Arquivo da tag: sistema imunológico

Confira alguns superalimentos e como podem fortalecer o sistema imunológico

Alimentos como ovo, abacate, mel e espinafre atuam contra os efeitos nocivos dos radicais livres, retardando o processo de envelhecimento e ajudando no combate a doenças

Alimentar-se de forma saudável e equilibrada é essencial para garantir qualidade de vida e longevidade. Além de fornecer energia, uma boa alimentação é capaz de proporcionar bem-estar, prevenir doenças, manter o peso corporal adequado para a saúde e garantir benefícios em termos de desenvolvimento físico. Mas existem alguns alimentos que se destacam por reunir muitas propriedades nutricionais, sendo mais completos do que outros. São os chamados “superalimentos”, como ovo, abacate, banana, cacau, açaí, espinafre e mel.

“Eles atuam em múltiplas frentes: contra os efeitos nocivos dos radicais livres, protegendo e retardando o processo de envelhecimento, estimulando a inteligência, o sistema imunológico e até mesmo ajudando no combate a doenças como a depressão. Tudo graças às suas vitaminas, sais minerais e antioxidantes”, explica Lívia Salomé, médica especialista em Medicina do Estilo de Vida pela American College of Lifestyle Medicine.

Ela revela que, para suprir nossa necessidade diária de nutrientes como Vitaminas A, C, E, flavonoides, betacaroteno, ácidos graxos e ômega 3, é possível incluir uma pequena quantidade desses alimentos nas refeições e lanches. Por isso, a médica selecionou quatro receitas práticas com foco no fortalecimento do sistema imunológico. Confira:

Smoothie Energético

Thinckstock

Ingredientes:
¼ de beterraba pequena
1 polpa de açaí
½ banana nanica madura
1 copo de suco de laranja (250 ml)

Modo de preparo:
Bater todos os ingredientes. Servir em seguida para os alimentos não perderem os nutrientes.

Massa com legumes

Ingredientes:
1 cebola média cortada
2 cenouras cortadas ou raladas 
2 dentes de alho picados 
2 abobrinhas cortadas
2 berinjelas cortadas
1 prato de brócolis cozido
1 pacote de massa integral
Sal e pimenta a gosto 
Azeite de oliva
Tempero verde a gosto

Modo de preparo:
Cozinhe o macarrão al dente segundo as informações da embalagem e reserve. Leve uma panela média com azeite de oliva ao fogo e refogue a cebola e o alho até que fiquem dourados. Acrescente o brócolis, a cenoura, a abobrinha e a berinjela e deixe refogar bem. Corrija o tempero com sal e pimenta a gosto. Misture os legumes cozidos à massa e sirva com tempero verde, como cebolinha, salsinha e manjericão.

Rendimento: 6 porções

Peixe ao forno

Foto ilustrativa/winealittlecookalot

Ingredientes:
1kg de filé de peixe
2 tomates cortados em fatias grossas
1 pimentão em fatias (vermelho ou amarelo)
1 cebola em rodelas
1 abobrinha pequena cortada em rodelas
Salsa
Coentro (opcional)
Suco de 1 limão
Sal
Pimenta-do-reino

Modo de preparo:
Tempere o peixe com suco de limão, sal e pimenta a gosto. Em um refratário, monte as camadas, na seguinte ordem: abobrinha, peixe, pimentão, cebola e tomate. Salpique salsa por cima e, se quiser, coentro. Feche a travessa com um papel alumínio e leve ao forno por cerca de 40 minutos.

Rendimento: 4 porções

Torta de Espinafre com massa de grão-de-bico

Foto ilustrativa/VeganRicha

Ingredientes:
Para a massa:

1 xícara (chá) de grão-de-bico cozido
5 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 pitada de sal

Para o recheio:
2 ovos
3 claras
1 xícara de palmito picado
1 xícara de espinafre refogado
1 colher (chá) de sal
1/2 xícara de ricota amassada
3 colheres (sopa) de creme de ricota
Pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Comece pela massa. Em um processador, bata todos os ingredientes (o grão-de-bico, o azeite de oliva e o sal). Com a massa que formar, forre a base de uma forma. Reserve. Em uma tigela, misture todos os ingredientes para o recheio. Disponha-o sobre a massa na fôrma.
Leve a torta para assar em forno preaquecido a 200 graus por cerca de 30 minutos. Sirva.

Fonte: Lívia Salomé é graduada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tem especialização em Clínica Médica e certificação em Medicina do Estilo de Vida pelo American College of Lifestyle Medicine. Atualmente, é vice-presidente da Regional Minas Gerais do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida (CBMEV).

Dez alimentos que auxiliam a manter o organismo saudável

Opções saudáveis ajudam a fortalecer o sistema imunológico e combater doenças

Não é segredo que uma alimentação saudável e balanceada, com a ingestão correta de nutrientes e vitaminas, é a chave para a boa saúde. Segundo a nutricionista Thais Souza, é importante incluir na dieta alimentos ricos em vitaminas A, B e C, fibras, ácidos graxos e flavonoides – que podem ser encontrados na chia, no alho, no abacate e no gengibre. “Esses alimentos ajudam a proteger o organismo e atuam contra os efeitos nocivos dos radicais livres, retardando o processo de envelhecimento, por exemplo”, comenta a profissional.

