Arquivo da tag: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Alimentação variada e saudável: confira os alimentos que estão na época em outubro


O mês de outubro traz uma variedade de frutas e hortaliças saborosas e nutritivas, que podem ser encontradas com maior facilidade nos supermercados, feiras e sacolões. A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo lista alguns deles:

Manga tommy


É a variedade da fruta mais cultivada no país, e possui uma grande quantidade de nutrientes que são essenciais para saúde. De cor amarela avermelhada e polpa bem firme, essa fruta está associada ao fortalecimento do sistema imunológico, pelas suas boas quantidades de vitamina C. A manga é riquíssima em vitamina A, nutriente benéfico à saúde dos olhos.

Jabuticaba

Facily


A polpa da jabuticaba é rica em zinco, manganês, magnésio e potássio. Com todos esses minerais, ela desempenha papel essencial para as células cerebrais, retina, fígado, rins, músculos, cabelos e ossos. Sua casca apresenta poder antioxidante, auxiliando no fortalecimento do sistema imunológico, cicatrização e na prevenção de doenças cardíacas.

Caju

Foto: Giovanni42/Pixabay

Além da vitamina C, a fruta também contém zinco, ferro e cálcio, nutrientes eficazes no fortalecimento do sistema imunológico, no combate à anemia e no fortalecimento dos ossos. Na fruta também são encontrados muitos flavonoides, que possuem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, antimicrobianas, entre outras.

Maxixe

Cornershop


O maxixe faz parte da mesma família das abóboras, pepino, melão e melancia. Seu fruto apresenta formato oval, com casca espinhosa ou lisa, de cor verde clara. É fonte de minerais, como o zinco e é rico em cálcio e magnésio, que em conjunto são importantes para a saúde óssea e também ajudam a prevenir problemas cardiovasculares.

Mostarda

Stock Photo


Existem várias espécies de mostarda, todas da família das Brássicas, portanto próximas ao repolho e à couve-flor. O sabor picante é característico dessa hortaliça. É fonte de vitaminas C e A, de cálcio e possui teores moderados de ferro, sódio, potássio e magnésio. Os talos da mostarda são ótimas opções para enriquecer farofas, refogados e sopas. E a suas folhas podem ser usadas em pratos frios e quentes.

Alcachofra

Foto: Max Straeten/Morguefile

A alcachofra é uma hortaliça, pertencente à família Asterácea, a mesma da alface, chicória e girassol. É fonte de vitamina C, ácido fólico e minerais como magnésio e potássio. Possui poucas calorias. Pode ser utilizada em saladas, recheios, base para molhos ou acompanhamento de massas.

Receitas:

Geleia de Jabuticaba

Pinterest

Ingredientes
3 xícaras (chá) de jabuticaba (450g)
2 xícaras (chá) de água (480ml)
1/2 xícara (chá) + 3 colheres (sopa) de açúcar mascavo (105g)
Suco de 1/2 limão (12ml)

Modo de preparo
Em uma panela grande, coloque as jabuticabas já lavadas, cubra-as com água até a metade e leve para o fogo tempo suficiente para que as jabuticabas estourem e o caldo fique bem roxo, sobrando apenas as cascas. Em uma peneira coe o líquido e volte para o fogo, acrescentando o açúcar e o suco do limão. Mexa até que o líquido comece a engrossar, não deixe ficar muito grosso, pois fora do fogo ele já tende a ficar mais seco. Coloque em um recipiente de sua preferência e mantenha em temperatura ambiente. Dica: Quando esfria a geleia cria uma película em sua superfície, deixando-a semelhante a uma gelatina, basta misturar bem para que volte a consistência normal.

Rendimento: 18 Porções
Valor Calórico: 35 kcal
Peso da porção: 10g
Tempo de preparo: 55 min

Alcachofras recheadas

Cooking Channel

Ingredientes
4 alcachofras grandes (560g)
3 tomates pequenos (465g)
1 cebola pequena (100g)
1 dente de alho (2g)
3 ramos de salsinha (3g)
1 talo de salsão (50g)
2 colheres (sopa) de manteiga sem sal(40g)
Sal a gosto
½ xícara (chá) de pão amanhecido ralado (60g)
4 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado (25g)

Modo de preparo
Lave as alcachofras e cozinhe-as com água e sal por 30 minutos. Após cozidas, escorra-as, corte a ponta das folhas e reserve. Lave, retire as sementes e a pele dos tomates, pique-os e reserve. Lave, descasque e pique a cebola e o alho. Lave e pique a salsinha e o salsão e reserve. Aqueça a manteiga, doure a cebola e o alho, acrescente o tomate e cozinhe até dissolver, acrescente o sal, o pão amanhecido, a salsinha e o salsão. Recheie as alcachofras com a farofa de pão, finalize cada uma delas com o queijo ralado e leve ao forno gratinar

Rendimento: 4 Porções
Valor Calórico: 332 kcal
Peso da porção: 280g
Tempo de preparo: 50 min

Fonte: Assessoria de Comunicação Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Nutricionista da Secretaria de Agricultura de SP indica alimentos que reforçam imunidade

Alimentação saudável pode auxiliar na recuperação de doenças como dengue, o Zika virus e a Chikungunya

As águas de março podem até sinalizar o término do verão, mas a falta de cuidados com a água das chuvas recorrentes nessa época continuam formando o ambiente propício para a proliferação de mosquitos. Com a pandemia da Covid-19, muitos têm se esquecido de um outro grande vilão à saúde: o Aedes aegipty, mosquito que transmite doenças como a dengue, o Zika vírus e a Chikungunya, e se desenvolve em água limpa empoçada, local ideal para colocar suas larvas.

Então, além de seguir todas as recomendações que vêm sendo feitas neste período, como a prevenção contra focos e criadouros, é importante também manter a imunidade em alta. Nessa questão, consumir os alimentos certos é fundamental.

A nutricionista da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Sizele Rodrigues, que atua na Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), dá as dicas para uma alimentação saudável que poderá deixar adultos e crianças menos vulneráveis às gripes, aos resfriados e outras doenças que deixam o corpo dolorido e perseveram por dias e até semanas. Segundo Sizele, vale a pena pensar melhor nos alimentos ingeridos, o que poderá não imunizá-lo totalmente, mas certamente vai contribuir para não contrair as doenças e, caso aconteça, ter uma melhor e mais breve recuperação.

