Arquivo da tag: protetor solar

Dez coisas que talvez você não saiba sobre o câncer de pele

Uma das estações mais esperadas do ano chega no dia 22 de dezembro: o verão. Com ela aumentam as atividades ao ar livre, as viagens à praia e o desejo do famoso bronze nessa época do ano. Mas é preciso ficar atento à exposição ao sol. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), cerca de 180 mil novos casos do tipo não melanoma acontecem todos os anos. Esse é o tipo mais comum dos cânceres e o menos letal dentre os de pele.

O mês de dezembro é nomeado Dezembro Laranja, iniciativa criada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia a fim de conscientizar a população sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce da doença. O dermatologista especialista em câncer de pele, Luiz Guilherme Castro, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, tirou algumas dúvidas sobre o tema.

A principal forma de prevenção do câncer de pele não melanoma é evitar a exposição ao sol sem proteção

mulher-praia-biquini-sol

Mais de 90% dos casos de diagnósticos de câncer de pele não melanoma são reflexo da exposição aos raios ultravioletas de forma inadequada. Clinicamente o tumor é mais frequente em locais que são expostos ao sol de forma crônica como face, tronco e pernas.

Apenas passar o protetor solar não garante proteção total

shutterstock mulher 50 praia
Shutterstock

A recomendação do Instituto Nacional de Câncer (Inca) é para evitar a exposição intensa ao sol no horário das 10h às 16h. Ainda assim, se a exposição for inevitável, o uso de proteção adequada, como roupas, bonés ou chapéus de abas largas, óculos escuros com proteção UV, sombrinhas e guarda-sóis é fundamental.

Apenas a proteção na pele não basta: lembre-se de proteger os lábios

pexels protetor labial lábios
Pexels

O cuidado com os lábios no Verão vai muito além da estética. Castro explica que além de evitar a geração de fissuras na pele sensível, que podem levar a contração de bactérias, o uso de protetor solar labial previne a aparição de rugas precoces e do câncer. “Por ser tratar de uma área delicada do nosso corpo e que sofre com grande exposição ao sol, assim como todo o rosto, é necessário atenção redobrada”, afirma o dermatologista.

O tratamento é, na grande maioria, cirúrgico

dermatologista

O tratamento mais usado para tratar os casos de câncer de pele é a cirurgia. Eventualmente, também é possível usar outros métodos, como terapia fotodinâmica, radioterapia ou até quimioterápicos em forma de pomada. A escolha do melhor método de tratamento é feita por um médico especialista que levará em conta o tipo da lesão, o subtipo do câncer, o tamanho do tumor, assim como as particularidades de cada paciente.

Pessoas de pele, cabelos e olhos claros têm mais chances de desenvolver a doença

mulher praia chapeu pele

Castro explica que, por terem menos pigmento na pele, essas pessoas contam com uma menor proteção conta as radiações UV, e, por consequência, têm mais risco de desenvolver o câncer. Além disso, peles claras, que produzem menos melanina, são mais suscetíveis a queimaduras causadas pelos raios UVB do sol. Durante dias nublados a pele recebe a radiação UVA, que embora menos perigosa, é uma grande responsável pelo envelhecimento da pele. Durante o verão, essas radiações estão mais presentes e a exposição ao sol costuma ser maior.

Apesar dos riscos, o sol não precisa ser visto com vilão absoluto

menina criança praia boné píxabay

A vitamina D, que é produzida durante a exposição da pele ao sol, é essencial para a prevenção de problemas cardíacos, osteoporose, gripes e resfriados e até mesmo cânceres, portanto, fugir completamente do sol nem sempre é a melhor solução. “É importante identificarmos os grupos de risco antes de recomendações generalistas. Pessoas de pele clara, olhos e cabelos claros, estão muito mais sujeitas ao aparecimento dos carcinomas (forma mais comum de câncer de pele), uma vez que apresentam uma capacidade reduzida na produção de melanina (pigmentação da pele), logo, terão que tomar mais cuidado com a exposição solar”, conta médico.

Os tipos de câncer de pele melanoma têm pouca relação com a exposição solar

melanomaimage10b-large

Um dos tipos mais graves de câncer de pele, responsável por cerca de 5% dos casos da doença, os melanomas têm uma relação menos direta com a exposição solar. Grande parte dos casos de melanoma cutâneo aparecem em áreas não expostas cronicamente ao sol, como dedos, couro cabeludo, nádegas etc. É importante ressaltar ainda que, muitos casos de melanoma, têm mais relação com mutações genéticas do que exposição ao sol.

