Arquivo da tag: orgânico

Por que vinhos orgânicos são mais caros?

Cada vez mais em voga no Brasil, vinhos orgânicos acabam tendo um preço mais elevado, mas entregam uma experiência única ao consumidor

Produtos orgânicos estão cada vez mais em voga. Ao ir a um supermercado, por exemplo, é cada vez maior a oferta desse tipo de produto, que traz muitos benefícios por ser cultivado dentro de uma cadeia mais sustentável.

Esse movimento também está muito presente no mundo dos vinhos. São mais e mais rótulos que chegam ao mercado brasileiro de vinhos e que são produzidos com uvas orgânicas e por processos muito mais naturais, com ausência de conservantes e produtos químicos sintéticos que tanto prejudicam a saúde do ser humano.

A cadeia de produção de uma vinícola orgânica

O professor e sommelier Jonas Martins, gerente da MMV Importadora, explica um pouco como funciona a produção de vinhos em uma vinícola orgânica.

“Normalmente as vinícolas orgânicas são menores que as vinícolas tradicionais, e os processos de plantio, colheita e produção do vinho são muito mais artesanais, com ausência de máquinas e produtos químicos que facilitam o processo”, explica o professor.

Ele dá o exemplo dos vinhos Barril por Barril, da Paso a Paso Wines, produzidos pelos enólogos e agrônomos Norberto Páez e Sebastián Bisole. Os dois amigos literalmente “garimpam” antigos vinhedos, alguns centenários, e arrendam essas terras para a produção de vinhos. São pequenos produtores que, a partir de processos orgânicos, produzem vinhos muito especiais e marcantes, que chegam ao Brasil via MMV Importadora.

O Barril por Barril Skin Contact, por exemplo, é um vinho laranja produzido a partir de uvas brancas que fermentam com suas cascas, o que confere um sabor mais pegado e estruturado. Apesar de ter um aroma alegre e vivaz, é um vinho branco mais “pesado” que surpreende pela adstringência à boca.

Já o Barril por Barril Cabernet Franc, uva que tem ganhado bastante destaque no Brasil e Uruguai, é um tinto de corpo médio. O rótulo da garrafa chama a atenção pela beleza, pois conta todo o processo natural de produção do vinho em imagens. O vinho é certificado com selo de vinhos naturais.

Um dos grandes desafios da vinícola é a produção do Barril por Barril Pinot Noir, já que esta uva é de difícil cultivo mesmo com processos mais industrializados. Porém, todo o trabalho “extra” é recompensado com um vinho de presença singular, sendo um dos únicos existentes no mercado nacional.

Benefícios dos vinhos orgânicos

Martins ressalta que além de ser um produto natural e livre de conservantes, os vinhos orgânicos geram uma cadeia muito mais sustentável para todo o sistema de produção.

“Vinícolas orgânicas buscam uma harmonia muito maior com o ecossistema. Além de gerar menos desperdício, como, por exemplo, os barris, que podem ser utilizados por até 7 anos; o não uso de produtos químicos é um benefício ao meio ambiente”. Martins explica que, em uma vinícola tradicional, um barril não é utilizado por mais de 3 anos.

Outra vantagem é que, por não haver conservantes, os efeitos colaterais diminuem, como a velha e conhecida “dor de cabeça” no dia seguinte, caso haja um pouco de exagero no consumo do vinho.

Porém, por conta dessa forma mais “natural” de produção, existe um “preço” a se pagar. Assim como outros tipos de produtos, os vinhos orgânicos costumam ser mais caros. O consumidor certamente nota isso, seja em restaurantes e bares ou mesmo em lojas de vinhos ou supermercados, e existem alguns fatores que justificam o preço mais elevado.

Por esta razão a MMV sempre acaba “garimpando” vinícolas que possam oferecer produtos mais em conta. O Barril por Barril Grand, produzido com a uva branca Sémillon, chega ao cliente por um preço na casa dos 250 reais. Alguns rótulos orgânicos de guarda podem chegar a custar até 2 mil reais a garrafa.

Isso se aplica ao Barril por Barril Cabernet Franc, que é um vinho especial vinificado em ovo de concreto, o que faz com que não exista a necessidade de abrir o tanque durante a fermentação ou durante o processo de remontagem. Este vinho envelhece por três anos e chega ao consumidor por 300 reais.

“Sabemos que uma garrafa de vinho de 300 reais é um pouco cara dado o nosso contexto econômico atual, mas em virtude da qualidade do produto e do potencial dele, acaba sendo um investimento válido para quem quiser apreciar um produto exclusivo”, finaliza o sommelier.

Linha Multigrãos é novidade da Quaker

As novas versões Mix de Grãos e Granola são opções certeiras para um cardápio mais nutritivo

Uma alimentação balanceada e nutritiva é essencial para fortalecer e manter o bom funcionamento do organismo. Por isso, de olho nas necessidades dos seus consumidores e em seus novos hábitos de alimentação, Quaker lança a linha Multigrãos, nas versões Mix de Grãos e Granola – este último nos sabores cranberry/ maçã e banana/ maçã. Ambos os produtos são ideais para consumo com frutas, iogurte, leite, açaí, ou em complemento a outros lanches diários.

Os novos produtos da linha chegam neste contexto em que o consumidor preza cada vez mais por um estilo de vida balanceado. “Passando mais tempo em casa, os consumidores têm uma oportunidade de ter mais controle do que consomem e de como compor o cardápio diário. Assim como os outros produtos Quaker, os dois lançamentos chegam para somar versatilidade, sabor e nutrição para diferentes momentos de consumo, seja no café da manhã com frutas, no lanchinho com iogurte ou numa tigela de açaí de sobremesa”, comenta Cecília Dias, diretora de Marketing da PepsiCo Brasil Alimentos.

