Arquivo da tag: receitas

Dicas de saladinhas para o fim de semana

O fim de semana chegou e sempre é bom comer bastante salada para que a consciência pese menos com os exageros dos abençoados sábado e domingo. Para te ajudar a preparar uma comidinha deliciosa e fácil, separamos três receitas maravilhosas, saudáveis e que cabem no seu bolso. Bom apetite!

Alface Recheada com Vinagrete

Ingredientes:
2 tomates italianos maduros e firmes, sem sementes, cortados em cubos pequenos (160g)
1 cebola pequena cortada em cubos pequenos (60g)
2 colheres (sopa) de azeite (30ml)
1 e meia colher (sopa) de vinagre (22,5g)
Sal a gosto
8 a 10 folhas médias de alface (lisa ou crespa) (75g)
2 embalagens de Patê de Atum Light Gomes da Costa (300g)

Modo de preparo:
Prepare o vinagrete: numa tigela junte o tomate, a cebola, o azeite, o vinagre e tempere com sal a gosto. Misture e mantenha na geladeira até o momento de servir. Lave bem as folhas de alface e seque-as bem em papel toalha ou pano de prato. Retire a ponta do caule de cada folha e recheie cada folha com cerca de 1 e meia colher (chá) do Patê de Atum Gomes da Costa. Enrole a folha como se fosse uma panqueca e dobre as pontas. Prepare vários rolinhos com o alface. Distribua os rolinhos numa travessa e regue-os com o vinagrete gelado. Sirva em seguida.

Salada Caesar a La Mare

Ingredientes:

Salada:
1 pé pequeno de alface americana (100g)
15 folhas de rúcula (15g)
2 colheres (sopa) de margarina
1 dente de alho amassado
1 pão francês amanhecido, sem casca cortado em cubinhos de cerca de 1cm

Molho:
1 ovo
Sal a gosto
3 colheres (sopa) de queijo parmesão
1 lata de Filé de Sardinha com Limão Gomes da Costa (125g)

Modo de Preparo:

Salada:
Lave as folhas de alface e rúcula e deixe escorrendo para secar.Aqueça a margarina e doure levemente o alho. Junte os cubos de pão e frite, virando-os, até dourar de todos os lados. Reserve.

Molho:
Cozinhe o ovo em água fervente por 10 segundos.Numa tigela junte o molho do Filé de Sardinha Gomes da Costa, o ovo descascado, o queijo e tempere com sal a gosto.
Numa tigela junte as folhas de alface e rúcula rasgadas. Regue com o molho e misture.Distribua a salada nos pratos e distribua os Filés de Sardinha Gomes da Gosta.Salpique os cubos de pão e sirva em seguida.

Dica de chef: acrescente ao molho cerca de 1colher (chá) de mostarda.
Variação: substitua a rúcula por escarola ou agrião.

Salada de Acelga, Cebolinha, Cenoura e Salmão

Ingredientes:

Molho:
1 colher (sopa) de molho de soja (15ml)
2 colheres (sopa) de azeite (30ml)
1 lata de Filé de Salmão em Azeite de Oliva Extra Virgem Gomes da Costa (125g)
1 colher (sopa) de vinagre (15ml)
2 colheres (sopa) de suco de limão (30ml)
Sal a gosto

Salada:
Cerca de 4 folhas grandes de acelga, lavadas e secas (150g)
Meia xícara (chá) de cenoura ralada no ralo grosso (40g)
1 colher (sopa) de cebolinha cortada em rodelas (7g)

Modo de Preparo:

Molho:
Em uma tigela grande, junte o molho de soja, o azeite e o azeite do Filé de Salmão Gomes da Costa, o vinagre e o suco de limão. Misture bem. Tempere com sal a gosto e torne a misturar.

Salada:
Corte as folhas de acelga em tiras de cerca de 2 cm de espessura.Acrescente a acelga e a cenoura na tigela do molho. Misture.Junte o Salmão Gomes da Costa e enfeite com a cebolinha.
Sirva imediatamente.

Dica de chef: a salada deve ser temperada no momento de servir, para que a acelga não perca a crocância. Seque bem as folhas da acelga antes de colocar no tempero, evitando assim que a água que sai das folhas incorpore no molho.

Variação: acrescente à salada beterraba crua ralada.

Fonte: Gomes da Costa

Confira alguns superalimentos e como podem fortalecer o sistema imunológico

Alimentos como ovo, abacate, mel e espinafre atuam contra os efeitos nocivos dos radicais livres, retardando o processo de envelhecimento e ajudando no combate a doenças

Alimentar-se de forma saudável e equilibrada é essencial para garantir qualidade de vida e longevidade. Além de fornecer energia, uma boa alimentação é capaz de proporcionar bem-estar, prevenir doenças, manter o peso corporal adequado para a saúde e garantir benefícios em termos de desenvolvimento físico. Mas existem alguns alimentos que se destacam por reunir muitas propriedades nutricionais, sendo mais completos do que outros. São os chamados “superalimentos”, como ovo, abacate, banana, cacau, açaí, espinafre e mel.

“Eles atuam em múltiplas frentes: contra os efeitos nocivos dos radicais livres, protegendo e retardando o processo de envelhecimento, estimulando a inteligência, o sistema imunológico e até mesmo ajudando no combate a doenças como a depressão. Tudo graças às suas vitaminas, sais minerais e antioxidantes”, explica Lívia Salomé, médica especialista em Medicina do Estilo de Vida pela American College of Lifestyle Medicine.

Ela revela que, para suprir nossa necessidade diária de nutrientes como Vitaminas A, C, E, flavonoides, betacaroteno, ácidos graxos e ômega 3, é possível incluir uma pequena quantidade desses alimentos nas refeições e lanches. Por isso, a médica selecionou quatro receitas práticas com foco no fortalecimento do sistema imunológico. Confira:

Smoothie Energético

Thinckstock

Ingredientes:
¼ de beterraba pequena
1 polpa de açaí
½ banana nanica madura
1 copo de suco de laranja (250 ml)

Modo de preparo:
Bater todos os ingredientes. Servir em seguida para os alimentos não perderem os nutrientes.

Massa com legumes

Ingredientes:
1 cebola média cortada
2 cenouras cortadas ou raladas 
2 dentes de alho picados 
2 abobrinhas cortadas
2 berinjelas cortadas
1 prato de brócolis cozido
1 pacote de massa integral
Sal e pimenta a gosto 
Azeite de oliva
Tempero verde a gosto

Modo de preparo:
Cozinhe o macarrão al dente segundo as informações da embalagem e reserve. Leve uma panela média com azeite de oliva ao fogo e refogue a cebola e o alho até que fiquem dourados. Acrescente o brócolis, a cenoura, a abobrinha e a berinjela e deixe refogar bem. Corrija o tempero com sal e pimenta a gosto. Misture os legumes cozidos à massa e sirva com tempero verde, como cebolinha, salsinha e manjericão.