“Manter uma alimentação saudável e adequada é um fator de extrema importância para o fortalecimento do sistema imunológico. Alguns nutrientes encontrados nos alimentos desempenham a função de modular a resposta imune do corpo e com isso ajudam a prevenir o desenvolvimento de diversas doenças”, afirma Sizele.

O sistema imunológico é a principal defesa do corpo humano, atuando contra inúmeras substâncias estranhas e essencial na prevenção de infecções. São vários os fatores capazes de influenciar o funcionamento desse sistema, como a idade, os fatores genéticos, metabólicos, ambientais, anatômicos, fisiológicos, nutricionais e microbiológicos, mas uma boa alimentação é a base de um bom funcionamento do corpo humano.

Alimentos que auxiliam a imunidade, aliado a exercícios físicos e boas horas de sono podem fazer a diferença

Steve Buissinne/Pixabay

A vitamina C ou ácido ascórbico possui papel importante no fortalecimento da imunidade por ter propriedades antioxidantes e auxiliar na integridade das células de defesa, o que aumenta a resistência contra infecções. Frutas como laranja, tangerina, limão, acerola, morango e goiaba são importantes fontes de vitamina C.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) a ingestão diária de 45mg de vitamina C, ou o consumo de apenas uma laranja por dia já supre essa necessidade no organismo. Muitos estudos apontam que 200mg/dia de vitamina C pode ser bastante benéfico à saúde e pode ser alcançado com apenas um copo grande (400ml) de suco da fruta. Já a deficiência severa de vitamina C pode levar ao aparecimento de escorbuto, doença caracterizada por hemorragias, sangramento de gengivas, dores musculares e queda de dentes em crianças e adultos.

“Apesar de o ácido ascórbico estar diretamente relacionado à boa imunidade, uma alimentação realmente capaz de proteger o organismo de doenças deve ser rica em várias outras vitaminas e minerais que estão presentes nos mais diversos tipos de alimentos. Portanto, as refeições diárias devem ser bem completas e equilibradas”, ensina Sizele Rodrigues.

Capri23auto/Pixabay

A vitamina A, encontrada em alimentos vermelhos e alaranjados, como cenoura, manga, abóbora e tomate, é outro nutriente importante na manutenção da integridade das células de defesa.

A vitamina E ajuda a proteger células contra substâncias tóxicas e favorece a função imunológica. As castanhas, o amendoim, as sementes de girassol e os vegetais verdes escuros, como brócolis, couve, por exemplo, são ricos neste nutriente.

Pixabay

O zinco é um mineral que está altamente relacionado ao fortalecimento do sistema imune, e é encontrado em carnes, laticínios, frutos do mar e cereais.

Além destes nutrientes, Sizele recomenda o consumo de probióticos, como o iogurte natural, por contribuir para o equilíbrio da microbiota intestinal e auxiliar as células de defesa no combate às infecções.

Pouring water from bottle into glass on blue background

E, claro, não se deve esquecer que a boa hidratação também é fator essencial para manter a imunidade em alta. A ingestão de dois litros, em média, de água por dia é fundamental, lembrando que não basta apenas se alimentar bem e ingerir água, é preciso aliar a essa alimentação saudável e balanceada, horas de sono regulares e a prática de exercícios físicos. “Controlar o estresse é imprescindível para o funcionamento do sistema imunológico e, consequentemente, para a prevenção de doenças”, afirma a nutricionista.

No mês de março é fácil encontrar, além das laranjas e limões, alimentos ricos em nutrientes para consumo durante todo o ano. A goiaba, a acerola e o caqui são algumas das frutas da época, o melhor momento para degustá-las por terem mais qualidade e sabor.

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Alimentação ajuda a manter a saúde da pele no verão

A pele é o maior sistema orgânico do corpo humano e constitui uma barreira protetora do organismo contra agressões do meio externo. Aproximadamente 70% de sua composição é água e no verão ocorre grande perda de líquido corpóreo devido às altas temperaturas, portanto, manter a hidratação adequada é de extrema importância, principalmente nessa época do ano.

Nutricionistas da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, que atuam na Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), dão algumas dicas de como a alimentação pode ser uma aliada para manter a saúde da pele.

A exposição constante e excessiva ao sol é um dos principais responsáveis por acelerar o envelhecimento e causar doenças de pele. O uso de protetor solar é utilizado como barreira física, mas a fotoproteção interna, ou seja, o aumento do consumo de alguns nutrientes presentes nos alimentos, também é essencial. Uma dieta rica em alguns componentes, como o betacaroteno, o licopeno, e o ômega 3, pode contribuir para a proteção da pele, contra raios ultravioletas.

Alimentos como cenoura, pimentão, abóbora, mamão e manga fornecem boas quantidades de betacaroteno, um potente antioxidante, que auxilia na proteção das células do organismo contra a ação de radicais livres e ajuda a prevenir o envelhecimento precoce da pele.

Segundo as nutricionistas da Secretaria, para se obter um efeito antioxidante potencializado, basta combinar o betacaroteno com outros tipos de carotenoides como o licopeno, encontrado principalmente no tomate, pimenta, morango e melancia; a luteína, presente nos folhosos verde-escuros e no pimentão amarelo também é uma ótima combinação; já os micronutrientes como vitamina E, manganês, selênio e zinco, em quantidades adequadas, agem neutralizando os efeitos nocivos dos radicais livres.

Os peixes como a sardinha e o salmão são ricos em ômega 3, que além de contribuir para o equilíbrio da dieta, é também um anti-inflamatório muito útil na prevenção e tratamento de problemas da pele.

Como pode se observar, a alimentação tem uma forte influência sobre a saúde da pele. As melhores escolhas alimentares são essenciais para a redução do impacto solar e promoção do bem-estar na estação mais quente do ano. Siga as orientações e aproveite muito esse verão.

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Saiba quais vegetais estão na época e aprenda receitas

Alimentos como mandioca, cará e abóbora podem ser facilmente encontrados à venda e têm um preço mais acessível por estarem na época. Nutritivos, eles podem enriquecer caldos e sopas, tradicionais na estação do inverno que se aproxima, além de tortas e outras receitas cheias de sabor.

