Arquivo da tag: temperos

Ervas e especiarias, entenda a diferença e saiba mais sobre elas

Nutricionista Adriana Stavro ensina a usar 33 ervas e especiarias para tornar suas refeições ainda mais deliciosas

Qualquer pessoa conhece a importância das ervas e especiarias, usadas há séculos, tanto para fins culinários quanto medicinais.Elas acrescentam cor, textura, sabor, aroma e são basicamente a alma de qualquer cozinha.

Definir o que é uma erva e o que é uma especiaria pode ser complicado. De um modo geral, as ervas são usadas frescas e têm uma vida útil mais curta. Já as especiarias são secas e podem ser armazenadas em recipiente de vidro hermético por muito mais tempo (máximo 1 ano). Mas vamos descrevê-las um pouco melhor.

Sunset Magazine

Erva – É uma planta ou parte de uma planta, que é usada como medicamento ou para dar sabor aos alimentos. Os botânicos descrevem as ervas como uma planta pequena com sementes e partes carnudas, amigas dos médicos e elogiadas por cozinheiros. As ervas acrescentam sabor e aroma com sutileza.

Foto: Atul Prajapati/Pixabay

Especiarias – São a parte seca da planta como as sementes, cascas, raízes e frutas. Por exemplo, canela (casca), pimenta (fruta), noz-moscada (semente), alho (raiz). As especiarias acrescentam sabores fortes por isso, menos é sempre mais.

Algumas plantas podem ser consideradas ervas e especiarias. Por exemplo, o coentro, sua folha é a erva, enquanto a semente é a especiaria.

Especiarias, inteiras ou moídas?

Os especialistas dizem que, poucas horas depois de serem moídas, as especiarias podem começar a perder o aroma e o sabor. Por isso, o melhor seria moer conforme necessário.Um bom exemplo disso é a pimenta-do-reino moída na hora e a versão pré-moída. No entanto, no mundo real, quando procuram o salgo rápido para dar sabor a um molho, ensopado ou refogado, os temperos pré-moídos são realmente convenientes e, desde que estejam dentro da validade, proporcionam um bom sabor, portanto, não hesite em usá-los.

Em meio a este universo, alho, sal e cebola são a trilogia básica. Porém, na hora de preparar uma refeição especial, o básico já não serve. Para aguçar ainda mais o paladar, é preciso inovar, trazer à tona novos sabor e, incitar novas sensações. Aí surgem as combinações que podem criar uma sintonia de aromas e sabores inesquecíveis,que valem a pena ser exploradas.

Uma mistura famosa é o buquê garni, típica da cozinha francesa. Já a culinária indiana é reconhecida por suas misturas de especiarias, como o Garam Masala. Veja aqui algumas combinações clássicas:

Cinco especiarias (chinesas) – anis estrelado, canela, cravo, pimentão e sementes de erva-doce.
Ervas da Provença (sul da França) – alecrim, semente de erva-doce, manjerona, estragão, tomilho, orégano e lavanda
Tempero italiano – manjericão, orégano, alecrim, tomilho
Tempero Jerk (Caribe) – pimenta da Jamaica, cravo, canela, noz-moscada, tomilho, alho e as pimentas fortes
Garam Masala (indiano) – sementes de coentro, cominho, pimenta preta, cardamomo, canela, cravo, pimentão vermelho seco e açafrão
Bouquet garni (francês) – salsa, tomilho, folhas de louro e aipo

E como combinar sem exagerar?

Na cozinha, escolher as combinações e quantidades corretas dos condimentos para cada tipo de alimento,é um verdadeiro desafio. O truque é obter a mistura certa, para que nenhuma erva ou especiaria domine o sabor do prato.

Por isso, antes de sair misturando tudo com tudo, vale a pena conferir algumas sugestões sobre quais temperos combinam como que. Com o tempo e a vivência na culinária, é possível desenvolver o chamado “bom senso”. Com essa habilidade, só de cheirar e provar o alimento vai saber se exagerou na quantidade ou se precisa complementar. Para quem ainda não chegou neste estágio, confira  algumas ervas e especiarias e explore suas combinações em suas receitas.

Steve Buissinne/Pixabay

Curry: é uma mistura de especiarias incluindo açafrão-da-índia, cardamomo, coentro, gengibre, cominho, noz-moscada, cravo, pimenta e canela. Algumas marcas de Curry chegam a levar setenta plantas diferentes. Inicialmente o Curry servia para temperar exclusivamente o arroz, mas atualmente é usado em inúmeras receitas, como o frango ao Curry.

Cravo: de sabor intenso e ligeiramente picante, combina bem com canela, pimenta do reino, noz-moscada e gengibre. O cravo pode incrementar o sabor de doces, assados e bebidas em geral.

Cominho (moído ou inteiro): adiciona um sabor terroso ligeiramente amargo, e é popular em pratos da América Latina, Oriente Médio, Marrocos e Espanha. Combina bem com coentro, pimenta do reino e gengibre. Sementes recém-moídas têm mais sabor que moídas.

Canela: é uma casca, popular por seu aroma doce e quente. Acrescenta uma nota doce e perfumada a sobremesas e bolos (é essencial para torta de maçã e crumble). Canela em pó tem mais sabor que ramas, que precisam ser quebrados para liberar o aroma .Combina muito bem com cravo e pimenta-do-reino.

Pimenta-do-reino: vinda da Índia, a pimenta do reino além de dar um sabor picante à comida, ajuda o organismo a absorver os nutrientes e facilita a digestão. Ela é encontrada nas variedades verde, vermelha, branca e preta. A cor varia de acordo com a fase em que é colhida. O tempero combina com carnes e molhos, mas não exagere na quantidade.