Rendimento: 6 porções

Peixe ao forno

Foto ilustrativa/winealittlecookalot

Ingredientes:
1kg de filé de peixe
2 tomates cortados em fatias grossas
1 pimentão em fatias (vermelho ou amarelo)
1 cebola em rodelas
1 abobrinha pequena cortada em rodelas
Salsa
Coentro (opcional)
Suco de 1 limão
Sal
Pimenta-do-reino

Modo de preparo:
Tempere o peixe com suco de limão, sal e pimenta a gosto. Em um refratário, monte as camadas, na seguinte ordem: abobrinha, peixe, pimentão, cebola e tomate. Salpique salsa por cima e, se quiser, coentro. Feche a travessa com um papel alumínio e leve ao forno por cerca de 40 minutos.

Rendimento: 4 porções

Torta de Espinafre com massa de grão-de-bico

Foto ilustrativa/VeganRicha

Ingredientes:
Para a massa:

1 xícara (chá) de grão-de-bico cozido
5 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 pitada de sal

Para o recheio:
2 ovos
3 claras
1 xícara de palmito picado
1 xícara de espinafre refogado
1 colher (chá) de sal
1/2 xícara de ricota amassada
3 colheres (sopa) de creme de ricota
Pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Comece pela massa. Em um processador, bata todos os ingredientes (o grão-de-bico, o azeite de oliva e o sal). Com a massa que formar, forre a base de uma forma. Reserve. Em uma tigela, misture todos os ingredientes para o recheio. Disponha-o sobre a massa na fôrma.
Leve a torta para assar em forno preaquecido a 200 graus por cerca de 30 minutos. Sirva.

Fonte: Lívia Salomé é graduada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tem especialização em Clínica Médica e certificação em Medicina do Estilo de Vida pelo American College of Lifestyle Medicine. Atualmente, é vice-presidente da Regional Minas Gerais do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida (CBMEV).

Conheça os principais sintomas da doença celíaca e aprenda a driblar a má digestão

Nutricionista do Oba Hortifruti explica os principais sinais que o corpo apresenta devido ao problema

O glúten faz parte de um composto de proteínas que estão presentes, especialmente, em cereais como o trigo, centeio, malte e cevada. Ao consumi-lo, o organismo é capaz de digerir a substância de forma natural, entretanto, esse processo se torna mais complexo para quem sofre com a doença celíaca. A enfermidade, considerada autoimune, atinge cerca de duas milhões de pessoas apenas no Brasil, segundo a Federação Nacional das Associações de Celíacos (Fenacelbra).

Por essa razão, é importante estar atento aos sinais do próprio corpo. “É comum ocorrer, com mais frequência, problemas relacionados à diarreia, distensão abdominal, anemia, fadiga, dor abdominal e flatulências. O consumo de fontes com a proteína pode favorecer o desenvolvimento de manifestações clínicas, como alergias, irritação e inflamação intestinal, má absorção de nutrientes e até aumento na predisposição para doenças como câncer de intestino”, esclarece Renata Guirau, nutricionista do Oba Hortifruti.

O diagnóstico da doença deve ser feito por um médico especialista que, ao ouvir as queixas do paciente, irá solicitar exames capazes de indicar a irritação do organismo. Quando o problema é identificado, o paciente deve estar atento às mudanças que devem ser feitas na alimentação para minimizar o desconforto durante o dia a dia e, além disso, diminuir as chances de desenvolver o quadro.

Segundo a nutricionista, a dieta desses indivíduos deve ser rigorosamente restrita no consumo de glúten. Isso porque, mesmo quando consumido minimamente, os alimentos são capazes de desencadear os sintomas. Portanto, torna-se fundamental cortar as fontes de trigo, centeio, cevada e malte. Alimentos comumente processados também devem ser deixados de lado.

Além disso, outros tipos de cereais, como a aveia, precisam ser avaliados antes de ingeridos.
Os cuidados não param por aí: até com os pets é preciso ter mais atenção, visto que algumas rações podem ter o glúten presente. O animal, que tem o costume de lamber os donos, pode transferir a proteína para pessoas celíacas, aumentando os riscos dos sintomas surgirem novamente.

Mas não há motivo para desespero. A alimentação dos celíacos pode ser adaptada para melhorar a qualidade de vida de quem possui a doença. A nutricionista do Oba destaca que é fundamental manter uma alimentação saudável, com consumo adequado de proteínas, sendo eles carnes, ovos, queijos e iogurtes.

Os vegetais e as oleaginosas devem, igualmente, fazer parte do cardápio do dia a dia. Além disso, é interessante investir em alimentos frescos para garantir uma boa nutrição e favorecer o equilíbrio do sistema imunológico, assim como a saúde do intestino.

“Cuidar da flora intestinal também deve ser uma preocupação e isso é possível com o consumo de alimentos frescos, probióticos e baixa ingestão de alimentos ultraprocessados e açúcares. Para substituir o glúten é necessário evitar suas fontes e optar por produtos elaborados especialmente para dietas com restrição de glúten”, complementa a especialista em Nutrição.

Sabe-se que, cada vez mais, as marcas investem nessa área, com opções saborosas e nutritivas, em alternativa para quem não pode consumir a versão convencional dos alimentos. “Pães, bolachas, torradas, farinhas para bolos e tortas podem ser encontradas com facilidade atualmente e as farinhas alternativas, como a de arroz, de castanhas, de mandioca, ajudam na hora do preparo de receitas caseiras”, informa Renata.

Para facilitar a criação dos pratos dentro de casa, a nutricionista indica quatro receitas saborosas, diferentes e “gluten free” para serem apreciadas. Confira:

Pãozinho de Liquidificador

Ingredientes
2 ovos
3 colheres de sopa de azeite
½ xícara de chá de leite desnatado ou leite de vegetal
1 colher de café de sal
1 colher de sopa de pissiliun em pó
2 colheres de sopa de semente de gergelim branco
2 colheres de sopa de semente de linhaça dourada
½ xícara de farinha de arroz
¼ de xícara de polvilho doce
¼ de xícara de fécula de batata
1 colher de sopa de fermento em pó

Modo de preparo
Bata tudo no liquidificador, exceto a linhaça e o gergelim. Coloque em forma de bolo inglês untada ou de silicone. Finalize com as sementes e leve para assar até que o pão fique dourado.

Massa para torta

Ingredientes
3 ovos
250 ml de água
1/3 de xícara de chá de azeite
2 xícaras de chá de farinha de arroz
1 colher de sopa de amido de milho
1 colher de sopa de fermento em pó
1 colher de chá de sal

Preparo:
Bata tudo no liquidificador.
Sugestões de recheio: frango desfiado com legumes, atum com tomate, cogumelos com espinafre, palmito com orégano, legumes variados.