Nesse contexto, alimentos como os cereais integrais podem contribuir com uma grande variedade de nutrientes. A aveia, em especial, é conhecida pela sua alta concentração de fibras solúveis – as chamadas betaglucanas, que podem ajudar no controle e redução do colesterol. Além disso, é uma aliada para o bom funcionamento do intestino e pode contribuir para promover a sensação de saciedade.

Quaker Multigrãos Mix de Grãos, é composto pela aveia integral orgânica em flocos, flocos de cevada, centeio, e ganham um toque de textura e sabor com a presença da castanha de caju e da maçã desidratada. Essa mistura de ingredientes entrega proteína, fibras e minerais e é uma ótima oportunidade para enriquecer seu café da manhã, lanche ou até mesmo para incluir nas suas receitas.

Já Quaker Multigrãos Granola permite aos consumidores explorar sabores de Quaker em novas formas de consumo. O produto possui selo orgânico e também é composto pela aveia integral, flocos de arroz e milho, castanha e frutas secas e é também uma excelente opção para compor um cardápio nutritivo e equilibrado

A campanha de lançamento de Quaker Multigrãos, nas versões Mix de Grãos e Granola, contará com peças e ações diferenciadas nas redes sociais da marca, nos pontos de venda, além dos canais de e-commerce.

Além disso, para gerar experimentação nos consumidores, Quaker Multigrãos estará com uma campanha de Cash&Back no valor de até R$ 20,00 em créditos na compra de qualquer item da nova linha. A mecânica é muito simples! Após comprar qualquer produto da linha, o consumidor precisará apenas cadastrar a nota fiscal no site e receber 100% do dinheiro da sua compra de volta, em crédito, pelo App RecargaPay. A experiência estará disponível até dia 31 de agosto.

Os novos produtos serão comercializados, primeiramente, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. Quaker Multigrãos Mix de Grãos está disponível na versão 148g, com preço médio sugerido de R$ 6,99; e Quaker Granola Multigrãos, na versão de 250g, com preço médio sugerido de R$ 13,99.

*Referente apenas aos produtos da linha Quaker Multigrãos participantes. Limitado ao valor de R$ 20,00 e a no máximo 2 produtos por CPF. Promoção válida até 31 de agosto de 2021.

Fonte: PepsiCo

Delivery de cestas orgânicas: veja onde fazer a sua encomenda em São Paulo

Confira a seleção de cinco lugares que trabalham com a entrega de frutas, verduras, legumes e produtos não perecíveis

Em época de isolamento social quando a recomendação é sair de casa em casos de extrema necessidade, precisamos ter alternativas saborosas para continuar mantendo uma alimentação mais saudável. A entrega de cestas orgânicas com frutas, verduras, legumes e produtos não perecíveis pode ser uma ótima alternativa para continuar mantendo a quarentena e, consequentemente, evitar novas contaminações. A seguir, você encontra algumas opções que podem ser entregues em São Paulo.

SABT-photoshoot-2

A Boa Terra (@aboaterra)
Perto de completar 40 anos, o Sítio A Boa Terra sempre fez sucesso por ser pioneiro na produção e entrega de produtos orgânicos na porta de casa. É possível solicitar a entrega pelo site ou por mensagem no WhatsApp de cestas com verduras, legumes, frutas, laticínios e até itens de mercearia, são mais de 250 opções. Além da produção orgânica própria, o lugar possui parceria com diversos produtores também orgânicos para deixar a cesta ainda mais completa. O cliente pode personalizar a sua entrega, optar por uma das sugestões de cestas da semana ou fazer uma assinatura. O Sítio A Boa Terra fica meio no caminho das cidades de Casa Branca e Itobi, no estado de São Paulo, próximo à divisa com Minas Gerais. As entregas ocorrem na grande São Paulo, Ribeirão Preto, Holambra, Vargem Grande do Sul, Casa Branca, São José do Rio Pardo e Itobi.
Informações: WhatsApp (19) 99169-7729 ou organico@aboaterra.com.br.

Raizs (@raizsorganicos)
É uma plataforma que comercializa produtos orgânicos cultivados por pequenos produtores. Pelo site, o cliente pode escolher o que mais agrada entre verduras, legumes, frutas, ovos, queijo, manteiga e produtos não perecíveis. É possível obter uma assinatura com entregas semanais ou quinzenais. A preferência por alimentos deve ser indicada no início da compra, já que as entregas são personalizadas e atendem o gosto particular de cada um, sempre respeitando o que colhido na semana pelas famílias que trabalham com a empresa. Informações no site.

