Arquivo da tag: ômega 3

Conheça alimentos para turbinar o cérebro

Saiba como os alimentos para o cérebro podem ajudar a manter a qualidade de vida, garantindo mais saúde e longevidade

Diariamente, jornais, revistas e programas de televisão anunciam as orientações de especialistas da área da saúde para a manutenção de uma vida saudável. Falam sobre exercícios físicos, alimentação saudável… E o cérebro?

Este poderoso órgão possui uma capacidade de armazenamento e aprendizado incrível. O cérebro precisa de energia para funcionar e consome 20% da energia de todo nosso corpo. Podemos, inclusive, gastar 30 calorias por hora somente pensando! Mas para que ele funcione no máximo de sua potencialidade, é preciso receber alguns cuidados.

Além de exercitar o cérebro, praticar atividades físicas, ter boas noites de sono e interações sociais de qualidade, a alimentação também contribui para o seu bom funcionamento e pode até ajudar a estimular determinadas habilidades.

“Algumas substâncias que estão presentes nos alimentos, como ômega 3 e licopeno, favorecem a cognição. E são muito importantes para o aprendizado. Essas substâncias estão presentes nas frutas, verduras, legumes, peixe, ovos, azeite de oliva”, conta a nutricionista clínica e consultora do Método Supera, Silvia Calil.

Dessa forma, o Supera preparou uma lista com alguns alimentos que devem fazer parte do seu cardápio. Confira:

castanhas

Oleaginosas: a castanha-do-pará, as nozes e a avelã são ricas em selênio. Pessoas com baixos níveis de selênio podem sofrer distúrbios na atividade dos neurotransmissores. Em estudo recente realizado na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo constatou-se que o consumo de duas castanhas do Pará auxilia como potencializador do desempenho das habilidades mentais.

bife de figado lani cooks
Foto: LaniCooks

Carnes vermelhas e folhas verdes: carnes vermelhas, especialmente fígado, e folhas verdes, como couve e brócolis, são ricas em ferro. A principal função do ferro no nosso organismo é ajudar a carregar o oxigênio e garantir um bom funcionamento cerebral. Quando os níveis de ferro diminuem, o organismo fica com pouco oxigênio disponível, resultando em fadiga, perda de memória, concentração reduzida, apatia, perda de atenção e atenção reduzida no trabalho.

cogumelo_portobello

Cogumelos: segundo estudo conduzido em Cingapura, a ingestão de cogumelos ao menos duas vezes por semana ajuda a prevenir problemas de memória. Isso tudo devido à presença de um antioxidante que protege o funcionamento cerebral. Cogumelos possuem o aminoácido ergotioneína, antioxidante que não conseguimos produzir por conta própria. Também são ricos em vitamina D, selênio e espermidina, nutrientes que protegem os neurônios.

sardinhas free food photos

Peixes: o salmão e a sardinha são ricos em ômega 3. Esta gordura poli-insaturada age na formação da bainha de mielina, um componente dos neurônios. Assim, ocorre a melhora do desempenho cognitivo, da atividade cerebral e comunicação entre as células do cérebro.

cafe canela xicara

Café: a cafeína, quando consumida em doses baixas a moderadas, tem ação estimulante que melhora a concentração e consequentemente na capacidade de aprendizado. Assim, inclua em sua dieta alimentos que possuem boas quantidades de cafeína em sua composição, como o café, o chá verde e o chocolate amargo.

ovo cozido Gimme Some Oven

Ovo: contribui para a melhora da concentração porque é uma das principais fontes de colina da dieta. A colina é utilizada na síntese da acetilcolina, neurotransmissor que auxilia a concentração e a memória.

Gostou da lista? Hábitos saudáveis como uma alimentação balanceada auxiliam no melhor desempenho de memória. Então comece realizando adaptações – de preferência com orientação profissional especializada – e nutra o seu cérebro. Afinal, um cérebro nutrido garantirá autonomia e independência ao longo da vida.

Fonte: Supera

Estudos apontam benefícios do ômega 3 nos sintomas da menopausa

Nutricionista explica a importância do suplemento neste período e como descobrir quando a suplementação é necessária pelo teste do ômega 3 da Vhita

Inchaços, irritação, ansiedade, falta de concentração, insônia, dores de cabeça e depressão são alguns dos sintomas da tensão pré-menstrual. Já na menopausa, sinais como ondas de calor, insônia, aumento de peso, redução da libido e irritabilidade podem se manifestar a partir dos 45 anos da mulher.

