Arquivo da tag: tratamento

Enxaqueca é uma das dores de cabeça mais limitantes, não tem cura, mas tem tratamento

SMCC divulga vídeo com orientações de prevenção e cuidados com a doença, mais comum em mulheres dos 20 aos 60 anos

A enxaqueca é um dos tipos mais comuns de dor de cabeça e uma das mais incapacitantes. Mais frequente nas mulheres, pelo fator hormonal, não possui cura, mas tem tratamento. Um diagnóstico bem feito, com tratamento adequado, ajuda a pessoa a evitar as crises e a ter uma vida normal. O neurologista Donizete César Honorato foi convidado pela SMCC (Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas) para gravar um vídeo sobre o tema, que pode ser assistido clicando aqui.

“Existe uma diferença entre as várias dores de cabeça e a enxaqueca. As dores de cabeça são todas as dores que a gente vem a sentir desde acima dos olhos até a nuca. Entre as dores de cabeça, existem as primárias e as secundárias. Entre as primárias, a mais comum delas é a dor de cabeça por ansiedade. A segunda é a enxaqueca, a que mais prejudica as pessoas, com falta ao trabalho, mau humor, memória prejudicada”, explica o médico. “Trata-se de uma dor bastante forte, que vem com náusea, vômitos. Às vezes, as pessoas têm mosquinhas, coisas que parecem estar voando dentro dos olhos, o olfato fica prejudicado e elas não suportam cheiros”, comenta.

De acordo com o neurologista, a enxaqueca apresenta sintomas bem característicos entre as dores de cabeça. “É uma dor de cabeça que, costumeiramente, ocorre em um dos lados da cabeça, como a gente diz, no hemicrânio. É de moderadas a forte intensidade, pode durar de quatro a 72 horas e é extremamente incapacitante. Às vezes, é difícil entender porque a pessoa não foi trabalhar, porque a criança não foi na escola… “, diz.

Embora a enxaqueca seja mais frequente nas mulheres, principalmente durante o período produtivo, entre 20 e 60 anos, ela também ocorre nos homens e nas crianças. “A enxaqueca é caracterizada por distúrbios que existem em alguns neurônios. É uma doença hereditária, a gente sempre observa quando o pai tem, o vô tem, a tia tem… isso ajuda muito a fazer o diagnóstico”, explica Honorato.

Segundo o médico, como existem dores de cabeça causadas por outros fatores, como sinusite, problemas de visão, cansaço, disfunções das articulações temporomandibulares, problemas neurológicos ou neurocirúrgicos, é fundamental fazer o diagnóstico correto. “É importante você mesmo identificar a sua dor de cabeça. Faça uma agendinha: quando dói, como dói, como começa, como é a evolução dessa dor de cabeça. Isso vai ajudar muito a fazer os diagnósticos previstos”, orienta.

Quando procurar o médico?

Woman and adult doctor sitting in clinic and looking at laptop during the consultation.

Toda vez que as dores de cabeça são incapacitantes. Quando começam a aparecer náuseas, vômitos, alterações na vista, é o momento de procurar o médico. “Se você tentou tratamentos caseiros, mas se passaram alguns dias e essas dores de cabeça não melhoraram, é indicado procurar um médico. Será feita uma triagem adequada para ver onde se encaixa essa dor de cabeça. Não só como enxaqueca, mas como aquelas outras que, de repente, podem ser um problema neurológico mais sério”, diz.

Como prevenir?

Dormindo bem, se alimentando bem, tentando diminuir o máximo de estresse, tendo uma vida ativa. Não abusar do álcool e do cigarro. “Tudo isso colabora para a crise de enxaqueca não seja desencadeada. É importante realizar atividades físicas, manter laços de amizade, ter uma vida interativa, participar da academia. Tudo isso vai criar substâncias poderosas que podem inibir o desencadeamento das enxaquecas”, garante o médico.

Enxaqueca tem cura?

“A pergunta que sempre se faz e que não quer calar é se a enxaqueca tem cura. Na realidade, a enxaqueca não tem cura, mas ela tem tratamento. Se você pensar em uma pessoa que tem diabetes, ele não tem cura do diabetes, mas vive a vida normalmente, com os tratamentos, com os cuidados”, compara. “A enxaqueca é a mesma coisa. Se você evitar os fatores desencadeantes, ter um acompanhamento correto, pelo neurologista, pelo otorrinolaringologista, pelo oftalmologista, pelo dentista, é possível viver sem dor”, diz.

