Arquivo da tag: outono

Cobertor ou edredom: qual escolher quando se é alérgico?

Quando as temperaturas caem é comum que as alergias respiratórias apareçam. Isso se dá por conta do tempo seco, principalmente em regiões mais urbanizadas, como as grandes metrópoles. A baixa umidade, resfriamento do ar e falta de arborização permitem que o risco de contaminação aumente, já que as partículas poluentes estão dispersas no ar.

Segundo dados da Asbai (Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia), o principal alérgeno, no Brasil, é o ácaro da poeira domiciliar, responsável por cerca de 80% das alergias respiratórias. Como forma de precaução, cuidados com o lar e principalmente na hora de dormir podem fazer a diferença.

José Previero, especialista em higienização da Quality Lavanderia destaca: “Quem possui alergia precisa estar sempre atento à peça escolhida para dormir, dependendo da escolha, pode-se intensificar ainda mais o problema alérgico”.

O especialista aponta que o edredom é a peça ideal para quem tem alergia, pois seu tecido possui superfície plana e lisa, o que permite menor acúmulo de ácaros. Com isso, não prejudica a respiração e não ocasiona incômodos na pele. “Nos dias frios, a melhor escolha é o edredom, por ser menos alérgico, mais macio e causar menor incômodo na pele. Independente do cobertor ser sintético ou de lã, todos são mais felpudos, por isso acumulam maior número de ácaros que podem causar alergia, tanto de respiração quanto de pele”, relata Previero.

Além disso, a frequência e os cuidados com a lavagem também são fatores importantes, por isso, opte sempre por lavar antes de usar, principalmente se o edredom ficou guardado por muito tempo, com isso removem-se os ácaros e o possível odor de mofo, mantendo a peça mais apropriada para uso.

Edredom de malha/Zelo

“Estando em uso, o ideal é lavar a cada dois meses. Outra dica importante é o cuidado com o uso do amaciante, quanto menos perfume tiver, menor a chance de provocar alergias. Para realizar a higienização completa, inclusive para peças infantis, que exigem um cuidado especial, é indicado que o serviço seja realizado de forma profissional, por exemplo, com ajuda de uma lavanderia, contribuindo para saúde da família”, conclui Previero.

Fonte: Quality Lavanderia

Bistrot de Paris inicia temporada de inverno

A temporada mais esperada do Bistrot de Paris está chegando! Com a chegada do frio, o Chef Alain Poletto resgata as suas receitas do coração: as especialidades de sua terra natal, a região de Haute-Savoie na França. “Nós trazemos para o menu a verdadeira fondue francesa, com um blend secreto do chef, além de toda a estrutura para se servir a Raclette, com as máquinas importadas da França, as técnicas e os ingredientes artesanais de uma Tartiflette e uma Sopa de Sebola como se servem nos bistros parisienses ” completa o chef.

Começando pelas estrelas da temporada, o Bistrot de Paris apresenta três sugestões de fondues: Au Fromage Originale Arrosée au Kirsh (R$ 95 / por pessoa), clássica fondue suave com blende secreto do chef que leva os queijos Appenzeller, Emmenthal, Gruyèr, além de um toque de vinho branco e Kirsch; Fondue au Fromage et Planche de charcureries (R$109) de queijo acompanhada de tábuas de frios selecionados e uma opção doce, a Fondue au Chocolate, fruits de saison et Madeleines (R$ 46 / por pessoa) de chocolate meio amargo com frutas da estação e madeleines.

A Soupe à L´Oignon, é uma receita clássica de sopa de cebola servida com massa folhada (R$59) que chega ao menu carregada de boas memórias do chef. “Na França, temos essa tradição: quando saímos de festas em que tomamos bebida alcóolica, depois precisamos de uma boa sopa de cebola para ganhar uma ‘segunda vida’ durante a noite. Essa receita é para mim sinônimo de tradição da minha família, tradição francesa e de festas que tomamos com os amigos trazendo uma certa felicidade no fim da noite”, compartilha o chef.

