Arquivo da tag: portugal

Grand Cru apresenta promoção especial para a Páscoa

A partir do dia 24, ao comprar 3 rótulos dos vinhos selecionados para a promoção, a quarta garrafa sai de graça

A Grand Cru, umas das principais importadoras e distribuidoras de vinhos do país, celebra as tradições da Páscoa com uma ação para os amantes dos melhores vinhos. Na campanha especial para a data, que começa no próximo dia 24, ao escolher quatro rótulos, o cliente paga apenas 3 e recebe o quarto de graça. O desconto é aplicado no vinho de menor valor.

A ativação é válida nas mais de 90 lojas da marca espalhadas pelo Brasil e também no seu e-commerce, que conta com 1600 rótulos do mundo todo. Os clientes também poderão aproveitar a promoção no Grand Cru ao Vivo, o primeiro live commerce de vinhos do país em que um sommelier te ajuda na escolha do melhor rótulo para harmonizar com as receitas da Páscoa.

Confira abaixo quatro rótulos, todos de vinícolas portuguesas, indicados pelos nossos sommelier e que fazem parte da promoção. Ao todo são mais de 34 rótulos para escolher.

Churchills Estate Douro Tinto 2017 750ml (R$ 179,90) – um vinho jovem, com aromas frescos de amora, picante no paladar com uma acidez natural no final. Vai muito bem com receitas como rabada com agrião e ravióli de cordeiro.

Quinta Do Vesuvio Pombal Do Vesuvio 2017 750ml (R$ 317,90) – encorpado, mas ao mesmo tempo redondo com sabores de fruto maduro, apresenta frutas vermelhas e notas minerais com recorte de xisto bem definido. Uma ótima pedida para quem vai preparar um Bacalhau à brás para a data.

Vinha Do Mouro 2015 750ml (R$ 115,90) – vindo do Alentejo, apresenta aroma de frutas negras e toques vegetais com taninos mais rigorosos e persistentes. Harmoniza perfeitamente com tapas espanholas, espaguete caccio peppe e chouriço.

Niepoort Dry White 750ml (R$147,90) – vinho do Porto com paladar doce equilíbrio entre o fresco e frutado. Ideal com aperitivos ou sobremesas feitas com nozes e amêndoas.

Informações: Grand Cru

Consumo de vinhos portugueses cresce no mercado brasileiro

Recente pesquisa aponta que o Brasil é o maior comprador de vinhos da região do Alentejo, em Portugal. Empresas reforçam seus portfólios com vinhos da região.

A longeva relação entre Brasil e Portugal segue fortíssima até os dias de hoje quando o assunto é vinho. O Brasil é um dos maiores importadores de vinhos portugueses, em especial, os produzidos na região do Alentejo.

Segundo pesquisa realizada pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), o Brasil é o maior comprador de vinhos da região, tendo apresentado, inclusive, um aumento de 7% nas vendas em volume no primeiro semestre de 2020. Em números absolutos, o volume anual chega à marca de impressionantes 4 milhões de litros de vinho oriundos do Alentejo.

Esse movimento leva muitas importadoras a voltarem seus olhos para esse mercado. A MMV, importadora de vinhos situada em Curitiba, é uma dessas empresas que estão reforçando seu portfólio com rótulos portugueses.

O sommelier Jonas Martins, gerente comercial da MMV, escolheu três rótulos da vinícola Casa Clara para compor o portfólio da empresa. São vinhos da antiga vinícola Monte da Capela, que recentemente foi adquirida pela Casa Clara, de propriedade da família Roque do Vale e situada na sub-região de Moura, no Alentejo, conhecida pela produção de vinhos mais intensos, bem acabados e de consumo descomplicado.

A primeira escolha foi o Monte da Capela Branco Reserva 2018. Este vinho de cor amarelada é produzido com 50% de uvas da variedade Antão Vaz e 50% de Arinto, apresentando um aroma de frutas frescas amarelas, toques de casca de laranja e um saboroso aroma de baunilha, fruto de seu envelhecimento em barril de carvalho.

