Arquivo da tag: segurança

7 lições sobre segurança cibernética que você deve ensinar aos idosos*

E por que eles precisam aprender o mais rápido possível

Talvez você nunca tenha falado sobre isso com seus pais, mas explicar aos familiares mais velhos sobre segurança cibernética é tão importante quanto falar sobre saúde. Os idosos são frequentemente alvo de golpes de phishing e ataques cibernéticos porque geralmente são mais vulneráveis.

Nos últimos anos, houve um forte aumento no número de idosos com acesso à Internet: o percentual de pessoas com mais de 60 anos no Brasil navegando na rede mundial cresceu de 68% em 2018 para 97% em 2021, como mostra pesquisa realizada pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offer Wise Pesquisas.

De acordo com o estudo, os aplicativos que os idosos mais utilizam no celular são as redes sociais (72%); transporte urbano (47%); e bancário (45%). Idosos conectados também usam a internet para fazer compras. Entre os produtos que costumam comprar pela internet estão: eletroeletrônicos (58%); medicamentos (49%, com aumento de 21% em relação a 2018); e eletrodomésticos (47%).

Nunca houve um momento melhor para ajudar os idosos a se protegerem online. Mesmo que eles usem dispositivos altamente seguros e tenham um software antivírus instalado, uma senha ruim pode ser a ruína. Embora a segurança cibernética para a terceira idade possa parecer esmagadora, a maioria dos ataques pode ser evitada com algumas etapas simples e conhecimento.

Aqui mostro 7 etapas fáceis para ajudar a configurar a segurança cibernética para a terceira idade:

Dreamstime

1.Ajude-os a escolher senhas fortes

Lembre os idosos de bloquear seus dispositivos e contas da mesma forma que trancariam a porta da frente de sua casa. Assim como bloqueios diferentes, algumas senhas são mais eficazes que outras. Se os dispositivos forem perdidos ou roubados, senhas fortes garantem que eles não possam ser acessados. Você também pode recomendar um gerenciador de senhas, dependendo de quantas senhas seus familiares seniores devem gerenciar. Os gerenciadores de senhas simplificam o que eles devem lembrar; em vez de uma senha diferente para tudo, você só precisa de uma senha segura para fazer logon, e o gerente pode gerar senhas seguras para todo o resto. Os gerenciadores de senhas podem ser usados em vários dispositivos e as senhas também podem ser compartilhadas com outras pessoas, para que você possa ver as senhas de seus pais em sua própria conta.

2.Ensine-os a evitar phishing

Os idosos são especialmente propensos a e-mails fraudulentos, telefonemas e contas de mídia social. Ensine-os a não clicar em links ou baixar nada se houver alguma dúvida sobre sua legitimidade. Em vez disso, incentive-os a acessarem diretamente a página ou conta da Web e entrarem em contato diretamente com o suporte ao cliente. Outra maneira fácil de detectar phishing é com erros de digitação ou gramática incorreta. Se Amazon estiver escrito “amzon.com” no e-mail, é um sinal de que é uma tentativa de phishing. Além disso, se um e-mail tem um senso de urgência, está pedindo dinheiro ou está relatando um problema com uma conta bancária ou impostos, certifique-se de que os idosos pensem duas vezes antes de responder. Se há uma coisa a ser lembrada sobre phishing, é que, se eles tiverem alguma dúvida sobre uma mensagem, devem excluí-la ou entrar em contato diretamente com a empresa.

3.Instale um bom programa antivírus

Malware, ou qualquer programa que possa danificar seu computador, é uma das ameaças de segurança cibernética mais comuns para idosos. O malware geralmente pode infectar seu dispositivo sem que você saiba e, como consequência, eles variam de ameaças sérias a pequenos aborrecimentos. Um bom programa antivírus pode bloquear qualquer tipo de malware em tempo real. Alguns programas antivírus também podem vir com gerenciadores de senhas, ferramentas anti phishing, VPNs e muito mais.

4.Mostre como verificar a legitimidade dos sites

Ao fazer compras online ou navegar nas redes sociais, os idosos podem ser especialmente vulneráveis a sites falsos ou contas falsas. Antes de compartilhar qualquer informação ou comprar de um site, os idosos devem verificar os indicadores de confiança. Estes podem incluir:

-procure por erros de ortografia na página da web
-“olhar além do bloqueio” para a identidade do site
-protocolo https ativado
-selos do site como o selo do site Norton ou DigiCert
-uma declaração de privacidade
-informações de contato da empresa

Se houver alguma dúvida, não faça uma compra nesse site nem insira suas informações. Por exemplo, se os negócios são bons demais para serem verdade, eles provavelmente não são reais.

5.Definir atualizações para instalar automaticamente

As atualizações de software ajudam a proteger contra as vulnerabilidades atuais. Os desenvolvedores geralmente enviam atualizações para se proteger contra pontos fracos conhecidos, por isso é aconselhável instalá-los imediatamente antes que um invasor possa tirar proveito deles. Você pode configurar computadores e dispositivos para instalar automaticamente atualizações de software, que é a maneira mais fácil de manter os programas atualizados. Além disso, atualizações de anúncios pop-up ou e-mails podem ser malwares. Portanto, configurar as atualizações para serem instaladas automaticamente significa que elas não precisam clicar em nenhuma solicitação de atualização que possa conter malware.