Pensando nisso, a Bio Mundo, franquia de alimentos naturais e saudáveis, separou alguns alimentos que ajudam a fortalecer o sistema imunológico e combater doenças. Confira:

Chia

Conhecida como um “superalimento”, a chia possui diversos benefícios – ajuda a prevenir o envelhecimento precoce, doenças cardíacas, diabetes, câncer, fortalece a imunidade e protege os ossos, além de outros diversos benefícios.

Alho

Foto: Gadini/Pixabay

Parte das fibras encontradas na especiaria, favorecem o crescimento das bactérias boas e de alicina, que ajuda a combater os microrganismos ruins e ajuda na melhora da pressão arterial.

Abacate

Silverstylus/Pixabay

As gorduras encontradas na fruta, como ômega 3 e 6, são boas para o organismo, além de possuir pouco açúcar.

Gengibre

Ajuda a manter bons níveis de colesterol e insulina, alivia as dores nos músculos e articulações e auxilia no funcionamento do sistema digestivo, além de prevenir resfriados e ser anti-inflamatório.

Linhaça

GreenMe


Sementes ricas em ômega 3, o nutriente facilita o funcionamento do corpo e protege o coração, aumentando o HDL – o famoso colesterol bom – e reduz o triglicérides e o colesterol ruim, equilibrando todas as funções básicas do organismo.

Frutas vermelhas


Conhecidas como remédios para combater a anemia, colesterol alto, osteoporose e diabetes, são ótimas fontes de vitamina C, flavonoides e ácido gálicos, que ajudam prevenir o câncer, infecções e perda de memória. Além de seus benefícios, os alimentos ainda são versáteis, podendo ser consumidos naturalmente ou como ingrediente em alguma receita saudável e sucos.

Vegetais verde-escuros

Sempre que possível, é muito recomendado que estes alimentos, como brócolis, rúcula e escarola, apareçam nas refeições, pois são ricos em nutrientes, vitaminas, fibras e minerais, combinações importantes para saúde das células e dos olhos.

Azeite de oliva

Não é à toa que as nações italianas e francesas são vistas como duas das mais saudáveis mundialmente. Isso porque, a cultura tem hábito de finalizar os pratos com azeite de oliva extravirgem. O tempero inibe os radicais livres, combate doenças e contribui para o bom funcionamento do organismo.

Gergelim

Foto Agromix.In

Independentemente da versão, todos os tipos são ricos em nutrientes como, cálcio, magnésio, proteínas e lipídios, ótimos para prevenir e tratar problemas ligados ao esqueleto.

Maçã


A fruta conta com inúmeros nutrientes, além de uma boa quantidade de fibras. De fácil consumo, é rica em antioxidantes que previnem o envelhecimento celular e uma ótima ferramenta para quem trabalha com a voz, pois protege a garganta e as cordas vocais.

Fonte: Bio Mundo

Qual a relação do sistema imunológico e o tempo frio?

Quadros de doenças respiratórias são decorrentes das mudanças externas, como baixa umidade e ambientes pouco ventilados

A chegada do frio costuma ser marcada por quadros de espirros, coriza e tosse, decorrentes das mais variadas doenças respiratórias. Para os alérgicos, as mudanças bruscas de temperatura também afetam negativamente o organismo, causando, inclusive, dificuldade para respirar.

De acordo com Alberto Duarte, imunologista do Hcor, há evidências clínicas e laboratoriais indicando que a inalação de ar frio diminui a temperatura corpórea, causando estresse, com aumento dos níveis de mediadores metabólicos e diminuição de mediadores imunológicos, como as citocinas e imunoglobulinas, que pode resultar em vasoconstrição da mucosa respiratória e depressão do sistema imunológico.

“Essas alterações podem ser responsáveis por uma maior suscetibilidade a infecções durante o período de inverno, quando as pessoas são submetidas, às vezes, a baixas temperaturas”, explica.

De acordo com Duarte, a imunidade dos adultos é beneficiada com hábitos saudáveis. Portanto, adotar a prática regular de atividades físicas e uma alimentação balanceada, além de investir em boas noites de sono, costumam ser boas estratégias para se manter longe de determinados diagnósticos.

O frio e nosso sistema respiratório

Segundo o pneumologista do Hcor, Carlos Carvalho, nosso organismo reage de acordo com a temperatura e com o clima. “Quando as vias respiratórias são atingidas por um ar mais seco e frio, há uma piora do sistema respiratório. Isso ocorre porque há redução na produção de muco eliminado pelas glândulas das vias aéreas, na qual existem enzimas e anticorpos protetores. Com o frio, o transporte do muco das vias aéreas inferiores para as superiores fica comprometido e faz com que as doenças respiratórias se proliferem com maior facilidade”, explica.

