Arquivo da tag: susan bowerman

5 maneiras de evitar o desperdício de alimentos e ajudar o planeta*

Um dos maiores problemas que assolam o mundo é o desperdício de alimentos. De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, cerca de 1,3 bilhão de toneladas é perdido ou vai para o lixo, impactando a insegurança alimentar no mundo, número que corresponde a um terço de todos os alimentos produzidos globalmente.

É um cenário difícil de entender especialmente quando temos a sorte de ter comida na geladeira ou na despensa sempre que sentimos fome. Mas esse privilégio também pode nos inspirar a fazer escolhas mais conscientes.

Uma pesquisa conduzida pela Herbalife Nutrition nos Estados Unidos sobre dietas a base de plantas mostrou que 40% das escolhas alimentares dos entrevistados são motivadas pelo interesse em ser mais ecologicamente correto. Reduzir o desperdício de alimentos é uma ação adicional e simples que pode ter um grande efeito.

Como causar um impacto positivo

Existem várias maneiras de reduzir o desperdício de alimentos e viver de forma mais sustentável. Confira cinco delas:

Planeje com antecedência


Preparar refeições nutritivas para a semana ou planejar o menu do próximo encontro em família são ótimas maneiras de garantir que você prepare apenas a comida que irá consumir e evitar servir quantidades além do que seus convidados podem comer.

Considere cozinhar com ingredientes mais sustentáveis

As pessoas estão buscando dietas baseadas em vegetais por muitas razões. Dentre elas: saudabilidade, perda de peso e preocuação com o meio ambiente. Para aqueles que estão começando, um cardápio flexível, baseado principalmente em vegetais com a inclusão ocasional de carnes, aves, peixes ou ovos, pode ser um bom início e é uma ótima maneira de manter uma dieta saudável e equilibrada. Ao mesmo tempo, ajuda a proteger o meio ambiente, reduzindo a energia e os recursos que a produção da carne vermelha requer.

Proporcione adequadamente o alimento em seu prato

Foto: Stocksnap/Pixabay

Deixe as panelas sobre o fogão e se sirva na cozinha. Este simples hábito evita a sobra de alimentos no prato. Com os pratos servidos na mesa é muito mais fácil colocar “apenas mais uma colherada”, que pode acabar sobrando. Aliás, os restos deixados no prato são uma das maiores fontes de desperdício de alimentos que acabam no lixo. Isso ainda ajuda a controlar as porções.

Reaproveite os alimentos que estão prestes a estragar

Christopher Chilton/Pixabay

Existem muitas maneiras de aproveitar os alimentos perecíveis, mesmo quando eles começam a parecer um pouco “tristes”. Quando seus tomates ficarem moles demais para serem usados na salada, considere transformá-los em molho caseiro. As bananas estão ficando marrons e moles? Descasque e congele para usar como ingrediente saudável para preparar deliciosos smoothies. Sopas, refogados e saladas também são ótimos pratos que podem incluir diferentes ingredientes com vida útil mais curta.

Doe o excedente para quem precisa

Foto: Onehundreddollarsamonth

Quando for organizar a despensa, considere doar os alimentos não perecíveis extras para bancos de alimentos e instituições de caridade locais. E da próxima vez que for limpar a geladeira, o freezer ou a despensa, preste atenção no que você jogou fora e faça um esforço para reduzir o desperdício de alimentos no futuro.

*Por Susan Bowerman, Diretora Sênior Global de Educação e Treinamento em Nutrição da Herbalife Nutrition

Nutricionista da Herbalife dá dicas para reforçar as defesas por meio de uma boa alimentação

Uma alimentação saudável é essencial para o bom funcionamento do sistema imunológico, segundo Susan Bowerman, diretora sênior global de educação e treinamento em nutrição da Herbalife Nutrition.

“Quando paramos para pensar em tudo o que esse sistema faz por nosso corpo, é fácil perceber por que precisamos tanto dele. Afinal, ele funciona como um pequeno exército que protege o organismo, identificando qualquer coisa estranha – vírus, bactérias ou parasitas – os encontra e faz o possível para destruí-los”, afirma a diretora.