Tomates Recheados

Foto ilustrativa/Yummi Mummy Kitchen

Ingredientes
4 tomates médios, não muito maduros
4 colheres de sopa de quinoa em flocos
2 ovos
1 colher de sopa de bacon picadinho
2 colheres de sopa de cheiro verde picadinho
2 colheres de sopa de parmesão ralado

Modo de preparo:
Corte as tampas dos tomates e retire a polpa, abrindo espaço para o recheio. Em uma panela, frite o bacon na própria gordura. Quando o bacon estiver bem sequinho, desligue o fogo e acrescente os ovos, o cheiro verde e a quinoa em flocos. Faça um mexidinho, acrescentando também sal e pimenta a gosto. Recheie os tomates com o preparo da panela e finalize com o parmesão ralado. Leve ao forno por cerca de 15 minutos ou até que os tomates fiquem macios.

Almôndega sem Glúten

Ingredientes
500g de patinho moído
3 colheres de sopa de cheiro verde picado bem fininho
2 colheres de sopa de farinha de arroz
1 ovo
½ colher de café de noz-moscada ralada na hora

Modo de preparo
Sal e pimenta a gosto. Misture todos os ingredientes, formando uma massa homogênea. Faça bolinhas e leve para assar. Sirva com molho de tomate caseiro.

Fonte: Oba Hortifruti

Aprenda a preparar drinques com rum

O rum pode ser feito de duas formas distintas: a agrícola, obtido diretamente do caldo de cana fermentado, ou industrial, obtido a partir do melaço

Em 16 de agosto foi comemorado o Dia Internacional do Rum. A história da bebida começa no ano de 1433, quando a cana-de-açúcar começou a ser cultivada na região de Caraíbas, no período de Cristóvão Colombo. A cana era levada pelas esquadras de Colombo a partir das Ilhas Canárias.

Sendo assim, no começo do século XVI, foi produzido o primeiro rum destilado a partir da cana-de-açúcar. O rum pode ser feito de duas formas distintas: a agrícola, obtido diretamente do caldo de cana fermentado, ou industrial, obtido a partir do melaço. A destilação pode ser feita em uma coluna de destilação ou em um alambique.

Com o passar dos anos, a história do rum acabou sendo associada com a história dos piratas. “Acontece que muita gente diz que eles bebiam o rum antes de batalhas, como uma forma deles se sentirem mais corajosos e valentes, então isso acabou criando essa relação entre a bebida e os saqueadores do mar”, explica Joseph Van Sebroeck, criador do Cavendish Rum. O empreendedor decidiu batizar a bebida com esse nome por conta do pirata inglês Thomas Cavendish, que fez história quando usou a região de Ilhabela, litoral de São Paulo, como base por cinco anos.

“Meu pai sempre me contava essa história quando eu era criança, então o rum foi uma forma de manter o seu legado vivo”, diz Sebroeck. Para quem quiser saborear um drinque, Soham Bello, bartender parceiro da Cavendish Rum, explica como preparar dois diferenciados, confira:

Bacurau

Ingredientes
60 ml de rum
10 ml suco de limão Tahiti
10 ml suco de limão siciliano
5 ml xarope simples
80 ml caldo de cana
Uma pequena quantia de Bitter Angostura

Modo de preparo
Juntar tudo na coqueteleira e bater com gelo. Coar em um copo baixo.

Mai Tai

Ingredientes
40ml de rum
15 ml de Falernum
10ml de suco de limão
Ingredientes para produzir o Falernum
180 ml de rum
420 ml de xarope de açúcar
40 unidades de cravo-da-índia
200 g de amêndoas laminadas
10 ml de extrato de amêndoas
140 g de fatias de gengibre sem pele
130 ml de suco de limão tahiti coado
Casca de 9 limões tahiti (sem a parte branca)

Modo de preparo do Falernum
Em um recipiente, coloque o gengibre, o rum, os cravos-da-índia, a pele de limão e as amêndoas laminadas e deixe descansando por aproximadamente 24 horas. Depois, coe e misture com o xarope de açúcar, o extrato de amêndoas e o suco de limão.

Modo de preparo Mai Tai
Coloque todos os ingredientes em um copo longo e sirva com pedras de gelo. Decore com algumas folhas da fruta.

Fonte: Cavendish Rum

Gomes da Costa ensina a preparar gostosas receitas com atum e sardinha

A Gomes da Costa sugere uma panqueca de sardinha com molho de manjericão; Berinjela à Villalva com atum; e o Atum louco, um lanche muito saboroso e colorido.

Confira abaixo o passo a passo do preparo de cada um.

Berinjela à Villalva com Atum

Ingredientes
Molho:
1kg de tomate maduro e firme
1 cebola grande picada (100g)
3 dentes de alho amassados (6g)
sal e pimenta do reino a gosto
1 pitada de açúcar

Berinjela:
3 berinjelas grandes (1kg)
2 latas de Atum Sólido em Óleo Gomes da Costa (340g)
1 ovo cozido picado (60g)
1 e meia xícara (chá) de queijo parmesão ralado grosso (135g)
1 xícara (chá) de azeitona preta picada (150g)
1 cebola pequena picada (60g)
2 colheres (sopa) de cheiro verde picado (20g)
2 a 3 colheres (sopa) de farinha de rosca (cerca de 20g)

Modo de Preparo
Molho:

Lave bem os tomates e faça uma cruz em uma das extremidades de cada tomate. Coloque-os em água fervente abundante até a pele do tomate começar a levantar.
Escorra e retire a pele. Pique os tomates.Coloque numa panela grande o óleo de 1 lata do Atum Gomes da Costa e refogue a cebola e o alho até dourarem.
Acrescente os tomates e refogue. Adicione o sal, a pimenta e o açúcar. Tampe a panela e cozinhe em fogo baixo até o molho ficar ligeiramente encorpado e os tomates desmanchados.

Berinjela:
Lave as berinjelas e corte a tampinha. Reserve a tampinha.Com uma faca ou colher comprida, retire a polpa com cuidado para não perfurar a casca da berinjela. Reserve as cascas. Pique a polpa das berinjelas e coloque numa tigela. Acrescente o Atum Gomes da Costa, o óleo de 1 lata de Atum, o ovo, o queijo, a azeitona, a cebola e o cheiro verde. Misture bem. Acrescente a farinha de rosca aos poucos, até unir o recheio. Se necessário tempere com sal. Com o auxílio de uma colher de chá coloque o recheio dentro das cascas de berinjela (use o cabo de uma colher de pau para empurrar o recheio, deixando a berinjela bem recheada e o recheio compacto). Tampe cada berinjela com o auxílio de palitos. Reserve. Coloque as berinjelas no molho de tomate, tampe a panela e leve novamente ao fogo brando por cerca de 30 minutos ou até que as berinjelas cozinhem. Se necessário acrescente água aos poucos. Durante o cozimento, vire as berinjelas para que tenham um cozimento uniforme. Sirva a berinjela cortada em fatias grossas (cerca de 3cm) regadas com o molho.