Para se manter protegido de vírus e bactérias que afetam a respiração, o especialista indica algumas atitudes simples e eficazes para ultrapassarmos as estações frias sem infecções ou problemas respiratórios, tais como:

Pixabay

=Não se expor desprotegido a baixas temperaturas, evitando inclusive choques térmicos;
=Manter os ambientes arejados, a fim de minimizar a concentração de vírus e bactérias;
=Evitar aglomerações ou ambientes fechados com um grande número de pessoas;


=Higienizar bem as mãos com água e sabão ou álcool em gel;
=Evitar o contato com pessoas gripadas;


=Manter-se hidratado, já que o aumento de doenças respiratórias também tem relação com o tempo seco e a alta concentração de poluentes na atmosfera.

Outro ponto para o qual o médico chama atenção é a aplicação da vacina da gripe – estendida recentemente pelo Ministério da Saúde para toda a população.

Fonte: HCor

Nutricionista da Secretaria de Agricultura de SP indica alimentos que reforçam imunidade

Alimentação saudável pode auxiliar na recuperação de doenças como dengue, o Zika virus e a Chikungunya

As águas de março podem até sinalizar o término do verão, mas a falta de cuidados com a água das chuvas recorrentes nessa época continuam formando o ambiente propício para a proliferação de mosquitos. Com a pandemia da Covid-19, muitos têm se esquecido de um outro grande vilão à saúde: o Aedes aegipty, mosquito que transmite doenças como a dengue, o Zika vírus e a Chikungunya, e se desenvolve em água limpa empoçada, local ideal para colocar suas larvas.

Então, além de seguir todas as recomendações que vêm sendo feitas neste período, como a prevenção contra focos e criadouros, é importante também manter a imunidade em alta. Nessa questão, consumir os alimentos certos é fundamental.

A nutricionista da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Sizele Rodrigues, que atua na Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), dá as dicas para uma alimentação saudável que poderá deixar adultos e crianças menos vulneráveis às gripes, aos resfriados e outras doenças que deixam o corpo dolorido e perseveram por dias e até semanas. Segundo Sizele, vale a pena pensar melhor nos alimentos ingeridos, o que poderá não imunizá-lo totalmente, mas certamente vai contribuir para não contrair as doenças e, caso aconteça, ter uma melhor e mais breve recuperação.

“Manter uma alimentação saudável e adequada é um fator de extrema importância para o fortalecimento do sistema imunológico. Alguns nutrientes encontrados nos alimentos desempenham a função de modular a resposta imune do corpo e com isso ajudam a prevenir o desenvolvimento de diversas doenças”, afirma Sizele.

O sistema imunológico é a principal defesa do corpo humano, atuando contra inúmeras substâncias estranhas e essencial na prevenção de infecções. São vários os fatores capazes de influenciar o funcionamento desse sistema, como a idade, os fatores genéticos, metabólicos, ambientais, anatômicos, fisiológicos, nutricionais e microbiológicos, mas uma boa alimentação é a base de um bom funcionamento do corpo humano.

Alimentos que auxiliam a imunidade, aliado a exercícios físicos e boas horas de sono podem fazer a diferença

Steve Buissinne/Pixabay

A vitamina C ou ácido ascórbico possui papel importante no fortalecimento da imunidade por ter propriedades antioxidantes e auxiliar na integridade das células de defesa, o que aumenta a resistência contra infecções. Frutas como laranja, tangerina, limão, acerola, morango e goiaba são importantes fontes de vitamina C.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) a ingestão diária de 45mg de vitamina C, ou o consumo de apenas uma laranja por dia já supre essa necessidade no organismo. Muitos estudos apontam que 200mg/dia de vitamina C pode ser bastante benéfico à saúde e pode ser alcançado com apenas um copo grande (400ml) de suco da fruta. Já a deficiência severa de vitamina C pode levar ao aparecimento de escorbuto, doença caracterizada por hemorragias, sangramento de gengivas, dores musculares e queda de dentes em crianças e adultos.

“Apesar de o ácido ascórbico estar diretamente relacionado à boa imunidade, uma alimentação realmente capaz de proteger o organismo de doenças deve ser rica em várias outras vitaminas e minerais que estão presentes nos mais diversos tipos de alimentos. Portanto, as refeições diárias devem ser bem completas e equilibradas”, ensina Sizele Rodrigues.

Capri23auto/Pixabay

A vitamina A, encontrada em alimentos vermelhos e alaranjados, como cenoura, manga, abóbora e tomate, é outro nutriente importante na manutenção da integridade das células de defesa.

A vitamina E ajuda a proteger células contra substâncias tóxicas e favorece a função imunológica. As castanhas, o amendoim, as sementes de girassol e os vegetais verdes escuros, como brócolis, couve, por exemplo, são ricos neste nutriente.

