Arquivo da tag: proteinas

Vitaminas e imunidade: a importância de manter hábitos saudáveis*

O corpo reage diariamente aos ataques de micro-organismos invasores, como bactérias, micróbios, fungos e outros vírus. É o sistema imune, ou imunológico, o responsável por garantir a defesa do organismo, mantendo-o funcionando e livre de infecções. Sendo assim, quando um corpo estranho ataca o organismo, o sistema imunológico, quando saudável, é capaz de identificá-lo e ativar mecanismos de defesa para combatê-lo. Entretanto, com a imunidade baixa, o organismo não consegue afastar os invasores, ficando vulnerável à entrada de diversas doenças.

A imunidade pode ser enfraquecida por diversas causas. Entre as principais, estão os hábitos de vida nocivos ou pouco saudáveis, como má alimentação, sedentarismo, privação de sono, tabagismo, alcoolismo, abuso de drogas e medicamentos, além de variação hormonal e fatores imunológicos.

A melhor forma de manter o sistema imunológico fortalecido é por meio de uma alimentação rica em nutrientes combinada com a prática diária de exercícios físicos. Além disso, as vitaminas são essenciais para garantir o bom funcionamento do corpo, incluindo seu mecanismo de defesa, e podem ser encontradas entre os mais variados alimentos, suplementos e medicamentos. Por isso, uma composição nutricional completa e equilibrada é fundamental para a prevenção e manutenção da saúde.

Um estudo publicado pelo Ministério da Saúde em 2021 sobre a importância da nutrição para a defesa imunológica, elencou os nutrientes essenciais para garantir o fortalecimento desse sistema. Entre os principais, destacam-se as vitaminas A, B6, B12, C, D, E, ácido fólico (B9) e biotina (B7); minerais como zinco, ferro, selênio, magnésio e cobre; proteínas; ácidos graxos ômega 3 e outros nutrientes e compostos bioativos, como fibras, polifenóis, carotenoides, probióticos, etc. Todos eles podem ser encontrados em alimentos naturais ou em cápsulas, que podem facilitar a ingestão nas quantidades ideais.

Ainda segundo o estudo, a vitamina A, por exemplo, serve para a formação de colágeno, além de melhorar a visão e contribuir para a renovação celular. As vitaminas do complexo B desempenham funções essenciais no organismo relacionadas à energia, sistema nervoso, saúde da pele e dos cabelos.Já a famosa vitamina C é um antioxidante que ajuda a proteger as células contra os efeitos dos radicais livres.

Para o desenvolvimento dos ossos e fortalecimento dos dentes, a vitamina D é uma grande aliada. Para combater o envelhecimento precoce e contribuir para a integridade da pele, a vitamina E é essencial. Os ácidos graxos ômega 3 são importantes para a saúde cardiovascular e dos olhos, além de possuírem propriedades anti-inflamatórias.

A lista de “A a Z” integra também minerais e as proteínas que atuam na produção de enzimas responsáveis por várias funções no organismo, inclusive na manutenção dos tecidos do corpo. Além desses itens, as defesas do organismo também podem ser fortalecidas por meio de suplementos vitamínicos. É importante consultar o seu médico e nutricionista para uma suplementação correta, bem como orientações de farmacêuticos em caso de dúvidas.

*Por Marisa Saito, Gerente Farmacêutica da Drogaria São Paulo

Dicas para uma ceia mais econômica – por Mauricio Lopes*

Com a pandemia e esse momento de tantas incertezas que ainda estamos vivendo, preparar as festividades do final de ano continua sendo um desafio para conseguir equilibrar o orçamento. Procurar novas alternativas de ingredientes, apresentações e técnicas de preparo é o segredo para vencer esse desafio de garantir a comemoração com cara de festa sem estourar os custos.