Santa Julieta Bio (@sta_julieta_bio)
A Fazenda Santa Julieta produz incentiva a economia compartilhada, já que as entregas são planejadas para grupos de consumidores em determinados pontos da cidade e dias pré-acordados da semana. Entre os pontos de entrega estão o Restaurante Mocotó na Vila Medeiros às segundas e quintas-feiras; a Escola Quintal do João Menino na Vila Madalena às segundas-feiras; e a região da Vila Olímpia, às segundas também. Informações: e-mail no tanaepoca@stajulieta.bio ou no site.

sabt-site-fotos-6

Santa Adelaide Orgânicos (@santa_adelaide_organicos)
A Fazenda Santa Adelaide produz e oferece entregas semanais de cestas médias ou grandes com produtos frescos da estação. O lugar com 15 hectares produz em média 80 tipos de verduras e legumes no decorrer de um ano. Entre eles, destaque para o brócolis romanesco, couve-flor roxa e a beterraba amarela que, por serem orgânicas, oferecem um sabor impecável. Informações: santa.adelaide.organicos@gmail.com

Site dos Orgânicos
No Site dos Orgânicos, o cliente pode realizar uma assinatura mensal ou escolher entre oito tipos de cestas recheadas com legumes, verduras e frutas. Há também a opção de itens de mercearia, como sucos, grãos laticínios, ovos e carnes que podem deixar o cardápio ainda mais rico em vitaminas e nutrientes. As entregas acontecem às terças, quintas e sábados. Informações no site.

Importante lembrar que, quanto mais colorida uma refeição, maior a variedade de nutrientes, vitaminas, minerais e fibras. Aplique isso à sua rotina sempre que possível para manter a saúde mais equilibrada.

Sobre A Boa Terra

fotos-cedo-SABT-3

O Sítio A Boa Terra é um dos pioneiros na agricultura orgânica no Brasil e na entrega de cestas orgânicas na porta de casa. Em 1981 os fundadores Joop e Tini seguiram o sonho de uma sociedade mais justa e uma agricultura também mais justa, mais em equilíbrio com a natureza, com o homem que produz e que se alimenta da terra. Tudo isso em uma época que a grande maioria das pessoas não sabia, nem nunca tinha ouvido falar o que era um alimento orgânico. Atualmente, centenas de famílias são atendidas por semana na grande São Paulo, Ribeirão Preto e algumas cidades mais próximas ao Sítio.

Dia Mundial do Veganismo: cresce mercado de cosméticos sem ingredientes de origem animal

1º de Novembro é o Dia Mundial Veganismo que movimenta um mercado que cresce 40% ao ano; setor de cosméticos veganos é um dos que mais se expande

Cresce no mundo todo o mercado de “cosméticos do bem”, com destaque para os veganos, sustentáveis, naturais e orgânicos, que devem atingir US$ 25,11 bilhões até 2025, de acordo com relatório da Grand View Research. Mais especificamente sobre o movimento vegan, ou vegano, que vem ganhando cada vez mais espaço na sociedade brasileira, ele se caracteriza pelo modo de vida que procura excluir todas as formas de exploração e crueldade com animais para alimentação, vestuário ou qualquer outro propósito, como os cosméticos.

Embora ainda não haja dados precisos sobre o número de veganos no Brasil, algumas marcas começam a renovar seu arsenal de produtos, com a finalidade de torná-los 100% veganos. Esse é o caso da Pharmapele, rede de farmácias de manipulação, com 31 anos de experiência em medicamentos personalizados e cosméticos de tratamento.

De acordo com a pesquisa do Ibope Inteligência, realizada em abril de 2018, 14% dos brasileiros se declaram vegetarianos, o que representa cerca de 30 milhões de pessoas. Dado esse número, especialistas estimam que, em uma projeção conservadora, haja cerca de 7 milhões de veganos no Brasil. O veganismo movimenta um mercado que cresce 40% ao ano no Brasil, e os cosméticos veganos brasileiros ganharam bastante visibilidade nesse contexto.

Segundo a farmacêutica Luisa Saldanha, CEO da Pharmapele, a preocupação da marca vai além do crescimento de mercado e tem relação com a filosofia da empresa: “Hoje 90% dos nossos produtos são veganos. A ideia da Pharmapele é atingir a totalidade e se consolidar como uma empresa referência em produtos que não utiliza matérias-primas de origem animal”.

Porém, para que não haja confusão em frente às prateleiras, é necessário entender a diferença entre os produtos veganos, orgânicos, naturais e cruelty free, como explica Luisa:

cosmetico_flores_organico_natural

Cosméticos orgânicos: “Também conhecido como sustentável, o cosmético orgânico é aquele que tem um baixo impacto ambiental, e, para ser considerado orgânico, o cosmético deve ser certificado por órgãos específicos. Para isso, o cosmético precisa que 95% do total das matérias primas presentes no produto sejam orgânicas e os outros 5% devem ser matérias primas permitidas em cosméticos orgânicos.”

cosmeticos_Veganos

Cosméticos veganos: “Cosméticos veganos são aqueles que não possuem nenhum ingrediente de origem animal e também não são testados em animais. Os cosméticos veganos não precisam nem conter ingredientes orgânicos ou vegetais, podem até mesmo ter em sua formulação componentes sintéticos, desde que nada em sua composição seja derivado de animais.”

Cruelty-Free2_grande

Cosmético Cruelty-Free: cosmético livre de crueldade, ou seja, é aquele produto que não é testado em animais.

Segundo a farmacêutica, diferente do que muitas pessoas pensam, a eficácia dos cosméticos veganos e orgânicos é a mesma de produtos convencionais. O que realmente muda é o preço, principalmente em produtos orgânicos, já que as matérias primas orgânicas certificadas tendem a ser mais caras, o que acaba impactando no preço do produto final.

“O custo de produção de um produto vegano pode ser até dez vezes superior ao custo de produção de um convencional, já que existe menos oferta de matéria-prima vegana no mercado que proporcione os mesmos resultados dos convencionais. Assim, muitas vezes é necessário fazer associações de ingredientes para alcançar o resultado desejado. Além disso, o processo de certificação é um trabalho longo e demanda um investimento alto”, explica a farmacêutica. “Mas só o fato de banir ingredientes de origem animal já é um avanço muito grande”, finaliza a farmacêutica.