Pixabay

O zinco é um mineral que está altamente relacionado ao fortalecimento do sistema imune, e é encontrado em carnes, laticínios, frutos do mar e cereais.

Além destes nutrientes, Sizele recomenda o consumo de probióticos, como o iogurte natural, por contribuir para o equilíbrio da microbiota intestinal e auxiliar as células de defesa no combate às infecções.

Pouring water from bottle into glass on blue background

E, claro, não se deve esquecer que a boa hidratação também é fator essencial para manter a imunidade em alta. A ingestão de dois litros, em média, de água por dia é fundamental, lembrando que não basta apenas se alimentar bem e ingerir água, é preciso aliar a essa alimentação saudável e balanceada, horas de sono regulares e a prática de exercícios físicos. “Controlar o estresse é imprescindível para o funcionamento do sistema imunológico e, consequentemente, para a prevenção de doenças”, afirma a nutricionista.

No mês de março é fácil encontrar, além das laranjas e limões, alimentos ricos em nutrientes para consumo durante todo o ano. A goiaba, a acerola e o caqui são algumas das frutas da época, o melhor momento para degustá-las por terem mais qualidade e sabor.

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Nutrientes essenciais para melhorar sua imunidade durante a epidemia

Adotar uma alimentação rica em vitaminas e minerais que fortaleçam o sistema imunológico pode ajudar na prevenção do contágio pelo vírus causador da Covid-19

O número de casos de Covid-19 tem voltado a crescer e a tendência é que continue a aumentar, principalmente com a chegada das festas de fim de ano. Porém, é possível se prevenir por meio da adoção de cuidados que atuem no fortalecimento do sistema imunológico, responsável por promover a defesa natural do corpo.

“A alimentação possui um papel fundamental na manutenção e fortalecimento do organismo, pois é responsável por fornecer nutrientes essenciais para as funções orgânicas, inclusive as imunológicas”, afirma Marcella Garcez, médica nutróloga e professora da Associação Brasileira de Nutrologia.

Para ajudar você neste momento, a especialista apontou os principais nutrientes que devem fazer parte da alimentação de quem deseja turbinar o sistema imunológico. Confira:

Vitamina A: segundo Marcella, alimentos ricos em vitamina A, como fígado de galinha, ovos, peixes e frutos do mar, desempenham um papel essencial no fortalecimento do sistema imunológico, pois o nutriente é capaz de atuar no controle da expressão gênica e na diminuição dos danos ao DNA, além de atuar também na manutenção da saúde da pele e possuir propriedade antioxidante, combatendo a ação dos radicais livres e o envelhecimento precoce do organismo. Os alimentos ricos em betacaroteno, substância que no organismo se transforma em vitamina A, como damasco, cenoura, abóbora, mamão, manga e batata-doce, ajudam a manter os níveis circulantes adequados.

Vitamina C: “A Vitamina C também possui importante função no sistema imune, pois ajuda a reparar e regenerar os tecidos, protege contra doenças cardíacas, auxilia na absorção de ferro e na diminuição do colesterol total e triglicerídeos, combate os radicais livres e, em dose suplementar, diminui a duração e os sintomas de resfriado comum”, destaca a especialista. São fonte de vitamina C alimentos como frutas cítricas, acerola, goiaba, kiwi, morango, laranja, pimentão, brócolis, couve, cranberry e caju.

Vitamina B6: de acordo com a médica, a Vitamina B6, também conhecida como piridoxina, é importante para a manutenção do sistema imunológico, pois participa de mais funções orgânicas do que qualquer outro nutriente isolado, auxiliando no metabolismo das proteínas e gorduras para formação de hemoglobina. “Podendo ser encontrada na batata inglesa, aveia, banana, gérmen de trigo, abacate, levedo de cerveja, cereais, sementes, nozes, espinafre, carne de porco, peixe, leite e ovos, o nutriente também é essencial para quem deseja manter a saúde da pele e do sistema nervoso em dia”, afirma.

Vitamina E – “A Vitamina E, encontrada em alimentos como cereais, óleos vegetais, carnes e ovos, também deve estar na dieta de quem deseja um sistema imunológico saudável, pois é uma vitamina lipossolúvel necessária para o bom funcionamento de muitos órgãos do corpo, além de ter alta propriedade antioxidante, sendo extremamente útil para retardar naturalmente o envelhecimento, processo que também interfere no desempenho do sistema imune.”

Pixabay

Selênio – “O Selênio, mineral que pode ser encontrado em alimentos como ovos, castanha-do-pará, cereais como arroz integral e sementes oleaginosas como girassol aumenta a resistência do sistema imune, fazendo com que o corpo consiga combater as doenças com mais eficiência, além de diminuir o risco de doenças cardiovasculares e ajudar na desintoxicação do organismo, pois, assim como o zinco, é necessário para a síntese de enzima antioxidante.”