Susan explica, ainda, quais características deve ter a dieta de uma pessoa que deseja melhorar seu sistema imunológico. “Seu corpo depende dos nutrientes adequados e de um estilo de vida saudável para ter uma boa defesa”.

Por isso, invista nos seguintes alimentos:

Proteínas: o sistema imunológico possui glóbulos brancos que atuam como “forças especiais” que produzem anticorpos para identificar e destruir vírus e bactérias. Os anticorpos são proteínas, por isso é necessário que a dieta tenha quantidades adequadas desse nutriente para produzi-los. As proteínas são formadas por aminoácidos; nove dos quais são chamados “aminoácidos essenciais” e devem ser consumidos por meio dos alimentos, pois o corpo sozinho não pode produzi-los. Algumas boas fontes são peixes, aves, carnes magras, ovos, legumes, soja e laticínios. As proteínas de origem animal têm todos os aminoácidos essenciais nas proporções certas. Já as proteínas vegetais, devem ser combinadas para fornecer todos os aminoácidos essenciais, com exceção da soja que tem todos os aminoácidos essenciais de forma balanceada.

Frutas e vegetais: são elementos-chave ao corpo, pois fornecem diferentes vitaminas e minerais que contribuem para o funcionamento do sistema imunológico. Entre eles está a vitamina A, que contribui para a saúde da pele e dos tecidos do trato respiratório e digestivo, e atuam como a primeira linha de defesa; A vitamina C, que promove a produção de anticorpos, além da vitamina D, folato, vitamina B6 e B12. As frutas e os vegetais também fornecem fitonutrientes, substâncias bioativas importantes que atuam como antioxidantes.

Lácteos: manter o sistema digestivo em boas condições é importante para a função imunológica. Nele existem trilhões de bactérias que atuam em inúmeras funções na promoção da saúde. Algumas ajudam a digerir as fibras dos alimentos, enquanto outras produzem certos nutrientes, como a vitamina K. E quando o organismo é povoado por essas bactérias “boas”, elas eliminam as bactérias potencialmente perigosas que tentam entrar no trato digestivo.

Algumas das melhores fontes de “bactérias do bem” são produtos lácteos, como o iogurte natural e o kefir. Antes de tentar qualquer coisa ou comida nova, lembre-se de perguntar ao seu médico se você pode consumi-los e qual é a quantidade recomendada. Também é importante lembrar que algumas pessoas sofrem com condições de saúde que afetam suas defesas. Nesses casos, a dieta sozinha não consegue melhorar a função de um sistema imunológico comprometido. No entanto, nas pessoas saudáveis, comer bem pode ajudar a manter o sistema imunológico forte.

Vitaminas e minerais que fortalecem o sistema imunológico

Stocksy

Vitamina A: uma das principais funções da vitamina A é sua contribuição para a visão e a saúde da pele. Também ajuda o sistema imunológico e nas mucosas, que atuam como barreiras contra infecções.
Onde é encontrada: a vitamina A é encontrada em alguns alimentos de origem animal, como fígado, ovos e manteiga, pronta para o corpo usá-la. Mas a maioria das pessoas a obtêm na forma de betacaroteno.

Betacaroteno: poderoso antioxidante e também uma substância precursora da vitamina A que ajuda o corpo a atingir o nível ideal da mesma. O benefício de fornecer vitamina A na forma de betacaroteno é que o corpo transforma apenas o necessário, eliminando o resto (processo conhecido como homeostática).
Onde é encontrado: em frutas e vegetais alaranjados e amarelos, como cenoura, abóbora, pimentão e laranja. Também está presente em vegetais de folhas verdes, como espinafre, alface, brócolis e em suplementos alimentares.

Vitamina C: necessária para o crescimento e reparo de tecidos, ajuda na absorção de ferro e é um importante antioxidante. O corpo não produz nem armazena vitamina C, portanto, é muito importante incluir alimentos ricos nela na dieta diária.
Onde é encontrada: em frutas e verduras, como melões, morangos, kiwi, frutas cítricas, tomates, repolho, couve-flor, pimentão, melancia, mamão e couve-de-bruxelas.

