Arquivo da tag: orgânicos

MMV Importadora lança no Brasil vinho orgânico com personalidade marcante

Edição será limitada e contará com apenas mil garrafas, sendo estas dos tipos rosé e branco

Atuando há mais de 20 anos no mercado nacional, a MMV Importadora traz para o país uma nova linha de vinhos orgânicos cheios de personalidade e ideais para o verão. São os vinhos da vinícola italiana Inserrata, característicos por sua refrescância, aroma e paladar frutado, além de contarem com garrafa e rótulo cheios de originalidade.

Oriundos de uma pequena vinícola localizada no vilarejo de San Miniato, na Toscana, Itália, os vinhos Inserrata são produzidos sem o uso de defensivos químicos ou qualquer fertilizante sintético.

“Estão chegando quatro rótulos de vinhos Inserrata, dois brancos e dois rosés. São vinhos orgânicos que casam perfeitamente com o verão, pois são consumidos gelados e são extremamente refrescantes”, afirma Jonas Martins, sommelier da MMV.

vinho inserrata 2

Na categoria de vinhos rosé, o Inserrata chega em duas versões. O primeiro é o Inserrata Inebriante, produzido com a uva Sangiovese e que possui um delicado aroma de pêssego e frutas brancas. Fresco e elegante, é leve ao paladar e finaliza com tons de frutas frescas.

vinho inserrata

O segundo é o Inserrata Indaco, que traz um corte de uvas, sendo 70% Merlot e 30% Sangiovese. Com intenso aroma de morango e lichia, este vinho é muito aromático e completo ao paladar, com finalização intensa e vibrante.

vinho inserrata 3

A MMV passa a oferecer ainda em seu portfólio dois vinhos brancos da mesma vinícola. Intenso e envolvente, o Inserrata Intrigo é um Chardonnay puro e tem um rico buquê de aromas frescos e frutados, como framboesa, frutas tropicais e gengibre. É elegante e completo, com uma finalização longa e aromática.

inserrata inusuale

Por fim, o Inserrata Inusuale, também feito de uvas Sangiovese, é de delicado aroma cítrico, leve e genuíno ao paladar, com finalização vívida e abrangente – este último uma curiosidade, já que é muito raro a produção de vinhos brancos com esta casta.

“Os vinhos orgânicos estão ganhando espaço no Brasil. Com o aumento de consumo desse tipo de produtos, os vinhos Inserrata ganham destaque nesse cenário e oferecem uma excelente oportunidade para o consumidor de vinho brasileiro saborear bebidas de extrema qualidade. Somado a isso, a Inserrata é uma vinícola muito pequena, familiar, o que torna estes produtos ainda mais exclusivos”, diz Jonas Martins.

Vale ressaltar que os vinhos Inserrata terão edição limitada, e estarão presentes em clientes selecionados. Serão oferecidas ao mercado brasileiro cerca de 1.000 unidades, com preços que variam entre R$ 250,00 e R$ 350,00.

Informações: MMV 

Poder da Terra oferece linha completa de limonadas orgânicas

Refrescantes, as bebidas são práticas, saudáveis e sem conservantes ou ingredientes artificiais

A marca de chás mate e bebidas saudáveis, Poder da Terra, já se prepara para o verão com muitas novidades no portfólio. Chegam ao grande varejo e à loja online da marca, as limonadas refrescantes e orgânicas Poder da Terra.

O consumidor preocupado com o bem-estar e com a ingestão de produtos que não tem contato com agrotóxicos durante a produção, poderão se refrescar com a Limonada Orgânica sabor Gengibre, com a Pink Limonada Orgânica (com suco de framboesa), com a Limonada Orgânica sabor Hortelã e com a tradicional Limonada Orgânica.

pink limonade

Em versões de 200 ml e 1 litro, todos os sabores tem 10% de suco de limão, são adoçados com açúcar orgânico e preparados somente com ingredientes naturais, apresentando o selo Produto Orgânico Brasil nas embalagens.

limonada gengibre

“Esse lançamento tem valor agregado e o verão representa um grande impulso nas vendas de bebidas refrescantes. Nossas limonadas entregam nutrientes livres de substâncias tóxicas e chegam às prateleiras para se destacar e não apenas fazer sucesso sazonal”, afirma o CEO da marca, Daniel Feferbaum.

A marca de chás mate e bebidas refrescantes Poder da Terra existe há dois anos e é fabricada pela WNutritional, empresa fundada em 2013, com o objetivo de oferecer bebidas funcionais e nutritivamente equilibradas; um sonho realizado pelo seu fundador, Daniel Feferbaum, que via no mercado brasileiro uma acentuada carência de bebidas verdadeiramente funcionais, saudáveis e que realmente pudessem trazer benefícios para a saúde do consumidor.

Todos os produtos da linha estão disponíveis nos principais canais de varejo, food service e vendas em loja virtual. O portfólio da Poder da Terra passa a contar agora com sete itens: os sabores da nova linha com quatro limonadas e a linha de chás orgânicos nos sabores, Chá Mate Tradicional, Chá Mate com Limão e Chá Mate com Pêssego.