De alta acidez e estrutura marcante, o Monte da Capela Branca Reserva 2018 acaba de ser laureado com a medalha de ouro na 8ª edição do concurso dos Melhores Vinhos do Alentejo, concurso realizado nas novas instalações da Rota dos Vinhos do Alentejo, em Évora, e composto por um selecionado júri com 15 enólogos representantes de várias instituições, como a “Provadores da Associação Portuguesa de Enologia” e a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA).

Outro rótulo aguardado é o Popular Tinto, vinho com aromas de frutas vermelhas e leve toque de especiarias. Produzido com três tipos de uvas diferentes (50% Trincadeira, 30% Aragonez e 20% Alfrocheiro), o nome do vinho “Popular” remete à sua forma agradável e redonda à boca, o tipo de vinho que os portugueses normalmente apreciam no dia a dia.

A importação do vinho não é à toa.”Com o aumento do consumo de vinhos no Brasil e o crescente interesse pelo tema, resolvemos trazer um rótulo que possa ser tornar popular na mesa dos brasileiros”, argumenta Jonas Martins.

O último vinho é o tinto Herdade da Capela Private Selection, safra 2014. Este é um vinho mais requintado que o Popular, o que faz com que seu preço seja um pouco mais elevado. Com aromas de frutas vermelhas e escuras maduras, como ameixa, amarena e compota de framboesa, ele tem um leve toque de canela. Com fermentação em temperaturas altas para maior extração e sem filtrar, o vinho envelhece seis meses em barris de carvalho, sendo muito potente e vivo à boca, com taninos marcantes e álcool bem integrado.

“Queremos mostrar ao mercado brasileiro que os vinhos de Portugal vão muito além do que vinhos do Porto. Existem muitas outras regiões, como a do Alentejo, que entregam produtos de extrema qualidade”, reforça Jonas Martins.

Informações: MMV

34ª edição do primeiro vinho produzido pelo Esporão agora com certificação biológica

Chega ao Brasil o Esporão Reserva Branco 2019, o primeiro vinho dessa linha com certificação de produção 100% biológica. Um marco desse vinho clássico produzido desde 1985 pelo Esporão, representando a materialização de um trabalho feito há dez anos na conversão das vinhas para a agricultura biológica.

Essa é sua 34ª edição, proveniente 100% das vinhas do Esporão com média idade de 20 anos. É elaborado com uvas das castas tradicionais da região (Antão Vaz, Arinto, Roupeiro e outras), vinificadas numa adega exclusiva para vinhos brancos.

O rótulo

Esporão Reserva representa a aliança entre a cultura universal do vinho e as artes. Desde sua primeira safra, há 35 anos, o Esporão convida um artista para personalizar os rótulos do Esporão Reserva, renovado a cada ano. A fotógrafa holandesa Anne Geene é a artista convidada dessa safra.

É na natureza, na paisagem e nas estações do ano que Anne Geene encontra inspiração para o seu trabalho, uma combinação entre fotografia e ciência. Após um período de imersão na propriedade da Herdade do Esporão, Anne criou um rótulo que destaca a singularidade do vinho e o ano de sua colheita. Além de expressar a filosofia do Esporão: “mais devagar” e o momento de transição, o primeiro Reserva certificado como biológico.

Importado pela Qualimpor, o vinho pode ser encontrado em empórios, lojas especializadas e supermercados pelo valor médio de R$ 190,00.

Informações: Instagram @qualimpor

Bolo de chocolate com cobertura de chocolate negro

Joana Freitas é uma típica portuguesa de uma pequena vila chamada Castelo de Paiva. E o que ela sabe fazer de melhor? O que Portugal tem de melhor? A culinária, é claro. Dona do Café Central, Joana faz deliciosas receitas que só uma portuguesa legítima saberia fazer.