Um estudo publicado pelo Journal of Psychosomatic Obstetrics & Gynecology, em 2018, e realizado com 95 mulheres, entre 20 e 35 anos, divididas em dois grupos, constatou que as mulheres que foram submetidas ao consumo diário de 1g de ômega 3 conseguiram reduzir os desconfortos e sintomas pré-menstruais se comparado ao grupo que consumiu pílulas de placebo – sem efeito terapêutico.

suplemento omega  suplemento omega 3.png

Para a nutricionista Priscila Gontijo, Mestre em Ciências pela Unifesp e responsável técnica da Vhita, a suplementação promove equilíbrio ao metabolismo, o que melhora a produção de hormônios relacionados ao ciclo menstrual. “O suplemento atua diretamente na função metabólica e hormonal, benéfico na diminuição dos sintomas típicos da TPM”, explica.

Em outro estudo publicado pela revista científica Menopause indica que a terapia hormonal e o ômega 3 exercem efeitos antidepressivos. O alívio do estresse e da depressão, sintomas da menopausa, também foram observados em uma pesquisa realizada pela Universidade Laval, no Canadá. A redução de ondas de calor também foi apontada por especialistas como benefício da ingestão de ômega 3.

Suplementação adequada

suplemento omega 3

Priscila alerta que a quantidade e frequência ideal de consumo das cápsulas do suplemento de ômega 3 podem variar de acordo com a idade e necessidade de cada pessoa, e devem ser feitas apenas com acompanhamento médico ou de um nutricionista. “No entanto, quando falamos na frequência e eficácia do suplemento, para ajudar a reduzir os sintomas da menstruação e da menopausa, o consumo diário e prolongado de pelo menos 1g de EPA + DHA do suplemento é o mais indicado para garantir os efeitos esperados”, completa a nutricionista.

Saiba se a suplementação por ômega 3 é necessária respondendo o Teste da Vhita.

Sobre a Vhita

É uma startup com foco em democratizar a longevidade com suporte de diversos canais digitais para o compartilhamento gratuito de conhecimento científico, na missão de empoderar as pessoas na busca por informações que levem aos melhores produtos e, consequentemente, melhores soluções em saúde, estilo e qualidade de vida.

Super Ômega 3 com maior concentração de gorduras saudáveis

A Schraiber, empresa que fornece suplementos alimentares, phytocosméticos e insumos homeopáticos, lança mais um produto voltado para o bom funcionamento do organismo. Desta vez, a aposta são as cápsulas de Super Ômega 3 com maior concentração de EPA (ácido eicosapentaenoico) e DHA (ácido docosahexaenóico), gorduras saudáveis essenciais para manter a saúde e as funções cerebrais, além de melhorar os níveis de colesterol.

Apesar de ser muito importante para nossa saúde, o Ômega 3 – mais conhecido como óleo de peixe concentrado – não é produzido de forma natural pelo corpo e por isso deve ser ingerido por meio do consumo de alimentos, principalmente peixes e frutos do mar. Quando a ingestão do nutriente não é suficiente para manter o organismo, uma solução são as cápsulas.

Os suplementos nutricionais a base de Ômega 3 auxiliam a concentração, a aprendizagem, a memória e o humor, e ainda melhoram os índices de colesterol. Quando enriquecidos com EPA, passam a ter função anti-inflamatória, que são benéficas para a saúde do coração e acrescidas de DHA, possuem ação antioxidante, que previnem doenças degenerativas.

No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda o consumo de 1000mg a 3000mg de Ômega 3 por dia, o que corresponde a ingestão de 2 cápsulas do Super Ômega 3.

Super-Omega-3

Informações: Schraiber

Conheça alimentos que trabalham em harmonia com seu cabelo

Investir em uma alimentação nutritiva e rica em vitaminas auxilia na redução da queda de cabelo

A saúde dos cabelos reflete-se pela manutenção de bons hábitos, o que inclui uma alimentação saudável e rica dos nutrientes mais benéficos aos fios o que ajuda no combate a queda de cabelo e outros problemas comuns.

Assim como uma alimentação balanceada ajuda na saúde dos fios, uma dieta pobre e inadequada pode ser responsável pelo surgimento de problemas capilares, como queda, ressecamento e fios opacos.

A seguir conheça os nutrientes e alimentos que são benéficos aos cabelos.