O neurologista ressalta que, atualmente, há muitas opções de medicamentos, para as duas fases da enxaqueca, que são antes da crise e na crise. “Existem também tratamentos interativos, como ioga, massagem, toxina botulínica, acupuntura… existem várias outras maneiras de te tornar uma pessoa feliz, uma pessoa sem dores de cabeça”, finaliza.

Oficinas de automaquiagem gratuitas para mulheres em tratamento oncológico

O Programa De Bem com Você, a Beleza contra o câncer, do Instituto Abihpec apresenta programação especial com oficinas de automaquiagem online e presencial para mulheres em tratamento oncológico; a programação também apresentará lives com temas ligados à causa e o lançamento do podcast Se Meu Batom Falasse

O Programa de Bem com Você, a Beleza contra o câncer, coordenado pelo Instituto Abihpec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) inicia suas atividades especiais voltadas para as mulheres em tratamento oncológico, no Outubro Rosa. São oficinas de automaquiagem, onde as pacientes aprenderão técnicas de beleza para amenizar os efeitos do tratamento. A programação de 2022 contará com oficinas online e presenciais, lives, além do lançamento do podcast Se o meu batom falasse.

O objetivo desse podcast é trazer as histórias reais de pacientes que conseguiram lidar com o tratamento oncológico e recuperaram a autoestima, tendo o apoio das oficinas de automaquiagem do Programa de Bem com Você, a Beleza contra o câncer. Para Claudio Viggiani, presidente do Instituto Abihpec, o Programa de Bem com Você desenvolve tradicionalmente uma programação especial durante o Outubro Rosa. O intuito é chamar a atenção para a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama e de estimular mulheres que já estejam em tratamento oncológico a se cuidarem, aderindo ao tratamento e mantendo sua autoestima elevada.

No ano passado o Programa atendeu mais de 5.300 mulheres. Neste ano, serão 2 mil mulheres atendidas somente no mês de outubro entre oficinas online e presenciais. Até o final do ano serão 7 mil atendimentos, Um destaque deste Outubro Rosa serão as consultorias de visagismo, a arte de criar uma imagem personalizada através da análise do rosto e dos princípios da linguagem visual (harmonia e estética), utilizando a maquiagem, corte, coloração do cabelo, sobrancelha e tudo o que compõe o rosto. As oficinas presenciais acontecerão nos Hospitais e locais parceiros em várias cidades brasileiras.

Programação

04/10/202210h – Valorização da Pele + Os 12 Passos da Maquiagem
16h – Limpeza e Hidratação da Pele + Os 12 Passos da Maquiagem
05/10/202220h – Pele iluminada + Os 12 Passos da Maquiagem
06/10/202216h – Sobrancelhas naturais + Os 12 Passos da Maquiagem
20h – Valorização do olhar com delineado invertido + Os 12 Passos da Maquiagem
11/10/202210h – Pele Opaca + Os 12 Passos da Maquiagem
16h – Maquiagem Colorida com Glitter + Os 12 Passos da Maquiagem
12/10/202220h – Maquiagem para o dia a dia + Os 12 Passos da Maquiagem
13/10/202216h – Cílios Postiços + Os 12 Passos da Maquiagem
20h – Sobrancelhas naturais + Os 12 Passos da Maquiagem
18/10/202210h – Limpeza e Hidratação da Pele + Os 12 Passos da Maquiagem
16h – Valorização da Pele + Os 12 Passos da Maquiagem
19/10/202210h – Os 12 Passos da maquiagem
20/10/202216h – Valorização do Olhar com delineado invertido + Os 12 Passos da Maquiagem
20h – Sobrancelhas naturais + Os 12 Passos da Maquiagem
25/10/202210h – Maquiagem Colorida com Glitter + Os 12 Passos da Maquiagem
16h – Pele Opaca + Os 12 Passos da Maquiagem
26/10/202220h – Maquiagem para Festa + Os 12 Passos da Maquiagem
27/10/202216h – Sobrancelhas naturais + Os 12 Passos da Maquiagem
20h – Cílios Postiços + Os 12 Passos da Maquiagem Para as oficinas online, as inscrições podem ser feitas aqui.

Consultoria de visagismo – feita por uma das nossas voluntárias especializadas na técnica, Samarah Fernanda. Sala online aberta para 5 pacientes que fizeram um pré-cadastro.
03/10/2022 – 16h
10/10/2022 – 16h
17/10/2022 – 16h
24/10/2022 – 16h
31/10/2022 – 16h

Para a consultoria de Visagismo, as inscrições podem ser feitas aqui.