Confira uma receita deliciosa sugerida por Joana:

Bolo de chocolate com cobertura de chocolate negro

Ingredientes para o bolo:
4 ovos
200g de açúcar
70g de manteiga derretida
125g de chocolate de culinária em pó
200g de farinha de trigo sem fermento
1 colher de chá de fermento em pó
125 ml de leite

Ingredientes para a cobertura:
60g de chocolate negro em pastilha ou tablete
1 pacote de natas para bater

Preparação:
Bata as gemas dos ovos juntamente com o açúcar até obter uma massa homogênea. Em seguida, bata as claras em neve e vá juntando aos poucos à massa que preparou anteriormente. Em seguida, junte todos os outros ingredientes, um a um, e envolva-os bem. Quando a massa estiver pronta, coloque numa fôrma untada com margarina e farinha e leve ao forno a 180 graus por 30 minutos. Para a cobertura, coloque as natas e o chocolate em um tacho e envolva bem até o chocolate estar completamente derretido, e deixe engrossar um pouco. Depois de desenformar o bolo coloque a cobertura e está pronto.

Nota: o tempo de cozimento pode variar de forno para forno.

Vinícola Julia Kemper Wines com novidades no Brasil

Produtora portuguesa é uma das mais importantes da região do Dão (acaba de ganhar prêmio como melhor da região), produz vinhos biológicos (orgânicos/ biodinâmicos), e prepara muitas ações e grandes lançamentos no mercado brasileiro

Quando foi chamada para uma conversa com o pai no ano 2000, a bem-sucedida advogada lisboeta Julia de Melo Kemper, não tinha ideia da reviravolta que daria a vida dela. António Melo queria passar à filha uma missão: a continuação do legado de mais de 400 anos da família, de tradicional história na agricultura do Dão, onde o patriarca mantinha, em Oliveira – Mangualde, a Quinta do Cruzeiro.

Julia, que recusara a herança em outras oportunidades, desta vez decidiu abraçar a ideia. Em 2003, a advogada tornou-se também agricultora. E foi assim que iniciei uma grande aventura, alargando o meu horizonte até ao mundo onde tudo começou: a Natureza”, diz Julia Kemper. Não à toa, os vinhos Julia Kemper Wines colecionam prêmios, caso do recente conquistado na Feira de Vinhos do Dão, onde levou o prêmio de melhor vinho branco da região.

A opção desde o início foi pela agricultura biológica, afinal Julia já conhecia e apreciava a filosofia biodinâmica de Rudolf Steiner. “Nem me passou pela cabeça não tratar a minha terra como o fazia com a minha família: biodinamicamente”, costuma dizer Julia Kemper. “As nossas vinhas passaram a ser prados onde toda a vida labora, para me ajudar a produzir as melhores e mais saudáveis uvas para vinho”, completa a produtora.

A primeira colheita, de 2008, chegou ao mercado dois anos depois, em 2010. E o sucesso instantâneo de crítica e público mostrou que as escolhas de Julia estavam corretas. “A imprensa portuguesa e estrangeira começou a espalhar que havia boas novas no Dão”, lembra a produtora. Vieram prêmios em concursos dentro e fora de Portugal, reconhecimento da imprensa especializada e um número cada vez maior de clientes interessados em experimentar o novo vinho do Dão, do qual tão bem falava-se.

E apenas dez anos depois do lançamento, os vinhos elegantes, com deliciosa acidez, aromas florais e uma textura incrível de Julia Kemper chegam a praticamente metade do planeta.

Respeito com a natureza

Com produção orgânica e vegan, a Julia Kemper Wines respeita o terroir do Dão, extraindo o melhor da vinha de forma natural, sem adição de compostos químicos na produção.

Enoturismo

Bem mais que vinhos, Julia se dedica a toda uma história na cultura vinífera de Portugal, enaltecendo a tradição de seus valores junto a modernidade em produzir vinhos. E para compartilhar dessa experiência, a vinícola oferece degustações guiadas por profissionais que explicam sobre a história de cada rótulo e sua produção. A “viagem” acontece na Adega em Oliveira – Mangualde, no Dão ou na Embaixada da vinícola no bairro de Príncipe Real, em Lisboa.

Vinhos no Brasil

No Brasil, Julia Kemper Wines é representada por duas importadoras: Caves Santa Cruz (com sede em São Paulo), e a Mayer Importadora (com sede em Florianópolis). E apresenta os seguintes vinhos orgânicos e biodinâmicos: Julia Kemper Elpenor; Julia Kemper Branco, Julia Kemper Touriga Nacional 2012 e Julia Kemper Vinhas Selecionadas 2012 e Julia Kemper Elpenor Blanc de Noir 2018.