Pimenta da Jamaica: como o nome sugere, é nativa da América Central e a principal produção vem da Jamaica. É uma especiaria apimentada e quente, vai bem em marinados, picles,e receitas de bolo com mel.Pode ser combinada com canela em pratos doces.

Pimenta calabresa seca: é excelente para dar sabor picante a molhos e temperar carnes. Deve ser usada em pequenas quantidades.

Páprica: de sabor picante ou doce, esse condimento deriva de um tipo de pimentão de cor vermelha e cura e costuma ser usada para adicionar um toque de cor aos alimentos. No entanto, nos últimos anos, fomos apresentados à páprica espanhola, que tem sabor e aroma intensos e defumados. Embora mais caro, vale a pena experimentar. Uma pequena quantidade transforma muitos pratos,molhos, ensopados, sopas e assados com um delicioso sabor de churrasco defumado. Ela vem em variedades quentes, doces e agridoces.

Açafrão da Terra (cúrcuma): além de deixar os pratos com uma cor linda, o sabor do açafrão é único. A especiaria é famosa desde a antiguidade, principalmente na culinária mediterrânea. É indicado para temperar risotos, aves, caldos, massas e doces.

Pixabay

Açafrão: um dos condimentos mais caros do mundo, é essencial na paella espanhola, no risoto alla milanese e em pratos marroquinos. É encontrado também em pó.

Anis estrelado: de sabor forte e aroma doce, vai bem com peixes, frutos do mar, frango, pães, biscoito e doces

Cardamomo: a essência aromática está nas sementes dentro das cápsulas. Usada para aromatizar doces, salgados e algumas bebidas, como chás.

Noz-moscada: possui um sabor adocicado e um aroma bastante forte. Ela é nativa das Ilhas Moluccas e é muito utilizada na índia. Combina com queijos, abóboras, sopas, espinafres, massas, caldos, molho branco, risotos, pratos indianos etc. Além de dar um sabor único a bebidas, como cappuccino e vinhos.

Erva doce – Foto: Hheidi/Pixabay

Erva Doce: de aroma adocicado, as sementes entram no preparo de infusões, peixes, legumes, bolos e biscoitos.

Papoula: é uma semente bem miudinha, crocante e saborosa. São ótimas polvilhadas em pães, bolos, bolachas antes de ir ao forno ou em massas de pudins, pães e tortas salgadas. Pode ser misturada com manteiga Ghee derretida, e usada em preparações com batatas, cenouras, macarrão, risotos, carnes e peixes. Também pode ser misturada com mel e limão e ser usada em recheios de bolos, caldas de sobremesas ou simplesmente ser consumida com frutas e iogurtes. n

Louro: embora seja muito usado no Brasil como tempero aromático do feijão, ele também pode ser adicionado no preparo do arroz e caldos. Basta colocar uma folha lavada na água borbulhando.

Mostarda – Foto; Rieth/Pixabay

Mostarda: os grãos podem ser usados para realçar o sabor de conservas, batatas cozidas e receitas de carne de porco. Já a mostarda em pó é ótima opção para caldos, sopas e molhos.

Ervas frescas

Foto: Gulzer Hossain/Pixabay

Salsa: ou salsinha combina muito com canapés, molhos de ervas, pães, tomates, omeletes, grelhados, recheios e aromatizar manteiga. É encontrada salsa lisa e salsa crespa. A crespa é muito utilizada para decoração de pratos. Também pode ser encontrada na forma desidratada. Porém o ideal é utilizá-la fresca.

Cebolinha: muito utilizada em omeletes, molho vinagrete e molhos à base de creme de leite para peixes. Ótimo também em patês de ricota, queijo cremoso, sopas e saladas. Geralmente é combinada com a salsinha.

Tomilho: aromatize queijos, licores, carnes de churrasco, peixes, tomates ao forno, pizzas e grelhados. Use-o em pó quando quiser só seu sabor e aroma. É ótimo para compor marinadas.

Alho: pode ser utilizado de diversas formas, cru, refogado, picado ou em rodelas. Em geral, os povos mediterrâneos são os maiores apreciadores, empregando-o, geralmente, junto com o tomate e a cebola. Fica ótimo em carnes assadas e para temperar o arroz e feijão.

Bazinga1k980/Pixabay

Alho-poró: é o alho verde, com bulbos e folhas grandes. Bom para o preparo de sopas, ensopados e saladas.

Gengibre: a raiz é quente, doce e picante. Moída, é ideal para bolos, pães, molhos, sopas, aperitivos, carnes, peixes, aves, legumes, saladas, frutas e sucos. Experimente usá-lo junto com o alho no arroz branco, fica uma delícia.

Foto: CreativeCommons

Manjericão: existem mais de cinquenta tipos de manjericão. A maioria das pessoas pensam no manjericão com tomate ou pesto ou usado como guarnição de sobremesa e pratos salgados. Pense além, eles podem ser usados com outras ervas como alho, zimbro, mostarda, páprica, alecrim e adicionado em sopas, saladas e tortas.

Orégano: pode ser usado para os mesmos fins que o manjericão, embora seu aroma seja diferenciado. É tempero típico de cobertura de pizzas, dos molhos italianos para massas. Aromatize saladas de frutos do mar, coloque nos antepastos de azeitonas pretas, em queijos, use no feijão branco em recheios para carnes, aves e carneiro. Podemos utilizar as folhas secas ou frescas, fica ao critério de cada um.

Hortelã: tem um aroma forte e fresco e é um dos sabores mais populares do mundo. Nativa do sul da Europa e mediterrâneo, se adaptou com facilidade ao Brasil. Na culinária ocidental é usada para dar sabor a berinjelas, abobrinhas, ervilhas, batatas e tomates. Vai bem com carnes de frango, porco e vitela. Na culinária árabe a hortelã é essencial para o tabule e o quibe.Combinam bem com sementes de coentro e cominho.