WNutriotional

A WNutritional é a empresa responsável pelas marcas Life Mix e Poder da Terra e foi fundada em 2013 pelo jovem empresário e CEO, Daniel Feferbaum, com o objetivo de oferecer bebidas funcionais, nutricionalmente equilibradas, saborosas e acessíveis. O empreendedor viu no mercado brasileiro uma real carência de bebidas efetivamente funcionais, saudáveis e que trouxessem benefícios à saúde do consumidor. A empresa rapidamente foi reconhecida pela qualidade de suas bebidas e hoje está no grande varejo, food service, e-commerce, e conquistou selos e certificações importantes.

Marcas e linhas

Life Mix

sucos

100% Sucos –  linha de sucos 100% que aliam os benefícios das superfrutas com nutrientes essenciais. Sem adição de açúcar, edulcorantes, corantes ou conservantes.

Baixa caloria opção funcional, com nutrientes que complementam a alimentação diária, vitamina D, ácido fólico, cálcio e fibras.

Chá funcional – enriquecido com fibra e zero calorias.

Suco Infantil – desenvolvido por pediatras e nutricionistas com DHA, vitamina C e D, ácido fólico e fibras.

Poder da Terra

Cha-Mate-Organico

Chá Mate Orgânico – linha de chás mate feita com produtos verdadeiramente orgânicos e ingredientes naturais.

limonada terra

Limonada – Orgânica e natural, essa linha é perfeita para se refrescar no verão.

Informações: Poder da Terra

Espuma e Solução de Ácido Glicólico orgânicos, naturais e veganos

A Simple Organic, marca de cosméticos orgânicos, naturais, veganos, cruelty-free e genderless traz dois novos lançamentos: a Espuma de Ácido Glicólico e Solução de Ácido Glicólico.

Saiba mais sobre cada um deles:

Espuma de Ácido Glicólico

espuma facial simple organic.jpeg

A espuma de limpeza facial com 5% de Ácido Glicólico é um produto multifuncional, que limpa e ao mesmo tempo faz um peeling químico suave. Formulado com Ácido Glicólico, Calêndula e Alfa-Bisabolol, remove as células mortas sem agredir a pele. Os componentes da formulação auxiliam na uniformização do tom da pele, na redução e prevenção dos sinais da idade por estimular a síntese de colágeno. Além do ácido glicólico promover o controle da oleosidade da pele e a desobstrução dos poros sem deixar a pele sensibilizada ou ressecada. A sinergia da Calêndula, Alfa-Bisabolol e os tensoativos vegetais devolve a hidratação, evitando que a pele fique irritada, sendo, portanto, um produto ideal para sua rotina de cuidados com a pele. Preço: – R$ 75,00

Solução de Ácido Glicólico 

simple organic1

 

O Ácido Glicólico é um alfa-hidroxiácido, que promove uma esfoliação química, removendo as células mortas da primeira camada da pele. A Solução a 8% de Ácido Glicólico promove luminosidade, atenuando as manchas e traz revitalização para a pele. Estimula a síntese de colágeno na derme, com isso age na reversão e prevenção do envelhecimento cutâneo. Ameniza a aparência dos poros e tem ação anti-inflamatória devido ao seu poder esfoliante, o que contribui para o controle de oleosidade e surgimento de acne. Produto ideal para trazer uma pele revigorada, mais sedosa, fina e iluminada. Preço: R$ 120,00

duo simple organic.jpeg

Quem se interessar pelos dois produtos, leva vantagem, já que o Duo Glicólico pode ser adquirido por R$ 175,00.

Informações: Simple Organic 

 

 

.

 

 

.

 

Acordo entre Brasil e Chile simplificará importação de vinhos orgânicos

Inédita no mundo, medida dará equivalência de produtos orgânicos comercializados entre os dois países

Um acordo de equivalência de produtos orgânicos de origem vegetal in natura e processados entre Brasil e Chile, que vigora desde o mês de abril, permitirá a simplificação da importação de vinhos chilenos orgânicos por distribuidoras, importadoras e lojas.

O acordo, assinado em setembro do ano passado, em forma de memorando pelas autoridades dos ministérios da agricultura dos dois países, estabelece que o Chile reconhecerá a certificação realizada no Brasil para produtos orgânicos e o Brasil também reconhecerá a certificação do Chile. O acordo é inédito na América do Sul e no mundo.

O acordo inclui produtos vegetais e processados de origem vegetal, para consumo humano, nos quais os vinhos são incluídos e é resultado do Memorando, assinado em setembro de 2018 pelos dois países, de reconhecimento dos sistemas de certificação e controle para a produção orgânica dos dois países.