Em breve a vinícola lançará por aqui o tinto da linha do excelente Julia Kemper Curiosity – Edição Limitada (previsto para início de setembro). O nome do vinho e a arte do rótulo são inspirados na saga da Nasa e da nave que usou para chegar a Marte – a demanda ancestral de alargar o conhecimento.

A vinícola será uma das estrelas no evento “Vinhos de Portugal”, que ocorre entre os dias 23 e 25 de outubro (em formato digital esse ano). “Com as nossa ações, apresentações e comunicação dos vinhos da vinícola Julia Kemper Wines no Brasil, pretendo aproveitar o interesse crescente dos brasileiros pelo vinho e nomeadamente o vinho português. Ainda mais especificamente pelo recrudescer da região do Dão no mundo e, claro, também no Brasil. Com entrada dos vinhos da nossa vinícola e a elegância da região que os caracteriza, espero a sua entrada na restauração brasileira, como parceira ideal para apreciar os nossos vinhos. E que haja muita saúde!”, diz Julia

Conheça os vinhos Julia Kemper no Brasil clicando no nome:

Julia Kemper Elpenor Blanc de Noir 2018

Julia Kemper Elpenor Tinto (orgânico e biodinâmico)

Julia Kemper Branco (Orgânico)

Julia Kemper Touriga Nacional 2012 (orgânico e biodinâmico)

Julia Kemper Vinhas Selecionadas 2012 (orgânico e biodinâmico)

Fonte: Julia Kemper Wines

 

Vinhos portugueses do Alentejo para provar no Brasil

Maior região de Portugal é uma das favoritas de enófilos do mundo todo

Não é segredo que o Alentejo, maior região de Portugal, é também um grande produtor de vinhos do país. Diversos vinhos premiados são desenvolvidos em terras alentejanas, o que explica porque este destino está entre os favoritos de enófilos do mundo todo.

Quem viaja para a região pode visitar as inúmeras herdades produtoras e adegas e viver experiências maravilhosas, como provas de vinhos, refeições harmonizadas, piqueniques nos vinhedos e até workshops temáticos. Na época das vindimas, que já estão a todo vapor este ano, muitas propriedades convidam os visitantes a participar do processo da colheita e pisa das uvas!

Também é possível provar muitos dos vinhos alentejanos aqui no Brasil. Confira alguns dos rótulos disponíveis em lojas, adegas e importadoras brasileiras:

Caiado – Adega Mayor

Foto: Gonçalo Villaverde

Situada em Campo Maior, esta é a primeira adega de autor de Portugal, além de ser uma referência arquitetônica no mundo todo, considerada por muitos uma verdadeira obra de arte. O vinho Caiado é um rótulo jovem, com personalidade e grande abrangência gastronômica, além de um aroma envolvente e cheio de frutas. Sua versão branca é versátil, fresca e muito harmoniosa.

Guadalupe – Quinta do Quetzal


Nas encostas de Vidigueira, a Quinta do Quetzal também impressiona por sua arquitetura. Um de seus edifícios é uma construção moderna com restaurante, loja e galeria de arte. No entanto, a produção preserva antigas tradições e técnicas vinícolas, apostando no caráter verdadeiramente alentejano. O Guadalupe tinto tem um sabor intenso com notas de frutos vermelhos. O branco, por sua vez, possui um paladar frutado, com um final cítrico e mineral.

Herdade de São Miguel – Casa Relvas


A Casa Relvas é uma grande produtora com essência familiar e que investe fortemente na sustentabilidade. Suas vinhas contam com a presença de adoráveis ovelhas, que ajudam a reduzir o uso de herbicidas e adubos químicos durante o inverno. A Herdade de São Miguel foi a primeira linha de vinhos da Casa Relvas: o tinto é equilibrado, redondo e com aroma maduro; o branco, por sua vez, é bastante mineral e harmonioso, com aroma complexo e fina acidez.

Herdade dos Grous – Herdade dos Grous


A Herdade dos Grous é uma excelente produtora localizada em Albernôa. O vinho que leva seu nome é feito com uvas colhidas à mão, o que resulta em um produto elegante e de altíssima qualidade, com sabor encorpado. O branco é fino e delicado, enquanto o tinto é concentrado e estruturado.