Confira alguns lançamentos de cosméticos veganos da Pharmapele:

mAscara_de_nutriCAo_profunda_com_ouro

Máscara de Nutrição Profunda com Ouro e Ácido Hialurônico: a máscara vegana de ouro, da Pharmapele, estimula a produção de colágeno e melhora o contorno facial, reestruturando a pele e aumentando a sua firmeza e elasticidade. Enriquecida com Ácido Hialurônico de baixo peso molecular, atinge as diversas camadas da pele, proporcionando preenchimento de rugas, renovação celular e alto poder de hidratação com efeito prolongado. Possui ação anti-idade e nutre intensamente, conferindo vitalidade, viço e aspecto jovem.

sos_reparacao___shampoo

S.O.S Reparação – Shampoo: com propriedade reparadora biomimética, o Shampoo SOS Reparação da Pharmapele possui perfeita afinidade com os fios, proporcionando ação multi reconstrutora. Ideal para cabelos ressecados ou danificados por processos químicos e agressões externas que provocam ressecamento, quebra dos fios e perda de nutrientes vitais. Limpa e remove as impurezas delicadamente, sem agredir a saúde capilar.

371490_916974_sobrancIlios.jpg

Crescimento de sobrancelhas e cílios – dermatologicamente e oftalmologicamente testado, o Sobrancílios é um bioserum fortalecedor natural, suave e seguro, que nutre o folículo capilar, ativa e acelera o crescimento natural dos cílios e sobrancelhas, tornando-os mais longos, volumosos e minimizando as falhas.

Informações: Pharmapele 

Receita de geleia nutritiva com apenas dois ingredientes

Semente de Chia e suco de Uva orgânico compõe o doce

Já é comprovado cientificamente que a Chia é uma semente rica em Ômega 3, que auxilia no emagrecimento, pois ajuda a regular o trânsito intestinal e ajuda na redução da fome, pois prolonga a sensação de saciedade por ser rica em fibras.

Quando acrescida a água, sucos, iogurtes e outras misturas aquosas, ela chega a expandir em até 12 vezes o seu tamanho, preenchendo o estômago e reduzindo a vontade de comer.

E, é por esta característica também que é capaz de produzir uma deliciosa e nutritiva geleia sem a necessidade de cozimento ou outro preparo mais específico. Quando em contato com a água, a casca que reveste esta semente, por ser mais flexível e composta de fibras solúveis, transforma-se em um gel, proporcionando esta textura gelatinosa.

Fácil e rápida, esta receita elaborada em parceria com a culinarista Maviane Chiapetta, leva apenas dois ingredientes e fica muito saborosa e espessa. Veja a seguir:

Geleia de Chia Herbal Nutrition

geleia chia 1.jpg

Ingredientes
– 200ml de suco de uva orgânico e integral
– 3 colheres (sopa) de Chia Herbal Nutrition

Modo de fazer
Misture bem, cubra com papel filme e deixe na geladeira de um dia para outro.

geleia chia

Esta iguaria muito nutritiva acompanha pães, torradas, panquecas, crepes, iogurtes, molhos de saladas e frutas. Pode ser consumida no café da manhã, da tarde, almoço ou jantar. Basta usar a criatividade.

Chia Herbal Nutrition

A semente de chia é originada da planta Sálvia hispânica. Nela são encontrados ácidos graxos poli-insaturados essenciais, fibras, proteínas e outros nutrientes.

semente-de-chia

Embalagem Stand Pouch, abre e fecha, com 200g
0% de Gorduras trans – Ômegas 3 e 6 – Rica em fibras
Alérgicos: Não contém Glúten, sem Lactose
Zero Colesterol, Vegano

Valor sugerido R$ 10,90

Fonte: Herbal Nutrition

 

Marca brasileira desenvolve versão plant based de pão de queijo

Monama lança o Revolucionário Pão de Queijo Vegano

Mockup-Pao-de-Queijo

Monama, empresa brasileira de alimentos verdadeiramente saudáveis, lançou recentemente o Revolucionário Pão de Queijo Vegano. Feito apenas com ingredientes naturais e de origem vegetal, a novidade possui sabor e textura iguais à tradicional receita mineira de pão de queijo.

Para chegar a um impressionante resultado, a marca contou com uma equipe de especialistas dedicada 100% ao projeto. Após meses de testes, o Revolucionário Pão de Queijo Vegano surgiu agradando diversos paladares, até mesmo daqueles que não são veganos.

pao de queijo

Um dos segredos da similaridade à versão tradicional é o nutritional yeast. O novo alimento é uma levedura nutricional com sabor semelhante ao queijo parmesão, capaz de oferecer os nove aminoácidos essenciais para o corpo.

Além disso, a consistência do Revolucionário Pão de Queijo Vegano foi projetada para que ficasse perfeita, sem perder aquele famoso “puxadinho” do alimento. A novidade também é clean label, ou seja, só usa ingredientes naturais e fáceis de serem identificados no rótulo.

O Revolucionário Pão de Queijo Vegano da Monama é orgânico e não contém queijo, glúten, leite, ovos e nem manteiga. O produto é temperado apenas com azeite de oliva extravirgem, sal do Himalaia e nutritional yeast.

pao de queijo monama

Tamanho: cada pacotinho contém 400g
Preço sugerido: R$ 17,50

Onde encontrar: Monama

Especialista dá dicas de hábitos e ingredientes para um cardápio saudável

É notável que a relação de muitos brasileiros com a alimentação tem mudado muito nos últimos anos. A busca por um estilo de vida mais saudável e a preocupação com a procedência dos alimentos ingeridos no dia a dia tem se tornado cada vez mais evidente, dando um espaço cada vez maior para o consumo de produtos naturais e orgânicos e para a adoção de práticas mais sustentáveis na hora de cozinhar.

