em 40% a probabilidade do desenvolvimento desse quadro clínico. Nesse processo, os cuidadores acabam sofrendo muito, 35% apresentam mais risco de sintomas de ansiedade e cinco vezes mais chance de depressão. Nivea também vai olhar para eles, que se dedicam para garantir aos idosos uma vida digna e com autoestima.

O que a empresa fará: dialogar com os cuidadores é um caminho para gerar qualidade de vida para quem cuida e para quem é cuidado.Vamos nos unir a ONGS para auxiliar os idosos e melhorar a experiência do cuidador com ações que incluem capacitações aos profissionais, treinamento em massagens terapêuticas, atividades de dança-terapia, experiências sensoriais envolvendo o toque e treinamentos sobre saúde mental.

LGBTQIA+ com foco na comunidade trans: além de situações de abandono e falta de apoio pelas próprias famílias, as estatísticas dessa comunidade geram um alerta importante. O Brasil é o país com o maior registro de assassinatos de pessoas LGBTQIA+ no mundo, um a cada 19 horas. E a expectativa de vida de mulheres trans e travestis é de 34 anos, no Brasil, sendo que a média nacional é de 74 anos.

O que a empresa fará: o objetivo é trilhar uma jornada de conscientização da sociedade e combater a LGBT fobia. Serão apoiadas iniciativas desenvolvidas por organizações e coletivos LGBTQIA+ que tenham impacto na comunidade, como projetos e casas de acolhimento que recuperam a dignidade e a segurança das pessoas.

Mulheres negras da periferia: 54% da população brasileira é formada por pessoas pretas ou pardas – deste total, 28% são mulheres, representando o maior grupo demográfico do país. Com perfil de mobilização local, elas são o suporte da comunidade, acolhem e tocam a vida das pessoas ao seu redor. Cuidam da família, dos vizinhos e da comunidade como um todo e trabalham muito para garantir o sustento da casa.

O que a empresa fará: desenvolver o talento de mulheres negras por meio de organizações que estimulam formações em trabalhos manuais, levando conteúdo e ferramentas de empoderamento profissional, social e psicológico por meio de treinamentos, capacitação e oficinas. A geração de renda para essas mulheres é uma necessidade urgente para que continuem cuidando de suas famílias e comunidades.

Mais de 5 mil pessoas serão impactadas com os projetos apoiados pelo propósito da NIVEA: AACD, Todxs e Pretahub são as primeiras ONGs com ações em andamento (foto: divulgação)

Parcerias com ONGs

A marca já definiu três das seis ONGs parceiras que terá até o final do ano:
=AACD: parceiros da Nivea há 10 anos, irão desenvolver projetos de dança-terapia, massagem terapêutica e capacitação de cuidadores de idosos. As atividades abrangem desde a reabilitação física até questões emocionais para maior autonomia do paciente.
=TODXS: para a comunidade LGBTQIA+, a Nivea irá atuar com a entidade para empoderar a comunidade e educar a sociedade para transformar o Brasil em um país verdadeiramente inclusivo. A marca apoiará o projeto Todxs Embaixadorxs que tem como foco criar líderes que possam disseminar a causa e acolher o público em suas comunidades. Visite:
=Pretahub: para os projetos envolvendo as mulheres negras, a Nivea fechou parceria com a instituição aceleradora do empreendedorismo negro no Brasil. As ações se concentrarão em dois programas:
=Casa PretaHUB: apoiar financeiramente os espaços para compartilhar, co-criar e desenvolver negócios, pautados nos temas de afro empreendedorismo e cultura afro. As ações serão concentradas em uma casa em São Paulo e, outra, na Bahia.
=Afrolab: programa de apoio, promoção e impulsionamento do afro empreendedorismo, que terá como um dos focos o fortalecimento da autoestima e a educação financeira dessas mulheres. A parceria com a NIVEA prevê ainda a execução do programa Afrolab Digital que contará com dicas de marketing digital e oferecerá as redes sociais como um espaço de experimentação para venda de produtos e serviços.

Mais de 5 mil pessoas serão impactadas com os projetos apoiados pelo propósito da Nivea: AACD, Todxs e Pretahub são as primeiras ONGs com ações em andamento (foto: divulgação)

Andréa Bó

O objetivo é beneficiar mais de 5 mil pessoas, até 2025, por meio de ações que tragam o toque como agente de cuidado e transformação. “A Nivea é uma marca que encanta e faz parte da história dos brasileiros há muitas gerações. Estamos em uma jornada de fortalecimento para ir além no cuidado com as pessoas com um olhar muito especial: queremos impactar vidas e deixar um legado para a sociedade e devolver ao planeta o que recebemos, fazendo a diferença no mundo”, afirma Andréa Bó, diretora de Marketing da Nivea.