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), lista os principais vegetais disponíveis nesta época, contribuindo para uma alimentação mais saudável à população. Saiba mais sobre eles:

Mandioca

mandioca
É uma excelente fonte de carboidratos, rica em amido, tornando-se assim um alimento altamente energético, que contém razoáveis quantidades de vitaminas do complexo B, cálcio, magnésio e fósforo. É bastante usada como farinha, polvilho e tapioca, além de compor diversas preparações.

Abóbora

legumes aboboras
Rica em betacaroteno, um precursor da vitamina A, importante antioxidante que tem como função neutralizar radicais livres, prevenir doenças cardíacas e reforçar o sistema imunológico. Além disso, suas sementes são boas fontes de fibra; proteínas; vitaminas do complexo B; magnésio, que regula as contrações musculares e ômega 3 e 9, ácidos graxos mono insaturados, que ajudam a controlar os níveis de colesterol no sangue e previnem doenças cardiovasculares.

Cará

cara pinterest
Pinterest

É rico em carboidratos. Esse alimento possui bastante fibras, em especial a pectina, que auxilia na saciedade e consequentemente, no controle do peso corporal. É muito nutritivo e apresenta grandes quantidades de potássio, selênio, iodo, ácido fólico, vitamina C e vitaminas B6 e B12.

Batata doce

batata doce pinterest
Pinterest

É um carboidrato complexo de baixo índice glicêmico, o que significa que sua absorção é mais lenta, ou seja, não eleva os níveis de glicose no sangue rapidamente, desta forma, fornece uma energia prolongada ao organismo, o que é bastante vantajoso, principalmente para praticantes de atividade física. Rica em fibras, ela também é fonte de ferro e potássio, além de conter vitaminas E, C e A.

Inhame

inhame szafirek
Foto: Szafirek

Tubérculo que, além de ser uma excelente fonte de energia, contêm proteínas e é rico em fibras e minerais como fósforo e potássio, destaca-se ainda por apresentar vitaminas do complexo B. Alguns estudos apontam que o inhame é um alimento com diversas propriedades funcionais, podendo agir como antioxidante, anti-inflamatório, regulador hormonal e estimulante do sistema imunológico.

Mandioquinha

mandioquinha
Alimento rico em carboidratos, ou seja, uma ótima fonte de energia. Além disso, é rica em fibras que auxiliam no bom funcionamento intestinal e na saúde do trato digestório. Contém magnésio, cálcio e vitaminas A, C e E, nutrientes aliados no controle e prevenção de diversas doenças.

Confira duas receitas:

Pão de mandioquinha com alecrim e orégano

MANDIOQUINHA PAO BEIJU FOOD
Foto meramente ilustrativa: Beiju Food

Ingredientes
1 ramo de alecrim (2 g)
2 ramos de orégano (1 g)
1 mandioquinha grande (220 g)
1 ovo médio (65g)
1/4 xícara (chá) de óleo de soja (60 ml)
3/4 xícara (chá) de polvilho azedo (100 g)
1/2 xícara (chá) de polvilho doce (60 g)
1/2 colher (chá) de sal (3 g)

Modo de Preparo
Lave, desgalhe e pique o alecrim e o orégano. Lave, descasque e corte em rodelas a mandioquinha. Cozinhe-a até que fique macia e amasse para obter um purê. Adicione ao purê, o ovo, o óleo, os polvilhos azedo e doce, o sal, o alecrim e o orégano e misture bem com as mãos até formar uma massa homogênea. Modele bolinhas, coloque em uma assadeira e leve para assar em forno médio por 30 minutos.

Rendimento: 15 porções
Peso da Porção: 25 g (1 unidade)
Valor Calórico da Porção: 91 kcal
Tempo de Preparo: 1h

Iogurte de morango com inhame

iogurte morango inhame pinterest
Foto meramente ilustrativa/Pinterest

Ingredientes
3 inhames médios (720g)
15 morangos médios (240g)
1 limão Taiti médio (105g)
2 xícaras (chá) de água (480ml)
2 colheres (sopa) de mel (50g)

Modo de Preparo
Lave, descasque e pique os inhames e reserve. Lave, retire as folhas e higienize os morangos e reserve. Lave o limão, esprema-o e reserve o suco. Leve ao fogo uma panela com a água. Após levantar fervura, coloque o inhame e deixe cozinhar até amolecer o centro. Escorra a água, reservando 1 xícara (chá) da água de cozimento. Em um liquidificador, coloque o inhame e a água reservada e bata até obter uma pasta. Acrescente os morangos, o suco do limão e o mel e bata até obter um creme homogêneo. Despeje o conteúdo em uma jarra e leve à geladeira. Sirva gelado.

Rendimento: 31 porções
Peso da porção: 45g
Valor calórico da porção: 37 Kcal
Tempo de preparo: 35min

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Cogumelos são gostosos e saudáveis: aprenda receitas de pratos nutritivos

Incentivar o consumo desse produto rico vitaminas essenciais e proteína é uma forma de turbinar sua saúde, imunidade e de auxiliar seus pequenos e médios produtores neste momento de crise. A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo tem desenvolvido diversas ações para evitar ou reduzir a perda da produção desses agricultores junto à chefes de cozinha renomados, à bancos de alimentos e ao incentivo de venda direta aos consumidores, por meio de delivery. Que tal aproveitar a chegada do final de semana para preparar um prato gostoso e nutritivo com esses fungos?

A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) e a Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), ambas instituições ligadas à Secretaria de Agricultura, possuem o livro “Cogumelo – Variedades e Receitas”, com informações e receitas sobre os diversos tipos de cogumelo, como o cogumelo Champignon de Paris, Portobello, Shiitake, e Shimeji. Segundo a publicação, os cogumelos são importantes na dieta alimentar, devido à presença de proteínas de alto valor biológico em sua composição, carboidratos, fibras, vitaminas do complexo B, minerais e baixa quantidade de gordura.

“Cogumelos ainda são a única fonte não animal de vitamina D natural. Todas as outras fontes alimentares naturais de vitamina D são de origem animal, de aves ou frutos do mar. Os cogumelos cultivados contêm um esterol vegetal chamado ergosterol, que é o precursor da vitamina D². Em cogumelos frescos, o ergosterol é estimulado a converter em vitamina D² pela luz ultravioleta, luz solar ou luzes artificiais”, afirma Daniel Gomes, pesquisador da APTA. Os níveis de vitamina D de variedades comuns de cogumelos estão listados abaixo para uma porção padrão de 100 g. Recomenda-se 200 UI para adultos até os 50 anos.