Malhadinha – Herdade da Malhadinha Nova


Os 450 hectares da Herdade da Malhadinha Nova, em Albernôa, englobam uma adega moderna, um hotel de charme e um delicioso restaurante. Alicerce da marca, o Malhadinha é finamente trabalhado, desenvolvido com o casamento de castas criteriosamente selecionadas, apresentando um aroma complexo e paladar cheio. Conta com o calor e a generosidade típicos do Alentejo e é extremamente elegante.

Monte Velho – Esporão


A Herdade do Esporão é extremamente conhecida mundialmente por seus deliciosos vinhos e azeites. Situada próximo a Évora, principal cidade alentejana, trabalha com um sistema de produção biodinâmico, evitando ao máximo danos ao solo. O Monte Velho é um vinho versátil produzido há mais de 25 anos. Com um perfil equilibrado e gastronômico, é elaborado segundo as tradições alentejanas e apenas com uvas locais. Muitos dizem que é o próprio Alentejo em uma taça!

Pêra-Manca – Cartuxa


É impossível falar de vinhos alentejanos e não mencionar o Pêra-Manca, considerado um dos melhores do mundo. A fama se deve ao fato de ser uma bebida encorpada, complexa e elegante, além de muito exclusiva: sua produção não ultrapassa as 30 mil garrafas. Situada também nos arredores de Évora, a Cartuxa preserva a riqueza de sua memória arquitetônica e histórica em sua propriedade, que existe há muitos séculos.

Rio dos Patos – Herdade do Sobroso

Herdade do Sobroso

Inserida em uma paisagem ímpar nas proximidades do Rio Guadiana, a Herdade do Sobroso, com seus 1,6 mil hectares, conta com uma das mais extensas vinhas plantadas da região. O Rio dos Patos é uma homenagem aos mais de 2 mil anos de história e tradição na produção de vinhos junto ao Guadiana. Feito com uvas colhidas manualmente, tem uma versão branca fresca e elegante e um tinto intenso e vibrante.

Vila Santa – João Portugal Ramos


Com um nome que faz referência ao conhecido “Milagre das Rosas”, protagonizado pela Rainha Santa Isabel em Estremoz, o Vila Santa foi o primeiro vinho do projeto pessoal de João Portugal Ramos. As uvas são colhidas manualmente e, para o tinto, passam pela tradicional pisa a pé, resultando em um vinho carnudo, poderoso e cheio. O branco tem um sabor complexo e uma frescura mineral de grande elegância.

Sobre o Alentejo

Considerado o destino mais genuíno de Portugal, o Alentejo é a maior região do país. Privilegiando um lifestyle tranquilo em que a experiência de viver bem dá o tom, conta com belas praias intocadas e cidades repletas de atrações ímpares, como castelos e monumentos históricos. Detentor de cinco títulos da Unesco e diversos outros prêmios e reconhecimentos internacionais no setor do turismo, o Alentejo oferece opções para todos os tipos de viajantes, sejam famílias, casais em lua de mel ou aventureiros. A promoção turística internacional do Alentejo é cofinanciada pelo Alentejo 2020, Portugal 2020 e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (Feder).

Informações: Turismo do Alentejo

Conheça o vinho Madeira e por que ele é tão famoso

Bebida produzida na Ilha da Madeira é apreciada no mundo todo

Vinho Madeira - Credito Turismo da Madeira
Foto: Turismo da Madeira

A Ilha da Madeira, território português situado em meio ao Atlântico, é um destino fascinante e completo. E, mesmo estando cerca de mil quilômetros distante da parte continental do país, o arquipélago também segue as tradições de Portugal no que diz respeito aos vinhos. Sua localização privilegiada, solo vulcânico e método de preparo especial dão origem a uma bebida de características singulares: o vinho Madeira, famoso no mundo todo e que é uma ótima maneira de conhecer um pouco o destino mesmo sem viajar para lá.

Foi no século 15 que as castas de uva foram introduzidas nas terras madeirenses, pouco depois de sua descoberta. A ideia era fornecer a bebida aos navios que seguiam para o chamado “Novo Mundo” e para as Índias. A produção acabou se tornando uma das principais fontes da economia madeirense. Tanto que, atualmente, mais de 500 hectares de vinhas se misturam aos belos cenários do destino.