As ceias de Natal por todo Brasil ainda têm como preparação principal proteínas e frutos importados, caros para o momento. Mas é possível buscar opções mais baratas e tão saborosas quanto. O tender, o bacalhau, o peru, a castanha, ameixas e outros ingredientes típicos dessa época podem ser substituídos ou ter sua participação reduzida no cardápio, em quantidades mais modestas, sem abrir mão da identidade festiva.

Anchovas – Pixabay

O bacalhau, por exemplo, pode ser trocado por filé de pescada, anchova, tainha, entre outros pescados, que podem ser preparados desfiados, assados, em saladas, cremes ou combinados com frutos do mar, resultando em uma apresentação mais nobre.

Outra boa saída é o preparo de tortas utilizando esses pescados e frutos do mar. É uma forma de fazer render esses ingredientes mais caros, trazendo novos sabores e uma bela apresentação para a mesa natalina.

O peru tem destaque nas mesas natalinas principalmente por seu tamanho família e apresentação festiva. Pode ser substituído por uma ave à altura como o chester, que foi criado para isso, mas com um sabor mais popular e peito farto para uma boa apresentação. As frutas natalinas podem ser substituídas por frutas da época como abacaxi, figo, ameixa, melancia e podemos também montar mesas mesclando as frutas da época com itens importados que normalmente encontramos neste momento como castanha, amêndoa, noz, cerejas e ameixas vermelhas. Com certeza esse mix vai deixar sua mesa mais econômica e tão linda quanto.

Esse é também um momento para brindarmos, com as bebidas em posição de destaque. Hoje o Brasil é destaque no mundo com seus espumantes de ótima qualidade e custo baixo. Encontramos bons produtores e safras consagradas com facilidade no mercado, bastando procurar uma loja especializada e seguir as dicas e recomendações dos profissionais que normalmente estão disponíveis no estabelecimento. Na maioria das vezes, é melhor do que se arriscar em supermercados populares com opções mais baratas, mas com pouca qualidade.

Também vale brindar com drinques e coquetéis preparados com destilados, frutas, sodas, tônicas e sucos. São mais econômicos, rendem mais e são mais refrescantes para o clima quente do momento, além de permitir muita criatividade na hora do preparo.

É importante neste momento ficar atendo ao desperdício. Podemos sim preparar uma mesa farta e linda, mas sempre calculando quantidades e número de pessoas envolvidas na comemoração para que não tenham muitas sobras no final. Uma festa bem calculada evita excesso de sobras que podem estar contaminadas para serem reaproveitadas, tempo perdido no preparo e dinheiro que poderia ser usado de forma mais consciente. O ideal, e até mesmo inevitável, é que as sobras sejam em pequena quantidade, devendo ser separadas para produções de reaproveitamento para o almoço do dia seguinte, que na maioria das casas já virou tradição.

*Mauricio Lopes é chef formado em Gastronomia e Eventos, atua como docente na Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) nos cursos de graduação, pós-graduação e de educação continuada, complementou sua formação com cursos no Culinary Institut of America, no Institut Paul Bocuse, na Universidad Peruana de Ciências Aplicadas e em oficinas na Catalunha (azeites) e na Itália (panificação). Trabalha ainda com consultoria, treinamento e planejamento de eventos.

Dez vitaminas que ajudam unhas e cabelos e onde encontrá-las

Elas são encontradas em alguns alimentos e, se inseridas no dia a dia auxiliam nesse fortalecimento

Quem não sonha com cabelos fortes e brilhantes, iguais aqueles que vemos nas propagandas. Sem esquecer das sonhadas unhas resistentes que não quebram por nada. Mas você sabia, que algumas vitaminas encontradas nos alimentos podem te ajudar nessa tarefa?

Segundo a nutricionista e pesquisadora Aline Quissak, da Nutri Secrets, um adulto perde em média 100 fios por dia; porém, quando essa quantidade aumenta é bom ficar alerta. E se suas unhas não andam resistindo muito, elas também podem estar sofrendo.