Selênio: oligoelemento essencial, ou seja, um elemento necessário em quantidades muito pequenas obtido por meio dos alimentos. Contribui para produzir enzimas antioxidantes, importantes para prevenir danos às células, para a produção normal de espermatozóides, para manter cabelos e unhas saudáveis, mas também para o funcionamento normal do sistema imunológico e da tireoide; E ainda protege as células dos danos causados pela oxidação.
Onde é encontrado: vegetais, peixe, marisco, carne vermelha, grãos, ovos, frango, fígado e alho.

Zinco: mineral essencial, cumpre inúmeras funções em nosso corpo: é importante para cabelos, unhas, pele e ossos. Ajuda na fertilidade, na síntese de proteínas, no crescimento e reparo de tecidos e no metabolismo de macronutrientes (proteínas, gorduras e carboidratos), além de ter um papel importante para o sistema imunológico funcionar corretamente.
Onde é encontrado: alimentos ricos em proteínas contêm grandes quantidades de zinco. Carne vermelha, porco e cordeiro, nozes, grãos integrais, legumes, fermento e a maioria das aves e peixes. Laticínios e ovos também contêm zinco, mas em menor quantidade. Alguns cereais e leguminosas fornecem o nutriente, mas contêm “fitato”, substância que dificulta sua absorção.

Existe uma grande variedade de produtos no mercado, como o Multivitaminas Herbalife Nutrition, que fornece 22 vitaminas e minerais para contribuir para uma boa nutrição.

Fonte: Susan Bowerman é Diretora Sênior Global de Educação e Treinamento em Nutrição da Herbalife Nutrition. Estudou biologia com honras e se formou como Mestre em Ciência e Nutrição de Alimentos pela Universidade Estadual do Colorado. Nutricionista certificada pela Academia de Nutrição e Dietética como especialista Nutrição Esportiva, Obesidade e Controle de Peso. Diretora assistente do Centro de Nutrição Humana da Universidade da Califórnia. Professora assistente de nutrição na Universidade Pepperdine e de nutrição do Departamento de Ciência e Nutrição de Alimentos da Universidade Politécnica Estadual da Califórnia.

Herbalife Nutrition dá 11 dicas para garantir hábitos mais saudáveis em 2021

Em um ano desafiador como foi 2020, cozinhar se tornou um hobby e malhar na academia ficou limitado. Por causa disso, muitos desviaram de suas metas de saúde e prioridades e, como consequência, engordaram.

Dados de uma pesquisa realizada pelo IBGE divulgada, em outubro de 2020, mostram que 95,9 milhões de brasileiros acima de 18 anos estão com excesso de peso, sendo que 41,2 milhões deles são considerados obesos — uma consequência dos hábitos alimentares e do sedentarismo da população.

Por outro lado, um levantamento encomendado pela Herbalife Nutrition, e conduzido pela One Poll, entre 22 de setembro e 6 de outubro de 2020, revela que as pessoas estão cada vez mais conscientes sobre o impacto de suas escolhas à saúde. Os dados obtidos apontam que, globalmente, 51% delas aumentaram o consumo de frutas e verduras nos últimos meses, e 62% disseram que gostariam de incorporar mais alimentos à base de plantas em seu cardápio.

Diante disso, confira dicas de como aproveitar o início do ano para adquirir uma alimentação balanceada e uma rotina mais saudável e ativa com a nutricionista e Diretora Global de Treinamentos de Nutrição da Herbalife Nutrition, Susan Bowerman, e a vice-presidente global de desempenho esportivo e educação física da companhia, Samantha Clayton:

Tome café da manhã

Comece o dia com um bom café da manhã. Alimentar-se logo pela manhã mantém seu corpo com mais disposição e a sua mente pronta para as atividades do dia.

Movimente-se mais


Procure trazer mais atividades para o seu dia, como usar as escadas ao invés de pegar o elevador. Se possível, vá de bicicleta ao trabalho ou caminhe enquanto conversa no celular. São pequenas ações que podem fazer diferença para uma rotina mais ativa.

Não faça suas refeições na frente do computador ou da televisão

Quando nos alimentamos em frente a uma tela, o foco está bem longe da comida. Dessa forma, você aproveita pouco a refeição e seu cérebro busca acelerar ao máximo o processo.