O memorando determina que o Chile reconheça que o Sistema de Certificação de Produto Orgânico do Brasil cumpre as normas e objetivos do sistema de certificação agrícola orgânica chilena e, por sua vez, o Brasil reconhece que o Sistema Chileno de Certificação de Produto Orgânico está em conformidade com os padrões e objetivos do sistema de certificação de produtos agrícolas orgânicos no Brasil. Dessa forma, um produto que atenda ao padrão de certificação orgânica chileno terá garantia suficiente para o Brasil reconhecê-lo e vice-versa.

wines_of_chile_brasil___vinhedo_biodinamico.jpg

O acordo será válido por cinco anos e, segundo Claudio Cárdenas, chefe do departamento de Agricultura Orgânica, do SAG-Servicio Agrícola e Ganadero, do Chile, é inédito em diversos sentidos. Trata-se do primeiro deste nível assinado entre os países da América do Sul e é o primeiro no mundo que reconhece, sem restrições, os dois tipos de certificação orgânica: certificação de terceiros, na qual uma empresa certifica a operação orgânica de acordo com os regulamentos atuais de origem, e também o outro sistema, que é o de certificação própria (ou de primeira parte), realizado por meio de Organizações de Produtores, os chamados Sistemas Participativos, que cumprem os requisitos regulamentares que são estabelecidos e, consequentemente, a certificação é concedida. Este último sistema de certificação é garantido pela autoridade competente de cada país (SAG-Serviço Agrícola y Ganadero, do Chile e MAPA-Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, do Brasil).

O acordo abre a possibilidade de os produtos receberem uma certificação válida dos Sistemas Participativos de Garantia (organizações de agricultores orgânicos). Para poder exportar um produto orgânico, será necessário estar acompanhado do respectivo Certificado de transação, que deve ser emitido por um Organismo de Certificação reconhecido pelo Serviço Agrícola e Pecuária, sendo este um certificado de primeira parte ou uma organização de agricultores ecológicos.

No caso de vinhos, bem como outros produtos vegetais frescos e processados autorizados no âmbito deste acordo, para serem exportados e comercializados no Chile e no Brasil, haverá a necessidade da inclusão, pelos produtores, do selo orgânico chileno e brasileiro. No caso do Brasil serão dois selos: para diferenciar a origem da certificação, que poderá ser uma empresa certificadora ou uma organização de agricultores orgânicos no sistema participativo. Com o objetivo de começar e simplificar a operação, haverá um período de transição e adaptação, onde poderão ser utilizados rótulos com selo orgânico chileno ou selo orgânico brasileiro.

A expectativa de Claudio Cárdenas é que haja um aumento no comércio de produtos orgânicos em geral de ambos os países, já que o acordo tem como principais objetivos a promoção de ações que visem facilitar o comércio, bem como iniciativas e políticas que estimulem o desenvolvimento da produção orgânica de ambos países, mantendo uma comunicação fluida e colaborando mutuamente em questões de controle.

vinho amigos brinde.jpg

Angelica Valenzuela, diretora da Wines of Chile, diz que este acordo representa um grande avanço e que vai em direção às novas tendências do consumidor brasileiro que procura cada vez mais vinhos orgânicos e de qualidade premium. Para ela, esta medida também foi positiva para o trade, formado por importadores e distribuidores, por simplificar todo o processo de importação de vinhos orgânicos, que antes eram mais complexos.

A Wines of Chile foi criada com o nome de Associação de Vinhos do Chile, em abril de 2007, com o propósito de unificar os esforços da indústria chilena de vitivinicultura. A entidade reúne 74 produtores, que abrangem as diversas regiões vinícolas e é presidida por Aurelio Montes.

Empório oferece opção de bebida à base de castanha, caju e água

Especialmente para as pessoas que não consomem o leite animal, seja por intolerância aos nutrientes ou por algum propósito de vida, as bebidas vegetais surgem como substitutos perfeitos para completar a dieta e, até mesmo, incrementar receitas de bolos, pães, cremes, tortas e no consumo diário do líquido.

Pensando nisso, a Terra Madre – Orgânicos e Saudáveis – empório especializado em produtos para alimentação equilibrada, saúde e bem-estar – disponibiliza em suas prateleiras as bebidas 100% vegetais da marca A Tal da Castanha, empresa que tem produtos deliciosos e saborosos à base de Castanhas Orgânicas.

Com seis opções de sabores, as bebidas não levam produtos transgênicos em seu preparo. O produto é composto basicamente por água e castanha de caju orgânica – produzida por pequenos produtores familiares. Como utilizam apenas alimentos de origem vegetal, podem ser consumidos, tranquilamente, por veganos e vegetarianos.

Os benefícios são inúmeros. Isso, porque a castanha-de-caju, que é uma oleaginosa que possui gorduras boas, é responsável por auxiliar no bom funcionamento do organismo. Com ação antioxidante e anti-inflamatória, também pode auxiliar na redução do colesterol. Trata-se de uma ótima fonte de vitamina e nutrientes.

A opção Original é composta apenas por dois ingredientes: água e castanha de caju. Já vem pronta para beber, possui sabor leve e suave. Ótima para ser consumida entre as refeições, acompanhando um pedaço de bolo ou um lanche natural.

Na sugestão Amêndoas, o sabor permanece suave e delicado ao paladar. A bebida é produzida apenas com amêndoas e água. Indicada para ser consumido a qualquer hora do dia, mas de preferência, gelada para ficar ainda mais refrescante. Vale lembrar que as Amêndoas são ricas em diversos nutrientes, tais como minerais, vitamina E e do complexo B. Além disso, possuem baixa quantidade de gordura saturada.