Coentro – Foto: Hans Braxmeier/Pixabay

Coentro: enquanto as folhas são usadas como erva, a semente é uma especiaria. Tem um sabor muito suave e não é nada picante. Esta é provavelmente uma das especiarias mais suaves. É o principal ingrediente do Garam Masala.

Manjerona: é outro tempero que vem das terras mediterrâneas. Possui uma folha semelhante com a do orégano, porém o sabor é diferente. Ela é ideal para aromatizar simples saladas e para valorizar carnes e aves, assim como pratos à base de tomate, sopas, saladas e em peixes grelhados. Vale a pena experimentá-la no feijão preto, o sabor é incomparável.

Alecrim: bata o alecrim seco no pilão com sal e use para temperar batata. Coloque na carne de carneiro para grelhar. Acrescente ao alecrim salsa em pó, alho e pimenta-do-reino para marinar por meia hora carnes brancas que serão grelhadas ou cozidas. Dica: Faça um molho com tomates cozidos e amassados. Misture salsa, cebola picada, açúcar de coco ou demerara (opcional) e pimenta malagueta socada. Sirva o molho com verduras, legumes cozidos e carnes.

Endro (dill ou aneto): muito usado para marinar peixes. É o tempero do famoso bufê de frios dos povos nórdicos, composto de vários peixes marinados. Fica ótimo em cremes de queijos, omeletes, molhos e sopas frias. Sempre colocar no final da preparação.

Foto: CreativeCommons

Salvia: o ideal é usá-la sempre fresca. Basta adicioná-la à comida, seja no início do preparo, no final, ou um pouco nos dois momentos. Desse modo, ela sempre liberará o máximo de seu aroma e sabor. Também não pode ser cortada muito antes de usar para que não escureça e perca suas características. A sálvia libera o máximo de sabor e aroma quando aliada a um tipo de óleo ou gordura, como azeite e manteiga. Combinações clássicas: Carne de porco, vitela, frango, pato, ganso, peru, grãos, ovos, queijos, sobretudo o grana pada no, pecorino e os queijos de cabra. A combinação de abóbora e sálvia é um clássico italiano. Manteiga e sálvia também são acompanhamentos ideais para massas recheadas.

Dica: derreta um pouco de manteiga junto com algumas folhas inteiras de sálvia, e quando a massa estiver pronta, misture a essa manteiga e um pouco da água de cozimento. É simples, mas delicioso. Para aromatizar um azeite com sálvia, é só colocar algumas folhas dentro do azeite e aquecê-lo bem levemente (cerca de 50º C). Depois deixe o azeite esfriar e passe para uma garrafa.

Cerefólio: é um tempero agradável, de sabor sutil. Combina muito bem com saladas, peixes, mariscos cozidos, sopas, omeletes, ovos mexidos, frango, arroz, molhos suaves de manteiga e queijos macios.

Quantidades sugeridas para uso em vários pratos: 2 colheres (sopa) de Cerefólio desidratado para 1 ½ kg de peixe e carnes; 1 colher (chá) de Cerefólio fresco em sopa, em caldos, arroz, omeletes e arroz

Estragão: é uma erva típica da cozinha francesa, usada para realçar o sabor de alguns ingredientes e alimentos. Pode ser combinada com o tomilho e a salsa. O sabor do estragão é adocicado e levemente picante. Lembra um pouco o cheiro e gosto do funcho (erva-doce). Combina muito com saladas, conservas, molhos (como o clássico molho Béarnaise, que acompanha carnes grelhadas e peixes), frango, ovos e tomates. Pode ser usado fresco ou seco, tudo depende da receita.

Foto: Eszter Miller/Pixabay

Dill: também chamado de endro, é muito usado na culinária escandinava e do leste europeu. Suas folhas podem ser delicadas, mas o aroma e sabor são marcantes. As folhas do dill perdem muito seu sabor quando secas, por isso, o ideal é usar sempre fresco. Se acrescentá-lo a um prato quente, prefira fazê-lo no final da preparação, para manter as características da erva. Fica ótima com peixes, creme azedo, maionese, queijos frescos, legumes, verduras, tubérculos, sopas e caldos. Sementes levemente tostadas podem aromatizar manteigas e azeites.

Dicas gerais:

• Todas as ervas frescas podem ser congeladas picadas. Para isso, basta colocá-las em formas de gelo e completar com água ou azeite. Uma vez congeladas, guarde os cubos com as ervas em um pote no freezer. Quando precisar, é só colocar os cubos com as ervas no final da cocção.
• Prefira sempre a versão fresca ao invés da desidratada, são mais saborosas e saudáveis.
• Não compre em grandes quantidades, pois as ervas frescas estragam rapidamente e as especiarias perdem sua cor e o sabor.
• A maioria das ervas não deve ser cozida por muito tempo. É sempre recomendado acrescenta-las no momento final da preparação.
• Alguns temperos podem ser usados crus no final do cozimento, como a pimenta, mas outros ficam mais saborosos quando cozidos, como o cominho e o louro. Se estiver seguindo uma receita, preste atenção na ordem em que os ingredientes são adicionados ao prato.
• Verifique os temperos em sua despensa regularmente. Qualquer especiaria com mais de um ano deve ser descartada.
• As ervas devem ser retiradas do prato no momento de servir.