Quais alimentos ajudam na prevenção da queda de cabelo?

queda de cabelo

A queda de cabelo é um dos primeiros indicativos de que a alimentação não está em harmonia com os fios e é preciso revê-la. Alguns nutrientes são os mais importantes na dieta e podem ser encontrados em vários alimentos. Confira quais os nutrientes mais valiosos para a nutrição capilar e quais alimentos incluir na dieta para obter bons resultados!

Ômega 3

O ômega 3 é um ácido graxo importante por desenvolver uma ação anti-inflamatória. Ele contribui para dar maior flexibilidade os fios e contribui para a absorção de nutrientes como a vitamina A. Esse ácido graxo não é produzido pelo organismo, sendo que a quantidade adequada ao organismo deve estar presente na alimentação.

Entre os alimentos ricos em ômega 3 destacam-se:

Salmão_queridinho_Brasileiros
· peixes de água fria, como salmão, sardinha e truta;
· abacate;
· semente de abóbora;
· nozes, linhaça e chia.

O salmão, por exemplo, também é rico em proteína de qualidade e selênio, o que aumenta a proteção do couro cabeludo contra a radiação ultravioleta e melhora a circulação sanguínea, ajudando na chegada de nutrientes ao bulbo capilar.

Sais minerais

Também é importante que uma alimentação voltada à saúde capilar e redução da queda de cabelo seja rica em sais minerais como zinco, ferro e selênio. Esses nutrientes ajudam na nutrição dos folículos capilares e crescimento dos fios. A ausência, por sua vez, pode resultar em fios quebradiços, secos, finos e opacos, causando problemas como caspa e queda.

Entre os alimentos ricos em sais minerais que devem compor a dieta estão:

235ea-lentilha-alvimann

· lentilhas;
· espinafres;
· brócolis;
· couve;
· ovos;
· carnes;
· feijão e soja;
· sementes de girassol e de abóbora;
· cereais integrais;
· chia;
· castanha-do-pará e castanha-de-caju.

Ao inserir duas unidades de castanha-do-Pará ou castanha-de-caju na dieta diariamente já é possível obter o zinco necessário à saúde tanto capilar quanto do organismo.

Proteínas

A principal composição dos fios de cabelo é queratina, um tipo de proteína. Na verdade, 97% dos fios são compostos desse nutriente. A deficiência proteica ocasiona problemas como ressecamento, opacidade e quebra dos fios.

Para garantir o consumo adequado de proteínas para dar mais saúde aos fios insira na dieta:

nozes
· carnes;
· peixes;
· produtos lácteos, como leite e queijos;
· ovos;
· legumes;
· soja;
· nozes.

Lembre-se que para não desequilibrar a saúde o importante é consumir proteínas magras, como de carnes, frango e peixe. Sem a reposição proteica o organismo não consegue repor os fios que caem, reduzindo o volume.

Vitaminas

As vitaminas são essenciais melhorar o fluxo sanguíneo no couro cabeludo garantindo a chegada de oxigênio e nutrientes às células. A deficiência delas pode resultar na quebra dos fios, queda de cabelo e lento crescimento.

Saiba quais são as principais vitaminas para manter a saúde dos cabelos e em quais alimentos elas podem ser encontradas:

folhas-verdes-nutri-living
Foto: Nutri Living

· a vitamina C é antioxidante e auxilia na produção do colágeno que fortalece os fios. Ela pode ser encontrada em: acerola, kiwi, abacaxi, laranjas, tangerinas, mamão papaia, pimentões, limão, folhas verde-escuras e morangos;
· a vitamina A contribui na produção de glândulas sebáceas do couro cabeludo, evitando o ressecamento. Ela é encontrada em abundância em: cenoura, batata doce, abóbora, tomate, beterraba, melancia e folhas verde-escuras;
· as vitaminas do complexo B ajudam a evitar a queda de cabelo, sendo possível encontrá-las em alimentos como: folhas verde-escuras, brócolis, grão-de-bico, aveia, tomates, ovos, salmão, amêndoas, nozes, framboesas, abacate, lentilhas e grãos integrais;
· a vitamina E tem ação antioxidante e ajuda no crescimento dos cabelos, melhora da circulação sanguínea, equilíbrio do pH capilar e hidratação. Ela pode ser encontrada em nozes, sementes de girassol e abacate.

Portanto, as diversas vitaminas devem fazer parte da alimentação, pois garantem uma série de benefícios aos fios. Destaca-se que alguns alimentos oferecem diferentes nutrientes, sendo importante ampliar o consumo deles, como salmão, folhas verde-escuras, sementes, oleaginosas, grãos e outros.