Pensando nisso, o chef Renato Caleffi, responsável pelo renomado restaurante paulista Le Manjue, e professor no Curso de Especialização Cuisine Santé do Centro Europeu, uma das principais escolas de gastronomia do país, apontou alguns hábitos indispensáveis para ele no cotidiano da profissão e que tornam o preparo diário das refeições mais saudável e natural.

Pioneiro na aplicação, gestão e consultoria da gastronomia saudável e orgânica no Brasil, o chef garante que um dos costumes fundamentais para um cardápio com menos elementos prejudiciais à saúde é o uso de alimentos orgânicos. “Alimentos que foram cultivados com recursos mais naturais, sem o uso de fertilizantes artificiais ou pesticidas, são sempre a melhor opção para a qualidade do prato, para a saúde do consumidor e para o meio ambiente”, afirma.

organicos

Além disso, usar o mínimo de produtos industrializados também faz toda a diferença. “O ideal é montar e preparar as receitas com o máximo de ingredientes frescos, deixando os industrializados e segundo plano, como por exemplo substituir o molho de tomate pronto embalado, por um caseiro feito na hora com tomates frescos”, explica Renato Caleffi.

oleaginosas pixabay
Pixabay

Outra dica que agrega saúde e sustentabilidade ao cardápio é substituir as fontes de proteína de origem animal por opções menos agressivas ao meio ambiente*. “As opções alternativas a carne estão cada vez mais acessíveis, basta pesquisar e encontrar novas fontes de proteína e sabores que encaixe melhor em cada dieta”, comenta o especialista.

mel polen pixabay

O aproveitamento total dos alimentos também é essencial para quem preza por um estilo vida saudável. “É muito pertinente praticar o hábito de aproveitar o alimento em sua totalidade, buscando formas e receitas de utilizar também a casca e o caroço, não somente a polpa”, declara.

Além dos hábitos e formas de preparo, alguns ingredientes também podem adicionar mais sabor e saúde as refeições feitas na cozinha de casa, como o mel de abelha nativa e o vinho natural. Para finalizar o chef Renato Caleffi aponta qual é o ingrediente indispensável para ele em grande parte das receitas de casa e do restaurante.

biomassa banana verde shutterstock
Shutterstock

“Sem dúvida, o que não pode faltar é a biomassa de banana verde, que além de funcional oferece inúmeros benefícios para o organismo, como controlar a glicemia, reduzir o colesterol e melhorar o funcionamento intestinal e fortalecer a imunidade”, completa o especialista.

*Dicas para substituir a proteína animal:

Operação Carne Fraca: como substituir a carne animal sem perder as proteínas
Não quer mais comer carne? Veja opções para substituir
Para um mundo mais sustentável, é preciso diminuir o consumo de carne
Cinco substitutos da carne para incluir no cardápio

Aprenda a cultivar seus próprios temperos em casa

Precisa fazer o almoço e acabaram os temperos da cozinha? Que tal passar na horta de casa ao invés do mercado? Os temperos estão entre os itens mais importantes da culinária. Você pode escolher a entrada mais saborosa, a mistura mais cara e o acompanhamento mais chique, se a comida estiver sem tempero, então não tem graça.

Desde crianças, nós vemos nossas avós, mães e tias preparando a comida e já podemos entender como os temperos são fundamentais. Não é à toa que elas diziam que a comida precisa “pegar gosto” antes de ser preparada.

Os lugares mais comuns que nós vamos para garantir os temperos são o mercado, açougue, feira livre, sacolão ou hortifruti. Não tem nada de errado nisso, mas já pensou que máximo ter tudo o que precisamos em casa?

Para que isso seja possível, basta fazer uma hortinha e cultivar seus próprios temperos. Com todo o respeito aos grandes fabricantes de condimentos, nada se compara a um tempero natural e colhido na hora.

Abaixo, um passo a passo bem simples para que você também possa fazer uma horta incrível em casa e nunca mais precisar sair, enfrentar o trânsito e a fila do caixa para poder renovar os seus temperos.

Passo a Passo – Como Fazer Uma Horta em Casa

Fique tranquila, pois o plantio é muito mais fácil do que pode parecer. Não é nem preciso ser um profissional da área: é só ter algumas ferramentas manuais para poder fazer o que precisar. Depois de aprender todos os passos, você vai se perguntar por que demorou tanto para começar a fazer sua horta.

1 – Escolha um recipiente ou espaço

horta_2

Muita gente pensa que é preciso ter um jardim imenso para conseguir começar uma horta, e isso não é verdade. Espaços pequenos também podem receber as plantas, como casas menores e até apartamentos. Caso você tenha espaço livre em sua casa, como um jardim ou uma área verde, então pode preparar a terra aí mesmo e começar a sua horta. Espaço em excesso jamais será um problema. Porém, mesmo que o espaço seja limitado, você ainda pode plantar uma horta bem bacana em vasos, caixas de madeira, floreiras ou jardins verticais, que estão super em alta, principalmente para apartamentos. O mais importante não é nem o espaço, mas sim que o local receba luz direta do sol, que é fundamental para todas as plantas, ainda mais para as que são cultivadas em hortas. Logo, basta ter um espaço, seja maior ou menor, e pronto: você já pode começar seu projeto de horta. Ah, e não se esqueça de garantir que os recipientes contam com furinhos na parte de baixo, para que ele não acumule água no fundo e estrague as raízes das plantas.