A famosa Tartiflette du Savoyard (R$ 76) é uma daquelas receitas que aquece a alma e coração de quem vive nas montanhas de Haute-Savoie. Agora disponível no menu do Bistrot de Paris, essa é uma receita onde cada ingrediente tem um sentido: o reblochon derretido e gratinado fornece energia, as batatas cozidas harmonizam com a gordura do queijo, e bacon caseiro é a proteína que faltava para fazer um alimento perfeito.

Servida exatamente como nas mesas francesas, a Raclette Traditionnelle (R$ 108 / por pessoa) conta com o tradicional ritual de queijo raclette derretido acompanhados por batatas cozidas, tábua de frios selecionados: viande des Grisons, presunto cru, lombo defumado e calabresa apimentada, cornichons, mini cebola e baguete. “O nome Raclette é derivado do verbo francês racler, que significa raspar. Em sua forma clássica de servir esse prato, uma máquina especial importada da França aquece perfeitamente o queijo para que ele derreta, forme uma casquinha crocante e o cliente possa raspar com cuidado essa delícia em cima das suas batatas, como eu mesmo fazia com minha família e meus amigos numa noite fria” conta o chef Alain Poletto.

Para completar a experiência de inverno, o cliente pode pedir ao chef Alain uma tacinha de chèvre artesanal para finalizar a refeição, um daqueles segredinhos que o chef prepara na sua cozinha e serve como uma gentileza para que todos sintam o clima de acolhimento da sua terra natal.

Bistrot de Paris – Rua Augusta, 2542 – Villa San Pietro Jardim Paulista – tel.: (11) 3063-1675

Rede Ice Creamy lança ‘Festival de Inverno’ com muitas novidades para os amantes da marca

Já estão disponíveis nas 100 lojas da rede – presentes em 17 estados – delícias como petit gateau, waffle, bolo com sorvete, fondue com frutas e com Kit Kat, entre outras delícias. O sorvete, como não poderia deixar de ser, acompanha quase todas as criações

A rede Ice Creamy – maior rede de sorvete na pedra do Brasil, com 100 franquias em todo o país – já deu início ao Festival de Inverno, repleto de delícias que prometem agradar os mais exigentes paladares.

“Quase todas as criações levam o que temos de mais especial, o nosso sorvete”, avisa o presidente fundador da rede e chef sorveteiro, Émmerson Serandin. “Os sorvetes da Ice Creamy são 100% artesanais e contêm menos 50% de açúcar e gordura. Quem experimenta, vira fã”.

Confira o cardápio do Festival de Inverno da Ice Creamy:

Petit Gateau: vem acompanhado de morango, sorvete de baunilha e chantilly.

Brownie: recheado com creme leitinho e morangos, recebe uma cobertura de ganache e vem acompanhado de sorvete de baunilha.

Waffle: servido com ganache, doce de leite, morangos e sorvete de baunilha.

Mega cake: bolo de chocolate recheado com sorvete à escolha do cliente, ganache e leite em pó.

Fondue cup (copo azul, à esquerda): bolo de chocolate, ganache, morangos e sorvete à escolha do cliente.
Ice Gateau (copo rosa à direita): bolo quente com morangos, ganache e sorvete de baunilha.
Petit Fondue Kit Kat (copo amarelo à direita): brownie, Kit Kat e ganache de chocolate.
Petit Fondue Frutas (copo rosa à esquerda) : morango, banana, ganache de chocolate e chantilly.
Fondue Criações: creme leitinho, ganache de chocolate, morangos, brownie e mini marshmallow.

Informações: Ice Creamy

Cinco alimentos que não podem faltar na mesa no outono

Raízs dá dicas de alimentos orgânicos para manter uma dieta saudável e equilibrada em dias mais frios

Com a chegada do outono, as temperaturas vão caindo e muitas pessoas sentem vontade de comer algo mais quentinho e gorduroso, porém, é preciso tomar cuidado para manter uma alimentação saudável e equilibrada durante a estação. Neste sentido, a Raízs, supermercado online de orgânicos e saudáveis pioneiro em valorizar o pequeno produtor, aponta 5 alimentos orgânicos da época que são aliados em uma uma dieta nutritiva. Veja a seguir:

Batata-doce
O tubérculo é rico em vitamina A e C, além de ser um alimento de baixo índice glicêmico. Um aliado para quem busca uma fonte de energia rápida e pratica esportes.

