Arquivo da tag: petz

Petz abre espaço para adoção permanente de cães e gatos em suas lojas

Em parceria com ONGs e protetores, rede de pet shops oferece cuidados e recintos especiais dentro de suas unidades para que os pets resgatados das ruas possam conquistar uma nova família

Eventos de adoção de cães e gatos que antes eram realizados aos finais de semana passam a ser permanente dentro das lojas da Petz. Com o fim da venda de filhotes na rede de pet shops, todo o espaço que era utilizado para esse fim foi destinado à adoção, em parceria com ONGs e protetores.

Em um recinto todo envidraçado, com acessórios, brinquedos e alimentação, os pets resgatados das ruas podem ser vistos, interagir e conquistar uma nova família. Todos são castrados, vacinados e vermifugados. Para adotar, o interessado passa por uma rigorosa entrevista com a equipe da ONG e protetores responsáveis, que orientam e auxiliam a tirar as dúvidas sobre os bichinhos e o processo de adoção.

“Estamos muito felizes com essa nova fase da Petz. Queremos, junto com os protetores e ONGs, fazer do Adote Petz um projeto muito maior e grandioso. Contamos com o apoio de todos para ajudar a resolver o problema do abandono animal”, afirma o presidente da Petz, Sergio Zimerman. O Adote Petz já encontrou um novo lar para mais de 34 mil cães e gatos resgatados das ruas desde 2007, quando foi criado.

Posse responsável

A Petz já promovia adoção permanente de gatos em várias lojas desde o ano passado. “Agora vamos potencializar as adoções. Queremos incentivar cada vez mais a posse responsável e uma nova chance para os animais”, explica a veterinária Giulliana Tessari, gerente responsável pelo Adote Petz.

Para isso, a empresa vai intensificar as parcerias com ONGs e protetores, que devem ser homologados, ter seus documentos validados e receberem visitas de representantes da rede para certificação das condições nas quais os animais são mantidos.

A campanha de posse responsável, para a conscientização sobre a importância de cuidar de uma vida e evitar maus-tratos e abandonos, também será ampliada. Estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que há 30 milhões de bichos nessa situação no Brasil.

Oito dicas para a posse responsável:

jolie na cama

1 – Cães e gatos podem viver mais de 12 anos, por isso, levar um pet para casa é um compromisso para a vida toda.

cachorro alongamento

2 – É importante saber se a família mora em um lugar que aceite bichinhos, se há espaço para o pet viver com o mínimo de conforto, se alguém é alérgico à pelagem e se os vizinhos não se importarão com os latidos.

pelé varanda

3 – A casa deve ser estruturada para receber o pet, com proteção de tomadas, cuidados ao acesso a produtos de limpeza e plantas tóxicas, incluindo arranhadores para gatos e rede nas janelas, além de um cantinho confortável para ele descansar e se adaptar ao local.

mulher cachorro passeio caminhada

4 – Os cães são ativos, requerem passeios diários e não gostam de ficar muito tempo sozinhos. É preciso dedicar um tempo para dar atenção, interagir, brincar e passear com eles.

gato dormindo

5 – Os gatos se adaptam melhor às horas em que os donos estão fora de casa, porque dormem mais de 10 horas por dia. Mas também precisam de atenção e cuidados.

cachorro-veterinario-salsichinha

6 – Ter um cão ou gato envolve gastos com saúde e bem-estar. Os pets vão precisar de visitas semestrais ao veterinário, carteira de vacinação em dia e uma boa ração, além de banho e tosa, petiscos, brinquedos, acessórios e produtos de higiene.

catland catsitter

7 – Também é preciso pensar em formas de abrigar o pet quando a família for viajar. Avaliar se o orçamento permite pagar um hotel ou se há conhecidos que possam cuidar dos pets.

Cachorro filhote golden

8 – Quando ainda são filhotes, os cães precisam de adestramento e paciência do dono para aprender a fazer as necessidades no lugar certo. Eles crescem e também podem ficar maiores do que o esperado.

Informações: Petz

Atenção: a partir de abril, não postarei mais sobre animais/natureza/meio ambiente neste espaço, mas, sim, no blog criado apenas para esses temas: Se Meu Pet Falasse, clique no nome e irá para a página automaticamente. Por favor, se gosta de animais, siga-o. Obrigada.