Rendimento: 8 a 10 porções
Tempo de Preparo: 30 minutos
Tempo de Cozimento: 1 hora

Panqueca de Sardinha com Molho de Manjericão

Ingredientes
Molho de Tomate:

2 latas de Sardinha Óleo Gomes da Costa
1 cebola picada (80g)
2 dentes de alho amassados (4g)
1kg de tomates maduros, picados
Meia colher (sopa) de açúcar (5g)
Sal a gosto
1 galho pequeno de manjericão fresco
Queijo parmesão ralado a gosto

Panqueca:
1 xícara (chá) de leite (240ml)
1 ovo (60g)
1 colher (chá) de margarina (5g)
1 xícara (chá) de farinha de trigo (150g)
Sal a gosto

Recheio:
Meio vidro de palmito, picado (150g)
1 lata de ervilha (200g)
1 tomate picado (80g)
1 cebola picada (80g)
1 copo de requeijão (200g)
2 latas de Sardinha com Óleo Gomes da Costa (250g)
1 colher (sopa) de salsa picada (5g)
Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de Preparo
Molho de Tomate:

Leve ao fogo brando o óleo da Sardinha Gomes da Costa, a cebola e o alho. Refogue até dourar levemente. Junte o tomate, o açúcar, o sal e o galho de manjericão. Misture. Cozinhe em fogo baixo, panela tampada, mexendo de vez em quando até os tomates desmancharem por completo e o molho ficar encorpado. Reserve.

Panqueca:
Junte no copo do liquidificador todos os ingredientes. Bata em velocidade média por cerca de 1 minuto ou até a massa ficar homogênea. Unte com margarina uma frigideira antiaderente com 22 cm de diâmetro. Espalhe cerca de 3 colheres (sopa) de massa por todo o fundo e leve ao fogo brando. Cozinhe a massa, até começar a formar uma casquinha nas bordas. Vire o disco de massa com a ajuda de uma espátula, para que cozinhe e doure do outro lado. À medida que for fazendo as panquecas, empilhe os discos. Reserve.

Recheio:
Numa tigela junte o palmito, a ervilha escorrida, o tomate e a cebola. Misture. Junte o requeijão e a Sardinha Gomes da Costa. Acrescente a salsa e tempere com sal e pimenta a gosto. Reserve.

Montagem:
Recheie cada disco de massa com cerca de 2 a 3 colheres (sopa) do recheio de sardinha. Enrole como uma panqueca. Monte 10 panquecas. Distribua as panquecas num refratário lado a lado. Despeje por cima o molho bem quente. Salpique com parmesão e sirva em seguida.

Preparo: 75 min.
Rendimento: 10 porções

Atum Louco

Ingredientes
3 latas de Filés de Atum em Azeite Gomes da Costa (375g)
2 cebolas médias fatiadas bem fininhas
1 pimentão verde (grande) – sem sementes, fatiado bem fininho
1 pimentão amarelo (grande) – sem sementes, fatiado bem fininho
2 pimentões vermelhos (grandes) – sem sementes, fatiados bem fininho
3 talos pequenos de alho-poró fatiados bem fininho
5 tomates italianos, sem sementes, fatiados bem fininho
3 tabletes de caldo de carne
15 unidades de mini pão tipo francês

Modo de Preparo
Numa panela aqueça o azeite dos Filés de Atum Gomes da Costa e refogue aí a cebola. Acrescente os pimentões, o alho-poró e os tomates e refogue-os em fogo brando, panela tampada, mexendo de vez em quando, até os pimentões murcharem e ficarem cozidos.
Acrescente os caldos de carne e misture bem até dissolvê-los. Desligue o fogo e acrescente os Filés de Atum Gomes da Costa. Misture. Sirva quente recheando os pães.

Preparo: 45 min.
Rendimento: 12 porções

Fonte: Gomes da Costa

Lua de Mel e Bolo Sonho são sugestões da Chef Cecília Victorio para adoçar o fim de semana

Receitas superfofinhas e recheadas com creme são deliciosas opções para o chá da tarde

Para quem gosta de se aventurar na cozinha e é apaixonado por doces, a chef Cecília Victorio selecionou duas receitas, que mesmo que você não seja um expert em confeitaria certamente vai conseguir fazer.

Coberto de creme de confeiteiro, o Bolo Sonho já sai do forno recheado para você surpreender toda a família, mas é importante prestar atenção nas medidas dos ingredientes para que a massa fique fofinha e parte do creme permaneça sobre o bolo.

A outra sugestão, é um pouco mais complexa, mas proporcionalmente deliciosa. A famosa Lua de Mel, que geralmente encontramos nas vitrines das padarias, tem aqui uma massa supermacia, recheio de creme de confeiteiro e ainda leva uma calda para ficar mais molhadinha e gostosa.

Aproveite as dicas e vá para a cozinha testar suas habilidades:

Bolo Sonho

Ingredientes
Recheio:

450g de leite integral
2 gemas
80g de açúcar refinado
35g de amido de milho
5ml de essência de baunilha

Modo de preparo:
Coloque todos os ingredientes numa panela e mexa com o fuê para dissolver as gemas. Leve em o fogo médio e, após abrir fervura, cozinhe por mais 2 minutos. Retire do fogo e deixe amornar. Coloque o recheio morno numa manga de confeitar e reserve.

Ingredientes
Massa:

3 ovos
130g de iogurte natural integral
65ml de leite integral
130g de açúcar refinado
125ml de óleo de milho
265g de farinha de trigo
15g de fermento em pó

Modo de preparo:
Bater por 3 minutos na batedeira em velocidade alta os ovos inteiros, o iogurte, o leite, o açúcar e o óleo. Com a batedeira ligada, acrescente a farinha aos poucos e bata mais 2 minutos. Pare de bater e adicione o fermento em pó e mexa com o fuê delicadamente sem bater. Coloque a massa numa forma redonda de 24cm untada e enfarinhada. Faça listras com o saco de confeiteiro sobre a massa usando o recheio feito acima. Leve ao forno a 180º C por 45 minutos. Retire do forno, deixe esfriar. Finalize colocando açúcar gelado sobre bolo.

Lua de Mel

Ingredientes
Massa:
2 ovos médios
50g de açúcar refinado
1750ml de água morna
175ml de leite integral morno
40g de banha de porco ou 60g de margarina ou 60g manteiga
10g de fermento seco ou 30g de fermento fresco
5g de sal
500g de farinha de trigo

Modo de preparo:
Coloque num bowl, a água morna, o leite morno, o fermento e misture bem até dissolver. Junte o açúcar, os ovos, a banha, o sal e misture novamente até agregar todos os ingredientes. Adicione a farinha aos poucos até formar uma porção de massa. Coloque a massa numa bancada, rasgue-a e sove-a por pelo menos 10 minutos. Caso comece a grudar, coloque um fio de óleo na bancada. Após sovar, coloque a massa num bowl, cubra com um plástico filme e deixe descansar por 20 minutos. Após descansar, corte em porções de 15g. Boleie cada porção, coloque as bolinhas em uma forma untada e enfarinhada, cubra com plástico e deixe descansar novamente por 35 minutos. Leve ao forno por 30 minutos a 160°C ou até a base dos pãezinhos ficarem num tom dourado bem claro. Retire do forno e quando estiverem mornos, passe na calda e logo após no coco ralado e finalize recheando os pãezinhos com creme de confeiteiro ou recheio de sua preferência.