Zinco – é outro mineral importante, pois combate os radicais livres, ajudando o sistema imunológico a ficar preparado para lutar contra doenças crônicas. “Por isso, é fundamental que você consuma alimentos como ostras, camarão, carne de vaca, frango e de peixe, gérmen de trigo, grãos integrais, castanhas, cereais, legumes e tubérculos, que são ricos em Zinco, que ainda é essencial para que o organismo sintetize enzimas antioxidantes que protegem o organismo”, recomenda a nutróloga.

Além dos alimentos citados acima, o consumo de água e alimentos ricos em probióticos, como iogurtes e queijos, também são essenciais para um bom funcionamento do sistema imunológico. “É sempre bom lembrar que esses e outros compostos bioativos, que também impactam o sistema imune, não devem ser tomados de forma isolada sem recomendação médica. Em quantidades desnecessárias ou excessivas, os nutrientes isolados podem trazer mais malefícios que benefícios. Portanto a melhor maneira de consumi-los por conta própria é na forma de alimentos. O uso de suplementos alimentares deve ser orientado por profissional capacitado”, afirma a especialista.

“Caso você sinta que sua imunidade está mais baixa do que deveria, é importante consultar um médico, pois apenas ele poderá indicar o melhor tratamento para o seu caso”, alerta Marcella. A médica ainda ressalta que, mesmo com o consumo de alimentos que ajudam o sistema imune, é importante atentar-se aos cuidados de proteção contra os vírus e bactérias causadores de doenças respiratórias, como higienizar as mãos com frequência, ou utilizar álcool em gel quando não se tem acesso à agua e sabão, não beijar, abraçar ou apertar as mãos das pessoas, cobrir boca e nariz ao espirrar ou tossir e evitar o compartilhamento de copos, talheres e qualquer utensílio de uso pessoal, evitar aglomerações e não esquecer de usar a máscara de proteção.

Fonte: Marcella Garcez é nutróloga, mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Confira sucos para impulsionar o sistema imunológico com frutas e legumes

Todo mundo sabe que alimentação saudável e equilibrada com frutas e vegetais frescos pode melhorar sua saúde e bem estar, fornecendo vitaminas e minerais importantes para o suporte imunológico. Mas comer frutas e verduras não é a única maneira, você também pode beber. De fato, algumas pessoas preferem beber suco a comer as porções recomendadas ao dia.

Algumas combinações oferecem ótimo sabor além de nutrientes essenciais. Confira algumas sugestões da nutricionista Adriana Stavro:

Suco de laranja, cenoura e cúrcuma

A cenoura é uma fonte de betacaroteno, que se converte em vitamina A no organismo. A vitamina A desempenha papel importante na regulação do sistema imunológico. A laranja é fonte de vitamina C. Um antioxidante que protege as células de substâncias nocivas. A cúrcuma (curcumina) é conhecida por suas propriedades anti-inflamatórias antiviral e antifúngico.

Ingredientes
● 200 ml de água filtrada
● 1 laranja sem casca e sem sementes
● 1 cenoura pequena descascada e picada
● 1/4 de colher de chá de açafrão ou cúrcuma

Modo de preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificado. Coe e beba em seguida.

Suco de morango e tangerina

Este suco delícia fornece super dose de antioxidantes

Ingredientes
● 200 ml de água filtrada
● 1 tangerina sem casca e sem sementes
● 5 morangos médios

Modo de preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificado e beba em seguida.

Suco de morango com kiwi e hortelã

Os kiwis e os morangos são frutas doces e cheias de vitamina C, e a hortelã é fonte de folato, vitamina A, magnésio e zinco.

Ingredientes
● 200ml de água filtrada
● 1 kiwi sem casca
● 5 morangos médios
● 10 folhas de hortelã

Modo de preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificado e beba em seguida.

Suco de cenoura, gengibre e açafrão

Este suco traz três vegetais importantes para suporte a imunidade e para diminuir quadros inflamatórios. A inflamação é uma resposta imune a infecções. Este trio, podem amenizar sintomas de gripes, resfriados, coriza, tosse e dores no corpo. Pessoas com artrite reumatoide podem se beneficiar com esse suco, pois o açafrão e o gengibre têm efeitos anti-inflamatórios.

Ingredientes
● 200 ml de água filtrada
● 3 pedaços de 2 cm de gengibre sem casca
● 1 colher de café de cúrcuma
● 1 cenoura pequena descascada e picada

Modo de preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificado e beba em seguida.

Espinafre, pepino, couve, melão e limão

Um suco verde à base de vegetais é uma boa dose de nutrientes fundamentais para o sistema imunológico. Adicione salsa para uma porção extra de vitamina B-6.

Ingredientes
● 200 ml de água filtrada
● Suco de 1 limão
● 1 pepino pequeno
● 1 folha de couve
● 1 fatia média de melão
● 5 folhas de espinafre (cozido)

Modo de preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificado e beba em seguida.

Fonte: Adriana Stavro é nutricionista funcional e fitoterapeuta, especialista em doenças crônicas não transmissíveis, mestre do nascimento a adolescência pelo Centro Universitário São Camilo.

