Arquivo da tag: pandemia

Pandemia dispara consumo de açúcar; saiba como consumir de forma equilibrada

Ingestão excessiva de açucares pode contribuir para desenvolvimento de diabetes e dificuldade no controle de peso

O período de isolamento e a incerteza quanto ao futuro da pandemia são fatores que vêm contribuindo para o aumento do estresse na população brasileira. O resultado disso é não apenas um crescimento dos problemas relacionados à saúde mental, mas também uma mudança de comportamento alimentar.

cake bolo pedaco doce

De acordo com dados da pesquisa ConVid, realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com a UFMG e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o consumo de alimentos saudáveis diminuiu durante a pandemia, passando de 37% para 33%.

Por outro lado, a ingestão de alimentos não saudáveis — tais quais doces, congelados e embutidos — aumentou. Entre jovens adultos, na faixa de 18 a 29 anos, 63% está consumindo doces ou chocolates duas vezes por semana ou mais.

Segundo o nutricionista Leone Gonçalves, esse aumento se explica pela forma como os doces agem no organismo. Ricos em glicose, substância que entra rapidamente na corrente sanguínea, o consumo desses alimentos gera rápida absorção e estimula a produção de alguns hormônios, como a serotonina — neurotransmissor responsável pela regulação do sono e humor.

“Devido a isso, a pessoa experimenta uma sensação de leveza e desestresse, além dos doces estarem frequentemente associados a memórias e sensação de prazer. Ao considerar o cenário atual, é comum que as pessoas busquem por válvulas de escape alimentar, como uma forma de aliviar a tensão”, argumenta o nutricionista.

candy doce bala goma

O grande problema é que, quando consumido em excesso, o açúcar provoca a sobrecarga do pâncreas, que tem que produzir insulina constantemente para regular os níveis de glicose, podendo não ser o suficiente, o que contribui para o desenvolvimento do diabetes.

Outro fator é que há dificuldade em fazer o controle de peso corporal, o que pode levar a um quadro de obesidade e gerar consequências como propensão a doenças cardiovasculares e hipertensão. “Sem contar que um dos problemas mais citados ao falar de consumo excessivo de doces é a cárie, devido a desmineralização das estruturas dentárias”, comenta o nutricionista.

Atenção aos excessos

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, do percentual de calorias consumidas diariamente, apenas 10% devem ser oriundas de açúcares. Em uma dieta saudável, esse nível de ingestão se restringir a 5%. O ideal é que a pessoa não consuma mais do que 50 gramas da substância por dia.

De acordo com Gonçalves, a dica é procurar manter as principais refeições nos horários corretos e não colocar o doce como o grande vilão. “O doce pode fazer parte da refeição, desde que de maneira equilibrada. Ele pode ser incluído na forma de sobremesas ou como café da manhã, se tiver como base a adição de frutas, por exemplo”, recomenda.

pancake panqueca doce

Além disso, é possível apostar em receitas de doces com ingredientes naturais, que podem ir desde cremes de cacau a picolés de frutas. “É importante não se culpar caso queira comer um doce, ele pode fazer parte da alimentação. É preciso apenas que haja atenção a quantidade e a frequência”, alerta o especialista.

Fonte: Leone Gonçalves é nutricionista, educador físico e acadêmico de Biomedicina

Aumento de 32% de suicídios na quarentena alerta para preocupação com a saúde mental

Psicóloga Ana Gabriela Andriani explica que instabilidade econômica e insegurança são as maiores causas da ação contra a vida

Uma pesquisa realizada em Michigan e divulgado pelo Pine Rest Christian Mental Health Services, um hospital psiquiátrico e profissional de saúde comportamental, nos Estados Unidos, relatou que o suicídio aumentou em 32% durante a quarentena por causa da pandemia mundial causada pela Covid-19.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), cerca de 800 mil pessoas anualmente em todo o mundo cometem suicídio. Porém, durante o ano de 2020, provavelmente esse número será maior nas estatísticas.

depressão

“A insegurança e o sentimento de vulnerabilidade vividos por conta da pandemia somados a instabilidade econômica, aumentou o número de casos de depressão no mundo. Em alguns países que já retomaram suas atividades econômicas, é possível encontrar milhares de pequenos empresários que faliram. Isso acaba afetando drasticamente a saúde mental das pessoas”, afirma a psicóloga Ana Gabriela Andriani.

Por falar em economia, o Banco Asiático de Desenvolvimento calcula que o custo mundial da pandemia pode chegar a US$ 8,8 trilhões, o que equivale a quase 10% do PIB global. Logo, países como a China, precursora do vírus, está em risco de perder 95 milhões de empregos e os Estados Unidos, país que realizou a pesquisa, já está sofrendo com 20 milhões de empregos extintos.