Além de conhecer os alimentos benéficos, é relevante conhecer quais evitar. Os principais vilões para os cabelos são os açúcares, carboidratos refinados como massas e pão branco e álcool. Esses alimentos elevam a insulina no sangue, causando um desequilíbrio hormonal que resulta em prejuízos aos folículos capilares.

Logo, se o objetivo é melhorar a saúde dos fios por meio de uma alimentação adequada que ajude a reduzir a queda de cabelo e outros problemas capilares, invista nos alimentos ricos em nutrientes que atuam em harmonia com os cabelos.

Caso a queda de cabelo ou demais problemas permaneçam ou intensifiquem-se, busque auxílio especializado em uma clínica de cuidados capilares.

Fonte: Clínica Doppio

Saiba quais alimentos ajudam a barrar o envelhecimento e a prevenir rugas

Lembre-se desses alimentos na sua próxima ida às compras. Você pode estar fazendo um bem muito grande a sua pele

A alimentação influencia em vários processos metabólicos do organismo humano e também é responsável pela nutrição das células. É por esse motivo, que alimentos ultraprocessados e com aditivos químicos podem causar inflamação nas células. Além de doenças, uma dieta baseada em industrializados e com “calorias vazias” pode acelerar o envelhecimento da pele.

“Mas uma alimentação variada, equilibrada e saudável pode fornecer proteínas, antioxidantes e agentes anti-inflamatórios importantes para retardar o envelhecimento precoce”, afirma Lucas Portilho, consultor e pesquisador em Cosmetologia, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma e Pesquisador em Fotoproteção na Unicamp. Saiba abaixo quais são esses alimentos poderosos e que podem dar um “up” na sua pele:

soja candlescience
Imagem: CandleScience

Soja: a soja contém isoflavonas, que atuam na prevenção e redução da degradação do colágeno, além de combater radicais livres. Pela sua atuação no colágeno, a soja ainda colabora para melhorar o aspecto da celulite.

acerola

Frutas com vitamina C: a Vitamina C auxilia na síntese de colágeno, ou seja, ingerir laranja, morango, limão e acerola também traz benefícios para a pele. Além disso, a vitamina tem ação antioxidante e auxilia a combater os danos ambientais.

Cenoura

Betacaroteno: essa substância está presente no mamão, no tomate, na abóbora e na cenoura e ajuda a proteger a pele contra os efeitos dos raios solares. Esse tipo de antioxidante age no combate aos radicais livres, que estão fortemente ligados à destruição do colágeno.

castanha do brasil

Castanha-do-pará: o mineral selênio, presente nessa castanha, tem uma ação importante ao prevenir e retardar o envelhecimento e age para manter a elasticidade da pele.

chocolate cacau

Cacau: o principal ingrediente do chocolate é um antioxidante poderoso, que melhora a circulação e retarda o aparecimento das rugas. Mas ao comer um chocolate, lembre-se que a melhor opção é o amargo, rico em flavonoides.

Salmão_queridinho_Brasileiros

Ômegas 3 e 6: presentes nos peixes (salmão, atum e truta) e em sementes oleaginosas, as substâncias ajudam a hidratar a pele, por conta das ceramidas, que também protege contra inflamações e alergias.

iogurte profet77 pixabay
Foto: Profet77/Pixabay

Probióticos: muitos produtos, hoje, contam com probióticos, mas o iogurte é o mais tradicional deles. Por melhorar a digestão e o funcionamento do intestino, diminuem inflamações que podem impactar na saúde da pele.

Por outro lado, o especialista lembra para ficar longe de alimentos como pães, massas e biscoitos, que são ricos em carboidratos, um dos principais causadores de acne, inflamação e da glicação. Além disso, as frituras e produtos ultraprocessados também devem ser evitados por favorecer o envelhecimento da pele.

Fonte: Lucas Portilho – Consultor e pesquisador em Cosmetologia, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma e Pesquisador em Fotoproteção na Unicamp. Especialista em formulações dermocosméticas e em filtros solares. Diretor das Pós-Graduações do Instituto de Cosmetologia e Ciências da Pele Educacional, Hi Nutrition Educacional e Departamento de Desenvolvimento de Novas fórmulas. Atuou como Coordenador de Desenvolvimento de produtos na Natura Cosméticos e como gerente de P&D na AdaTina Cosméticos.