Berinjela
A berinjela faz parte da safra de outono, podendo ser utilizada no preparo de caldos, sopas, babaganuche e também frita. O legume é rico em vitaminas do complexo B, vitamina C e A, minerais como o cálcio e o magnésio, além de ser um antioxidante poderoso. É indicada para controle de pressão e colesterol.

Pixabay

Tomate
A melhor época para consumir tomate é no período entre os meses de abril e junho. É nesse período que o fruto cresce melhor em uma temperatura amena, como no outono. O tomate é fonte rica de vitaminas e minerais, como a vitamina C, K1 e B9.

Abacate
Um dos alimentos com o maior teor de gordura do tipo monoinsaturado, o abacate é ótimo para o coração. Por ser uma fruta gordurosa, ela ajuda a reduzir o colesterol ruim (LDL) e a pressão arterial, fatores de risco para o sistema cardiovascular. No Brasil é consumido com açúcar e leite, mas também pode ser consumido em pratos salgados como o guacamole.

Lebensmittelfotos/Pixabay

Abóbora
Presente nas festas juninas, a abóbora, ou jerimum são destaques em algumas cidades do Brasil. Fonte de betacaroteno, vitamina C e vitamina E, ela possui propriedades antioxidantes e vitaminas do complexo B. Ainda é rico em fibras e fonte de cálcio, ferro, fósforo e potássio. Pode ser consumida em diversos pratos, como em sopas, refogada, escondidinho e até o famoso camarão na moranga (um tipo de abóbora).

Em parceria com a influenciadora e chef Izabela Dolabela, a Raízs preparou uma receita de camarão na moranga para a família no outono.

Camarão na Moranga

Ingredientes:
1 abóbora moranga grande
8 dentes de alho picados
1 ½ cebola picada
Pimenta-do-reino a gosto
Sal a gosto
3 colheres de sopa de azeite de oliva + azeite para refogar
1kg de camarão fresco limpo
2 tomates picados
½ xícara de chá de passata (polpa do tomate cozida sem pele e semente)
¼ maço de coentro
2 pimentas dedo-de-moça picadas sem semente
1 lata de creme de leite
1 xícara de chá de requeijão
100g de queijo muçarela ralado

Modo de Preparo:
Abrir a abóbora, retirar as sementes e reservar;
Amassar 5 dentes de alho, com ½ cebola, pimenta do reino, sal e azeite;
Esfregar essa pastinha no interior da abóbora, tampar e levar ao forno a 180 graus por 30 minutos;
Temperar os camarões com sal, pimenta do reino e suco de limão;
Em uma frigideira quente, com um fio de azeite, dourar os camarões, temperar com sal e pimenta e reservar;
Refogar o restante de cebola, alho e adicione os tomates, deixando cozinhar por 10 minutos;
Junte o coentro, a pimenta, o creme de leite, o requeijão, os camarões e corrigir o sal;
Dispor o camarão com o molho dentro da moranga e misturar com a miolo cozido de dentro;
Cobrir com queijo muçarela ralado; Levar ao forno preaquecido por 20 minutos ou até gratinar.

Fonte: Raízs

Bacio di Latte lança produtos de cafeteria e confeitaria

Entre as novidades estão sobremesas quentinhas, como brownie, que combinam também com a refrescância dos gelatos

O friozinho chegou e com ele veio mais uma novidade da Bacio di Latte, gelateria de origem italiana que nasceu em São Paulo em 2011, para quem adora sobremesas bem no estilo “comfort food”, que aquecem o coração. Confeitaria e Caffetteria Bacio estreiam um cardápio de delícias, quentinhas e também refrescantes, para todos os gostos e paixões, nas lojas de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Ao longo deste mês, os quitutes chegarão nas demais unidades da marca em todo o Brasil.

