Arquivo da tag: salmão

Sete alimentos saudáveis que são ricos em vitamina D

A vitamina D é o único nutriente que seu corpo produz quando exposto à luz solar. No entanto, até 50% da população mundial pode não ter sol suficiente e 40% dos residentes nos EUA, por exemplo, são deficientes em vitamina D).

Isso ocorre em parte porque as pessoas passam mais tempo em ambientes fechados, usam protetor solar do lado de fora e seguem uma dieta ocidental pobre em boas fontes dessa vitamina. O valor recomendado é de 800 UI (20 mcg) de vitamina D por dia por alimentos.

1. Salmão

salmao

O salmão é um peixe gordo popular e uma excelente fonte de vitamina D. De acordo com o Banco de Dados de Composição de Alimentos do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, uma porção de 100 gramas de salmão de criação contém 526 UI de vitamina D, ou 66% do valor diário (VD). Se o salmão for selvagem ou cultivado, pode fazer uma grande diferença.

Em média, o salmão capturado na natureza contém 988 UI de vitamina D por porção de 100 gramas, ou 124% da VD. Alguns estudos descobriram níveis ainda mais altos no salmão selvagem – até 1.300 UI por porção. No entanto, o salmão de criação contém apenas 25% dessa quantidade. Ainda assim, uma porção de salmão cultivado fornece cerca de 250 UI de vitamina D, ou 32% de VD.

Resumo: salmão selvagem contém cerca de 988 UI de vitamina D por porção, enquanto o salmão de criação contém 250 UI, em média. Isso representa 124% e 32% do VD, respectivamente.

2. Arenque e sardinha

sardinhas em lata pixabay
Pixabay

O arenque é um peixe comido em todo o mundo. Pode ser servido cru, enlatado, defumado ou em conserva. Este peixe pequeno também é uma das melhores fontes de vitamina D. O arenque fresco do Atlântico fornece 216 UI por porção de 100 gramas, o que representa 27% do VD.

Se você não gosta de peixe fresco, o arenque em conserva também é uma boa fonte de vitamina D, fornecendo 112 UI por porção de 100 gramas, ou 14% da VD. No entanto, o arenque em conserva também contém uma grande quantidade de sódio, que algumas pessoas consomem muito.

As sardinhas enlatadas também são uma boa fonte de vitamina D – uma lata contém 177 UI, ou 22% da VD. Outros tipos de peixe gordo também são boas fontes de vitamina D. O linguado e a cavala fornecem 384 UI e 360 ​​UI por metade de um filete, respectivamente.

Resumo: o arenque contém 216 UI de vitamina D por porção de 100 onças. Arenque em conserva, sardinha e outros peixes gordurosos, como o alabote e a cavala, também são boas fontes.

3. Óleo de fígado de bacalhau

Fish oil pills over white background
123RF

O óleo de fígado de bacalhau é um suplemento popular. Se você não gosta de peixe, tomar óleo de fígado de bacalhau pode ser a chave para obter certos nutrientes que não estão disponíveis em outras fontes.

É uma excelente fonte de vitamina D – com cerca de 448 UI por colher de chá (4,9 ml), com uma enorme quantidade de 56% do VD. Ele é usado há muitos anos para prevenir e tratar a deficiência em crianças. O óleo de fígado de bacalhau também é uma fonte fantástica de vitamina A, com 150% da VD em apenas uma colher de chá (4,9 ml). No entanto, a vitamina A pode ser tóxica em grandes quantidades.

Portanto, tenha cuidado com o óleo de fígado de bacalhau, certificando-se de não tomar muito. Além disso, ele é rico em ácidos graxos ômega-3, dos quais muitas pessoas são deficientes.

Resumo: óleo de fígado de bacalhau contém 448 UI de vitamina D por colher de chá (4,9 ml), ou 56% da VD. Também é rico em outros nutrientes, como vitamina A e ácidos graxos ômega-3.

4. Atum em conserva

atum lata lummi island wild
LuminiIslandWild

Muitas pessoas gostam de atum em conserva por causa de seu sabor e métodos fáceis de armazenamento. Também, geralmente, é mais barato do que comprar peixe fresco.

O atum light enlatado comporta até 268 UI de vitamina D em uma porção de 100 gramas, que é de 34% do VD. Também é uma boa fonte de niacina e vitamina K). Infelizmente, o atum enlatado contém metilmercúrio, uma toxina encontrada em muitos tipos de peixes. Se acumular no seu corpo, poderá causar sérios problemas de saúde.

No entanto, alguns tipos de peixe representam menos riscos do que outros. Por exemplo, o atum light é ​​tipicamente uma escolha melhor do que o atum branco – é considerado seguro comer até 170 gramas por semana.

Resumo: o atum enlatado contém 268 UI de vitamina D por porção. Escolha atum leve e coma 170 gramas ou menos por semana para evitar o acúmulo de metilmercúrio.

5. Gemas de ovos

gema ovo ponce photography-pixabay
Foto: Ponce Photography

As pessoas que não comem peixe devem saber que frutos do mar não são a única fonte de vitamina D. Ovos inteiros são outra boa fonte, além de alimentos maravilhosamente nutritivos. Enquanto a maioria das proteínas de um ovo é encontrada no branco, a gordura, as vitaminas e os minerais são encontrados principalmente na gema.

Uma gema de ovo típica contém 37 UI de vitamina D, ou 5% da VD. Os níveis de vitamina D na gema de ovo dependem da exposição ao sol e do conteúdo de vitamina D na alimentação dos frangos. Quando recebem o mesmo alimento, as galinhas criadas livres, que tomam sol, produzem ovos com níveis 3 a 4 vezes mais altos.

Além disso, os ovos de galinhas que recebem ração enriquecida com vitamina D podem ter até 6.000 UI de vitamina D por gema. São 7 vezes o VD. A escolha de ovos de galinhas criadas fora ou comercializadas com alto teor de vitamina D pode ser uma ótima maneira de atender às necessidades diárias.

Resumo: ovos de galinhas criadas comercialmente contêm apenas cerca de 37 UI de vitamina D por gema. No entanto, os ovos de galinhas criadas fora ou alimentados com rações enriquecidas com vitamina D contêm níveis muito mais altos.

6. Cogumelos

mushroom cogumelo

Excluindo alimentos fortificados, os cogumelos são a única boa fonte vegetal de vitamina D. Como os humanos, os cogumelos podem sintetizar essa vitamina quando expostos à luz UV. No entanto, os cogumelos produzem vitamina D2, enquanto os animais produzem vitamina D3.

Embora a vitamina D2 ajude a aumentar os níveis sanguíneos de vitamina D, ela pode não ser tão eficaz quanto a vitamina D3. No entanto, os cogumelos selvagens são excelentes fontes de vitamina D2. De fato, algumas variedades embalam até 2.300 UI por porção de 100 gramas – quase três vezes o VD (30).

Por outro lado, os cogumelos cultivados comercialmente são frequentemente semeados no escuro e contêm muito pouco D2. No entanto, certas marcas são tratadas com ultravioleta (luz UV). Esses cogumelos podem fornecer de 130 a 450 UI de vitamina D2 por 100 gramas.

Resumo: cogumelos podem sintetizar vitamina D2 quando expostos à luz UV. Apenas cogumelos selvagens ou cogumelos tratados com luz UV são boas fontes de vitamina D.

7. Alimentos fortificados

leite

As fontes naturais de vitamina D são limitadas, especialmente se você é vegetariano ou não gosta de peixe. Felizmente, alguns produtos alimentares que naturalmente não contêm vitamina D são enriquecidos com esse nutriente.

Leite de vaca: é o tipo de leite mais consumido, é naturalmente uma boa fonte de muitos nutrientes, incluindo cálcio, fósforo e riboflavina. Em vários países, o leite de vaca é enriquecido com vitamina D. Ele geralmente contém cerca de 115-130 UI por xícara (237 ml), ou cerca de 15% a 22% do VD.

Leite de soja: como a vitamina D é encontrada quase exclusivamente em produtos de origem animal, os vegetarianos e veganos correm um risco particularmente alto de não obter o suficiente. Por esse motivo, substitutos do leite à base de plantas, como o de soja, costumam ser fortificados com esse nutriente e outras vitaminas e minerais normalmente encontrados no leite de vaca. Um copo (237 ml) normalmente contém 107-117 UI de vitamina D, ou 13-15% do VD.

Suco de laranja: cerca de 75% das pessoas em todo o mundo são intolerantes à lactose e outros 2% a 3% têm alergia ao leite. Por esse motivo, alguns países fortalecem o suco de laranja com vitamina D e outros nutrientes, como o cálcio. Uma xícara (237 ml) de suco de laranja fortificado no café da manhã pode fazer você começar o dia com até 100 UI de vitamina D, ou 12% do VD.

Cereais e aveia: certos cereais e aveia instantânea também são enriquecidos com vitamina D. Meia xícara (78 gramas) desses alimentos pode fornecer 54–136 UI, ou até 17% do VD. Embora cereais fortificados e aveia forneçam menos vitamina D do que muitas fontes naturais, eles ainda podem ser uma boa maneira de aumentar a ingestão.

Resumo

mulher loira cabelos sol verão

Seu corpo precisa de vitamina D para absorver o cálcio. Isso faz com que o suficiente de vitamina D e cálcio seja crucial para manter a saúde óssea e prevenir a osteoporose. Passar um tempo ao sol é uma boa maneira de obter sua dose diária de vitamina D. No entanto, é difícil para muitas pessoas conseguir exposição solar suficiente.

Obter o suficiente apenas da sua dieta pode ser difícil, mas não impossível. Os alimentos listados neste artigo são algumas das principais fontes de vitamina D disponíveis. Comer muitos desses alimentos ricos em vitamina D é uma ótima maneira de garantir que você receba o suficiente desse nutriente importante.

Fonte: Healthline

Carboidratos são fundamentais para o organismo; aprenda receitas

Essenciais para manter o bom funcionamento do organismo, os carboidratos fornecem energia para o corpo

Os carboidratos são essenciais na nossa alimentação. Sua ingestão é fundamental para o funcionamento do nosso organismo de forma eficiente, porque fornecem energia para desenvolver todas as atividades do dia a dia. Eles também auxiliam em diversos processos fisiológicos, como a manutenção de massa muscular e a queima de gordura. Quem treina em uma academia com alguma destas finalidades por exemplo, precisa aliar a ingestão de carboidrato e proteína de forma equilibrada para ter melhores resultados.

Por entender a importância deste nutriente, a Adria, uma das principais marcas de massas biscoitos e torradas do país, em parceria com a consultoria Equilibrium, explica os efeitos de uma alimentação pobre em carboidrato.

De acordo com Mariana Golgatti, nutricionista da Equilibrium, os carboidratos são a base da nossa alimentação. Cerca de 45-65% do valor energético total do que é consumido diariamente deve vir do carboidrato. Por exemplo, em uma dieta de 2000 kcal, uma porção de 80g de macarrão corresponde a 19% do valor diário de carboidrato. “Esse nutriente deve ser incluído em todas as refeições, de forma equilibrada, para ajudar no equilíbrio de energia gradual no dia”, explica a nutricionista.

Um alerta importante é que a exclusão de carboidrato no longo prazo leva a uma dificuldade de o corpo funcionar. ”Dietas com restrições muito severas de carboidrato dificultam bastante a manutenção de uma alimentação saudável, causando um desequilíbrio. Além disso, o único nutriente que o cérebro reconhece como fonte de energia é o carboidrato. Como o cérebro armazena pequenas quantidades deste nutriente no decorrer do dia, o consumo em porções corretas é importante para mantê-lo funcionando na sua capacidade máxima”, finaliza Mariana.

Sabendo da importância dessa fonte de energia para o organismo, a Adria, sugere 2 pratos: Salada ao Molho de Mostarda com Peito de Peru e Manga e Ninho com Salmão Al Limone. Confira as receitas:

Molho de Mostarda com Peito de Peru e Manga

Salada ao Molho de Mostarda com Peito de Peru e Manga (002)

Ingredientes:
1 embalagem de Adria Pena
150g de muçarela, em cubos
100g de amêndoas sem pele e torradas, em lascas
10 colheres (sopa) de maionese
6 colheres (sopa) de mostarda
8 colheres (sopa) de azeite
200g de peito de peru, em cubos
1 manga sem casca, em cubos
2 colheres (sopa) de açúcar mascavo
6 colheres (sopa) de vinagre
2 dentes de alho, amassados
Sal, pimenta-do-reino e folhas de rúcula à gosto

Modo de preparo:
Comece preparando o molho de mostarda. Bata no liquidificador, o açúcar mascavo, o vinagre, a maionese, a mostarda e o alho. Sem parar de bater, acrescente o azeite. Acerte o sal, tempere com a pimenta do reino e reserve. Em uma panela grande ferva 5 litros de água com sal e cozinhe a massa. Para isso, coloque a massa e mexa de vez em quando, até que a água volte a ferver. Deixe cozinhar de acordo com o tempo indicado na embalagem ou até que fique “al dente”, ou seja, macia, porém resistente à mordida. Escorra a massa e esfrie em água corrente. Coloque num refratário grande, acrescente o molho de mostarda e envolva bem com a ajuda de dois garfos grandes. Junte o peito de peru, a muçarela, a manga e misture delicadamente. Decore com as folhas de rúcula, salpique as amêndoas e sirva a seguir.

Rendimento: 8 porções
Tempo de preparo: 25 minutos

Salmão Al Limone

Ninho com Salmão Al Limone (002)

Ingredientes:

Salmão
600 g de filé de salmão com pele
sal e pimenta-do-reino preta, moída na hora, a gosto
1 colher (sopa) de azeite

Molho Al Limone
3 colheres (sopa) de azeite
1 cebola pequena ralada
½ litro de creme de leite fresco
sal a gosto
raspas e suco de 2 limões Sicilianos

Massa
1 embalagem de Adria Ninho Largo Com Ovos

Para finalizar
5 galhos de dill fresco

Modo de Preparo:

Salmão
– Tempere o salmão com o sal e a pimenta-do-reino. Aqueça uma frigideira, regue com o azeite e grelhe o salmão, virando-o dos 2 lados para que doure por igual. Retire do fogo, despreze a pele e, sobre uma tábua ou prato, faça lascas com um garfo. Reserve.

Molho
– Em uma panela média aqueça o azeite e refogue a cebola. Acrescente o creme de leite e deixe ferver em fogo baixo para engrossar um pouco. Tempere com o sal, junte as raspas e o suco dos limões. Misture bem, tampe a panela e reserve.

Massa
– Em uma panela grande ferva 5 litros de água com o sal. Cozinhe a massa durante o tempo indicado na embalagem ou até que esteja “al dente”, ou seja, macia, porém resistente à mordida. Escorra imediatamente e acrescente ao molho. Junte as lascas de salmão e misture bem para que toda a massa fique bem envolvida pelo molho. Finalize com o dill e sirva em seguida.

Dica do chefe: Caso não encontre o limão Siciliano, substitua pelo limão Tahiti.
Rendimento: 6 porções
Tempo de preparo: 50 minutos

Fonte: Adria

Páscoa: Chef Melchior Neto ensina a preparar salmão com crosta de queijos

Temporada de peixes e quaresma. E haja criatividade para preparar pratos deliciosos, saudáveis e criativos. Para ajudar nesse processo e deixar a sua Páscoa ainda mais feliz, o Chef Melchior Neto vai ensinar o passo a passo de um salmão com crosta de queijos que serve até 4 pessoas. Confira:

Salmão com crosta de queijos Por Chef Melchior Neto

Ingredientes
1 pedaço de salmão (aproximadamente 650g)
2 limões sicilianos
2 cebolas roxas em rodelas
500g de batata bolinha
2 colheres de maionese
1 colher se sopa de lemon pepper
1 ramo de manjericão picado
100g de muçarela ralada
100g de queijo parmesão ralado
Azeite a gosto
Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:
Corte os limões em fatias e disponha no refratário como uma cama. Coloque o salmão por cima com a pele para baixo e reserve. Em um recipiente, misture a maionese, o lemon pepper e o manjericão. Com auxílio de um pincel culinário, passe por toda a parte de cima do salmão. Coloque as batatinhas com casca já cozidas nas laterais do refratário deixando o salmão bem no meio. Distribua a cebola roxa por toda a superfície. Junte os dois queijos e coloque por cima somente do peixe. Coloque sal e pimenta nas batatas e leve ao forno pré aquecido a 200° por 20 minutos. Dica: não deixe muito tempo no forno para que o peixe não fique ressecado.

salmao-com-crosta-de-quiejo-4

Grau de Dificuldade: Fácil
Serve 4 pessoas.

Receita de salmão grelhado com molho de manga

Mais uma receita simples, mas que tem um resultado muito saboroso. A dica é salmão grelhado com legumes do Divino Fogão. Confira:

Salmão Grelhado com Legumes

Ingredientes:
1 kg de salmão
Sal a gosto
Pimenta do reino a gosto
Um fio de azeite
1 xícara de brócolis
1 xícara de cenoura
½ xícara de manga
1 couve-flor
1 colher de margarina

Modo de Preparo
Temperar o salmão com sal, pimenta do reino e azeite. Reservar. Cozinhar no vapor os legumes com um pouco de sal. Cortar a manga em tiras. No liquidificador bata a manga com 1/2 copo de água. Em uma panela coloque a manga batida, acrescente a margarina e deixe apurar até ficar bem grosso, retire do fogo. Grelhar o salmão dos dois lados e reservar. Cobrir o salmão com o molho de manga. Servir com os legumes e os temperos de sua preferência.

receita-salmao-grelhado-ao-molho-de-laranja-do-divino-fogao

Fonte: Divino Fogão

Receita rica em gorduras boas para ter energia e se manter saudável

Anderson Camargo é nascido em São Caetano do Sul, cidade da região do Grande ABC e aos 37 anos já é Chef de Cozinha Internacional, especialista em comida mediterrânea e expert em Parrilla. É graduado em Tecnologia em Gastronomia pela Universidade Metodista de São Paulo e com especialização em Gastronomia Clássica Francesa, pelo Bistrô Le Canard’Dor, em Paris. Também fez cursos de Carnes Parrilas, no Uruguai; de Administração de Restaurante e de Consultor Gastronômico.

Além disso, atuou como Chef de Cozinha no Hotel Mercury, em Joinville; no Saint Morit’s Eventos, em São Paulo; no Restaurante La Caballeriza, em Porto Madero, na Argentina; no Bistrô Paris 6, em São Paulo e hoje é Gerente Regional Culinário Latam, da Middleby Corporation.

Aqui, ele ensina a fazer uma receita deliciosa que também é muito nutritiva, já que leva salmão, peixe que é uma das melhores fontes de ácidos graxos ômega-3; quinoa, fonte de de cálcio, ferro e também de ácidos graxos ômega 3 e 6. Sem falar do abacate, que age como anti-inflamatório natural, tem altos níveis de gordura monossaturada e potássio, que ajudam a diminuir a pressão sanguínea e no combate a hipertensão.

Confira o passo a passo da receita:

Salmão em Crosta de Quinoa com Salada de Avocado Grelhado

Ingredientes
200 g de salmão em posta com pele
50 g de mix de quinoa
100 g de cogumelo Paris fresco cortado em lâminas
50 g de alho-poro cortado em rodelas
1/2 abacate cortado em cubos grandes ( não muito maduro)
6 unidades de tomate cherry cortado pela metade
Suco de ½ limão siciliano
½ cebola roxa pequena corta em Juliane
1 colher de chá de cebolinha em lâminas
Folhas de manjericão
Azeite
Sal e pimenta-do-reino

Modo de preparo
Em uma frigideira bem quente coloque um pouco de azeite e acrescente os cogumelos, deixe dourar e agregue o alho poro. Quando ficar dourado acrescente os tomates e frite por mais 2 minutos. Reserve em um bowl. Doure o abacate em uma frigideira com azeite bem quente com azeite e quando pronto junte com a mistura de cogumelos e leve a geladeira para esfriar. Tempere o Salmão com sal e pimenta do reino, passe pela quinoa para criar a crosta. Aqueça uma frigideira com azeite, coloque o Salmão com a pele virada para baixo e frite por 3 minutos, vire e deixe dourar por mais 2 minutos. O ponto ideal é bem selado por fora e dentro ainda cru.
Reserve. Acrescente folhas de manjericão, cebola roxa, sal, cebolinha, azeite e pimenta-do-reino e o limão siciliano na mistura de cogumelos. Em um prato coloque a salada de avocado e as posta de salmão.

salmao

Tempo de preparo: 25 minutos
Rendimento: 2 porções

Fonte: Middleby – grupo que reúne os melhores equipamentos para cozinhas profissionais, residenciais premium e industriais. A empresa oferece soluções completas de maneira inovadora, econômica e sustentável, buscando sempre a melhor performance e eficiência, resultando em um produto final de muita qualidade.

Boa e leve alimentação para quem ainda vai cair na folia

O chef Gustavo Pereira decidiu, no fim de 2017, que era o momento de começar uma nova jornada profissional, deixando a sua carreira como publicitário para trás e buscando sucesso em uma antiga paixão, a gastronomia. Viajou à Europa para estudar na Ferrandi Paris durante 7 meses e voltou ao Brasil começando o seu novo negócio, a Partager Buffet & Gastronomia. Aqui, ele ensina três receitas leves para quem ainda vai curtir os últimos desfiles e bloquinhos deste ano.

Quinoto de cogumelos Paris: se você gosta de risoto, aqui ele substituiu o arroz por quinoa, mais leve e satisfaz sem se sentir pesado. Se você é vegano, basta tirar o creme de leite da receita que continua super saboroso e se você gosta de carne pode incluir bacon que ajuda a dar um sabor especial. Essa é uma receita muito prática e versátil. Também pode ser um ótimo acompanhamento para carnes e peixes.

quinoto

Ingredientes

Para o quinoto  
• 2 xícaras de quinoa
• 1 xícara de chá de vinho branco
• 4 a 6 xícara de chá de caldo de legumes
• 400g de cogumelos paris
• 1 cebola pequena
• Um punhado de cheiro-verde ou coentro
• Noz moscada a gosto
• Raspas de limão siciliano a gosto
• 2 colheres de sopa bem cheia de azeite
• 1 colher de sobremesa de páprica picante
• 50 ml de creme de leite fresco
• Um punhado de tomilho fresco
• Sal e pimenta-do-reino a gosto

Para o caldo de legumes
• 3 talos de salsão
• 1 cebola
• 1 cenoura
• ½ xícara de chá de azeite
• 1 folha de louro
• Sal e pimenta-do-reino a gosto
• 2 litros de água

Modo de preparo
Coloque a quinoa de molho e troque a água três vezes até ficar com a cor clara. Reserve. Descasque a cebola o cheiro verde na ponta da faca. Em uma panela adicione o azeite e deixe aquecer. Coloque a cebola e deixe até ficar transparente. Quando estiver quente, adicione os cogumelos paris cortados em quatro e salteie até ficarem dourados. Adicione a quinoa. Misture e em seguida adicione o vinho branco e deixe evaporar ou até que reduza ao máximo.  Adicione o caldo de legumes de duas em duas xícaras por vez e abaixe o fogo. Repita este processo até que a quinoa esteja cozida. Acrescente o tomilho e o cheiro verde, misture e retire do fogo e reserve.  Com a quinoa já cozida e ainda com caldo, acrescente o creme de leite fresco e misture. Tempere com páprica picante, noz moscadas, raspas de limão siciliano, sal e pimenta do reino. Sirva em seguida.

Receita Tataki de Salmão: se está muito calor e você prefere ficar na proteína sugerimos um delicioso tataki que pode ou não acompanhar arroz ou delicioso purê de cenoura. Se gosta de agridoce pode incluir meia manga madura cortada em cubinhos.

tataki

Ingredientes
• 100 g de salmão cortado em cubos (cru)
• 200 ml de molho shoyu
• 20 ml de azeite extravirgem
• 10 ml de óleo de gergelim
• Cebolinha picada a gosto
• Gergelim a gosto
• 10g de gengibre ralado
• Amendoim a gosto

Modo de preparo
Misture em um recipiente o molho shoyu, o azeite, a cebolinha, o óleo de gergelim e o gengibre bata com um fouet até ficar homogêneo. Depois adicione o salmão em cubos (quanto mais fino melhor) e deixe marinar de por 1 hora na geladeira. Leve à mesa com o gergelim polvilhado em cima e amendoim.

Tartar de carne: outra receita fácil e para quem gosta de praticidade.

steak tartare, tartar steak, beef tartare

Ingredientes
• 200g de filé mignon fresco (nunca descongelado)
• 1 colher (sopa) de cebola picada
• 1 colher (sopa) de pepino em conserva picadinho
• 1 colher (chá) de alcaparra picada
• 1 colher (sopa) de catchup
• 1 colher (sopa) de mostarda Dijon
• 4 gotas de molho de pimenta vermelha
• 1 gema de ovo de codorna
• 8 gotas de molho inglês
• 1 colher (sopa) de ciboullete picada
• 1 colher (sopa) de salsinha picada
• Sal a gosto
• Pimenta-do-reino moída a gosto

Modo de Preparo
Com a ponta de uma faca bem afiada, corte o filé mignon em cubos bem pequenos. Em uma vasilha, coloque a carne e todos os outros ingredientes. Misture bem e sirva imediatamente. Acompanhe com torradas finas.

Molho hollandaise

Ingredientes
Suco de 1 limão siciliano grande
3 gemas
250g de manteiga
3 colheres de sopa de água
2 pitadas de sal
Pimenta branca moída na hora

Modo de Preparo
Corte a manteiga em pedaços e derreta em banho-maria. Junte a metade do suco de limão e a água numa pequena panela de fundo grosso, junte, sal, pimenta, as gemas de ovo leve ao forno médio e mexa com o fouet, fazendo um 8, bem forte e sem parar durante 2 minutos. Tire a panela do fogo, acrescente a manteiga pouco a pouco sem parar de mexer com o fouet até o molho ganhar corpo e ficar cremoso. Por último junte o resto do suco de limão. Mantenha-o quente em banho-maria até a hora de usar, mas atenção a água do banho-maria não pode ferver, correndo o risco de talhar o molho. Dixe-a sempre morna.

Fotos meramente ilustrativas

Janeiro tem Festival do Poke na rede Jin Jin

A estação mais quente do ano chegou e a Jin Jin lança mais uma campanha sazonal que promete agitar todas as lojas em janeiro: o Festival do Poke 2020.

Nesta ação, as lojas vão oferecer os pokes de Salmão Misto, Ceviche e as novidades: Vegetariano e Tropical. O objetivo do Festival do Poke é apresentar um produto diferente e típico do verão para novos clientes e também agregar valor à experiência dos clientes fiéis.

O prato, degustado pelos havaianos há centenas de anos, tem como grande estrela o peixe cru. Qual a razão do sucesso do poke? Maurício Albuquerque, superintendente da Jin Jin, explica: “É uma comida leve e saudável, acompanhada do tradicional shari (arroz para sushi), frutas como abacaxi e manga e vegetais. O prato de sucesso mundial ganha um toque especial da Jin Jin, com as novas opções tropical e vegetariano este ano”.

Conheça mais detalhes de cada poke:

poke salmao misto.png
Salmão Misto – salmão, salmão grelhado com molho tarê, cream cheese, salmão skin, pepino, couve crispy e shari.
Ceviche – ceviche, manga, sunomono, nachos, cream cheese e shari.
Tropical – salmão crispy com molho tarê, salmão cru, abacaxi caramelizado, chips de batata doce, kani, pepino e shari.

poke vegetariano.png
Vegetariano – shimeji, berinjela crispy, sunomono, mix de salada, tomate cereja e shari.

O Festival do Poke 2020 vai até 27 de janeiro. As lojas participantes podem ser conferidas no site.

 

Incluir salmão na dieta melhora imunidade e funcionamento da tireoide

Peixe é rico em vitaminas e antioxidantes que proporcionam muitos benefícios para a saúde; nutricionista do Oba Hortifruti, Renata Guirau, ensina três receitas saudáveis com o pescado: talharim com salmão, salmão com alcaparras e tartar de salmão

Ele está sempre presente no cardápio dos adeptos à alimentação saudável e não é por menos: o salmão é uma excelente fonte de nutrientes para o organismo, além de ser um ingrediente versátil e muito saboroso, como sugere a nutricionista do Oba Hortifruti, Renata Guirau.

“O peixe possui altos valores de vitaminas e minerais, que contribuem de diferentes maneiras para o bom funcionamento do corpo. As vitaminas D e as do complexo B, encontradas no salmão, atuam na saúde óssea e ajudam a fortalecer a imunidade”, ressalta a profissional.

Por ser rico em selênio, o sistema imunológico ganha mais uma força extra. A ação antioxidante desse mineral também tem uma outra função: a de estimular a tireoide a trabalhar melhor, uma vez que auxilia na formação dos hormônios dessa glândula.

salmão

Segundo a nutricionista, outro benefício bastante conhecido do salmão (e dos pescados, de modo geral), é o ômega-3, um tipo de gordura que também age como antioxidante e tem participação direta na saúde neurológica e cardiovascular. “O ômega-3 ainda contribui para a melhora dos níveis de colesterol no sangue, tanto reduzindo o LDL, como elevando o HDL”, indica Renata.

Quer mais motivos para incluir o peixe na rotina alimentar? O salmão é rico em gorduras polinsaturadas, que possuem ação anti-inflamatória e fornecem energia, e é fonte de potássio, mineral importante para o controle da pressão arterial e contração muscular.

É fato que o pescado pode proporcionar muitas vantagens para a saúde, entretanto, os preocupados com a balança precisam ficar de olho na quantidade ingerida, já que o salmão possui valor calórico mais alto, quando comparado com outros tipos de peixes.

Ainda assim, vale apostar na presença do peixe nas refeições principais do dia! Confira as receitas propostas por Renata para aproveitar todos os benefícios do salmão:

Salmão com Alcaparras Simples

Salmão-com-alcaparras-2.png

Ingredientes
4 filés de salmão
½ xícara de chá de alcaparras
1 col de sopa de manteiga
2 col de sopa de manteiga
1 dente de alho amassado
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Tempere o salmão com sal e pimenta e grelhe em uma frigideira untada com azeite. Aqueça a manteiga em uma panela, refogue o alho e acrescente as alcaparras. Refogue bem e sirva por cima dos filés de salmão grelhados.

Talharim com Salmão

Talharim-com-salmão.png

Ingredientes
500g de talharim
4 dentes de alho
2 xícaras de salmão cozido, em lascas
3 col de sopa de azeite
1/3 xícara de chá de manjericão fresco
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Cozinhe o talharim com água e sal, escorra e reserve. Aqueça o azeite e refogue o alho. Acrescente o macarrão, o manjericão e o salmão. Acerte o sal e sirva em seguida.

Tartar Fácil de Salmão

Tartar-de-Salmão--2.png

Ingredientes
300g de salmão sem pele e sem gordura
1 col de sobremesa de suco de limão siciliano
Raspas de ½ casca de limão siciliano
1 col de sopa de azeite de oliva
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Corte o salmão em pequenos cubinhos. Misture os temperos em uma tigela e acrescente o salmão picado. Coloque em potinhos, para moldar o formato do salmão.
4) Desenforme direto no prato, na hora de servir.

Fonte: Oba Hortifruti

Superalimentos são realmente bons para você?

Nos últimos anos, os superalimentos se tornaram um tópico importante. Parece que a cada poucos meses surge um novo que não apenas melhora a saúde, mas também ajuda a prevenir doenças. Embora seja indubitavelmente verdade que uma dieta saudável pode reduzir os problemas de saúde presentes e futuros, os superalimentos podem resolver todos os seus problemas nutricionais?

Não exatamente, dizem os especialistas. Como qualquer outra coisa relacionada à saúde, não há nada mágico que você possa fazer (ou comer) que mude sua vida. Em vez disso, é melhor se concentrar em pequenas mudanças em sua dieta que melhorarão sua saúde ao longo do tempo.

Além disso, muitas pessoas não percebem que só porque os superalimentos são bons para você não significa que deve comê-los em quantidades ilimitadas. Estamos falando de óleo de coco e abacate.

O que é um superalimento?

alimentacao MINIMALIST Bal
Minimalist Baker

Você pode estar se perguntando quais alimentos se qualificam para essa categoria ilusória. “Um superalimento é  rico em nutrientes considerados especialmente benéficos para a saúde e o bem-estar”, explica Amy Goodson, nutricionista esportiva. O único problema? Não há critérios definidos para diferenciar um “superalimento” de um alimento comum, portanto a linha entre alimentos saudáveis ​​e “super” é bastante embaçada.

“Os alimentos considerados ‘super’ geralmente têm níveis mais altos de nutrientes do que outros da classe”, observa Carrie Dennett, proprietária da Nutrition By Carrie com sede em Seattle. “Isso pode significar vitaminas e minerais, mas é provável que os superalimentos sejam ricos em fitonutrientes – compostos vegetais que possuem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e, às vezes, anticâncer”, explica ela. Quanto ao motivo de tanta discussão sobre superalimentos, Sheri Kasper, cofundadora da Fresh Communications, tem uma teoria.

“O termo se tornou tão popular, em parte, devido ao nosso intenso desejo de encontrar uma bala mágica nutricional: um (super) alimento especial que pode prevenir o câncer, nos tornar mais magros, evitar doenças cardíacas [insira aqui o resultado desejado para a sua saúde]. É claro que nenhum alimento pode fazer todas essas coisas. “Com base na ciência, a melhor opção é comer uma grande variedade de vegetais, frutas, grãos integrais, proteínas magras e laticínios com pouca gordura. Essa mensagem, com moderação, não é tão sexy assim. Digite: superalimentos.”

É importante comê-los?

Alimentos-que-auxiliam-a-digestao

Bem, definitivamente não vai doer se você comer superalimentos. “Os alimentos comumente referidos como super são tipicamente muito saudáveis ​​- salmão, quinoa, couve, batata doce, chia, frutas, iogurte – todos podem fazer parte de uma dieta saudável”, diz Sheri. “Nesse sentido, sim, é importante comer superalimentos. Se você pensa no total de calorias como um orçamento de alimentos, deseja obter o melhor retorno possível. A escolha de alimentos ricos em nutrientes, como a maioria dos superalimentos, garantirá a nutrição necessária para uma saúde ideal”. Dito isso, a qualidade de sua dieta é determinada pela maneira como você come em geral.

“Ter uma dieta não saudável que tenha um lado ocasional de couve ou um punhado de nozes não vai cortá-la”, diz ela.

Além disso, os especialistas alertam que confiar demais em superalimentos pode ser uma ladeira escorregadia. Por exemplo, “açafrão é uma tendência para todos”, ressalta Carrie. “Enquanto a pesquisa e a tradição apoiam alguns benefícios à saúde, o hype excede em muito a ciência atual”. O que mais faz o radar da nutricionista disparar? “Desconfio de qualquer superalimento que venha de algum local exótico e seja creditado por proporcionar saúde vibrante e eterna a uma população indígena. Em quase todos os casos, essas reivindicações são baseadas em marketing, não são científicas.”

Quais valem a pena comer?

No geral, os especialistas em nutrição aconselham que você não deve confiar apenas em um ou até em alguns superalimentos para melhorar sua saúde. “Em vez disso, concentre-se na variedade, principalmente na cor”, diz Adina Pearson. “Cada grupo de cores tem diferentes fitoquímicos e antioxidantes benéficos: vermelho / laranja / amarelo, verde, azul / roxo e até branco (couve-flor, cebola, repolho). Apontar para um arco-íris ao longo do tempo ou mesmo em uma refeição – o que for realista – ela aconselha. Para uma abordagem ainda mais simples, coma produtos sazonais para obter uma variedade natural.

No entanto, se você deseja saber quais superalimentos são os mais rentáveis, aqui estão algumas opções aprovadas por nutricionistas:

salmao

Salmão: este está no topo do gráfico de superalimentos, de acordo com Amy, por causa de seu conteúdo de ômega-3 e vitamina D. “O ômega-3 pode ajudar a reduzir a inflamação no corpo e aumentar o HDL, que é o seu bom colesterol”, diz ela. “A vitamina D é encontrada minimamente nos alimentos e é um componente essencial para a absorção de cálcio em todas as idades, tornando o salmão uma potência de nutrição, além de uma excelente fonte de proteína”.

lentilha

Lentilhas: “Graças às proteínas, e aos 19 gramas de fibra por porção, elas nos mantêm saciados e satisfeitos”, diz Sheri. “Além disso, as lentilhas são ricas em muitas vitaminas e minerais, incluindo ferro e folato, o queas tornam ótima opção para mulheres que estão grávidas ou tentando engravidar”.

0d739-couve-brocolis

Vegetais crucíferos: “Brócolis, juntamente com o restante da família dos vegetais crucíferos, é rico em uma variedade de fitonutrientes, o mais importante dos quais são os glucosinolatos”, diz Carrie. “Os glucosinolatos têm benefícios antioxidantes e anti-inflamatórios e também podem ajudar a reduzir o risco de desenvolver certos tipos de câncer. Para colher esses benefícios, invista não apenas em brócolis, mas também em rúcula, , couve, couve-chinesa, couve-de-bruxelas, couve-flor, rábano-silvestre, repolho, rabanete, rutabaga, nabo, agrião e wasabi”.

cebola e alho - hot black
Foto: Hotblack

Alho e toda a família Allium: inclui cebola, alho-poró, chalota e cebolinha. “Eles são ricos em compostos organossulfurados, um grupo de fitonutrientes que possuem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias”, diz Carrie. “Isso os torna protetores contra doenças cardíacas, câncer e outras condições de saúde que podem estar relacionadas à inflamação crônica”.

ginja cereja acida
Pinterest

Cerejas ácidas: conhecidas como ginjas ou amarenas, contêm as mais altas propriedades antioxidantes de qualquer alimento, de acordo com Amy. “Muitos atletas utilizam o suco dessa cereja”.

alga marinha

Algas: “Ricas em proteínas, ômega-3 e mais de 40 vitaminas e minerais”, observa Sheri. “Curiosamente, é uma ótima fonte de vitamina B12, o que a torna um excelente complemento para dietas veganas e vegetarianas, pois, caso contrário, a B12 só é encontrada em alimentos fortificados, carnes e laticínios”.

frutas vermelhas

Bagas: e não apenas mirtilos! “Cranberries, morangos, amoras e framboesas são todos ricos em antioxidantes, vitaminas e fibras”, diz Sheri. “Os antioxidantes nas bagas reduzem a inflamação e nos protegem de doenças como o câncer”.

Fonte: Julia Malacoff – My Domaine

Confira dez alimentos que ajudam a reduzir o colesterol

Especialista orienta que eles devem ser incluídos na dieta e não como suplementos

A alimentação saudável é a principal forma de manter as taxas de colesterol controladas, reduzindo-se as chances de acidentes vasculares cerebrais (AVC) e infarto.

“O composto que chamamos de colesterol é sintetizado no fígado e transportado no sangue pelas lipoproteínas. As mais importantes são as Lipoproteínas de Baixa Densidade [LDL] e as Lipoproteínas de Alta Densidade [HDL]”, explica a nutricionista Regina Helena Marques Pereira, do Departamento de Nutrição da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp).

A LDL é o chamado “colesterol ruim” porque está associada com o risco de desenvolver a doença coronariana. “O ideal é que sua taxa sanguínea fique abaixo de 130 mg/dl”, afirma a especialista. A HDL é o “colesterol bom”, que ajuda a remover o excesso de colesterol que entra na parede das artérias via LDL. O indicado é manter a taxa superior a 40 mg/dl. Temos ainda as VLDL, que são relacionadas ao transporte principalmente de triglicerídeos, mas também oferecem risco ao coração.

De acordo com dados do DataSUS, em 2017 ocorreram 358 mil mortes causadas por doenças do aparelho circulatório no Brasil. Significa dizer que um a cada três óbitos tem como causa problemas cardiovasculares. “É um número alto e simboliza uma morte a cada 40 segundos proveniente de doenças que podem ser diagnosticadas e controladas. Somente a prevenção, com adoção de práticas saudáveis, o diagnóstico e o tratamento podem reverter essa situação”, afirma José Francisco Kerr Saraiva, presidente da Socesp.

Segundo Regina, manter uma alimentação saudável e praticar atividades físicas são as principais ações a serem realizadas para diminuir o risco de doenças cardiovasculares causadas pelo colesterol. “O colesterol dos alimentos contribui com 30% do composto no organismo humano”, complementa a nutricionista.

A especialista elaborou uma lista com os 10 alimentos que são verdadeiros aliados na luta contra o colesterol. Confira-os, em ordem alfabética:

maionese de abacate california avocado commission
Foto: California Avocado Comission

1 – Abacate: rico em gorduras monoinsaturadas. De acordo com estudo publicado pela American Heart Association, substituir fontes de gorduras saturadas por abacate pode reduzir em até 13-14 mg/dl o colesterol total e a LDL.

aveia

2 – Aveia: rica em fibras solúveis e betaglucano, já é amplamente reconhecida como coadjuvante, pois atua em nível intestinal, diminuindo a absorção de gorduras, por meio do aumento da velocidade do fluxo intestinal, devido a sua característica para formação de gel. Mas, sua melhor versão está no farelo de aveia, que contém maior teor em fibras.

azeite

3 – Azeite de Oliva Extravirgem: alimento base da dieta do mediterrâneo, rico em ácidos graxos monoinsaturados e outros compostos também antioxidantes. Quando substituindo gorduras saturadas, promove redução nas taxas de colesterol não-HDL, ou seja, melhora a relação entre colesterol bom e ruim, favorecendo o bom.

cereal-pixabay
Pixabay

4 – Cereais integrais: devido ao seu conteúdo de fibras e vitaminas, estão também associados a menor risco de aterosclerose, atuando da mesma forma que a aveia, por meio da redução na absorção de gorduras durante a digestão dos alimentos. Também promovem mais saciedade, reduzindo o volume total de ingestão alimentar.

frutas vermelhas
Foto: Max Straeten

5 – Frutas vermelhas: ricas em polifenóis, são conhecidas por sua ação antioxidante capaz de reduzir as alterações decorrentes da oxidação das LDL, que nesta forma são mais aterogênicas.

oleaginosas pixabay
Pixabay

6 – Oleaginosas: nozes, castanhas, amêndoas etc. Ricas em ácidos graxos monoinsaturados que, assim como as poli-insaturadas, melhoram o perfil de colesterol, porém essas estão mais relacionadas com elevação do HDL, colesterol conhecido como o bom.

oleos sustentavel

7 – Óleos vegetais: ricos em ácidos graxos poli-insaturados, são associados com redução de LDL e risco cardiovascular em inúmeros estudos que usam este tipo de gordura como substituição de gorduras saturadas de origem animal e/ou vegetal.

Salmão_queridinho_Brasileiros

8 – Peixes ricos em ômega 3: salmão e sardinha são ricos neste tipo de gordura, cuja relação com redução de colesterol já é bastante conhecida. A maior ingestão de ômega 3 aumenta o conteúdo de ácidos graxos poli-insaturados no organismo o que favorece a redução do colesterol.

soja-1600 getty
Getty Images

9 – Soja: em uma revisão bibliográfica, pesquisadores da Universidade do Vale dos Sinos, do Rio Grande do Sul, avaliaram os resultados de 13 estudos internacionais, concluindo que o consumo de proteína de soja isolada (e não do grão integral) tem efeito positivo na redução de colesterol-total se consumido por 6 a 8 semanas. O consumo deve ser maior ou igual a 40g de proteína de soja por dia, contendo 80mg de isoflavonas ou mais. Porém, este consumo não é realidade em nosso país.

uvas-escuras.jpg

10 – Uva: suco concentrado, vinho tinto, uva fresca. São variantes de forma de consumo dessa fruta que contém, além dos polifenóis das frutas vermelhas, o resveratrol, composto específico da uva amplamente estudado, relacionado à redução de oxidação das partículas de LDL, melhorando sua remoção da circulação e consequente redução da formação de placas típicas da aterosclerose.

Fonte: Socesp