Queda de temperatura: prepare o corpo com estratégias nutricionais

As quedas de temperatura, que se iniciam com a chegada do inverno e se intensificam nos próximos meses, podem comprometer o equilíbrio do organismo, especialmente em relação ao sistema imunológico. Para evitar isso, torna-se necessária a adoção de estratégias que modulem o corpo antes da previsão do tempo mudar. A alimentação é uma forte aliada nesse aspecto, tendo em vista que o aporte adequado de vitaminas, minerais e fitoativos é eficaz no aumento das defesas imunológicas.

viver outonos

Formado por componentes específicos que sofrem influências de nutrientes, o sistema imune depende de um bom funcionamento do intestino, que possui alta associação com a chamada imunidade inata, responsável por defender o corpo contra infecções e resfriados agudos.

sementes-de-abobora-max-straeten
Foto: Max Straeten / Morguefile

Certos nutrientes, especificamente a glutamina, a arginina, os ácidos graxos essenciais e as fibras dietéticas (com destaque às prebióticas) são necessários para o crescimento e função normal das células presentes na mucosa intestinal e, consequentemente, das imunológicas. Para isso, a inclusão de cereais integrais, sementes, oleaginosas e leguminosas é recomendada.

Segundo Karla Maciel, nutricionista consultora da Naiak, os micronutrientes também devem ser ajustados na alimentação destinada aos preparos do corpo para o frio. Dentre eles, pode-se destacar o ferro, zinco, selênio, cobre, vitaminas C, E e D e as do complexo B, especialmente riboflavina (B2), ácido fólico e niacina (B3).

espinafre

Eles atuam como cofatores enzimáticos do sistema antioxidante endógeno, potencializando a ação das principais enzimas com esse papel de reduzir o estresse oxidativo. “É preciso ressaltar, ainda, que o ácido fólico, largamente presente em vegetais verde-escuros, favorece a síntese de glóbulos brancos, essenciais para otimizar a imunidade”, completa.

blueberry mirtilo pixabay
Pixabay

Um grupo de fitoquímicos que merece atenção quando se fala em imunidade são as catequinas e antocianinas, presentes no chá verde e frutas roxas, respectivamente. Estudos clínicos demonstram a capacidade destes compostos em atuar como imunomoduladores e antioxidantes, reduzindo os radicais livres que potencializam o desenvolvimento de doenças.

salmao_com_laranja

Por fim, um nutriente que deve ser listado é o ômega-3. Com alta capacidade em atuar como anti-inflamatório, o seu consumo por meio da alimentação e de suplementos de qualidade, é ideal para minimizar processos inflamatórios decorrentes das mudanças bruscas de temperatura.

Fonte: Karla Maciel – nutricionista consultora da Naiak – CRN 46500

Mulher: descubra os benefícios do ômega-3 para a saúde feminina

O ômega-3 é um ácido graxo poli-insaturado que atua na modulação do processo inflamatório de diversas doenças, desde as cutâneas até os casos mais graves, como o câncer. Uma dieta rica em ômega-3 pode auxiliar na prevenção dessas enfermidades e na redução do estresse oxidativo.

Especialmente para as mulheres, o consumo regular da substância melhora a qualidade de vida e traz maior bem-estar ao dia a dia. Segundo Renato Leça, médico nutrólogo e vice-presidente da Associação Médica Brasileira de Ortomolecular, o ômega-3 está associado ao progresso de principais problemas associados à saúde feminina. Abaixo, ele explica sobre algumas delas:

– Câncer de mama

cancer de mama
O câncer de mama é o tipo de neoplasia que mais afeta mulheres no mudo e ocorre através da proliferação desordenada de células mamárias. Segundo estudos, a suplementação com ômega-3 ajuda a prevenir tumores de mama. Enquanto nos países ocidentais o consumo da substância ainda está sendo difundido, nos países orientais este já faz parte dos hábitos alimentares da população.

– Doenças cardiovasculares

coração6
Em relação às doenças cardiovasculares, embora as mulheres sofram menos que os homens, esta ainda consiste na primeira causa de morte, por doenças crônicas, entre o sexo feminino. Um dos principais fatores que predispõem as mulheres às doenças do coração é a menopausa, fase em que a mulher perde parte da proteção conferida pelos hormônios. Nesse sentido, a suplementação com ômega-3 pode ajudar a prevenir a fibrilação ventricular (ritmo cardíaco com batimentos descompensados e acelerados), a morte súbita, melhorar o relaxamento endotelial e regular o ritmo cardíaco.