Vinho Madeira - Credito Andre Carvalho
Foto: Andre Carvalho

O vinho Madeira tem alto teor alcoólico, podendo ultrapassar os 19%. Isso porque é fortificado, ou seja, recebe álcool vínico para barrar a fermentação. Seu processo de produção também é bastante curioso. Diferente de qualquer outro vinho e desafiando as lógicas da enologia, o vinho Madeira pode utilizar dois métodos de maturação distintos.

Um deles é a maturação com calor, em que o vinho é armazenado em tonéis de inox sob temperaturas entre 45ºC e 50ºC durante um período de, no mínimo, três meses, simulando as condições a que eram submetidos durante as travessias oceânicas até as Índias, quando atravessavam duas vezes a linha do Equador. Existe também o processo chamado canteiro, no qual o vinho é armazenado em barris de madeira por um período mínimo de dois anos, nos pisos superiores das adegas, onde a temperatura é mais elevada.

©GregSnell-9008-Barbeiro Estate Winery

É possível encontrar vinhos Madeira com diferentes graus de doçura, desde seco e meio seco até doce e meio doce, cada um associado a uma espécie de uva. Os vinhos doces são produzidos com a casta Malvasia, os meio doces são da casta Bual, meio secos com a casta Verdelho e os secos com a casta Sercial. Já a casta Tinta Negra é base da maior parte da produção, dada a sua versatilidade para produzir os quatro graus de doçura.

6. Vinho Madeira 2 - Credito IBVAM
Foto: IBVAM

Degustar uma boa taça de vinho Madeira pode ser uma experiência inesquecível. Imagine provar uma bebida centenária? Com longevidade incomparável, o líquido pode ganhar sabor ainda mais extraordinário com o passar dos anos. Algumas amostras chegam aos três séculos.

Vinho Madeira - Blandy's Wine Lodge - Credito Andre Carvalho
Foto: Andre Carvalho

Todos esses processos resultam em uma bebida complexa, de aromas ricos e intensos, reconhecida por sua energia e frescor, graças a uma acidez surpreendente e paladar inigualável.

Sobre a Ilha da Madeira

Madeira_Lifestyle020©Andre Carvalho
Foto: Andre Carvalho

Considerado o melhor destino insular do mundo, a Ilha da Madeira é um pequeno paraíso português situado em meio à imensidão do Oceano Atlântico. De origem vulcânica, sua localização privilegiada proporciona clima ameno e mar com temperatura agradável o ano inteiro, além de impressionantes cenários de montanhas, vales e penhascos, todos cobertos pela exuberante vegetação Laurissilva, nomeada Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco.

O arquipélago é formado por um conjunto de ilhas, sendo as principais e únicas habitadas Madeira e Porto Santo. Há excelentes opções em balneários, monumentos históricos e ótimos hotéis e restaurantes, onde se pode provar a deliciosa gastronomia e os premiados vinhos madeirenses. Para mais informações, acesse

Fonte: Madeira All Year

Aprovação da eutanásia em Portugal traz o tema, delicado, de volta à discussão

“Aprovação da eutanásia em Portugal reascende discussão sobre os direitos fundamentais da pessoa humana com um olhar de renovação das liberdades e das singularidades”, avalia professor da Faculdade de Medicina do Hospital Albert Einstein

Os cinco projetos de despenalização da morte medicamente assistida em Portugal foram aprovados pelo Parlamento no último dia 20 de fevereiro. Os textos estabelecem a prerrogativa da eutanásia e do suicídio assistido aos portugueses e também aos residentes no país, maiores de idade com doenças incuráveis e em fase de sofrimento duradouro e insuportável.

A aprovação, de acordo com o advogado e professor Mario Barros Filho, professor da Faculdade de Medicina do Hospital Albert Einstein e sócio fundador do escritório BFAP Advogados, ainda não é definitiva e poderá, inclusive, ser discutida no Judiciário. “Trata-se de uma importante evolução no debate sobre o tema, mas muita coisa deve acontecer até a efetiva legalização da eutanásia em Portugal”.