Transformação de dentro para fora

Para que a transformação social proposta pela Nivea ocorra de forma genuína, a jornada será potencializada com a participação dos colaboradores da marca no Brasil, evoluindo a cultura corporativa da empresa. Algumas ações planejadas têm como foco o conhecimento e a vivência do propósito na prática por todos os colaboradores como, por exemplo, a criação de um Programa de Voluntariado para que a equipe possa se envolver em projetos sociais das ONGs acolhidas.

Juan Pablo Leymarie

Em uma ação ligada ao propósito, os colaboradores também são incentivados a descobrirem seus propósitos pessoais. O projeto Círculos de Propósito propõe atividades em grupos, por meio de reuniões online, para conversas, trocas de experiências e reflexões sobre objetivos pessoais de transformação. “Sabemos que pessoas que conhecem os seus sonhos e têm um propósito são muito mais felizes e queremos incentivar esta descoberta aos nossos mais de 600 colaboradores no Brasil. É maravilhoso quando a companhia e os colaboradores compartilham esse propósito e, juntos, vão além”, destaca Juan Pablo Leymarie, diretor de RH da Nivea.

Colaboradores da Nivea são incentivados a descobrirem seus propósitos pessoais em busca de uma vida mais feliz e participarão de Programa de Voluntariado (foto: divulgação)

A agenda de Diversidade também terá destaque: recentemente a marca se aliou à Mais Diversidade, uma consultoria para ampliar a conversa e trazer um olhar profundo sobre onde e como é possível evoluir como empresa empregadora. Há ainda a atuação de um Comitê de Diversidade interno que está discutindo ações práticas sobre como trazer pertencimento e pluralidade, de fato, para os times. “Queremos trazer para dentro da Nivea ainda mais a representatividade de nossos consumidores e da sociedade. Estamos considerando gênero, orientação sexual, raça e geração como nossos principais focos”, pontua o diretor.

A relação com os consumidores

A existência de um propósito impacta Nivea em todos os sentidos, inclusive na relação com consumidores e clientes. Por meio de campanhas, redes sociais e produtos, a marca pretende conscientizar e alcançar a sociedade como um todo. O time de influenciadores da marca atuará para reforçar a mensagem nas redes sociais: Paolla Oliveira, Preta Gil, Teresa Cristina, Ana Apocalypse e Alcione são apenas alguns nomes que levarão as mensagens de O Toque que Transforma e Inspira Conexões para o dia a dia das pessoas e as convidarão a fazer parte deste movimento.

Para conectar os consumidores ao propósito, alguns produtos apresentarão edições especiais. É o exemplo da campanha Pride 2021, em celebração e apoio ao mês do Orgulho LGBTQIA+. A icônica latinha do Nivea Creme e o protetor labial NIVEA Lip Soft Rosé ganharão as cores do arco-íris para celebrar a comunidade, defendendo a união, o amor e o respeito. A iniciativa terá ativações em todas as redes sociais da marca com a participação e engajamento de influenciadores representantes da causa como forma de dar visibilidade e representatividade a grupos que tem sido historicamente minorados ou marginalizados.

Nivea reverterá 100% dos lucros da edição especial do Nivea Creme e Nivea Lip para dez projetos de apoio à comunidade LGBTQIA+; campanha Pride 2021 está nas redes sociais da marca (foto: divulgação)

A mensagem irá muito além de campanha e produto: Nivea se uniu à All Out, organização que atua no Brasil e no mundo em defesa dos direitos da população LGBTQIA+, para selecionar ONGs e projetos de melhorias para a saúde física e mental, assim como gerar empoderamento para a comunidade. Todo o lucro das vendas da edição especial do NIVEA Creme e Nivea Lip Soft Rosé será revertido para dez projetos de acolhimento que tragam dignidade, segurança e suporte emocional. Desde 17 de maio, Dia da Luta Contra a LGBTfobia, as instituições começaram a inscrever suas iniciativas para seleção e a marca fará uma doação para cada uma no final de junho, no Dia do Orgulho LGBTQIA+. “Essa é uma forma de convidar o consumidor a ser um agente de transformação social junto à marca”, finaliza Andréa Bó.