– Alterações hormonais

mulher calor fogacho menopausa
Tanto a TPM quanto a menopausa também podem ter seus efeitos atenuados com a ingestão de ômega-3, uma vez que os efeitos inflamatórios relacionados a essas condições seriam amenizados pela substância

Portanto, enriquecer a dieta com suplementos à base de óleo de peixe parece trazer resultados positivos para a saúde feminina.

Como escolher o ômega-3

suplemento omega 3

Uma questão importante na suplementação de ômega 3 é a escolha de cápsulas que facilitem o uso e a deglutição. OmegaPure e OmegaPure DHA, da Biobalance, são os suplementos com a maior concentração e alta pureza de ácidos graxos ômega-3 já registrados no Brasil. Além do teor superior a 90%, a linha OmegaPure apresenta zero colesterol, zero gorduras saturadas e zero gorduras monoinsaturadas.

A tecnologia gastrorresistente, aplicada à menor cápsula do mercado, assegura um maior conforto gástrico, porque impede refluxo com odor de peixe – uma queixa comum de quem consome ômega 3 em cápsulas convencionais. As cápsulas de tamanho reduzido são de fácil ingestão, permitindo seu consumo de forma confortável também por crianças e idosos.

Fonte: Renato Leça é professor de Oftalmologia e Coordenador das Disciplinas de Medicina Integrativa e de Nutrologia com Prática Ortomolecular da Faculdade de Medicina do ABC.

Dicas para não exagerar nas festas e manter uma alimentação sempre saudável

Tem muita gente que espera a virada do ano para cuidar da saúde. A famosa “listinha” de desejos e tarefas. Já outras culpam os grandes banquetes das festas de confraternização pelo excesso de peso.

É importante ter hábitos saudáveis o ano todo. Alimentação balanceada, regada por legumes, verduras, carnes grelhadas e carboidratos integrais, é essencial. Mas como não cometer exageros nesta época festiva?

Segundo a biomédica e professora Alessandra Morgado, especialista em Estética Ortomolecular, exceto pessoas com restrições médicas, ninguém deve abrir mão das deliciais especiais do Natal e do Ano Novo. Mas vale a reflexão durante as escolhas do que colocar no prato, por exemplo, que tal optar pela proteína, servir-se de pequena porção de carboidrato e que um dos dias trocar a sobremesa por uma fruta.

Além disso, encontrar a família e os amigos nesses eventos não é sinônimo de bebedeira, não é mesmo? O álcool traz malefícios para o organismo, porém, não deixe de brindar com uma taça de champanhe ou vinho na ocasião, se desejar. O vinho tem polifenóis, que auxilia muitas funções do nosso organismo.

“O equilíbrio é a base de tudo. O objetivo não é fazer uma dieta nessa época do ano, mas ter consciência para não ficar intoxicado em 2019. Os sintomas são muitos, como inchaço, enxaqueca e dores no corpo, por exemplo. Além dessas dicas, na hora das refeições, devemos nos hidratar com água e sucos naturais, que auxiliam também nesses dias de calor. E dá, sim, para preparar o corpo dias antes das festas do final do ano, retirando a cafeína, excesso de carne vermelha”, ressalta a biomédica.

Alessandra indica alguns alimentos para colocarmos em nosso dia a dia:

sardinha em oleo
Foto: Max Straeten / Morguefile

– Peixes – possuem nutrientes essências, além de antioxidantes. Dê preferência para os peixes de água fria (anchova, sardinha, atum, arenque, truta, salmão) pois são ricos fontes de ácidos graxos ômega 3).

oleaginosas castanhas
Pixabay

– Oleaginosas – fontes de vitamina E e selênio, que também são antioxidantes: castanhas, nozes, avelãs, amêndoas, amendoim. Mas cuidado, pequena porção já é suficiente, pois são muito calóricas.

mirtilo blueberrie morango framboesa frutas vermelhas

-Frutas vermelhas – morango, cereja, framboesa, amora, pitanga, melancia, tomate etc. pigmentos antioxidantes que combatem radicais livres.

manga

– Frutas e vegetais amarelos – fontes de betacaroteno, antioxidante que combate envelhecimento celular  e é encontrado na manga, mamão, pêssego, cenoura, abóbora etc.

Fonte: Alessandra Morgado é biomédica e especialista em Saúde Estética Ortomolecular

Ômega 3 ajuda a prevenir doenças de alto risco para as mulheres

Mulheres e homens são suscetíveis a determinadas doenças de maneiras diferentes. Segundo a Associação Americana de Alzheimer (Alzheimer’s Association), o risco estimado de desenvolver a doença de Alzheimer aos 65 anos é de 17,2% para mulheres e de 9,1% para homens.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) atesta que a cada homem com depressão, duas mulheres sofrem da patologia. Já a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular revela que a proteção feminina contra a aterosclerose, relacionada à produção do estrogênio, é perdida com a chegada da menopausa.

