Arquivo da tag: sobras

Pós-Páscoa: nutricionista do Sesi-SP dá dicas de como aproveitar os chocolates que sobraram

Receitas com o aproveitamento integral dos alimentos e rituais com momentos prazerosos são algumas ideias do portal Alimente-se Bem, desenvolvido pelo Sesi-SP para consumidores e empresas do setor

Depois do feriadão com Páscoa e muitos chocolates, e com as opções de lazer fechadas, o jeito é ter criatividade para desfrutar bons momentos com o que traz felicidade. Inovar e aproveitar as sobras dos ovos de Páscoa pode ser uma alternativa para passar melhor o tempo, quando consumido com moderação. As receitas que estão no portal Alimente-se Bem, no ar desde outubro de 2020, trazem como conceito a alimentação saudável, sustentável e econômica.

Para os amantes do chocolate, a nutricionista do Sesi-SP, Aline Pendeza, relata que muitas pessoas têm dificuldade em conseguir consumi-lo em porções moderadas. Pensando nisso, a nutricionista disponibilizou no podcast do Alimente-se Bem, disponível no site, um áudio que leva a uma meditação para ser feita no momento da degustação do chocolate. Um exercício para treinar a capacidade de trazer atenção ao minuto presente, ao comer, sem julgamentos ou críticas, com uma atitude de abertura e curiosidade.

“Comer com atenção plena (ou no termo em inglês, mindful eating) é uma aptidão inata do ser humano, mas se perde ao longo dos anos com as experiências de vida, regras, preocupações, expectativas e fantasias.” Para a meditação, Pendeza orienta que a pessoa esteja num local tranquilo e sem interrupções para curtir as melhores sensações sem aquele peso na consciência.

O site também oferece quatro receitas criativas que podem ser aproveitadas com as sobras dos ovos de chocolate, como bombons recheados com doce de grão-de-bico , mousse de chocolate com aquafaba , miniovos com merengue de aquafaba e pirulitos de semente de jaca.

O chocolate pode ser uma opção mais saudável com menor gordura, quando obtido com maior concentração de cacau. No chocolate amargo, por exemplo, a proporção de massa de cacau varia de 35 a 85%. Na versão ao leite, corresponde a cerca de 30%. Já a versão branca utiliza a manteiga de cacau, que é a parte da gordura extraída do fruto.

O cacau é rico em magnésio, fibras, polifenóis, flavonoides, ferro e antioxidantes. De todos os nutrientes, a função mais importante é a de proteger nossas células contra danos causados pelo envelhecimento, especialmente as células do coração. Alguns estudos, que dependem de um aprofundamento maior, demonstram que o consumo de chocolate parece estar associado também a um menor declínio cognitivo.

Fonte: Alimente-se Bem

Como conservar os alimentos que sobram nas festas de fim de ano?

Acondicionar alimentos corretamente aumenta sua durabilidade e faz bem para o bolso

As celebrações de Natal e Ano-Novo são sempre sinônimos de aglomeração em família, mas neste ano nem todos poderão passar a data juntos por conta do isolamento social causado pela pandemia. No entanto, uma coisa é certa: terá muita comida na mesa e, assim como todo ano, as sobras dos alimentos devem durar para além das ceias.

Segundo o estudo Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com a Embrapa e o programa Sem Desperdício da União Europeia, revelou que o Brasil joga fora, por pessoa, 42 quilos de comida por ano. Logo, em uma família, o estudo revela o desperdício de 128 quilos de alimentos por ano.

O efeito causa impactos sociais, econômicos e ambientais. A produção e colheita dos alimentos afetam o campo em que foram plantados e, a partir disso, no momento em que a comida é desperdiçada, tal dano ambiental foi causado em vão. Além da perda de dinheiro investido.

Para reduzir a quantidade de comida que vai parar no lixo depois das festas de fim de ano, o ideal é reutilizar os alimentos para criar outros pratos e garantir o almoço da semana toda. Para que isso seja possível é preciso manter tudo bem refrigerado e acondicionado em embalagens plásticas. Desta forma, a comida será conservada e sua durabilidade aumentará consideravelmente.