Além dos doces, a Bacio amplia o cardápio de bebidas com um novo portfólio de cafés para elevar ainda mais a experiência em loja. Hoje, há opções diversas e sofisticadas, todas de criação própria, capitaneada pelo chef e head de P&D da Bacio, Oliver Kirkham. O incremento nessas categorias tem como objetivo conquistar o consumidor em outras ocasiões de consumo. ”Um dos nossos pilares de estratégia é estar perto de nossos clientes, fidelizá-lo e também identificar oportunidades. O gelato ocupa o espaço de lazer e sobremesas após almoço ou ao final do dia. E vemos que a confeitaria e a cafeteria têm espaço durante a tarde, que hoje é um momento mais ocioso dentro de loja. Essas sobremesas chegam, então, para atendermos nossos clientes nesse período de tempo, são novidades, que mantém o vínculo com o nosso tradicional gelato”, afirma Edoardo Tonolli, CEO e sócio-fundador da Bacio di Latte.

“Se formos traduzir essa expectativa em números, queremos dobrar a participação de cafeteria e confeitaria em todas as lojas. Hoje temos cerca de 4% em sobremesas e 3% em cafés e queremos chegar a mais de 8% e 6%, respectivamente. Mas, sobretudo, sabemos também que esses produtos têm um papel grande de incremento de recorrência nas lojas e de aumento de ticket médio, pois são produtos com maior valor agregado que podem ser consumidos tanto sozinhos como com outros itens da loja”, completa o executivo.

As opções que são servidas quentinhas, como o brownie, o waffle, o cookie e o crepe, prometem ser as queridinhas do inverno. Mas, a Bacio garante que vai ser difícil escolher uma preferida.

A Confeitaria Bacio apresenta:
Brownie com chantily e gelato (sugestão: Bacio di Latte)
Bolo de cenoura com calda de chocolate ao leite e gelato (sugestão: Cioccolato Belga)
Waffle com calda de caramelo ou de chocolate com avelã e bola de gelato.
Cookie com calda de chocolate e avelã e gelato (sugestão: Straciatella)
Crepe triangolo com calda de chocolate com avelã ou doce de leite

Vale lembrar que outras delícias ainda estão no cardápio: o Bolo Bem-Casado e a torta de noz-pecã. E eles também podem ser acrescidos de gelato no momento do preparo.

Preço médio das sobremesas: R$ 23,90
Preço do gelato: a partir de R$ 15,90

Informações: Bacio di Latte

Temperaturas frias podem causar depressão sazonal; conheça a condição

Especialista da Eurekka ressalta que condição pode vir em épocas frias, embora seja algo passageiro, o cuidado com a doença é essencial

A depressão é um transtorno mental que se manifesta de diferentes formas, podendo surgir em qualquer momento. A doença é também uma das mais diagnosticadas quando se trata de distúrbios mentais e o não tratamento pode trazer sérios danos à saúde física e mental do indivíduo. Visto isso, a Eurekka, maior rede de saúde mental do Brasil, faz um alerta para uma condição menos debatida: é preciso se atentar à depressão sazonal.

Diferente da depressão comum, a depressão sazonal ocorre em períodos específicos do ano. Neste tipo de condição, o indivíduo apresenta sintomas depressivos apenas no inverno, outono, primavera ou verão. No caso da depressão sazonal, os sintomas começam a desaparecer à medida que a estação em questão se encerra. O psicólogo e CEO da Eurekka, Júlio Pereira, aponta que é mais comum que a depressão sazonal aconteça nas épocas mais frias, embora possa ocorrer em outros climas.

“O diagnóstico da depressão sazonal só pode ser apontado quando a condição ocorre em uma época específica por dois anos seguidos sem outro episódio depressivo não-sazonal. Os sintomas são similares aos da depressão comum e embora só ocorra em uma época específica do ano, é necessário o seu cuidado para que não haja maiores consequências”, ressalta.

Relação da estação do ano com a depressão

É possível apontar algumas causas que indicam que épocas frias possam gerar depressão. No inverno, os dias são mais curtos e, portanto, há menos tempo de luz solar. Ou seja, existe uma diminuição da exposição ao sol e consequentemente na quantidade de vitamina D no organismo. A redução dos níveis de vitamina D pode ser uma das causas da depressão sazonal, uma vez que baixos níveis da vitamina podem provocar cansaço excessivo e mais sono.