Como manter uma relação positiva com os alimentos durante a pandemia

Professor no curso de Nutrição da Pitágoras Ipatinga dá dicas de alimentação, o que contribui para o controle da ansiedade durante a quarentena

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, muitas pessoas têm aproveitado o momento para descobrir novas habilidades na cozinha e passar o tempo. Mas este cenário também pode causar muita ansiedade, levando à compulsão alimentar e outros agravos à saúde. É importante destacar que neste período de quarentena, a alimentação saudável é fundamental para ampliar as chances de defesa do organismo.

Diante disso, este não é o momento de se pensar em restringir para emagrecer, pois uma dieta limitada fornece pouca energia e a quantidade de micronutrientes insuficiente (vitaminas e minerais), podendo vir a enfraquecer o sistema imunológico.

gettyimages casal chocolate
Getty Images

Segundo o professor no curso de Nutrição da Pitágoras Ipatinga, Daniel Urils, é possível se alimentar de forma equilibrada e saudável, degustando ocasionalmente chocolate ou outro doce que tanto gosta, sem engordar por causa disso. “Restrição gera compulsão. Se estiver com fome, sacie sua fome, depois aprecie seu doce preferido com muita atenção e sem interferências externas”, orienta.

Conforme explica o especialista, é importante sentir o aroma, mastigar lentamente e aproveitar o alimento em todos os aspectos. “Comendo com calma, é muito mais provável que vá precisar somente de um pedaço pequeno para se satisfazer, do que se comesse em frente à televisão, por exemplo”, reforça.

Para lidar com a ansiedade, muitas pessoas procuram alimentos à base de açúcares, ou com muita gordura. Essa situação pode até acarretar problemas à saúde intestinal, além de interferir no estado de humor. “O momento é de respeitar o seu tempo, o seu corpo, e não exigir demais de você mesmo”, destaca o nutricionista. Segundo o especialista, não existe fórmula mágica para uma alimentação que melhore a saúde, seja para fortalecer a imunidade ou para diminuir a ansiedade. “A chave do sucesso é se alimentar de forma equilibrada”, esclarece.

Nesse sentido, a mudança de hábito, embora importante, pode começar com pequenos passos. Uma dica é colocar mais salada no prato, o que auxilia na saciedade e contribui naturalmente para a redução da quantidade de outros alimentos.

“O importante é lembrar que as metas devem ser estabelecidas conforme a realidade de cada um, sem usar orientações feitas para outras pessoas, como blogueiras e personalidades famosas. Pense em como pode evoluir diariamente, sem pressão de conseguir toda a mudança que você quer em pouco tempo. Esse processo também envolve autoconhecimento e entrega para identificar e dominar os impulsos que nos fazem desistir. Reconhecer que somos humanos e podemos falhar é fundamental, pois muitas vezes desistimos de tentar apenas porque fizemos escolhas menos saudáveis em uma refeição, quando na verdade podemos usar essa vivência para aprender e progredir”, finaliza.

Fazer boas escolhas alimentares ajuda a manter a mente saudável. As diretrizes do Guia Alimentar para a População Brasileira , do Ministério da Saúde, podem auxiliar a população a realizar uma alimentação equilibrada.

Confira mais dicas do professor de Nutrição da Pitágoras Ipatinga:

orgânicos 1

• Faça de alimentos in natura ou minimamente processados a base de sua alimentação: ou seja, priorize o consumo de alimentos obtidos diretamente de plantas ou de animais, como legumes, verduras, frutas, batata, mandioca e outros tubérculos; arroz, milho, feijão de todas as cores, lentilhas, grão de bico e outras leguminosas; castanhas, nozes, amendoim e outras oleaginosas sem sal ou açúcar; farinhas de mandioca, de milho ou de trigo e macarrão feito com essas farinhas e água; carnes; leite e iogurte (sem adição de açúcar);
Evite alimentos processados, como refrigerantes, biscoitos recheados, salgadinhos de pacote e macarrão instantâneo;

chá camomila
Foto: chamomileteaonline

Alguns alimentos podem contribuir com o controle da ansiedade. É o caso de chás calmantes e que não contenham cafeína, como camomila, melissa, maracujá;
• Procure fazer suas refeições diárias em horários semelhantes. Evite ‘beliscar’ nos intervalos entre as refeições. Coma sempre devagar e desfrute o que está comendo, sem se envolver em outra atividade;

alimentação mel
Procure comer sempre em locais limpos, confortáveis e tranquilos, onde não haja estímulos para o consumo de quantidades ilimitadas de alimentos;
• Sempre que possível, prefira comer em companhia das pessoas que gosta, lembrando da importância do isolamento social que se faz necessário neste momento. Procure compartilhar também as atividades domésticas que antecedem ou sucedem o consumo das refeições;

mulher cozinhando
• Se você tem habilidades culinárias, procure desenvolvê-las e partilhá-las com as pessoas com quem você convive, principalmente com crianças e jovens. Se você não tem habilidades culinárias, e isso vale para homens e mulheres, procure adquiri-las. Para isso, converse com as pessoas que sabem cozinhar, peça receitas a familiares, amigos e colegas, leia livros, consulte a internet, eventualmente faça cursos (há tantas opções online) e…comece a cozinhar.