6.Lembre-os de sair de contas e sites

Simplesmente sair de contas e dispositivos pode ajudar a proteger a segurança dos idosos. Lembre-os de que eles nunca devem ficar conectados à conta em computadores públicos, como os da biblioteca. Mesmo em casa, isso deve ser feito. É aqui que ter um gerenciador de senhas facilitará o login a cada vez. Quando seus parentes idosos pedirem ajuda no computador, reserve um tempo para garantir que eles também estejam seguindo as práticas recomendadas de segurança na web. Mesmo que os riscos sejam relativamente baixos, os ataques cibernéticos têm consequências graves. Ensinar os idosos agora a praticar bons hábitos de segurança economizará tempo e dor de cabeça no futuro.

*Dean Coclin, Diretor Sênior de Desenvolvimento de Negócios da DigiCert, Inc. provedora mundial de escaláveis TLS/SSL, soluções PKI para identidade e encriptografia.

Três dicas para viajar com segurança no fim do ano

A Flix, seguradora digital com foco na venda de seguros e assistências residenciais, conta como o planejamento pode ser um aliado para o novo modelo de férias coletivas

A ideia de segurança para as viagens de fim de ano mudaram com a pandemia do coronavírus. Se antes a procura se dava por espaço suficiente para encontrar com todos os amigos e familiares em regiões de praia ou interior, agora o ideal é reservar lugares aconchegantes, afastados de aglomerações e em pequenos grupos para evitar novos contágios.

Nessa perspectiva, donos de imóveis para aluguel de temporada e até mesmo interessados em tirar um período fora de casa, podem recorrer a algumas medidas que ajudem nesse novo modelo de férias. Para Felipe Barranco, CEO e cofundador da Flix, seguradora digital com foco na venda de seguros e assistências residenciais, muitos segmentos devem trabalhar juntos para que esse momento seja um período de descanso responsável.

“Nós já percebemos um aumento da preocupação com o bem-estar em consequência do isolamento social, e depois de um ano com muitas transformações, é natural que as pessoas busquem um refúgio. Para que esse movimento seja seguro, é imprescindível estar preparado para possíveis imprevistos e contato com pessoas fora do círculo de convívio”, comenta o CEO.

Pensando nesse cenário, a Flix separou três dicas para quem pretende viajar no recesso sem preocupações. Confira:

  1. Certifique-se dos cuidados básicos com a casa
Getty Images

Antes de viajar, é importante verificar as condições da casa que ficará sem manutenção diária por um tempo. Para isso, é necessário entender se a saída de gás, torneiras e tomadas estão em dia e sem riscos aparentes. Uma boa opção é deixar uma cópia da chave com uma pessoa de confiança que não vai viajar, assim, caso haja um imprevisto, a resolução será mais ágil e eficaz. Outra alternativa é contratar um seguro residencial personalizado, assegurando que qualquer dano causado possa ser revertido em pouco tempo e não comprometa as economias para o próximo ano – este também vale para quem possui uma casa de aluguel, uma vez que ela terá maior utilização com a privação de passeios.

  1. Verifique se existem centros de saúde não comprometidos perto do destino que vai viajar

Fazer um planejamento de emergência deixará a viagem mais fácil e segura, para isso é importante mapear hospitais, farmácias e centros de atendimento que são próximos da residência alugada. Ter esse controle diminui o tempo de acesso em caso de emergências e previne filas e aglomerações no caminho. “Essa é uma boa iniciativa para ser adotada pelos contratantes neste final de ano, assim é possível preservar não apenas os inquilinos temporários, mas também toda a comunidade residente”, explica Felipe.

  1. Vai viajar com pets? Lembre-se de que eles também precisam de cuidados

Certifique-se, antes de viajar, que a carteira de vacinação do animal esteja atualizada. Procure um veterinário, se necessário, para entender qual é a melhor forma de viajar com o seu companheiro e invista em cuidados básicos de saúde e higiene. Assim como a residência, existem planos e seguros focados na prevenção e cuidados com os pets. Caso seu animal possua alguma predisposição, você estará seguro de que o atendimento será rápido e sem causar aglomerações em centros de medicina veterinária.

Sobre a Flix

Flix é a primeira seguradora digital brasileira com foco exclusivo na venda de seguros e assistências residenciais. Fundada em março de 2020 por Felipe Barranco e Marcos Carneiro, a insurtech possui um portfólio com 45 opções de ofertas, entre cobertura financeira e assistências e permite a personalização da cobertura securitária de acordo com a necessidade do cliente. Desenvolvida com o propósito de ressignificar e acessibilizar o mercado de seguros residenciais, a Flix realiza todo o processo de maneira descomplicada, simples e flexível.