As ONGs e instituições podem inscrever seus projetos até 6 de junho clicando aqui.

Estudos clínicos comprovam o poder do toque

Drª Jaqueline Goes

Desde antes da pandemia, a Nivea encomendou estudos globais para entender a importância do toque humano na vida das pessoas. Com a análise de diversos relatórios produzidos nesse período, foi constatado que, apesar de essencial para vidas felizes e realizadas, o toque humano está em risco em todo mundo. São dois relatórios globais desenvolvidos em parceria com a Mindline para identificar a importância do toque para a saúde mental e física. Na primeira etapa, a metodologia incluiu entrevistas com 11.198 pessoas de 11 países, em 2019, e, na segunda, 9.487 pessoas de nove países, em 2020, ou seja, os resultados já trazem dados de como as pessoas e sentem na pandemia. O Brasil é um dos países contemplados.

Mesmo antes da pandemia da Covid-19, as pessoas já consideravam o toque como elemento importante para uma vida feliz e plena e alegaram que o estilo de vida moderno estava os afastando dessa manifestação. Nove em cada dez pessoas em todo o mundo acham que o toque é a chave para levar uma vida feliz e realizada. No Brasil, especialmente, os entrevistados manifestaram uma forte relação com o toque, que representa cuidado (98%), afeto (98%) e amor (97%).

Nivea realizou pesquisas com mais de 20 mil pessoas, antes e durante a pandemia, para constatar o poder do toque humano para a saúde física e mental (foto: divulgação)

Já os relatórios elaborados durante a pandemia mostram que as pessoas estão restringindo o toque como maneira de evitar a disseminação da doença. Os estudos ainda revelam que as pessoas sentem falta do contato físico mais do que nunca: uma em cada três pessoas diz que o nível atual de toque na vida diária é muito baixo, e três em cada cinco pessoas querem compensar a atual situação após a pandemia.

Os efeitos do toque humano comprovadamente reduzem a dor física, fortalecem o sistema imunológico, normalização a frequência cardíaca e a pressão arterial. Na mente, o toque diminui o nível de hormônios do estresse, aumenta o nível de hormônios de bem-estar, a ocitocina, reduz a solidão, os sintomas de ansiedade e de depressão.

Os relatórios também trazem fortes evidências de que a ocitocina está significativamente envolvida nos efeitos benéficos do toque para a saúde física e mental, bem como para uma pele bonita e saudável. As evidências apontam que ações como carícias, afagos e contato físico com pessoas queridas estão relacionados à produção do hormônio da felicidade. É por isso que a Nivea está defendendo mais oportunidades de toque na pele com o seu propósito global, O Toque que Transforma e Inspira Conexões .

Movimento global

O propósito de transformar vidas e a sociedade por meio do toque é uma iniciativa global da Nivea. O lançamento oficial ocorreu em janeiro, na Alemanha, e, desde então, a marca vem implementando o propósito gradualmente em mercados onde atua. A empresa irá investir 20 milhões de euros em projetos em todo o mundo, alcançando 150 mil pessoas. A marca também pretende conscientizar 100 milhões de pessoas sobre os benefícios do toque para a saúde até 2025.

Nivea

O Cuidado é a essência da Nivea há mais de 100 anos. A marca está presente em cerca de 150 países e, no Brasil, conta com um portfólio completo de hidratantes corporais e faciais, protetores solares e labiais, itens para cuidados masculinos, para banho e desodorantes. A Nivea lançou a primeira emulsão hidratante do mundo, que mais tarde ficaria conhecida como a icônica e querida “latinha azul”. A constante busca por inovação e excelência fazem da Nivea a marca nº 1 em cuidados com a pele no mundo. Atualmente, conta com mais de 500 itens em seu portfólio que valorizam a individualidade e necessidades de cada tipo de pele. Ao longo dos anos, a Nivea segue conquistando a admiração e a confiança de seus consumidores e acredita no poder transformador do toque humano para gerar conexões, baseado no respeito e cuidado com o meio ambiente e as pessoas como parte de seus valores como marca.

Avon estuda diversidade cromática da pele brasileira e amplia portfólio para peles negras

Estudo realizado pelo Centro Global de Inovação da marca, em colaboração com a maquiadora Daniele Damata, traz mudança na indústria internacional de maquiagem

Embasado em um trabalho colaborativo com a maquiadora Daniele Damata surge uma nova visão e abordagem sobre como são criadas as cores para maquiagem na Avon. O processo é resultado de uma conduta humanizada e empática, que foi inspirado pelas mulheres pretas e pardas do Brasil. O mapeamento das particularidades do subtom da pele delas impulsionou a transformação da paleta de cores da marca em um portfólio colaborativo de peles.