“É uma situação complicada e, por mais que alguns países estejam tentando voltar ao normal, como o Brasil, por conta da não existência de uma vacina, não temos anda uma situação definida e controlada. . As pessoas se sentem mais ansiosas por conta desta instabilidade e indefinição sobre o futuro e isso desperta diversos gatilhos emocionais”, destaca a psicóloga.

Ainda segundo a pesquisa, as pessoas mais suscetíveis ao suicídio estão sendo os trabalhadores essenciais e os profissionais de saúde que estão na linha de frente em combate ao Covid-19.

Busca por ajuda

discussao conversa terapia

No Brasil, um estudo realizado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) mostra um crescimento de 90,5% nos casos de depressão entre os brasileiros desde o início do isolamento social. A pesquisa reuniu respostas de 1.460 pessoas de 23 estados do país.

O estudo também aponta crescimento nos casos de ansiedade e estresse agudos. No caso da ansiedade aguda, a proporção foi de 8,7% para 14,9%, e no caso do estresse, foi de 6,9% para 9,7%.

“É preciso buscar ajuda psicológica logo no início de algum transtorno, ao invés de esperar chegar a uma situação critica. Porém, normalmente o paciente por estar fragilizado, muitas vezes não se da conta da gravidade do que esta sentindo e isso pode requerer a atenção e ajuda dos familiares que estão ao redor. A qualquer sinal de pensamento suicida, contate um médico para ajudar com essa questão”, finaliza Ana Gabriela.

Além da ajuda psicológica, temos no Brasil, o Centro de Valorização da Vida, que ajuda pessoas com esses pensamentos. O CVV pode ser encontrado no telefone 188 ou no site.

Ana Gabriela Andriani

Fonte: Ana Gabriela Andriani é graduada em Psicologia pela PUC-SP e Mestre e Doutora pela UNICAMP, além disso é pós-graduada em Terapia de Casal/Família pelo The Family Institute, Northwestern University – Evanston, IL (USA). Especialista em Psicoterapia Dinâmica Breve pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas/USP e aprimoramento Clínico em Fenomenologia Existencial na Clínica Psicológica da PUC-SP.

Como se preparar para um futuro profissional incerto?*

O futuro do trabalho já era alvo de muitos estudos, palestras e conferências pelo mundo afora. Com a pandemia, o assunto ganhou ainda mais relevância. Especialistas são unânimes ao dizer que estamos vivendo o fim da era dos empregos para a entrada definitiva na era do trabalho. Isso quer dizer que registros em carteira, vale-transporte, alimentação e batidas de cartão de ponto parecem mesmo estar com os dias contados. Mas, calma, não há motivo algum para pânico.

Sempre houve e sempre haverá alguém disposto a pagar para outra pessoa fazer aquilo que ele não gosta, não sabe, não quer ou não consegue fazer sozinho. E essa é a oportunidade ideal para a oferta de um trabalho remunerado. Ou seja, é bem provável que, num futuro não muito distante, você se torne uma pessoa jurídica, emitindo notas fiscais para várias pessoas físicas ou mesmo empresas que precisem dos seus serviços. Pode ser que você até ganhe mais dinheiro dessa forma, mas, inevitavelmente, ganhará mais trabalho também.

mulher executiva

Se você é o dono do seu “nariz”, precisa assumir várias funções simultaneamente. Por exemplo, não adianta ser um excelente técnico, se não souber como e para quem vender os seus serviços. Não adianta vender e entregar bem, se não conseguir administrar suas próprias finanças, entendendo que a vida de um empreendedor é feita de altos e baixos. E também não vai adiantar fazer tudo isso muito bem se você não reservar um tempo para se manter atualizado na sua área de atuação.

Sendo assim, para se preparar para um futuro do trabalho completamente incerto, profissionais de todas as áreas deverão investir constantemente no desenvolvimento de suas habilidades técnicas e comportamentais, as chamadas hard e soft skills. É bom também já ir se acostumando com o conceito de lifelong learning, que significa que teremos que estudar para sempre, buscando o que muitos especialistas chamam de reskilling, ou a necessidade de atualização constante das habilidades profissionais.

Caso você ainda seja do tipo que acredita que um diploma em uma universidade de primeira linha irá te garantir um futuro tranquilo, sinto em lhe informar que você está bastante atrasado. Foi-se o tempo em que tínhamos um mercado de trabalho linear, onde se entrava como estagiário e depois se ia galgando o crescimento para analistas júnior, sênior, pleno, coordenador, gerente, diretor e, para pouquíssimos, as almejadas cadeiras de vice ou presidente. Tudo isso, de preferência, dentro de uma mesma empresa, ao longo de 20, 30 ou até 40 anos.

O grande desafio dos profissionais que já têm uma carreira estabelecida é que eles receberam esse tipo de instrução ao longo de toda a sua vida escolar e agora se deparam com uma realidade um tanto quanto distante de tudo aquilo para o qual eles foram preparados. É quase como estudar para uma prova por anos e, na hora H, alguém virasse para você e dissesse: “esqueça, agora não é mais assim”. A sensação de estar absolutamente perdido é totalmente compreensível.

