Arquivo da tag: pernas

Altas temperaturas aumentam riscos de doenças vasculares e circulatórias

Cuidados com alimentação e prática de atividades físicas ajudam a evitar o acúmulo de líquido e inchaço no corpo, sinais de alerta do sistema circulatório

Com a chegada do verão, é comum sentirmos as pernas mais pesadas, os pés e mãos inchados e a sensação constante de cansaço provocada pelo calor excessivo. De acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), o período mais quente do ano provoca um aumento de 30% na incidência de doenças vasculares.

A condição, somada às altas temperaturas, é fomentada pelo acúmulo de líquidos em espaços ao redor dos tecidos e órgãos. “O inchaço, embora seja mais frequente no verão, é sempre um sinal de alerta em qualquer época, principalmente se há persistência após algumas horas de repouso, pois demostra uma sobrecarga no sistema circulatório”, destaca Paulo Eduardo Bochio, cirurgião vascular da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

MedicalNewsToday

Ele explica que esta sobrecarga pode ser provocada por uma condição fisiológica, como a dilatação das veias destas áreas, e também pode ser um indício de trombose venosa profunda. “Sendo assim, inchaços persistentes necessitam de avaliação médica.” Segundo o especialista, as mulheres são as que mais sofrem com os problemas vasculares durante o verão. E esclarece que os hormônios femininos, principalmente o estrógeno, estão associados à piora dos sintomas de doenças vasculares, como peso, cansaço e inchaço.

“Em alguns casos, o uso de medicamentos com estrógenos pode até causar ou agravar a própria doença, como em pessoas com predisposição genética ou fumantes, seja piorando os sintomas e aspecto do membro, ou mesmo levando à trombose venosa, principalmente em mulheres acima dos 35 anos”, explica.

E frisa que, normalmente, a principal queixa das pacientes durante esta estação é sobre os inchaços nas pernas, um dos principais sintomas da insuficiência venosa crônica, que acomete um número significativo de pessoas da população geral e principalmente do sexo feminino: “Este problema, na maior parte das vezes, é benigno, quando tratado de maneira adequada.”

Para pessoas que têm problemas vasculares prévios, como insuficiência venosa crônica (varizes), o médico pede atenção às altas temperaturas, assim como nas doenças arteriais para as baixas temperaturas. “As varizes dos membros inferiores são veias dilatadas e tortuosas, incapazes de conduzir adequadamente o sangue das pernas para o coração. No sistema superficial de veias, essa dificuldade de retorno se chama estase venosa, e facilita o aparecimento de edema e até flebites (inflamação aguda da veia)”, ressalta.

De acordo com o especialista, em casos mais graves, principalmente quando há acometimento do sistema venoso profundo, como no caso de pacientes que já tiveram trombose, podem aparecer úlceras varicosas ou novos episódios de trombose.

Trombose

Getty Images

A pandemia de Covid-19 impôs à população muitas mudanças de comportamento e estilo de vida. “Essas mudanças fizeram com que muitos deixassem um pouco de lado os cuidados com a saúde, aumentando o risco, principalmente agora no verão, de ocorrência de doenças como a trombose”, relata o cirurgião vascular.

A trombose é um problema de circulação, causado pela criação de um coágulo em locais em que não ocorreram qualquer tipo de sangramento. “Em condições normais, a formação do trombo (coágulo) é um mecanismo fisiológico do sistema circulatório que cessa qualquer tipo de sangramento, por exemplo no caso de um ferimento. Porém, com a trombose, esse trombo se forma dentro de um vaso, dificultando ou impedindo a circulação sanguínea na região ou em um órgão específico”, afirma o especialista.

A trombose acontece em diferentes tipos de vasos sanguíneos, podendo se apresentar como:

  • Trombose venosa profunda: afeta principalmente as veias nos membros inferiores, geralmente na região das coxas e panturrilhas, podendo acometer outros vasos, como os abdominais. Sua principal e mais temida complicação é a embolia pulmonar, quando o trombo é levado pela corrente sanguínea e entope a circulação dos pulmões, causando grande risco à vida.
  • Trombose arterial: forma-se nas artérias, os sintomas principais são causados pela falta de suprimento sanguíneo adequado, ao órgão ou região acometida, por exemplo, no coração, angina ou infarto, no cérebro, um AVCI (acidente vascular cerebral isquêmico, causado pela) nas pernas: frialdade, arroxeamento e alteração da sensibilidade, com risco de perda do membro.

As doenças arteriais normalmente têm sua maior incidência no inverno e, como principais fatores de risco, diabetes, hipertensão, tabagismo e colesterol elevado. A obesidade e o sedentarismo são fatores de risco tanto para a doença venosa como para a arterial.
Outra preocupação, apresentada pela SBACV, foi a identificação da doença em pacientes que tiveram Covid-19.

“A doença pode ser grave em pacientes que já tinham algum fator de risco prévio, como obesidade ou tabagismo. No entanto, estamos observando o aparecimento de trombose em pacientes previamente saudáveis. Ao que parece, o processo inflamatório extremo causado pela Covid- 19 está intimamente relacionado à trombose”, destaca o cirurgião vascular. Alguns dos fatores que, segundo a especialista, podem causar a trombose são: período de gravidez, uso de anticoncepcionais e a permanência na mesma posição por longos períodos.