A eutanásia, caso aprovada em definitivo, poderá ser acessível aos brasileiros que vivem legalmente em Portugal. De acordo com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), 150.854 brasileiros (números atualizados até janeiro deste ano) poderão ser beneficiados com a nova regra. No geral, os brasileiros representam 1 em cada 4 imigrantes residentes no país europeu. A nova legislação determina que o paciente terá de fazer o pedido de forma consciente e lúcida, com exceção para pessoas com transtornos mentais. Cada caso terá de ser avaliado por dois médicos.

Na visão do advogado, a aprovação inicial da morte medicamente assistida em Portugal reacende uma discussão importante sobre o conceito da autonomia da pessoa humana.

“A eutanásia vem na ordem de possibilitar ao indivíduo dispor de sua vida biológica e biográfica, como uma liberdade de escolha. É muito importante entendemos que o direito à vida não pode ser interpretado como um dever à vida. Mas isso nos leva a refletir se não deveríamos também buscar uma discussão, colocando em pauta a implementação de direitos para proteção do que seria esse conceito individual de pessoa humana. O ideal seria aproveitar este momento e reforçar temas como cuidados paliativos e acesso à saúde, garantido que pessoas não vivenciem situações de ‘punição à vida’. Ou seja, existe um paradoxo. Importante deixar claro que esta posição não se coloca como contrária à eutanásia, como direito fundamental da pessoa humana, mas seria importante incluir outros temas relevantes nesta esteira de renovação das liberdades e da singularidade de cada pessoa. Entendo que momentos como esse comprovam que todos os dias reescrevemos o que entendemos por dignidade, e isso é fundamental e necessário como um ato de humanidade”, afirma.

mãos solidariedade

O especialista também ressalta que no Brasil não existe nenhuma lei que autorize a eutanásia. Assim, o profissional de saúde que interrompe de forma ativa a vida de um paciente — dando uma injeção letal, por exemplo — é julgado com base no artigo 121 do Código Penal, acusado de homicídio doloso, cuja pena vai de seis a 20 anos de prisão.

Alentejo é eleito uma das seis melhores regiões vinícolas para visitar em 2020

Região foi a única de Portugal na lista da prestigiosa revista Condé Nast Traveler

O Alentejo, maior região de Portugal, foi eleito pela prestigiosa revista de turismo Condé Nast Traveler como uma das melhores regiões vinícolas para visitar em 2020. A publicação utilizou a opinião dos mais importantes especialistas em vinho dos Estados Unidos para a elaboração da lista.

20160623_GONCALO VILLAVERDE_0319 - QUINTADO QUETZALExperiência da vindima para turistas - Casa de Campo Vila Galé - Adega Santa Vitória - Crédito VictorCarvalho.com.brPiquenique - Alentejo - Credito Manuel Gomes da Costa

Segundo a matéria, tanto os vinhos tintos quanto os brancos, feitos principalmente com uvas autóctones, como a touriga nacional, aragonez e alicante bouschet, são as atrações mais importantes da região. A publicação também destacou as adegas alentejanas e o design vanguardista de algumas delas.

Prova de Vinhos na Quinta do Quetzal - CREDITO GONCALO VILLAVERDEProva de Vinhos - Herdade dos Grous - Credito Turismo do Alentejo

A revista conversou com Michele Gargiulo, sommelier do Jean Georges Philadelphia, restaurante do hotel Four Seasons. A especialista afirmou que há muitos produtores que fazem vinhos fantásticos no Alentejo, exaltando a qualidade excepcional das bebidas e seus preços excelentes.

Prova de vinhos no Alentejo_Crédito - Divulgação Turismo do Alentejo

A região tem muito a oferecer aos enófilos: não apenas é possível provar os vinhos locais, mas também conhecer onde e como são produzidos, participar de degustações variadas, fazer harmonizações de vinhos com a saborosa gastronomia local e mesmo, durante as vindimas, que acontecem em agosto ou setembro, participar da colheita ou da pisa das uvas.