E o problema maior é que ninguém sabe dizer ao certo como vai ser. As regras mudaram no meio do jogo, mas ninguém é capaz de falar “vá por aqui”, “faça dessa forma”, “isso será assim a partir de agora”. As regras estão sendo construídas com a bola em campo. É tudo ao mesmo tempo e agora. Não existem mais cartilhas ou manuais que conduzam um profissional ao pódio. De agora em diante, será tudo uma questão de tentativa e erro.

estudante laptop computador

Por isso, quanto maior a sua resiliência e capacidade de adaptação, as suas hard e soft skills, mais fácil será construir uma carreira de sucesso em um futuro incerto. Esquecer os roteiros preestabelecidos e as antigas fórmulas é o primeiro passo para encarar a nova realidade. As habilidades a serem desenvolvidas vão variar muito de um profissional para outro, mas de um modo geral, o mais importante é entender que sua vida profissional depende de pequenos esforços diários e contínuos. Estar preparado (independentemente do que isso queira dizer no seu caso) para aproveitar as oportunidades é o que vai fazer a diferença.

Marcos-ActionCOACH

*Marcos Yabuno Guglielmi é coach empresarial certificado da ActionCOACH

Svarov patrocina projeto que ajuda bartenders desempregados por conta da pandemia

O projeto Adote um Bartender foi idealizado pela bartender Carina Slazar e o objetivo inicial é vender 500 coquetéis pelo preço de R$ 29,00

Conhecida por ser feita com ingredientes selecionados, técnicas especiais de destilação e por evitar o mal-estar da ressaca, a Vodka Svarov patrocina o projeto “Adote um Bartender”. Idealizado pela bartender Carina Slazar, o objetivo é comercializar coquetéis engarrafados, cujo lucro será destinado aos profissionais que perderam seus empregos e estão passando por dificuldades financeiras por conta da crise causada pelo Covid-19.

svarov

A ideia surgiu após vários estabelecimentos fecharem ou reduzirem o número de funcionários devido à pandemia. De acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), cerca de 40% dos estabelecimentos em São Paulo serão fechados e espera-se uma retomada econômica lenta do setor.

“Sabemos que a retomada não será de uma hora para outra, e muitas pessoas irão enfrentar dificuldades durante esse período, então nosso objetivo é ajudar e acolher os profissionais que fazem parte da nossa história e sempre contribuíram para o fortalecimento da nossa marca”, afirma Albert Lifschitz, sócio proprietário da Vodka Svarov.

O objetivo é vender 500 coquetéis pelo preço de R$ 29,00. Inicialmente serão cinco opções de receitas disponíveis: Negroni, Manhattan, Vesper Martini, Rabo de Galo e Ramazzotti Tonic. Todos foram preparados no Soroko’s Bar, graças aos insumos e doações feitas por marcas e pessoas.

adote um bartender

É possível comprar os coquetéis em São Paulo por meio do iFood do Graxa Pizzas (Sumaré), pelo delivery do Brechó Bar, pelo delivery da hamburgueria Black Trunk e pelo WhatsApp do restaurante Wafu Number 1.

Para mais informações, basta acessar o instagram @adoteumbartender.

Fonte: Vodka Svarov

Restaurante Kiichi lança três versões de caldo japonês

Feitos com ingredientes saudáveis, são perfeitos para serem consumidos em qualquer horário do dia

O restaurante japonês Kiichi agora conta em seu menu versões do caldo japonês com lamen, idealizadas por José Brito, o Chef da casa. Agora, além do Caldo Japonês Tradicional, o restaurante Kiichi oferece o Caldo Japonês com molho à base de mostarda e Caldo Japonês com molho à base de pimenta. O prato, feito com legumes e verduras, além de muito saboroso, é bastante saudável e tem valor bem acessível.

Caldos-KIICHI-03Caldo-KIICHI-2

Todas as três opções são feitas com lamen, haddock, brócolis, cenoura, acelga, agrião, moyashi, ovo cozido e temperos como o katsuobushi, gengibre ralado e um leve toque de pimenta jalapeño. O chef também acrescenta outras variedades de legumes frescos do dia. O cliente pode escolher sua proteína preferida: filé mignon, lombo de porco, frango (R$ 35) ou camarão (R$ 45).

Os caldos japoneses e os demais pratos da casa, preparados com maestria pelo renomado Chef Brito, podem ser degustados presencialmente na unidade conceito nos jardins, que fica na alameda Lorena, 138 (11h às 17h)* ou por delivery (das 11h às 23h).

Caldos-KIICHI-06

O restaurante Kiichi informa que está seguindo todos os protocolos de prevenção à Covid-19 orientados pelo Ministério da Saúde.