Tem bloCão com pets neste fim de semana com desfile de fantasias e adoção

Evento gratuito será realizado neste sábado (23), das 13h às 19h, na Petz Ricardo Jafet

Para quem já está com saudade do carnaval, agora é a vez de levar os bichinhos de estimação para um bloco especial. A Petz promove neste sábado (23), das 13 às 19 horas, na loja Ricardo Jafet, um evento aberto ao público com concurso de fantasias para os pets que dará uma viagem ao primeiro colocado. Além disso, terá estúdio fotográfico para criar looks diferentes, costumização de bandanas, sessão de fotos com a influenciadora Taciele Alcolea, show de agility do Alternativa’s Dog Show, caricaturas e food-trucks.

Para participar do concurso, que será promovido das 16h às 17h, basta levar os pets fantasiados e fazer a inscrição um pouco antes do desfile. Já o encontro com a influenciadora Taciele Alcolea, das 14 às 16 horas, será limitado para as primeiras 200 pessoas que retirarem pulseirinha.

Adoção

Outra atração é o evento de adoção em parceria com a ONG Instituto Amor em Patas. Os cães resgatados das ruas ficarão nos recintos envidraçados dentro da loja, onde poderão interagir com os visitantes e conquistar uma nova família. Todos são castrados, vacinados e vermifugados. Para adotar, o interessado passa por uma entrevista com a equipe da ONG, que orienta e auxilia a tirar as dúvidas sobre os bichinhos e o processo de adoção.

Mix de bem-estar

A Petz Ricardo Jafet é a mais moderna da rede, funciona 24 horas e oferece serviços de hotel e day care para os pets. Além de inovações tecnológicas como um sistema de curadoria com dicas de bem-estar em totens digitais, QR code e realidade aumentada nos setores de vidas, holograma com orientações veterinárias e caixa de autoatendimento. Conta também com um centro de estética com sala exclusiva para banho de felinos, playground, área especial de garden e um setor de adoção permanente de cães e gatos.

A unidade foi a primeira a receber o Centro Veterinário Seres, rede de serviços veterinários do grupo Petz, com atendimento de alta complexidade, tecnologia e equipamentos de última geração para consultas, exames e cirurgias.

fantasia diabinha

BloCão da Petz
Data: 23/03
Horário: 13h às 19h
Endereço: Avenida Dr. Ricardo Jafet, 1.750
Telefone: (11) 2181-7495

Dicas de como proteger os pets do barulho de trovões

Não deixá-los presos na coleira e mantê-los num espaço seguro são algumas das orientações

Assim como os fogos de artifício, o som das trovoadas também deixa muitos pets assustados. Com maior sensibilidade auditiva, cães e gatos sofrem com medo, desconforto e estresse provocado pelo barulho, além do risco de se machucarem, ao buscar esconderijo ou tentar escapar. E como diz a canção: “São as água de março fechando o verão”, ou seja, muita chuva caindo.

“As pessoas não devem tentar abraçá-los ou pegá-los no colo nesses momentos, para evitar que o animal associe a algo ruim”, explica a veterinária Karina Mussolino, gerente técnica de clínicas da Petz e do Centro Veterinário Seres.

Ela orienta a agir naturalmente, brincar com os pets, fazer festa, como se nada estivesse acontecendo. Também é importante evitar deixá-los presos com a coleira, permitir que se escondam e manter o ambiente vazio para que não se machuquem. “Procure não deixá-los ao ar livre, mas trazê-los para dentro de casa, onde o som é abafado”, explica a veterinária.

Pets com doenças cardíacas devem ter atenção dobrada. Alguns cães podem apresentar complicações cardiorrespiratórias e até ter convulsões nessas situações de medo. Por isso, as consultas no veterinário devem estar em dia para que o profissional possa acompanhar esse animal de forma preventiva.

10 dicas para driblar o barulho

gato assustado escondido pinterest

1 – Cães e gatos costumam se esconder nesses momentos de medo, por isso é importante deixá-los livres, não prender na coleira (em alguns casos eles podem ficar rodando em círculos e até se enforcar) e manter em espaço livre para que não se machuquem (por exemplo: áreas pequenas, portões, lanças…).

mulher cachorro sofá pixabay

2 – Alguns bichinhos toleram bem o colo do dono, pois se sentem mais seguros, outros preferem buscar áreas que possam se esconder, como embaixo de móveis. Deixe o seu pet se ajeitar da melhor maneira para ele, não force situações desconfortáveis.

gato frio cobertor

3 – Uma das formas de evitar transtorno é manter o pet quieto em um local fechado e silencioso, o que pode ajudá-lo a se sentir mais protegido (por exemplo: um quarto).

cachorro ouvido algodao malibupetcare
Foto: MalibuPetCare

4 – Alguns pets toleram bem a colocação de algodões nos ouvidos para abafamento dos sons. Mas vale lembrar que o algodão deve colocado com cuidado e retirado imediatamente após o término dos ruídos.

cachorro e gato brincando
Warren Photographic

5 – O ideal é agir de forma natural, brincar com o pet, entretê-lo com seu brinquedo favorito, fazer festa, como se nada estivesse acontecendo.

gato com frio

6 – No caso dos gatos, é comum que sumam da vista dos donos. Se a casa ou o apartamento forem seguros, com redes nas janelas e portões fechados, deixe o bichano por lá, evite ficar chamando para não estressá-lo mais.