Casal degustando vinhos em casa típica, Alentejo_Crédito - Divulgação Turismo do Alentejo

Há vinícolas espalhadas por todo o território alentejano. Além do enoturismo, o Alentejo convida os viajantes a conhecerem um vasto patrimônio histórico, vilas charmosas e restaurantes deliciosos.

Torre de Palma - Vinhos - Alentejo - DivulgacaoVariedade de vinhos alentejanos_Crédito - Divulgação Turismo do Alentejo

A Condé Nast Traveler também divulgou os resultados de sua tradicional premiação feita com votos dos leitores, e Portugal ficou em terceiro lugar no ranking dos melhores países do mundo de 2019. A pesquisa teve mais de 600 mil votos, e a revista indicou uma viagem pelo Alentejo e seus vinhos, uma região que afirmaram ser fantástica. Para conferir a lista completa clique aqui.

Vinhos do Alentejo estreia na Wine Festival em SP

Iniciativa pioneira da CVRA proporciona uma experiência alentejana completa com gastronomia, informação e entretenimento; evento estreia em São Paulo unindo o melhor da cultura portuguesa ao lifestyle paulistano; visitantes terão oportunidade de conferir também cerca de 100 rótulos de 14 grandes produtores da maior região vitivinícola de Portugal

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), organismo que certifica e promove os vinhos da região, leva pela primeira vez a São Paulo, o Wine Festival – evento que une gastronomia, entretenimento e informação. A iniciativa pioneira da CVRA começa dia 21 de setembro, no Museu da Casa Brasileira (SP).

“Nós da CVRA estamos muito felizes em proporcionar esse evento ao público que já faz parte, ou ainda quer fazer, dessa cultura deliciosa dos vinhos. De acordo com o nosso último levantamento, as importações têm aumentado em mais de 20% nos últimos 5 anos. Nosso foco é envolver as pessoas em muito conhecimento, entretenimento e lifesytle nessa saborosa novidade da Comissão”, ressalta Maria Amélia, representante de marketing da CVRA. A executiva destaca também que os Vinhos do Alentejo veem no Brasil o seu primeiro mercado de exportação.

vinhos
Foto: Jeronimo Heitor Coelho

Wine Festival

O ponto de partida desta experiência Alentejana em São Paulo serão as palestras ministradas pelo jornalista Alexandre Lalas. Com o painel Arinto – A eletricidade do Alentejo, os participantes poderão conhecer melhor sobre esta casta tipicamente alentejana, que empresta frescor e tensão aos vinhos brancos. Já no debate Elegância versus Potência – Os dois lados do Alentejo, dos delicados aos robustos, o público poderá compreender o porquê de todos os estilos serem encontrados na região, mostrando que o Alentejo transcende essa experiência. Mas corram que as vagas são limitadas.

Entre uma taça de vinho alentejana e outra (a preços promocionais), os visitantes da Wine Festival de São Paulo terão a oportunidade de conferir também cerca de 100 rótulos de 14 grandes produtores da maior região vitivinícola de Portugal, que poderão ser harmonizados com alguns dos mais badalados nomes da gastronomia paulistana como: Chef Carlos Bertolazzi, Rota do Acarajé, Cariri, Academia da Gula, Arais do Carlinhos, Boteco do Carmo, entre outros que estarão no evento unindo o melhor de Brasil e Portugal.

“Nesta primeira edição do Wine festival, fizemos uma seleção de algumas das mais badaladas casas gastronômicas paulistanas para mostrar que a informação e os sabores de Brasil e Portugal com certeza se harmonizam de maneira leve e única”, complementa Maria Amélia.

Vinícolas confirmadas:

Carmim – Reguengos / Cartuxa – Fundação Eugénio de Almeida / Casa Relvas / Comenda Grande / Cortes de Cima / Esporão / Herdade do Peso / Herdade dos Coteis / HMR – Docwine / João Portugal Ramos / José Maria da Fonseca / Monte da Capela / Quinta do Zambujeiro / Vinhos Folha do Meio – Alto da Capela/ Herdade da Figueirinha / Herdade Grande / Ervideira.

alentejo.png

São Paulo Wine Festival SP
Data: 21 setembro (sábado)
Horário: 11h – 18h
Onde: Museu da Casa Brasileira
Endereço: Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2705 – Jardim Paulistano – SP