Como conservar

Alimentos assados, cozidos e fritos podem ser congelados. O ideal é refrigerar as sobras das refeições em pequenas porções individuais. Além disso, é relevante escolher o recipiente correto, já que as embalagens adequadas influenciam na durabilidade dos produtos. A diretora de Comércio Exterior e Marketing da Alpfilm, Alessandra Zambaldi, informa que para congelar alimentos, o mais indicado é utilizar sacos plásticos herméticos que impedem a entrada de ar e previnem a contaminação por fungos e bactérias.

“Um fator determinante para garantir maior durabilidade dos alimentos na geladeira é escolher adequadamente os recipientes que serão utilizados. O ideal é fazer uso de recipientes para conservar o alimento e vedar com tampa ou caso não houver, com embalagens plásticas, como o plástico filme PVC Alpfilm Protect, material com micropartículas de prata com propriedade bactericida e fungicida. Assim, além de não ocorrer absorção de umidade, a embalagem também impedirá a entrada de bactérias e fungos. A proteção é ainda mais relevante por conta da pandemia em que estamos vivendo, pois este produto também possui capacidade de inativar o novo coronavírus”, conta a diretora.

Foto: foodsafetysuperhero

Além disso, o uso de etiquetas nas embalagens facilitam a diferenciação dos alimentos. A identificação traz maior praticidade na hora de retirar o alimento do congelador. A diretora indica que seja anotado o prazo de validade para certificar-se de consumi-lo em bom estado.

Outra dica é que, apesar do que muitas pessoas acreditam, não é necessário esperar que o alimento esfrie para inserir no congelador. “Esperar a comida esfriar para congelá-la pode reduzir o tempo consumo e isso acontece porque, quando em temperatura ambiente, o alimento fica mais exposto à contaminação por fungos e bactérias. Por isso, o ideal é não aguardar mais que duas horas para levar o prato ao freezer”, explica.

Recongelar o alimento também não é indicado: depois de descongelar um alimento, não o leve de volta ao freezer. A diretora afirma que quando em contato com o ar em temperatura ambiente, o nível de proliferação de micro-organismos aumenta. Desse modo, quando recongelada, a comida possuirá uma carga microbiana muito maior, podendo causar intoxicações alimentares após o consumo.

Evitar o desperdício de alimentos, além de ser a opção mais inteligente e econômica, também contribui para o meio ambiente com o uso consciente dos recursos naturais e maior sustentabilidade.

Fonte: Alpfilm

Chef Thiago Ribeiro ensina a preparar torta low carb com sobras da ceia

Aprenda uma torta incrível para fazer com as sobras da ceia de Natal

Exagerou nos pratos para a ceia de Natal? No dia seguinte sempre acaba sobrando alguma coisa da ceia de Natal não é mesmo, para aproveitar essas sobras e não desperdiçar, o chef Thiago Ribeiro ensina uma torta LowCarb incrível, que certamente você vai querer fazer.

Confira o passo a passo e boas festas:

Torta Low Carb – Sobras da Ceia

Ingredientes da massa
1 xícara de farinha de amêndoas
¾ xícara de farinha de mandioca ou arroz
½ xícara de farinha de coco
½ xícara de #parmesão ralado
3 colheres de sopa de manteiga #ghee
2 colheres sopa de óleo de coco
2 ovos grandes

Ingredientes do Recheio
800 g a 1 kg de proteína desfiada das sobras da ceia (peru, pernil, frango, lombo, bacalhau)
150 g de azeitonas
100 g cream cheese
1 pitada de pimenta
Sal a gosto
Ervas frescas a gosto

Modo de Preparo
Coloque todos os ingredientes da massa em uma vasilha e amasse até soltar das mãos.
Embale a massa em um filme plástico e deixe na geladeira por 30 minutos. Para o recheio, misture sem aquecer, todos os ingredientes até ficar homogêneo. Forre com papel manteiga, a lateral de uma assadeira de 20 cm com fundo removível. Coloque a massa e abra deixando uma borda de 4 a 6 cm de altura. Coloque o recheio, deixando 1,5 cm da borda da massa livre, dobre a borda por cima e leve para assar por 35 minutos, em forno preaquecido a 200 graus.