Petz - hotel entrada3

7 – Também não é recomendado deixá-los sozinhos nesta época. Em caso de viagens, é aconselhável deixá-los com parentes, vizinhos ou em hotéis especializados.

gato gato remedio seringa

8 – Evite a automedicação, sem orientação do veterinário, pois há risco à saúde dos bichinhos.

gato na cama com gato

9 – Cães e gatos que já tenham histórico de doença cardíaca devem ter cuidados especiais nessas situações. É importante que o dono converse com o veterinário.

cachorro machucado veterinaria

10 – Caso o animal apresente qualquer tipo de alteração ou acabe se machucando de alguma forma, ele deve ser levado imediatamente a um veterinário, para ser avaliado e ter certeza que nenhuma lesão mais grave aconteceu com ele.

Fonte: Petz

Salvar

Chuvas aumentam risco de leptospirose canina

Veterinária orienta sobre vacinação e cuidados para evitar a doença, transmitida pela urina de rato

A leptospirose canina, zoonose que pode ser transmitida ao homem pelos animais, torna-se uma grande preocupação nesta época de chuvas. Por isso, a carteira de vacinação dos pets deve estar sempre em dia. A imunização é uma forma de proteger também a saúde de todos que convivem com os bichos de estimação em casa, alerta a veterinária Karina Mussolino, gerente de clínicas do Centro Veterinário Seres, do grupo Petz.

Transmissão

leptospira- leptospirosis information

A doença infecciosa é causada por uma bactéria chamada Leptospira, presente na urina de ratos e transmitida principalmente nas enchentes. Bovinos, suínos e cães também podem adoecer e transmitir a leptospirose ao homem.

A contaminação ocorre quando o pet tem contato com a urina do rato que fica parada em poças d’água, além de esgotos, bueiros e lama. Mas os cães também podem ser infectados pela urina ou sangue de outros animais que estejam contaminados.

Sintomas

cachorro deitado cansado doente.jpg

Entre os principais sintomas que indicam a doença estão a insuficiência renal aguda, a gastroenterite hemorrágica, lesões oculares, encefalite e icterícia. O diagnóstico é feito por meio de exames de urina e de sangue, para constatar a presença da bactéria causadora do mal. Se a enfermidade for confirmada, o pet deverá ser isolado para o tratamento à base de antibióticos.

Cuidados

cachorro vacina doglistener
Foto: Doglistener

Além da vacina que deve ser aplicada todos os anos, é necessário ter atenção nos passeios, manter a casa dedetizada e uma boa higienização no local onde os pets costumam ficar. “As pessoas devem ter cuidado na hora de passear para evitar que os pets brinquem em água parada, locais de enchente ou tenham contato, principalmente, com lixo e materiais trazidos de transbordo de bueiros”, orienta a veterinária. “Além disso, cães têm instinto caçador e podem ter contato com roedores, principalmente aqueles que vivem em casas”, completa.

Como proteger os pets

1 – Mantenha a vacinação contra a leptospirose em dia. Ela deve ser aplicada todos os anos.
2 – Retire as sobras de ração dos pets antes do anoitecer e mantenha limpas as vasilhas.
3 – O mesmo cuidado deve ser tomado com as vasilhas de água.
4 – Não deixe fezes dos pets pelo chão. Remova sempre e limpe o local com água sanitária.

cachorro beagle passeio agua
Pixabay

5 – Durante os passeios, tome cuidado para não passar perto de água parada e evite o contato com lama, lixo e material trazido de transbordo de bueiros.
6 – É importante manter a casa dedetizada e sempre limpa, assim como o local onde os pets costumam ficar.
7 – Procure o veterinário caso o pet tenha contato com água de enchente e apresente algum sinal no período de 30 dias.

Fonte: Petz

Salvar

Check-up é receita de vida longa para os pets

Avaliação feita durante consulta de rotina ajuda a prevenir ou detectar doenças antes que elas se agravem

Cuidados e prevenção estão associados à longevidade também dos pets. Alimentação balanceada, atividades físicas, dormir bem e a prevenção de doenças, com vacinação e visitas regulares ao veterinário, fazem parte da receita de qualidade de vida de cães e gatos. “O check-up é uma maneira de manter a saúde do pet em dia”, alerta a veterinária Larissa Seibt, do Centro Veterinário Seres, da rede Petz.