Variedade de cogumelo

cogumelos

Champignon de Paris – 3 Unid/100g – 4% do % Diaria (200 UI)
Shiitake (Cozido) 26 Unid/100g – 13% do % Diaria (200 UI)
Fonte: USDA National Nutrients Database
*15% do consumo da necessidade diária de vitamina D, é considerada um ótimo consumo por poção.

Como escolher cogumelos

cogumelo_portobello

Cada cogumelo comestível possui uma forma, sabor e textura, o que proporciona diversos tipos de preparação pelos consumidores. Na hora de comprar no mercado, é preciso estar atento se o cogumelo está firme, se apresenta cheiro agradável, coloração uniforme e um leve brilho na superfície. “Eles não devem ter danos físicos, como amassados, arranhões, estarem partidos ou quebrados, encharcados, manchados, com a presença de bolor e insetos dentro da embalagem”, afirma Gomes.

Por serem vendidos frescos, eles podem conter pequenos resquícios de terra de cultivo, o que é normal. A limpeza, no momento da preparação do prato, deve ser feita com um pano. Além da versão fresca, os consumidores podem adquirir os produtos enlatados ou em conservas.

A APTA desenvolve diversas pesquisas científicas e ações que visam incentivar o consumo de cogumelos frescos e possui forte atuação junto à cadeia de produção e suas associações. As pesquisas desenvolvidas pela Agência em pós-colheita, por exemplo, resultam em melhorias aos cogumelos comercializados. Além disso, Gomes atua em algumas áreas da gastronomia em conjunto com chefes de cozinha e revistas de gastronomia para levar o cogumelo em grandes eventos do setor, aproximando produtores, chefes e consumidores.

Risoto de Shiitake

Jeferson Urias Urias por Pixabay risoto shitake cogumelo
Foto meramente ilustrativa: Jeferson Urias Urias/Pixabay

Ingredientes: Caldo de frango
1 peito de frango sem pele (150 g)
3 e ½ xícaras (chá) de água
1 colher (chá) de alecrim
1 colher (chá) de ervas finas
1 colher (chá) de tomilho
6 ramos de salsinha
2 colheres (chá) de sal

Modo de preparo
Lave o frango e reserve. Em uma panela, coloque o frango, a água, os temperos e o sal. Deixe cozinhar por aproximadamente 20 minutos e reserve o caldo.

Ingredientes: Risoto
1 bandeja de cogumelos Shiitake (200g)
2 e ½ colheres (sopa) de manteiga
1 cebola pequena
2 dentes de alho médios
1 colher (sopa) de azeite
1 xícara (chá) de arroz arbóreo
¼ xícara (chá) de queijo parmesão ralado

Modo de preparo
Lave os cogumelos, corte-os em lâminas e reserve. Em uma panela, derreta suas colheres (sopa) de manteiga, refogue os cogumelos e reserve. Descasque, lave e pique a cebola e o alho. Em uma panela, refogue no azeite, a cebola e o alho e acrescente o arroz. Em seguida, coloque uma xícara (chá) do caldo de frango quente e deixe secar um pouco. Coloque mais meia xícara (chá) do caldo, deixe secar e repita o processo por mais duas vezes. Depois de pronto, acrescente o cogumelo, coloque o restante da manteiga e o queijo parmesão ralado. Deixe descansar na panela tampada por cerca de cinco minutos. Sirva quente.

Bolinho de arroz com cogumelos Portobello

BOLINHO ARROZ COGUMELO ANPC
Foto meramente ilustrativa/ANPC

Ingredientes
¼ de cebola roxa média
2 dentes de alho pequeno
1 ramo de cebolinha
4 ramos de salsinha
1 xícara (chá) de cogumelo Portobello
2 xícaras (chá) de arroz cozido
2 ovos
2 colheres (sopa) de leite integral
¾ xícara (chá) de farinha de trigo
3 xícaras (chá) de óleo de soja

Modo de preparo
Lave, descasque e pique a cebola roxa e o alho. Lave e pique a cebolinha, a salsinha e o cogumelo. Misture todos os ingredientes picados com o arroz cozido, os ovos, o leite e acrescente a farinha, aos poucos, para dar liga. Em seguida, faça bolinhos, modelando com duas colheres e disponha-os em uma assadeira untada com óleo, ou com papel manteiga. Leva ao freezer para congelar, por aproximadamente 50 minutos. Em uma panela, aqueça o óleo de soja. Retire os bolinhos do freezer e frite-os por imersão no óleo quente. Escorra-os em papel absorvente e sirva em seguida.

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Conheça os tubérculos, verduras e legumes que estão na época

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo desenvolve, por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), um trabalho de incentivo ao consumo de alimentos da época, os quais estão mais maduros, nutritivos e apresentam um melhor custo-benefício.

Saiba quais são os tubérculos, verduras e legumes que estão na época em maio:

batata doce szafirek
Foto: Szafirek/Morguefile

Batata-doce: possui um carboidrato complexo de baixo índice glicêmico, o que significa que sua absorção é mais lenta, ou seja, não eleva rapidamente os níveis de glicose no sangue. Dessa forma, fornece uma energia prolongada ao organismo, o que é bastante vantajoso, principalmente para praticantes de atividades físicas. Rica em fibras, ela também é fonte de ferro e potássio, além de conter vitaminas E, C e A.

leite_inhame

Cará e inhame: são tubérculos que, além de serem uma excelente fonte de energia, contêm proteínas e são ricos em fibras e minerais, como fósforo e potássio. Destacam-se ainda por apresentar vitaminas do complexo B. Alguns estudos apontam que o inhame é um alimento com diversas propriedades funcionais, podendo agir como antioxidante, anti-inflamatório, regulador hormonal e estimulante do sistema imunológico.

mandioca

Mandioca: é uma excelente fonte de carboidratos, rica em amido, tornando-se assim um alimento altamente energético, contendo ainda razoáveis quantidades de vitaminas do complexo B, cálcio, magnésio e fósforo. É um alimento muito reconhecido no Brasil por representar sua cultura, principalmente no Nordeste, e é usada como farinha, polvilho e tapioca, além de marcar presença em algumas preparações como baião de dois.