Daniele DaMata – Avon

Desde 2013, a Avon estuda a diversidade global e já investigou os tons de pele de seis países, incluindo o Brasil. Como resultado desse trabalho, a companhia construiu uma estratégia de tonalidades mais diversificada de um ponto de vista internacional, mas identificou que o país, em particular, precisava de mais opções de cores voltados ao público negro. Em novembro de 2019, a cientista Candice Deleo-Novack, chefe de desenvolvimento de produtos para olhos, rosto e design técnico de produtos da Avon, nos Estados Unidos, e a maquiadora expert em beleza negra Daniele Da Mata, iniciaram uma parceria para desenvolver uma paleta inteligente e diversa para a marca.

O desfecho foi o desenvolvimento de sete novas cores de bases par todas as nossas linhas, além de novos tons para po compacto, corretivo e blush, que atendem os tons de pele médio a médio-escuro e traz uma diretriz inédita em termos de tecnologia e inovação para criar as cores para maquiagens na Avon. Os novos tons chegam ao mercado com produtos que levam as cores da vida real para as fórmulas.

“Queremos ter certeza de que estamos cobrindo o maior número possível de mulheres com cada uma de nossas cores. Então, o que fizemos foi realmente incorporar essa mentalidade aos novos tons que selecionamos para abranger o maior número possível de mulheres. Também levamos em conta que, a cada bebê que nasce, surge também uma nova cor de base, pois cada cor de pele é única. Nós da Avon, como empresa de beleza, queremos ter certeza de que estamos conversando constante e consistentemente com as mulheres em todos os nossos mercados”, explica a cientista, Candice Deleo-Novack.

“A Candice veio dos Estados Unidos para o Brasil aberta a entender a diversidade cromática das peles negras brasileiras e, juntas, vimos pessoalmente como muitas das modelos selecionadas para os testes não encontravam bases ideais para suas peles. Foi daí que nasceu a ideia de criarmos tonalidades de pessoas e não tonalidades de bases. Isto é, criamos cores representando peles reais e quebramos a lógica das fórmulas padronizadas de proporções e pigmentos. Utilizamos pessoas reais, que antes eram invisibilizadas, como nossa grande inspiração e a Candice levou essa experiência para o laboratório”, explica Da Mata

Como uma empresa global, nos dá muito orgulho ver o Brasil liderando esse movimento de mudança dentro da companhia. Aprendemos uma nova forma de criar proporções de pigmentos com as mulheres brasileiras e isso se compara ao processo de, por exemplo, lançar uma coleção de alta costura, com roupas personalizadas para essas mulheres e suas características únicas e especiais. E foi esse trabalho sob medida que resultou em novas cores e em uma forma muito mais humana de desenvolvimento em laboratório”, complementa a cientista Candice Deleo-Novack.

Novo portfólio: traduzindo as descobertas em alta tecnologia

Todos os ensinamentos coletados no Brasil foram levados para os laboratórios da Avon em Suffern. No Centro de Inovação, uma equipe de cientistas, engenheiros e especialistas em beleza trabalhou usando alta tecnologia para fornecer soluções novas e resolver os desafios de criar uma paleta de cores de maquiagem que atenda todos os tons de pele brasileiros, em todos os produtos.

“Foram oito meses de trabalho utilizando os aprendizados coletados no país em abordagens qualitativas e quantitativas para descobrir percepções, tensões e necessidades não atendidas da consumidora brasileira. Essa longa jornada culminou na nova paleta de cores para pós, bases e corretivos da Avon, que será lançada em novembro de 2020 primeiro nas bases Power Stay e base compacta, com cores da vida real levadas para as fórmulas. A paleta também será aplicada em todas as linhas da Avon até 2021”, explica Juliana Barros, diretora de marketing da categoria de maquiagem da Avon.

Até o final deste ano, serão lançados 28 itens de maquiagem elaborados com as novas cores para a pele preta e parda brasileira: 7 tons da base compacta e base líquida Power Stay (totalizando 12 tons para pele negra), 10 tons de corretivo Power Stay, sendo 6 para pele preta, 2 tons de pó (compactos e refis) totalizando 4 para pele negra, 1 tons de blush totalizando 4 tons para pele negra, e 1 iluminador em Gotas Cobre. E, em 2021, já são previstos 25 itens com a nova gama de cores. Além disso, todos produtos de pele ganharão novos nomes, excluindo referência alimentares. Cada item será sinalizado pelo seu tom e subtom em uma combinação de letras e números. O número refere-se ao tom e a letra ao subtom: “F” (frio), “N” (neutro) e “Q” (quente).