2 – Prepare a terra

horta_foto_brenda amaral (4)
Foto: Brenda Amaral

Se você já tem um espaço com terra, então deixe-a bem fofinha, para poder receber as mudas e garantir que a água e os nutrientes possam fluir bem por ela. A saúde das plantas agradece. No caso de espaços ou recipientes novos, o ideal é colocar pelo menos 30 cm de terra, suficiente para cultivar a maioria das espécies de uma horta. Assim, a raiz tem espaço para crescer e se desenvolver. Porém, a terra precisa ser tratada e adubada, pois, caso contrário, as plantas não encontrarão os nutrientes que precisam para crescer e tendem a morrer, ou a não crescerem muito e ficarem bem pequenas e mirradas. Para não errar na hora de escolher o adubo, vá até uma loja especializada em jardinagem e diga que você quer plantar uma horta. Além de te indicar o melhor produto, eles ainda te explicarão como deve ser feita a adubação. Via de regra, o adubo é misturado na terra, na proporção que estiver na embalagem do produto ou de acordo com a recomendação do vendedor. Assim, a terra terá todos os nutrientes que as plantinhas precisam para crescer bem.

3 – Escolha os temperos

mudas e sementes

Agora chegou a parte mais gostosa, de escolher os temperos que estarão presentes na sua horta. Você pode ir em uma loja de jardinagem ou até mesmo em supermercados e escolher as suas sementes de temperos, que são a alternativa mais simples para o plantio. Essa, inclusive, é uma opção mais prazerosa, já que você verá o desenvolvimento desde o início: de uma pequena semente, ela se transformará em uma plantinha que deixará sua casa mais linda e a comida ainda mais saborosa.
São várias as espécies de temperos que você pode encontrar em saquinhos de sementes, e algumas das mais comuns são orégano, tomilho, manjericão, salsa e cebolinha. A hortelã também costuma fazer parte das hortas, mas ela deve ser plantada, de preferência, em um vasinho separado, já que ela precisa de espaço. Suas raízes crescem bastante e podem absorver todos os nutrientes das outras plantas.
Todas as instruções para o plantio aparecem na embalagem das sementes, mas, basicamente, você só precisa plantar em solo adubado, regar e aguardar até que elas cresçam. Com certeza, você se sentirá encantado com o poder da natureza e ficará feliz conforme a planta cresce. Além de sabor e decoração, cuidar de plantas também pode ser considerado como uma terapia, de tão relaxante que é!

4 – Colha e aproveite

jardim vertical ervas sirgreen pixabay
Foto: Sirgreen/Pixabay

Depois de esperar pelo tempo necessário e tomar os cuidados recomendados, é só desfrutar de sua horta em casa e preparar refeições ainda mais saborosas e práticas!
Além de ser muito mais simples encontrar tudo que precisa para temperar os alimentos na sua casa, não tem nada igual a poder sentir o aroma das plantas tomando conta da sua casa.

Vantagens de ter uma horta em casa

Como se não bastasse ser tão gostoso cuidar das plantinhas e vê-las crescer, fazer uma horta em casa tem várias vantagens. Confira algumas das principais:

horta dtl
Foto: Morguefile/DTL

-Os condimentos serão 100% naturais, sem a presença de agrotóxicos ou substâncias perigosas.
-O sabor dos temperos é muito melhor quando eles são colhidos na hora, e sua comida ficará ainda mais gostosa.
-Você também conseguirá economizar bastante com a sua hortinha, já que não terá que comprar todos os condimentos, que muitas vezes são caros – mais do que as próprias sementes.
-O crescimento das plantas é relativamente rápido: a cebolinha, por exemplo, pode ser colhida em um mês.
-A horta também pode ser considerada como uma decoração para a sua casa, já que ela ficará mais leve e agradável.
-O aroma dos temperos fica mais gostoso à medida em que eles crescem mais, e sua casa ficará com um cheirinho natural inconfundível.

Tenha a hortinha mais linda em sua casa

horta

Com certeza, depois de ter os temperos direto em sua casa, você não vai mais nem querer saber de condimentos prontos, já que o sabor nem se compara, além de ser uma solução mais econômica e ambientalmente correta.

Não é necessário nenhum conhecimento de especialista para esse plantio, e você pode fazer tudo sozinho. É claro que precisará de algumas ferramentas manuais, como pás, regadores e mangueiras, que também são muito simples de usar.

Por isso, não perca mais tempo: escolha todas as sementes que você quiser plantar, compre o que precisar em uma loja de ferramentas e tenha uma horta incrível em sua casa.

Fonte: Nakao

Dicas de hábitos e ingredientes para um cardápio saudável e saboroso

Professor do curso de Cuisine Santé do Centro Europeu de Curitiba, Renato Caleffi mostra como tornar a alimentação do dia a dia mais saudável

É notável que a relação de muitos brasileiros com a alimentação tem mudado muito nos últimos anos. A busca por um estilo de vida mais saudável e a preocupação com a procedência dos alimentos ingeridos no dia a dia tem se tornado cada vez mais evidente, dando um espaço cada vez maior para o consumo de produtos naturais e orgânicos e para a adoção de práticas mais sustentáveis na hora de cozinhar.

comida_saúde legumes

Pensando nisso, o chef Renato Caleffi, responsável pelo renomado restaurante paulista Le Manjue e professor no Curso de Especialização Cuisine Santé do Centro Europeu, uma das principais escolas de gastronomia do país, apontou alguns hábitos indispensáveis para ele no cotidiano da profissão e que tornam o preparo diário das refeições mais saudável e natural.