mandioquinha

Mandioquinha: é um alimento fonte de energia, por conter carboidratos. Apresenta alto teor de vitaminas do complexo B e vitamina C, o que auxilia no fortalecimento do sistema imune. Na culinária, tem grande versatilidade, podendo ser assada ou cozida e, ainda, utilizada em preparações como bolos, pães, caldos, entre outros.

alface pixabay
Pixabay

Alface: é cultivada no mundo inteiro e apresenta diversas variedades de folhas, cores, formas e texturas. É uma das verduras mais consumidas devido à suavidade no sabor. Entre as variedades mais comuns, encontram-se a alface-crespa e a alface-americana. Dentre os nutrientes mais abundantes neste vegetal, encontram-se o potássio, cálcio, fósforo e vitaminas do complexo B.

chicoria pixabay
Pixabay

Chicória: rica em antioxidantes, que combatem o envelhecimento precoce, a chicória ainda é rica em vitamina K e minerais como o zinco, que auxiliam no sistema imune.

espinafre

Espinafre: é uma verdura de cor verde-escura, muito rica em minerais como ferro, fósforo e cálcio e em vitamina A, além de apresentar algumas vitaminas do complexo B e uma grande quantidade de fibras, que são responsáveis por melhorar o trânsito intestinal. Dessa forma, seu consumo é bastante recomendado para idosos.

salada de repolho

Repolho: é bastante utilizado em saladas, refogados e assados. É rico em vitaminas no complexo B, vitaminas A e C, que auxiliam na saúde da visão e do sistema imune, respectivamente, além de ser fonte abundante de fibras, que ajudam no bom funcionamento intestinal.

abobora

Abóbora: é rica em betacaroteno, um precursor da vitamina A, importante antioxidante, que tem como função neutralizar radicais livres, prevenir doenças cardíacas e reforçar o sistema imunológico. Além disso, suas sementes são boas fontes de fibras; proteínas; vitaminas do complexo B; magnésio, que regula as contrações musculares; e ômega 3 e 9, ácidos graxos monoinsaturados, que ajudam a controlar os níveis de colesterol no sangue e previnem doenças cardiovasculares.

chuchu
Pixabay

Chuchu: é rico em água, ajuda na reposição de líquidos corporais, além de conter minerais como cálcio, que favorece a saúde dos ossos e dentes, e ferro, que atua no combate à anemia ferropriva.

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Alimentos funcionais: contribuição para uma vida saudável

A alimentação exerce forte influência na vida das pessoas, a escolha dos alimentos é fundamental para uma vida equilibrada e saudável. Isso é fato, além de conferirem sabor, as plantas também podem ajudar a combater alguns males, prevenir outros. A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, via extensão rural exercida pelos extensionistas da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS) tem procurado ao longo dos anos oferecer vários treinamentos para que tanto a população rural, quanto urbana possam se beneficiar do uso das plantas em sua alimentação, atingindo, dessa forma, toda uma cadeia produtiva, ou seja, oferecendo alternativas para o cultivo no campo até o consumo.

Então por que não se integrar a essa corrente pela alimentação saudável e deixar um espaço em seu quintal, jardim, varanda, para um verde que além de embelezar, pode contribuir com novos hábitos alimentares? Esse momento de ficar em casa pode ser também um bom momento para o cultivo desses novos hábitos.

A engenheira agrônoma da Divisão de Extensão Rural da CDRS, Maria Cláudia Silva Garcia Blanco, tem levado esse questionamento em treinamentos gratuitos que oferece em várias regiões do Estado, sob demanda das Casas da Agricultura. Para entrar nesse mundo dos alimentos funcionais, Maria Cláudia explica que “são aqueles que, além de nutrir, possuem componentes ativos que atuam no organismo produzindo efeitos benéficos para a saúde, podendo auxiliar na redução do risco de diversas doenças, principalmente as crônico-degenerativas como diabetes, câncer, osteoporose, doenças cardiovasculares, entre outras.

Podem produzir efeitos protetores e de defesa no organismo que, no dia a dia, são gerados por diversos fatores externos, promovendo a inativação dos radicais livres formados a partir de maus hábitos da vida moderna, como o consumo abusivo de alimentos industrializados ricos em corantes artificiais e/ou conservantes, frituras, açúcares, carboidratos refinados, temperos industrializados, embutidos, entre outros e o baixo consumo de frutas, verduras e legumes”.

Ervas aromáticas

modernas ervas giuliana flores

O olfato, a visão e o paladar são sentidos fundamentais para a apreciação e o consumo dos alimentos. Os pratos que contêm ervas exalam um aroma especialmente agradável, que provoca aumento na salivação, facilitando a digestão, mastigação, deglutição e degradação dos nutrientes, colaborando com a absorção e o aproveitamento dos nutrientes pelo organismo.

Embora as ervas aromáticas possuam vitaminas A, C, do complexo B e fibras, elas não podem ser consideradas fontes desses nutrientes, uma vez que a quantidade consumida geralmente é pequena; mas o consumo diário, associado a uma dieta saudável e equilibrada, colabora com a reposição de alguns nutrientes, mesmo em pequenas quantidades. E como as ervas possuem compostos bioativos, elas podem auxiliar na redução de risco e/ou na prevenção de doenças como câncer, hipertensão, doenças coronarianas, diabetes, doenças autoimunes e osteoporose.

A característica comum entre as ervas aromáticas, a qual lhes confere a propriedade de aromatizar e temperar, é a produção de óleo essencial típico do metabolismo destas espécies. O óleo essencial é bastante volátil e é encontrado na planta em estruturas especializadas como os pelos glandulares e as bolsas secretoras.

As ervas aromáticas possuem um valor energético desprezível, porém uma quantidade relevante em antioxidantes, por isso se enquadram na família dos alimentos funcionais. Elas podem ser utilizadas frescas ou secas, lembrando que as frescas contêm mais vitaminas e minerais do que as secas. Como o calor faz a erva liberar a molécula responsável pelo aroma, recomenda-se o uso das ervas frescas no final do cozimento.

Considerando a relevância dos compostos benéficos à saúde associados às plantas e ervas aromáticas e medicinais, é bom saber que esta riqueza é muito simples de ser utilizada na culinária convencional, desmistificando seu uso somente por grandes chefes de cozinha, em pratos mais elaborados. Além disso, é relativamente fácil o cultivo doméstico das plantas aromáticas e medicinais, podendo ser realizado em canteiros ou até mesmo em vasos.