Pare de se alimentar enquanto estiver em movimento


Busque não se alimentar no carro, enquanto estiver andando na rua ou enquanto estiver se arrumando para ir ao trabalho. Reserve um tempo para sentar, focar e aproveitar a refeição que está fazendo.

Fique atento às calorias


Cuidado com a ingestão de bebidas ricas em açúcares. Leia os rótulos e busque alimentos com boa densidade nutricional, ou seja, que possui uma boa quantidade de nutrientes em relação ao valor energético.

Hidrate-se


Manter-se bem hidratado é essencial para ter uma vida saudável. Por isso, tenha uma garrafa de água, chás gelados ou sucos sempre à mão.

Inclua proteína em todas as refeições

Pixabay


Consumir proteína satisfaz a fome com maior eficácia do que as gorduras e os carboidratos, por isso, inclua pequenas quantidades em todas as refeições. Algumas sugestões de lanches são iogurtes, nozes, barras de proteína, substitutos parciais de refeição (shakes ou sopas), queijos ou atum.

Consuma vegetais e frutas em todas as refeições

Freepik

Vegetais e frutas oferecem mais nutrientes do que calorias. Eles são repletos de água, vitaminas, minerais e fibras.

Não pule refeições

Pular refeições dificilmente funciona como um medidor de calorias. Você apenas acumula para a próxima refeição. Fazer pequenos lanches entre as refeições, com intervalos de três horas é o mais indicado.

Faça mais atividade física


Treinos queimam calorias, auxiliam no seu humor e ajudam a fortalecer os ossos. Além disso, também ajudam na manutenção e construção da massa muscular, te deixam mais forte e podem acelerar o seu metabolismo. Com o horário de funcionamento das academias limitado, aproveite os programas de treinamento online, que possibilitam treinar a qualquer hora e em qualquer lugar, e ainda oferecem suporte a seus usuários e os motivam a se manterem ativos. Se for o caso, invista em alguns equipamentos ou acessórios para ajudar nos treinos em casa. Apenas avalie bem para não deixá-los parados.

Cuide de sua saúde mental


Ficar em forma também significa cuidar da mente e encontrar maneiras de relaxar, respirar e se livrar do estresse. Não à toa vimos aumentar muito o número de aplicativos que oferecem sessões de meditação e ioga. E, em 2021, muitos apps fitness também devem incluir aulas de bem-estar e saúde mental para ajudar seus usuários a liderem com a solidão, a depressão e a ansiedade agravadas pela pandemia.

Fonte: Herbalife Nutrition 

Dia do Nutricionista: veja dicas para manter uma alimentação saudável sem gastar muito

Com as incertezas econômicas e o aumento dos preços dos alimentos, manter uma dieta saudável parece desafiador. Muitas pessoas acham que alimentos nutritivos são alimentos caros e, por isso, optam por produtos altamente processados, que oferecem menos nutrientes e geralmente contêm maiores quantidades de sal, açúcar e gordura.

Para celebrar o Dia do Nutricionista, comemorado hoje, 31 de agosto, a nutricionista e educadora Susan Bowerman, Diretora de Educação e Treinamento em Nutrição da Herbalife Nutrition, mostra que uma alimentação saudável é possível mesmo com o orçamento apertado. Basta aprender a escolher opções deliciosas e nutritivas para criar refeições que saciam e também alimentam adequadamente. Confira abaixo as dicas:

Planeje com antecedência

FreeGreatPicture

O planejamento é a chave para seguir o orçamento nas compras. Faça uma lista semanal e priorize os alimentos ricos em nutrientes, como vegetais e frutas frescas ou congeladas, proteínas magras e grãos integrais. Procure pular itens altamente processados e salgadinhos, que custam caro em relação ao seu valor nutricional. Em vez disso, compre os ingredientes para fazer lanches saudáveis e prepare porções individuais com antecedência para desfrutar durante a semana.