A falta de luz solar também pode afetar substâncias relacionadas ao nosso humor e sono, como a melatonina e a serotonina. Com os dias mais escuros, essas substâncias tendem a ficar mais desreguladas. “A serotonina é um neurotransmissor que se relaciona, entre outras coisas, com o nosso humor, sono e apetite. Dessa forma, a alteração em sua produção pode impactar muito no nosso humor. Além disso, há o aumento da produção de melatonina no escuro, um importante indutor do sono. Por isso que nos dias mais nublados e escuros é normal ficar um pouco mais sonolento. Essas alterações, portanto, ajudam a explicar como a depressão sazonal acontece”, destaca o especialista.

Com isso, é possível apontar locais com maior incidência da depressão sazonal, sendo as localizações com altas latitudes. Nesses casos, os raios solares incidem de forma muito inclinada, gerando assim, pouca luz solar. Além disso, são lugares em que as estações são bem definidas em verão e inverno, sendo o verão um período mais curto e com temperaturas amenas e o inverno longo e com temperaturas baixas ao extremo.

Fonte: Eurekka

Água Doce Sabores do Brasil lança combinações focadas no outono e inverno

Consumidores podem degustar de diferentes opções de combos que são destinados ao delivery

Para entrar no clima de outono e inverno, com os dias mais frios se aproximando, a Água Doce Sabores do Brasil lança opções de combos, pratos, caldos, sobremesas e coquetéis para essa época do ano focado no delivery. A lista para esse ano conta com 15 itens e duas opções de combinações para agradar os paladares de todos os clientes. Com 80 restaurantes em sete estados brasileiros, a marca é referência em gastronomia brasileira e oferece aos consumidores porções e receitas fartas para toda família. O cardápio destinado aos meses mais gelados será implementado em locais que já esperam a chegada do frio. Dessa forma, o cliente deverá entrar em contato com a unidade mais próxima para verificar a disponibilidade dos itens.

Na seção de pratos, o cardápio deste ano conta a receita de Mignon ao Molho de Queijo, com bastante cremosidade e com o sabor acentuado da carne; o tradicional Feijão Tropeiro, prato típico de Minas Gerais e região Sudeste; e com a Parmegiana Água Doce, um prato que leva de frango e queijo. Já os combos são divididos em duas opções: o combo Inverno em Campos do Jordão composto por Iscas de Frango, Salada Refrescante e a Carne de Sol cremosa, com queijo gratinado por cima e o combo Inverno em Monte Verde, que leva Bolinhos de Carne de Sol, Salada Refrescante e o Filé Divino, filé mignon suíno coberto com molho branco e mussarela gratinada.

Tradicionais durante o Inverno, os caldos também fazem parte do Festival de Inverno da Água Doce. Os clientes podem optar pelas versões de Feijão à Mineira, Palmito, Verde, Mandioquinha e Mandioca com Carne de Sol. Para os coquetéis, a marca traz para o cardápio ingredientes que combinam bem com essa época do ano, como o chocolate, o mel e a canela.

O coquetel Canela é composto por conhaque, canela e leite; Petrópolis conta com whisky, gengibre e mel; Monte Verde com whisky, café e creme de leite; o drinque Campos do Jordão é criado com conhaque, chocolate e leite; o coquetel Holambra conta com conhaque, licor de cacau e creme de leite e o Choco-Lamour, formado por whisky, leite e chocolate.

Sem deixar a sobremesa de fora, o cardápio de outono e inverno oferece aos consumidores Minichurros de Doce de Leite.

“As estações do ano e o clima mais frio é a oportunidade perfeita para adaptarmos o cardápio da marca de forma temática. Esse tipo de ação aproxima ainda mais o consumidor e traz opções ideais para manter o conforto, além da praticidade de consumir os pratos e drinques em casa. Além disso, o cardápio permite ao franqueado aumentar o tíquete médio, já que oferece combos, receitas exclusivas, drinques e caldos, que são perfeitos para montar uma refeição saborosa, de qualidade e variedade. Sempre buscamos oferecer ao cliente opções diversificadas e combinadas com as estações do ano ou datas comemorativas. Dessa forma, a Água Doce se faz presente tanto nos restaurantes de forma presencial, como na residência dos clientes, sem perder o sabor característico dos pratos da marca”, finaliza o diretor de franquias da rede, Julio Bertolucci.