Já no sabor Caju+Pará é possível encontrar a combinação de dois maravilhosos ingredientes em uma única bebida: as castanhas de caju e do Pará. Essa junção fez do alimento uma fonte de proteínas vegetais de alta qualidade e 100% natural. Para deixá-la ainda melhor misture com frutas batidas ou acrescente nas receitas de bolos, biscoitos e até em mingaus.

Outra ótima sugestão é o sabor de Caju+Coco, que tem todos os benefícios encontrados na castanha-de-caju com um toque todo especial do coco, deixando a bebida mais tropical e cheia de sabor.

Para os que adoram chocolate, a opção é o Choconuts, que utiliza cacau 100% puro e adoçado com açúcar demerara orgânico. Com apenas quatro ingredientes em sua composição – castanha-de-caju, água, cacau e o açúcar demerara – a bebida pode ser consumida no café da manhã, lanche da tarde, na ceia ou quando preferir.

Uma outra opção de sabor é a Mixed Nuts, que tem a combinação perfeita entre as castanhas de caju e do Pará, mais a proteína da ervilha, que é uma fonte de aminoácidos essenciais. Em cada porção do leite vegetal são fornecidas 7g de proteínas, além de cálcio e selênio, uma ótima opção para completar a alimentação de veganos e vegetarianos.

Disponíveis em embalagens de 200 ml e 1 litro, as bebidas da marca A Tal da Castanha já podem ser encontradas nas 15 lojas do empório Terra Madre – Orgânicos e Saudáveis distribuídas pelos estados de SP, GO, CE, DF e MG.

Além disso, a rede oferece ao consumidor mais de 6 mil itens, que fazem parte de mais de 90 marcas. Trata-se de um mix recheado de produtos do segmento, que vão desde os integrais, sem glúten, sem açúcar, diet, light e sem lactose, até os orgânicos 100% certificados, cosméticos naturais e suplementos alimentares.

a tal da castanha2a tal da castanha1

A Tal da Castanha – Bebidas
Embalagens de 200 ml – a partir de R$ R$ 9,90
Embalagens de 1 litro – a partir de R$ 26,90

Informações: Terra Madre – Orgânicos e Saudáveis

Cosmético vegano, orgânico ou cruelty free? Conheça as diferenças

Pesquisador em cosmetologia Lucas Portilho explica o que significa cada uma destas nomenclaturas, que cada vez mais aparecem nos rótulos de cosméticos devido ao aumento de consumidores preocupados com a sustentabilidade.

Com o crescimento da preocupação geral com o meio ambiente e de movimentos como o veganismo, o mercado dermatológico vem investindo cada vez mais em produtos naturais e veganos. Já é possível encontrar nas prateleiras de mercados e farmácias cosméticos para todas as etapas de cuidados com a pele e com os cabelos.

Mas na hora de escolher quais produtos levar para casa surge a dúvida: vegano, orgânico ou cruelty free? Para ajudar a entender melhor o pesquisador em Cosmetologia Lucas Portilho, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma, explicou a principal diferença entre cada um destes produtos. Confira:

cosmeticos naturais veganicos organicos

– Cosméticos orgânicos: “Também conhecido como sustentável, o cosmético orgânico é aquele que tem um baixo impacto ambiental. E, para ser considerado orgânico, o cosmético deve ser certificado por órgãos específicos. Para isso o cosmético precisa que 95% do total das matérias primas presentes no produto sejam orgânicas e os outros 5% devem ser matérias primas permitidas em cosméticos orgânicos.”

cosmetico_flores_organico_natural

– Cosméticos veganos: “Cosméticos veganos são aqueles que não possuem nenhum ingrediente de origem animal e também não são testados em animais. Os cosméticos veganos não precisam nem conter ingredientes orgânicos ou vegetais, podem até mesmo ter em sua formulação componentes sintéticos, desde que nada em sua composição seja derivado de animais. O problema é que os cosméticos não precisam, obrigatoriamente, de uma certificação para serem considerados veganos.”

cruelty-free-grey820

– Cosmético Cruelty Free: “Quer dizer cosmético livre de crueldade, ou seja, é aquele produto que não é testado em animais. Porém, hoje quase não existem mais cosméticos testados em animais, pelo menos no Brasil. Grande parte dos cosméticos brasileiros, se não todos, são testados em seres humanos através do patch test, um teste realizado em laboratório e acompanhado por um dermatologista onde um adesivo com o produto é aplicado sobre a pele de um grupo de voluntários para avaliar a irritabilidade e a sensibilidade das pessoas em relação ao produto. Se nenhum destes voluntários apresentar algum tipo de reação o produto é considerado dermatologicamente testado.”

E, diferente do que muitas pessoas pensam, a eficácia dos cosméticos veganos e orgânicos é a mesma de produtos convencionais. O que realmente muda é o preço, principalmente em produtos orgânicos, já que as matérias-primas orgânicas certificadas tendem a ser mais caras, o que acaba impactando no preço do produto final. Mas claro que tudo depende da composição.

“Hoje o número de ingredientes não orgânicos e veganos é muito maior, então temos um leque muito maior de componentes para adicionar em cosmético convencionais. Porém, este cenário já está mudando e em feiras e congressos internacionais é cada vez mais comum ver empresas lançando matérias primas sintéticas em versões vegetalizadas”, destaca o pesquisador.