Receita de Salmão Marinado com Endro

Ingredientes:
700g de salmão fresco
2g de endro liofilizado
50 ml de suco de limão
100 ml de vinagre de framboesa
2 colheres de sopa de azeite de oliva
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Fatie finamente o filé de salmão e coloque-o numa vasilha. Polvilhe com sal, pimenta-do-reino e endro. Junte o suco de limão, o vinagre de framboesa e regue com azeite de oliva. Leve à geladeira em recipiente fechado por no mínimo duas horas. Sirva em travessa decorada com ramos de endro.

Receita com Tomilho

Faça uma base com fatias de batatas, coloque o peixe sobre elas, regue com azeite, acrescente sal, vinho branco, ramos de tomilho, feche com papel alumínio e leve ao forno para assar.

Fonte: Adriana Stavro é nutricionista mestre pelo Centro Universitário São Camilo Especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) pelo Hospital Israelita Albert Einstein. Pós-graduada em Nutrição funcional pela VP e em Fitoterapia pela Courses4U

Alimentos antienvelhecimento para mulheres 40+

A beleza vem de dentro, quem nunca ouviu isso? A conexão entre nutrição e beleza da pele, ou melhor, o efeito da nutrição no envelhecimento da pele, tem sido um campo de pesquisa ao longo dos últimos anos. O envelhecimento cutâneo consiste em dois processos, intrínseco e extrínseco. A prevenção é a forma mais eficaz de combater os efeitos do tempo na saúde da pele, e a melhor estratégia de autocuidados é incluir um estilo de vida estruturado com ingestão alimentar de qualidade, com boas quantidades de antioxidantes, alimentos anti-inflamatórios, boas fontes de proteínas, vitaminais e minerais essenciais e gorduras saudáveis.

Neste sentido alguns nutrientes são fundamentais, confira com a nutricionista Adriana Stavro:

Foto: ImageParty/Pixabay

Brócolis – os cuidados com a pele não incluem apenas brilho, mas também sua imunidade. Uma vez que o brócolis é uma fonte de antioxidantes e nutrientes como a vitamina C e minerais como cobre e zinco, o brócolis ajuda a manter a pele saudável. Isso significa que também protege a pele contra infecções, além de manter o brilho natural. Além disso a Vit C auxilia na produção de colágeno, tornando a pele mais jovem. Os brócolis contêm uma substância chamada glucorafanina que é convertida em sulforafano, auxiliando na reparação da pele, tornando-a mais saudável. Assim, comer brócolis renova sua pele mais rapidamente, e dá à sua tez um belo brilho natural.

Fruchthandel_Magazin/Pixabay

Sementes de romã – é uma das frutas mais saudáveis. Sua atividade antioxidante parece ser ainda maior do que a do chá verde. Além disso são ricos em vitamina C, que protegem nosso corpo dos danos dos radicais livres, e ajudam a reduzir os níveis de inflamação. Essas frutas contêm um composto chamado punicalaginas, um antioxidante que pode ajudar a preservar o colágeno da pele, retardando os sinais de envelhecimento. Eles também ajudam a proteger a pele dos danos do sol. Além do mais, os pesquisadores sugerem que diferentes partes da romã podem trabalhar juntas para reparar a pele danificada, e aumentar a produção de colágeno.

Silverstylus/Pixabay

Abacate – são ricos em ácidos graxos, que combatem a inflamação e promovem uma pele macia e flexível. Eles também contêm uma variedade de nutrientes essenciais que podem prevenir o envelhecimento, incluindo vitaminas K, C, E e A, complexo B e potássio. O alto teor de vitamina A nos abacates pode ajudar a eliminar as células mortas, deixando uma pele linda e brilhante. Seu teor de carotenoides também pode ajudar a bloquear as toxinas e os danos dos raios solares, e ajudar a proteger contra o câncer de pele. Além disso, os abacates contêm compostos únicos chamados álcoois graxos poli hidroxilados. Eles podem combater a inflamação, proteger a pele do sol, e ajudar a reparar o DNA danificado. Seu alto teor de gordura monoinsaturada, e os antioxidantes luteína e zeaxantina, fornecem proteção adicional à pele e ao DNA.

Shutterstock

Agrião – atua como um antisséptico interno, aumentando a circulação e distribuição de minerais a todas as células, resultando em maior oxigenação da pele. Rico em antioxidantes, o agrião neutraliza os radicais livres prejudiciais, reduzindo as linhas de expressão, as rugas finas. Os isotiocianatos do agrião também podem prevenir o câncer de pele. Esses compostos interferem nas células malignas, e restauram a função celular normal.

Manfred Richter/Pixabay

Pimentão vermelho – os pimentões vermelhos são ricos em antioxidantes chamados carotenoides, além de vitamina C, que ajuda na produção de colágeno. Os carotenoides são pigmentos vegetais responsáveis pelas cores vermelha, amarela, e laranja em muitas frutas e vegetais. Eles têm uma variedade de propriedades anti-inflamatórias, e pode ajudar a proteger a pele da luz solar, poluição e toxinas ambientais.

Foto: S. Hermann & F. Richter/Pixabay

Mirtilos – são ricos em vitaminas A, C e antocianina. Estes antioxidantes combatem os radicais livres da exposição ao sol, estresse e poluição, moderando a resposta inflamatória, e prevenindo a perda de colágeno, que podem causar danos à pele ao longo do tempo, e acelerar o processo de envelhecimento. Os mirtilos também contêm quantidades significativas de zinco e ferro, ambos elementos amigos da pele.

Mamão – rico em vitaminas A, C, K, E e complexo B, cálcio, potássio, magnésio e fósforo. Fonte de antioxidantes, ajuda a combater os radicais livres, retardar os sinais de envelhecimento, reduz as rugas e linhas de expressão, diminui a acne, (principalmente em adolescente) e melasmas.