“Ficar muito tempo de pé ou sentado, durante o horário de trabalho ou em viagens, dificulta o retorno do sangue e líquidos ao coração, já que a musculatura e o próprio movimento em si têm um papel fundamental na circulação”, explica Bochio, que dá algumas recomendações para as pessoas que passam muito tempo em pé ou sentadas, mesmo que não tenham insuficiência venosa:

  • Levantar-se pelo menos uma vez a cada hora;
  • Caminhar por cerca de 5 minutos;
  • Sentado ou em pé, fazer movimentos circulares com os pés;
  • Elevar as pernas próximo ao nível do coração, algumas vezes ao dia;
  • Utilizar meias elásticas, caso haja recomendação médica.

As dicas acima podem ajudar no bom funcionamento da circulação sanguínea e contribuem significativamente para a melhora dos sintomas e prevenção de complicações.

Cuidados

Segundo Lígia dos Santos, nutricionista da Rede, outros fatores que mais causam problemas vasculares durante o verão são a desidratação e a preexistência de doenças associadas à obesidade e ao sobrepeso, como o diabetes e a hipertensão.

“Esses são elementos que atrapalham a circulação e podem agravar quaisquer inflamações presentes nos vasos sanguíneos, levando o corpo a reter líquidos para diluir o mineral, como o sódio, e inchar”, explica a especialista. Ela também pontua que alguns alimentos muito consumidos, como os industrializados e ultraprocessados, são prejudiciais por possuírem altos níveis de sais e açúcares em sua composição.

Para evitar a má circulação, ela recomenda uma dieta balanceada, com a presença de alimentos diuréticos como melancia, melão, pepino e abóbora, além da ingestão de água pura, que ajuda a evitar a retenção de líquidos e a repor o potássio que é eliminado pelo suor.
“Muitos acreditam que os inchaços são causados pela quantidade de líquido ingerido, mas a hidratação, pelo contrário, é o que evita a retenção e favorece o funcionamento intestinal. A desidratação pode favorecer o aparecimento do edema.”

Daniel Reche/Pixabay

Por fim, Lígia recomenda realizar regularmente atividades físicas. O ideal, segundo ela, é se exercitar antes das 10 horas ou na parte da noite (se isto não tirar seu sono), para evitar a exposição ao calor. “Realizar exercícios físicos ou caminhadas são essenciais para evitar inúmeras doenças, principalmente a trombose, pois são as formas mais eficientes de combater os incômodos causados pela má circulação. Lembrando que a atividade física deverá ser orientada por um profissional”, finaliza.

Fonte: Rede de Hospitais São Camilo

Exercícios simples com o pé, feitos dentro de casa, já diminuem risco de trombose

A trombose venosa profunda é uma condição séria e pode resultar em embolia pulmonar. Para minimizar o risco, alguns exercícios que estimulam o fluxo sanguíneo são eficientes para evitar o desenvolvimento do quadro

Você já deve ter ouvido falar sobre trombose. E o sedentarismo é uma condição que favorece o desenvolvimento do quadro. Por isso, pessoas com histórico familiar da doença devem estar em alerta, principalmente se estiverem cumprindo o isolamento social dentro de casa. Segundo Aline Lamaita, cirurgiã vascular, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, a trombose ocorre quando um coágulo sanguíneo se desenvolve no interior das veias das pernas devido à circulação inadequada, impedindo, assim, a passagem do sangue.

“Em casos mais raros, o coágulo pode ainda se desprender da parede da veia e correr pela circulação até chegar ao pulmão, causando uma embolia pulmonar que pode até resultar em morte. Permanecer muito tempo parado e sem movimentar as panturrilhas faz com que a velocidade do sangue dentro dos vasos diminua. Além disso, beber pouca água e alimentar-se mal são fatores que dificultam a circulação. Por isso, para evitar o quadro, é essencial caminhar dentro de casa e fazer simples exercícios a fim de minimizar o risco do problema”, diz a médica.

A cirurgiã vascular sugere alguns exercícios que podem ser feitos até mesmo sentado: “Comece com os pés no chão e, em seguida, levante os calcanhares enquanto mantém as pontas dos pés no chão, permanecendo nessa posição por alguns minutos. Depois, coloque os calcanhares no chão e levante os dedos dos pés. Segure por alguns segundos e repita o alongamento algumas vezes. Outro ótimo exercício consiste em traçar círculos com os pés por alguns segundos, mudando de direção de fora para dentro e de dentro para fora. Você também pode dobrar a perna abraçando os joelhos o mais próximo possível do peito. Permaneça assim por alguns minutos, sempre trocando de perna. Outra medida muito simples e que estimula bastante o fluxo sanguíneo é caminhar pela casa. Esses simples cuidados já estimulam a circulação e minimizam consideravelmente o risco de trombose”, explica.