Ingredientes
Calda:
400ml de leite integral
200ml de leite de coco
200g de leite condensado
150g de coco ralado fino

Modo de preparo:
Misture todos os ingredientes.

Ingredientes
Creme de Confeiteiro:

300ml de leite integral
1 gema de ovo
60g de açúcar refinado
25g de margarina sem sal
1 colher de chá de essência de baunilha
25g de amido de milho

Modo de preparo:
Coloque todos os ingredientes numa panela, leve ao fogo sempre mexendo. Cozinhe por 8 minutos. Deixe esfriar. Coloque na manga de confeitar e recheie os pãezinhos.

Fonte: Bolos da Cecília

Tirolez sugere receitas cheias de sabor para o fim de semana

Aprenda como fazer Camarão com Requeijão Cremoso e Torta de caramelo com creme de Queijo Meia Cura

Para deixar o fim de semana saboroso, a Tirolez sugere receitas especiais. Aprenda como fazer o Camarão com Requeijão Cremoso, uma receita deliciosa, que fica pronta em apenas 40 minutos. Já para a sobremesa, a dica é a delicada Torta de caramelo com creme de Queijo Meia Cura, que promete sabor marcante. Confira o modo de preparo das receitas abaixo:

Camarão com Requeijão Cremoso

Ingredientes
1 xícara (chá) de cebola picada
1 colher (sopa) de gengibre picado
2 xícaras (chá) de tomate picado
½ xícara (chá) de cheiro verde picado
1 colher (chá) de cúrcuma
1 xícara (chá) de leite de coco
1 kg de camarão médio limpo
1 xícara (chá) de Requeijão Cremoso Tirolez em bisnaga
Azeite de oliva extravirgem a gosto

Modo de reparo
Aqueça uma panela e coloque um fio de azeite, refogue a cebola e, assim que estiver transparente, coloque o tomate picado e o gengibre. Refogue bem.Junte o cheiro verde à colher de cúrcuma. Acrescente o leite de coco e espere ferver. Quando ferver, coloque os camarões e deixe cozinhar por 5 minutos. Coloque os camarões em uma travessa refratária e coloque algumas colheradas de requeijão cremoso Tirolez por cima. Leve para gratinar no forno preaquecido a 180°C.

Tempo de preparo: 40 minutos
Rendimento: 4 porções

Torta de caramelo com creme de Queijo Meia Cura Tirolez

Ingredientes
Para a massa:
125 g de farinha de trigo
75 g de Manteiga Sem Sal Tirolez gelada
½ ovo
50 g de açúcar
Para o caramelo:
1 xícara de açúcar
1 xícara de Creme de Leite Fresco Tirolez
Para o creme de queijo meia cura:
1 ½ xícara de Queijo Meia Cura Tirolez ralado
¼ xícara de Creme de Leite Fresco Tirolez
Açúcar demerara para caramelizar

Modo de Preparo
Preaqueça o forno 180°C. Para a massa junte todos os ingredientes em uma tigela e misture até obter uma massa homogênea que desgrude das mãos. Separe 8 forminhas de tortas individuais e abra a massa com as mãos em cada uma delas. Coloque papel-manteiga no centro de cada massa para fazer o formato e leve para assar por 13 minutos. Retire do forno, descarte os papeis-manteiga e deixe esfriar. Para o caramelo derreta o açúcar em uma panela até virar caramelo, junte o creme de leite Tirolez e cozinhe até o caramelo dissolver por completo e começar a engrossar. Retire do fogo e deixe esfriar.Para o creme de queijo leve o creme de leite Tirolez para ferver com o queijo meia cura Tirolez. Quando começar a derreter e virar um creme desligue e reserve. Esse creme tem uma textura mais áspera.Depois que tudo estiver frio recheie as tortas primeiro com o caramelo, depois com o creme de queijo. Coloque o açúcar demerara por cima e queime com o maçarico para caramelizar.

Tempo de preparo: 40 minutos
Rendimento: 8 porções

Fonte: Tirolez

Ervas e especiarias, entenda a diferença e saiba mais sobre elas

Nutricionista Adriana Stavro ensina a usar 33 ervas e especiarias para tornar suas refeições ainda mais deliciosas

Qualquer pessoa conhece a importância das ervas e especiarias, usadas há séculos, tanto para fins culinários quanto medicinais.Elas acrescentam cor, textura, sabor, aroma e são basicamente a alma de qualquer cozinha.

Definir o que é uma erva e o que é uma especiaria pode ser complicado. De um modo geral, as ervas são usadas frescas e têm uma vida útil mais curta. Já as especiarias são secas e podem ser armazenadas em recipiente de vidro hermético por muito mais tempo (máximo 1 ano). Mas vamos descrevê-las um pouco melhor.

Sunset Magazine

Erva – É uma planta ou parte de uma planta, que é usada como medicamento ou para dar sabor aos alimentos. Os botânicos descrevem as ervas como uma planta pequena com sementes e partes carnudas, amigas dos médicos e elogiadas por cozinheiros. As ervas acrescentam sabor e aroma com sutileza.

Foto: Atul Prajapati/Pixabay

Especiarias – São a parte seca da planta como as sementes, cascas, raízes e frutas. Por exemplo, canela (casca), pimenta (fruta), noz-moscada (semente), alho (raiz). As especiarias acrescentam sabores fortes por isso, menos é sempre mais.

Algumas plantas podem ser consideradas ervas e especiarias. Por exemplo, o coentro, sua folha é a erva, enquanto a semente é a especiaria.

Especiarias, inteiras ou moídas?

Os especialistas dizem que, poucas horas depois de serem moídas, as especiarias podem começar a perder o aroma e o sabor. Por isso, o melhor seria moer conforme necessário.Um bom exemplo disso é a pimenta-do-reino moída na hora e a versão pré-moída. No entanto, no mundo real, quando procuram o salgo rápido para dar sabor a um molho, ensopado ou refogado, os temperos pré-moídos são realmente convenientes e, desde que estejam dentro da validade, proporcionam um bom sabor, portanto, não hesite em usá-los.

Em meio a este universo, alho, sal e cebola são a trilogia básica. Porém, na hora de preparar uma refeição especial, o básico já não serve. Para aguçar ainda mais o paladar, é preciso inovar, trazer à tona novos sabor e, incitar novas sensações. Aí surgem as combinações que podem criar uma sintonia de aromas e sabores inesquecíveis,que valem a pena ser exploradas.

Uma mistura famosa é o buquê garni, típica da cozinha francesa. Já a culinária indiana é reconhecida por suas misturas de especiarias, como o Garam Masala. Veja aqui algumas combinações clássicas:

Cinco especiarias (chinesas) – anis estrelado, canela, cravo, pimentão e sementes de erva-doce.
Ervas da Provença (sul da França) – alecrim, semente de erva-doce, manjerona, estragão, tomilho, orégano e lavanda
Tempero italiano – manjericão, orégano, alecrim, tomilho
Tempero Jerk (Caribe) – pimenta da Jamaica, cravo, canela, noz-moscada, tomilho, alho e as pimentas fortes
Garam Masala (indiano) – sementes de coentro, cominho, pimenta preta, cardamomo, canela, cravo, pimentão vermelho seco e açafrão
Bouquet garni (francês) – salsa, tomilho, folhas de louro e aipo

E como combinar sem exagerar?

Na cozinha, escolher as combinações e quantidades corretas dos condimentos para cada tipo de alimento,é um verdadeiro desafio. O truque é obter a mistura certa, para que nenhuma erva ou especiaria domine o sabor do prato.

Por isso, antes de sair misturando tudo com tudo, vale a pena conferir algumas sugestões sobre quais temperos combinam como que. Com o tempo e a vivência na culinária, é possível desenvolver o chamado “bom senso”. Com essa habilidade, só de cheirar e provar o alimento vai saber se exagerou na quantidade ou se precisa complementar. Para quem ainda não chegou neste estágio, confira  algumas ervas e especiarias e explore suas combinações em suas receitas.

Steve Buissinne/Pixabay

Curry: é uma mistura de especiarias incluindo açafrão-da-índia, cardamomo, coentro, gengibre, cominho, noz-moscada, cravo, pimenta e canela. Algumas marcas de Curry chegam a levar setenta plantas diferentes. Inicialmente o Curry servia para temperar exclusivamente o arroz, mas atualmente é usado em inúmeras receitas, como o frango ao Curry.

Cravo: de sabor intenso e ligeiramente picante, combina bem com canela, pimenta do reino, noz-moscada e gengibre. O cravo pode incrementar o sabor de doces, assados e bebidas em geral.

Cominho (moído ou inteiro): adiciona um sabor terroso ligeiramente amargo, e é popular em pratos da América Latina, Oriente Médio, Marrocos e Espanha. Combina bem com coentro, pimenta do reino e gengibre. Sementes recém-moídas têm mais sabor que moídas.

Canela: é uma casca, popular por seu aroma doce e quente. Acrescenta uma nota doce e perfumada a sobremesas e bolos (é essencial para torta de maçã e crumble). Canela em pó tem mais sabor que ramas, que precisam ser quebrados para liberar o aroma .Combina muito bem com cravo e pimenta-do-reino.

Pimenta-do-reino: vinda da Índia, a pimenta do reino além de dar um sabor picante à comida, ajuda o organismo a absorver os nutrientes e facilita a digestão. Ela é encontrada nas variedades verde, vermelha, branca e preta. A cor varia de acordo com a fase em que é colhida. O tempero combina com carnes e molhos, mas não exagere na quantidade.

Pimenta da Jamaica: como o nome sugere, é nativa da América Central e a principal produção vem da Jamaica. É uma especiaria apimentada e quente, vai bem em marinados, picles,e receitas de bolo com mel.Pode ser combinada com canela em pratos doces.

Pimenta calabresa seca: é excelente para dar sabor picante a molhos e temperar carnes. Deve ser usada em pequenas quantidades.

Páprica: de sabor picante ou doce, esse condimento deriva de um tipo de pimentão de cor vermelha e cura e costuma ser usada para adicionar um toque de cor aos alimentos. No entanto, nos últimos anos, fomos apresentados à páprica espanhola, que tem sabor e aroma intensos e defumados. Embora mais caro, vale a pena experimentar. Uma pequena quantidade transforma muitos pratos,molhos, ensopados, sopas e assados com um delicioso sabor de churrasco defumado. Ela vem em variedades quentes, doces e agridoces.

Açafrão da Terra (cúrcuma): além de deixar os pratos com uma cor linda, o sabor do açafrão é único. A especiaria é famosa desde a antiguidade, principalmente na culinária mediterrânea. É indicado para temperar risotos, aves, caldos, massas e doces.

Pixabay

Açafrão: um dos condimentos mais caros do mundo, é essencial na paella espanhola, no risoto alla milanese e em pratos marroquinos. É encontrado também em pó.

Anis estrelado: de sabor forte e aroma doce, vai bem com peixes, frutos do mar, frango, pães, biscoito e doces

Cardamomo: a essência aromática está nas sementes dentro das cápsulas. Usada para aromatizar doces, salgados e algumas bebidas, como chás.

Noz-moscada: possui um sabor adocicado e um aroma bastante forte. Ela é nativa das Ilhas Moluccas e é muito utilizada na índia. Combina com queijos, abóboras, sopas, espinafres, massas, caldos, molho branco, risotos, pratos indianos etc. Além de dar um sabor único a bebidas, como cappuccino e vinhos.

Erva doce – Foto: Hheidi/Pixabay

Erva Doce: de aroma adocicado, as sementes entram no preparo de infusões, peixes, legumes, bolos e biscoitos.

Papoula: é uma semente bem miudinha, crocante e saborosa. São ótimas polvilhadas em pães, bolos, bolachas antes de ir ao forno ou em massas de pudins, pães e tortas salgadas. Pode ser misturada com manteiga Ghee derretida, e usada em preparações com batatas, cenouras, macarrão, risotos, carnes e peixes. Também pode ser misturada com mel e limão e ser usada em recheios de bolos, caldas de sobremesas ou simplesmente ser consumida com frutas e iogurtes. n

Louro: embora seja muito usado no Brasil como tempero aromático do feijão, ele também pode ser adicionado no preparo do arroz e caldos. Basta colocar uma folha lavada na água borbulhando.

Mostarda – Foto; Rieth/Pixabay

Mostarda: os grãos podem ser usados para realçar o sabor de conservas, batatas cozidas e receitas de carne de porco. Já a mostarda em pó é ótima opção para caldos, sopas e molhos.

Ervas frescas

Foto: Gulzer Hossain/Pixabay

Salsa: ou salsinha combina muito com canapés, molhos de ervas, pães, tomates, omeletes, grelhados, recheios e aromatizar manteiga. É encontrada salsa lisa e salsa crespa. A crespa é muito utilizada para decoração de pratos. Também pode ser encontrada na forma desidratada. Porém o ideal é utilizá-la fresca.

Cebolinha: muito utilizada em omeletes, molho vinagrete e molhos à base de creme de leite para peixes. Ótimo também em patês de ricota, queijo cremoso, sopas e saladas. Geralmente é combinada com a salsinha.

Tomilho: aromatize queijos, licores, carnes de churrasco, peixes, tomates ao forno, pizzas e grelhados. Use-o em pó quando quiser só seu sabor e aroma. É ótimo para compor marinadas.

Alho: pode ser utilizado de diversas formas, cru, refogado, picado ou em rodelas. Em geral, os povos mediterrâneos são os maiores apreciadores, empregando-o, geralmente, junto com o tomate e a cebola. Fica ótimo em carnes assadas e para temperar o arroz e feijão.