Pioneiro na aplicação, gestão e consultoria da gastronomia saudável e orgânica no Brasil, o chef garante que um dos costumes fundamentais para um cardápio com menos elementos prejudiciais à saúde é o uso de alimentos orgânicos. “Alimentos que foram cultivados com recursos mais naturais, sem o uso de fertilizantes artificiais ou pesticidas, são sempre a melhor opção para a qualidade do prato, para a saúde do consumidor e para o meio ambiente”, afirma.

Além disso, usar o mínimo de produtos industrializados também faz toda a diferença. “O ideal é montar e preparar as receitas com o máximo de ingredientes frescos, deixando os industrializados e segundo plano, como por exemplo substituir o molho de tomate pronto embalado, por um caseiro feito na hora com tomates frescos”, explica Caleffi.

Outra dica que agrega saúde e sustentabilidade ao cardápio é substituir as fontes de proteína de origem animal por opções menos agressivas ao meio ambiente. “As opções alternativas à carne estão cada vez mais acessíveis, basta pesquisar e encontrar novas fontes de proteína e sabores que encaixe melhor em cada dieta”, comenta o especialista.

comida_ alimentacao prato

O aproveitamento total dos alimentos também é essencial para quem preza por um estilo vida saudável. “É muito pertinente praticar o hábito de aproveitar o alimento em sua totalidade, buscando formas e receitas de utilizar também a casca e o caroço, não somente a polpa”, declara.

Além dos hábitos e formas de preparo, alguns ingredientes também podem adicionar mais sabor e saúde as refeições feitas na cozinha de casa, como o mel de abelha nativa e o vinho natural. Para finalizar o chef Renato Caleffi aponta qual é o ingrediente indispensável para ele em grande parte das receitas de casa e do restaurante.

biomassa banana verde shutterstock

“Sem dúvida, o que não pode faltar é a biomassa de banana verde, que além de funcional oferece inúmeros benefícios para o organismo, como controlar a glicemia, reduzir o colesterol e melhorar o funcionamento intestinal e fortalecer a imunidade”, completa o especialista.

Fonte: Centro Europeu

Descubra benefícios da compostagem e como fazer uma composteira em casa ou apartamento

Produção de fertilizante orgânico, redução na emissão de gases poluentes e destinação adequada de resíduos, são algumas das vantagens da utilização de lixo doméstico como adubo

A quantidade de lixo produzida e descartada em locais inapropriados, é um dos mais graves problemas ambientais brasileiros. A Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais) estima que em 2016, cada brasileiro produziu 377 kg de lixo, resultando em cerca de 80 milhões de toneladas de resíduos sólido.

O estado de São Paulo é o campeão nacional em descarte de lixo. São geradas mais de 56 mil toneladas por dia. Desse total, cerca de 42 mil tem destinação adequada. O restante pode ser encontrado nas esquinas, nas calçadas, nos terrenos baldios, nos rios, em espaços públicos.

O descarte em locais impróprios, contamina os lençóis freáticos, causa mau cheiro, atraindo moscas, ratos, baratas e outros insetos e animais, causadores de inúmeras enfermidades.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, em 2015 foram geradas cerca de 32 milhões de toneladas de resíduos orgânicos no Brasil, o que equivale a 88 mil toneladas de lixo diário. Todo este material quando entra em decomposição, seja nos lixões ou aterros sanitários, gera o gás metano, um dos principais causadores do efeito estufa.

Parte desse lixo produzido poderia ter destino mais produtivo: a compostagem, que é a reciclagem de resíduos orgânicos para produção natural de fertilizante ecológico, econômico e sustentável.

compostagem.png

“O processo da compostagem, realizado por meio de micro-organismos, como fungos e bactérias, degrada a matéria orgânica, resultando em um fertilizante de origem animal ou vegetal, com dois componentes principais: os minerais, contendo os nutrientes essenciais para as plantas; e o húmus, como condicionador e melhorador das propriedades físicas, químicas e biológicas do solo”, explica o engenheiro agrônomo Valter Casarin, coordenador científico da Nutrientes para a Vida (NPV).

Do total de resíduos domésticos produzidos, 30% poderiam ser usados na compostagem. Ou seja, menos lixo nos aterros, menos poluição ambiental e menos emissão de gases poluentes.

“A compostagem recicla nutrientes, como: nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e enxofre. Todos eles são assimilidados em maior quantidade (macronutrientes) pelas raízes, além de ferro, zinco, cobre, manganês, boro e outros, absorvidos em quantidades menores (micronutrientes). A composição do composto depende do material de origem. Assim, nem sempre os compostos conseguem fornecer todos os nutrientes que as plantas requerem e, muitas vezes precisam ser combinados com adubos minerais.”

Atuando com informações embasadas cientificamente, a NPV informa claramente os diversos tipos de fertilizantes, seja mineral ou orgânico, com o objetivo de nutrir de forma adequada e balanceada as plantas, de forma a proporcionar segurança alimentar e nutricional para os seres humanos.