Mas o grande problema quando falamos de cosméticos orgânicos e veganos é o fato de a Anvisa, a agência fiscalizadora de cosméticos, não possuir a capacidade de avaliar se um produto é orgânico ou não, vegano ou não, o que fica a cargo de certificadoras independentes. Com isso, várias empresas acabam afirmando que seu produto é vegano ou eco-friendly, quando, na verdade, não é.

“Então, para ter certeza de que o produto que você está adquirindo é realmente vegano ou orgânico, é preciso atentar-se aos selos e certificações. Os mais comuns neste tipo de produto são os selos da Cosmos, IBD e Ecocert”, finaliza Lucas.

Fonte: Lucas Portilho é Consultor e pesquisador em Cosmetologia, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma e Pesquisador em Fotoproteção na Unicamp. Especialista em formulações dermocosméticas e em filtros solares. Diretor das Pós-Graduações do Instituto de Cosmetologia e Ciências da Pele Educacional, Hi Nutrition Educacional e Departamento de Desenvolvimento de Novas fórmulas. Atuou como Coordenador de Desenvolvimento de produtos na Natura Cosméticos e como gerente de P&D na AdaTina Cosméticos. Possui 17 anos de experiência na área farmacêutica e cosmética. Professor e Coordenador dos cursos de Pós-Graduação com MBA do Instituto de Cosmetologia e Ciências da Pele Educacional. Coordena Estágios Internacionais em Desenvolvimento de Cosméticos na Itália, França, Mônaco e Espanha. Atua em desenvolvimento de formulações para mercado Brasileiro, Europeu e América Latina

Como fazer uma horta em casa

Dr. Planta, especialista da Petz, orienta como cultivar temperos em vasos ou jardineiras

A primavera é a melhor época para plantas. A estação favorece a elevação da umidade do ar, as chuvas, as temperaturas moderadas e os dias mais longos que as noites. Para aproveitar esse momento, o gerente comercial da linha garden e piscina da Petz, Marcio Alexandre, conhecido como o Dr. Planta, dá dicas para montar uma horta em casa.

“O cultivo das plantas é uma atividade relaxante, ajuda no bem-estar e deixa um visual bonito na casa, além de fazer bem para a saúde, pois permite uma a alimentação com ingredientes frescos, afirma o Dr. Planta. A dica é plantar em espaços que recebam bastante sol (preferencialmente pela manhã), independentemente do tamanho.

Uma parede da sacada do apartamento ou do quintal da casa pode se tornar uma horta vertical repleta de temperos e especiarias, assim como uma jardineira pode ser destinada ao cultivo das ervas. As regras básicas são: iluminação natural, lembrar-se de regar a horta e se certificar de que as espécies escolhidas são ideais para o espaço.

A horta vertical se ajusta a qualquer espaço e proporciona um visual único. Ela pode ser instalada em painéis de madeira, vasos presos direto na parede ou, até mesmo, estantes com diversas prateleiras.

Passo a passo

1 – Prepare os vasos ou jardineiras com uma camada de argila expandida ao fundo, seguida de uma manta de drenagem e, por fim, terra especial para o plantio.

2 – Adicione as mudas, tomando bastante cuidado com as raízes.

3 – Acomode as plantas nos seus respectivos vasos e preencha o espaço vazio com mais terra.

4 – Regue a terra e as folhas.

horta_foto1

5 – Distribua os vasos na estrutura escolhida e coloque etiquetas decorativas, facilitando a identificação de cada plantinha.

6 – A maioria das ervas e temperos precisam de água, dependendo da região e do local a necessidade pode variar, recomendo diariamente ou com intervalo de 1 dia, porém sem encharcar. Como ficam diretamente ao sol, com mínimo de 4 horas, sua necessidade de água é maior em relação a outras plantas.

7 – Como sugestão, para finalizar a horta, seja ela vertical, horizontal, em canteiro ou vaso, colocar uma camada de casca de árvore, além de ficar com o acabamento bonito, protege a camada do solo, mantendo a umidade do mesmo e evitando o crescimento de pragas ao redor das plantas.

8 – Outra dica, colocar sempre o dedo na terra verificando a umidade. Se estiver úmido, não precisa molhar, caso contrário fazer a rega.

9 – Geralmente, as plantas com falta de água começam a murchar, identificando claramente sua necessidade.

Quer aprender a montar uma horta vertical? Assista ao vídeo preparado pela Petz, clicando aqui.

Opções para a horta caseira:

Alecrim

Alecrim MGD©
Alecrim – Foto: MGD©

Necessidade de espaço: plantar mudas com espaçamento de 10 cm.
Necessidade de luz: sol pleno, mínimo de 4 horas para ter um produto de qualidade.
Pode ser usado para: tempero para carnes, legumes e batata. O chá de alecrim é muito conhecido pelas suas propriedades medicinais.

Cebolinha

cebolinha creative commons
Foto: CreativeCommons

Necessidade de espaço: plantar mudas com espaçamento de 10 cm.
Necessidade de luz: sol pleno, mínimo de 4 horas para ter um produto de qualidade.
Pode ser usado para: tempero carnes e legumes.

Hortelã

hortelã
Foto: Maria Mas/Morguefile

Necessidade de espaço: plantar mudas com espaçamento de 10 cm. Tenha sempre a hortelã sozinha no vaso. Caso plante em jardineiras e for dividir espaço com outras espécies, coloque uma divisória entre ambas para que a hortelã não “mate” a planta vizinha.
Necessidade de luz: a hortelã ou menta pode ser cultivada em lugares ensolarados ou em sombra parcial com alta luminosidade.
Pode ser usado para: comida árabe, saladas e água aromatizada.

Manjericão

manjericao crative commons
Foto: CreativeCommons

Necessidade de espaço: plantar mudas com espaçamento de 10 cm.
Necessidade de luz: necessita de alta luminosidade e deve receber luz solar direta por pelo menos 4 horas.
Pode ser usado para: tempero para molho vermelho e base para molho pesto.

Orégano

oregano pixabay
Foto: Pixabay

Necessidade de espaço: plantar mudas com espaçamento de 10 cm.
Necessidade de luz: sol pleno, mínimo de 4 horas para ter um produto de qualidade.
Pode ser usado para: tempero para carnes, molhos, massas, legumes.

Salsinha

salsinha

Necessidade de espaço: plantar mudas com espaçamento de 10 cm.
Necessidade de luz: pode ser cultivada em lugares ensolarados ou em sombra parcial com alta luminosidade.
Pode ser usado para: tempero para carnes, molhos e legumes.

Tomilho

tomilho

Necessidade de espaço: plantar mudas com espaçamento de 10 cm.
Necessidade de luz: sol pleno, mínimo de 4 horas para ter um produto de qualidade.
Pode ser usado para: carnes vermelhas em geral.

Fonte: Petz

 

Salvar

Veja como a alimentação pode influenciar na saúde da pele, unhas e cabelos

Além da dieta, os ingredientes também são usados como princípio ativo em diversos cosméticos naturais, confira as vantagens

O segredo para ter uma pele perfeita começa na mesa. Ao contrário do que muitos pensam, uma alimentação natural e nutritiva é o método mais eficaz de garantir a saúde e beleza da cútis. Além de ser muito mais seguro e econômico do que investir em tratamentos estéticos caros e, muitas vezes, invasivos. Um cardápio saudável pode ajudar a reduzir a oleosidade e deixar a pele bonita, hidratada, livre de manchas, acnes e, até mesmo, ruguinhas e marcas de expressão.

Basta observar os rótulos dos principais cremes e cosméticos para notar que suas fórmulas contam com componentes antioxidantes, além de vitaminas e minerais. E esses nutrientes são extraídos, justamente, dos alimentos. Essas substâncias são a base da construção dos nossos tecidos, por isso, nada melhor do que suprir essa necessidade de dentro para fora antes de recorrer a métodos mais extremos para melhorar a aparência da pele.

Além de saborosos, alguns alimentos também são funcionais. Conhecidos também como superalimentos, eles possuem propriedades que ajudam a ativar a circulação sanguínea, combatem inflamações e ainda são fontes de vitaminas que estimulam a renovação da pele.

Beleza de dentro para fora

mulher comendo peixe

Pode se preparar para dar uma passada na feira porque o tratamento de beleza mais indicado pelos médicos vem diretamente da cozinha. A médica Maria Clara Couto, especialista em dermatologia e consultora do portal Use Orgânico afirma: “Uma dieta balanceada, que prioriza ingredientes naturais, é capaz de fornecer todo o aporte nutricional que o organismo precisa para se manter saudável, e isso também se reflete na aparência da pele, unhas e cabelos. Por isso, um cardápio rico em substâncias antioxidantes, fibras, citrinos, vitaminas e sais minerais é fundamental para a saúde das células e tecidos”.

Segundo ela, essas substâncias são responsáveis pela maciez e o brilho natural da pele, fortalecimento das unhas e, até mesmo o crescimento capilar.

De olho na composição

mulher frutas maçã

Sabe aquelas receitas da vovó, cheias de ingredientes caseiros e naturais? Elas voltaram com tudo e estão em alta no mundo da beleza. Inclusive, os alimentos também invadiram o setor de cosméticos. Atualmente as marcas investem cada vez mais nessa matéria prima em detrimento de substâncias geneticamente modificadas, componentes sintéticos e aditivos químicos.

Além de nutrir de dentro para fora, as propriedades benéficas desses ingredientes também podem ser aproveitadas no uso tópico, como é o caso de muitos produtos para o cabelo, pele e unhas que encontramos no mercado. A proposta é nutrir, potencializar a saúde, prevenir os danos externos e minimizar a ação do tempo.

Para garantir um tratamento ainda mais eficaz e completo a especialista afirma que é possível aliar uma alimentação saudável ao uso desses cosméticos naturais. Por isso, vale a pena, além da dieta, ficar de olho na composição dos seus produtos de beleza.

Confira a seguir alguns dos principais ingredientes que devem estar regularmente em seu cardápio e na fórmula dos seus cosméticos para potencializar ainda mais sua saúde e beleza.