Existem vários fatores que podem influenciar nesses problemas. Um dos principais é a sua alimentação, já que você pode não estar ingerindo as vitaminas, minerais e proteínas necessários. “Vitaminas A, C, E, do complexo B, zinco, ferro, potássio, biotina, betacaroteno e aminoácidos são importantes para a saúde dos fios e unhas, por isso é fundamental que a pessoa tenha esses alimentos na rotina”, explica a especialista.

A boa notícia é que você não precisa se desesperar. Ingerir alguns alimentos pode te dar aquela forcinha, e para te ajudar nesta tarefa, a nutricionista preparou uma lista especial com alguns deles:

Vitamina complexo B – feijões, lentilhas, ervilhas, brócolis, peixes, leites, aves;

Vitamina C – acerola, goiaba vermelha, laranja, limão, abacaxi, espinafre, rúcula;

Steve Buissinne/Pixabay

Vitamina E – castanhas, amendoim, alho, brócolis, tomate, manga, kiwi, salmão, semente de girassol;

Vitamina A – leite e derivados, espinafres, couve, acelga, agrião, cenoura, manga, mamão, abóbora;

Pixabay

Zinco – castanhas, cereais integrais, grão de bico, aves, espinafre, semente de abóbora e de linhaça;

ovos-cozidos-stocksy
Stocksy

Ferro – carne vermelha, ovo, feijão, lentilha, hortaliças verdes escuras;

Potássio – abacate, pera, banana, leite e derivados, abóbora, batata doce, aveia;

Shutterstock

Biotina – castanhas, amêndoas, nozes, avelãs, ovo, carnes vermelhas;

Betacaroteno – cenoura, batata doce, abóbora, caqui, manga, mamão, melão, melancia, damasco, tangerina;

Aminoácidos – ovo, aves, carne de vaca, atum, salmão, sardinha, quinoa, chia, couve, alface, acelga e milho.

Para finalizar, a nutricionista lembra que é sempre importante procurar um especialista para ajustes individuais. “Quando introduzimos esses alimentos em nossa rotina, eles nos ajudam a fortalecer unhas e cabelos, mas é importante procurar um médico e um nutricionista para analisar o caso”, completa Aline.

Fonte: Nutri Secrets

Conheça nutrientes essenciais e entenda como seu corpo precisa deles

Uma dieta equilibrada é fundamental para que o nosso corpo tenha a quantidade suficiente dos nutrientes necessários. Marcella Garcez comenta um pouco sobre cada nutriente que não pode faltar ao organismo

Você sabe quais são os nutrientes essenciais para o nosso organismo? Esses nutrientes são compostos que o nosso corpo ou não produz, ou produz, mas em quantidade insuficiente. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, esses nutrientes devem vir dos alimentos e são vitais ao crescimento, à prevenção de doenças e à manutenção da boa saúde. Eles podem ser divididos em duas categorias: macronutrientes e micronutrientes.

“Os macronutrientes ajudam a fornecer energia e são necessários diariamente e em grandes quantidades. Água, carboidratos, gorduras e proteínas são classificados como macronutrientes. Já os micronutrientes são os minerais e as vitaminas. São necessários ao organismo, porém em menor quantidade se comparado aos macronutrientes”, explica Marcella Garcez, médica nutróloga e professora da Associação Brasileira de Nutrologia.

ovos pixabay cozido casca

Pixabay

Proteínas: presentes em alimentos de origem vegetal e animal, contribuem para a formação dos tecidos. Integram diversas reações metabólicas (na forma de aminoácidos) e são utilizadas na síntese de alguns hormônios. “As proteínas constituem de 15 a 20% da dieta, e a quantidade exata de proteína necessária diariamente depende de uma variedade de fatores, incluindo a sua atividade física e a idade. Algumas fontes do macronutriente são: carne bovina, aves, peixes, ovos, leite, queijos, iogurtes, soja e leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico)”, afirma Marcella.

chips de batata pixabay
Pixabay

Carboidratos: conhecidos como a principal fonte de energia do ser humano, os carboidratos são responsáveis por diversas funções de nosso metabolismo. Por atuarem como combustível para o corpo, seu baixo consumo pode causar diversos prejuízos. São classificados em 3 tipos: monossacarídeos (glicose, frutose e galactose), dissacarídeos (sacarose, maltose e lactose) e polissacarídeos (amido, glicogênio, dextrina e celulose). “A falta de carboidratos nos dificulta de realizar qualquer atividade física, já que são eles que fornecem energia para as células do organismo. A carência do macronutriente pode causar, além disso, dificuldade de concentração, fraqueza, cansaço excessivo, tonturas e dor de cabeça. Apesar de ser necessário ao organismo, o ideal é dar preferência para os alimentos desse grupo que contribuam para uma melhor qualidade de vida. Exemplos de boas fontes saudáveis de carboidratos: mandioca, batata doce, cereais integrais, aveia, abóbora, quinoa, centeio, amaranto, arroz integral, milho, legumes e frutas”, destaca.

amendoim pixabay

Gorduras: “São moléculas complexas compostas por ácidos graxos e glicerol. O organismo precisa de gordura para se desenvolver e produzir energia, mas ela deve ser consumida de maneira consciente. O corpo também usa a gordura para sintetizar os hormônios e outras substâncias necessárias para realizar as atividades do organismo. As gorduras boas são aquelas de origem vegetal, insaturadas, e podem ser encontradas em: azeite de oliva, castanha-de-caju, nozes, chia, sementes oleaginosas, amendoim, abacate. Essas gorduras boas são fontes de ômega 3 e 6, que tem como vantagem a redução do colesterol ruim e o aumento do colesterol bom (HDL), além de auxiliar na prevenção cardíaca e metabólica e na absorção das vitaminas.”

suplementos vitaminas Jeltovski
Foto: Jeltovski

Vitaminas:  são substâncias orgânicas que o nosso organismo não consegue produzir. Necessárias em pequenas quantidades e obtidas através de uma alimentação equilibrada, são classificadas em dois grupos: as lipossolúveis (A, D, E, K) e as hidrossolúveis (H,C e complexo B). “Entre os benefícios das vitaminas, estão a melhora da pele e mucosas; fornecimento de energia; melhora da oxigenação celular; auxílio nos processos de cura e rejuvenescimento; ação nos glóbulos vermelhos, células nervosas e no equilíbrio hormonal; ação no tecido conjuntivo; poder oxidante; combate o estresse; e funciona como antibiótico natural e auxilia na cura de doenças e infecções. A melhor maneira de consumir todas as vitaminas necessárias para o bom funcionamento do corpo é fazendo uma alimentação saudável e variada, de preferência incluindo alimentos frescos e biológicos. A suplementação vitamínica também é uma alternativa para prevenir ou tratar a falta de vitaminas e suas consequências – embora o consumo não deva substituir uma boa alimentação”, detalha Marcella.

food15
Ilustração: 123RF

Minerais: “São substâncias de origem inorgânica e possuem função reguladora, contribuindo para a função osmótica, equilíbrio do ácido-básico, estímulos nervosos, ritmo cardíaco, atividade metabólica, construção de ossos e dentes saudáveis, manutenção da hidratação, entre outros. Entre os principais minerais estão: cálcio, magnésio, sódio, potássio, fósforo, ferro, cobre, manganês, iodo e zinco.”

água com frutas

Água: é a substância mais abundante em nosso organismo, correspondendo a mais de 60% do nosso peso, e está presente em quase todos os alimentos, exceto em óleos, sais e açúcares. “A água é essencial para todas as funções do corpo, como: digestão, absorção e transporte de nutrientes, eliminação de resíduos, controle da temperatura corporal e para diversos outros processos químicos. Está presente em todos os tecidos do organismo e é a base do sangue e de todas as secreções fluídas, como lágrimas, saliva etc. Não existe uma quantidade correta de água a ser ingerida diariamente; isso depende de inúmeros fatores, como o seu nível de atividade física, o clima do local em que vive ou está, seu metabolismo, seu peso, sua dieta, suas condições físicas gerais, se consome álcool ou não, entre outras”, diz.

Marcella ressalta: “Somente o médico poderá lhe ajudar a determinar qual o volume de água que é apropriado para você, assim como toda a sua dieta, que deve ser baseada nas recomendações de um nutrólogo responsável e de confiança. Ele saberá, por meio do acompanhamento clínico e dos exames, quais as necessidades alimentares e suplementares de cada paciente”.

Fonte: Marcella Garcez é médica nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. A médica é Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Cinco impactos da alimentação vegetariana na saúde

Em 31 de março foi comemorado o Dia Nacional da Saúde e Nutrição, data que tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância de uma boa alimentação e a prática de exercícios físicos.

A data ganha destaque em um cenário em que, cada vez mais, as pessoas buscam ter um estilo de vida mais saudável. “O perfil alimentício do brasileiro vem mudando a cada ano e, com isso, a escolha pelo consumo de alimentos saudáveis e que possuam mais nutrientes segue em crescimento”, afirma Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbom.

“Neste contexto, uma das maneiras de se ter mais saúde ao escolher o que comer é optar por uma dieta vegetariana que, quando praticada com acompanhamento de profissionais e um cardápio equilibrado, traz inúmeros benefícios ao corpo”, completa.

Mesmo com acesso a tantas informações sobre o assunto, muitas pessoas ainda ficam com receio de mudar a alimentação. Para auxiliar, a consultora da Superbom lista alguns impactos positivos dessa mudança no cardápio.

Contribui para o emagrecimento

emagrecer-fita-metrica

Devido à grande quantidade de vegetais consumidos, geralmente a dieta vegetariana é menos calórica. Também há redução no consumo de gorduras, principalmente, a gordura saturada encontrada em produtos de origem animal. “Cada grama de gordura equivale a nove calorias, assim, ocorre uma redução significativa no consumo final de calorias diárias”, comenta a especialista.

Diminui o colesterol

hipertensao coração pressao alta pixabay

De acordo com a nutricionista, alimentos de origem animal possuem gordura saturada em sua composição, que é um dos principais fatores para o aumento do colesterol ruim no sangue. Sem controle, esse aumento pode acarretar em doenças cardiovasculares.

Reduz a possibilidade de desenvolver doenças

medico shutt
Foto: Shutterstock

Uma pesquisa publicada em 2016 no Proceedings of the National Academy of Sciences revelou que se todas as pessoas adotassem o vegetarianismo, 8,1 milhões de vidas seriam salvas até 2050. De acordo com os idealizadores do estudo, o número está relacionado com a menor incidência de doenças como diabetes, obesidade, problemas cardíacos e câncer, comumente ligadas a dietas que incluam alimentos de origem animal.

Melhora o aproveitamento das proteínas

vegetais jerzy gorecky
Foto: Jerzy Gorecki

Diferente do que muitas pessoas acreditam, o excesso de proteína animal não é benéfico, pois ela pode se transformar em gordura e liberar resíduos tóxicos. “Já a proteína vegetal, é melhor absorvida pelo organismo e contribui para a prevenção de doenças crônicas. No entanto, é necessário acompanhamento para verificar qual é a quantidade adequada deste nutriente, que varia de acordo com a necessidade calórica de cada um”, comenta Cyntia.

Aumenta a imunidade

vegetais

Os trilhões de micro-organismos que vivem dentro do corpo são, cada vez mais, reconhecidos como cruciais para a saúde em geral: não só eles ajudam a digerir os alimentos, mas também produzem nutrientes e fortalecem o sistema imunológico. “Uma alimentação isenta de alimentos cárneos contribui para manter nossa flora intestinal em melhor funcionamento e colabora para que os micro-organismos trabalhem com mais eficácia”, pontua a consultora.

Fonte: Superbom

Cães ganham ração sem glúten e com 95% da proteína de origem animal

Com foco em cães miniatura a Total Alimentos lança produto grain free, livre de grãos, glúten e de transgênicos. Novidade traz Mandioca como fonte especial de carboidrato.

Os cães ganharam um novo produto da linha Super Premium da Total Alimentos, a Equilíbrio Grain Free, livre de grãos, de glúten, de ingredientes transgênicos e de conservantes, aromatizantes e corantes artificiais. Com foco em atender a demanda dos tutores e proporcionar ainda mais saúde aos animais, a Total Alimentos apresenta uma ração mais saudável e que acompanha as tendências da alimentação humana.

“A dieta dos humanos influencia muito na maneira como os animais de estimação se alimentam. A Equilíbrio identificou esse caminho e criou um produto que atende à busca por uma ração muito nutritiva, sem glúten, com 95% de proteína de origem animal de alto valor biológico e com fontes especiais de carboidratos”, explica o Gerente de Produto da Equilíbrio, Diógenes Silva.

Por quê?

leftovers-dog cachorro comida

O produto foi elaborado, especialmente, para agradar ao paladar mais primitivo dos cães. Os cães são animais originalmente carnívoros, então, consumiam quantidade reduzida de carboidratos derivados de sementes e cereais.

“Dessa forma, para oferecer a eles uma dieta semelhante à que tinham na natureza, Equilíbrio Grain Free, é elaborada com carnes de alto valor biológico, fontes vegetais de incrível sabor e ingredientes que proporcionam excelente aproveitamento dos nutrientes”, esclarece o Gerente de Produto da Equilíbrio.

“Equilíbrio Grain Free, além de atender às expectativas dos tutores mais exigentes na qualidade dos alimentos de seus pets, devido ao seu perfil nutricional, é mais uma opção para o médico veterinário, pois pode ser adaptada às necessidades de cães com certas sensibilidades alimentares e exigências nutricionais específicas, graças à sua fórmula de altíssima digestibilidade, percentual de carboidrato mais reduzido e energia equilibrada”, explica o médico veterinário e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado.

O que é grain free?

Alimentos grain free são livres de grãos, como o milho, e de cereais, como aveia e o trigo, que fazem parte da maioria das rações comuns para pets. Nos produtos grain free, são utilizadas outras fontes de energia, como a mandioca. O médico veterinário da Equilíbrio explica que o novo produto garante nutrição ideal para os animais: “Utilizamos ingredientes que garantem a quantidade de calorias adequada para raças miniaturas, que têm metabolismo mais acelerado. Também usamos componentes que proporcionam perfeito equilíbrio nutricional para cães adultos de raças médias e grandes”, completa.

Foco nos cães miniaturas

cachorrinhoooo

Os cães míni merecem atenção especial, eles são mais sensíveis e precisam de cuidado nutricional apropriado, principalmente porque têm mais tempo de vida. Equilíbrio Grain Free é a primeira linha da Total Alimentos com produtos destinados especificamente para todas as fases da vida de cães miniaturas. “Além dos ingredientes especiais da formulação, desenvolvemos partículas adequadas para a melhor mastigação, digestão e palatabilidade, isso é fundamental para que os nutrientes sejam bem absorvidos pelo organismo dos cães”, pontua Machado.

Sem conservantes, corantes e aromatizantes artificiais

Os tutores buscam alimentos cada vez mais saudáveis para os cães, por isso a linha Equilíbrio Grain Free não possui conservantes, corantes e aromatizantes artificiais. “A Total Alimentos concilia a demanda do consumidor por alimentos mais naturais com a necessidade do médico veterinário de sugerir produtos diferenciados e nutritivos, de excelente digestibilidade” completa o Gerente de Produto da linha.

Informações: Total Alimentos