Informações: Água Doce

Outono e opção do uso de máscaras contra Covid prometem multiplicar doenças respiratórias

Testes moleculares entregam resultados precisos em poucas horas e agilizam tratamento assertivo de doenças que, a cada ano, fazem milhões de vítimas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, por ano, a gripe cause comprometimento grave em 3,5 milhões de pessoas. Crianças, idosos, portadores de doenças pulmonares, pessoas com problemas cardíacos e de imunidade são os mais afetados. Com a chegada do outono – que teve início dia 20 de abril – a redução da umidade relativa do ar típica desta época, associada à também maior concentração de poluentes no ar, fazem com que as doenças respiratórias aumentem significativamente.

A maioria delas são infecciosas, causadas por vírus, e, em segundo lugar, por bactérias. As constantes e bruscas mudanças climáticas e o fato de que casacos e cobertores são retirados dos armários depois de muito tempo guardados também intensificam a ocorrência dos problemas respiratórios. Além de gripes, resfriados e pneumonia, rinite alérgica e sinusite são doenças comuns nesta época do ano.

De acordo com a infectologista do Hospital Vita, Marta Fragoso, a queda da obrigatoriedade do uso de máscaras em muitas cidades brasileiras promete fazer com que o número de casos de diversas doenças também aumente nos próximos meses. A maioria dos estados brasileiros já retirou a obrigatoriedade do uso em espaços abertos e fechados. “A abolição das máscaras tende a aumentar a exposição das pessoas às partículas infectantes e ao ar com alta concentração de poluentes. Utilizada durante os momentos mais críticos da pandemia causada pela Covid-19, a máscara foi uma boa prática de prevenção de doenças respiratórias infecciosas no geral, e deveria ser mantida em algumas situações especiais”, defende.

As doenças infecciosas respiratórias podem ser classificadas como “transportadas pelo ar” (que se espalham por aerossóis suspensos no ar) e “infecciosas”, que se espalham por outras rotas, incluindo gotículas maiores. Aerossóis são minúsculas partículas líquidas do trato respiratório que são geradas, por exemplo, quando alguém exala, fala ou tosse. Essas partículas ficam em suspensão por um tempo no ar e podem conter vírus vivos. As recomendações médicas indicam que quando alguém apresenta sintomas que indicam problemas respiratórios, é essencial que a pessoa se isole e procure um diagnóstico preciso para direcionar o seu tratamento.

O último boletim InfoGripe, da Fiocruz, sinaliza o crescimento das síndromes respiratórias em crianças. De acordo com o relatório, dados laboratoriais preliminares sugerem um possível aumento nos casos associados ao Vírus Sincicial Respiratório (VSR) na faixa etária de zero a quatro anos e interrupção de queda nos casos associados à Covid-19 na faixa de cinco a 11 anos. Para a infectologista, especialmente em virtude do momento em que vivemos, é preciso redobrar as atenções. “O crescimento das síndromes respiratórias, tanto em crianças, como entre adultos e idosos, deve-se aos novos patógenos virais e até bacterianos que apresentam versatilidade quanto à mutações e resistência à poluição ambiental”, explica.

Marta ainda destaca que as melhores formas de prevenção passam por uma hidratação adequada, higienização de mãos com álcool em gel, evitar aglomerações, ventilar os ambientes, manter a etiqueta nos momentos de tosse e espirro, manter as vacinas em dia, utilizar umidificadores de ambientes, garantir que os ambientes estejam limpos, livres de poeiras e ácaros e considerar a avaliação médica para o diagnóstico e tratamento adequados.

Diagnóstico correto é essencial para tratamento com resultados rápidos

Diagnosticar corretamente a doença respiratória que acomete uma pessoa é essencial para garantir tratamento rápido e efetivo. Para isso, o mercado hoje já oferece testes que detectam com precisão diversas doenças respiratórias. O laboratório ID8 – Inovação em Diagnóstico, é um exemplo. Rodrigo Faitta Chitolina, supervisor de laboratório e responsável técnico do ID8, explica que o laboratório oferece quatro exames diferentes para diagnóstico de doenças respiratórias. Do exame para detectar a Covid-19, até outros em formatos de painéis, nos quais é possível detectar por meio de apenas uma amostra três patógenos (painel respiratório – Influenza e SARS-CoV-2), quatro patógenos (painel respiratório – Influenza e Sincicial) ou até mesmo 24 patógenos (painel respiratório-Plus: 24 patógenos incluindo Sars CoV-2), causadores de síndromes respiratórias.