Como dito pelo “pai da Medicina”, Hipócrates, “adoecemos à medida que nos distanciamos da natureza”. Atualmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda no máximo 2g de sódio por pessoa/dia, o que equivale a 5g de sal, mas os brasileiros consomem mais que o dobro da quantidade recomendada. As ervas aromáticas são aliadas na diminuição do consumo exagerado do sal, pois uma vez misturadas a ele, é possível reduzir, proporcionalmente, pela metade o seu uso. Essa substituição ainda acentuará o sabor das preparações, conferindo um paladar mais agradável aos alimentos.

manjericao crative commons
Foto: CreativeCommons

O manjericão (Ocimum basilicum) é muito utilizado na culinária italiana no preparo de molhos de tomate, pesto, tempero de carnes, saladas, omeletes e como aromatizador de azeites. O manjericão também é conhecido por ter propriedades antioxidantes muito potentes, que podem proteger o corpo contra os danos dos radicais livres, prevenindo o envelhecimento celular, as doenças comuns de pele, além de acalmar os espasmos digestivos.

Alecrim MGD©
Alecrim – Foto: MGD©

O alecrim (Rosmarinus officinalis), planta originária do Mediterrâneo, é empregado em temperos de carnes, aves, peixes, além de ser um excelente aromatizador de água de cozimento. É também conhecido como erva da lembrança, pois revigora a memória e melhora o humor, além de melhorar a circulação, ter efeito antidepressivo, antisséptico e estimulante da digestão.

salsinha

A salsa (Petroselinum crispum) é riquíssima em nutrientes como vitamina A, do complexo B e C e sais minerais, e pode enriquecer molhos, patês, saladas, legumes, peixes, sopas, guisados. Seu consumo alivia os sintomas de bronquite, asma, cólicas menstruais e cistite, além de auxiliar no tratamento de cálculos renais e cólicas.

green leaf plant on wooden surface
Foto: Nika Akin/Pexels

A sálvia (Salvia officinalis) é usada para aromatizar carnes, aves, peixes, vegetais, molhos e queijos. Possui sabor e aroma muito característicos, portanto a mistura com outras ervas deverá ser cautelosa a fim de evitar a perda desse aroma. Ela possui ação antioxidante, é digestiva, auxilia no tratamento de problemas de fígado, ansiedade, depressão e sintomas da menopausa.

hortelã
Foto: Maria Mas/Morguefile

A hortelã (Mentha crispa) com folhas arredondadas e muito perfumadas, é indicada para sucos, chás, saladas, molhos e cozidos. No Nordeste do Brasil é usada no combate de parasitas intestinais em crianças; também é estimulante e digestiva.

tomilho

O tomilho (Thymus vulgaris), muito utilizado nas preparações à base de tomate, enriquece o sabor de sopas, peixes, carnes, saladas e vinagres. Possui ação expectorante, desinfetante e antisséptica, além de ser digestivo.

acafrao condimento especiaria pixabay
Pixabay

O açafrão-da-terra (Curcuma longa) é uma preciosa especiaria e tem sido muito estudado pelos seus possíveis benefícios na prevenção e no tratamento do mal de Alzheimer. Suspeita-se que ele seja mais eficaz se associado à vitamina D3. Seus benefícios seriam decorrentes da ação anti-inflamatória e antioxidante e na remoção das placas b-amiloides do cérebro, características da doença. Outras ações benéficas da planta estão ligadas à prevenção de cânceres gástricos, de cólon, oral, esofágico, de mama e pele, segundo o American Institute for Cancer Research. Na culinária, podem ser utilizados seus próprios rizomas ou em pó para colorir laticínios, bebidas, sopas, risotos, ensopados, massas, frango, batatas e até pães.

oregano pixabay
Foto: Pixabay

O orégano (Origanum vulgare) é muito conhecido, tipicamente utilizado como finalizador em pizzas, também é empregado em molhos, massas e ensopados. Tem ação no processo digestivo, é analgésico, auxilia no tratamento de gripes e resfriados, pois possui ação antimicrobiana semelhante ao ácido acetilsalicílico, assim como o tomilho e o alecrim.

Fonte:  Maria Cláudia Silva Garcia Blanco – Engenheira Agrônoma (Divisão Extensão Rural – CDRS/SAA)

Um pouco de história

alecrim oregano casa

O uso terapêutico de plantas medicinais é um dos traços mais característicos da espécie humana, tão antigo quanto o Homo sapiens e utilizado por praticamente todas as civilizações e/ou grupos culturais desde os primórdios da humanidade. Assim, desde tempos remotos, o homem dependeu do uso de plantas para temperar e conservar alimentos, no preparo de perfumes e medicamentos e para proteção na construção de abrigos, sendo amplamente produzidas em hortas e jardins desde a Antiguidade.

Algumas crenças ainda associavam o uso de ervas aromáticas aos rituais sagrados, pelo fato de exalarem odor marcante ao serem queimadas. Com o passar dos anos, começaram a ser usadas no tratamento de doenças, feridas e contusões. Nas civilizações orientais, as plantas eram principalmente utilizadas na prevenção das doenças e, ainda hoje, a medicina chinesa as emprega com bons resultados.

Nas civilizações Grega e Romana, os banhos aromáticos com anis, cominho, mirra e tomilho eram indicados no tratamento de ‘doenças da mulher’. Assim, a natureza veio proporcionando aos homens uma infinidade de plantas com valores medicinal, nutricional e funcional. Hoje, as pesquisas científicas comprovam e atestam essas propriedades.

Receitas

Patê de ricota com hortelã

pate paes thetalent zone
Foto meramente ilustrativa – TheTalentZone

Ingredientes:
250g de ricota;
1 pote de iogurte natural;
2 colheres (sopa), bem cheias, de hortelã picada
cebola ralada, salsa fresca picada e sal a gosto.

Modo de preparo:
Amassar a ricota com o garfo, adicionar os demais ingredientes, misturando bem.
Servir o patê com pão, biscoitos, cenoura crua cortada em palitos ou talos de salsão.

Frango assado inteiro

frango assado com ervas e limão
Foto meramente ilustrativa – Foto: Paleo Newbie

Ingredientes:
1 frango inteiro, de tamanho médio;
1 limão;
1 colher (sopa) rasa de sal;
3 colheres (sopa) de margarina;
1 cebola picada em pedaços grandes;
2 dentes de alho;
2 colheres (café) de alecrim ou estragão seco ou 1 colher (sobremesa) cheia de alecrim ou estragão fresco.