Aprenda a fazer uma composteira para casa ou apartamento

compostagem composteira folhas pixabay
Pixabay

Segundo Cristal Muniz, blogueira e autora do livro Uma vida sem lixo, da Editora Alaúde, mais da metade do lixo produzido nas casas vem da cozinha: os restos de alimentos ou o chamado lixo orgânico. Para ela, que há quase três anos decidiu parar de produzir lixo, até mesmo os descartáveis, a solução para o mau cheiro nas lixeiras e para o grande descarte de restos inutilizáveis é ter uma composteira doméstica.
A autora defende que a solução é viável tanto para quem mora em casa quanto para quem mora em apartamento.

Reduzir o lixo da cozinha, ter um adubo maravilho, fácil e sempre à mão, manter uma horta superbonita: dá para ter isso tudo com uma composteira em casa. Existem vários tipos de composteira, mas o que a blogueira e autora do livro Uma vida sem lixo (Editora Alaúde), Cristal Muniz, recomenda é a com minhocas.

Como fazer composteira em casa

compostagem residuos organicos pixabay
Pixabay

1 – Faça um buraco na terra, de cerca de pelo menos 0,5 metro quadrado. Se a família for grande, você pode fazer dois e, enquanto um descansa, vocês enchem o outro. Ou fazer um grandão, de 1 metro quadrado. Uns 30 centímetros de profundidade são suficientes. Para ajudar a segurar as paredes de terra, você pode colocar tábuas nas laterais ou uma caixa sem o fundo (tipo uma caixa d’água, um caixote, algo que segure as laterais, mas dê acesso ao chão). Também dá para fazer cercando uma área em contato com a terra com cerca de arame, tábuas ou troncos.
2 – Coloque o material orgânico e não espalhe muito. Vá concentrando em um cantinho até encher o espaço. Sempre cubra muito bem com folhas secas ou serragem (é esse o segredo para o cheiro ruim não aparecer).
3 – Regue de vez em quando se fizer muito calor ou bater muito sol, porque a mistura pode esquentar e secar. É bom manter úmido para a decomposição acontecer mais rapidamente.
4 – A cada 15 dias, dê uma revirada em todo o material, para ajudar a aerar e facilitar a decomposição.
5 – Aos poucos, as sobras de alimento vão se transformar em uma terra bem escura, com cheiro de terra molhada. Esse adubo é maravilhoso para as plantas e para a sua hortinha!

Composteira em apartamento

Um dos sistemas de composteira doméstica mais famosos hoje é a composteira com minhocas. Isso porque ela é pequena, não tem cheiro ruim, cabe em quase qualquer cantinho, como a área de serviço, e a decomposição acontece mais rápido com a ajuda desses bichinhos.

Esse tipo de composteira é ótimo para quem mora em apartamento ou quem mora em casa e não pode fazer um buraco no quintal, como no método explicado acima. Existem composteiras prontas que já vêm com as minhocas, mas você pode fazer a sua usando caixas ou baldes de plástico.

Uma composteira com minhocas precisa de, no mínimo, três andares: o andar do topo, onde o lixo orgânico vai sendo depositado e coberto com o material seco (serragem e folhas secas) que, quando cheio, deve ficar em repouso por cerca de um mês. Durante esse tempo de repouso, o andar do meio vira o do topo e começa o ciclo de novo. Esses dois andares são onde ocorre a compostagem do material. O andar de baixo é o que recolhe o líquido que escorre (os andares são intercalados com furinhos para o líquido cair e as minhocas se movimentarem).

No final desses dois meses, o chamado período de repouso, o material que sobra é um húmus que parece terra, supernutritivo para as plantas e com cheirinho de terra molhada. Nada disso dá mau cheiro se tudo for feito corretamente.

O excesso de umidade pode facilitar a criação de mosquinhas, por isso é importante cobrir tudo muito bem com serragem. Além das minhocas, acabam aparecendo outros bichinhos pequenos, como formiguinhas e outros insetos, que também ajudam no processo de decomposição dos alimentos. É tudo limpo e, seguindo todas as etapas, não há risco nenhum de contaminação.

Como usar composteira com minhocas

composteira felipe machado e julia giusti
Crédito: Felipe Machado e Julia Giusti

=Para usar a composteira você deve colocar os restos de alimentos aos poucos. Não espalhe tudo, vá concentrando o lixo orgânico em cantinhos. Cubra muito bem com folhas secas e serragem. Não aparte ou comprima, deixe a mistura respirar porque ela precisa do oxigênio.
=Siga colocando seus resíduos até que o baldinho que estiver em cima esteja cheio. O ideal é levar mais ou menos um mês para encher, assim dá tempo de ele virar adubo e você poder trocar pelo andar do meio. Quando estiver cheio, ele vai para o repouso. =Troque de lugar com o que estava no meio da pilha, vazio.
=Quando esse recipiente (que estava no meio e foi para topo da pilha) estiver cheio, depois de um mês ou mais, vai ser hora de trocar os andares novamente. Se tudo deu certo, o recipiente que estava no repouso agora tem húmus.
=Para retirar o húmus, deixe o pote com a tampa aberta em um lugar com bastante luz. As minhocas não gostam e vão se enfiando para dentro da terra. Vá raspando o adubo aos poucos, para não machucar e não levar embora as minhocas.
=Na caixa fixa debaixo, vai começar a aparecer um líquido bem escuro. Ele é um biofertilizante poderosíssimo. Dilua cada parte do líquido em dez partes de água e use essa mistura para regar suas plantinhas uma vez por semana. Elas vão ficar lindas.
=O húmus pode ser colocado em plantas, mas, caso sobre, você também pode doar, colocar nas plantas do condomínio, na praça perto de casa etc.