“A ciência já comprovou que o consumo de ômega 3, nutriente recomendado por nutricionistas e médicos, pode beneficiar a população feminina na prevenção e controle de doenças. Os ácidos graxos poli-insaturados ômega 3 previnem o acúmulo de gorduras saturadas no fígado, no sistema vascular e no tecido adiposo, exercendo uma função cardioprotetora, também reduzem processos inflamatórios no organismo, beneficiando o metabolismo e ainda atuam como neuronutrientes, adiando e amenizando processos neurodegenerativos”, afirma Maria Inês Harris, consultora científica da Biobalance.

omega-3-fatty-acids-benefits

Além destes males, no âmbito das condições que atingem exclusivamente a população feminina, como tensão pré-menstrual (TPM), problemas gestacionais e câncer de endométrio, pesquisas recentes demonstram que os ácidos graxos ômega 3 EPA (eicosapentaenóico) e DHA (docosahexaenóico) colaboram para a prevenção e controle dos fatores precursores dessas doenças.

Um estudo publicado pela Universidade de Navarra, por exemplo, mostrou que a ingestão de ômega 3 colabora para a manutenção do peso e prevenção da obesidade, um dos fatores de risco para o câncer endometrial. Outro trabalho, realizado com um grupo de gestantes que recebeu suplementação com Omega-3 DHA e que foi publicado na revista médica Obstetrics and Gynecology, revelou a redução em até 20% nos níveis de um hormônio relacionado ao estresse, o cortisol.

Além desse dado, segundo os pesquisadores, o aumento no aporte de ômega 3 DHA na corrente sanguínea de futuras mães, vem acompanhado de uma série de benefícios para a saúde das mesmas e de seus bebês, entre eles a diminuição do risco de um parto prematuro.

De acordo com outro trabalho, publicado no jornal Complementary Therapies in Medicine, o uso do lipídio em cápsulas pode diminuir tanto os sintomas físicos da TPM como os psíquicos, tais como como ansiedade, irritação, dificuldade de concentração, insônia, depressão, entre outros. Ele atua diretamente na função metabólica, inclusive a hormonal, melhorando-a. Assim, é possível observar uma diminuição do quadro depressivo e nos níveis de estresse das mulheres que utilizam o suplemento, com resultados que aumentam progressivamente conforme a duração do tratamento.

OmegaPURE e OmegaPURE DHA são os suplementos com a maior concentração e alta pureza de ácidos graxos ômega 3 já registrados no Brasil. Além do teor superior a 90%, a linha OmegaPURE apresenta zero colesterol, zero gorduras saturadas e zero gorduras monoinsaturadas. A tecnologia gastrorresistente, aplicada à menor cápsula do mercado, assegura um maior conforto gástrico, porque impede refluxo com odor de peixe – uma queixa bastante comum de quem consome ômega 3 em cápsulas convencionais. As cápsulas de tamanho reduzido são de fácil deglutição, permitindo seu consumo de forma confortável também por crianças e idosos.

Biobalance Natural Immune Support

shutterstock mulher suplemento omega
Shutterstock

A linha Biobalance visa promover saúde e bem-estar, por meio de produtos inovadores, naturais e de alta qualidade, que tenham por finalidade estimular as defesas naturais e o equilíbrio fisiológico do corpo humano. Suas linhas, encontradas nas grandes redes de farmácias, abarcam OmegaPURE e OmegaPURE DHA que têm a maior concentração de ômega-3 na menor cápsula do mercado, e EctoPURE, cremes calmantes de uso tópico que auxiliam na redução de processos inflamatórios da pele, sem o uso de corticoides.

Informações: Neutraceuticals – SAC: sac@biobalance-nutraceuticals.com ou 0800-771-8438

Mitos e verdades sobre o ômega 3

Todos os peixes são ricos em ômega 3? Gestantes precisam incluí-lo na dieta? A alimentação consegue suprir as necessidades do nutriente? Confira as respostas para essas e outras dúvidas

Quando se fala em gordura, é comum associá-la a algo negativo, como a gordura corporal, problemas no coração e obesidade. Aliás, gordura é um nome genérico usado em referência aos lipídeos, nutrientes essenciais para manutenção do bom funcionamento do organismo, devendo fazer parte do cardápio.