LIVES
11/10/2022 – 15h
Sexualidade e o resgate da autoestima durante o tratamento oncológicoVenha bater um papo sobre Sexualidade e o resgate da autoestima durante o tratamento oncológico Vera Bifulco e a Dr. Ana Lucia.Vera é psicóloga clínica integrante da Equipe de Cuidados Paliativos da Unifesp, psico-oncologista, coordenadora do comitê de Cuidados Paliativos da SBPO, coautora de livros sobre o tema, além de coordenadora do curso de extensão cultural de Gerontologia na Contemporaneidade do Instituto sedes Sapientiae. Membro da Slow Medicine Brasil.Dra. Ana Lucia é Médica Psiquiatra, com especialização em Psico-oncologia e Sexologia clínica, formada em Medicina pela Universidade de Mogi das Cruzes, Residência Médica em Psiquiatria pela Santa Casa de SP, título de especialista em Psiquiatria pela ABP, especialização em Psico-oncologia pela Ciências Médicas de MG e possui especialização em Sexologia pelo IBCMED e IEPOS.
Live: YouTube

25/10/2022 Pessoa transgênero, 3° idade e o tratamento oncológico
Live: YouTube

Lançamento Podcast
24/10/2022
Aproveitamos o mês de outubro, em que lembramos a importância da prevenção do câncer de mama, para lançar o Podcast Se Meu Batom falasse, com a narração de histórias de como as pacientes conseguiram lidar com o tratamento oncológico e, assim, recuperar a autoestima. Sobre O Programa De Bem com Você – A Beleza contra o Câncer Tem como objetivo oferecer um atendimento humanizado às mulheres que estão em tratamento oncológico, a fim de proporcionar a elevação da autoestima e qualidade de vida durante e pós-tratamento, por meio de oficinas de automaquiagem. Criado em 2012, o Programa DBCV é uma iniciativa do Instituto Abihpec, uma associação civil, autônoma, sem fins lucrativos. O Instituto surgiu de uma iniciativa da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) para canalizar os projetos sociais por ela patrocinados.

Varizes e vasinhos: conheça os diferentes tipos e como tratá-los

A associação de técnicas é uma das formas mais efetivas do tratamento de cada caso, sempre com uma avaliação prévia de cada paciente

Você já deve ter ouvido falar de pessoas que fizeram tratamento de varizes e vasinhos. Mas você sabia que existem diferentes tipos e para cada um deles é recomendado um tratamento diferente? Basicamente, as varizes são classificadas em quatro tipos e para indicar o melhor tratamento é preciso antes identificar o tipo de cada uma delas.

A cirurgiã vascular e angiologista, Tatiana Losada, explica quais são eles:

Foto: Winzy Lee/Shuttestock

-Telangiectasias ou vasinhos: são vasos bem pequenos que estão localizados na pele. De coloração avermelhada ou arroxeada, são veias bem finas, superficiais e visíveis na pele.
-Reticulares ou microvarizes: de coloração azulada ou esverdeada, estão localizados logo abaixo da pele, mas são menores que as varizes. Possuem tamanho de 1-3mm.
-Varizes: são veias mais calibrosas, alongadas e, às vezes, tortuosas, que ficam localizadas entre a gordura e o músculo e possuem mais que 3mm de diâmetro.

As varizes surgem pela própria doença venosa, no entanto a forma de surgimento de cada tipo vai depender da pessoa, relacionado à genética, ganho de peso, gestação, entre outros fatores. “O tratamento é definido de acordo com o tamanho, localização do vaso, cor do vaso, tipo de pele, cor da pele, mas normalmente para os vasinhos menores, aquelas telangiectasias, tendemos a fazer aplicação e laser. Para os vasos maiores, espuma e laser. Porém, tudo isso vai depender realmente de todos esses parâmetros e o tipo de doença que o paciente tem e só conseguimos dizer qual será o tratamento adequado avaliando antes o paciente”, explica a cirurgiã.

Ela ainda afirma que normalmente é realizada uma associação de técnicas e não apenas uma para cada caso. A forma de prevenção será a mesma para todos: uma dieta adequada, prática de atividade física, acompanhamento vascular. Caso o paciente tenha algum histórico familiar, a recomendação é começar desde cedo a fazer o acompanhamento e, ao surgimento de pequenas lesões, o ideal é procurar o cirurgião vascular.

O alerta também fica para os casos de trombose. “A doença venosa, que são as varizes, quando está em estágios avançados, pode levar à trombose, mudança de coloração da pele da perna, inchaço e principalmente dor”, conta Tatiana. A doença venosa leva a uma dificuldade de retorno venoso, e essa dificuldade de retorno do sangue pode levar à trombose.