Ela explica que é um ‘exame de bem-estar’, em que é possível identificar alterações no organismo do pet, que podem ser corrigidas precocemente, evitando o seu agravamento. Além disso, o bate-papo com o profissional orienta o tutor na conduta e manejo, favorecendo a saúde global dos bichinhos de estimação.

Quais doenças ajuda a prevenir

“Em sua grande maioria, as doenças possuem uma fase silenciosa – sem apresentar sintomas. Mas diagnosticadas e tratadas em fase inicial, há mais chances de sucesso e menos riscos de agravamento, além de, em alguns casos, reduzir o tempo de tratamento – de acordo com a enfermidade”, afirma Larissa. Alterações renais, cardiovasculares, pulmonares, osteoarticulares, hormonais, entre outras, podem ser detectadas nessas consultas.

Por que é importante?

veterinario-gato-1-770x490

Quando o pet vai ao veterinário para check-up, ele é avaliado a partir de um exame físico, em que pode ser constatada, por exemplo, alguma anormalidade no coração. São pedidos os exames para o diagnóstico preciso e orientação de tratamento, caso necessário. “Essa intervenção evita a progressão negativa do quadro e melhora a qualidade de vida dos bichinhos. Caso não reconhecida a alteração em tempo hábil, a progressão negativa pode ser acelerada e reduzir a expectativa de vida do pet, bem como afetar seu bem-estar”, avalia a veterinária.

De modo geral, o check-up permite a identificação de anormalidades ou problemas que podem ser tratados para evitar agravamento e comprometimento da saúde do pet.

Como é feito

cachorro no veterinario warren
Foto: Warren Photographic

Durante o check-up é realizada uma conversa com o tutor, para entender a rotina do pet e seu comportamento e, em seguida, exame físico do animal, onde são avaliados peso corporal (caquexia/subnutrição/desnutrição/obesidade), saúde bucal, hidratação, temperatura, pressão arterial, avaliação cardíaca, pulmonar, avaliação de pele e pelos, palpação abdominal para identificar desconforto ou alterações.

Exames

Cat at veterinarian

Dependendo do caso, é indicada a realização de exames de sangue, testes hormonais, exames de imagem (radiografias e ultrassom), exames cardiológicos. Com o hemograma, é possível ver se o animal não apresenta nenhuma infecção. Já os testes de função renal e hepática servem para avaliar o trabalho dos rins e do fígado. E o eletrocardiograma permite um check-up cardiológico.

De quando em quando deve ser feito

A periodicidade é estipulada de acordo com a idade do pet. Cães e gatos de até sete anos de idade devem ir ao veterinário, pelo menos, uma vez ao ano, visto que este intervalo também é o utilizado para protocolo de vacinação. Quando acima dos sete anos de idade, aumenta a periodicidade dos check-ups, sendo adequado levá-los ao veterinário por, pelo menos, duas vezes ao ano (a cada seis meses). Ainda, se constatadas alterações nos check-ups, pode ser necessário que o pet compareça à consulta veterinária com uma maior periodicidade, de acordo com as instruções do veterinário responsável.

Fonte: Petz

São Paulo ganha novo centro veterinário de alta complexidade

Petz lança a marca Seres para nova rede de medicina veterinária; primeira unidade na Ricardo Jafet tem equipamentos de última geração, tecnologia e equipe multidisciplinar

A Petz lançou uma nova operação no país. Trata-se da rede nacional de centros veterinários Seres. A primeira unidade já está em funcionamento na avenida Dr. Ricardo Jafet, em São Paulo. Com equipamentos de última geração e serviços de alta complexidade para diagnósticos, cirurgias, tratamentos e emergências, o centro veterinário traz inovações e recursos tecnológicos para o bem-estar e qualidade de vida dos pets e de suas famílias.

A equipe multidisciplinar tem especialistas em oncologia, cardiologia, endocrinologia, dermatologia, ortopedia e odontologia, entre outros, para garantir a atenção necessária a todas as fases da vida dos bichinhos de estimação.

Seres oferece um novo conceito de hospital veterinário, inspirado em redes americanas e planejado a partir da ótica do tutor e do pet. “Não é um ambiente hospitalar, é um ambiente acolhedor, mas com tecnologia e seriedade. A experiência positiva do paciente dentro de um espaço de saúde ajuda no prognóstico e no resultado melhor”, afirma Aline Amália de Araujo Giovannetti, diretora de Negócios Veterinários da Petz.

seres2

Experiência

A disposição dos setores foi pensada para criar a atmosfera de acolhimento e ao mesmo tempo dar eficiência ao atendimento. O fluxo do paciente felino é separado do fluxo do cão. Eles não ficam na sala de espera juntos e cada um tem espaço de atendimento diferente, para se soltarem no ambiente enquanto o médico veterinário faz o exame de forma adequada.

