Arquivo da tag: pós-pandemia

Tendências em app de relacionamentos em 2022 segundo o Badoo

Pesquisa realizada pelo aplicativo prevê que este será o ano em que o ”dating” vai voltar a ser divertido no Brasil

Depois da montanha-russa de emoções que foi o ano passado, uma pesquisa realizada em dezembro de 2021 pelo Badoo, melhor aplicativo para fazer conexões sinceras, descobriu que 2022 tem tudo para ser um ano cheio de esperanças no âmbito dos relacionamentos.

Os dados mais recentes revelaram que os solteiros podem estar abandonando suas “preferências” e priorizando a qualidade dos encontros em relação à quantidade. O app ainda convidou a especialista global da área de namoro do Badoo, Sophie Mann, para ajudar a comentar o que está por vir no mundo dos datings. Confira:

Abrindo os horizontes

Em 2021, muitas pessoas deixaram de procurar pelo seu “tipo” de pessoa e optaram por buscar alguém diferente. A pesquisa agora mostra que aproximadamente 68% dos brasileiros estão mais abertos a namorar pessoas fora de seu ”tipo” este ano, com 50% alegando que namorar pessoas que pareciam se encaixar em suas preferências não funcionou.

Apenas amigos?


Muitos relacionamentos vêm de amizades e, em 2022, veremos mais gente procurando pessoas que talvez conheçam na vida real. A pesquisa mostra que 33% dos solteiros brasileiros se conectaram com alguém que já conhecem em um aplicativo de namoro, com 42% afirmando que convidá-los para sair é mais fácil por este motivo. “Um aplicativo de namoro é um lugar seguro para mostrar seu interesse ao ver alguém que você conhece em um aplicativo de namoro, já consegue ver as intenções dele e se sentir mais seguro em avisá-lo de que está interessado,” explica Sophie Mann.

Sem hora para acabar!

Sasin Tipchai/Pixabay

O distanciamento físico fez com que todos vissem o tempo de maneira um pouco diferente, especialmente os solteiros, e é por isso que agora acham mais importante ter encontros mais longos para formar conexões mais profundas. A pesquisa mostra que os encontros duraram em média 3 horas e meia em 2021, e afirmam que em 2022, eles gostariam de participar de encontros mais longos. A especialista comenta que ter um encontro mais longo ajuda a estabelecer conexões. ”Os solteiros geralmente acham difícil sair totalmente de sua zona de conforto no primeiro encontro, então, gastando um pouco mais de tempo com eles, é muito mais fácil estabelecer uma conexão mais profunda.”

De volta ao mundo do dating

Pexels

No período de lockdown, muitos novos relacionamentos surgiram, mas, infelizmente, muitos também se romperam. Agora que o isolamento está menos rígido e o avanço das vacinações tem mostrado melhoras, muitos novos solteiros estão tentando voltar, quase metade dos entrevistados (47%) afirmam que estão entusiasmados em namorar em 2022.

Emojis falam mais que mil palavras


Emoji é a única linguagem compreendida universalmente e é amplamente usada quando se trata do universo da paquera, onde as palavras podem ser mais complicadas. O pódio agora é emoji apaixonado (34%), seguido de emoji sorrindo (33%) e emoji piscando o olho (27%).
Sophie alerta que utilizar apenas emojis nos bate-papos, pode tornar difícil a continuidade da conversa. “Emojis são uma maneira fácil de deixar alguém saber o que você está pensando e podem ser uma forma divertida de quebrar o gelo e transmitir emoções. Ao contrário das palavras, os emojis raramente são distorcidos, embora seja importante que usemos uma combinação de imagens e palavras para ajudar a mostrar interesse.”

Ilustração: Studiostoks

Para muitos, 2021 foi o ano pós-lockdown, então os solteiros estavam animados e ansiosos para conversar com o maior número possível de pessoas. Agora que tivemos tempo para refletir, é mais sobre qualidade do que quantidade, com o objetivo de criar conexões com as pessoas em um nível mais profundo.

*A pesquisa foi realizada pela OnePoll, entrevistando 1.000 solteiros no Brasil, do dia 13 a 21 de dezembro de 2021.

Cinco razões para escrever os seus planos no pós-pandemia

O psicólogo da rede educacional Minds Idiomas, Augusto Jimenez, desvenda o que acontece na mente quanto raciocinamos a nossa volta ao “novo normal”

O Covid-19 estabeleceu alterações nas rotinas de pessoas de todo o mundo. Até o começo de abril, um terço da população mundial estava em quarentena. Isto é: 2,6 bilhões de pessoas isoladas em suas casas. Quando fala-se desta mudança na rotina das pessoas precisamos falar de ansiedade. O ser humano não é programado para mudanças. O nosso cérebro busca segurança e conforto. Quando precisamos mudar: temos ansiedade. É sair do comum. O conceito de normalidade está atrelado ao de segurança, e é por isso que este período de isolamento é considerado atípico.