Para cuidar desses problemas, os tratamentos nos dias de hoje são os mais modernos, com uma associação de técnicas para evitar um procedimento cirúrgico e, principalmente, para o paciente também ter um resultado estético mais duradouro, há realmente um tratamento da doença.

“As técnicas que faço em consultório, como laser, aplicação, espuma, não precisam de repouso, o paciente faz e vai embora para casa. Antigamente existia apenas aplicação e cirurgia. Hoje temos diversos tipos de tratamento que posso fazer baseado no tipo de lesão que o paciente tem. O tratamento cirúrgico também é mais simples nos dias de hoje, já que o paciente opera de manhã e vai embora no final do dia. E mesmo os casos que precisam de um repouso maior, na verdade é relativo. O paciente não fica o tempo todo de repouso com a perna para cima, até estimulamos que o paciente ande para uma melhor recuperação”, conclui a especialista.

Fonte: Tatiana Losada é médica Formada pela Universidade de Uberaba – MG, especialista em Cirurgia Vascular e Angiologia. Especialista em tratamentos modernos de varizes e vasinhos. Cirurgiã Geral pela Secretária de Saúde do Distrito Federal. Cirurgiã Vascular pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – FAMERP. Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular e Angiologia – @dratatianalosada

5 macetes que deixam a pele extremamente receptiva para os cosméticos

Uma das principais funções da nossa pele é a de barreira de proteção natural, protegendo contra agentes químicos, físicos e biológicos. Devido a isso, o tecido cutâneo não permite a penetração da maioria das substâncias na pele, dificultando a absorção inclusive de cosméticos.

“O estrato córneo é a camada mais externa da epiderme e uma das camadas mais importantes quando se fala de permeação cutânea. Nele, estão presentes células mortas, com grande quantidade de queratina, que se descamam continuamente e formam uma barreira que protege os tecidos que estão abaixo dessa camada. Sendo assim, geralmente apenas 1 a 5% daquilo que é aplicado na pele com o estrato córneo intacto e espesso é que tem capacidade de penetrar, sendo que o restante permanece na superfície da pele, trazendo apenas benefício de hidratação”, explica o dermatologista Daniel Cassiano, da Clínica Gru e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Existem alguns fatores que interferem na permeação de um creme, segundo o médico. “Idade, irrigação sanguínea, hidratação, o próprio local de aplicação, a qualidade e o tipo de pele, bem como a presença ou não de impurezas vão modificar o quanto de cosmético a pele conseguirá absorver”, diz o médico. Mas a boa notícia é que existem meios de fazer com que o seu creme aja profundamente.

Higienização e esfoliação – “A preparação da pele é o primeiro passo, com a limpeza que vai retirar impurezas e sujeiras acumuladas ao longo do dia. Essas sujidades impedem que os cosméticos penetrem adequadamente na pele”, explica o médico. Sabonetes que promovam ação hidratante e calmante, como o Sabonete Poros, da Be Belle, podem ser usados. O produto para limpeza da pele melhora também a elasticidade da pele.

Após a limpeza, o dermatologista diz que a pele fica muito alcalinizada devido ao sabonete. “Por isso, é importante também usar um tônico ou água termal para promover o reequilíbrio do pH da pele, assim preparando-a para a etapa seguinte, já que o equilíbrio do pH vai auxiliar na melhor absorção dos ativos cosméticos que serão aplicados”, afirma o dermatologista.
A esfoliação da pele pode ter benefício, mas não deve ser realizada diariamente, já que a barreira cutânea é fundamental para a saúde da pele. Segundo o dermatologista, nesse processo, o esfoliante remove parte do estrato córneo e retira células mortas, sebos e resíduos que ficam mais aderidos à superfície cutânea.

“Além disso, após a esfoliação, ocorre uma renovação do estrato córneo em mais de 50%, o que confere à pele uma textura mais homogênea e uma espessura mais delicada, fazendo com que os ativos penetrem adequadamente”, completa. Quando optar pelo uso do esfoliante, ele deve vir após o sabonete e antes do tônico. Uma novidade para essa etapa é o Esfoliante Facial Rednek, capaz de remover impurezas e células mortas da pele, desobstruindo os poros e ajudando na renovação celular.

Ordem de aplicação – após estes cuidados, a pele está pronta para receber o cosmético. Porém, ainda assim, é necessário atentar-se a alguns fatores, como a ordem de aplicação por exemplo. “Se aplicados na ordem errada, os produtos podem perder seu efeito. Por isso devem ser passados do mais líquido para o mais consistente. Então os produtos devem ser aplicados na seguinte sequência: séruns e elixires, cremes e por último, os fotoprotetores”, explica o médico.