Preparo:
Retirar o excesso de gordura do frango e passar o caldo do limão, por dentro e por fora do frango; colocar dentro do frango a margarina, a cebola picada, o alho amassado e o alecrim ou o estragão; levar para assar em forno quente, com o lado do peito virado para cima, regando sempre que possível, ou, se preferir, colocar em papel ou plástico especial para assados. Servir quando estiver corado.

Pão de ervas e temperos

pao com ervas melissas southern style kitchen
Foto meramente ilustrativa – Melissa’s Southern Style Kitchen

Ingredientes:
1 xícara (chá) de óleo;
2 colheres (sopa) rasas de açúcar;
1 xícara (chá) de leite morno;
3 ovos;
1 colher (sopa) cheia de sal;
3 cebolas médias;
½ maço de cheiro-verde (salsinha e cebolinha) picado;
2 colheres (sopa) de orégano;
½ maço de manjericão (ou manjerona) picado;
3 dentes de alho;
3 tabletes ou 45 gramas de fermento biológico (de pão)
farinha de trigo – cerca de 1 quilo.

Modo de preparo:
Bater no liquidificador o óleo, o açúcar, o leite, os ovos, o sal, as cebolas, o alho, o orégano, as outras ervas e o fermento; acrescentar farinha de trigo aos poucos, mexendo sempre com uma colher. Quando ficar difícil de mexer, continuar acrescentando a farinha de trigo, sovando a massa até não grudar mais nas mãos (cuidado para não colocar farinha demais, deixará a massa dura). Transferir a massa para uma mesa e continuar sovando no sentido das laterais para o centro, até que fique homogênea. Fazer uma bola com toda a massa e deixar crescer, coberta por um pano de prato limpo, até dobrar de volume. Fazer os pães no formato desejado e deixá-los crescendo nas assadeiras, cobertos com pano de prato limpo, até que, quando pressionados com o dedo, a massa permaneça afundada, não retornando ao ponto original. Assar com o forno em temperatura baixa e aumentar para média somente pouco antes de começar a dourar.

Receitas elaboradas e testadas na Cozinha Experimental da CDRS pela nutricionista Beatriz Cantusio Pazinato da Divisão de Extensão Rural – CDRS/SAA

Legumes e frutas da época: consuma alimentos de qualidade por um bom preço

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo desenvolve, por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), um trabalho de incentivo ao consumo de alimentos da época, os quais estão mais maduros nutritivos e apresentam um melhor custo beneficio.

Conheça os legumes e frutas da estação:

abobrinha
Pixabay

– Abobrinha:  possui em sua composição muita água e grande quantidade de fibra, vitaminas do complexo B e magnésio. Auxilia no sistema digestivo e no sistema imunológico. Pode ser consumida de diversas formas, entre elas, substituindo massa em algumas preparações, além de ser pouco calórica.

beterraba

– Beterraba: tubérculo muito comum e muito utilizado na Rússia. Ela possui fibras; antioxidantes como os carotenoides e flavonoides; minerais como zinco, magnésio, fósforo, potássio e ferro; vitamina A e vitamina C. Pode ser consumida crua, cozida e assada em diversas preparações.

beringela pixabay

– Berinjela: hipocalórica, contendo apenas 20kcal em 100g do alimento. Além disso, é rica em antocianina, (um antioxidante que age na prevenção de câncer e doenças cardíacas), e também em fibras, que auxiliam no bom funcionamento do intestino, evitando a constipação.

jilo-7

– Jiló: possui grande quantidade de água em sua composição sendo fonte de fibras e possui alguns micronutrientes como: ferro, potássio, vitamina A.

kiwi

– Kiwi: considerada uma das frutas com maior quantidade de vitamina C, o que ajuda no fortalecimento do sistema imunológico e no combate aos radicais livres. É uma fonte muito importante de ácido fólico, que tem papel fundamental na gravidez, em fase de crescimento e no processo de cicatrização. Além disso, possui uma enzima que facilita a digestão e grande quantidade de fibras que ajudam no funcionamento intestinal e no controle do colesterol.

caquis

– Caqui: fonte de vitaminas E e C e de sais minerais, como fósforo. Além disso, é rico em betacaroteno, precursor da vitamina A, um importante antioxidante que auxilia na visão e na manutenção da pele e das unhas saudáveis.

abacate

– Abacate: fruta tida como vilã por seu alto valor calórico, porém, o seu consumo como parte de uma alimentação saudável, pode trazer diversos benefícios à saúde. As gorduras presentes no abacate são insaturadas, ou seja, previnem doenças cardiovasculares e atuam na redução do LDL e aumento do HDL. Além disso, ele possui glutationa, um importante antioxidante, que neutraliza a ação de radicais livres e combate o envelhecimento precoce.

Torta rústica de ratatouille

torta ratatouille creative market
Foto meramente ilustrativa / Creative Market

Massa
Ingredientes
3/4 de xícara (chá) de farinha de trigo integral (105g)
1/2 xícara (chá) de farinha de trigo (65g)
1/2 colher (chá) de sal (3g)
3/4 de xícara (chá) de manteiga (105g)
1 ovo médio (65g)

Modo de Preparo
Em uma tigela grande, junte as farinhas, o sal e misture. Corte a manteiga em cubos e transfira para a tigela. Misture até formar uma farofa, sem deixar a manteiga dissolver completamente. Acrescente o ovo e trabalhe a massa até que fique homogênea. Envolva com papel filme e leve à geladeira por, no mínimo, uma hora.

Recheio
Ingredientes
1 berinjela grande (620g)
1 abobrinha grande (370g)
1 xícara (chá) de água (240ml)
3 colheres (chá) de sal (18g)
20 tomates cereja (200g)
1 alho-poró médio (100g)
1 pimentão amarelo médio (270g)
1 cebola média (150g)
1 dente de alho grande (6g)
5 ramos de tomilho (10g)
1/2 xícara (chá) de azeite (120ml)
1 colher (sopa) de orégano (2g)

Modo de Preparo
Preaqueça o forno a 220°C. Lave e corte em rodelas finas a berinjela e a abobrinha. Transfira a berinjela para uma tigela com a água e 1/2 colher (chá) de sal e deixe por 15 minutos. Lave e corte ao meio os tomates cereja. Lave e corte em tiras finas o alho-poró, descartando as folhas. Lave, retire as sementes e corte o pimentão em cubos. Lave, descasque e corte em 4 partes a cebola e o alho. Lave e desgalhe o tomilho.
Retire a berinjela da água e distribua as fatias em uma assadeira grande com a abobrinha, os tomates, o alho-poró, o pimentão, a cebola, o alho, o azeite e o restante do sal e tempere com o orégano e o tomilho. Leve ao forno por aproximadamente 45 minutos ou até que os legumes fiquem macios.