Foto: Clara Sander/Pixabay

Espinafre – um super-hidratante cheio de antioxidantes, que ajudam a oxigenar e reabastecer o corpo todo. Também é rico em: vitaminas A, C, E, K, magnésio, ferro heme e luteína. O alto teor de vitamina C desta folha verde, aumenta a produção de colágeno para manter a pele firme. A vitamina A promove cabelos fortes e brilhantes, enquanto a vitamina K ajuda reduzir a inflamação nas células.

Foto: Clara Sander/Pixabay

Amêndoas – são ótima fonte de vitamina E, que ajudam a reparar o tecido da pele, reter a umidade e proteger dos raios UV. As amêndoas contém ácidos graxos ômega-3, um anti-inflamatório que ajuda a fortalecer as membranas celulares da pele contra danos dos raios solares, e dão à pele um brilho preservando sua barreira natural. Além disso, fornecem fibras, gorduras essenciais e proteínas. Elas são responsáveis por deixar a cútis macia e flexível, além de dar-lhe um brilho natural e com aparência mais lisa. Portanto, se você ainda não adicionou essas amêndoas em sua alimentação, faça logo para obter uma pele naturalmente brilhante e saudável.

Foto: Atul Prajapati/Pixabay

Temperos e especiarias – as especiarias fazem mais que apenas adicionar sabor à comida. Eles contêm vários compostos que podem ter efeitos benéficos para a saúde. Pesquisas sugerem que algumas especiarias podem até mesmo ajudar a sua pele a parecer mais jovem. É o caso da canela, que demonstrou aumentar a produção de colágeno, e aumentou a firmeza e elasticidade da pele. Além disso, o gengibre contém gingerol. Este composto tem efeitos anti-inflamatórios que podem ajudar a prevenir as manchas senis, que se desenvolvem devido à exposição ao sol.

Foto: Ivabalk/Pixabay

Batata doce – a cor laranja da batata-doce vem de um antioxidante chamado betacaroteno, que é convertido em vitamina A, e pode ajudar a restaurar a elasticidade da pele, promover a renovação das células mortas, e contribuir para uma pele macia e com aparência saudável. A batata doce também é rica em vitamina C e vitamina E, ambas muito importantes para manter a pele saudável, brilhante e flexível. A vitamina C ajuda a aumentar o colágeno, que fortalece a pele. Os antioxidantes presentes na batata-doce também são responsáveis pelo brilho natural da pele. O tubérculo também é uma fonte rica em antocianinas que ajudam a prevenir manchas escuras, mantendo a atividade dos radicais livres sob controle.

Adriana Stavro é nutricionista funcional e fitoterapeuta. Especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) pelo Hospital Israelita Albert Einstein – Mestranda do Nascimento a Adolescência pelo Centro Universitário São Camilo.

Azeite: delícias que vão muito além do tempero

Sinônimo de gorduras boas, o precioso e versátil óleo ganha destaque como ingrediente principal de receitas irresistíveis

Não se sabe exatamente sua origem, mas há cinco mil anos já era usado no Mediterrâneo Oriental e na Ásia. Vai bem com peixes, carnes, aves, massas, molhos e até mesmo para dar o toque final na pizza. Também compõe medicamentos e cosméticos. É o azeite de oliva, que oferece toda esta versatilidade e muito mais. Além de conferir um sabor sem igual, seja como tempero ou ingrediente de destaque nas receitas preparadas para a família e os amigos, é rico em nutrientes e funcional: pesquisa da Universidade de São Paulo mostrou que seu consumo regular no lugar da manteiga ou margarina pode reduzir em 40% o risco de doenças do coração.

“Os azeites são fontes de gorduras monoinsaturadas, popularmente chamadas de gorduras boas, reduzindo os níveis de colesterol ruim e prevenindo a obstrução das artérias”, explica a nutricionista do Oba Hortifruti, Renata Guirau. “Em complemento, produz muito menos radicais livres, que danificam as células da pele, quando metabolizado, em comparação com outras opções como os óleos vegetais refinados. Uma dica gostosa para o dia a dia é colocar o azeite com ervas em forminhas de gelo, levar ao freezer e utilizar com torradas e pães, fica ótimo”, sugere.

Tipos e segredos

De acordo com sua fabricação, o azeite pode se dividir em duas categorias: Virgem, com nível de acidez de até 2% e mais resistente ao calor, ideal para uso culinário; e Extra Virgem, mais purificado, com acidez que não ultrapassa 0,8%, recomendado para preparações frias ou saladas. Nas lojas do Oba Hortifruti, os clientes podem optar pelos produtos de qualidade da linha Oba Bem Querer (nas versões italiano extravirgem, português tradicional extravirgem e português premium) e Olitalia, composto de azeites de oliva refinados e virgens.

“Ao contrário do que muita gente pensa, o azeite virgem pode ser aquecido, apenas devemos evitar temperaturas muito altas, como nas frituras de imersão, mas é perfeito para refogar temperos, preparações assadas e cozidas”, indica Renata.

Receitas

Molho Pesto de Rúcula

Molho pesto.png

Ingredientes:
5 dentes de alho descascado
2 xícaras (chá) de folhas de rúcula sem os talos
1 colher (chá) de sal
½ xícara (chá) de folhas de manjericão fresco
5 colheres (chá) de nozes sem casca
150 g de queijo parmesão ralado
1 xícara (chá) de azeite de oliva Oba Bem Querer
Pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:
Bata no mixer o alho, o manjericão, a rúcula e as nozes. Transfira para uma vasilha e acrescente os demais ingredientes. Misture bem. Use em massas ou saladas de folhas.