Chef Brito

Após 11 anos no restaurante Nakombi, ao lado dos chefs internacionais, Ignácio Ito e Shigue Shimizu, José Brito inaugura o primeiro Kiichi em 2007 na Vila Olímpia. Em 2009, abre a segunda unidade, localizada na Alameda Lorena, que hoje é a unidade conceito. Na sequência vieram as unidades Vila Mariana e Morumbi e o aplicativo para delivery próprio da marca. Além do Kiichi, hoje é sócio do restaurante Kyuurai, em Santos. Seus parceiros são os empresários de sucesso; Paulo França, Marcos Ferreira e Mauricio Almeida.

Kiichi
Delivery: pedidos podem ser feitos por aplicativo próprio do Kiichi, disponível para IOS e Android, no site e pelo telefone 11 3051-3330 ou por IFood.
O horário do serviço de delivery nas quatro unidades: das 11h às 23h
-Kiichi Lorena: Alameda Lorena, 138, São Paulo – Tel: 11 3051-3330
-Kiichi Vila Olímpia- Tel: 11 3842-0440
-Kiichi Vila Mariana – Tel: 11 2577-2023
-Kiichi Morumbi: Tel: 11 3502-6702

*Horário de acordo com o Decreto publicado pela Prefeitura de São Paulo que estabelece que os bares e restaurantes podem funcionar por 6 horas diárias na fase 3 – Amarela do Plano São Paulo, que prevê a retomada econômica com a flexibilização gradual dos serviços.

Como encontrar propósitos em meio à crise?

Especialista em psicologia positiva dá dicas para você criar o seu propósito de vida e alcançar realizações

O mercado de trabalho sofreu um grande impacto com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Para se ter uma ideia, estima-se que o número de horas de trabalho perdidas no segundo semestre de 2020 seja equivalente a 400 milhões de empregos em período integral.

Os dados do relatório da Organização Internacional do Trabalho das Nações Unidas são mesmo impactantes. Sobretudo para os milhares de profissionais que perderam sua principal fonte de renda de uma hora para outra.

Apesar de dificuldades, após o impacto da notícia negativa, o que se viu por aí foi muita gente enfrentando a situação – algumas vezes, usando a criatividade a seu favor. Teve quem abriu um novo negócio, aprendeu uma habilidade diferente e, até mesmo, migrou para outra área de atuação. Para todas essas pessoas, a palavra de ordem, portanto, foi “reinventar-se”.

Mas como isso é possível, afinal? De acordo com Flora Victoria, por meio da criação de propósitos de vida. “Procurar maneiras de fazer a diferença de uma forma distinta é uma resposta humana natural quando enfrentamos adversidades. Eventos imprevisíveis como o que estamos vivendo podem realmente inspirar as pessoas a mudar e crescer, colocando-as no caminho do propósito”, explica a mestre em psicologia positiva aplicada pela Universidade da Pensilvânia.

Você tem um senso de propósito?

mulher espelho

Segundo a especialista, nós não precisamos nos preocupar em encontrar um único propósito. “É possível ter propósitos em diferentes áreas da vida. Basta cultivá-los, por meio de ação e reflexão. Como a felicidade, o propósito não é um fim, mas uma jornada e uma prática. Isso significa que é possível você pensar que tipo de pessoa e profissional deseja ser neste momento. No entanto, claro, é necessário agir para chegar até lá”, pontua Flora, que ainda lista 5 maneiras de descobrir um propósito:

• Seja curioso

mulher lendo livro sirindablog por Pixabay
Sirindablog/Pixabay

Tudo começa com a leitura. O hábito de ler nos conecta a pessoas, ideias e informações que não conhecíamos. Então, passe a apreciar desde livros até reportagens de revistas especializadas e sites de notícias. Encontrar conteúdos que são importantes para você pode ajudá-lo a ver o que importa em sua própria vida. Mas descobrir um propósito não é apenas uma busca intelectual. Você também precisa sentir e estar atento ao que acontece no seu bairro, na sua cidade, no seu país e no mundo. Às vezes, a necessidade de outra pessoa pode nos levar a chegar a um propósito. Isso fica evidente quando você vê alguém que passou a oferecer um produto ou serviço que fazia falta em determinada região. Sabe o que eles fizeram? Observaram uma necessidade e partiram para a ação.

• Crie laços de parceria

gastronomia curso cozinha aula shutterstock
Shutterstock

Muitas vezes, também podemos encontrar um plano de vida nas pessoas ao nosso redor. É possível criar um projeto comum em família, como montar um novo negócio, por exemplo. Dê uma olhada nas pessoas que lhe cercam. O que você tem em comum com elas? O que eles estão tentando ser? Que impacto você observa que elas têm no mundo? Esse impacto é positivo? Se as respostas para essas perguntas não o inspirarem, talvez seja necessário criar mais conexões – e, com isso, um novo propósito pode chegar.