Os principais fatores de risco para o tumor são: histórico familiar, ter pele e olhos claros, cabelos ruivos ou loiros, ou ser albino. Ter grande número de pintas (+50) também aumenta o risco.

Os carcinomas costumam se manifestar como feridas que não cicatrizam. Já os melanomas se manifestam como pintas, lesões pretas

Para identificar uma pinta suspeita, os especialistas recomendam o uso da regra denominada ABCDE, que consiste na observação de cinco aspectos diferentes:

cancer_evolucao

A — Assimetria: pintas que não são simétricas;
B — Bordas: quando as bordas apresentam irregularidades em seu formato;
C — Cor: variação da tonalidade das pintas e mudança de tonalidade de uma pinta já existente;
D — Diâmetro: pintas com diâmetro maior que 5mm;
E — Evolução: pintas que se modificam em qualquer aspecto como cor ou tamanho.

Quem tem tatuagem deve redobrar os cuidados

tatuagem

As tintas escuras usadas nas tatuagens podem encobrir possíveis lesões de câncer de pele. A pigmentação também pode atrapalhar a detecção de alguns casos. O melanoma tem uma alteração celular com muito pigmento, assim como as tatuagens, dificultando a análise da estrutura celular durante os exames patológicos.

Em todos os casos, o prognóstico da doença tende a ser bom se detectado precocemente

“Não existem recomendações oficiais para a detecção do câncer de pele, no entanto, é de extrema importância que a pessoa conheça sua própria pele e saiba identificar possíveis alterações que indiquem a formação de um tumor”, explica o médico.

Caso note alguma alteração suspeita na pele, consulte um dermatologista.

Fonte: Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Avène traz novidade à linha Mat Perfect

Lançamento é o primeiro protetor solar antiacne com FPS 60 no mercado

Revolução em proteção solar, Mat Perfect chegou ao mercado dermocosmético em 2018, trazendo como diferencial a tecnologia exclusiva de liberação contínua de vitaminas C e E, que garante potente ação antioxidante. Desenvolvido para peles brasileiras e disponível em FPS 60 e 30, com e sem cor, a linha Mat Perfect matifica por 12 horas, controla a oleosidade e é indicado para peles mistas a oleosas.

Em 2019, Avène combina o melhor da proteção solar aos cuidados com a pele acneica em seu lançamento Mat Perfect Antiacne FPS 60. O produto garante:

– Ação anti-imperfeições: Pré-vitamina E + Gluconato de Zinco, que regula a secreção do sebo, reduz as lesões da acne, previne seu reaparecimento e melhora a aparência dos poros dilatados;
– Complexo matificante inovador: 12 horas de matificação e controle da oleosidade;
– Sistema filtrante exclusivo e patenteado: alta eficácia e tolerância máxima, fotoestabilidade e alta resistência à água;
– Água Termal Avène: reduz a sensibilidade da pele;
– Textura ultraleve: rápida absorção, sem resíduos e acabamento imperceptível.

Mat Perfect Antiacne reduz as lesões da acne em até 69% em 28 dias de uso contínuo.

Spor – Skin Protect Ocean Respect: abordagem ecossustentável dos protetores solares Eau Thermale Avène

Lançado pela Eau Thermale Avène em 2015, o projeto Skin Protect Ocean Respect conduz o desenvolvimento de protetores solares em dois pilares: máximo cuidado com a pele e mínimo impacto ambiental. Todos os produtos da linha solar³ são compostos por apenas quatro filtros orgânicos e químicos, que promovem proteção prolongada com maior tolerância para a pele. As fórmulas, não biotóxicas e com maior biodegradabilidade, são rigorosamente testadas para minimizar o impacto nos oceanos com o mínimo de filtros, ausência de silicone e de filtros hidrossolúveis.

Além disso, a marca apoia o Pur Projet, na Indonésia, iniciativa de proteção aos corais no nordeste de Bali, conduzido por um grupo de voluntários locais que atuam na recuperação dos recifes até então condenados por conta dos efeitos do aquecimento global e poluição dos oceanos. Até o final deste ano, 2500 corais serão replantados nos recifes da região em uma iniciativa inovadora e inédita. A proposta da ONG é ainda reproduzir o trabalho iniciado na Indonésia em outros recifes de corais ameaçados ao redor do mundo.