Antepasto de queijo

antepasto de queijo.png

Ingredientes:
200g de parmesão em pedaço
1 cebola média
½ pimentão vermelho
½ pimentão amarelo
½ pimentão verde
100g de azeitonas pretas sem caroço
1 colher (sopa) de vinagre balsâmico
1/3 de xícara (chá) de azeite de oliva Olitalia
1 colher (chá) de orégano
Sal a gosto

Modo de preparo:
Corte o parmesão em lascas e reserve. Corte a cebola e os pimentões em tiras finas. Coloque tudo em um refratário e misture os demais ingredientes, delicadamente. Leve ao forno até que o parmesão derreta. Sirva com pães e torradas como aperitivo ou como salada.

Fonte: Oba Hortifruti

Linha gourmet e saudável de temperos

A Estar Bem Alimentos traz ao mercado brasileiro seis versões de temperos práticos, gourmet e saudáveis para: feijão, arroz, carne, frango, legumes e peixe. São blends criados especialmente para a marca pela nutricionista Andrea Esquivel. Todos têm como base o Sal Rosa do Himalaia e condimentos naturais, como tomilho, urucum, louro, pimenta do reino, alho, aipo, cebola, dentre outros, além de não conter glutamato monossódico, açúcares, gorduras nem aditivos químicos

Criada em de 2014, a Estar Bem Alimentos, localizada na cidade de São Paulo, é uma empresa importadora de produtos alimentícios saudáveis, que em sintonia com as tendências mundiais traz ao mercado brasileiro soluções para uma alimentação saudável. “A Estar Bem Alimentos nasceu com a missão de descobrir, experimentar e levar até o consumidor uma forma de alimentação nova, equilibrada e capaz de unir sabor, praticidade,consciência ambiental e qualidade de vida,claro que encontrar a receita de uma empresa inovadora e com uma linha realmente diferenciada exige dedicação, uma pitada de curiosidade e muita pesquisa. Assim, percorremos o mundo em busca de produtos nutritivos, saudáveis e que tenham em sua composição um ingrediente muito especial: a crença de um futuro melhor”, afirma Alexandre Vianna, diretor da empresa

Ele destaca ainda que atualmente a Estar Bem Alimentos trabalha com produtos importados, apesar de isso não estar no DNA da marca. “Essa foi apenas uma das maneiras que encontramos de começar o negócio, trazendo produtos diferenciados, saudáveis e com baixa oferta no mercado. A criação da nova linha de temperos Estar Bem já incorpora uma séria de ingredientes brasileiros”.

Spices
Pinterest

Perfil da Linha de Temperos Estar Bem Alimentos

A dupla arroz e feijão está presente na mesa do brasileiro todos os dias. A nutricionista Andréa Esquivel, responsável técnica da Estar Bem Alimentos e que desenvolveu a linha de temperos da marca, seguiu o padrão de tempero brasileiro. “Nosso dia a dia de arroz e feijão é baseado em um tempero mais suave a base de alho e cebola”.

Tempero para Arroz
O tempero para arroz Estar Bem Alimentos traz o equilíbrio entre alho e cebola, para que nenhum se sobressaia ao outro, e conta com um toque de tomilho, erva que contribui para digestibilidade e ação bacteriostática.
Ingredientes: Sal do Himalaia, alho, cebola, tomilho e louro, 1 colher de chá (5g) tem apenas 1.158mg de sódio, o equivalente a 48% das necessidades diárias.

Tempero para Feijão
O feijão leva um toque de louro em pó que ajuda a deixá-lo mais digestivo, pois o louro combate os fatores antinutricionais do feijão, e contribui para diminuir os gases produzidos no intestino. Com toque não pronunciado, o louro está equilibrado com o alho e acebola, e assim este tempero se torna muito prático porque não há necessidade de fazer um refogado. Basta adicionar o Tempero pronto Estar Bem ao feijão cozido, adicionar um pouco de óleo ou azeite e levar ao fogo até engrossar o caldo e está pronto para servir.
Ingredientes: sal do Himalaia, alho, cebola, louro e tomilho, 1 colher de chá (5g) tem apenas 1.330mg de sódio, o equivalente a 55% das necessidades diárias.

Tempero para Frango
No tempero para frango, encontramos o equilíbrio de sabores entre condimentos e o alho com um suave toque de limão; além de trabalhar com o urucum, colorante natural a nutricionista Andrea Esquivel destaca o urucum como uma a excelente fonte de betacaroteno (um precursor da vitamina A).
Ingredientes: sal do Himalaia, alho, cebola, cúrcuma, urucum, pimenta do reino, louro, alecrim, sálvia, aipo, limão, zimbro, endro e tomilho, 1 colher de chá (5g) tem apenas 1.182mg de sódio, o equivalente a 49% das necessidades diárias.

Tempero para Carne
Nesta versão Andréa Esquivel buscou o equilíbrio do sabor com condimentos que fazem parte do hábito brasileiro de norte a sul, e criou um blend onde nenhum se sobressai ao paladar. O conjunto de condimentos utilizados contribui para a digestibilidade proteica presente na carne.
Ingredientes: sal do Himalaia, alho, cebola, pimenta do reino, louro, alecrim, orégano, limão, aipo tomilho, canela e cominho, 1 colher de chá (5g) tem apenas 1.126mg de sódio, o equivalente a 47% das necessidades diárias.

Tempero para Peixe
O tempero para peixe Estar Bem Alimentos traz o equilíbrio do alho e do limão, que fazem parte do tempero usual de peixe do brasileiro. O foco nesta versão foi estabelecer um equilíbrio que combine com peixes de sabor suave a peixes mais intensos.
Ingredientes: sal do Himalaia, alho, cebola, coentro em grão, pimenta do reino, alecrim, orégano, limão, zimbro, tomilho, endro, kumel e manjericão, 1 colher de chá (5g) tem apenas 1.252mg de sódio, o equivalente a 52% das necessidades diárias.