Bazinga1k980/Pixabay

Alho-poró: é o alho verde, com bulbos e folhas grandes. Bom para o preparo de sopas, ensopados e saladas.

Gengibre: a raiz é quente, doce e picante. Moída, é ideal para bolos, pães, molhos, sopas, aperitivos, carnes, peixes, aves, legumes, saladas, frutas e sucos. Experimente usá-lo junto com o alho no arroz branco, fica uma delícia.

Foto: CreativeCommons

Manjericão: existem mais de cinquenta tipos de manjericão. A maioria das pessoas pensam no manjericão com tomate ou pesto ou usado como guarnição de sobremesa e pratos salgados. Pense além, eles podem ser usados com outras ervas como alho, zimbro, mostarda, páprica, alecrim e adicionado em sopas, saladas e tortas.

Orégano: pode ser usado para os mesmos fins que o manjericão, embora seu aroma seja diferenciado. É tempero típico de cobertura de pizzas, dos molhos italianos para massas. Aromatize saladas de frutos do mar, coloque nos antepastos de azeitonas pretas, em queijos, use no feijão branco em recheios para carnes, aves e carneiro. Podemos utilizar as folhas secas ou frescas, fica ao critério de cada um.

Hortelã: tem um aroma forte e fresco e é um dos sabores mais populares do mundo. Nativa do sul da Europa e mediterrâneo, se adaptou com facilidade ao Brasil. Na culinária ocidental é usada para dar sabor a berinjelas, abobrinhas, ervilhas, batatas e tomates. Vai bem com carnes de frango, porco e vitela. Na culinária árabe a hortelã é essencial para o tabule e o quibe.Combinam bem com sementes de coentro e cominho.

Coentro – Foto: Hans Braxmeier/Pixabay

Coentro: enquanto as folhas são usadas como erva, a semente é uma especiaria. Tem um sabor muito suave e não é nada picante. Esta é provavelmente uma das especiarias mais suaves. É o principal ingrediente do Garam Masala.

Manjerona: é outro tempero que vem das terras mediterrâneas. Possui uma folha semelhante com a do orégano, porém o sabor é diferente. Ela é ideal para aromatizar simples saladas e para valorizar carnes e aves, assim como pratos à base de tomate, sopas, saladas e em peixes grelhados. Vale a pena experimentá-la no feijão preto, o sabor é incomparável.

Alecrim: bata o alecrim seco no pilão com sal e use para temperar batata. Coloque na carne de carneiro para grelhar. Acrescente ao alecrim salsa em pó, alho e pimenta-do-reino para marinar por meia hora carnes brancas que serão grelhadas ou cozidas. Dica: Faça um molho com tomates cozidos e amassados. Misture salsa, cebola picada, açúcar de coco ou demerara (opcional) e pimenta malagueta socada. Sirva o molho com verduras, legumes cozidos e carnes.

Endro (dill ou aneto): muito usado para marinar peixes. É o tempero do famoso bufê de frios dos povos nórdicos, composto de vários peixes marinados. Fica ótimo em cremes de queijos, omeletes, molhos e sopas frias. Sempre colocar no final da preparação.

Foto: CreativeCommons

Salvia: o ideal é usá-la sempre fresca. Basta adicioná-la à comida, seja no início do preparo, no final, ou um pouco nos dois momentos. Desse modo, ela sempre liberará o máximo de seu aroma e sabor. Também não pode ser cortada muito antes de usar para que não escureça e perca suas características. A sálvia libera o máximo de sabor e aroma quando aliada a um tipo de óleo ou gordura, como azeite e manteiga. Combinações clássicas: Carne de porco, vitela, frango, pato, ganso, peru, grãos, ovos, queijos, sobretudo o grana pada no, pecorino e os queijos de cabra. A combinação de abóbora e sálvia é um clássico italiano. Manteiga e sálvia também são acompanhamentos ideais para massas recheadas.

Dica: derreta um pouco de manteiga junto com algumas folhas inteiras de sálvia, e quando a massa estiver pronta, misture a essa manteiga e um pouco da água de cozimento. É simples, mas delicioso. Para aromatizar um azeite com sálvia, é só colocar algumas folhas dentro do azeite e aquecê-lo bem levemente (cerca de 50º C). Depois deixe o azeite esfriar e passe para uma garrafa.

Cerefólio: é um tempero agradável, de sabor sutil. Combina muito bem com saladas, peixes, mariscos cozidos, sopas, omeletes, ovos mexidos, frango, arroz, molhos suaves de manteiga e queijos macios.

Quantidades sugeridas para uso em vários pratos: 2 colheres (sopa) de Cerefólio desidratado para 1 ½ kg de peixe e carnes; 1 colher (chá) de Cerefólio fresco em sopa, em caldos, arroz, omeletes e arroz

Estragão: é uma erva típica da cozinha francesa, usada para realçar o sabor de alguns ingredientes e alimentos. Pode ser combinada com o tomilho e a salsa. O sabor do estragão é adocicado e levemente picante. Lembra um pouco o cheiro e gosto do funcho (erva-doce). Combina muito com saladas, conservas, molhos (como o clássico molho Béarnaise, que acompanha carnes grelhadas e peixes), frango, ovos e tomates. Pode ser usado fresco ou seco, tudo depende da receita.

Foto: Eszter Miller/Pixabay

Dill: também chamado de endro, é muito usado na culinária escandinava e do leste europeu. Suas folhas podem ser delicadas, mas o aroma e sabor são marcantes. As folhas do dill perdem muito seu sabor quando secas, por isso, o ideal é usar sempre fresco. Se acrescentá-lo a um prato quente, prefira fazê-lo no final da preparação, para manter as características da erva. Fica ótima com peixes, creme azedo, maionese, queijos frescos, legumes, verduras, tubérculos, sopas e caldos. Sementes levemente tostadas podem aromatizar manteigas e azeites.

Dicas gerais:

• Todas as ervas frescas podem ser congeladas picadas. Para isso, basta colocá-las em formas de gelo e completar com água ou azeite. Uma vez congeladas, guarde os cubos com as ervas em um pote no freezer. Quando precisar, é só colocar os cubos com as ervas no final da cocção.
• Prefira sempre a versão fresca ao invés da desidratada, são mais saborosas e saudáveis.
• Não compre em grandes quantidades, pois as ervas frescas estragam rapidamente e as especiarias perdem sua cor e o sabor.
• A maioria das ervas não deve ser cozida por muito tempo. É sempre recomendado acrescenta-las no momento final da preparação.
• Alguns temperos podem ser usados crus no final do cozimento, como a pimenta, mas outros ficam mais saborosos quando cozidos, como o cominho e o louro. Se estiver seguindo uma receita, preste atenção na ordem em que os ingredientes são adicionados ao prato.
• Verifique os temperos em sua despensa regularmente. Qualquer especiaria com mais de um ano deve ser descartada.
• As ervas devem ser retiradas do prato no momento de servir.