De acordo com a mestre e doutora da USP (Universidade de São Paulo), Maria Augusta Rhein, o novo normal nada é mais é que uma proposta de um novo padrão que possa garantir a sequência dos seus humanos, ou seja a sobrevivência. “O Kit Covid (máscara, luvas e álcool em gel) no inicio parece estranho, mas a garantia que nos traz de não ficarmos doentes faz com que assimilemos melhor esse padrão de uso”, explica Maria Augusta.

“A mente dos mamíferos demonstra a importância da socialização. É por isso que neste momento temos um crescente no mundo de indivíduos com depressão e um aumento na taxas de suicídio. Na minha rede educacional, como psicólogo, assim que começou o isolamento, coordenamos reuniões semanais com professores, comercial e administração. Essa interação, mesmo por vídeo, fortalece o sentimento de pertencimento e que não estamos encarando isso sozinhos. Deu muito certo, e desde março tivemos apenas uma solicitação de desligamento dos nossos mais de mil profissionais”, explica o psicólogo da Minds English School.

Uma das técnicas recomendadas pelos psicólogos de todo o mundo é a prática do Mindfulness. Que consiste em estar no presente, com foco na ação presente, porém lembrando dos reflexos a longo prazo daquela ação continuada. ” Na rede Minds Idiomas praticamos nas mais de 70 escolas, o Mindfulness, dentro e fora da sala de aula”, evidencia Jimenez, da Minds Idiomas.

Pensando neste cenário, o psicólogo lista cinco razões para você começar hoje mesmo a anotar os seus planos futuros pós pandemia:

1) A ansiedade diminui

caderno branco anotações
Isso mesmo. A adrenalina tende a diminuir quando nos acalmamos, e essa adrenalina é potencializada na ansiedade. Ao anotar os seus projetos e traçar ações para alcançá-los, mesmo em casa, você consegue ter uma expectativa na mente de término do confinamento.

2) A endorfina é produzida

freegreatpicture-mulher-agenda
Ao anotar e começar a cumprir pequenos passos para conquistar os seus planos na pós pandemia, picos de endorfina começam a ocorrer. Por exemplo, se você deseja emagrecer 10 quilos até o fim da pandemia, e começar a caminhar na esteira em casa e/ou comer melhor em casa terá a sensação de estar fazendo algo em prol do seu objetivo. Isso traz satisfação ao seu cérebro e a endorfina é desencadeada.

3) O seu currículo ficará melhor

curriculo foto ilustracao pixabay
Sempre que criamos listas de objetivos, ao menos uma das metas se trata de um desejo profissional. Se você perdeu o emprego neste período e/ou quer crescer na sua carreira após tudo isso passar, ao iniciar um curso de idiomas e/ou curso profissionalizante, você chega mais próximo do objetivo de trabalho. Na Minds Idiomas, as matrículas cresceram 10% neste período. Isso porque além de apenas 3% da população brasileira ser fluente no inglês, o idioma será o diferencial no momento da contratação, após a pandemia. Além disso, a maioria dos estudantes tem nos reportado que as aulas remotas oferecem a chance de eles conhecerem pessoas de todo o Brasil, com diferentes profissões e anseios. Isso eleva a endorfina: bem estar por estar convivendo, mesmo que por vídeo, com outras pessoas.

4) Melhora a sua capacidade neural e diminui a sensação de solidão

Skype- terapia internet
Como mencionei no inicio deste material: temos necessidade de contato com os outros indivíduos. Nossa capacidade neural evolui ao termos contato com o outro, mesmo que seja por vídeo. Isso envolve todos os mamíferos, incluindo a nós seres humanos. Por isso, ao anotar as suas metas e percorrê-las, você terá que ter contato com outros indivíduos por vídeo. Isso reflete a sensação de pertencimento e a satisfação individual de estar perseguindo os próprios objetivos.

5) Seu convívio em casa será melhor

woman-writing-on-her-notebook
Pexels

Ao escrever as suas metas pós-pandemia e começar a percorrer o caminho para alcançá-las, você começará a ter uma rotina mais estabelecida em casa. Por exemplo: metas como fazer um intercâmbio e/ou ter uma nova colocação no mercado de trabalho fará com que você se dedique para um idioma e veja a sua evolução nele. Traz satisfação, você terá o seu tempo preenchido e concomitantemente as suas relações sociais com quem mora com você melhorará. Porque você estará mais estável.

Fonte: Minds Idiomas