“Como todas as habilidades, o preparo de alimentos melhora quando é praticada. Descasque mais e desembale menos”, finaliza Urils.

Fonte: Faculdade Pitágoras

Conheça alimentos que ajudam a melhorar o sistema imunológico

Alimentos de cores variadas garantem nutrientes importante para manter a imunidade em alta

Manter uma alimentação saudável e adequada é um fator de extrema importância para o fortalecimento do sistema imunológico, já que ele é responsável por proteger nosso organismo contra bactérias e vírus, que é o caso do covid-19. Nutricionistas da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo orientam a aumentar o consumo de alguns nutrientes encontrados nos alimentos, que desempenham a função de modular a resposta imune do corpo e com isso ajudam a prevenir o desenvolvimento de diversas doenças.

frutas-citricas-limao-laranja

A vitamina C, presente principalmente nas frutas cítricas, é um potente antioxidante que diminui o dano celular e mantém a imunidade em alta.

tomates alexas_fotos pixabay

Outro nutriente muito importante na manutenção da integridade das células de defesa é a vitamina A, encontrada em alimentos vermelhos e alaranjados como a cenoura, abóbora, manga e tomate.

amendoim

Já a vitamina E ajuda a proteger células contra substancias tóxicas e favorece a função imunológica. As castanhas, amendoim, sementes de girassol e vegetais verdes escuros são ricos neste nutriente.

getty images laticinios

O zinco é um mineral que está altamente relacionado ao fortalecimento do sistema imune, ele é encontrado principalmente em carnes, laticínios, frutos do mar e cereais.

mulher comendo iogurte

O consumo de probióticos, como o iogurte natural, também é bastante recomendado, pois eles contribuem para o equilíbrio da microbiota intestinal e auxiliam as células de defesa no combate a infecções.

mulher bebendo agua pixabay
pixabay

A boa hidratação é outro fator essencial para manter a imunidade em alta. A recomendação é de ingerir, em média, dois litros de água por dia.

Aliar a boa alimentação com hábitos mais saudáveis, como manter o sono em dia, praticar algum tipo de exercício físico e controlar o estresse, é imprescindível para o bom funcionamento do sistema imunológico e, consequentemente, para a prevenção de doenças.

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Coronavírus: como reforçar o sistema imunológico para dificultar contaminação*

O coronavírus chegou ao Brasil e colocou governos e órgãos de saúde em alerta máximo. A propagação do covid-19, como vimos na China, é rápida e requer uma série de cuidados. A chave para a proteção não está somente em ter um ambiente esterilizado. É preciso que tenhamos cuidados diários para o fortalecimento do sistema imunológico, pois é ele o responsável por proteger nosso organismo e responder a ataques provocados por vírus e bactérias. E isso passa, necessariamente, pelo delicado equilíbrio entre o corpo e a mente.

O surgimento do novo vírus e a pandemia que enfrentamos hoje decorrem de um grande desequilíbrio ambiental, que permitiu a sua multiplicação em um ambiente lotado de pessoas com sistemas imunológicos debilitados ou incapazes de conhecerem esta classe de micro-organismos como sendo de alto risco.

Por isso, ações preventivas são a resposta para minimizar esses fatores. O melhor a fazer é reforçar as defesas do nosso organismo para tentar barrar as ameaças externas. Nos seres humanos, as baixas atividades imunológicas ocorrem quando há desequilíbrios fisiológicos e emocionais.

Neste processo de proteção, tudo começa na comida, já que o intestino representa 90% em um processo imune. Por isso, é necessário cuidar da qualidade dos alimentos que colocamos na nossa mesa e manter em equilíbrio as emoções e pensamentos. Esta, certamente, é a parte mais difícil.

Evitar alimentos industrializados e fontes de carboidratos simples, como açúcar refinado e os sucos industrializados compostos por néctar, e investir na reconstituição da microbiologia, são imprescindíveis, pois mais de 50% das pessoas estão com alguma deficiência em relação aos bacilos que formam e promovem a microbiota intestinal. Nesse sentido, alguns alimentos são indispensáveis: inhame, rabanete, nabo, couve, brócolis e vegetais escuros. Frutas cítricas, como limão e laranja, tomate e linhaça, são outros itens que não podem faltar na mesa durante o processo de fortalecimento da imunidade.