Óleo de coco:

oleo de coco

Além de delicioso, o coco rende dois derivados muito famosos, tanto na culinária brasileira quanto no ramo dos cosméticos: o leite e o óleo de coco. Entre os óleos vegetais, o do coco especificamente é, sem dúvida, o queridinho de quem busca uma rotina mais saudável. Consumido em receitas doces, salgadas ou em substituição do óleo comum em preparações mais leves, esse ingrediente é rico em ácidos graxos essenciais e vitamina E, ideais para manter a pele hidratada, macia e longe das rugas, por isso é muito comum encontrá-lo na composição de cosméticos hidratantes para a pele e cabelos. Além disso ele contém ácido láurico, um agente antibacteriano e antiviral poderoso, capaz de proteger o corpo contra vírus, infecções e inflamações.

Leite de coco

leite de coco lisa redfern pixabay
Foto: Lisa Redfern/Pixabay

Já o seu leite, além de substituir o leite de vaca para aqueles que sofrem com intolerância à lactose, também é muito usado em sobremesas e receitas. Rico em vitamina C, B1, B3, B5 e B6, além de sais minerais essenciais como cálcio, selênio, magnésio, fósforo, ferro, potássio, cobre, zinco e manganês, o leite de coco ajuda a proteger contra os efeitos nocivos da radiação ultravioleta do sol e promove uma pele e um cabelo mais saudáveis​​. Ele também é eficaz no tratamento de queimaduras solares, no uso tópico, reduzindo a vermelhidão e restaurando a umidade da pele, além de suavizar e prevenir o ressecamento e a descamação.

Abacate

abacate
Rico em óleos que restauram a hidratação natural da pele e dos cabelos, o abacate pode ser usado in natura diretamente sobre a área tratada. Mas, atualmente, também é possível encontrar diversos cremes e produtos capilares com o óleo da fruta como princípio ativo e, além da hidratação, um de seus efeitos mais notáveis é o brilho que ele confere às madeixas. Para ficar ainda melhor, ele pode ser aplicado em qualquer tipo de pele ou cabelo, pois não provoca oleosidade excessiva, pelo contrário, suas gorduras boas são importantes para garantir mais elasticidade. O abacate também é uma ótima fonte de vitaminas A, D e E, e o uso tópico é indicado à vontade, no entanto, como alimento, a fruta deve ser consumida com moderação, já que, em excesso, pode colaborar para o ganho de peso.

Frutas cítricas

citricos citricas nicole franzen
Foto: Nicole Franzen

A vitamina C presente nessas frutas ajuda a proteger a pele dos danos solares e ainda contribui para a formação do colágeno. Além de consumir a fruta in natura ou em receitas mais elaboradas, também é possível aplicar diretamente na pele ou misturar com outros ingredientes e cremes para potencializar os efeitos. Esse nutriente, além de ser um poderoso antioxidante, ainda tem a função de uniformizar o tom da pele. Por isso, inclua na sua rotina frutas como limão, acerola, laranja, kiwi, morango entre outras frutas.

Cenoura
Esse alimento é muito famoso no verão, já que age turbinando o bronzeado, mas os seus benefícios não param por aí. O ácido lipóico, presente na cenoura, é capaz de revitalizar a pele do rosto e, de quebra, ainda ajuda a combater os radicais livres, prevenindo contra o aparecimento das rugas e o envelhecimento precoce da pele, graças às suas propriedades antioxidantes. Ela também concentra uma boa quantidade de vitamina A, graças aos seus betacarotenos, que são precursores desse nutriente, por isso ela é muito eficaz no tratamento de acne e peles oleosas. E ela ainda atua na síntese do colágeno, proteína que garante mais firmeza à pele.

Mel

mel
Além de ser delicioso e amplamente usado na culinária, esse ingrediente natural possui imensa versatilidade quando a receita é voltada para a beleza. Aplicado na pele ou nos cabelos, o mel tem a função de esfoliar o corpo, quando misturado a algum agente, hidratar lábios ressecados, clarear manchas, aliviar queimaduras provocadas pelo sol e tratar os cabelos. Ele contém ácido glucônico, que ajuda na remoção de células mortas, promovendo o aspecto saudável na pele. Sua composição é rica em água, minerais, aminoácidos e vitaminas do complexo B, C, D e E, por isso ele não pode ficar de fora da sua rotina de cuidados com a pele e cabelos.

Ovo

ovos cozidos stocksy
Stocksy

Esse superalimento já sofreu com uma injusta fama, mas, nos últimos tempos a ciência provou que, além de ser um ingrediente do bem, ele também é fundamental para a nossa saúde, por isso não pode ficar de fora da dieta. Mas a proteína do ovo tem um potencial ainda maior, por isso, é cada vez mais comum encontrar receitas caseiras que incluam o ingrediente e, até mesmo, diversos cosméticos que já exploram seus benefícios em suas fórmulas. Graças ao seu alto teor de minerais, como o enxofre, além das vitaminas A, B, D e E, o ovo atua no fortalecimento capilar, promovendo o crescimento saudável dos fios. E seus benefícios se estendem também para as unhas e pele. A albumina, presente em grande quantidade no alimento, é uma proteína poderosa com poder cicatrizante e efeito tensor que ajuda a deixar a pele mais lisa e minimizar a flacidez.