Pesquisa nacional: como a mulher brasileira quer a maquiagem

Para o lançamento e readequação do novo portfólio de maquiagem, a Avon ainda realizou, em parceria com a Grimpa, uma pesquisa inédita que ouviu 1.000 mulheres pretas e pardas, de norte a sul do país, entre 18 e 60 anos, de todas as classes sociais, para traçar um cenário atual da sua representatividade na indústria de beleza, especificamente para base, pó e corretivo – que estão intimamente ligados ao tom de pele.

Os dados foram utilizados pela Avon para elaborar o planejamento e compreender quais eram as necessidades das consumidoras brasileiras. O principal insight mostrou que quase 70% não estão totalmente satisfeitas com as opções de produtos específicos para seu tipo de pele. Os números inéditos revelam ainda que:

46% disseram que o principal motivo de desistirem da compra de uma base, pó ou corretivo é não encontrar o tom compatível com a sua pele.
57% dizem que compram ou já tiveram que comprar mais de um tom de base porque simplesmente não encontram um produto adequado à sua cor– tendo assim que gastar mais, personalizando a maquiagem.
20% apenas das mulheres negras sabem qual é o seu subtom.
95% gostariam de saber mais sobre o subtom quando compram base, pó e corretivo.
Cerca de 70% gostariam que as vendedoras de maquiagem entendessem melhor a pele negra/parda.

Transformação além do portfólio: Avon firma compromisso antirracista

Essa transformação no portfólio da Avon não ficará apenas no segmento de maquiagem. A empresa está fomentando um grande movimento interno de lideranças negras que traz o compromisso de reparar injustiças históricas dentro da companhia, com importantes metas, entre elas: aumento da diversidade dos níveis de gestão, equidade de gênero com mulheres na liderança, acesso ao salário digno individual a 100% de funcionários, comunidades comerciais de biodiversidade e força de vendas.

Esse pacto antirracista e pela diversidade busca amplificar e dar continuidade às iniciativas que a empresa vem desenvolvendo principalmente nos últimos cinco anos: em 2015, a Avon iniciou proativamente seu programa de diversidade, chamado Rede Pela Diversidade, e desde então vem ampliando ações neste sentido, como o selo Pró-Equidade, a criação da Célula Raça, a adesão à Coalizão Empresarial pela Igualdade Racial, o programa de desenvolvimento de profissionais negros e as metas de inserção deles nos processos de seleção – todos realizados entre 2015 e 2020.

Todos os produtos Avon podem ser adquiridos por meio das revendedoras Avon ou pelo e-commerce. SAC: 0800 708 2866, de segunda a sábado das 8h às 20h.

Receita de polenta cremosa com ragu bolognesa

O chef curitibano Dudu Sperandio, dos restaurantes Funiculí e Ernesto Ristorante, ambos de Curitiba, preparou uma receita especial que combina muito bem com as noites mais frias: Polenta cremosa com ragu bolognesa, pancetta e trufas negras. Veja os ingredientes e o modo de fazer.

Ingredientes para a polenta:
· 100g de fubá ou polenta
· 500ml de caldo de legumes
· 100g de manteiga
· 100g de nata fresca
· Sal a gosto

Modo de preparo: Dissolver a polenta no caldo de legumes fervendo e cozinhar por pelo menos 45 minutos, no final adicionar a manteiga e a nata, sal a gosto.

Ingredientes para o ragu:
· 100g de carne moída de primeira
· 100g de carne suína moída
· 50g de pancetta ou bacon moídos
· 50g de cenoura picada
· 50g de cebola picada
· 50g de salsão picado
· 2 dentes de alho picados
· 300g de molho de tomate
· Azeite de oliva
· Sal e pimenta do reino

Modo de preparo: Em uma panela funda, doure a cebola no azeite de oliva. Em seguida, faça o mesmo processo com cada um dos ingredientes: alho, cenoura, salsão, Bacon e as carnes. Quando estiver tudo dourado, acrescente o sal, a pimenta e o molho de tomate. Cozinhar por uma hora.

Foto: Priscilla Fiedler

Modo de servir: monte o prato com a polenta coberta pelo ragu e bastante queijo grana padano por cima.