Receita de Salmão Marinado com Endro

Ingredientes:
700g de salmão fresco
2g de endro liofilizado
50 ml de suco de limão
100 ml de vinagre de framboesa
2 colheres de sopa de azeite de oliva
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Fatie finamente o filé de salmão e coloque-o numa vasilha. Polvilhe com sal, pimenta-do-reino e endro. Junte o suco de limão, o vinagre de framboesa e regue com azeite de oliva. Leve à geladeira em recipiente fechado por no mínimo duas horas. Sirva em travessa decorada com ramos de endro.

Receita com Tomilho

Faça uma base com fatias de batatas, coloque o peixe sobre elas, regue com azeite, acrescente sal, vinho branco, ramos de tomilho, feche com papel alumínio e leve ao forno para assar.

Fonte: Adriana Stavro é nutricionista mestre pelo Centro Universitário São Camilo Especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) pelo Hospital Israelita Albert Einstein. Pós-graduada em Nutrição funcional pela VP e em Fitoterapia pela Courses4U

Duas deliciosas receitas para dias frios

Com releitura de receitas tradicionais, os preparos são feitos com produtos das principais marcas de pães do mercado brasileiro

Em busca de ajudar a família brasileira na produção de cardápios variados para os dias mais frios do ano, a Companhia Wickbold, detentora das marcas Wickbold e Seven Boys, compartilha o passo a passo de duas receitas que são servidas quentes.

A primeira opção é um assado de travessa, que leva em seu preparo o Pão de Milho Casa de Vó, da Seven Boys. Já a segunda opção é um fondue de chocolate e creme de avelãs, com morangos e cubos de Do Seu Forno Original, da Wickbold. Confira o passo a passo abaixo:

Assado de travessa com Pão de Milho – Seven Boys

Ingredientes

Montagem
• 1 embalagem de Pão de milho Seven Boys

Recheio cremoso de frango
• 800 gramas de filé de peito de frango
• 1/4 de xícara (chá) de azeite
• 1 xícara (chá) de cebola ralada
• 1 alho ralado
• 1 pimenta dedo-de-moça picada (sem sementes)
• 3 colheres (chá) de sal
• 2 colheres (chá) de colorau
• 1 xícara (chá) de água do cozimento do frango
• 2 colheres (sopa) de farinha de trigo
• Cheiro verde a gosto
• Azeitonas verdes picadas (a gosto)

Ingredientes para o molho branco
• 2 xícaras (chá) de leite integral (temperatura ambiente)
• 2 colheres (sopa) de manteiga
• 2 colheres (sopa) de farinha de trigo
• 1 xícara (chá) de requeijão cremoso
• Sal a gosto

Modo de preparo

Recheio cremoso

Comece cozinhando o frango com os temperos a gosto. Em seguida,reserve a água do cozimento. Desfie o frango e reserve. Em uma panela com azeite, refogue o alho com a cebola e a pimenta dedo-de-moça. Acrescente o frango desfiado, o sal e o colorau. Misture bem a farinha com 1 xícara do caldo do cozimento do frango e acrescente aos outros ingredientes. Cozinhe bem, mexendo sempre. Finalize com cheiro verde e as azeitonas picadas. Ajuste os temperos caso ache necessário. Reserve para esfriar.

Molho branco

Em uma panela, em fogo médio, derreta a manteiga e acrescente a farinha de trigo. Sem parar de mexer, deixe essa mistura cozinhar (tomando cuidado para não queimar). Abaixe o fogo e acrescente o leite aos poucos, mexendo bem para que não forme grumos. Cozinhe muito bem, mexendo sempre. Desligue o fogo e acrescente o requeijão e ajuste o sal.

Montagem da torta

Unte uma travessa que possa ir ao forno. Retire a casca dos pães e distribua uma camada para a base da torta, sem deixar sobrar nenhum espaço da travessa. Sobre esta camada, distribua o recheio de frango cremoso e sobre ele, outra camada de Pão de milho Seven Boys. Cubra com o molho branco e leve ao forno até gratinar.

Fondue de chocolate e creme de avelãs – Wickbold

Ingredientes:

• Pão Wickbold Do Seu Forno Original (feito conforme as instruções da embalagem)
• Morangos
• 500 gramas de chocolate amargo (55% de cacau)
• 1 ½ xícara (chá) de creme de leite fresco
• 4 colheres (sopa) de creme de avelãs

Modo de Preparo:

Pique o chocolate em pedaços pequenos. Coloque o creme de leite em uma panela pequena e leve ao fogo médio (se preferir, utilize uma panela própria para fondue). Assim que ferver, diminua o fogo, acrescente o chocolate picado e o creme de avelãs. Com uma espátula, misture até derreter. Sirva com cubos de pão Do Seu Forno Original Wickbold e morangos inteiros.

Fonte: Wickbold

Arroz doce e pavê de amendoim: duas receitas para adoçar o fim de semana

Mococa dá dicas de como preparar duas sobremesas tradicionais

Mesmo com o avanço da vacinação, é importante lembrar que o período ainda é adverso e que o distanciamento e o uso de máscara continuam necessários. Com isso, a Mococa separou duas receitas fáceis e saborosas para comemorar o Dia dos Pais no conforto de casa.

O arroz doce e o pavê de amendoim, feitos com os ingredientes Mococa, trazem inspiração artesanal, qualidade de primeira, e expertise de mais de um século para os doces servidos nas festas e datas importantes. Confira como fazer:

Arroz doce

Ingredientes
1 1/2 xícaras de arroz
2 xícaras de água
5 xícaras de leite
1 lata de leite de condensado Mococa
1 lata de creme de leite Mococa
2 colheres de baunilha
Açúcar a gosto
Canela a gosto para decorar

Modo de preparo
Coloque a água, o arroz e a canela e deixe ferver até secar a água. Em seguida coloque o leite, a baunilha, o açúcar e o leite condensado, sem deixar de mexer. Ferva por 15 minutos e coloque o creme de leite, mexa. Deixe mais 5 minutos em fervura e pronto. Você pode decorar com canela e servir quente ou frio.

Pavê de amendoim

Ingredientes
2 caixinhas de leite condensado Mococa
1 xícara (chá) de amendoim torrado sem pele
1 caixa de creme de leite Mococa
1 envelope de gelatina em pó sem sabor
1 pacote de biscoito Maria
6 colheres (sopa) de chocolate em pó
Amendoim torrado e triturado para decorar

Modo de preparo
Dissolva a gelatina conforme as instruções da embalagem. Adicione o leite condensado, amendoim, creme de leite e a gelatina dissolvida em um liquidificador e bata até formar uma mistura lisa e homogênea. Em uma forma de vidro ou refratário, intercale camadas de creme e biscoito polvilhado com chocolate em pó até acabarem os ingredientes. Termine com creme!
Depois disso, leve a geladeira por 2 horas. Decore com amendoim triturado. Prontinho. O pavê está perfeito para ser servido.

Fonte: Mococa