O ambiente também é separado para o cliente que está num momento muito bom, no caso de filhotes no início do relacionamento com o médico veterinário, em relação aos que estão passando por uma emergência, procedimento quimioterápico ou eutanásia, por exemplo.

Hi-tech

Seres-sala-de-emergência-300x157seres

Entre os diferenciais tecnológicos, está a tomografia de 16 canais, equipamento de última linha da Siemens, importante para diagnósticos de doenças neurológicas, osteomusculares, tumores, planejamento cirúrgico e urgências. Salas de ultrassonografia, ecocardiograma, eletrocardiograma, equipamento de anestesia de última geração e raio X digitalizado e UTI são outros destaques.

Dois centros cirúrgicos podem realizar procedimentos simultâneos, no caso de uma emergência ao mesmo tempo de uma cirurgia eletiva. O setor de procedimentos odontológicos, chamado de “cirurgia suja”, é separado para evitar e controlar risco de infecção.

A internação tem três alas: para cães, gatos e infectocontagiosos, totalmente separada das outras, num ambiente fechado e controlado para evitar infecção hospitalar. Além da ala de reabilitação, tem farmácia de manipulação de quimioterápicos e sala para a quimioterapia.

Layout

Petz-Seres-fachada-300x157

O espaço de controle médico central envidraçado, com visão de quase 360 graus de todos os setores, permite aos veterinários enxergar todas as internações, os centros cirúrgicos, as salas de diagnóstico e a sala de atendimento de urgência. “Esse foi um dos conceitos que chamou atenção. A transparência dá segurança ao tutor e ao veterinário, porque facilita muito. Consegue estar de olho em tudo e ter um cuidado maior”, avalia Aline.

Equipe multidisciplinar

seres3

Um time de especialistas trabalha em conjunto no dia a dia e já no atendimento primário, para identificar o encaminhamento de maneira rápida. Junto com o atendimento de alta complexidade, o Seres trabalha a prevenção com check-ups, vacinas, orientações nutricionais e castração.

Nova marca

Com maior investimento no negócio de medicina veterinária, a rede Petz decidiu criar uma nova marca. O Seres traz o DNA da marca mãe, mas com aspectos diferentes e adicionais. “A gente identificou que em medicina veterinária tem alguns aspectos um pouco diferentes da marca Petz, que é muito divertida, está nos momentos felizes, de diversão e de cuidados. E medicina veterinária, muitas vezes, está presente em momentos difíceis também, que exigem outras características, como mais de conhecimento, tecnologia e seriedade”, explica Aline.

seres4

A nova rede complementa o que a Petz já tem na área veterinária, com infraestrutura nova e equipamentos de ponta. Atualmente conta com o centro veterinário 24 horas no Pacaembu e na unidade Marginal Tietê, e clínicas e atendimentos dentro de mais de 70 lojas, das 81 existentes. Aos poucos, esses espaços serão remodelados e ganharão a nova identidade, além de outras instalações e eventuais aquisições que estão em análise dentro do mercado veterinário.

Informações: Petz

Cesar Millan e Jackson Galaxy participarão da Pet Experience em São Paulo

Feira dedicada aos apaixonados por pets será realizada de 30 de agosto a 1º de setembro, no São Paulo Expo

Cesar Millan, o encantador de cães, e Jackson Galaxy, o encantador de gatos, vêm a São Paulo em agosto participar da Pet Experience, a primeira feira pet do Brasil dedicada aos animais de estimação e seus donos. O evento, promovido pela Petz e NürnbergMesse Brasil, será realizado de 30 de agosto a 1º de setembro, no Centro de Convenções São Paulo Expo, na zona sul de São Paulo. Os ingressos começam a ser vendidos em breve e vão custar a partir de R$ 20,00.

Cesar Milan chris sanders
Foto: Chris Sanders/reprodução site oficial
jackson galaxy e gatos
Foto: Brian Ach/Invision/AP

A rede de pet shops Petz e a promotora alemã de eventos NürnbergMesse Brasil se uniram para oferecer a experiência inédita. A Pet Experience terá desde área Spa, com serviços de banho e tosa, até playground para cães, área de felinos, jardinagem, área veterinária e palestras de especialistas, como Alexandre Rossi.

“A Pet Experience é um projeto pessoal que estava há 15 anos na gaveta. Estou muito otimista com esse evento, que vai trazer muitas atrações e experiências para o público final em um só lugar, nunca vistas antes no Brasil. Então, tem tudo para dar certo”, afirma Sergio Zimerman, presidente da Petz, que atualmente possui 82 lojas no país, com a expectativa de ultrapassar 100 unidades este ano.

O lançamento da feira foi no último dia 28 no São Paulo Expo, local onde será realizada a feira, e contou com a participação de importantes entidades do setor, como a Confederação Brasileira de Cinofilia. “Esse evento é algo nunca visto no Brasil e até no mundo. Viajo para outros países como juiz de exposição, fui há pouco tempo para Filipinas, a maior exposição da Ásia, e não chega aos pés deste projeto. Acho que será uma integração de diferentes públicos e com várias atividades ao longo de três dias”, acrescenta Fabio Amorim, vice-presidente da CBKC.

A entidade, responsável brasileira pela validação dos pedigrees, fará a curadoria da área de exposição de raças e agility. No Brasil, atualmente há mais de 285 diferentes tipos de raça, e o evento vai proporcionar ao público conhecer as peculiaridades e cuidados de cada uma delas. Mas também não ficará de fora a área de adoção, com filhotes e adultos em busca de um novo lar com muito amor.

A experiência não para por aí. Ainda tem cinema e sessão de tatuagem para os tutores que queiram eternizar o amor pelos animais. “Este projeto é a união de duas empresas líderes, cada uma em sua área, e nosso objetivo é fazer um evento incrível para o consumidor final. Acreditamos muito na força deste mercado e, por isso, estamos investindo em um evento como este, que ainda não existia no país. Estamos muito felizes e certos que a Pet Experience vai entrar para o calendário brasileiro de eventos”, finaliza João Paulo Picolo, presidente da NürnbergMesse Brasil.

Fonte: Petz

Pets devem ser secos após pegar chuva

Veterinária orienta sobre os cuidados para manter os pets com pelos hidratados, saudáveis e cheirosos

A expressão ‘cheiro de cachorro molhado’ é usada para dizer que algo está com um odor específico de umidade. Mas, na verdade, o cheiro é o resultado de uma reação química da água com algumas secreções produzidas pelos cães. “Por isso, é importante secar bem os bichinhos após pegar chuva ou passar por poças d’água, pois as partes molhadas podem desenvolver alergias e fungos”, explica a veterinária Karina Mussolino, gerente técnica de clínicas do Centro Veterinário Seres, do grupo Petz.

A dica é válida também para os cãezinhos que costumam ir à piscina ou à praia. Caso o pelo fique úmido, pode causar infecções que provocam cheiro ruim. “Procure secar bem com uma toalha limpa, principalmente as patinhas e dobrinhas, e depois, caso necessário, usar o secador numa temperatura morna”, orienta Karina. Mesmo em dias quentes, não é indicado deixar o bichinho molhado secando sozinho ao sol.

Escovação

escovando o cachorro quickanddirtytips
Foto: QuickandDirtyTips

Escovar ajuda a ativar a circulação e a diminuir o mau cheiro, mantendo os pets limpinhos. Até aqueles com pelagem curta devem ser escovados diariamente. “O tutor pode aproveitar a hora da brincadeira para usar aquelas escovas-luvas, assim, ao mexer no pet, já está higienizando”, recomenda a veterinária. Karina também alerta para o controle de pulgas e carrapatos nesta época. “Os pets podem ficar extremamente doentes e até vir a óbito pela falta de cuidado com as doenças transmitidas por ectoparasitas.”

Ambiente

caminhas 3

Outra dica importante é deixar sempre o cantinho dos pets seco. A ‘roupa de cama’ deve ser trocada toda semana. Almofada, manta e caminha precisam ser mantidas limpas e secas, explica a veterinária.

No banho

cachorro banho amanda cullingford pixabay
Foto: Amanda Cullingford/Pixabay

Nesta época, o banho é essencial para manter o odor agradável e o pet saudável. Indicado uma vez por semana em cachorros, deve ser feito com produtos adequados, com ph balanceado e hidratante, tanto para o pelo como para a pele. A veterinária alerta que é preciso proteger o ouvido dos bichinhos com um algodão apropriado para não entrar água, manter a temperatura da água amena e secar bem. “No caso de piscina e praia, é imprescindível depois lavar com água limpa e secar bem os bichinhos. As pessoas devem ficar atentas para retirar todo o resíduo de cloro ou de água salgada, para evitar o ressecamento”, orienta Karina.

Temperatura da água

depositphotos_cachorro tomando banho
Depositphotos

A água não pode ser nem muito quente nem muito fria. A fria não consegue remover a gordura da pele. Já a muito quente pode retirar a proteção natural, sensibilizando a pele do pet. A temperatura deve variar entre 35°C e, no máximo, 37°C, controlada com termostato, pois assim auxilia na remoção de impurezas.

Produtos específicos

cachorro banho pethealthzone
Foto: Pethealthzone

O xampu tem que ser específico para os pets, com o ph balanceado, para não ressecar a pele nem a pelagem ou tirar a proteção natural delas. Caso não tenha um específico, é melhor procurar um pet shop para banho e tosa ou providenciar o produto certo para os pets. “Também não se deve usar sabão de coco. Diferentemente do que as pessoas acham, ele é abrasivo e pode retirar a proteção natural da pele dos pets, provocando irritação e até alergia”, conclui a veterinária.

Fonte: Petz

Saiba como proteger os pets das doenças de verão

Chuva, calor e insetos aumentam riscos de problemas mais recorrentes nesta época, como hipertermia, leptospirose, otite e dermatite; veterinária orienta a prevenção

Durante o verão, os pets costumam sair mais para passear, ter mais contato com outros bichos, ficar mais expostos ao sol, à chuva e à ação de insetos. Como algumas doenças são mais recorrentes nesta época, a prevenção e os cuidados com a saúde tornam-se fundamentais, alerta a veterinária Karina Mussolino, gerente técnica de clínicas do Centro Veterinário Seres, do grupo Petz.

Os pets são mais propensos a doenças de pele nessa época, principalmente aqueles que ficam muito tempo expostos ao sol. Os que vão à praia e à piscina ou pegam chuva, caso não tenham uma secagem adequada, podem ter dermatite úmida aguda e até otites.

A hipertermia, quando a temperatura corporal sobe excessivamente, e a desidratação também são uma grande preocupação, assim como as doenças gastrointestinais que podem ocorrer devido a altas temperaturas.

É preciso tomar muito cuidado com ectoparasitas, como pulga e carrapato, que se reproduzem intensamente nesta época. Com as chuvas, aumenta a incidência de leptospirose, assim como a ação de insetos que transmitem leishmaniose e dirofilariose, em determinadas áreas. “O importante é manter a visita ao veterinário e a carteira de vacinação em dia. A imunização e os cuidados são uma forma de proteger também a saúde de todos que convivem com os pets dentro de casa”, explica a veterinária.

Como evitar esses problemas

cachorro na agua soiheardmusic
Foto: SoIHeardMusic

Hipertermia – aumento brusco da temperatura corporal, que ultrapassa a capacidade compensatória do organismo. Nesses casos, o animal se mostra cansado, apresenta língua roxa (cianose), tem dificuldade para andar, respiração ofegante, vômitos e diarreias, chegando a convulsões e perda de consciência. Para prevenir, evite passeios nos horários de muito calor, como das 10 às 16 horas; aumente a oferta de água limpa e fresca; borrife o líquido no corpo do pet para refrescá-lo e deixo-o em ambientes frescos, protegidos do sol e com piso gelado.

vacina gato cityofchicago.org
Foto: Cityofchicago

Leptospirose – doença infecciosa causada por uma bactéria chamada Leptospira presente na urina de ratos, transmitida principalmente nas enchentes. É uma zoonose que pode passar dos bichinhos de estimação ao homem. Além da vacina que deve ser realizada todos os anos, é necessário ter atenção nos passeios, manter a casa dedetizada e uma boa higienização no local onde os pets costumam ficar.

cachorro praia alvimann
Foto: Alvimann/MorgueFile

Dirofilariose – conhecida como a doença do “verme do coração”, é transmitida por picada de mosquito por parasita que se aloja no coração de cães e gatos, provocando lesões e até insuficiência cardíaca. A incidência é maior em regiões litorâneas. A prevenção deve ser feita com aplicação mensal de vermífugos ou com uma dose anual da vacina contra o parasita Dirofilaria immitis.

gato coceira coçando

Dermatite –  inflamação ou infecção da pele muito comum em cães e gatos. A dermatite alérgica é provocada por picadas de insetos e a dermatite úmida está associada a proliferação de bactérias e fungos. As pessoas devem ficar atentas para secar bem os pets após chuva, banho de mar ou piscina. E também ao uso de repelentes e manutenção da limpeza nos ambientes que os bichinhos costumam ficar.

cachorro banho pethealthzone
Foto: Pethealthzone

Otite – surge a partir de uma inflamação no ouvido que se prolifera, causando incômodos e até mesmo dores. A enfermidade pode ocorrer na região externa, interna ou no meio do canal auditivo, e até mesmo em apenas uma orelha. A otite pode ser causada por diversos fatores, como proliferação de bactérias, fungos, presença de parasitas no corpo, sarna, produção de cera em excesso e muitos outros. Por isso, é importante proteger as orelhas dos pets durante o banho e mantê-las limpas e secas.

gato antipulga pepeta

Pulgas e carrapatos – as temperaturas altas representam ambiente ideal para a proliferação de pulgas e carrapatos. A maioria desses parasitas está no ambiente. É importante saber que a hipersensibilidade à picada de insetos é a causa mais comum das alergias em cães. A pulga, além de provocar os processos alérgicos, transmite verminose para cães e gatos. Nos bichanos, especialmente, transmite o Mycoplasma. Em grandes infestações, as pulgas causam anemia. Já a Erlichiose e a Babesiose, que são popularmente conhecidas como a “doença do carrapato”, causam a destruição de células sanguíneas. O ideal é manter os pets com medicamentos repelentes ou comprimidos orais próprios contra esses ectoparasitas.

ringo agua fonte

Doenças gastrointestinais – vômito, diarreia e mal-estar são sinais do problema que pode ocorrer devido a altas temperaturas. Uma forma de evitar é não mudar a dieta do animal nesse período e reforçar a oferta de água.

repelente2

Leishmaniose – doença infectocontagiosa transmitida pelo mosquito palha ou birigui, com a alta incidência nesse época, em regiões com situação sanitária precária. É uma zoonose, ou seja, pode ser transmitida ao homem. A vacinação combinada ao uso de repelentes é a melhor fora de prevenção. Além disso, os repelentes também ajudam a afastar outros insetos como as moscas, responsáveis pela transmissão de doenças como berne e miíase.

gato branco

Câncer de pele – animais que ficam expostos por muito tempo no sol podem desenvolver câncer de pele. Um dos sintomas iniciais é uma vermelhidão na pele e úlceras que não cicatrizam (dermatites solares). As regiões mais afetadas pela radiação solar constituem o focinho e as extremidades das orelhas. Animais mais claros são as principais vítimas, como gatos brancos ou albinos e cães das raças Whippet, Staffordshire Terrier Americano, Boxer branco, entre outros. É importante de o uso do filtro solar específico para pets e também oferecer ambientes com sombra e frescos.

Fonte: Petz

Butantã Shopping promove evento gratuito para pets com feira de adoção

Neste final de semana, além de salão de beleza, Pet Park reúne especialistas em comportamento e adestramento, além de orientação veterinária, prática de reiki, circuito de agility, adoção de animais e doação de sangue

Nos dias 2 e 3 de fevereiro, o Butantã Shopping realiza a primeira edição do Pet Park, evento que reúne diversas atividades para cães e gatos. A ação, que acontece das 13h às 18h, contará com muitos especialistas que irão oferecer serviços gratuitos durante os dois dias de programação. Localizado na zona oeste, o Butantã Shopping é um espaço pet friendly, onde os clientes podem circular com seus animais nas áreas comuns do empreendimento.

Dentre as principais atividades do Pet Park estarão as dicas e orientações da consultoria Pet Maníacos sobre adestramento e prática de agility para cães em circuito próprio, que contará com produtos da marca Expet para auxiliar no ensino práticas comportamentais aos pets. A terapeuta Priscila Waib vai ensinar também práticas e benefícios do reiki, técnica japonesa que utiliza a troca de energia pelas mãos para reduzir o estresse, melhorar o sistema imunológico e reduzir inflamações, restabelecendo o equilíbrio físico e emocional.

Além disso, em parceria com a ONG Encontrei um Amigo, a rede Petz promove um evento de adoção de cães e gatos no mesmo espaço, que contará ainda com salão de beleza do laboratório Ibasa, para banho seco, limpeza oral e aplicação de adornos nos pets.

No dia 3, será realizada a campanha para doação de sangue para cães e gatos em parceria com o banco de sangue veterinário Sanimvet, que conta com o primeiro ambulatório móvel da América Latina. A partir de informações sobre os requisitos necessários para um pet ser um doador, os animais que doarem sangue receberão posteriormente um hemograma completo para acompanhar sua saúde.

Ao longo dos dois dias, o Pet Park terá ainda distribuição de petiscos da Keldog, que reconhecerá o esforço e solidariedade dos pets no evento.

50994958_2157319314319412_3712248763461402624_n

Pet Park Butantã Shopping
Data: 02 e 03/02/2018
Local: Butantã Shopping
Endereço: Av. Francisco Morato, 2.718, piso 1, Butantã, São Paulo (SP)
Horário: das 13h às 18h