• Cultive emoções como admiração, gratidão e altruísmo

jogo da gratidao thinkinglQ
Foto: thinkinglQ

A admiração, por si só, não lhe dará um propósito na vida. Porém, ela ajuda a você se sentir motivado. Quando vemos como os outros tornam o mundo um lugar melhor, ficamos mais animados a retribuir com algo. É aí que a gratidão e o altruísmo entram em jogo. Curiosamente, essas emoções parecem trabalhar juntas para gerar significado, pois estão neurologicamente ligadas, ativando os mesmos circuitos de recompensa no cérebro. Em um experimento, pesquisadores designaram aleatoriamente alguns participantes para escrever cartas de gratidão. Mais tarde, essas pessoas relataram um senso de propósito maior.

4) Ouça o que as outras pessoas apreciam em você

mulher homem conversa trabalho pexels
Pexels

Agradecer pode ajudá-lo a encontrar seu propósito. Mas isso também ocorre ao ouvir o que as pessoas dizem sobre você. Muitos artistas, escritores e músicos contam como a apreciação de outras pessoas alimenta o trabalho e produz energia para criar.
Como você poderia ajudar a vida de outras pessoas? O que você faz de especial? Quais são os elogios mais recorrentes que você recebe? Para trilhar esse caminho, pense quais habilidades você domina e gostaria de aperfeiçoar. Quem só cozinhou por hobby até agora pode começar uma carreira na gastronomia. E o melhor: trabalhando com algo que dá prazer!

5) Relembre sua história

mulher ar livre felicidade
O propósito geralmente surge da curiosidade sobre sua própria vida. Quais obstáculos você encontrou? Quais pontos fortes ajudaram você a superá-los? De que forma suas competências permitiram melhorar a vida dos outros? Ao fazer uma narrativa de sua própria vida, você entende melhor as suas experiências. Um estudo publicado no Journal of Happiness Studies descobriu que aqueles que veem significado e propósito na vida são capazes de contar uma história de mudança e crescimento no qual conseguiram superar os obstáculos que encontraram. Em outras palavras, criar uma narrativa ajuda a ver suas forças e como a aplicação delas pode fazer a diferença, o que aumenta o senso de autoeficácia.

Finalmente, é hora de partir para a ação!

caderno branco anotações

Flora Victoria, que também é Embaixadora da Felicidade no Brasil pela World Happiness Summit, explica como colocar esse aprendizado em prática. “Primeiro, pense em cada um dos pontos mencionados. Depois, anote quais propósitos surgiram a partir das reflexões propostas. Por fim, escolha um deles por vez e trace um plano de ação com metas realizáveis. É importante detalhar a data de início e a previsão de término de cada uma delas”, finaliza.

Aprofunde-se ainda mais neste assunto

813ulYy515L

Para contribuir com o aprendizado das pessoas nesse momento de dificuldades, Flora Victoria decidiu presenteá-las com o seu mais novo livro: “O Tempo da Felicidade”. Lançado em março pela HarperCollins, uma das maiores editoras do mundo, a obra é um sabático para repensar a vida, priorizar os seus objetivos e se renovar. Quem estiver interessado em temas como felicidade, bem-estar e florescimento, pode receber o livro gratuitamente em casa pagando apenas a taxa de envio. Basta acessar a página e reservar o exemplar enquanto durarem os estoques.

Skincare é fundamental na reabertura para evitar danos à pele causados pelas máscaras

Com a flexibilização da quarentena e grande parte das pessoas voltando ao trabalho, período de utilização das máscaras de proteção tende a ser maior, o que pode causar prejuízos à pele, incluindo ressecamento, irritação e o surgimento de acne. Dermatologista dá dicas para evitar o problema

Passamos por um momento delicado da pandemia do novo coronavírus. Apesar da recente flexibilização da quarentena e reabertura gradual do comércio, os números de casos e mortes devido à Covid-19 continuam altos e sem previsão de diminuir. Por isso, o uso de máscara continua sendo fundamental.

mascara social (002)

“Muitas pessoas são assintomáticas ao Coronavírus, ou seja, podem ter e transmitir o vírus mesmo sem apresentarem nenhum sintoma. Além disso, as micropartículas do Coronavírus podem permanecer no ar por muito tempo. Logo, devemos usar máscara sempre que houver a necessidade de sair de casa”, explica a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. O problema é que, como muitas pessoas estão voltando a trabalhar, o período de utilização das máscaras passará a ser maior e o uso constante desses equipamentos pode causar uma série de danos à pele.

De acordo com a especialista, a utilização constante das máscaras de proteção pode, por exemplo, levar ao surgimento de dermatite de contato, tanto irritativa, quanto alérgica, devido aos materiais da máscara e a pressão exercida pelo equipamento sobre a pele.