Chitolina conta que, antes da pandemia causada pela Covid-19, poucos eram os casos em que pessoas com sintomas de problemas respiratórios buscavam testes para identificar o agente patogênico causador da enfermidade. “Éramos diagnosticados com uma ‘virose’, sem de fato realizar um exame diagnóstico preciso. Ao longo dos anos de 2020 e 2021, com o advento da pandemia, houve um predomínio de testes relacionados à detecção da doença. Contudo, já no começo de 2022, com o aumento dos casos da nova variante do vírus Influenza A, H3N2, houve uma disparada no número de testes para doenças respiratórias, principalmente, nas modalidades de painéis, já que, em um único exame, é possível detectar não apenas a Covid-19, como também os vírus Influenza. Hoje, a terminologia ‘virose’ não deve mais ser aceita. Precisamos, de fato, saber qual é o patógeno causador da enfermidade para termos um tratamento assertivo”, explica.

Lisandra Maba, responsável pela assessoria científica do ID8, destaca que as infecções respiratórias são as principais causas de morbidade e mortalidade em crianças e adultos em todo o mundo, ocasionando de três a cinco milhões de casos graves a cada ano.

Realizar o tratamento dessas infecções sem o diagnóstico preciso pode induzir ao erro, ou mesmo agravar a situação do paciente quando se espera a evolução da doença para observar novos sinais ou sintomas” destaca, lembrando que os exames realizados no laboratório podem detectar até 24 patógenos no mesmo exame com apenas com uma amostra do paciente. “Isso evita a prescrição desnecessária de antibióticos e o uso correto de antivirais, a redução do tempo de internação e da necessidade de realização de testes laboratoriais, e ainda reduz os custos na manutenção da saúde do paciente”, completa.

Fonte: Laboratório ID8

4 dicas para proteger a pele durante a época mais seca do ano

A estação exige mais cuidados e foco na hidratação; especialista lista dicas

Muitos especialistas alertam sobre os cuidados com a pele durante o verão, mas qualquer estação requer atenção específica. Com a chegada do outono, o calor intenso dá lugar a temperaturas mais baixas e o ar tende a ficar mais seco, que varia conforme a região do país.

“Mesmo que a temperatura mais amena do outono seja boa para realizar tratamentos de pele, é preciso manter cuidados que mesclem a proteção contra raios solares, ventos frios e baixa umidade”, afirma Aline Caniçais, fisioterapeuta dermatofuncional da HTM Eletrônica, referência no desenvolvimento e na fabricação de equipamentos estéticos.

Pensando nisso, a especialista listou quatro dicas de cuidados com o corpo e a pele em casa:

Conheça o seu tipo de pele
Antes de investir em produtos para cuidados homecare, uma dica é conhecer e escolher o cosmético ideal para o seu tipo de pele, assim o tratamento adequado irá ajudar também a potencializar os resultados, mediante as características da pele. Quando a escolha do produto é errada, os ativos trabalharão de forma contrária ao que a pele necessita, promovendo respostas inadequadas.

Evite banho “fervendo” e beba muita água
Banhos quentes e demorados durante o outono podem acabar retirando o manto hidrolipídico da pele – um hidratante produzido pelo próprio corpo que atua como uma camada protetora – e causar um ressecamento ainda maior – por isso é preciso ficar atento. Além disso, geralmente com a temperatura mais baixa as pessoas tendem a não sentir tanta sede, mas com o tempo seco a hidratação se torna ainda mais necessária. Outra dica de beleza para manter o corpo e a pele hidratados é beber bastante água.