Aposte nos grãos

Feijões, lentilhas e outras leguminosas possuem proteínas e fibras, saciam e também fornecem minerais importantes, como ferro e zinco. Os grãos secos são mais baratos do que os enlatados e podem ser comprados a granel em algumas lojas e supermercados. Prolongue o uso e economize tempo preparando um pacote inteiro do grão desejado, depois, adicione-o a sopas, ensopados e saladas durante a semana.

Proteínas diversas

A proteína é essencial para uma dieta saudável e equilibrada. À medida que os preços da carne aumentam, considere opções mais acessíveis, como coxas ou sobrecoxa de frango, atum ou sardinha enlatados ou proteínas vegetais, como tofu. Outras proteínas saudáveis são ovos e laticínios, como o queijo cottage e o iogurte com baixo teor de gordura. Uma refeição rápida com alto teor proteico é o smoothie preparado com leite, suplemento de proteínas e frutas, que oferece proteína suficiente para matar a fome e pode ser consumido em casa ou carregado para onde for. Para deixá-lo ainda mais atraente para as crianças, prepare seu smoothie com leite e, em seguida, despeje-o em formas de picolé. É uma opção rica em cálcio e proteínas que todos podem desfrutar.

Aprenda novas receitas

Comer dentro do orçamento não precisa ser monótono. Existem inúmeros recursos online que fornecem receitas deliciosas que também atendem aos objetivos de saúde e nutrição.

Saiba usar congelados e enlatados

LuminiIslandWild

Os congelados são bastante procurados, pois os consumidores estão em busca de alimentos básicos acessíveis e duradouros. E a boa notícia é que frutas e vegetais congelados retêm as mesmas propriedades nutricionais dos frescos porque são congelados no pico de maturação e processados logo após a colheita.

De grão-de-bico a atum enlatado, os corredores dos supermercados estão repletos de alimentos enlatados , que são duradouros e podem ajudar na hora da fome. Procure por versões com baixo teor de sódio. O tomate em lata, por exemplo, é bastante versátil e pode ser usado em sopas, guisados e molhos. E além de terem vitamina C e fibras, são uma excelente fonte de licopeno, antioxidante que contribui para a saúde do coração.

Faça petiscos inteligentes

A maioria dos salgadinhos típicos são altamente processados e geralmente carregados de sal, gorduras açucaradas e calorias vazias e, por isso, às vezes o barato pode sair caro. As opções de lanches a granel, incluindo nozes e frutas secas, fornecem gorduras boas, vitaminas e minerais saudáveis. Você pode usar os alimentos básicos da sua geladeira, freezer e despensa para fazer lanches saudáveis: descongele algumas frutas congeladas e coloque-as sobre o iogurte, faça um mix de nozes e frutas secas, misture grão-de-bico enlatado com azeite e leve-o para assar para ter uma guloseima crocante ou experimente um smoothie refrescante que tem proteínas e sacia a fome.

Fonte: Herbalife Nutrition

 

Petiscar entre refeições pode ajudar a manter a saúde e controlar peso

Com os alimentos certos como petisco, é possível garantir mais energia ao longo do dia e menos excessos nas refeições

As visitas à cozinha estão mais frequentes pelo fato de ficarmos mais em casa, mas também acontecem por outros motivos: comemos mais por uma maior liberdade, pela necessidade de uma distração ou ainda por conta de algo mais profundo, como ansiedade. De qualquer forma, as tentações são maiores para todos e, com elas, podem haver consequências se fugirmos demais de nossas dietas habituais.

Uma das razões que torna os petiscos, ou pequenos lanches, entre as refeições ruins é o fato de muitos deles serem ricos em gordura, açúcar, sal e calorias. Antes mesmo desse momento difícil que estamos enfrentando, os consumidores focados em ter hábitos saudáveis já evitavam estes produtos, no entanto, agora muitos os consomem e os estocam por estarem disponíveis nos supermercado, mudando a maneira como comemos.