“Em casos de usos mais constantes, é ainda possível observar o aparecimento de secura, vermelhidão, descamação, infecções secundárias e maceração na pele, o que pode causar também o agravamento de algumas doenças preexistentes, como a dermatite atópica, rosácea, psoríase e dermatite seborreica. O surgimento e agravamento de quadros de acne também são uma preocupação, visto que, além do ressecamento, as máscaras também podem causar a obstrução dos poros”, alerta.

O problema ainda é agravado por dois fatores: o uso de máscaras N95, já que essas são mais apertadas, e a chegada do inverno. “O inverno é uma estação naturalmente mais fria e seca, o que, combinado ao uso constante da máscara, pode intensificar ainda mais o ressecamento e a irritação da pele.”

É claro que não usar máscara para se locomover até o trabalho ou retirá-la durante o experiente não é uma opção, afinal, o uso do equipamento quando não há possibilidade de distanciamento social é uma das principais formas de prevenir a transmissão e proliferação do vírus causador da Covid-19.

Então, a melhor maneira de evitar o surgimento desses problemas na pele é apostar na realização diária de uma rotina de cuidados da pele visando manter intacta a barreira responsável por proteger o tecido cutâneo.

mulher limpeza pele rosto wiseGEEK
Foto: wiseGEEK

“Comece realizando a higienização da pele, o que deve ser feito com sabonetes específicos para o seu tipo de pele, ou seja, quem possui pele oleosa deve optar por sabonetes líquidos formulados com ativos seborreguladores, enquanto quem possui a pele mais ressecada precisa realizar a limpeza com mousses mais hidratantes. Mas, independentemente do tipo de pele, o ideal nesse momento é investir no uso de produtos mais suaves e evitar fazer uma fricção acentuada enquanto higieniza a pele para não causar agressões ao tecido”, aconselha Paola.

mulher pele rosto

Em seguida, aposte na hidratação, que é de suma importância para restaurar e manter o equilíbrio fisiológico da pele. Procure por produtos que possuem ação emoliente, hidratante, regeneradora e anti-inflamatória para combater o ressecamento e os danos causados ao tecido pela máscara. Se sua pele está muito sensível ou irritada, vale a pena investir também no uso de máscaras cosméticas com ativos calmantes, como aloe vera e alfabisabolol.

“Também é necessário ficar atento aos produtos e ingredientes que podem contribuir para a sensibilização da pele. Então evite a utilização de cosméticos formulados com fragrâncias e conservantes, além de ativos como retinol e alfa-hidroxiáidos”, recomenda a médica.

shutterstock mulher pele rosto

Para finalizar a rotina de cuidados com a pele, aposte no uso de um fotoprotetor com, no mínimo, FPS 30, mesmo se você for passar o dia dentro do escritório, já que os raios ultravioletas do sol são capazes de atravessar vidros e janelas. “Após o fotoprotetor, evite aplicar maquiagem ou então restrinja o uso desses cosméticos à região dos olhos, pois as sujidades da maquiagem podem ficar acumuladas na máscara, levando a diminuição da filtragem do ar e, consequentemente, reduzindo sua eficácia na hora de impedir a passagem de agentes patógenos como o novo coronavírus”, destaca a especialista.

E o mesmo vale para qualquer tipo de produto que possa depositar impurezas na máscara, incluindo alguns tipos de loções pós-barba e produtos skincare, como fotoprotetores com base e cosméticos formulados em veículos pesados, como cremes. Então preste atenção aos produtos que você aplica na pele na hora de realizar a rotina skincare.

mascara protecao mulher

Por fim, caso você note o surgimento de alterações na pele causadas pelo uso constante da máscara durante a reabertura, não pare de usar o equipamento. Nesse caso, o melhor é consultar seu dermatologista, seja por atendimento online ou consulta presencial, visto que grande parte dos médicos já reabriram suas clínicas para atender os pacientes. “O dermatologista poderá realizar uma avaliação de sua pele e, através do diagnóstico correto do problema, indicar o melhor tratamento para cada caso”, finaliza Paola.

Fonte: Paola Pomerantzeff é dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), tem mais de 10 anos de atuação em Dermatologia Clínica. Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina Santo Amaro, especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Abertura gradual: restaurante Così adota tecidos “anticovid” em toalhas e uniformes

Restaurante Così adota produto inovador para proporcionar cuidado ainda maior para receber clientes

A reabertura das atividades de serviços no Brasil está sendo feita de forma gradativa. Alguns comércios – com exceção dos que vendem produtos essenciais, como padarias, farmácias e supermercados, que estão na ativa – estão voltando a funcionar com um horário reduzido e adotando uma série de cuidados para minimizar o contágio da Covid-19.