Shutterstock

Mantenha o uso do protetor solar
Mesmo nas épocas mais amenas do ano é fundamental o uso de protetor solar para colaborar com os cuidados com a pele. A radiação ultravioleta, também no outono, provoca danos que comprometem a estrutura de sustentação da pele, causando o aparecimento precoce de rugas e flacidez, além das manchas. A orientação continua a ser a de reaplicar o protetor de quatro em quatro horas em ambientes fechados e de duas em duas horas em fotoexposição direta, exceto nos momentos de exposição para sintetizar vitamina D, essencial à saúde e à beleza.

Aposte em cuidados estéticos
Hoje o mercado conta com diversas tecnologias que contribuem para o rejuvenescimento facial, hidratação e tônus da pele. Estes são recursos valiosos que contribuem para os cuidados do corpo e da pele. Sempre que possível, apostar em tratamentos estéticos e usar a tecnologia como aliada para potencializar os cuidados home care é uma ótima opção. A HTM Eletrônica possui em sua linha de produtos diversos aparelhos de estética que atuam no envelhecimento de forma eficaz e segura. O equipamento de luz intensa pulsada, por exemplo, Light Pulse, possui um tratamento específico para o rejuvenescimento e favorece a síntese de colágeno, como também atua na despigmentação das manchas.

Fonte: HTM Eletrônica

Jovem além do rosto: saiba outras áreas que merecem atenção com a pele

Outras regiões do corpo podem envelhecer precocemente com a falta de cuidados como protetor solar e hidratação. Veja quais hábitos, produtos e tratamentos podem ajudar a retardar esse processo

Quando o assunto é manter a pele com aspecto jovem, a área mais lembrada pelos entusiastas do skincare é o rosto. Rotinas com uma quantidade variada de produtos para a face se popularizaram na internet nos últimos anos, voltadas para manter a hidratação e a jovialidade da pele em dia. Acontece que, a partir dos 25 anos de idade, a queda dos níveis de colágeno e ácido hialurônico no organismo também afeta outras partes do corpo que merecem tanto cuidado quanto o rosto, pois também denotam o passar do tempo. Inclusive, a falta de cuidados pode potencializar esse efeito.

Unsplash

“O colo e os braços são áreas que também sofrem um envelhecimento mais rápido, principalmente pela estrutura da pele ser mais fina e estarem mais expostas à poluição e radiação solar”, explica a dermatologista Ana Magella. Assim como as mãos, essas áreas costumam ser esquecidas na hora de passar filtro solar e hidratantes específicos para o tipo de pele, como acrescenta a profissional, que atende na Clínica Corporeum, de Brasília.

No caso das mãos, especificamente, o hábito de usar álcool em gel durante a pandemia também se tornou um fator que favorece a desidratação cutânea dessa região, o envelhecimento precoce e até o surgimento de feridas. Ao higienizar as mãos com o produto, a dica da profissional é hidratar as mãos logo após.

Em qualquer parte do corpo, fatores como exposição solar excessiva, procedimentos como bronzeamento artificial e até movimentos musculares repetitivos também favorecem o envelhecimento precoce, mas os fatores não são apenas tópicos: também acontecem de dentro para fora! “Hábitos como tabagismo, consumo excessivo de álcool, baixo consumo de água e má alimentação também aceleram esse processo”, adverte a dermatologista.

Soluções

Freepik

Ana acrescenta que a recomendação de produtos para retardar o envelhecimento e trazer outros benefícios varia com o tipo de cada pele. “Peles mais oleosas, por exemplo, devem evitar produtos que contenham óleo na sua composição e buscar produtos oil-free ou em gel. Já existem no mercado alguns produtos específicos para mãos e pescoços, mas protetores solares faciais também podem exercer bem essa função”, acrescenta. Independentemente do fototipo de pele, ela acrescenta que o ideal é usar protetor solar com FPS acima de 50 nessas regiões.

Os tratamentos não invasivos atuais para tratar as temidas linhas de expressão, inclusive, vão além dos cosméticos, como frisa a médica. “Temos cada dia mais novidades, tanto para profilaxia (nome dado aos cuidados médicos preventivos) como para ajudar na pele já mais envelhecida. Podemos usar hidratantes e óleos específicos, laser, ultrassom micro e macro focado (como o queridinho Ultraformer III), bioestimuladores de colágeno e até preenchedores com ácido hialurônico”, completa.