Por isso, vale conhecer os tipos de gordura e escolher as mais benéficas. Os ácidos graxos poli-insaturados da série ômega 3, por exemplo, auxiliam na saúde do coração, além de serem importantes durante a gravidez.

A gerente nutricionista do Núcleo Médico Científico do Aché Laboratórios Farmacêuticos, Anna Lacerda, esclarece os principais benefícios dessa “gordura do bem” e explica alguns mitos sobre o nutriente, ajudando a compreender a importância de inseri-lo na dieta alimentar.

Existe mais de um tipo de ômega 3?

Verdade: os principais representantes do ômega 3 são: ácido docosahexaenoico (DHA), ácido eicosapentaenoico (EPA) e ácido alfa-linolênico (ALA).

Todos os peixes são ricos em ômega 3?

salmão selvagem do pacífico - pixabay
Pixabay

Mito: a concentração de ômega 3 varia de acordo com a temperatura da água onde os peixes marinhos habitam. Aqueles que vivem em ambientes frios tendem a acumular mais gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, principalmente ômega 3, como o arenque, a sardinha, o salmão e o atum, entre outros.

O organismo humano não consegue produzir ômega 3?

Verdade: necessários em determinados processos biológicos, os ácidos graxos da série Ômega 3 devem ser adquiridos por meio da dieta alimentar, uma vez que os seres humanos não são capazes de produzi-los. Aliás, eles são denominados essenciais justamente por isso.

O único benefício do ômega 3 é a saúde cardiovascular?

eletrocardiograma saude coração pixabay

Mito: o principal benefício desse ácido graxo está relacionado ao coração, atuando na redução de triglicerídeos. Porém, por conter EPA e DHA, ele também está associado à melhora da sensibilidade à insulina e risco de diabetes tipo 2; ajuda no tratamento da depressão, aumentando a produção de serotonina, dopamina e noradrenalina; e ameniza os sintomas da artrite reumatoide, bloqueando as enzimas responsáveis pela inflamação.

Gestantes precisam incluir o ômega 3 na dieta?

Verdade: além de contribuir na redução do risco de nascimento de crianças prematuras e abaixo do peso, o ácido graxo participa na formação de neurônios, no crescimento e desenvolvimento do cérebro e no fortalecimento da retina dos bebês. Isso ocorre graças ao DHA, um dos representantes da série ômega 3.

A alimentação consegue suprir as necessidades de ômega 3?

mulher comendo peixe.jpg

Mito: o consumo de peixes pela população brasileira é baixo, atingindo em média, cerca de 9 kg/habitante/ano, sendo que a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura e a Organização Mundial da Saúde recomendam 12 kg/habitante/ano. Além disso, nem todos os peixes contêm as mesmas quantidades de ômega 3: de acordo com um estudo publicado pelos Arquivos Brasileiros de Cardiologia, da Sociedade Brasileira de Cardiologia, os peixes brasileiros e o salmão de cativeiro apresentam baixos teores dessa gordura. Portanto, a suplementação torna-se necessária para atingir os níveis ideais de ômega 3 no organismo, aproveitando todos os seus benefícios para a saúde. Vale destacar que especialistas recomendam o consumo de até 1 g de ômega 3 ao dia.

Todas as suplementações de ômega 3 são iguais?

Mito: a concentração adequada de ômega 3 (DHA e EPA) nos suplementos é importante para que se consuma a quantidade ideal do nutriente. No entanto, como a concentração nos suplementos disponíveis no mercado brasileiro varia, é preciso estar atento à quantidade de DHA e EPA na formulação de uma única cápsula. Por isso, não deixe de ler as informações nas embalagens e lembre-se de que é preciso tomar a suplementação diariamente.

Suplementações

Proepa Uni é um nutracêutico com 90% de ômega 3 concentrado EPA (500 mg) e DHA (400 mg) em apenas uma cápsula gelatinosa ao dia, auxiliando na manutenção de níveis saudáveis de triglicerídeos.

proepa uni

Já Proepa Gesta possui concentração de DHA de 250 mg atendendo a recomendação do nutriente para as gestantes. Sua administração é recomendada também durante a amamentação, já que o nutriente será ingerido pelo bebê por meio do leite, e para mulheres que planejam engravidar, para que possam ter reservas adequadas do nutriente.

O consumo de ácidos graxos ômega 3 auxilia na manutenção de níveis saudáveis de triglicerídeos, desde que associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Fonte: Aché