Mesmo com essas limitações, é importante lembrar que escolher os alimentos certos nos permite manter a saúde durante esses períodos de mudança de rotina. “Mas nem todos petiscos são ruins e trazem apenas calorias vazias. Um lanche nutritivo e equilibrado pode ajudar a manter a energia entre as refeições e a controlar o apetite no momento do almoço e no jantar”, fala Susan Bowerman nutricionista, Mestre em Ciência e Nutrição dos Alimentos e Diretora Sênior Global de Educação e Treinamento em Nutrição da Herbalife Nutrition. Portanto, ao escolher alimentos adequados, sentir fome e manter hábitos saudáveis nos lanches serão preocupações a menos durante a pandemia.

Confira a seguir cinco dicas da nutricionista que vão ajudar você a fazer um lanche inteligente:

Fique atento à sua hidratação

melancia mulher foundry pixabay
Foto: Foundry/Pixabay

Muitos vão até o armário sem pensar e pegam algo para mastigar acreditando que precisam suprir algum desejo alimentar. Mas, na verdade, este pode ser um sinal de que seu corpo está levemente desidratado, precisando apenas de líquidos. “Por isso, antes de pegar um petisco, beba um copo de água ou coma um pedaço de fruta rica em água e avalie se isso vai sustentar você por mais tempo”, sugere Susan.

Os lanches podem ajudar você a incluir alimentos mais nutritivos no seu dia

castanha do pará pixabay
Pixabay

Aproveite estas oportunidades para adquirir uma prática saudável com petiscos equilibrados que contenham um mix de proteínas com baixo teor de gordura, – como castanhas, produtos com proteína de soja e laticínios com baixo teor de gordura – e carboidratos saudáveis – frutas, vegetais e grãos integrais. Os carboidratos serão digeridos primeiro e irão satisfazer sua fome rapidamente, já a proteína vai oferecer um pouco mais de energia e saciedade ao seu lanche.

Os petiscos ajudam a garantir energia física e mental.

macas francesas maçãs francesas 3

É normal sentir fome a cada três ou quatro horas. Quando se faz as refeições principais e os lanches, você mantém o açúcar no sangue mais estável durante o dia. Essa é uma boa maneira de evitar quedas nas taxas de açúcar entre as refeições que poderiam minar sua energia física e mental.

Faça o segundo lanche

aperitivos saudaveis herbalife 22

Muitas pessoas controlam bem a alimentação durante o dia, mas acabam comendo muito à noite, perto da hora de relaxar. “Para essas pessoas, indico um lanche reforçado à tarde a fim de ajudar a reduzir os alimentos do jantar. Pode ser um shake de proteína, uma xícara de frutas com queijo cottage ou até uma refeição congelada de baixa caloria”, sugere Susan. Então, vai ser mais fácil diminuir as porções do jantar e transformá-lo em um lanche. Se mesmo assim sentir vontade de comer, a nutricionista orienta escovar os dentes depois da refeição. “Funciona como um ótimo sinal para parar de comer.”

Reavalie seus hábitos na hora do lanche

African woman wearing headphones listen music use phone resting indoors
Getty Images

Se você está consumindo alimentos pouco saudáveis e cheios de calorias, como doces, salgadinhos e refrigerantes, tenha em mente que esses alimentos vão contribuir para o ganho de peso, além de oferecer poucos nutrientes. Também pare para pensar nos motivos que o levam a comer e identifique se seria por outro motivo e não por fome. Talvez você esteja entediado, estressado, irritado ou cansado. Se for esse o caso, será preciso buscar outras maneiras de lidar com emoções: faça exercícios, ligue para um amigo, escreva um diário ou medite por alguns minutos. Uma pausa por alguns minutos dará tempo para você avaliar se realmente está com fome ou não.

Fonte: Susan Bowerman é Diretora Sênior Global de Educação e Treinamento em Nutrição da Herbalife Nutrition. Estudou biologia com honras na Universidade do Colorado e se titulou como Mestre em Ciência e Nutrição de Alimentos pela Universidade Estadual do Colorado. Nutricionista certificada pela Academia de Nutrição e Dietética como especialista em Nutrição Esportiva, Obesidade e Controle de Peso; membro da Academia e diretora assistente do Centro de Nutrição Humana da Ucla e atua como professora assistente de nutrição na Universidade Pepperdine e professora de nutrição do Departamento de Ciência e Nutrição de Alimentos da Universidade Politécnica Estadual da Califórnia.