Além de movimentar as pernas, existem outras medidas que podem te ajudar, como beber bastante água, evitar consumir álcool e remédios que estimulam o sono, já que, se passarmos muito tempo dormindo, não exercitaremos as nossas pernas. “A atenção deve ser redobrada por indivíduos que possuem fatores individuais que agravam os riscos de desenvolver o quadro, como obesos, tabagistas, portadores de câncer, pessoas que utilizam hormônios ou pílulas anticoncepcionais, predispostos a coagulação sanguínea, gestantes, idosos, deficientes físicos e portadores de varizes”, complementa.

Por fim, caso faça parte de algum dos grupos de risco, o ideal, segundo Aline, é se consultar com um cirurgião vascular, já que agora o CRM possibilita o atendimento a distância. O médico pode passar algumas recomendações, como, por exemplo, o uso de meias elásticas de compressão. “A adoção de cuidados de prevenção também é muito importante, já que se trata de uma condição muito séria. Por isso, evite o sobrepeso, mantenha uma rotina saudável de alimentação, não utilize sapatos desconfortáveis com frequência, não fume e pratique atividades físicas regularmente”, finaliza.

Fonte: Aline Lamaita é cirurgiã vascular, membro da diretoria (comissão de marketing) da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, do American College of Phlebology, e do American College of Lifestyle Medicine, a médica é formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (2000) e hoje dedica a maior parte do seu tempo à Flebologia (estudo das veias). Curso de Lifestyle Medicine pela Universidade de Harvard (2018). A médica possui título de especialista em Cirurgia Vascular pela Associação Médica Brasileira / Conselho Federal de Medicina.

Dor nas pernas nem sempre é sinal de problemas de circulação; aprenda a identificar

Cirurgiã vascular explica a quais sinais ficar atento, além da dor nos membros inferiores, para identificar doenças vasculares como varizes

Ao sentirmos dores nas pernas, seja em repouso ou praticando atividades como corrida e caminhada, nosso primeiro reflexo é colocarmos os membros para cima ou procuramos um vascular acreditando que o sintoma seja um sinal de que algo está errado com nossa circulação. Porém, isso não é bem verdade.

“São vários os fatores que podem provocar dores nas pernas e a circulação é apenas um deles. O sintoma também pode ser sinal, por exemplo, de problemas ortopédicos e fisiátricos, como tendinites, cãibras, lesões e distensões musculares”, explica a cirurgiã vascular Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Por isso, antes de correr para o vascular, é importante reconhecer outros sintomas, além das dores na perna, que podem indicar problemas de circulação.

Por exemplo, uma das condições circulatórias que podem causar dor nas pernas é a doença arterial periférica (DAP). “A doença arterial periférica prejudica a circulação do sangue e provoca, entre outras coisas, dor na hora de caminhar. Na maior parte das vezes, a obstrução ocorre quando há acúmulo de placas de gordura e perda de flexibilidade nas paredes dos vasos sanguíneos arteriais, responsáveis por levar o sangue para nutrir as extremidades do corpo, como braços e pernas”, afirma a especialista.

Para identificar o problema, além da dor na perna, você deve ficar atento a sinais como fadiga e fisgadas na panturrilha, sensação de cãibra ao caminhar ou se exercitar; perda de pelos nas pernas, unhas dos pés enfraquecidas, coloração esbranquiçada dos membros inferiores e infecções recorrentes nos pés. “Nos casos mais avançados pode ocorrer impotência sexual, dor nas pernas mesmo em repouso, redução da temperatura dos membros inferiores, formigamentos e eventual aparecimento de feridas ou gangrena nos pés pela condição de extrema falta de circulação”, completa.

Além da doença arterial periférica, as varizes são uma condição circulatória muito comum que também podem causar dores nas pernas. “Varizes são veias que perderam sua função circulatória. Como seu sistema valvular não funciona, as veias deixam o sangue refluir, o que aumenta a pressão interna e causa alterações em sua parede. Desta forma, a veia torna-se dilatada, tortuosa e começa a aparecer na pele”, destaca a cirurgiã vascular.

“Os sintomas das varizes incluem dor, ardor e sensação de peso nas pernas, principalmente no final do dia, inchaço dos membros inferiores, coceira na região afetada e mudanças na coloração da pele.”

Mas a boa notícia é que é possível prevenir essas causas das dores nas pernas através da adoção de alguns hábitos saudáveis em seu estilo de vida. “É importante, por exemplo, que você mantenha uma alimentação balanceada, evite consumir grandes quantidades de sal e açúcar, consuma 2 litros de água por dia, pratique exercícios físicos regularmente, pare de fumar, diminua a ingestão de bebidas alcoólicas e monitore seu colesterol, glicemia e pressão arterial, tomando as medidas necessárias para mantê-los sob controle”, aconselha a médica.

Porém, caso você sinta dor constante e frequente nos membros inferiores, é importante consultar um médico, mesmo que você não tenha certeza se o sintoma está sendo causado por problemas circulatórios. “O profissional especializado poderá realizar uma avaliação e dizer se a causa da dor nas pernas é realmente a circulação, recomendando assim o tratamento mais adequado para você. Caso contrário, o médico poderá encaminhá-lo para o especialista indicado para resolver o problema”, finaliza Aline.

Fonte: Aline Lamaita é cirurgiã vascular, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, do American College of Phlebology, e do American College of Lifestyle Medicine. Formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Pauloem 2000, hoje dedica a maior parte do seu tempo praticamente à Flebologia (estudo das veias). Possui título de especialista em Cirurgia Vascular pela Associação Médica Brasileira / Conselho Federal de Medicina

Creme regenerador vegano para pernas e pés age contra rachaduras e escamação

Creme Regenerador para Pernas e Pés formulado com extratos vegetais e poderosos hidratantes, recupera a maciez dos pés, além de proteger e relaxar as pernas. Pés escamados, com rachaduras e pele grossa são bem tratados com este produto. Os resultados são perceptíveis em poucos dias de aplicação.

A pele dos pés volta a ficar bem hidratada, lisa, macia, saudável e bonita. Isso ocorre por conta da formulação que traz os extratos de alecrim e arnica, óleo de semente de uva, óleo de copaíba, mentol, ureia, glicerina e ácido lático.

O óleo de semente de uva, em grande concentração na fórmula, promove potente ação antioxidante, graças aos flavonoides existentes em sua composição. Em sinergia, ativos hidratantes como ureia e glicerina recuperam a saúde da pele.

Produto sem parabenos, alergênicos, ingredientes de origem animal ou glúten, pode ser usado por veganos e celíacos. Indicado para hidratação das pernas e pés escamados, com rachaduras e pele grossa nos pés. O creme deve ser aplicado em massagem com movimentos circulares até completa absorção. O horário recomendado de uso é à noite, antes de dormir.

pernas_e_pes bio

Preço: R$ 22,00

Informações: Biozenthi – SAC: (48) 4102-3322

Sete dicas para evitar doenças circulatórias que são comuns no inverno

Cirurgiã vascular explica por que a circulação pode ficar comprometida nos períodos frios e alerta: pacientes com problemas de saúde devem redobrar a atenção

O tempo frio estimula a contração dos vasos sanguíneos, principalmente das artérias periféricas, o que pode ser perigoso principalmente para pessoas com quadro de obesidade e sedentarismo. “Quando há excesso de gordura na parede das artérias, isso atrapalha ainda mais o sangue chegar até alguns tecidos”, explica a cirurgiã vascular e angiologista Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

“Essa má circulação pode ser extremamente perigosa, porque há riscos de desenvolvimento de insuficiência arterial periférica, infartos do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC)”, alerta a médica.

De acordo com a especialista, o acúmulo de gordura deixa as paredes das artérias endurecidas e estreitas, então o processo de circulação se torna mais lento. “Esse tipo de problema atinge mais pessoas com fatores de risco como as que estão acima do peso, tabagistas, colesterol aumentado, hipertensos e diabéticos”, comenta.

raynaud warm n cool
Foto: WarmNCool

Quando há predisposição genética ou quadros de obesidade, alimentação desequilibrada e sedentarismo, a preocupação se torna ainda maior. “Diabéticos ou hipertensos precisam controlar a doença, praticando exercícios físicos regularmente, mantendo alimentação balanceada e evitando fumar”, esclarece a cirurgiã vascular.

O fenômeno de Raynaud também costuma aparecer ou descompensar com maior frequência no frio. “Nesse fenômeno, existe um espasmo (contração) da artéria em reação ao frio, o que torna os pés ou mãos gelados, pálidos e com alteração de coloração”, explica a angiologista.

A médica explica que o corpo pode dar sinais de que está com a circulação “comprometida”: “O paciente pode sentir dormência ou inchaço nos membros, formigamento nas mãos e nos pés. No caso de cãibras, dor ao caminhar, paralisia ou fadiga muscular pode ser um indício de arteriosclerose”.

Em qualquer sinal de alteração, um médico deve ser consultado, alerta Aline. “O tratamento para as doenças circulatórias pode ser feito por meio de medicamentos ou cirurgia se for necessário. Mas a prevenção é o melhor tratamento, especialmente para pacientes que já tenham alguma doença que contribui para a obstrução das artérias”, comenta.

Dicas para evitar esses problemas:

roupa inverno conforto
Foto: Styleoholic

• Usar roupas confortáveis e quentes, evitar peças justas (elas podem comprimir os músculos das pernas e cintura);

Mingau de aveia com banana (002)
• Consumir alimentos ricos em fibras, já que auxiliam na boa digestão e controle do colesterol;

Senior woman yoga copy space
Foto: 123RF

• Fazer exercícios físicos sob orientação médica;

salmao
• Optar por alimentos com gorduras poli-insaturadas;

hipertensao coração pressao alta pixabay
• Controle adequado da pressão e diabetes;

beber água
• Beber muita água (entre dois e três litros) por dia;

mulher usando meia elastica compressao
• Cuidado ao usar meias elásticas sem orientação médica, nesses casos ela pode piorar a situação.

Fonte:Aline Lamaita é cirurgiã vascular e angiologista, formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia e do American College of Phlebology. A médica possui título de especialista em Cirurgia Vascular pela Associação Médica Brasileira / Conselho Federal de Medicina.

Problemas na circulação sanguínea são mais frequentes no inverno

Estreitamento dos vasos pode comprometer a chegada do sangue aos membros periféricos e aumentar a incidência de doenças vasculares

Com a aproximação do inverno, a atenção à saúde deve ser redobrada. As baixas temperaturas podem influenciar diretamente no sistema vascular da população, uma vez que, na tentativa de manter o corpo aquecido, os vasos sanguíneos se contraem em um mecanismo chamado vasoconstrição.

Consequentemente, o sangue tem maior dificuldade para circular e chegar às partes extremas do corpo, como pernas e pés. Por isso, pessoas que moram em regiões mais frias, naturalmente, devem preocupar-se com a saúde vascular durante todo o ano.

Essas condições deixam o organismo mais propício a desenvolver o Fenômeno de Raynaud. “O estreitamento dos vasos sanguíneos, que causa esse fenômeno, reduz o fluxo sanguíneo para as extremidades e determina uma diminuição da oxigenação dos tecidos. A pele pode ficar fria, pálida ou cianótica (arroxeada). Sintomas como dor e formigamento persistentes, além de feridas nos dedos, devem atentar para a necessidade de uma avaliação com um cirurgião vascular, pois denotam maior gravidade do quadro”, explica o cirurgião vascular e membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular, Luciano Amaral Domingues.

raynaud warm n cool
Foto: WarmNCool

De acordo com o especialista, essa doença acomete cerca de 3% a 5% da população, mas, as probabilidades aumentam em mulheres jovens e pessoas que sofrem com estresse emocional e ansiedade. Outros problemas vasculares, como a doença arterial obstrutiva periférica (Daop), isquemia cardíaca e a hipertensão podem ter agravamentos durante os períodos de frio intenso. Fatores pré-existentes como a obesidade, colesterol alto, diabetes e tabagismo também contribuem para o surgimento de doenças cardiovasculares.

É importante que, mesmo no inverno e com a situação de isolamento social, as pessoas pratiquem exercícios físicos regularmente em casa, para evitar o comprometimento da circulação sanguínea. Sobretudo, no caso de pessoas com pré-disposição à trombose venosa profunda.

mulher cama meia inverno pernas

“As principais dicas para a diminuição desse risco são: manter a hidratação corporal bebendo bastante água, evitar bebidas alcoólicas, tabagismo e uso de roupas muito apertadas. Mas, principalmente, fazer caminhadas, mesmo dentro de casa, exercícios na ponta dos pés com extensão e flexão, assim como movimentos para alongar as pernas, mesmo estando sentado.”

Nas baixas temperaturas, o aquecimento e alongamento antes das atividades físicas tornam-se indispensáveis. Também é indicado que a pessoa acompanhe o aceleramento cardíaco, pois, é comum que no frio o coração trabalhe mais intensamente para manter o calor do corpo. Então, ao perceber que os batimentos estão muito acelerados, deve-se fazer uma pausa ou diminuir o ritmo das atividades.

varizes-pernas-veias- winzy lee shuttestock
Foto: Winzy Lee/Shuttestock

Apesar dos inúmeros cuidados, o frio pode ser aliado à diminuição dos sintomas de alguns problemas vasculares. E, também, favorável ao tratamento de vasinhos e varizes, uma vez que o paciente, após os procedimentos, deve evitar a exposição ao sol.

“Varizes, linfedema (inchaço causado por deficiência na drenagem da linfa) e pacientes com sequelas de tromboses em geral têm mais sintomas no verão, pois o calor que gera a vasodilatação pode agravar os sintomas”, finaliza Domingues.

Fonte: Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV)

Natura ensina passo a passo de automassagem para relaxar pernas e pés

Marca sugere reservar alguns minutos do dia para um delicioso e relaxante ritual de autocuidado

Em casa ou no trabalho, agora mais na primeira, é comum sentir as pernas e pés cansados ao final de um dia intenso. Por isso, já pensou em reservar alguns minutinhos do seu dia para realizar um ritual de autocuidado focado nessas regiões do corpo?

O momento pós-banho, quando já estamos mais relaxados, pode ser ideal para isso. Os benefícios da automassagem vão além do físico: a prática também aumenta o bem-estar. Veja abaixo a sugestão de ritual da Natura para fazer em casa:

mulher usando oleo creme pernas corpo

Passo a passo da automassagem
1. Comece o banho limpando a pele com o Sabonete em Barra Puro Vegetal Cereja e Avelã, de Natura Tododia. Tire proveito da fragrância, respire profundamente e dê início ao relaxamento.
2. Na sequência, esfolie bem a pele do corpo com movimentos circulares. O Óleo Esfoliante Andiroba, da Natura Ekos, ajuda a remover as células mortas e deixa a pele pronta para a hidratação. Enxágue bem.
3. Após o banho, sente-se de maneira confortável na cama ou em uma cadeira com os dois pés paralelos apoiados no chão, respeitando o alinhamento da coluna. Aproveite esse momento para fazer uma respiração profunda – se possível, repita três vezes. Isso ajuda a trazer atenção plena para o momento presente.
4. Espalhe bem o Gel Creme Desodorante para Pernas e Pés Andiroba, de Natura Ekos, na região abaixo do joelho.
5. Com as duas mãos, envolva a perna e faça movimentos de deslizamento contínuo, pressionando levemente, subindo do tornozelo até o quadril. Repita até a absorção total do produto.
6. Agora, cruze uma das pernas sobre a outra, de modo que o pé fique apoiado sobre o joelho oposto, formando um ângulo de 90 graus.
7. Espalhe novamente o produto para massagem na batata da perna e faça movimentos de vai e vem, do joelho ao tornozelo, aplicando leve pressão.
8. Com as pontas dos dedos das duas mãos – no espaço entre o músculo da batata e o osso da canela -, pressione para relaxar.
9. Hora dos pés! Deposite uma dose do mesmo produto nas mãos, espalhe bem e distribua uniformemente no pé que está apoiado sobre o joelho.
10. Coloque, então, os dedos da mão oposta entre os dedos do pé, entrelaçando-os.
11. Com a mão, gire o pé com movimentos circulares e amplos, articulando generosamente o tornozelo para fora (4 vezes) e para dentro (4 vezes).
12. Com os polegares, pressione toda a planta do pé. Se algum ponto estiver dolorido, massageie a região por mais tempo.
13. Ao terminar, volte esse pé para o chão e repita a mesma sequência de movimentos na outra perna e no outro pé.

Dica extra: Assim que terminar, fique cinco minutos com as pernas para cima. Para ajudar, deite-se no chão e as apoie na parede. Isso ativa a circulação e reduz ainda mais a sensação de cansaço.

Sobre os produtos

Natura Tododia

TODODIA_Sabonete em Barra Puro Vegetal Cereja e Avelã

Sabonete em Barra Puro Vegetal Cereja e Avelã – R$ 19,90
O sabonete tem fórmula cremosa que limpa a pele delicadamente, evitando o ressecamento e deixando-a macia e sedosa. Um convite diário a redescobrir seu corpo através do toque.

Natura Ekos

EKOS_Óleo Esfoliant Andiroba

Óleo Esfoliante Andiroba – R$ 51,30
O óleo de andiroba restaura a pele e equilibra seus mecanismos de defesa. A andirobeira guarda em suas sementes um óleo dourado, o remédio caseiro mais vendido em toda a Amazônia e popularmente conhecido pelo seu poder terapêutico. Remove impurezas e células mortas.

Natura Ekos

gel creme ekos

Gel Creme Desodorante para Pernas e Pés Andiroba – R$ 56,90
Com óleo de andiroba, este gel creme alivia a sensação de cansaço das pernas e pés. Sua aplicação, por meio de massagem, contribui para a redução do inchaço. Com textura leve e ação desodorante, deixa a pele macia e com toque seco.

Onde encontrar: por meio de uma Consultora Natura, por meio do app e na Rede Natura.

 

Solon V: tecnologia para tratar todo tipo de vasinhos, varizes e manchas

Com o laser MultiStation (ND: Yag 1064nm), Vektra QS (Q-Switched 532 e 1064nm) e a Luz Intensa Pulsada Expert Light, Solon V reúne vários métodos que, juntos, possibilitam um resultado melhor e com menos efeito colateral

Acaba de chegar ao mercado a plataforma Solon V, equipamento que faz o tratamento de vasos sanguíneos e de hiperpigmentações pós-procedimento e dispõe de três tecnologias exclusivas: laser MultiStation (ND:Yag 1064nm), Vektra QS (Q-Switched 532 e 1064nm) e Expert Light (Luz Intensa Pulsada).

“Os vasos sanguíneos são multiformes: grandes, pequenos, tortuosos, profundos, superficiais, vermelhos, arroxeados e azulados. Cada tipo de vaso responde melhor a um tipo de tratamento. A plataforma reúne as tecnologias para tratar todos os tipos de vasos, desde os pequenos até os mais calibrosos. Para conseguir tratar o vaso sob medida, as três tecnologias ainda podem ser associadas a técnicas de espuma e aplicação líquida chegando em uma fórmula ideal para tratar o vaso especificamente de acordo com sua característica”, afirma o cirurgião vascular Marcelo Zanoni.

varizes-pernas-veias- winzy lee shuttestock
Foto: Winzy Lee/Shuttestock

De acordo com o médico, o grande benefício dessas tecnologias em uma mesma plataforma é reunir vários métodos que, juntos, possam chegar em um resultado muito melhor que antigamente e com menos efeitos colaterais. “De uma forma geral, as tecnologias para tratamento vascular do equipamento provocam uma lesão térmica somente na parede de dentro da veia, que é absorvida pelo organismo, pois não passa mais sangue por ela”, explica Zanoni.

As três ponteiras têm características muito diferentes, segundo o médico. “A ponteira 1064 MultiStation faz os vasos mais calibrosos, profundos e arroxeados. Na mesma ponteira, nós temos spot sizes diferentes que vão tratar vasos mais finos e de uma coloração mais avermelhada”, afirma o cirurgião vascular.

A ponteira de luz pulsada, que é a MultiWave, é indicada para tratar vasos muito finos e superficiais. “A luz pulsada vai possibilitar o tratamento de vasinhos pequenos, aqueles que quase aparentam ser pequenas manchas avermelhadas na pele, mas que no fundo são microvasos”, diz o médico. A associação da Expert Light mais o MultiStation consegue tratar uma mescla de vasos grossos e finos em uma mesma região.

Além disso, o Vektra QS é indicado para o tratamento de manchas da pele, dermatite ocre e pigmentos de melanose, que pode ser associado ao tratamento dos vasos, clareando manchas no mesmo procedimento.

“O Vektra QS também vai nos ajudar no tratamento da dermatite ocre, que é aquela inflamação que a pele tem por insuficiência das veias. Essas pigmentações vão ser tratadas por ele principalmente em pacientes de fototipo elevado e manchas devido ao sangue acumulado nas porções mais profundas da pele, enquanto que a luz pulsada também vai ajudar no tratamento dessas manchas, mas nas hiperpigmentações mais superficiais de pele e nos fototipos mais claros, como 1, 2 e 3”, diz.

Como a doença venosa e os vasos sanguíneos são muito diferentes entre uma pessoa e outra, o tratamento em si, o número de sessões, vai depender da quantidade, da profundidade, do tipo de veia que a pessoa tem e dos métodos associados para fazer esse tratamento.

“Mas, de uma forma geral, o tratamento da paciente que vem tratar os vasos finos de pele, as telangiectasias, conseguimos com uma média de duas a três sessões resultados muito bons, sendo que na primeira sessão a pessoa já vai ver uma diferença. Então a média de sessões varia entre três e quatro sessões e conseguimos resultados muito bons. Elas são feitas com intervalo de 30 dias”, afirma o médico.

varizes pernas salto alto.jpg

A sessão dura, em média, de 30 a 45 minutos. E é possível associar a outros métodos, como espuma e aplicação líquida. “A combinação de métodos é a forma mais atual e que apresenta os melhores resultados”, finaliza Zanoni.

Fontes:

LMG – Laser Medical Group: é uma empresa experiente e transparente que atua e conhece o mercado nacional e tem, como objetivo, trazer soluções inovadoras à classe médica. Este segmento foi escolhido porque o sucesso no resultado dos tratamentos com os pacientes é o reflexo dos anos de estudo, comprometimento e respeito pela saúde. Portanto, trata-se de uma empresa realmente comprometida com esta classe, que trabalha constantemente para aumentar o escopo de tratamentos já realizados e melhorar a desempenho dos já existentes.

Marcelo Zanoni: cirurgião vascular

Alguns mitos e verdades sobre celulite

Cuidados com a alimentação e o uso de produtos de compressão podem atenuar sinais que aparecem consequentes do acúmulo de gordura

Ao perguntar para qualquer mulher o que é celulite e como evitá-la, as respostas serão as mais variadas possíveis. A divergência de informações sobre os sinais que aparecem consequentes do acúmulo de gordura mostra o quanto ainda existem mitos em torno do assunto e o quão as pessoas estão afastadas das verdadeiras ações que podem amenizar as celulites.

O médico Jamil Victor de Oliveira Mariúba, especialista em angiologia e cirurgia vascular, e parceiro da Sigvaris, empresa líder mundial em produtos de compressão graduada, elenca abaixo quatro mitos e quatro verdades sobre o assunto:

Mitos

Refrigerantes e bebidas gasosas agravam a celulite?

refrigerantes pixabay

Alimentos muito calóricos e gordurosos proporcionam o aumento de peso e o ganho de gordura localizada, o que pode favorecer o aparecimento das celulites. Porém, o gás, tido como o principal vilão, não é o responsável diretamente pelo surgimento das celulites.

Apenas pessoas obesas têm celulite?

Celulite 1

Outro mito muito disseminado é que apenas as pessoas obesas têm celulite. Obviamente, a gordura localizada e a flacidez irão proporcionar maior acúmulo de gordura. No entanto, pessoas magras também podem ter celulites se tiverem flacidez, gordura localizada ou predisposição genética.

Cremes possuem o poder de eliminar as celulites?

pernas_2_web_

Isoladamente, os cremes não podem tratar por completo a celulite. Eles podem servir como um complemento no tratamento, ou seja, um auxílio para acelerar o processo. Vale lembrar que as consequências na pele são fruto da alimentação.

Roupa apertada causa celulite?

shutterstock mulher calça apertada

Uma roupa justa e apertada poderá causar complicações no retorno venoso, se usada por um longo período. Neste cenário, a chance é a ocorrência de um edema nos membros inferiores – mas nenhuma relação com o aparecimento ou agravamento da celulite.

Verdades

A celulite é genética

Celulite

Essa informação, infelizmente para algumas pessoas, é uma verdade. Os fatores genéticos possuem grande influência na causa da celulite. Quando a mãe tem celulite, geralmente, a filha também irá desenvolvê-la se não seguir os atos de prevenção. O histórico familiar pode ser superado se a pessoa se comprometer com as ações de prevenção, principalmente, alimentação e exercícios.

Dieta saudável e prática de exercícios ajudam a eliminar a celulite

mulher-comendo-maca

Uma dieta equilibrada e com alimentos saudáveis fará com que o corpo funcione em seu melhor estado. Livre de gorduras e açúcares, a celulite fica com as chances muito reduzidas de acontecer. A atividade física fará com que as gorduras ingeridas se queimem e a possibilidade de ter celulites diminua ainda mais.

Uso de meias de compressão pode amenizar os sinais de celulite

sigvaris

O uso de meias de compressão específicas estimula a microcirculação local e pode aumentar a elasticidade da pele. Especializada em produtos de compressão, a empresa Sigvaris possui a linha de meias Sculptor, que foi projetada especialmente para amenizar os efeitos da celulite e modelar o corpo da mulher. As meias possuem compressão nas pernas, cintura e abdômen e são fabricadas com o fio Emana, que possui cristais bioativos que absorvem o calor do corpo e o devolve em forma de raios infravermelhos longos. A interação entre o infravermelho e o corpo estimula a microcirculação sanguínea, auxiliando no combate às celulites. Além disso, proporciona maior sustentação mecânica, promovendo maior conforto ao caminhar.

Consumo de álcool piora a celulite

mulher beber vinho

Geralmente, as bebidas alcoólicas são bastante calóricas e naturais causadoras de gordura localizada, que posteriormente podem virar celulite.

 

Dieta: quatro alimentos para ter veias e artérias saudáveis

De tempero à fruta, conheça o poder desses quatro alimentos na prevenção de doenças vasculares. Médica angiologista explica como as propriedades contidas nesses alimentos são capazes de melhorar a circulação e fazer o sangue fluir melhor

Prevenção continua sendo o melhor remédio contra doenças e desordens no organismo e um dos aliados mais importantes está na dieta, com alimentação saudável. “Alguns alimentos têm a capacidade de ajudar e muito o funcionamento do nosso corpo, facilitando a circulação do sangue, por exemplo. Então é fundamental, para evitar doenças e ter veias e artérias saudáveis, incluí-los na dieta”, afirma a cirurgiã vascular e angiologista Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

“Pessoas com histórico de doenças vasculares na família podem, com ajuda do médico, começar um tratamento preventivo que vise buscar qualidade de vida e diminuir o risco do aparecimento dessas doenças. E, além da prática de exercícios físicos, a boa alimentação fornece os nutrientes necessários para melhora da circulação”, acrescenta.

Conheça quatro desses poderosos alimentos, que vão de tempero à fruta:

Alecrim

Alecrim MGD©
Alecrim – Foto: MGD©

Usado há séculos para aliviar dores musculares, melhorar a imunidade e a microcirculação, o Alecrim é rico em uma substância chamada ácido carnósico, que tem importante ação contra os radicais livres. “Além disso, o Alecrim possui o ácido rosmarínico, que desintoxica e reduz a inflamação. Assim, esse tempero é um importante aliado para aumentar a circulação nos pequenos vasos em torno dos músculos e órgãos”, afirma.

Beterraba

beterraba crua  suco.jpg

Fonte de energia, mas também antioxidante, anti-inflamatório e desintoxicante, a beterraba é um legume capaz de aumentar o fluxo de sangue nos músculos, melhorando também a contração muscular. “Uma das substâncias presentes na beterraba é o nitrato, que é metabolizado no organismo e se transforma em óxido nítrico, que relaxa os vasos e aumenta o fluxo sanguíneo. Essa propriedade, segundo estudos, também melhora a circulação nas veias e previne varizes”, afirma a médica. Um estudo australiano avaliou que um único copo de suco de beterraba é capaz de reduzir a pressão arterial em poucas horas – e o nitrato é o responsável por essa ação de relaxar os vasos e fazer o sangue fluir melhor.

Gengibre

ginger gengibre

Potente anti-inflamatório, o gengibre combate dores musculares, ajuda contra artrite reumatoide e problemas circulares. “Tudo isso por conta do gingerol, um dos principais compostos do gengibre, que tem alto efeito anti-inflamatório”. Além disso, conta a médica, o condimento possui uma enzima que ajuda a dissolver a fibrina, proteína envolvida na coagulação do sangue. “A fibrina atua no processo de formação dos trombos e também está ligada ao endurecimento das veias varicosas”, explica.

Laranja

laranjas pixabay

Apesar de lembrarmos só da Vitamina C, a laranja é muito mais do que isso e é composta também por flavonoides, polifenóis e antocianinas. “Esses componentes têm importante atuação antioxidante e são capazes de reduzir o colesterol. No caso quando comemos a fruta é ainda melhor, pois as fibras presentes no bagaço atuam para evitar o depósito de gordura nas artérias”, conta a médica. Pesquisadores francesas do Instituto Francês de Pesquisa Agronômica afirmam que a hesperidina, um flavonoide da fruta, favorece o revestimento interno dos vasos. “Isso ajuda na circulação. O potássio presente na laranja também gera impacto positivo na circulação ao balancear o excesso de sódio na dieta”, conta. Um copo de suco de laranja por dia já é o suficiente para esses benefícios.

Fonte: Aline Lamaita é cirurgiã vascular e angiologista,  formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia e do American College of Phlebology. A médica possui título de especialista em Cirurgia Vascular pela Associação Médica Brasileira / Conselho Federal de Medicina.