ClearSale dá dicas para o consumidor fugir das fraudes na Black Friday

Pesquisar o histórico da loja e pagar com cartão de crédito são alguns cuidados que garantem uma compra mais segura

A Black Friday deve movimentar mais de R$ 3,5 bilhões em compras no comércio eletrônico este ano, de acordo com estimativas do Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce. E, para garantir boas ofertas e não cair em tentativas de fraudes na data mais esperada do varejo, é importante ter cautela.

Pensando nisso, a ClearSale, empresa líder em soluções antifraude nos mais diversos segmentos, alerta sobre os cuidados que devem ser tomados pelos consumidores para evitar golpes e ter mais tranquilidade durante as compras.

“O cartão de crédito é o modo de pagamento mais seguro no ambiente on-line. Ao optar por esse método em vez do boleto ou transferência bancária, o cliente consegue contestar a cobrança junto ao banco caso tenha problema com a compra, o que não é possível com os outros métodos”, alerta Omar Jarouche, diretor de Marketing e Soluções da ClearSale. “É importante ainda que o consumidor faça uma pesquisa sobre os sites menos conhecidos ou suspeitos, verificando se há reclamações ou indícios de não envio dos produtos”, aconselha.

Confira abaixo as dicas para realizar compras seguras e fugir das fraudes na Black Friday:

Pesquise a reputação da loja antes de realizar a compra

dreamstime trabalho mesa notebook mulher 2

Verifique o histórico da loja antes de se fazer a compra. A busca é possível tanto no site do Procon, que disponibiliza uma lista das lojas que devem ser evitadas, ou ainda em sites que avaliam as lojas. Caso não existam avaliações da empresa na internet, o recomendado é evitar efetuar a compra e buscar um outro site de confiança.

Averigue se o site tem a sigla ‘https’ no endereço da web

Sixty-and-Me mulher computador

Em sites com a sigla, a comunicação é criptografada, o que aumenta a segurança na transmissão dos dados. É importante também verificar se há um ícone com referência a um cadeado na parte inferior do navegador.

Prefira o pagamento por cartão de crédito

cartao-de-credito-compras-gde

Esta é a forma mais segura para pagamentos online. Além da operadora de crédito ter mecanismos para identificar possíveis fraudes, também é um método que permite que o cliente conteste a cobrança e solicite o reembolso do valor, diferente do pagamento por transferência bancária ou boleto.

Suspeite se o desconto for muito maior no boleto

mulher computador lendo

É comum que sites falsos tenham preços muito mais baixos para pagamento via boleto, pois nessa forma de pagamento é mais difícil para a vítima pedir o estorno.

Procure dados oficiais da empresa como CNPJ, endereço físico e contato

empreendedorismo_moda costura computador

Sites de e-commerce falsos normalmente não disponibilizam essas informações.

Instale o Compre&Confie em seus dispositivos

ai

O aplicativo é totalmente gratuito e alerta o usuário caso seu CPF seja usado em uma transação indevida, permitindo que ele impeça a fraude clicando no botão ‘não fui eu’.

 Fonte: ClearSale

Como a produção da vacina a torna segura

O Brasil tornou-se referência mundial em vacinação, disponibilizando 19 vacinas para 20 doenças em seu Calendário Nacional de Vacinação. Anualmente, o Ministério da Saúde trabalha em campanhas para garantir que a cobertura de pessoas vacinadas atinja as metas necessárias para evitar epidemias de certas doenças.

Porém, algumas coberturas sofreram quedas nos últimos anos e, por conta disso, doenças ameaçam a população depois de anos de controle. Para que as pessoas não deixem de se vacinar, parte do objetivo das campanhas é garantir o entendimento de que a vacinação, além de muito necessária, é segura.

Por dento de etapas do processo de produção de algumas vacinas, o farmacêutico Henrique Silva explica como funciona esta fabricação para que o produto chegue seguro para a população. Hoje, Silva trabalha na área de Life Science da Merck, que fornece insumos para alguns fabricantes de vacina, e separou os principais processos que garantem a sua segurança:

Inativação do vírus

virus sarampo

A maior parte das vacinas contém o micro-organismo causador da doença, ou parte deste, para que o corpo crie imunidade contra ele. A aplicação de um vírus no corpo, por exemplo, pode gerar estranhamento, porém, o farmacêutico explica que este vírus passa por um processo de atenuação ou inativação antes de ser aplicado na vacina.

A inativação envolve tratamento químico ou a exposição a uma temperatura elevada, desta maneira, o vírus perde a capacidade de se reproduzir e logo, infectar a pessoa com a doença. “Os vírus são parasitas intracelulares obrigatórios, ou seja, não possuem todas as estruturas necessárias para se multiplicar sozinhos, para isso, ele precisa utilizar uma célula para duplicar o seu DNA. Quando está inativado, perde esta capacidade, garantindo que a pessoa recebedora da vacina não desenvolverá a doença”.

Uma vez que o processo é validado e submetido a constante controle de qualidade, o risco de produzir um lote de vacina com vírus ativado é nulo.

Eliminação de contaminantes

Com filtração e tratamentos químicos, o vírus e os componentes presentes na vacina são separados de qualquer contaminante externo que possa apresentar algum risco ao organismo.

São várias as etapas que passam por validação, inclusive as de filtração, visando garantir que cumpram efetivamente com a sua função. Desta maneira, serão removidas todas as demais substâncias produzidas pelas células e eventuais impurezas, as quais não devem estar presentes na vacina.

Armazenamento

Uma etapa importante para garantir a eficácia das vacinas é o armazenamento adequado. Durante toda a produção, as vacinas são armazenadas em tanques de aço ou bolsas plásticas. Essas bolsas são produzidas com um material de alta qualidade e tecnologia para que nenhum componente presente no plástico contagie o conteúdo. Isto garante que a vacina fique livre de qualquer contaminante.

Vigilância e controle de qualidade

A segurança da vacina é principalmente garantida pela pesquisa clínica, realizada previamente a autorização para comercialização de toda substância medicamentosa. Na manufatura, a segurança é compartilhada pela vigilância e controle de qualidade. “Para começar, as fábricas precisam de uma licença de funcionamento que é concedida após rigorosas e necessárias inspeções das agências regulatórios do país”, explica Silva.

Durante todo o desenvolvimento do processo, diversas avaliações são executadas para cada etapa de produção, garantindo que cada uma cumpra com o objetivo a que se destinam e assim garantam a segurança.

Além disso, todas as vacinas devem ser registradas e conseguem aprovação de comercialização apenas após a apresentação de diversos documentos que garantem as boas práticas e a comprovação que existe segurança para o uso humano.

Mas afinal, como funciona a vacina?

vacina-portal-brasil
Foto: Portal Brasil

Ao chegar no organismo, a bactéria ou vírus inativado estimula o sistema imunológico a criar uma memória. Desta maneira, o organismo já entendeu que aquele vírus representa uma ameaça para ele e consegue responder muito mais rápido caso o vírus original e ativado aparecer no corpo.

“O nosso corpo tem a capacidade de gravar que uma célula é perigosa para ele e criar ferramentas para se proteger contra ela, e é assim que a vacina funciona. Antes mesmo de você adquirir uma doença, o seu organismo já aprendeu a se proteger dela e assim, você ficará protegido”, complementa o farmacêutico.

Fonte: Merck

10 milhões de brasileiros sofrem de osteoporose, apenas 20% sabem que têm a doença

Cerca de 10 milhões de mulheres e homens brasileiros sofrem de osteoporose segundo a Abrasso (Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo), mas apenas 20% estão cientes que têm a doença, que se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea e provoca o aumento do risco de fraturas. Em países em desenvolvimento, a incidência deve aumentar consideravelmente nos próximos anos, por conta do envelhecimento rápido da população.

Segundo o reumatologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Guilherme Laranja, a osteoporose acomete uma em cada três mulheres com mais de 65 anos e um em cada cinco homens acima dos 70 anos. Pulsos, coluna vertebral e fêmur costumam ser as partes do corpo mais afetadas.

“A deficiência de estrogênio, hormônio feminino, causa a fragilidade óssea de mulheres no período pós-menopausa. Nesse cenário, a incidência de osteoporose em mulheres é o dobro do que em homens”, diz o especialista.

A osteoporose é classificada de duas formas: primária e secundária. A primária, não tem uma causa secundária definida. Já a secundária acontece quando outras doenças que comprometem a massa óssea são a causa do surgimento da osteoporose, como alguns tipos de câncer e seu tratamento, doenças inflamatórias em geral (lúpus, artrite reumatoide), deficiência de cálcio e vitamina D, assim como tabagismo, consumo exagerado de álcool e tratamentos à base de corticoides.

Diagnóstico e prevenção

princ_rm_photo_of_stages_of_osteoporosis

A densitometria óssea ainda é o melhor método para o diagnóstico da osteoporose. O exame, que mede a quantidade de cálcio nos ossos, pesquisa e indica o nível de gravidade da doença. No entanto, a adoção de um estilo de vida saudável ajuda a prevenir o desenvolvimento desta patologia.

Alimentação balanceada, rica no consumo de verduras e legumes, principalmente as de cor verde escura, frutas, na farta ingestão de cálcio e de vitamina D, associada ao baixo consumo de açúcar, exposição ao sol, além de atividade física regular são algumas das formas de tentar evitar ou retardar quadros de osteoporose.

“Atividade física regular também é importante no combate a osteoporose. O ideal seria começar a prática desde a infância, pois isso melhora a “reserva” de osso da criança, e consequentemente a massa óssea na velhice. Já para os adultos, é importante manter uma rotina regular de exercícios, de impacto e com cargas”, explica o médico.

Casa segura e bem iluminada

Osteoporosis

Quem sofre de osteoporose precisa se preocupar em viver em um local seguro, livre dos riscos de queda, por isso, o especialista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz alerta para a importância de deixar os ambientes domésticos protegidos. “O ideal é que os idosos vivam em casas com boa iluminação, sem tapetes nos quartos, banheiros, cozinha e salas. Cadeiras, poltronas e sofás devem ter braços, que ajudam na hora de a pessoa se levantar. Os pés dos móveis devem ter protetores antiderrapantes”, diz o médico.

O reumatologista reforça que barras de apoio devem ser instaladas dentro do box do chuveiro, próximas da pia do banheiro e ao lado do vaso sanitário. Isso reduz o risco de queda e dá mais autonomia ao idoso. Nas escadas, o uso de fita antiderrapante na borda dos degraus ajuda a melhorar a aderência e sinalizam o fim de cada degrau.

Confira alguns mitos e verdades sobre a osteoporose:

tabela osteoporose hosp osw cruz.png

Fonte: Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Cremesp alerta sobre procedimentos estéticos que podem colocar em risco a saúde

De acordo com o último relatório publicado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, o Brasil ocupa o 2º lugar no ranking de procedimentos estéticos no mundo. Sete, em cada 10 brasileiros, encaram os cuidados com a beleza como uma necessidade. Quem lidera a lista na busca pela “boa aparência” são os Estados Unidos.

Com tanto destaque dado à aparência física, por meio da moda, das produções cinematográficas e da indústria de cosméticos, a procura por procedimentos não-cirúrgicos, também chamados de minimamente invasivos, vem crescendo. Às ofertas do mercado soma-se a tecnologia, que vem lançando equipamentos e produtos capazes de promover resultados em apenas uma sessão.

Neste universo da beleza circulam dentistas e biomédicos, entre outros, famosos por ofertar “as transformações”. Muitos destes nomes utilizam as redes sociais para impulsionar suas atividades e atrair interessados. Atento a esta movimentação, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) chama a atenção da população para a importância em buscar informações sobre o médico que fará o procedimento desejado.

No caso de procedimentos estéticos invasivos, o ideal é que se consulte um dermatologista ou um cirurgião plástico, dependendo do procedimento a ser realizado. Além disso, é preciso checar se o médico em questão possui o Registro de Qualificação de Especialidade (RQE) que é um número diferente do CRM, as pequisas podem ser realizadas no site do CRM.

“Profissionais, como dentistas e biomédicos, vêm atuando com procedimentos que devem ser tratados por médicos. Esses profissionais, por terem um código de ética menos rigoroso, acabam por expor os pacientes, aumentando os riscos de complicações, até mesmo em procedimentos aparentemente simples. Um preenchimento mal sucedido pode, por exemplo, levar à morte dos tecidos e até mesmo à cegueira”, explica a dermatologista e Conselheira do Cremesp, Juliana Takiguti Toma.

De acordo com a lei do Ato Médico, estão entre as ações privativas do médico indicação da execução e execução de procedimentos invasivos, sejam diagnósticos, terapêuticos ou estéticos, incluindo os acessos vasculares profundos, as biópsias e as endoscopias.

Desta forma, procedimentos estéticos envolvendo técnicas cirúrgicas, agulhamentos, anestesias e demais protocolos invasivos (ainda que minimamente) –incluindo a manipulação e/ou inserção de materiais em estruturas mais profundas da pele, próximo de vasos sanguíneos e nervos, o que aumenta o risco de complicações graves–, devem ser ministrados por um médico especializado e registrado em especialidade adequada para o procedimento a ser realizado.

Outro alerta que o Cremesp faz à população é que sempre desconfiem de anúncios sensacionalistas, promessas de resultado, imagens de antes e depois, além de checar se o estabelecimento onde será realizado o atendimento/procedimento segue as normas sanitárias e obedece aos critérios da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Médicos que fazem procedimentos estéticos também devem estar atentos ao que diz o Código de Ética Médica. São os limites da publicidade que também precisam ser seguidos pelos médicos profissionais cujas orientações podem ser encontradas nas Resoluções 1974/11 e 2126/15 do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Harmonização Orofacial

preenchimento

Recentemente, o Cremesp oficiou o Conselho Federal de Odontologia (CFO) a respeito de portaria que permite pedidos de registro para a especialidade de Harmonização Orofacial. No documento, o Conselho solicitou a suspensão da portaria CFO-SEC-86, de 12 de junho de 2019, que cria a Comissão para o julgamento da titulação. Caso não obtenha sucesso, o Conselho adotará as medidas judiciais cabíveis, como tem feito nesta gestão a garantir a segurança do paciente, as boas práticas médicas e visando preservar as atribuições inerentes ao exercício da Medicina.

Segurança em debate

Para tratar deste assunto, no próximo dia 10 de agosto, o Cremesp promoverá o Fórum Segurança do Paciente. A programação abordará temas como o panorama dos procedimentos médicos injetáveis no Brasil e no mundo, complicações em preenchimentos faciais e defesa profissional. O evento é gratuito.

Informações e inscrições por e-mail: credenciamento@cremesp.org.br

Aplicativo classifica locais considerados com risco de assédio a mulheres

Plataforma tem o objetivo de reduzir casos de violência e foi selecionada como finalista do programa Campus Mobile, iniciativa do Instituto NET Claro Embratel

SafeGirl é um aplicativo desenvolvido para contribuir na prevenção de assédio sexual. Pensada para o público feminino, a solução faz parte dos projetos finalistas do Campus Mobile, concurso de inovação e empreendedorismo do Instituto NET Claro Embratel, em parceria com a Associação do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC/USP) e o apoio da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, que incentiva a formação de talentos junto a alunos universitários e recém-formados para atuação no mercado de conteúdos e novos serviços de telefonia móvel.

A solução, criada por Mateus Bezerra da Silva, estudante da Universidade Federal do Amapá, e Vitor Hugo Moraes e Brenda Sá, da Universidade Federal do Maranhão, incentiva mulheres a compartilhar no aplicativo a experiência que vivenciam nos lugares que frequentam, a partir de uma classificação com diferentes graus de segurança.

“A plataforma serve para empoderar as mulheres, reduzindo o número de casos de violência, combatendo diversas formas de opressão e proporcionando um espaço de promoção e proteção dos Direitos Humanos”, comenta Mateus.

celular carro pixabay
Pixabay

Além da classificação dos locais, outras funcionalidades devem ser adicionadas no aplicativo, como descontos para usuárias, acesso às leis que garantem seus direitos e também o contato de organizações de combate à violência contra mulher.

Viagem ao Vale do Silício

O aplicativo dos estudantes concorre com outros dois projetos na categoria Diversidade do Campus Mobile. Os vencedores do concurso serão premiados pelo Instituto NET Claro Embratel com uma viagem ao Vale do Silício, na Califórnia, Estados Unidos, para uma imersão nas principais empresas de tecnologia do mundo, como Google, Facebook, Twitter e até mesmo a Universidade de Stanford, para finalizarem os projetos. O resultado final, com a indicação dos vencedores, será divulgado no dia 6 de maio.

Na sétima edição, o Campus Mobile, concurso de ideias e soluções para telefonia móvel, já premiou 18 aplicativos ao longo dos últimos anos. Durante o programa os participantes selecionados recebem monitoria de especialistas da área de inovação para o aperfeiçoamento dos projetos. Eles também participam de uma semana presencial em São Paulo, que conta com maratona de programação, palestras e visitas a empresas parceiras.

Fonte: Instituto Net Claro Embratel

Tirolez dá dicas para manter a segurança dos queijos e ensina receita de omelete

Aprenda a conservar os queijos para evitar complicações e desperdícios

Com as altas temperaturas do verão, é importante ter atenção e cuidados redobrados para conservar de maneira correta determinados alimentos, como é o caso do queijo. A Tirolez, uma das marcas mais tradicionais de laticínios do país, dá dicas importantes de como manter a segurança com os laticínios.

Cada queijo tem suas especificações, ou seja, há uma forma correta para armazená-lo e evitar que estrague ou seja desperdiçado. Atente-se a essa informação e mantenha a qualidade dos seus produtos.

Em geral, os diversos queijos podem ser refrigerados para conservá-los de forma correta. Após retirar o produto da embalagem e consumi-lo, você deverá transferi-lo para um recipiente plástico com tampa e envolvê-lo com algum plástico filme. Não se esquece de conferir a validade do produto no rótulo.

Cabe destacar também que os queijos variam muito no que diz respeito a sua resistência e seus índices de segurança para evitar contaminações. Os queijos frescos e de pasta mole, como o minas frescal e a ricota, por exemplo, são úmidos o suficiente para promover o desenvolvimento de bactérias causadoras de doenças.

Já os queijos mais secos, como o parmesão e provolone, por exemplo, resistem melhor ao crescimento de bactérias devido à concentração de sal e ácidos, embora possam, raramente, ser infectados por fungos produtores de toxinas. É importante que você saiba, que independentemente do tipo de queijo, se algum fungo começar a crescer, deve-se fazer um corte profundo, para eliminar toda a área contaminada ou realizar o descarte do pedaço por completo.

Gostou das dicas? Que tal agora preparar uma incrível e prática Omelete de Minas Frescal com Alho-poró.

Omelete de Minas Frescal com Alho-poró

tirolez.jpg

Ingredientes
2 colheres (sopa) de manteiga (28 g)
1 dente de alho picado (4 g)
1 talo pequeno de alho-poró picado (100 g)
1 colher (chá) de sal (4 g)
Noz-moscada a gosto
Pimenta-do-reino a gosto
3 fatias de peito de peru defumado cortado em tiras (33 g)
1 xícara (chá) de Queijo Minas Frescal Tirolez (150 g) cortado em cubos pequenos
3 ovos (100 g)
3 colheres (sopa) de leite (20 ml)

Modo de Preparo
Aqueça 1 colher (sopa) de manteiga e doure o alho. Junte o alho-poró e refogue até que comece a dourar. Tempere com ½ colher (chá) de sal, noz-moscada e pimenta-do-reino. Desligue o fogo e misture o peito de peru e os cubos do queijo. À parte, bata ligeiramente com um garfo os ovos, o leite e o restante do sal. Tempere com noz-moscada. Aqueça o restante da manteiga em uma frigideira grossa e antiaderente. Despeje a mistura de ovos, espalhando-a bem. Com a ajuda de uma espátula, vá empurrando levemente as bordas da omelete para o centro da frigideira. Quando as bordas estiverem firmes, coloque o recheio de alho-poró e queijo em um dos lados da omelete e dobre-a ao meio. Passe para uma travessa e sirva em seguida, ainda quente.

Tempo de Preparo: 15 minutos
Rendimento: 2 porções

Fonte: Tirolez

Sete dicas para o bem-estar de quem tem sete vidas

Felinos vêm conquistando cada vez mais espaço nos lares brasileiros, mas conhecer suas particularidades é fundamental

Eles já foram vistos como divindades, mas também já foram considerados vilões. Figuram na mitologia e nas superstições. Fazem sucesso em desenhos animados, contos de fadas e filmes, sempre como personagens inteligentes, misteriosos, sedutores e cheios de manias. As histórias e crenças sobre os gatos são tantas que há até quem acredite que eles realmente têm sete vidas.

Um estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), constatou que já existiam mais de 22 milhões de felinos nos lares brasileiros em 2013. E o mais interessante: a população de gatos vem se multiplicando em maior proporção que a dos cães.

Os gatos realmente vêm conquistando cada vez mais espaço nos lares e corações dos brasileiros, mas para ter um bichano é fundamental conhecer suas peculiaridades. Por isso, confira as dicas da veterinária do pet center HiperZoo, Samya Duarte Nossabein, e da comportamentalista Natália Martins.

1 –Tudo sob o seu controle

Brown tabby with white Maine Coon boy on top of cat tree looking curious

Gatos são controladores e sistemáticos. Gostam de dominar o ambiente em que vivem, os objetos, outros animais e, inclusive, seus tutores. “Qualquer mudança na casa pode estressá-los. Um novo membro na família, uma visita e, até mesmo, a alteração de um móvel de lugar”, explica a comportamentalista. O estresse pode ser tanto que o animal pode adoecer. Por isso, o ideal é que as mudanças sejam feitas de forma gradativa. “Vai mudar os móveis da sala? Mude primeiro um sofá. Dias depois, o outro. Posteriormente, as mesas… Parece exagero para nós, mas para os gatos, faz bastante diferença”, completa.

Também adoram rotina e saber exatamente o que vai acontecer. Horários fixos para comer, brincar e receber carinho, vão fazer com que se sintam mais seguros. Até a mudança no horário de saída e chegada do tutor, é percebida pelo gato. E, por fim, são territorialistas. Sabe aquele hábito de arranhar o sofá da sala ou os móveis mais próximos da entrada da casa? São uma forma de mostrar, para potenciais intrusos, que aquele local tem dono.

2 – Higiene

usar-a-caixa-de-areia pet love

Os bichanos também prezam muito pela higiene. Fazem suas necessidades nas caixas de areia, mas desde que estejam limpas. Do contrário, podem evacuar no lugar errado ou segurar a urina. O tutor deve procurar retirar as fezes e blocos de areia assim que possível e também disponibilizar a quantidade de caixas de areia ideal: uma unidade a mais que o número de gatos da casa. São três gatos? Quatro caixinhas de areia. Desta forma o animal pode escolher uma caixa que não acabou de ser usada por um companheiro. Ah! Pratos de água e comida devem estar bem longe do “toalete” ou seu amiguinho simplesmente não irá se alimentar.

3 – Silêncio? Pode ser um alerta

gato na cama

Outro grande desafio para o tutor é perceber quando o gato está com dor ou não está se sentindo bem. Os gatos escondem a doença, um hábito instintivo ainda muito presente. Na natureza, seus ancestrais precisavam disfarçar a dor ou a doença para não serem mortos por outros predadores que disputassem o mesmo território ou alimento. “É importante estar atento a qualquer mudança. Se o gato ficar muito quieto, mais isolado, pode ser que algo não esteja bem”, revela a veterinária. Agressividade ou vocalização diferente do normal, também podem ser sinais de que algo não vai bem. Na dúvida, consulte um veterinário.

4 – Saúde

Cat at veterinarian

Assim como os cães, os cuidados básicos também são fundamentais para o bem-estar dos bichanos. Vacinas anuais, vermífugos e antipulgas administrados regularmente e check ups a cada seis meses ou um ano fazem toda a diferença.

Duas doenças virais também costumam assombrar os tutores de gatos. A FIV (vírus da imunodeficiência felina), também conhecida como aids felina, é transmitida por meio de mordidas, arranhaduras, contato sanguíneo, na gestação e amamentação. Já a FeLV (vírus da leucemia felina) é transmitida por meio da lambedura direta ou contato com secreção salivar, como no compartilhamento de pratos de ração e água, por exemplo. As duas doenças não têm cura e afetam o sistema imunológico do gato.

Segundo a veterinária, o ideal é realizar exames diagnósticos antes de receber um novo animal em casa e, também, não deixar que o gato tenha acesso à rua, desta forma evitando contato com possíveis animais infectados. Existem testes rápidos para avaliação das doenças, porém nem sempre o resultado é fidedigno, pois outros fatores podem influenciar o resultado. De qualquer forma, o mais indicado é realizar os exames conforme orientações do médico veterinário.

gatinho preto gato

Gatos também costumam sofrer com desconfortos gástricos e vômitos de bolas de pelos, formadas no estômago devido a ingestão de pelos durante a lambedura. Para amenizar o problema, o tutor pode apostar em escovas que ajudam a retirar o excesso de pelos mortos e fazer usos de pastas, rações e petiscos que auxiliam na eliminação de pelos ingeridos.

Doenças renais e cistites também são muito comuns. Gatos não costumam ingerir água em quantidade suficiente, tanto pela anatomia da língua, que não faz o movimento de concha para captar a água, como pelo hábito da espécie, que na natureza se alimentava de presas vivas que supriam também essa necessidade. Distribuir vários potes de água pela casa e investir em fontes, que mantém a água em movimento e mais limpa, estimulam a ingestão de líquido. Alimentos úmidos também são uma alternativa. Segundo a veterinária, a cistite muitas vezes pode ser também consequência de um quadro de estresse.

5 – Segurança

sting tela

Quem deseja ter um gato também deve investir em segurança. Os bichanos são caçadores natos e não pensam duas vezes antes de pular uma janela em busca de aventuras na rua. Telas nas janelas e placas de identificação são itens básicos. Na rua, os gatos podem sofrer acidentes, adquirir doenças e parasitas ou se machucar em brigas. Caixa de transporte é outro item básico para os passeios ou idas ao veterinário. Os bichanos se assustam facilmente e podem fugir ou pular no tutor, se estiverem soltos dentro do carro.

6 – Enriquecimento ambiental

Domestic Cat tan playing at home. Domestic animals

O ambiente que o gato vive deve conter acessórios que o ajudem a gastar energia, suprir seus instintos de caça e estimular seu cérebro. Brinquedos que imitem presas ou os façam se movimentar vão alegrar os pequenos caçadores. Prateleiras ou móveis que os mantenham no alto são ideais para que se sintam seguros e possam observar “suas presas”. Brinquedos que dispensam ração e petiscos também estimulam a atividade física e preservam o instinto de busca pelo alimento. Penas e varinhas para balançar no ar, também são bem-vindos. E arranhadores, para que possam afiar as unhas e demarcar território. O tutor deve optar por modelos mais firmes e altos, nos quais o gato possa se esticar.

7 – Cheirinhos do bem

catnip thecatonmyhead
Cat nip Foto: TheCatOnMyHead

Alguns odores também podem colaborar para o bem-estar dos peludos. O cat nip, uma erva da família das hortelãs, é apreciada pela maioria dos gatos. Utilizada dentro de brinquedos ou borrifadas em arranhadores e outros locais, atrai os bichanos e promove uma sensação de bem-estar. “Alguns gatos chegam a sair saltitando contentes pela casa”, comenta Natália. E vale ressaltar: a erva não vicia e não faz mal.

Os feromônios também são ótimos aliados do bom comportamento felino. No mercado pet já é possível encontrar feromônios sintetizados, como o facial, utilizado pelos gatos para marcar território nos humanos ou objetos que gostam. Quando os gatos esfregam o rosto em nossas pernas ou móveis estão deixando esse odor e mostrando que se sentem bem. Utilizar esse cheirinho nas caixas de transporte ou ambiente tranquilizam o animal.

Outro feromônio também já sintetizado é o do odor mamário, que remete ao cheirinho da mãe e transmite segurança. São muito utilizados quando chega um novo gato na casa, melhorando a relação afetiva entre eles.

Com essas dicas e alguns produtos no enxoval, é possível proporcionar maior bem-estar e saúde para os gatinhos e retribuir o carinho que eles nos oferecem.

Fonte: HiperZoo

Land Rover oferece acessórios para transportar pets com segurança

Em 4 de outubro foi comemorado o Dia Internacional do Animal e quem gosta de levar seus pets quando sai para passear ou viajar, uma boa pedida é ter acessórios especiais para dar conforto e segurança para os bichinhos.

Se esse é o seu caso, conheça os acessórios que a Land Rover oferece para o transporte dos animais de estimação. A marca britânica, que é referência mundial em veículos 4×4, tem a segurança como um dos pilares mais importantes no desenvolvimento dos seus veículos. Ela investe em estruturas reforçadas, equipamentos e tecnologias de última geração para garantir que todos os ocupantes do veículo estejam sempre seguros, inclusive os animais de estimação.

A marca conta com uma série de acessórios e equipamentos com essa função, como tapetes especiais, grades divisórias e revestimento semirrígido. Os itens garantem proteção para piso, encostos de cabeça e paredes laterais do veículo e, ainda, se adaptam facilmente ao veículo e são fáceis de lavar.

Os equipamentos para transporte dos animais de estimação da Land Rover podem ser adquiridos em uma das 39 concessionárias da Land Rover e os preços individuais de cada acessório partem de R$ 1.200,00, dependendo do modelo do automóvel.

lrpetpacksfordogsluggagepartition24081805-minlrpetpacksfordogs24081821-min

Fonte: Jaguar Land Rover