Este é o caso do setor de restaurantes, que recebeu na última semana, o sinal verde dos órgãos governamentais para retomar as atividades do salão Para isso, vários protocolos de segurança terão que ser seguidos, porém um desses locais largou na frente nesse sentido. O charmoso restaurante Così, localizado no bairro de Santa Cecília em São Paulo (SP), reabriu as portas no último dia 11, com toalhas de mesa confeccionadas com o tecido Delfim-Protect, produto desenvolvido no Brasil pela indústria têxtil Delfim, em parceria com a Nanox, que conta com uma nanotecnologia que é capaz de matar fungos, bactérias e vírus – incluindo o SARS-Cov-2 – em menos de dois minutos por meio do contato.

Máscara tecido Delfim Protect (002)

Leonardo Recalde, sócio-proprietário da casa, conta que, quando ele ficou sabendo da novidade, ficou empolgado em logo levar a inovação para o restaurante. “Achei essa inovação incrível e não quis perder tempo para adaptá-la ao Così, para que quando abríssemos nossas portas, pudéssemos oferecer segurança para todos, tanto para os nossos colaboradores, quanto para os nossos clientes. Queremos que todos fiquem confortáveis, sem pensar em perigo de contaminação, ao retornar à nossa casa”, ressalta.

Nesse sentido, o produto entrega o que promete. É composto de 100% poliéster e tem como diferencial a tecnologia empregada na construção dos fios e na aplicação da nanotecnologia desenvolvida pela Nanox. Isso garante a ele tenha alta eficiência bactericida e, o mais importante em tempos de Covid-19: o Delfim-Protect é capaz de eliminar 99,9% do novo coronavírus em até dois minutos, de acordo com testes realizados em laboratório.

No Così, o “supertecido” está sendo utilizado para a produção de 120 toalhas, entre quadradas e redondas, o que garantirá a sua troca a cada cliente que chegar no restaurante. Além disso, também está sendo aplicado para a produção de aventais e máscaras utilizados pela equipe de cozinha – chef, assistentes e auxiliares – e para o time da linha de frente, incluindo garçons, maître, entre outros.

Essa ação soma-se aos demais cuidados que o Così irá tomar para sua reabertura, como a redução de quase 50% no número de mesas, um aumento considerável no espaçamento entre elas – priorizando a utilização da área externa do restaurante – disponibilização de álcool gel para todos os clientes e colaboradores, luvas e toucas – que já eram utilizadas na cozinha -, entre outros itens.

“Temos que ter toda cautela nesse momento delicado, pois está tudo muito incerto ainda. Queremos que o retorno seja feito de forma bem estruturada e não precisemos mais fechar as portas novamente para o público”, enfatiza Recalde.

Cosi Delfim Protect (002)

Para Mauro Deutsch, presidente da indústria têxtil Delfim, a presença do Delfim-Protect no restaurante, logo na chegada do produto ao mercado brasileiro, mostra a alta versatilidade do tecido em suas aplicações, que pode ser utilizado de muitos itens, que vão desde lençóis hospitalares a babadores infantis. “Esse avanço de novas possibilidades está acontecendo de forma muito rápida, o que aponta que vamos avançar muito nos próximos meses, não somente no setor de restaurantes, mas também em outros segmentos”, comemora.

O famoso Uovo Mollet está no nosso cardápio de reabertura
O famoso Uovo Mollet da casa está no cardápio de reabertura

Restaurante Così: Rua Barão de Tatuí, 302 – Santa Cecília, São Paulo – Horário de funcionamento: quinta e Sexta, das 12h às 15h e sábados e domingos, das 12h às 17h. Tel.: (11) 3826-5088 / WhatsApp (11) 99717-8670

 

Especialista alerta para cuidados extras no inverno em meio ao coronavírus

Com dias mais frios e a pandemia, dermatologista traz dicas para evitar doenças típicas da estação e as ocasionadas pela Covid-19

O inverno chegou e com ele o período que registra as temperaturas mais baixas do ano no Brasil. Além dos desafios típicos dessa época, os brasileiros devem se atentar a cuidados extras em meio a pandemia causada pelo coronavírus. Se, em geral, o clima mais seco já costuma causar maior incidência de acnes, falta de hidratação e ressecamento na pele, a reclusão e a constante lavagem das mãos são fatores que podem agravar reações alérgicas e adversas no corpo.

“Alguns trabalhos, principalmente na Europa, mostraram lesões cutâneas associadas à infecção pelo novo coronavírus. Além disso, o constante atrito pelo uso prolongado de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), principalmente por profissionais de saúde, e a recorrente desinfecção das mãos pelo álcool em gel podem gerar maior desgaste da pele e, consequentemente, aumento no ressecamento, dermatites irritativas (vermelhidões) e descamações que requerem cuidados específicos”, aponta Fábio Heidi Sakamoto, professor de dermatologia no curso de Medicina da Faculdade Santa Marcelina.

Manter a higiene das mãos e uso das máscaras nunca foi tão recomendado. Em contrapartida, os novos hábitos requerem mudanças na rotina de hidratação da pele. Para isso, existem diversos tipos de emolientes que podem ser usados conforme a necessidade. “Hoje a tecnologia dermocosmética apresenta opções em cremes para a aplicação na pele do rosto e mãos contendo ácido hialurônico, ceramidas, vitaminas E e C ou outros ingredientes hidratantes, eficazes na reparação”, explica Fabio.

Outras questões que podem ser ocasionadas tanto pelo clima frio quanto pela influência da reclusão e seus aspectos emocionais e sociais sobre a saúde física do corpo humano são as acnes. Segundo o especialista, o alto nível de estresse gerado em razão da pandemia é relevante, não só no caso de aparecimento de acnes, como no agravamento de afecções dermatológicas como quedas de cabelo, psoríases, eczemas, alergias e dermatites seborreicas, entre outras.

Confira, então, dicas para encarar os diferentes desafios para a pele nesse período:

mulher negra pele creme thatsister
ThatSister

Mantenha sua pele hidratada: o uso recorrente de emolientes (que amaciam e suavizam a pele), umectantes (que mantém e retém a unidade na pele) e hidratantes (que ajudam a manter a pele macia e a aumentar o teor de água na pele), dependendo do nível de ressecamento das mãos, é importante;

gel alcool 2

Prefira álcool em gel com opções umectantes: o mercado apresenta diversas opções para a higienização das mãos e que contém propriedades calmantes e hidratantes que diminuem a irritação que o álcool em gel pode causar, como a glicerina e o Aloe Vera;

mulher usando serum pele

Abuse de agentes hidratantes para o rosto: são fundamentais para minimizar a agressão causada pelos atritos dos EPIs no rosto, desde que tenham baixo teor de gordura (ácidos graxos) para não agravar a incidência de acnes;

mulher banho quente chuveiro

Seja rápido nos banhos quentes: nesse frio são uma boa pedida, mas a permanência nele por muito tempo provoca diminuição da proteção natural da pele;

mulher madura tomando agua

Beba bastante água: a hidratação interna do corpo, não somente a tópica com hidratantes, é um fator essencial para manter a umidade da pele, além de lubrificar as articulações e manter o bom funcionamento das funções do organismo;

protetor solar creme rosto mulher

Proteja-se dentro de casa: apesar do isolamento, o filtro solar é importante até mesmo para proteger contra a luz da lâmpada residencial;

Wohnen, Berlin, Deutschland
WestEnd

Tome sol: caso tenha um quintal, sacada, janela ou varanda para “pegar” um sol, é importante para a vitamina D do corpo. A reclusão social motivada pela pandemia faz com que as pessoas “esqueçam” dessa luz natural e que ajuda a fortalecer o corpo.

Fonte: Faculdade Santa Marcelina

Pesquisa da Fiocruz aponta aumento de dor nas costas durante a pandemia

Uma pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que ouviu mais de 44 mil pessoas entre abril e maio, aponta que 41% dos entrevistados passaram a sentir dores nas costas. Enquanto isso, entre os que já sofriam de dores crônicas, mais de 50% afirmam que o desconforto aumentou durante a quarentena.

tab2tab1

O aumento dos quadros de dor podem estar relacionados com a falta de estrutura existente no home office, além do sedentarismo causado pela falta de atividades físicas.

Segundo o médico ortopedista, especialista em coluna, Antônio Krieger alguns hábitos podem ajudar a prevenir o problema e o espaço para o trabalho em casa pode ser adaptado

“A cadeira deve ter apoio para os braços, regulagem de altura e preferencialmente um apoio para a coluna lombar. Ombros e pescoço devem se manter relaxados e o monitor do computador deve estar ajustado para que fique na altura da direção dos olhos. Isso irá evitar que você tenha que esticar, distorcer ou mexer no pescoço”, comenta o especialista. “No caso de notebooks, você pode usar livros para elevar altura da tela e usar acessórios periféricos para substituir o teclado e o touchpad. Os pés devem estar apoiados no chão e os joelhos levemente abaixo do quadril”, completa Krieger.

Promover intervalos regulares e alongamentos durante a jornada também podem ajudar a evitar quadros de dor nas costas.

iStock- dor nas costas mulher

Atividades físicas, mesmo que feitas em casa utilizando o peso do próprio corpo, também podem colaborar para o fortalecimento da musculatura que sustenta a coluna. Entre estes exercícios estão agachamentos, levantamento terra, abdominais e todas as suas variações possíveis, de acordo com o nível do condicionamento físico de cada pessoa.

“Exercícios de fortalecimento do core – o centro de gravidade do corpo composto por músculos abdominais, lombares, glúteos e oblíquos podem ser realizados por todos as pessoas sem a necessidade de equipamentos ou grandes espaços. Fortalecer esta musculatura, ajuda a sustentar e proteger a coluna”, garante Krieger.