O compromisso com a preservação da natureza também está presente em cada detalhe nos laboratórios dermatológicos Avène, que buscam a redução do impacto em todos os processos – no consumo de energia elétrica a partir de fontes renováveis, redução da emissão de CO2 e reciclagem de resíduos.

eauthermale_fluidoantiactne_60fps_menor.png

Preços Sugeridos:
Mat Perfect FPS 60 com cor – R$ 79,90
Mat Perfect FPS 60 sem cor – R$ 79,90
Mat Perfect FPS 30 com cor – R$ 67,90
Mat Perfect FPS 30 sem cor – R$ 67,90
Mat Perfect Antiacne FPS 60 – R$ 79,90

Informações: Avène – SAC: 0800 702 10 37

DD Cream com FPS 50 da USK traz sérum antiage e alta proteção contra raios UV

Com FPS 50 mais sérum antienvelhecimento em embalagem duo airless, U.SK DNA Repair DD Cream SPF 50, controla a resposta inflamatória proveniente do calor, além de prevenir (e reparar) dano celular causado por agentes ambientais; sérum anti-idade promove hidratação, redensificação e ação antioxidante

U.SK DNA Repair DD Cream é uma fórmula multifuncional que combina amplo espectro de fotoproteção (FPS 50) para prevenir o dano celular ocasionado pelos agentes ambientais. O fotoprotetor oferece alta proteção solar (FPS 50), a partir de filtros físicos e químicos, que absorve, reflete e dispersa a radiação solar.

A associação da fórmula fotoprotetora ao sérum antienvelhecimento exerce efeito antioxidante e possui ativos que demonstram ação anti-inflamatória, uniformização da tonalidade cutânea, ativação do metabolismo celular, melhora a integridade da barreira cutânea e estímulo à produção de proteínas de ancoragem (integrinas e hemidesmossomos) da JDE (Junção dermoepiderme).

Assim, o USK DNA Repair DD Cream proporciona ação antienvelhecimento e fotoproteção de amplo espectro (contra Infrared, Luz visível e raios UV), proporciona hidratação, redensificação, ação antioxidante protegendo o DNA e anulando os efeitos dos radicais livres gerados pela exposição solar.

Amplo espectro de proteção (UV, visível e infrared) com 57% de proteção contra comprimento de onda crítico ou luz azul (415 nm) e PPD 19. Mecanismo inovador anti thermal aging, protegendo contra ação anti-inflamatória proveniente do calor. Traz ainda: ação antioxidante, USK Color Adapt (permitindo o uso por diferentes fototipos) e efeito Blur. A embalagem duo airless (associação das fórmulas específicas durante a aplicação), tem dois compartimentos independentes com fórmulas específicas (FPS + Sérum) para associação durante a aplicação.

Proteção solar efetiva com reparação dos danos causados pela radiação e ação anti-idade e rejuvenescedora. Utilizar duas vezes ao dia, com uma aplicação no período da manhã e reaplicação no período da tarde.

346208_824759_usk_dna_repair_dd_cream___usk_protecting-1.png

Preço: R$ 330,00

Informações: Under Skin – SAC: 0800-7289700

Caladryl agora também é protetor solar

A marca que mais entende de danos causados pelo sol agora passa a prevenir e tratar os efeitos da exposição solar. A linha de protetor solar Caladryl chegou ao mercado em outubro. “Agora, a confiança e eficácia de Caladryl acompanha os consumidores antes, durante e depois da exposição ao sol”, explica a gerente de produto Priscilla Florêncio.

Com amplo espectro UVA + UVB, o lançamento da Cellera Farma está disponível nas versões corporal (FPS 30 e 50), facial oil free (FPS 60) e na opção Baby & Kids (FPS 60) – todos sem fragrância, corantes, parabenos e livres de oxybenzona.

Caladryl-

Pós-sol

A linha pós-sol de Caladryl também ganhou nova fórmula com tecnologia exclusiva Hydra3D de hidratação inteligente que ativa os mecanismos naturais de hidratação de dentro para fora e fora para dentro. “A hidratação 6 vezes maior (comparada com a fórmula anterior) alivia e suaviza a pele após exposição solar e proporciona uma agradável sensação de frescor, devolvendo a hidratação”, afirma Priscilla. Além de embalagens novas e modernas, a versão aerossol, novo integrante da família Caladryl, promete facilitar a aplicação.

Pos-sol-Aerosol--150mL

Informações: Caladryl SAC: 0800 177 003 – sac@cellerafarma.com.br

Saiba como cuidar da pele na primavera

Dermatologista Camila Moulin esclarece que características da época refletem no bem-estar da pele e que por isso merece cuidados especiais

Primavera, conhecida como a estação das flores, começou no dia 23 de setembro, e costuma ter temperaturas agradáveis e dias ensolarados. Porém, algumas das características da estação refletem no bem-estar da pele que por isso merece cuidados especiais.

A dermatologista Camila Moulin faz um alerta sobre os cuidados com a pele neste período. Com a primavera os dias ficam mais longos e a quantidade de radiação ultravioleta oscila assim como as temperaturas. Num mesmo dia podemos ver sair o sol forte e sofrermos uma mudança repentina acompanhada de uma chuva forte. Mudanças de estação significam mudanças no cuidado com a pele.

“Apesar de não estarmos ainda no alto verão é recomendado não descuidar do uso regular do filtro solar. Este item é obrigatório! Mesmo que você tenha diminuído suas reaplicações de filtro solar durante o dia, nos dias de inverno, recomendo voltar a reaplicar seu filtro de eleição a cada 4/4 horas, como você já fazia no último verão. Abuse de sombrinhas, roupas com filtro solar, chapéus e óculos escuros para ter uma maior proteção”, explica Camila.

A dermatologista elaborou algumas dicas para manter a pele sempre bem cuidada:

mulher meia idade creme

Hidrate a pele: o clima ainda está seco e é preciso repor a água que perdemos, mesmo que a pele seja oleosa. Lembre-se que óleo e água não são a mesma coisa. Há excelentes hidratantes para uma pele mista ou oleosa, que podem ser prescritos por dermatologista após uma análise minuciosa do seu tipo de pele. Produtos à base de ácido hialurônico são imbatíveis.

mulher rosto esfoliante liveabout
Foto: LiveAbout

Esfoliação: é importante para remover a pele morta. Primavera é período de renovação. Evite esfoliantes muito abrasivos. Nesta época mesmo a esfoliação deve ser suave para garantir o melhor resultado e não danificar a pele. Recomendo duas vezes por semana no período entre o inverno e verão.

Primavera é uma época interessante para uso de hidroxiácidos, menos irritantes que o ácido retinóico. Excelente momento também para iniciar depilação definitiva visando o uso de biquínis no verão – o que também ajuda a controlar casos de foliculite.

O segredo dos cuidados nesta época do ano é que ainda podemos realizar tratamentos de cor, textura e renovação celular, que muitas vezes não recomendamos no verão. É uma época ótima para tratamentos como peelings, lasers fracionados e microagulhamento. A pele, quando renovada na primavera, chega ainda mais brilhante no verão.

preenchimento

Tratamentos cosméticos que ajudam a retardar os sinais do envelhecimento são recomendáveis na primavera: ajudam a minimizar os danos que o tempo seco do inverno provocou. Toxina botulínica e preenchimento costumam ter uma excelente resposta nessa época. Outro tratamento interessante é o Ultraformer 3, que pode realizar uma espécie de “lifting sem cortes” nos mais velhos ou até mesmo uma espécie de “banco de colágeno” em pacientes mais jovens interessados em envelhecer com uma pele saudável.

É importante certificar-se de que os produtos utilizados em casa são mesmo os recomendados para a estação. Não deixe de se consultar com um médico especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia para saber se você está no caminho certo.

camila moulin.jpg

Fonte: Camila Moulin é especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) e Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). No exterior, fez Dermatologia Clínica, Cirúrgica e Cosmética no Mount Sinai Medical Hospital, em Nova York, e no Ackerman Academy of Dermatopathology, na mesma cidade. É graduada em Medicina e pós-graduada em Dermatologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e formada em Cirurgia Dermatológica pelo Hospital Geral de Bonsucesso, no Rio de Janeiro.

Neo Dermo Etage CC Cream Eudora proporciona barreira antipoluição e FPS 50

Buscando trazer praticidade nas rotinas de beleza das consumidoras, Eudora, marca do Grupo Boticário, apresenta o novo Neo Dermo Etage Protetor Solar Diário CC Cream FPS 50, um produto multifuncional que trata e uniformiza a pele de maneira leve e natural, além de protegê-la do sol.

neo eudora.png

O lançamento traz a combinação perfeita entre o FPS 50 e barreira antipoluição, que previne os sinais de envelhecimento precoce. Disponível em quatro opções de cores: Bege Natural, Bege Médio, Bege Intenso, Bege Caramelo, o novo produto possui textura oil free e efeito mate e forma uma barreira contra agressões externas, um dos grandes vilões do envelhecimento precoce.

“Itens com proteção solar são indispensáveis na rotina de beleza das pessoas, um reflexo desse comportamento é a procura cada vez maior por produtos com eficácia comprovada e que, principalmente, tragam praticidade para o dia a dia”, afirma a dermatologista Alessandra Fraga.

Conheça o lançamento:

Neo Dermo Etage Protetor Solar FPS 50 com cor CC Cream

neo 2.png

Proteção reforçada: FPS 50 e barreira antipoluição. Disponível em quatro cores: Bege Natural, Bege Médio, Bege Intenso, Bege Caramelo possui fórmula Oil free e efeito mate. R$54,99

Onde encontrar: por meio de Representantes Eudora, e-commerce, lojas próprias, quiosques ou no site.

Informações: SAC Eudora 0800 727 45 35

Proteção solar no frio e em dias nublados é essencial e protege contra manchas

As nuvens conseguem absorver por volta de 10% da radiação, que em contato com a pele pode causar diversas alterações como manchas, flacidez e rugas

Pode parecer fora de realidade, mas as queimaduras solares também acontecem em dias nublados, no outono e no inverno. “Isso ocorre porque as nuvens absorvem por volta de 10% da radiação ultravioleta, ou seja, apesar do dia não estar ensolarado, ele tem praticamente a mesma intensidade de radiação ultravioleta que um dia megaensolarado”, destaca a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Nos períodos mais frios do ano, apesar dos índices de radiação UVB chegarem com menor incidência à Terra, ainda há a presença do UVA, que continua com igual intensidade.

Happy lady applying facial moisturizer cream in winter

“Além disso, temos a luz visível de cada dia e o infravermelho, que está presente no mormaço e calor e, também, quando estamos em ambientes muito quentes. O infravermelho tem alta penetrância chegando à derme profunda. Durante o inverno, sofremos menor exposição, tendemos a ir menos à piscina e praia, mas não devemos deixar de levar em consideração que o Brasil é um país grande e com muitos Estados ensolarados, mesmo no inverno”, afirma a médica.

As regiões Norte, Norte e Centro-Oeste, muitas vezes, apresentam climas quentes, mesmo no inverno, além de haver índice de radiação acima de 6 e 7, indicativos moderados.

De acordo com Paola, é preciso ter atenção ao índice de radiação que é divulgado nas previsões meteorológicas todos os dias nos veículos de comunicação. “Mesmo que o número seja menor que o do verão, ainda assim é importante usar filtro solar todos dias e em todas as épocas do ano. Hoje, é consenso nos Congressos Mundiais de Dermatologia o uso de produtos com ativos antioxidantes pela manhã, principalmente a vitamina C, porque potencializam a proteção da pele pelos efeitos oxidantes da poluição e da radiação solar”, diz a médica.

Esses cremes ou séruns com antioxidantes devem ser aplicados antes do filtro solar, como forma de potencializar sua ação. E, lembra a dermatologista, no caso da Vitamina C é importante investir em produtos que garantam a estabilidade do ativo.

A dermatologista lembra que o índice mínimo de filtros solares recomendado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) é FPS 30. “Mas, para algumas peles muito sensíveis ou com manchas, o ideal é abusar de um FPS mais alto, porque há, sim, diferença de proteção entre FPS. E o protetor deve garantir proteção contra UVA, radiação ultravioleta A, um tipo de radiação que atinge a pele mais profundamente, causa o fotoenvelhecimento, aparecimento das rugas e manchas”, afirma. Também o UVA junto com o UVB favorece o câncer de pele, portanto a fotoproteção é fundamental em qualquer período do ano.

protetor solar creme rosto mulher

Por fim, a dermatologista enfatiza que, independentemente de a pessoa estar em casa, há a luz visível. “Por isso, é importante fazer um ritual diário de cuidado e proteção, como realizar a higienização da pele, aplicar um tônico, um antioxidante e fazer a finalização com um fator de proteção solar (produto com ou sem cor). Mas, é importante ressaltar que para quem tem tendência a melasma, ou tem uma pele mais fina, reativa e sensível, o uso da cor é sempre um fator que agrega na defesa e proteção à pele, principalmente, contra a luz visível”, finaliza. Uma dica: o protetor com cor pode ser substituído no dia a dia por um filtro solar sem cor e por cima, a maquiagem.

Fonte: Paola Pomerantzeff é dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), tem mais de 10 anos de atuação em Dermatologia Clínica. Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina Santo Amaro, a médica é especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, e participa periodicamente de Congressos, Jornadas e Simpósios nacionais e internacionais.

Estudo descobre que células da pele encolhem no frio e diminuem hidratação natural

Estudo publicado no British Journal of Dermatology diz que, ao encolher com o frio, as células da primeira camada da pele prejudicam uma proteína chamada filagrina, que tem papel fundamental na hidratação natural da pele

É tradição anual: se até mesmo as peles mais oleosas muitas vezes ficam ressecadas com o tempo seco e o clima frio do outono e inverno, as peles secas sofrem ainda mais. O estudo “Changes in filaggrin degradation products and corneocyte surface texture by season”, publicado em março do ano passado no British Journal of Dermatology e coordenado por diversos pesquisadores europeus, explica exatamente por qual razão isso acontece: as células da pele literalmente encolhem no frio e prejudicam uma proteína chamada filagrina, que ajuda na hidratação natural.

“A filagrina é uma importante proteína da pele que desempenha um papel importante na barreira cutânea. Ela é degradada em aminoácidos que mantêm a hidratação dentro das células e fornecem proteção. E esse processo é essencial para garantir que sua pele continue produzindo seu fator de hidratação natural (NMF)”, explica a dermatologista Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

Mas um dos achados do estudo foi justamente o fato de que o clima frio e o ar seco fazem com que a camada mais externa de células da pele encolha. “O trabalho destaca que isso ajuda a degradar as reservas de filagrina, o que leva àquela textura seca e escamosa. Áreas com quantidade mais baixa de filagrina, como as bochechas e as mãos, tendem a ficar com a textura ainda mais seca. E isso tudo aumenta o risco de inflamações, sensibilidade e irritação – aumentando as chances de graves crises de eczema e psoríase”, conta a dermatologista. O estudo analisou a pele de 40 homens e 40 mulheres saudáveis, após acompanhamento no verão e no inverno.

É por esse motivo, segundo a médica, que os hábitos de cuidado com a pele devem ser reforçados nos períodos mais frios. “Hábitos errados no inverno também podem piorar a qualidade da pele e do couro cabeludo. O principal deles é tomar banhos demorados e muito quentes. A água em alta temperatura retira a oleosidade e favorece o aparecimento da dermatite seborreica. Esfregar muito a pele corporal com bucha também agride demais os tecidos e resseca ainda mais”, explica.

A dermatologista preparou dicas para enfrentar o inverno sem medo:

mulher banho quente chuveiro.jpg

Temperatura do chuveiro – evitar água muito quente, pois ela retira a oleosidade natural da pele e do cabelo, provocando ressecamento. A temperatura deve ser no máximo de 35 a 40 graus, que embaça um pouco o espelho. Se todo o espelho estiver embaçado, a água deve estar em excessivos 60 graus aproximadamente;

mulher rosto espelho pele

Pele do rosto – para a limpeza da pele, basta água morna e um pouco de sabonete. Prefira sabonetes líquidos mais suaves, menos agressivos, e com capacidade hidratante;

pele rosto creme psoriase

Hidratação o rosto – após limpeza e tonificação, aplique hidratantes com alta capacidade de hidratação, com ácido hialurônico e ativos formadores de filme. Se a pele for seca, produtos de textura mais ricas podem ser usados para formar um filme sobre a pele que consiga formar uma parede de defesa para repor e segurar água para evitar a perda transepidérmica;

mulher corpo perna mao joelho

Usar e abusar de hidratantes no corpo – o segredo é aplicar com o corpo ainda úmido para aumentar a penetração. Os óleos vegetais ricos em ácidos graxos essenciais podem ser usados;

mulher frio pixabay

Escolha do vestuário – dê preferência a casacos e blusas de moletom ou de algodão ou flanela. Quando utilizar lã, fios sintéticos ou lã acrílica, utilizar uma camiseta de algodão por baixo para evitar contato direto com a pele para prevenir coceiras e alergias;

secador de cabelo

Secador de cabelo – como é mais frequente no inverno, deve-se utilizar mais longe dos cabelos para evitar o aquecimento do couro cabeludo e prevenir descamações;

mulher lavando o cabelo

Hidratação dos cabelos – a máscara ideal para causar um efeito nutritivo aos cabelos pode conter na composição produtos derivados de vegetais (manteiga de karité, manteiga de cacau, manteiga de oliva, óleo de algodão, óleo de girassol), com ativos que repõem os nutrientes necessários para manter os cabelos nutridos e bonitos ao longo do inverno;

cabelo_couro

Uso de condicionador e cremes sem enxágue – aplicar da metade para baixo nos fios. Evitar contato com o couro cabeludo para prevenir descamações. Lavar retirando bem o produto. Creme sem enxágue também deve ser aplicado evitando contato com a raiz;

protetor solar creme rosto mulher.jpg

Uso de filtro solar – mesmo na época do inverno, devemos utilizar o protetor solar diariamente. Ele deve ser adequado para o tipo de pele e contar com FPS de no mínimo 30;

mulher madura tomando agua.jpg

Beber muito líquido – não devemos esquecer o consumo de água, frutas e verduras, que ajudam na hidratação;

Medic and patient at laptop in office

Visite o dermatologista – muitos problemas de pele podem ser tratados com procedimentos em consultório ou por meio da orientação do dermatologista.

Fonte: Valéria Marcondes é  membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia com título de especialista e da Academia Americana de Dermatologia. Foi fundadora e é membro da Sociedade de Laser. 

Protetor solar com cor protege melhor a pele?

Gel de limpeza, tônico, sérum, protetor solar, maquiagem… No dia a dia, precisamos seguir tantas etapas de cuidado com a pele que, às vezes, acabamos pulando uma ou outra. A boa notícia é que, em alguns casos, dá para otimizar essa rotina, com produtos que combinam duas ou mais funções de uma única vez. É o caso do protetor solar com cor.

O produto funciona como uma base com fator de proteção, deixando a pele com uma tonalidade mais uniforme e, ao mesmo tempo, protegida dos raios UVA, UVB e também da luz visível, que aquela que é emitida por iluminação artificial, smartfones, televisão, computador e outras fontes do tipo. Por isso, o protetor solar com cor pode, sim, proteger mais do que o convencional.

“A principal vantagem do produto é que você consegue uniformizar a pele, sendo que ele pode atuar como um primer ou até uma maquiagem mais leve. Esse é o principal benefício, atrelado à proteção solar. É super adequado porque a maquiagem, sem o FPS, oferece uma proteção muito baixa à pele”, explica Rodrigo Romanhole, diretor associado de Pesquisa e Desenvolvimento da Johnson & Johnson no Brasil.

O protetor com cor funciona da seguinte forma: os pigmentos presentes no protetor solar com cor criam uma barreira física sobre a pele, impedindo que ela absorva a radiação violeta e também a iluminação de aparelhos eletrônicos e luzes artificiais. Além disso, é um jeito bem prático de cuidar da beleza e da saúde da pele ao mesmo tempo.

Porque você deve se proteger

Mulher celular smartphone Depositphotos 33

Além da radiação ultravioleta, estamos expostos à luz visível, que é aquela que conseguimos enxergar. Além de estar presente na luz do sol, esse tipo de radiação também é encontrada em luzes artificiais e gadgets como smartfones, notebooks, tablets e televisão. Ou seja: a pele é afetada pela luz visível em ambientes fechados e abertos, sem distinção, boa parte do tempo.

O problema é que esta radiação pode penetrar profundamente na pele e estimular a formação de radicais livres. Por isso, ao contrário dos raios UVB, ela não causa queimaduras solares, mas estimula o envelhecimento precoce, deixando a pele opaca, sem viço e favorável ao surgimento de rugas e linhas finais.

Além dos danos do fotoenvelhecimento, a luz visível pode ser prejudicial para quem tem algumas condições prévias, como o melasma ou pigmentação irregular, agravando o quadro. Em casos mais graves, ficar exposto à iluminação artificial pode também levar ao câncer de pele, o que reforça a importância da prevenção diária.

No entanto, Romanhole reforça que a luz visível não é a radiação mais perigosa de todas. “Estamos muito expostos à luz visível, mas ela tem uma energia muito menor que a radiação ultravioleta. O ideal é que a gente consiga combinar a proteção para todas”, afirma.

Protetor solar com cor: como escolher

mulher usando protetor solar

Antes comprar o seu protetor solar com cor, vale ficar atenta a alguns detalhes em relação ao seu tipo de pele e também à fórmula do produto. Também é importante checar o FPS, que é o fator de proteção solar. Ele indica, em média, o tempo que a pele fica ficará protegida enquanto exposta.

A escolha do FPS, segundo Romanhole, varia de acordo com as características da pele de cada um e a necessidade: “O ideal é que pessoas de pele muito clara usem um FPS mais alto, bem como aquelas que são mais propensas a manchas. Já para uma pele mais escura, um FPS 30 ou 50 já costuma ser suficiente”.

Ainda assim, um FPS mais alto não exclui a necessidade de reaplicação do protetor solar ao longo dia. Para quem fica muito tempo exposto ou entra na água, é necessário reaplicar o produto, no mínimo, a cada duas horas; já para ambientes fechados, é necessário aplicar o protetor solar pelo menos duas vezes ao longo do dia.

E quem tem a pele oleosa, o que deve fazer? Nesse caso, a dica é escolher um produto que ajude a controlar a oleosidade da pele, sem causar ressecamento ou descamação. ROC Minesol Oil Control Tinted FPS 60 é um bom exemplo de protetor solar com cor para quem deseja uma pele sequinha e protegida por um período maior.

Além de oferecer alta proteção contra os raios UVA, UVB e luz visível, o produto consegue reduzir e controlar a oleosidade da pele por até 12 horas, diminuindo sinais como brilho excessivo e poros dilatados. ROC Minesol Oil Control Tinted FPS 60 possui também cor adaptável, sendo indicado para uniformizar a tonalidade da pele.

roc minesol oil control

ROC Minesol Oil Control Tinted FPS 60 – Preço sugerido: R$ 90,00

Informações: Central de Relacionamento com o Consumidor Johnson & Johnson 0800 703 63 63

Cinco motivos para não abandonar o protetor solar no inverno

Com a chegada do inverno e dias mais frios, muitos esquecem que o uso do protetor solar continua sendo indispensável. De acordo com dermatologistas, diariamente a pele corre riscos, seja em dias ensolarados, nublados ou até em ambientes fechados. Isso porque, até mesmo a luz artificial, pode prejudicar a saúde da pele. Além disso, no inverno, o ângulo do sol muda, mas os raios ultravioleta continuam implacáveis e podem causar os mesmos danos.

Por isso, o uso contínuo do protetor solar, independente do clima, é fundamental. Para conscientizar sobre a importância do uso constante do produto, a Solar Gold, marca renomada de protetores solares pertencente à Nutriex, lista cinco razões para continuar a aplicar o filtro solar na estação mais fria do ano:

1. Protege contra o câncer de pele

mulher protecao solar praia qsun

Embora existam constantes alertas sobre o uso do protetor solar para prevenção do câncer de pele, ainda vale o reforço sobre o tema. O Inca (Instituto Nacional do Câncer) aponta que a doença é a mais recorrente no Brasil. O uso diário do protetor solar evita os danos causados pelas radiações solares na pele, algo que, após muitos anos de exposição, pode resultar no surgimento da doença.

2. Ajuda no rejuvenescimento da pele

protetor -solar- rosto

O envelhecimento precoce está diretamente relacionado à exposição ao sol. Por isso, usar o protetor diariamente ajuda a manter o viço, evita linhas de expressões e ajuda a garantir luminosidade à pele.

3. Mantém a pele hidratada

mulher protetor solar

Quando a pele fica exposta aos raios solares, ela perde muito da sua hidratação natural. Por isso que, quando somos expostos ao sol por muitas horas seguidas, a pele pode descascar. Isso se dá porque ela perde a umidade, que funciona como um hidratante natural, favorecendo a infecção por bactérias também.

4. Pele sem manchas

mulher tomando sol protetor solar

Manchas brancas, sardas e pintas podem ser resultantes do excesso de sol. Para evitar esse problema, o uso do protetor solar é imprescindível. Na verdade, o produto evita que a pessoa recorra ao famoso peeling facial que elimina as manchas do rosto. Uma solução muito mais cara e agressiva à pele.

5. Controla o brilho e a oleosidade

pele rosto hidratante3

Pessoas com a pele oleosa são beneficiadas pelo protetor solar matte ou específico para controle da oleosidade. Esses produtos ajudam no controle do brilho da zona T e deixam a pele com o tão sonhado aspecto aveludado.

Conheça os produtos Solar Gold para proteção do rosto:

Para os cuidados específicos com a pele do rosto, a marca apresenta o Solar Gold Protetor Solar Facial e o Solar Gold Protetor Solar Facial Tonalizante, ambos com opções de FPS30 e FPS60. Com uma textura leve, são oil-free e não provocam acne. Os dois possuem efeito matte, garantindo uma pele sem brilho e com secagem instantânea após a aplicação. O resultado é um rosto com aspecto uniforme e com a zona T menos iluminada. O Tonalizante ainda traz o sistema Color Adapt, que se adapta a todos os tons de pele, promovendo um acabamento homogêneo que, inclusive, disfarça possíveis imperfeições na pele.

Protetor Solar Facial Solar Gold – elaborado especialmente para a cuidados com o rosto, tem em sua formulação Bioactive Complex E, 60 X mais proteção contra queimaduras solares (UVB), sem efeito oleoso, com controle de brilho e efeito matte.

Preços sugeridos: R$ 34,88 (FPS 30) e R$ 42,00 (FPS 60)

Protetor Solar Facial Tonalizante Solar Gold – com a exclusiva tecnologia DUO, protege e tonaliza ao mesmo tempo. Previne o envelhecimento precoce causado pela exposição ao sol, bem como à poluição. Com o sistema Color Adapt, uniformiza o tom da pele, proporcionando uma cobertura perfeita de forma suave e natural.

Preços sugeridos: R$ 34,88 (FPS 30) e R$ 42,00 (FPS 60)

Informações: Nutriex