Quanto mais natural melhor

FreeGreatPicture compras supermercado
FreeGreatPicture

Para potencializar ainda mais os efeitos da alimentação e dos cosméticos a dica da especialista é apostar em ingredientes naturais e marcas confiáveis: “A alimentação correta pode fazer toda a diferença em um tratamento para a pele, seja ele estético ou dermatológico. É possível aliar a dieta a receitas caseiras para o uso tópico e produtos cosméticos funcionais. Além disso, é importante buscar a orientação de um especialista para verificar o que é mais adequando ao seu tipo de pele. Para quem deseja extrair o máximo de benefícios com segurança, o ideal é investir em produtos que priorizem os ativos da natureza, reduzindo a quantidade de substâncias sintéticas e aditivos químicos, que podem causar danos a longo prazo. Por isso, investir no natural não é só mais saudável, como também é uma forma de prevenção” – finaliza a especialista.

Fonte: Use Orgânico

Dicas para começar a cultivar ervas e temperos em casa

O uso de temperos na culinária é indispensável, e não poderia ser mais prático quando cultivado em sua própria casa. Pequenos espaços como sacadas, floreiras, varandas ou até perto da janela da sua cozinha, podem se tornar um bom local para o plantio. Além de ajudar a decorar seu ambiente, a praticidade de colher o frescor e os benefícios provenientes dos temperos, darão mais sabor às suas refeições.

Uma das queridinhas para se ter em casa é a hortelã, que acrescenta sabor a bebidas, saladas e comidas diversas, além de ter um aroma muito agradável e terapêutico. Que tal começar por esse cultivo?

Conheça 5 dicas para o cultivo da hortelã:

ervas plantando.png
Tramontina

1. Plante-o em vaso, separadamente de outros temperos. Seu crescimento é intenso, podendo comprometer o desenvolvimento dos demais.

2. Irrigue a planta mantendo o substrato úmido, porém não encharcado.

hortelã
Foto: Maria Mas/Morguefile

3. Adube-o frequentemente, porém em pequenas doses, mantendo a planta sempre bem nutrida.

4. Certifique-se que a planta receberá sol de forma direta ou indireta, porém todos os dias.

ervas em casa
Tramontina

5. Colha ou pode os ramos com frequência. Com isto você manterá o tamanho da planta reduzido, favorecendo o crescimento lateral dos ramos.

Fonte: Tramontina

Principais diferenças no processo de fabricação de vinhos orgânicos e veganos

De acordo com Natália Cacioli, sommelière da Evino, enquanto um vinho classificado como orgânico fala dos métodos de cultivo, o vegano está relacionado ao processo de vinificação

Há uma máxima que diz: o bom vinho nasce no vinhedo. E essa é uma grande verdade. O vinho é um produto agrícola que nasce das mãos de homens e mulheres dedicados ao conhecimento profundo do solo e do clima onde trabalham. O respeito ao meio-ambiente é essencial para uma produção sadia e sustentável, daí a importância crescente do cultivo orgânico. A produção de vinho possui duas grandes fases: o cultivo e a vinificação. O primeiro acontece na terra e, o segundo, na adega. Para ser considerado um vinho orgânico a produção das uvas deve excluir o uso de aditivos.

O objetivo da viticultura orgânica é trabalhar em conjunto com a natureza a fim de potencializar a biodiversidade presente no vinhedo. De acordo com Natália Cacioli, sommelière da Evino, os produtores utilizam recursos naturais para controlar pragas. “Ovelhas se alimentam de ervas daninhas e de outras plantas que podem interferir no desenvolvimento das vinhas, então esse é um dos métodos para garantir a saúde do vinhedo”.

No final das contas, a vinícola se transforma em um ecossistema que pode combater seus problemas de forma auto suficiente, sem a necessidade de agentes artificiais. “Encontrar esse equilíbrio pode ser extremamente difícil e caro para o produtor. O desafio em países mais quentes e úmidos, por exemplo, é ainda maior”, pondera Natália.

Mas você deve estar se perguntando qual é o diferencial de um rótulo orgânico para um rótulo vegano, sendo que vinho nada mais é que o suco da uva fermentado. Essa diferença se dá porque o processo de fabricação pode ser bem mais complexo do que se pensa e pode definir, inclusive, se um vinho é vegano ou não. Isso porque para chegar límpida e brilhante à taça, a bebida passa por um processo chamado clarificação.

O vinho, como um produto natural, tem substâncias que podem deixá-lo turvo e com sedimentos. Por isso, o líquido é normalmente filtrado e clarificado. Esse processo é realizado por meio de soluções que funcionam como “ímãs” para a retirada de sedimentos – e os mais populares são derivados de animais.

vinhos taças.jpg

Para fornecer alternativas veganas, alguns produtores têm utilizado outros materiais, como placas de fibras vegetais, carbono, pedra calcária, argila de caulim e gel de sílica. “A substância utilizada, seja de origem animal ou não, é retirada do vinho, mas está presente no processo de produção. E para informar o consumidor sobre esse processo, existe a classificação de vinho vegano”, pontua a sommelière.

Fonte: Evino