Ingredientes

Montagem
Farinha de trigo para polvilhar
1 gema (20g)
1/2 colher (chá) de água (3ml)

Modo de Preparo
Retire a massa da geladeira. Polvilhe um pouco de farinha de trigo em uma bancada e, com o auxílio de um rolo, abra a massa em forma de um disco de aproximadamente 27cm, até que fique uniforme e não muito fina. Utilize uma forma de fundo removível, com cerca de 24cm de diâmetro. Separe o fundo da forma e coloque a massa aberta por cima, deixando as bordas para fora. Coloque o recheio e dobre as bordas da massa por cima. Misture a gema com a água. Pincele a massa e leve para assar por 50 minutos ou até dourar. Sirva quente.

Rendimento: 10 porções
Peso da Porção: 100g (1 fatia)
Valor Calórico da Porção: 306 Kcal
Tempo de Preparo: 2h30m

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

 

 

Conheça alimentos que ajudam a melhorar o sistema imunológico

Alimentos de cores variadas garantem nutrientes importante para manter a imunidade em alta

Manter uma alimentação saudável e adequada é um fator de extrema importância para o fortalecimento do sistema imunológico, já que ele é responsável por proteger nosso organismo contra bactérias e vírus, que é o caso do covid-19. Nutricionistas da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo orientam a aumentar o consumo de alguns nutrientes encontrados nos alimentos, que desempenham a função de modular a resposta imune do corpo e com isso ajudam a prevenir o desenvolvimento de diversas doenças.

frutas-citricas-limao-laranja

A vitamina C, presente principalmente nas frutas cítricas, é um potente antioxidante que diminui o dano celular e mantém a imunidade em alta.

tomates alexas_fotos pixabay

Outro nutriente muito importante na manutenção da integridade das células de defesa é a vitamina A, encontrada em alimentos vermelhos e alaranjados como a cenoura, abóbora, manga e tomate.

amendoim

Já a vitamina E ajuda a proteger células contra substancias tóxicas e favorece a função imunológica. As castanhas, amendoim, sementes de girassol e vegetais verdes escuros são ricos neste nutriente.

getty images laticinios

O zinco é um mineral que está altamente relacionado ao fortalecimento do sistema imune, ele é encontrado principalmente em carnes, laticínios, frutos do mar e cereais.

mulher comendo iogurte

O consumo de probióticos, como o iogurte natural, também é bastante recomendado, pois eles contribuem para o equilíbrio da microbiota intestinal e auxiliam as células de defesa no combate a infecções.

mulher bebendo agua pixabay
pixabay

A boa hidratação é outro fator essencial para manter a imunidade em alta. A recomendação é de ingerir, em média, dois litros de água por dia.

Aliar a boa alimentação com hábitos mais saudáveis, como manter o sono em dia, praticar algum tipo de exercício físico e controlar o estresse, é imprescindível para o bom funcionamento do sistema imunológico e, consequentemente, para a prevenção de doenças.

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Sucos naturais são ótimas opções para o verão

Manter uma alimentação saudável durante o verão é muito importante, por conta do aumento da temperatura corporal e da nossa transpiração constante, perdemos muito líquido do nosso organismo. Por isso, a ingestão de líquidos deve ser maior do que o habitual.

Pensando nisso, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), desenvolveu um Manual de Sucos, que trás receitas incríveis para você poder fazer nesse verão!

São receitas de sucos naturais, que são ótimas fontes de vitaminas e também de hidratação. Confira agora a lista de frutas que estão na época em janeiro, produzidas de forma mais natural, com mais sabor e preço mais em conta:

abacaxi pixabay
Pixabay

Abacaxi: fonte de vitaminas A e C, contribui para o aumento da imunidade, além de ter papel antioxidante e anti-inflamatório. Possui também alto teor de manganês e é um bom alimento para auxiliar na prevenção da osteoporose e de fraturas ósseas.

carambola pippalou
Foto: Pippalou/MorgueFile

Carambola: fruta rica em sais minerais, vitaminas A, C e do complexo B. Auxilia no sistema imunológico além de ser antioxidante, ajudando na prevenção do envelhecimento.

GOIABA

Goiaba: fruta comumente consumida in natura ou em sucos e sorvetes, a goiaba é considerada uma excelente fonte de vitamina C, auxiliando na manutenção do sistema imunológico.

limao

Limão: fruta cítrica que contém vitaminas do complexo B e vitamina C, por isso tem propriedades antioxidantes e anticancerígenas. Auxilia também no fortalecimento do sistema imunológico. Toda a fruta, polpa, suco, casca e raspas, são utilizados para fins culinários de diversas formas.

mamao pixabay
Pixabay

Mamão Formosa: rico em ácido fólico e fibras alimentares, é fonte da enzima papaína que contribui para o bom funcionamento do intestino. As fibras ainda são capazes de encapsular as moléculas de colesterol no intestino impedindo que essas sejam absorvidas pelo organismo. Também é fonte das vitaminas A e C. O alimento possui baixo valor calórico e pouco açúcar, pode ser utilizado em vitaminas, saladas de frutas ou in natura.

suco melancia 1zoomme
Foto: 1zoomme

Melancia: composta por 92% de água, a melancia é uma das queridinhas do verão. Além de deliciosa e super hidratante, a fruta ainda contém vitaminas A e C, potássio e outros nutrientes eficazes no combate ao câncer, inflamações e prevenção do envelhecimento precoce.

pessego2

Pêssego: fruta pouco calórica, rica em vitaminas A, C e K. A vitamina K atua ajudando a proteger o sistema cardiovascular. É fonte de fibras, com isso aumenta a sensação de saciedade. Pode ser consumido em forma de suco, geleia, doces, bolos, tortas e in natura.

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo