Arquivo da tag: sexo

Saiba como surgiu o Dia do Orgasmo e quais os caminhos para alcançá-lo

Vanessa Inhesta, sexóloga da INTT, fala sobre os segredos para atingir o ápice do prazer

Quando o assunto é sexo, ele é a estrela. Almejado por 11 em cada 10 pessoas, para alguns ele é facilmente encontrado, chegando a dar o ar de sua graça repetidas vezes em questão de minutos; para outros é a busca incessante pelo Santo Graal. Sim, estamos falando do orgasmo, que até ganhou uma data comemorativa: 31 de julho.

O Dia do Orgasmo foi criado em 1999 por alguns sex shops britânicos com o objetivo de alavancar sua vendas e chamar a atenção para um debate importante, que é a questão de muitos ainda o desconhecerem.

“O que acontece é que muitos não exploram novos caminhos para encontrar aquilo que realmente pode ser prazeroso por o considerarem tabus e, pior ainda, muitas vezes costumam se autossabotar para agradar o parceiro(a)”, explica Vanessa Inhesta, sexóloga da INTT. Apesar do orgasmo ser algo que todos podem sentir, são as mulheres que costumam sair em desvantagem. Aproximadamente 70% das mulheres nunca chegaram a sentir um orgasmo com seus parceiros.

“Desde nova, a mulher é educada para reprimir os seus desejos e práticas de estímulos sexuais por estarem associados à promiscuidade ou para evitar estigmas que poderão comprometê-la tanto no âmbito social como profissional. Questões essas que muitas vezes a obrigam assumir uma postura submissa, onde passa a encarar com normalidade que deve se resguardar para o parceiro, enquanto este mostra sua virilidade através de várias parceiras”, diz Vanessa.

Relação morna durante o isolamento

casal

O isolamento acabou se tornando um grande obstáculo para os casais. Conviver quase que durante 24 horas requer paciência, respeito e compreensão. Para não cair na temida rotina, inovar e procurar novos caminhos para vivenciar um orgasmo incrível por meio do diálogo e da troca com o parceiro (a) podem ser alternativas nesse momento. “Essa história de que é necessário realizar todas as vontades e fetiches do parceiro para não correr riscos de esfriar o relacionamento é lenda. É importante fazer aquilo que dá prazer a ambos”, ressalta Vanessa.

Prazer anal

E por falar em novas experiências, o sexo anal ainda é um obstáculo a ser superado. Para quem tem curiosidade sobre o assunto, mas não sabe por onde começar, existe alguns cuidados que precisam de atenção: “Nada de ir direto ao ponto, é importante pedir para o parceiro(a) estimular essa região com os dedos, passar um pouco de lubrificante, massagear toda área e, no momento da penetração, ir bem devagar”, afirma Vanessa.

casal na cama iStock
iStock

Inovando com sex-toys

Se não curtir a experiência, não tem problema, invista em outras fantasias. No sexo pode tudo, desde que seja bom para ambos, então tente explorar os pés, as mãos, toque-se e descubra o caminho para chegar ao orgasmo. Sex-toys e cosméticos também podem contribuir para uma experiência única, confira:

INTT Excitation

Aexcitation

O excitante feminino INTT Excitation é um facilitador de orgasmos, que auxilia as mulheres a induzirem seu orgasmo, em casos de dificuldade; ou aumentar a frequência para ter orgasmos múltiplos. Os efeitos de aquecimento, contração e pulsação no clitóris e na parte interna da vagina, fazem com que a mulher sinta sensações que nunca foram exploradas. Preço sugerido: R$ 44,90. Onde encontrar: Exclusiva Sex

INTT Lady Gooza

Intt-Lady-Gooza--1-
Excitante feminino com 7 funções: excitar, esquentar, pulsar, vibrar, lubrificar, estimular e sensibilizar, além de ser o único a possuir uma cápsula vibratória. Preço sugerido: R$ 119,90. Onde encontrar: Exclusiva Sex

Vibrador e Estimulador INTT FiFi 2 Nalone

Nalone-FiFi2-pink
Projetado para estimular o clitóris e promover o ápice do prazer, o toy possui duas hastes que podem ser usadas para cercar o clitóris, testículos ou mamilo, que transmitem vibrações silenciosas em sete padrões. Preço sugerido: R$ 384,30 – Onde encontrar: Butique Bella

INTT Masturbador Ninja

NIJNA-CX
O Ninja é uma masturbador masculino com efeitos que auxiliam a alcançar o prazer de forma única. São seis tipos de vibrações e pulsações, além disso, esquenta e simula o sexo oral, proporcionando sensações de forma singular. Preço sugerido: R$ 218,92. Onde encontrar: Cia Sex

Fonte: INTT Cosméticos

Saiba como melhorar a intimidade sexual durante o isolamento social

Especialistas dão dicas para aprimorar a percepção da sexualidade em tempos de isolamento social

Felizmente, com os pesquisadores continuando a aprender mais sobre o vírus a cada dia, novas informações também surgiram sobre a relação entre sexo e Corona vírus. “Se você e seu parceiro estão em isolamento social há mais de duas semanas, tomam o máximo de cuidado ao sair de casa apenas para as ocasiões mais necessárias, como ir ao mercado ou à farmácia, não há problema na prática sexual – pelo contrário”, afirma Ana Carolina Lúcio Pereira, ginecologista membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).

“O isolamento é a oportunidade que temos de aperfeiçoar a intimidade. Nosso corpo e mente estão muito ligados na questão sexual”, afirma a fisioterapeuta Raquel Wolpe, especialista em Saúde da Mulher e Mestre em Sexualidade Feminina.

sexo casal cama

De acordo com a fisioterapeuta, tanto a intimidade entre o casal quanto a satisfação pessoal e física são aspectos envolvidos nesse processo. “Mas existem outros pontos que interferem. Por exemplo, estamos vivendo uma época de muito estresse e temos que levar em consideração que medicamentos antidepressivos, opioides e corticoides também reduzem a libido”, afirma Raquel.

Para atuar no aumento do desejo, Raquel sugere descobrir o próprio corpo e ter outras experiências de autoconhecimento. De acordo com a ginecologista, a prática da masturbação é a melhor forma de se descobrir, pois ajuda a manter a sexualidade viva durante o isolamento, além de manter a mente e o corpo funcionando, oferecendo uma série de benefícios ao organismo.

“A masturbação melhora a libido, alivia dores relacionadas à menstruação (como cólicas), fortalece o sistema imunológico e até ajuda a exercitar os músculos da região pélvica, prevenindo assim o surgimento de incontinência urinária”, destaca a ginecologista. “Além disso, durante a masturbação são liberados hormônios como a endorfina, que promove bem-estar, melhora o sono e ainda ajuda a reduzir os níveis de estresse.”

O farmacêutico e bioquímico professor Luiz Moreira, Mestre em Ciências da Saúde, explica que a função sexual feminina pode ser definida como uma sequência de eventos psicológicos e físicos, sendo eles: o desejo, a excitação, o orgasmo e a resolução. “O desejo se refere à motivação para iniciar uma atividade sexual; a excitação às manifestações físicas expressando o desejo; o orgasmo a contrações involuntárias ritmadas da parede da vagina; e a resolução ao retorno às condições basais”, explica o especialista.

maos-casal-casamento-768x551

Nesse contexto, existem substâncias orais que atuam nesses processos, como a Mucuna Pruriens (com propriedades afrodisíacas), Tribulus Terrestris (estimulante sexual) e Bio-Arct, que estimula o metabolismo energético, aumenta a produção de óxido nítrico, melhorando a perfusão sanguínea.

“Esse incremento da circulação sanguínea é muito favorável para a vida sexual feminina. Especificamente durante a excitação há um aumento do fluxo circulatório na genitália o que gera uma intumescência (aumento de volume) vaginal formando um coxim. Assim, durante a penetração ocorre aumento do atrito e consequentemente do estímulo sensorial”, afirma o especialista.

“Outra contribuição do incremento da circulação é a produção de lubrificação pelo processo de transudação vaginal, ou seja, passagem de fluidos pela parede vaginal. Com essas manifestações, os eventos da função sexual ocorrem de forma cíclica chegando no ápice do estímulo gerando prazer intenso”, afirma o farmacêutico.

Para a questão da modulação hormonal, além de Tribulus Terrestris, o farmacêutico recomenda a suplementação com Vitex Agnus Castus, que ameniza os sintomas da tensão pré-menstrual e Modulip, que reduz o efeito do estresse. “Modulip GC reduz o efeito do estresse sobre os níveis hormonais controlando a liberação de cortisol e influencia positivamente nos níveis de testosterona e Di-hidrotestosterona. Esses hormônios impactam bioquimicamente no mecanismo do despertar do desejo ativo, aquele que se manifesta de forma espontânea”, explica o farmacêutico.

Close up of the legs of a couple on the bed.

Outro tipo de suplementação importante nesse sentido é o Exsynutriment, um ácido ortosilícico estabilizado em colágeno marinho, cofator importante para síntese das fibras de colágeno. “Ele catalisa as ligações cruzadas entre as fibras de colágeno e elastina garantindo a manutenção, firmeza, sustentação e hidratação dos tecidos cutâneos, articulações, mucosas e assim a manutenção do tônus muscular. Esses efeitos podem melhorar o trofismo vaginal, minimizando a sensação de frouxidão e aumentando a lubrificação. O tônus muscular adequado garante intensidade nas contrações da fase do orgasmo”, diz Moreira.

Todos os ingredientes estão disponíveis em farmácias de manipulação. “Consulte seu médico ou um farmacêutico para prescrição da fórmula”, finaliza o professor.

Fonte: Biotec

 

Dia dos Namorados: alimentos afrodisíacos e como podem ajudar no desempenho sexual

Saiba o que a ciência diz sobre a relação entre alimentação e saúde sexual, principalmente no que diz respeito aos alimentos que podem atuar como estimulantes

Afrodite é conhecida como a deusa grega do amor e seu legado também ficou caracteristicamente marcado por um grupo de alimentos conhecidos como afrodisíacos. “Os alimentos que provocam nossos sentidos, como cheiro, gosto, textura ou até a própria estética, são considerados afrodisíacos por aguçar a imaginação, proporcionar mais experiência e, assim, aumentar o desejo sexual. Há também medicamentos e fitoterápicos afrodisíacos, que ajudam a despertar o instinto sexual, induzindo o desejo e aumentando o prazer e o desempenho”, explica Marcella Garcez, médica nutróloga e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia.

“Apesar de muitos alimentos terem atividades funcionais, eles não fazem milagres”, acrescenta. Em muitos casos os alimentos podem ajudar o desempenho sexual, mas no caso de disfunções (dificuldade em qualquer estágio do sexo – incluindo desejo, excitação ou orgasmo) é necessário buscar ajuda médica especializada, segundo a nutróloga.

Os alimentos afrodisíacos têm substâncias derivadas de plantas, animais ou minerais, e estão divididos em dois grupos: aqueles que causam estímulos psicofisiológicos (preparativos visuais, táteis, olfativos e auditivos) e preparações internas (alimentos, bebidas alcoólicas e poção do amor).

gettyimages casal chocolate
Getty Images

De acordo com a médica, a ciência relaciona há anos os hábitos alimentares e o desempenho sexual. “A obesidade tem uma influência negativa na fertilidade masculina, enquanto a perda de peso melhora essa questão em homens. A insuficiência alimentar está associada a comportamentos de risco sexual aumentados, mais significativos em mulheres. Em relação aos macronutrientes e alimentos de grupo, ácidos graxos trans, alimentos com alto índice glicêmico, dieta rica em carboidratos e alta ingestão de proteínas animais prejudicam a fertilidade; enquanto isso, ácidos graxos ômega-3 e ômega-6, alimentos com baixo índice glicêmico e dieta com pouco carboidrato, rica em proteínas vegetais e antioxidantes melhoram a fertilidade”, diz a médica.

Também há diferenças entre os benefícios e malefícios para homens e mulheres: “As isoflavonas têm um impacto negativo na fertilidade dos homens e melhoram a saúde sexual das mulheres na menopausa. O leite integral pode melhorar a fertilidade das mulheres, mas os homens se beneficiam do leite desnatado”, acrescenta Marcella.

Segundo a médica, é observado na literatura científica que alimentos fontes de alguns nutrientes e compostos bioativos podem ajudar no desempenho sexual. São alguns deles:

Ostra_3

Fontes de zinco: esse mineral é importante na liberação de testosterona, condicional para a saúde sexual de homens e mulheres. “Ele está presente em alimentos como ostras cozidas, carnes vermelhas e brancas, soja, amêndoa, nozes, amendoim, castanha-do-pará, castanha-de-caju, sementes de abóbora, linhaça, girassol e melancia”, diz a médica.

receita-salmao-grelhado-ao-molho-de-laranja-do-divino-fogao

Alimentos que ajudam a liberação de neurotransmissores: conhecidos como hormônios do prazer, a serotonina, dopamina e endorfina têm papel importante na sensação de motivação, euforia, alegria, colaborando para a saúde sexual. “Os alimentos que ajudam nessa liberação são: aveia, chocolate amargo, banana, ovos, abacaxi, grão de bico, sementes de abóbora e peixes de água fria”, diz a nutróloga.

oleaginosas mixto pixabay

Nutrientes que estimulem óxido nítrico: “Alimentos que estimulam a liberação de óxido nítrico também são importantes, uma vez que ele é responsável pela vasodilatação e aumento da oxigenação dos tecidos”, afirma a médica. Esse aumento do fluxo sanguíneo é fundamental para ereção masculina e lubrificação feminina. “Invista na beterraba, alho, sementes oleaginosas, carnes em geral, vegetais verde-escuros e frutas cítricas.”

chocolate com pimenta

Termogênicos: ao estimular o sistema nervoso simpático, esses alimentos aceleram o metabolismo e melhoram levemente a circulação. São exemplos: as pimentas, o gengibre, o açafrão da terra (cúrcuma), a canela, o cravo, as especiarias, as ervas aromáticas e o café.

morangos cortados pixabay
Pixabay

Além disso, a médica acrescenta as frutas vermelhas e principalmente os morangos, considerados os frutos da sensualidade, sempre presentes quando o assunto é romance. “Ricas em antioxidantes e vitamina C, as frutas vermelhas também ajudam no fluxo sanguíneo”, diz a médica.

vinho brinde pexels

Com relação às bebidas alcoólicas como o vinho tinto e champanhe, é necessário ter cautela. “Em pequena quantidade, elas podem ajudar na vasodilatação e na descontração inicial, porém quantidades excessivas pioram muito o desempenho tanto de homens como mulheres”, diz a médica.

catuaba-em-po-granel-100g-15360373
Catuaba em pó

Algumas plantas medicinais como catuaba, ashwagandha, ginseng e tribulus entre outras, segundo Marcella, encontram respaldo na literatura como complementares nas terapias para a melhora das funções sexuais, porém como se tratam de medicamentos, preferencialmente devem ser consumidas seguindo prescrição médica. “Os efeitos farmacológicos dos afrodisíacos são heterogênicos, incluindo atividades de estímulo à dopamina ou com ação no sistema nervoso simpático, além da liberação de óxido nítrico”, afirma a médica.

Por fim, a médica lembra que, da mesma forma que o emagrecimento atua de maneira importante, é necessário seguir recomendação médica, pois a ingestão calórica sem aporte de nutrientes necessários pode afetar seriamente a saúde sexual. Além disso, alguns alimentos podem ser considerados anafrodisíacos, atuando de maneira contrária: desestimulando o desejo sexual. “E o excesso do consumo de alguns alimentos também pode prejudicar o desempenho, na medida em que sobrecarrega o sistema digestório, provocando cansaço no corpo. Caso note problemas de disfunção sexual, procure um médico”, finaliza Marcella Garcez.

Fonte: Marcella Garcez é médica Nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologiado Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Quarentena: masturbação pode substituir sexo durante isolamento social

Contatos próximos com outras pessoas, incluindo o sexo, não são recomendados no momento. No lugar, vale a pena apostar na masturbação, que possui benefícios que vão desde a melhora da libido até a diminuição do estresse. Ginecologista dá dicas para realizar a prática com segurança.

orgasmo_facebook

Devido à pandemia do novo coronavírus, devemos permanecer em isolamento social, evitando ao máximo o contato com outras pessoas. Dessa forma, encontros, beijos e até mesmo práticas sexuais não são recomendadas nesse momento, salvo nos casos em que o casal está passando a quarentena juntos.

“Não é o momento para busca de novos parceiros sexuais, porque o principal modo de transmissão se dá por meio de gotículas respiratórias e não temos como saber quem está infectado (já que alguns casos são assintomáticos) e quem está cumprindo corretamente o isolamento”, afirma Ana Carolina Lúcio Pereira, ginecologista membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).

O problema é que o sexo possui diversas vantagens, como diminuição do estresse, alívio de dores, melhora da qualidade do sono e até queima de calorias. Então, como alternativa à prática sexual, o recomendado é apostar na masturbação.

De acordo com a especialista, a prática da masturbação é interessante nesse momento, pois, além de ser uma opção mais segura ao sexo e ajudar a manter a sexualidade viva durante o isolamento, o hábito mantém a mente e o corpo funcionando, oferecendo uma série de benefícios ao organismo.

“A masturbação melhora a libido, alivia dores relacionadas à menstruação (como cólicas), fortalece o sistema imunológico e até ajuda a exercitar os músculos da região pélvica, prevenindo assim o surgimento de incontinência urinária”, destaca a ginecologista. “Além disso, durante a masturbação são liberados hormônios como a endorfina, que promove bem-estar, melhora o sono e ainda ajuda a reduzir os níveis de estresse”, completa.

Porém, é importante tomar alguns cuidados na hora de praticar a masturbação. Por exemplo, o ideal é utilizar as mãos ou então objetos próprios para essa função, feitos especificamente para se adaptarem à anatomia do corpo e com materiais que não causem toxicidade ao organismo.

“Busque em lojas especializadas acessórios de qualidade, que são desenhados e fabricados para essa finalidade. Evite improvisar nessa área. Não utilize objetos pontiagudos, alimentos ou acessórios que não foram feitos para o estímulo sexual para evitar acidentes”, alerta a médica.

“Além disso, lembre-se de manter a higiene desses objetos em dia para evitar infecções por bactérias e vírus. Para isso, utilize sabão neutro ou antibacteriano e água morna. Já no caso dos dispositivos elétricos, o ideal é usar apenas um pano úmido. Da mesma forma, a higiene das mãos e do órgão genital também são de extrema importância antes e depois da prática.”

Mas, apesar de ser uma prática saudável, é fundamental ficar atento aos excessos. “Isso por que a masturbação, por liberar hormônios associados ao bem-estar, pode gerar dependência, afetando nossa saúde psicológica e sexual. E esses riscos são ainda maiores nesse momento de isolamento pelo qual estamos passando. Logo, tome cuidado. Um sinal de alerta é quando a masturbação passa a interferir suas atividades rotineiras”, afirma a médica.

mulher masturbacao

Além disso, é importante que você respeite seu corpo e preste atenção a sinais de algo que possa estar errado. “Não é normal sentir dor durante ou após a masturbação. Feridas que não desaparecem espontaneamente após o estímulo também merecem atenção. Nesses casos, o ideal é que você consulte um ginecologista, que poderá realizar uma avaliação e diagnosticar corretamente o problema, indicando o melhor tratamento”, finaliza Ana Carolina.

Fonte: Ana Carolina Lúcio Pereira é ginecologista, membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), especialista em Ginecologia Obstetrícia pela Associação Médica Brasileira e graduada em Medicina pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro em 2005.

Sexo sem beijo? Ter relações sexuais pode aumentar o risco de contágio de coronavírus

Posso ter relações sexuais? Quais os cuidados que devo ter? Ginecologista explica como evitar o risco de contágio na prática sexual

O símbolo máximo de afeto é o beijo que, em muitos casos, pode despertar a libido. Mas você já deve ter escutado que beijar poderia espalhar o Novo Coronavírus. E, embora os coronavírus não sejam tipicamente transmitidos sexualmente, é muito cedo para saber, segundo a Organização Mundial da Saúde.

“A medida em que o surto de Covid-19 progride, tornando-se uma pandemia, fica claro que o principal modo de transmissão se dá por meio de gotículas respiratórias ou ao tocar uma superfície infectada e depois tocar nos olhos, nariz ou boca. Dada a atual incerteza em relação aos mecanismos de transmissão, são recomendadas, rotineiramente, precauções para evitar o contágio, inclusive com relação às práticas sexuais”, afirma Ana Carolina Lúcio Pereira, ginecologista membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).

maos-casal-casamento-768x551

“No entanto, cabe o bom senso. Se você e seu parceiro estão em isolamento social há mais de duas semanas, tomam o máximo de cuidado ao sair de casa apenas para as ocasiões mais necessárias, como ir ao mercado ou à farmácia, usando máscaras, não há problema na prática sexual. Mas se um de vocês apresentar sintomas de coronavírus, o afastamento terá que acontecer”, acrescenta.

Apesar disso, a médica ressalta: “Não é o momento para busca de novos parceiros sexuais, porque não temos como saber quem está infectado (já que alguns casos são assintomáticos) e não podemos ter certeza de que alguém está cumprindo o isolamento”, diz a médica.

Como a atividade sexual envolve o contato físico íntimo, especialmente se um dos parceiros envolvidos esteve exposto, ou se encontra infectado, o sexo precisa ser restrito pelo período estipulado pelos protocolos vigentes que, no momento, é de 14 dias. “Vale lembrar que a orofaringe é um sítio (local de contaminação) do Covid-19 podendo, então, ser transmitido pelo beijo. A medida restritiva à atividade sexual com novos parceiros vai ao encontro ao mesmo propósito do isolamento social, para atenuar a curva epidemiológica de infectados, com o intuito de evitar ao máximo a saturação dos serviços de saúde”, diz a médica.

É possível escolher práticas mais seguras. Segundo a médica, o(a) melhor parceiro(a) é aquele(a) com quem você possui vínculo afetivo ou que mora com você. “Sempre é discutível optar pela interação sexual, pois as pessoas podem ficar assintomáticas por 14 dias, ou seja, nesse período podem transmitir o Covid-19. Recomenda-se o banho antes e depois das práticas sexuais. A masturbação, carícias no corpo, masturbação a dois (hétero ou homo) e relação sexual pênis-vagina apresentam menor risco, com camisinha e sem beijos”, afirma Ana Carolina.

sexo casal cama

“Vale lembrar que o Covid-19 em pessoas infectadas foram encontrados na saliva e nas fezes. Mas não há evidencias sobre a presença do vírus no sêmen ou na secreção vaginal”, finaliza a médica.

Fonte: Ana Carolina Lúcio Pereira é ginecologista, membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), especialista em Ginecologia Obstetrícia pela Associação Médica Brasileira e graduada em Medicina pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro em 2005. Especialista em Medicina do Tráfego pela Abramet, a médica realiza consultas ginecológicas, obstétricas e cirurgias, atuando na prevenção e tratamento de doenças gineco-obstétricas com foco em gestação de alto risco.

Carnaval vem aí: entenda os riscos de não se prevenir sexualmente

Todos os dias, mais de 1 milhão de pessoas entre 15 e 49 anos contraem doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), de acordo com dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Isso equivale a mais de 376 milhões de novos casos anuais de doenças como clamídia, gonorreia, tricomoníase e sífilis.

“São doenças transmitidas pela relação sexual sem proteção. Com o carnaval se aproximando, época em que muitos caem na folia e abusam do álcool, nunca é demais reforçar a importância do uso de preservativo”, alerta Karina Tafner, ginecologista e obstetra, especialista em endocrinologia ginecológica e reprodução humana pela Santa Casa, e especialista em reprodução assistida pela Febrasgo.

Para que você entenda o risco de não se prevenir, a médica lista as DSTs e os danos causados à saúde:

exame de sangue são luiz
HIV
É a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causadora da aids, ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+.

Sífilis
Infecção causada pela bactéria Treponema pallidum. Surge 20 a 30 dias após o contato sexual, como uma úlcera genital indolor. A úlcera desaparece após alguns dias, mas, se não tratada a doença, pode evoluir para estágios mais avançados, podendo levar à morte.

Gonorreia
Causada pela bactéria Neisséria gonorrhoeae. O quadro clínico é variado na mulher, podendo ser “silenciosa” (assintomática), até causar quadro grave de cervicite (inflamação da cerviz, cérvix ou cervice, que é a parte mais estreita do colo uterino).

Tricomoníase
É causada pelo protozoário Trycomona vaginalis. Na mulher, causa corrimento esverdeado, abundante e fétido. Não há sintomas em homens.

Clamídia
Bactéria que pode causar desde um discreto corrimento até Doença Inflamatória Pélvica, que se caracteriza por febre e intensa dor pélvica. Se não tratada, pode evoluir para sepse e morte.

HPV-Infection vírus
Imagem: Agência Aids

Condiloma acuminado
É causada pelo Human Papiloma Vírus (HPV), que está relacionada ao câncer de colo do útero e ao câncer do pênis. Na vulva e no pênis, se caracteriza por pequenas verrugas.

Herpes simples
Infecção viral que se manifesta através do surgimento de pequenas bolhas muito doloridas ao redor da boca ou dos lábios genitais, que estouram e formam lesões crostosas.

Cancro mole
Causada pela bactéria Haemophilus ducrey. O quadro clínico se caracteriza pelo aparecimento de lesões dolorosas na região genital. A secreção dessas feridas pode contaminar diretamente, sem ter relações sexuais, outras pessoas e outras partes do corpo.

Mycoplasma genitalium
É uma bactéria de transmissão sexual que causa doença semelhante à clamídia e à gonorreia, mas com uma secreção mais transparente.

hepatite

Hepatite B e hepatite C
São transmitidas, principalmente, pelo contato com sangue contaminado, mas também por relação sexual. A transmissão sexual da hepatite C é pouco frequente, com menos de 3% em parceiros estáveis, mas ocorre em pessoas com múltiplos parceiros, sem uso de preservativo. Além disso, a coexistência de alguma DST – inclusive o HIV – é um importante facilitador dessa transmissão.

HTLV (Vírus Linfotrópico T humano)
Há dois subtipos: HTLV-1, que pode causar um quadro raro de leucemia e de doenças neurológicas, e o HTLV-2, com quadro clínico ainda não estabelecido.

“A maneira mais eficaz de evitar uma DST é utilizar a camisinha, tanto a feminina quanto a masculina, seja no sexo anal, vaginal e oral”, finaliza Karina.

Fonte: Febrasgo

Nove alimentos afrodisíacos para aquecer o relacionamento

Para muitas pessoas, comida e sexo são dois prazeres que costumam andar de mãos dadas. Por isso, não é de se admirar que em diversas culturas, dos persas até os astecas, as comidas afrodisíacas têm sido usadas para impulsionar o desejo sexual.
Para quem não sabe, a palavra afrodisíaco vem de Afrodite, a deusa grega do amor e da beleza.

Confira aqui uma pequena lista com alguns deles:

1. Chocolate

Chocolate-bom-pra-saúde
Diz uma lenda asteca, que o líder Montezuma bebia 50 cálices de chocolate todos os dias, pois isso aumentava suas habilidades sexuais com as suas 200 mulheres. Talvez, por isso, até hoje o alimento é considerado um sinônimo de amor e paixão, sendo, inclusive, um dos presentes mais tradicionais no Dia dos Namorados. Mas não é só isso, pesquisas indicam que o chocolate amargo contém certos compostos que elevam o humor, como a feniletilamina, que por sua vez controla a ação da norepinefrina, que nos excita (e dá aquela acelerada nos batimentos cardíacos), da serotonina e da dopamina (que são responsáveis pela sensação de bem-estar e felicidade). E isso, com certeza, pode ajudar as pessoas a entrarem no clima.

2. Café

FreeGreatPicture café casal
Nosso cafezinho de todos os dias também pode ser muito afrodisíaco. A cafeína presente na bebida aumenta a resistência e pode elevar o humor, além de aumentar os níveis de dopamina no cérebro, o que aumenta consequentemente o desejo e o prazer.

3. Pimentas vermelhas

pimenta
A capsaicina, uma substância química encontrada em pimentas vermelhas, elas é responsável pelo ardor e também por aumentar a circulação sanguínea e estimular as terminações nervosas, fazendo com que você se sinta mais excitado. Ela estimula ainda as terminações nervosas da língua, liberando adrenalina.

4. Ostras

ostras
As ostras levam a fama de serem afrodisíacas por terem a forma dos órgãos genitais femininos. No entanto, as ostras contêm altos níveis de zinco, substância que pode melhorar o desejo sexual aumentando a produção de testosterona. Elas também contêm tirosina, um nutriente que ajuda na produção de dopamina, que quando em baixa no organismo pode causar uma queda na libido.

5. Morangos

morango
Existe uma lenda que diz que os morangos tiveram origem nas lágrimas de Afrodite, que caíram em forma de coração, assim que ela soube da morte do seu amante Adonis. E por isso, a fruta é tão associada ao sexo, amor e paixão. Mas atualmente, os morangos são considerados comidas afrodisíacas porque são ricos em vitamina C, que é importante para a produção de hormônios sexuais e de neurotransmissores químicos no cérebro que aumentam a libido, além é claro, de ajudar a manter o seu sistema imunológico saudável.

6. Açafrão

acafrao condimento especiaria pixabay
Pixabay

A história deste alimento afrodisíaco remonta a Cleópatra. Dizem que ela se banhava em leite com infusão de açafrão para ficar ainda mais sedutora e despertar o desejo dos homens. Já pesquisas recentes, mostraram que o açafrão ajuda a aumentar a mobilidade dos espermatozoides e pode diminuir alguns dos efeitos colaterais sexuais causados pela ingestão de certos antidepressivos.

7. Abacate

abacate 1
No idioma asteca a palavra ahuacatl significa testículo, mas sua fama de alimento afrodisíaco vai muito além do nome. O abacate possui altos níveis de ácido fólico, vitamina B9 (que fornece energia para o organismo) e vitamina B6 (que ajuda na produção de testosterona). Por isso, ele é considerado uma das comidas afrodisíacas mais eficazes.

8. Salmão

tartar de salmao
O salmão é uma das mais conhecidas comidas afrodisíacas, já que é rico em ômega-3, substância importante não só para manter o coração saudável, mas que também ajuda a aumentar a libido, fornecendo o que é necessário para a produção de estrogênio, testosterona e progesterona.

9. Mel

mel pexels
Pexels

Hipócrates, na Grécia Antiga, tinha o costume de prescrever o mel para aumentar o vigor sexual. E não é pra menos. Ele contém boro, mineral que ajuda a regular os níveis hormonais, e o óxido nítrico, que ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo durante a excitação.

gettyimages casal chocolate
Getty Images

Esses são apenas nove das centenas de alimentos afrodisíacos. Escolhemos as mais acessíveis e muito fáceis de encontrar. Agora, basta testar os seus efeitos em qualquer outra data, afinal todo dia é dia de amar.

Fonte: A Chef Em Casa

Sextando no Dia do Sexo com ritual especial

Astróloga Virginia Gaia analisa o céu deste Dia do Sexo, e dá dicas para aproveitar a sexta-feira

Sexta-feira é dia de curtir! E 6/9 – que este ano cai na primeira sexta-feira do mês – é o Dia do Sexo para já começar o final de semana em clima quente. A astróloga Virginia Gaia conta que o céu do dia estará bem bacana para aproveitar a data valorizando relacionamentos saudáveis e saúde sexual.

A Lua estará no signo de Sagitário, chegando à fase crescente, Sol, Marte – que rege a sexualidade -, Mercúrio e Vênus estarão no signo de Virgem, o que facilita os assuntos ligados à saúde e à qualidade de vida, temas que geralmente interessam aos virginianos.

Para comemorar a data em grande estilo, Virginia preparou um ritual para quem está em um relacionamento ou para quem está sozinho no momento. Você vai precisar de um pires ou prato, mel – de preferência com geleia real -, três velas – sendo uma dourada, uma vermelha e uma verde. Coloque o mel no pires ou no prato no qual acenderá as velas, ele pode ficar em volta das velas.

velas pixabay
Pixabay

A vela dourada é para o Sol, a vermelha para Marte e a verde para Vênus (vale lembrar que sexta-feira é o dia da semana dedicado a Vênus, planeta patrono dos relacionamentos). Acender as três velas mentalizando saúde e vitalidade e canalizando a energia sexual – para quem estiver acompanhado pode ser tocando o parceiro e para quem estiver sozinho vale trabalhar o autoamor, tocando a si mesmo – e jogar a energia para o universo.

mel pexels
Pexels

O mel circundando as velas representa o Universo e o magnetismo pessoal e, caso o mel tenha geleia real, ela representa o poder feminino e a Grande Mãe, já que é o alimento das abelhas rainhas.

Sobre Virginia Gaia

virginia-328bxa.jpg

Virginia Gaia é sexóloga, astróloga, taróloga e estudiosa de mitologia e religião comparada há mais de 20 anos. Propagadora do Vama Marga Tantra, foi iniciada no Vajrayana – o chamado Budismo Tântrico ou Budismo Tibetano –, além de ter sido integrante de ordens iniciáticas e ocultistas. Com base na certificação de Capacitação em Sexualidade que obteve pela Abeme (Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual), é também educadora sexual, ministrando cursos e palestras sobre o amor e os relacionamentos que abordam o estreito vínculo entre sexualidade, afetividade e espiritualidade.

Confira sete dicas para curtir o Dia do Sexo

Hoje, seis de setembro, é o Dia do Sexo. Para celebrar a data mais gostosa do ano, a sexóloga Jéssica Siqueira de Oliveira separou algumas dicas para deixar a data ainda mais especial e picante!

=Transe em lugares novos e inusitados: aqui vale soltar a imaginação, a aventura e adrenalina apimentam ainda mais o momento, mas cuidado para não ser pego no flagra em lugares públicos.

casal-relacionamento-praia-onda-768x512.jpg
=Troque nudes durante o dia: para esquentar o clima, descubra a parte do seu corpo que ele/ela mais gosta, faça uma foto e envie. Atenção: não encaminhe imagens em que o rosto apareça, pois nunca se sabe onde essa foto pode parar.
=Utilize jogos ou brinquedos eróticos: o objetivo é sexo e diversão, o casal pode abusar de vibradores, anéis, calcinha ou cueca comestível, gel que esquenta ou esfria. =Também vale usar a criatividade com o que se tem em casa.
=Entre no personagem: depois do filme 50 Tons de Cinza, fazer sexo com submissão e dominação virou uma fantasia. Algemas, vendas nos olhos e até uns tapinhas durante o sexo valem, claro, se for ser de consentimento de ambas as partes.

maos-casal-casamento-768x551.jpg

=Crie roteiros e histórias fictícias: imaginar que você é outra pessoa, ou que vocês estão vivendo outra situação sempre cai bem para sair da rotina.
=Abuse do sexo oral: engana-se quem pensa que sexo oral é só preliminar e para dar um toque especial dá para usar sabores diferentes de menta, morango, chocolate entre outros.

ikamassutra.jpg
=Use a tecnologia para inovar no sexo: já existem aplicativos para ajudar o casal a fazer algo diferente na hora H, entre eles o iKamasutra Lite Sex Positions, Desire e Jogo do Sexo para Casais. É só baixar e experimentar.

Agora é só aproveitar as dicas e abusar da criatividade para comemorar o Dia do Sexo com muito prazer.

Sobre o Sexo Sem Dúvida

Fundada em 2013, a plataforma Sexo Sem Dúvida reúne médicos, psicólogos, fisioterapeutas, sexólogos, entre outros profissionais que atuam diretamente com sexualidade humana. Tem como objetivo levar saúde sexual a todo o Brasil, por meio de artigos, guias digitais e também com a realização de consultas online com sexólogos especializados.

Sexo sem Dúvida em números:
– Mais de 37 milhões de acessos no portal;
– Mais de 60 profissionais envolvidos;
– 375 artigos;
– 3.500 consultas online realizadas
– 37 vídeos no Youtube, somando 1.8 milhão de visualizações.

Oito fatores que diminuem a libido

Segundo uma pesquisa feita pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, por meio do Hospital Pérola Byington, 48% das mulheres procuram ajuda médica por conta de disfunções sexuais – 45% dessas estão entre a faixa etária de 40 a 55 anos; 36,4% entre 25 e 39; e somente 7,9% tem entre 20 e 24 anos.

Já o Estudo da Vida Sexual do Brasileiro aponta que esses problemas independem da idade da mulher, mas variam de acordo com a faixa etária. Falta de desejo é queixa de 5,8% das jovens entre 18 e 25 anos e de 19,9% de quem já passou dos 60. Entre os homens, essa porcentagem diminui bastante: apenas 2,4% dos jovens e 5% dos idosos reclama de baixa libido.

De acordo com Karina Tafner, ginecologista e obstetra; especialista em Endocrinologia Ginecológica e Reprodução Humana pela Santa Casa; e especialista em Reprodução Assistida pela Febrasgo, a falta de libido é uma das maiores queixas no consultório, especialmente entre casais que têm dificuldade para engravidar, pois o sexo deixa de ser prazeroso. Além deste, Karina lista outros motivos que resultam na baixa libido e explica por que acontecem:

– Diminuição da testosterona

mulher calor fogacho menopausa

A testosterona é um hormônio considerado masculino, afinal, sua concentração no corpo do homem é de 20 a 30 vezes maior do que no corpo feminino. Na mulher, quando a testosterona está em seus níveis ideais, é um importante componente regulador das funções biológicas do organismo. Quando os níveis do hormônio na mulher ficam baixos, várias disfunções são ocasionadas, entre elas, a baixa libido. No entanto, a queixa é menor em mulheres na idade reprodutiva. Ela pode acontecer com mais frequência após a menopausa (lembrando que a testosterona nunca deve ser dosada em vigência do uso de contraceptivos hormonais, pois os resultados são mascarados pelo uso de hormônios).

– Álcool

casal festa vinho pixabay
Pixabay

Em pequenas doses, pode levar ao aumento da libido em algumas pessoas, pois diminui a inibição e torna o indivíduo mais “relaxado” e menos inseguro. Entretanto, mais do que quatro doses de álcool por semana podem comprometer a libido da mulher. Isso porque, aparentemente, o álcool pode “imitar” o estrogênio e atrasar ou impedir a ovulação (exatamente no período em que a mulher alcança o auge da sua libido, segundo um estudo australiano). Os especialistas acreditam que o fato de não ovular pode comprometer também a atuação dos hormônios. O ideal é substituir o copo de vinho ou cerveja por água tônica, que contém relaxante natural para o corpo.

– Estresse

casal-discussao

Interfere no sistema nervoso autônomo pelo aumento do cortisol (popularmente conhecido como “hormônio do estresse”, o cortisol, que é produzido pelas glândulas suprarrenais, é liberado em momentos de nervosismo). Sendo assim, este desequilíbrio acaba alterando o humor, a sensação de bem-estar e, consequentemente, o desejo sexual.

– Hipotireoidismo

problemas-na-tireoide

A tireoide é uma glândula situada na parte anterior de nosso pescoço, responsável pela produção dos hormônios T4 e T3, fundamentais para o crescimento, metabolismo, para a fertilidade, entre outras funções. O funcionamento insuficiente da tireoide é chamado de hipotireoidismo. Os sintomas relacionados ao hipotireoidismo são consequência, principalmente, dos níveis baixos dos hormônios produzidos pela glândula. Entre eles, a baixa libido. O hipotireoidismo é mais comum em mulheres, especialmente acima dos 40 anos. Se não tratado, além da diminuição da libido, pode causar cansaço excessivo, alteração da função intestinal e até depressão, afetando ainda mais o desejo sexual.

– Pílulas anticoncepcionais

pilula anticoncepcionaç

Podem diminuir a libido, pois inibem a ovulação e, com essa inibição, não há o pico de testosterona que acontece nessa fase. O efeito se observa principalmente nas pílulas que contêm progesterona com efeito antiandrogênico. Também pode diminuir o desejo sexual das mulheres que usam pílulas com baixíssima dosagem hormonal, de 15 a 20 gramas de etinilestradiol.

– Sedentarismo

mulher dormindo sofá

Pesquisadores da Universidade do Texas estudaram mulheres entre 18 e 34 anos, e descobriram que aquelas que pedalaram por 20 minutos foram 169% mais animadas sexualmente quando confrontadas a imagens sexuais do que quando não se exercitavam. Um outro estudo indicou que a regra também se aplica aos homens, já que os que se exercitam de 20 a 30 minutos diários diminuem as chances de disfunção erétil em até 50%. Além disso, o aumento do peso corporal afeta a libido devido a diversas alterações hormonais decorrentes do acúmulo de gordura, assim como outros desajustes fisiológicos e psicológicos que afetam a saúde e a autoestima.

– Alimentação inadequada

mulher comendo chocolate

Uma dieta carregada em açúcar e alimentos processados afeta determinados hormônios e glândulas, privando o corpo dos nutrientes aliados da libido. Aposte em alimentos que levantam o ânimo sexual, como pimenta, abacate, castanha-do-pará, avelãs, cebolinha, aveia, noz-moscada, romãs, morangos e salmão selvagem, além de gergelim esmagado com mel.

– Tabagismo

mulher cigarro fumando

O hábito de fumar pode danificar o revestimento dos vasos sanguíneos, afetando a musculatura do pênis e inibindo o sangue de fluir. Os homens que fumam são 51% mais propensos a ter disfunção erétil do que os não fumantes, segundo uma meta-análise feita na China. A boa notícia é que um ano após parar de fumar, 25% dos ex-fumantes perceberam uma melhora nas ereções. Já para as mulheres, o tabagismo agride o sistema reprodutor, altera a lubrificação vaginal e aumenta a dificuldade de sentir prazer.

casal separado

“Mas nada é tão prejudicial para a vida sexual do casal quanto a falta de compreensão e amor do parceiro. Se não há romantismo e companheirismo na vida a dois, dificilmente haverá desejo e prazer na vida sexual”, reforça a ginecologista.