Tempero para Legumes
O tempero para legumes Estar Bem Alimentos traz o contraste bem balanceado entre o aipo, alecrim, cardamomo e limão, além da tradicional base de alho e cebola. Seu aroma lembra as sopas caseiras para bebês e vão bem com qualquer tipo de legume refogado.
Ingredientes: sal rosa do Himalaia, alho, cebola, cúrcuma, feno grego, aipo, alho porró, pimenta do reino, alecrim, louro, casca de limão, endro e cardamomo, 1 colher de chá (5g) tem apenas 1.280mg de sódio, o equivalente a 56% das necessidades diárias.

“Como todos os temperos prontos da Estar Bem são à base de sal do Himalaia, não existe condições de ficarem muito condimentados. A pessoa usa a mesma dose que usaria como se estivesse temperando com sal e ganha sabor agregado”, explica Andréa Esquivel.

O preço médio sugerido ao consumidor final, embalagem pet reciclável de 190g vai de R$ 18,00 a R$ 20,00.

temperos.png

Forma de aplicação dos temperos

Estar Bem Alimentos

A utilização dos temperos Estar Bem Alimentos é simples: “As pessoas vão usar para salgar, medida idêntica a que usaria do sal comum, e junto já estarão acrescentando sabor equilibrado. Para o preparo do arroz e do feijão, não é necessário fazer um refogado de alho e cebola. Basta colocar a porção de arroz cru (ou de feijão cozido), adicionar um pouco de óleo ou azeite, adicionar água proporcional e colocar o tempero pronto na medida equivalente ao sal (proporcionalmente 1 colher de sopa rasa para cada xícara de arroz cru ou 2 de feijão cozido), levar ao fogo, finalizando conforme cada um. Já os outros temperos servem para serem adicionados diretamente a carne, peixe ou frango que será grelhado, assado ou cozido conforme a pessoa desejar. Para o preparo de filés grelhados basta polvilhar um pouco de cada lado do filé e levar para grelhar com um pouco de sal, simples assim, destaca”, orienta Andrea.

Os temperos Estar Bem Alimentos podem ser utilizados em farofas, legumes, panquecas, molhos, ensopados entre outras preparações.

Andrea destaca que a linha de temperos foi desenvolvida para facilitar o dia a dia de quem busca saúde e praticidade. “Esta linha de condimentos é inovadora e não existem concorrentes. É a primeira linha de temperos prontos feitos com sal do Himalaia e condimentos 100% naturais, sem conter glutamato monossódico ou gordura vegetal, açúcar ou maltodextrina. Em comparação com os outros temperos prontos de mercado apresenta redução significativa do sódio presente. Além dos condimentos oferecerem benefícios à saúde como aumento e melhora da digestibilidade. É o primeiro tempero comercial desenvolvido por nutricionista e segmentado para cada tipo de preparação, destaca”.

Panorama atual da alimentação brasileira

Hoje todos precisam de alimentos e ingredientes práticos, mas a preocupação com a saúde é fundamental. Andrea Esquivel lembra que o brasileiro consome quase que o dobro da recomendação diária de sódio, a recomendação da OMS – Organização Mundial de Saúde é de 5g diária. “Isso deve ser uma preocupação de saúde pública, pois estudos já demonstram que a hipertensão está crescendo inclusive entre crianças e adolescentes”. Todo produto que oferecer menor quantidade de sódio deve ter seu consumo estimulado.

Teor de iodo no sal da Estar Bem Alimentos

Visando sempre a saúde e o respeito ao consumidor, a Estar Bem Alimentos cumpre rigorosamente a Resolução da ANVISA–RDC nº 23, de 24 de abril de 2013, que dispõe sobre o teor de iodo no sal destinado ao consumo humano e dá outras providências sobre o tema.

Em seu Art. 5º a RDC nº23, da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária – diz: “Somente será considerado próprio para consumo humano o sal que contiver teor igual ou superior a 15 (quinze) miligramas até o limite máximo de 45 (quarenta e cinco) miligramas de iodo, por quilograma de produto”.

Andrea Esquivel

Nutricionista pela UMC – Universidade de Mogi das Cruzes -, pós-graduada em Marketing pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado. Especialista em Gastronomia, Gastroenterologia e Marketing de Alimentos. Nutricionista da clinica CEDIG – diagnóstico e tratamento em gastroenterologia a mais de 16 anos. Diretora da empresa Gastronomia Nutritiva Caiaffa Esquivel – consultoria em gastronomia, nutrição e marketing, que atende restaurantes, empresas e indústrias alimentícias a mais de 20 anos. Co-autora de livros técnicos na área de nutrição. Autora de apostilas técnicas para o PRONATEC. Autora de receitas para produtos nutricionais da empresa Danone. Consultora técnica de revistas de mídia nacional. Coordenadora pedagógica do curso de pós-graduação em Fitoterapia do Ganep Nutrição Humana.

Informações: Estar Bem Alimentos – SAC: (11) 3842.6628

Conheça a exclusiva linha de temperos à base de Sal Rosa do Himalaia

Criada em 2014, a Estar Bem Alimentos, localizada na cidade de São Paulo, é uma empresa de produtos alimentícios saudáveis, que em sintonia com as tendências mundiais traz ao mercado brasileiro soluções para uma alimentação saudável.

Perfil da Linha de Temperos Estar Bem Alimentos

todos temperos

A linha apresenta redução média de 30% de Sal do Himalaia, e como ele já apresenta uma redução de sódio em torno de 20%, pode-se afirmar que qualquer preparação feita com a linha de Temperos Estar Bem Alimentos poderá apresentar uma redução natural final em torno de 50% do sódio em comparação ao sal comum ou a outros temperos prontos.

A nutricionista Andréa Esquivel, responsável técnica da Estar Bem Alimentos, e que desenvolveu a linha de temperos da marca, seguiu o padrão do tempero brasileiro. “Nosso dia a dia de arroz e feijão é baseado em um tempero mais suave com alho e cebola”.

Tempero para Arroz

arroz

O tempero para arroz Estar Bem Alimentos traz o equilíbrio entre alho e cebola para que nenhum se sobressaia ao outro e conta com um toque de tomilho, erva que contribui para digestibilidade e ação bacteriostática.  Ingredientes: Sal do Himalaia, alho, cebola, tomilho e louro. *1 colher de café (1g) tem apenas 231mg de sódio, o equivalente a 9,6% das necessidades diárias.

Tempero para Feijão

feijão

O feijão leva um toque de louro em pó que ajuda a deixá-lo mais digestivo, pois o louro combate os fatores antinutricionais do feijão e contribui para diminuir os gases produzidos no intestino. Com toque não pronunciado, o louro está equilibrado com o alho e a cebola, o que torna esse tempero muito prático porque não há necessidade de fazer um refogado. Basta adicionar o Tempero pronto Estar Bem ao feijão cozido, colocar um pouco de óleo, ou azeite, levar ao fogo até engrossar o caldo e está pronto para servir. Ingredientes: Sal do Himalaia, alho, cebola, louro e tomilho. *1 colher de café (1g) tem apenas 266mg de sódio, o equivalente a 11% das necessidades diárias.

Tempero para Frango

frango

No tempero para frango encontramos o equilíbrio de sabores entre os condimentos e o alho, com um suave toque de limão; além de trabalhar com o urucum, colorante natural, excelente fonte de betacaroteno (um precursor da vitamina A), como informa a nutricionista Andrea Esquivel. Ingredientes: Sal do Himalaia, alho, cebola, cúrcuma, urucum, pimenta do reino, louro, alecrim, sálvia, aipo, limão, zimbro, endro e tomilho.
*1 colher de café (1g) tem apenas 136mg de sódio, o equivalente a 9,8% das necessidades diárias.

Tempero para Carne

carne

Nesta versão, Andréa Esquivel buscou o equilíbrio do sabor com condimentos que fazem parte do hábito brasileiro de Norte a Sul, e criou um blend onde nenhum se sobressai ao paladar. O conjunto de condimentos utilizados contribui para a digestibilidade proteica,presente na carne. Ingredientes: Sal do Himalaia, alho, cebola, pimenta do reino, louro, alecrim, orégano, limão, aipo tomilho, canela e cominho. *1 colher de café (1g) tem apenas 225mg de sódio, o equivalente a 9,4% das necessidades diárias.

Tempero para Peixe

peixe

O tempero para peixe Estar Bem Alimentos traz o equilíbrio do alho e do limão, que fazem parte do tempero usual de peixe no Brasil. O foco nesta versão foi estabelecer um equilíbrio que combine com peixes de sabor suave a peixes mais intensos. Ingredientes: Sal do Himalaia, alho, cebola, coentro em grão, pimenta do reino, alecrim, orégano, limão, zimbro, tomilho, endro, kumel e manjericão. *1 colher de café (1g) tem apenas 250mg de sódio, o equivalente a 10% das necessidades diárias.

“Como todos os temperos prontos da Estar Bem são à base de Sal do Himalaia, não existe condições de ficarem muito condimentados, pois a pessoa irá usar a dose como de um sal e ganhará sabor agregado”, explica Andréa Esquivel.

O preço médio sugerido ao consumidor final, embalagem pet reciclável de 200g, de cada um dos temperos, vai de R$ 18,00 a R$ 20,00.

Forma de aplicação dos temperos

A utilização dos temperos Estar Bem Alimentos é simples, orienta Andrea: “As pessoas vão usar para salgar, a medida utilizada será o equivalente ao sal, e junto estarão acrescentando sabor bem equilibrado. Para o preparo do arroz e do feijão, não é necessário fazer um refogado de alho e cebola. Basta colocar a porção de arroz cru (ou de feijão cozido), adicionar um pouco de óleo ou azeite, colocar água proporcional e o tempero pronto na medida equivalente ao sal (proporcionalmente uma colher de sopa rasa para cada xícara de arroz cru ou duas de feijão cozido), levar ao fogo, finalizando conforme cada um. Os outros temperos da Estar Bem Alimentos devem ser adicionados diretamente a carne, peixe ou frango que pode ser grelhado, assado ou cozido, conforme a pessoa desejar. Para o preparo de filés grelhados basta polvilhar um pouco de cada lado do filé e levar para grelhar com um pouco de sal, simples assim”.

Os temperos Estar Bem Alimentos podem ser utilizados em farofas, legumes, panquecas, molhos, ensopados entre outras preparações.

Andrea informa que a linha de temperos Estar Bem Alimentos foi desenvolvida para facilitar o dia a dia de quem busca saúde e praticidade. “Esta linha de condimentos é inovadora e não tem concorrentes. É a primeira linha de temperos prontos feitos com Sal do Himalaia e condimentos 100% naturais, sem conter glutamato monossódico ou gordura vegetal, açúcar ou maltodextrina. Em comparação com os outros temperos prontos de mercado apresenta redução significativa do sódio presente. Além dos condimentos oferecerem benefícios à saúde como aumento e melhora da digestibilidade. É o primeiro tempero comercial desenvolvido por nutricionista e segmentado para cada tipo de preparação”.

Informações: Estar Bem Alimentos