É possível, ainda, lançar mão dos complementos alimentares, como ômega-3, lactobacilos e fibras alimentares. Seja em cápsulas ou na forma de chás, a cúrcuma, a maca peruana, a equinácea, o ginseng, o gingko biloba, astragalus, anis estrelado e a erva-moura também são aliados de peso na construção da saúde.

exercicio academia ginastica

Outro passo importante é controlar o estresse, pois um dos hormônios liberado nestas condições é o cortisol, que, em desequilíbrio, interfere na qualidade do sono, o que resultará na predisposição a contaminações. Sabemos que, em tempos modernos, é difícil se manter livre do estresse e até mesmo desfrutar de uma boa noite de sono, mas estes são fatores preponderantes para que o nosso organismo esteja forte. Um caminho para quem precisa atingir esse estágio é a prática diária de atividade física. Além de preparar o corpo, a liberação de endorfina ajuda a combater o estresse e a melhorar a qualidade do sono. Tudo está interligado.

lavando maos lavar mãos pixabay

Depois desses cuidados, entram em cena as dicas referentes ao ambiente. Deve-se tanto higienizar constantemente as mãos e evitar ambientes abafados quanto evitar pessoas, relacionamentos e ambientes emocionalmente “tóxicos”. Outro fator importante é evitar a contaminação eletromagnética, mantendo o celular longe do corpo sempre que possível e, à noite, fora do quarto.

mulher-dormir_maquiada

A exposição (com proteção) ao sol e a ambientes naturais é tão vital quanto selecionarmos melhor as informações e programas que assistimos, além das músicas que ouvimos. A boa noite de sono, cada vez mais rara, tem valor fundamental para o nosso equilíbrio. No mais, procure manter a mente em constante funcionamento, seja estudando idiomas, culturas ou tocando algum instrumento musical. E tente, sempre que possível, trabalhar menos e viajar mais. Sempre que possível, claro.

fernando facini

*Fernando Facini é terapeuta quântico, especialista em saúde integral, diretor de prevenção a doenças no Instituto Mispá, bacharel em Educação Física pela PUC de Campinas.

Alimentação balanceada fortalece sistema imunológico e é arma contra coronavírus

Com a imunidade fortalecida, reforçada por suplementação vitamínica e por hábitos higiênicos simples, ficamos menos suscetíveis às gripes e resfriados e até a infecções e doenças como o Covid-19

Especialistas são unânimes em apontar que as vitaminas A, B6, B12 e C, bem como o ácido fólico e zinco auxiliam no funcionamento do nosso sistema imune. Também atestam que a vitamina D pode melhorar a função endotelial, que a E pode influenciar a suscetibilidade a doenças infecciosas e alérgicas, e que a metabolização da vitamina A é auxiliada pelo zinco.

A questão é: como estar com o sistema imunológico preparado para enfrentar, por exemplo, doenças respiratórias cuja incidência aumenta, em especial em idoso e crianças, com a chegada do outono e do inverno? E, em especial, agora com a entrada no país de um novo coronavírus.

mulher comendo comida envato elements
Envato Elements

“O segredo é ter uma alimentação balanceada, com a ingestão de frutas e legumes e, em especial, proteínas, vitaminas e minerais, que ajudam a fortalecer o nosso sistema imunológico”, revela o chefe de nutrologia do Instituto Dante Pazzanese e diretor do serviço de nutrologia do HCor, Daniel Magnoni.

mulher comendo peixe

Segundo ele, a ingestão de proteínas é um dos pontos que mais influenciam a imunidade. “Em pacientes internados ou com deficiência de imunidade, indicamos um maior aporte de proteínas como forma de estimular todos os processos de defesa e proteção imunitária”, frisa. A escolha da proteína, assunto muito em voga, deve começar com as proteínas do leite e derivados, carnes magras de forma geral.

Magnoni ressalta que a obtenção de doses recomendadas de vitaminas e minerais é difícil de ser alcançada, seja devido à correria do dia a dia, seja por meio da alimentação, que nem sempre supre as necessidades do nosso organismo. “Nesse sentido, a suplementação acaba sendo uma possibilidade indicada de forma pragmática”.

suplemento omega 3

“Há diversas opções no mercado, como as direcionadas aos adultos, gravidas idosos e crianças, inclusive uma mais recente na forma de gomas, que representa uma nova geração, que não necessitam de água para serem ingeridas, são de fácil transporte e tem sabor agradável”, completa. De acordo com o médico, podem, ainda, ser usados os suplementos disponíveis no mercado, como o Whey isolado ou hidrolisado e, em alguns casos, derivados do colágeno.

Bons hábitos ajudam

café da manhã leite frutas

Alimentar-se de forma equilibrada é um desafio que pode ser vencido, conforme as dicas de Magnoni. Entretanto, além de uma alimentação balanceada e de suplementação vitamínica, feita por orientação de um médico ou nutrologista, alguns hábitos podem ajudar na prevenção eficiente de doenças e infecções, mais comuns no outono e inverno. O médico elenca:

=Lavar as mãos e antebraços com frequência.
=Cobrir boca e nariz ao espirrar ou tossir.
=Ficar em casa caso tiver os sintomas, pois isso evita a propagação de vírus.
=Jamais se automedicar e procurar um médico somente em caso de febre persistente, acompanhada por incômodo quando respirar.

Fonte: HCor