Formulação – a formulação também influencia, já que existem ativos que facilitam a penetração dos cosméticos na pele, garantindo maior eficácia. Um exemplo são os produtos com nanotecnologia. “Os nanovetores são partículas muito pequenas que garantem permeação maior, já que a pele os absorve melhor. Com a nanotecnologia, temos certeza de que o que está sendo usado na pele não para na superfície sem promover nenhum efeito de regeneração”, afirma.

Drug delivery – com o avanço das tecnologias, já existem também técnicas realizadas em cabine que auxiliam a penetração de produtos tópicos nas camadas mais profundas da pele. “O drug delivery é uma técnica que utiliza de métodos para aumentar a permeabilidade da pele e melhorar a penetração cutânea de medicamentos. Ele consiste na aplicação de medicação na pele imediatamente após o uso de lasers ablativos ou microagulhamento, que criam canais de abertura, facilitando a absorção dos ativos pelo tecido”, explica Cassiano.

Hydrafacial – baseado no conceito de Beauty Health, que consiste em melhorar a aparência da pele ao mesmo tempo em que promove manutenção da saúde do tecido cutâneo, o HydraFacial é um equipamento de hidrodermoabrasão capaz de proporcionar uma experiência única, conferindo a melhor pele da sua vida. Como conta com a exclusiva e patenteada tecnologia Vortex-Fusion, gera um efeito de vórtice para expelir e remover facilmente as impurezas da pele enquanto confere hidratação.

A experiência-base, em 3 etapas, é extremamente personalizável para atender às necessidades específicas de cada pele, com esfoliação, extração (com hidratação) e aplicação de antioxidantes, mas pode ser complementado com boosters, peels, LED’s, perks e terapia linfática para personalizar ainda mais a experiência. Dessa forma, o HydraFacial promove melhora instantânea da qualidade da pele, com uniformização do tom e da textura e aumento da firmeza, viço e brilho da pele.

Podendo ser realizado tanto na face, quanto no corpo, o HydraFacial ainda prepara o tecido cutâneo para procedimentos estéticos e cirurgias plásticas posteriores, assim potencializando resultados. Completamente indolor, o HydraFacial confere resultados em apenas uma sessão, que pode ser repetida mensalmente para manutenção dos resultados. A experiência é indicada para todos os tipos de pele, inclusive peles secas e sensíveis, e possui procedimentos rápidos, que duram de 30 a 60 minutos e não tem downtime, assim possibilitando uma experiência exclusiva sem atrapalhar a rotina.

Por fim, Cassiano ressalta que como a capacidade de permeabilidade da pele pode variar de pessoa para pessoa, o mais importante é que você consulte regularmente um dermatologista. “Apenas ele poderá avaliar e dizer quais produtos são ideais para cada tipo de pele e como devem ser utilizados em cada caso”, finaliza o especialista.

Fonte: Daniel Cassiano é dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. Cofundador da clínica GRU Saúde, formado pela Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Doutorando em medicina translacional pela Unifesp. Professor de Dermatologia do curso de medicina da Universidade São Camilo.

Jovem além do rosto: saiba outras áreas que merecem atenção com a pele

Outras regiões do corpo podem envelhecer precocemente com a falta de cuidados como protetor solar e hidratação. Veja quais hábitos, produtos e tratamentos podem ajudar a retardar esse processo

Quando o assunto é manter a pele com aspecto jovem, a área mais lembrada pelos entusiastas do skincare é o rosto. Rotinas com uma quantidade variada de produtos para a face se popularizaram na internet nos últimos anos, voltadas para manter a hidratação e a jovialidade da pele em dia. Acontece que, a partir dos 25 anos de idade, a queda dos níveis de colágeno e ácido hialurônico no organismo também afeta outras partes do corpo que merecem tanto cuidado quanto o rosto, pois também denotam o passar do tempo. Inclusive, a falta de cuidados pode potencializar esse efeito.

Unsplash

“O colo e os braços são áreas que também sofrem um envelhecimento mais rápido, principalmente pela estrutura da pele ser mais fina e estarem mais expostas à poluição e radiação solar”, explica a dermatologista Ana Magella. Assim como as mãos, essas áreas costumam ser esquecidas na hora de passar filtro solar e hidratantes específicos para o tipo de pele, como acrescenta a profissional, que atende na Clínica Corporeum, de Brasília.

No caso das mãos, especificamente, o hábito de usar álcool em gel durante a pandemia também se tornou um fator que favorece a desidratação cutânea dessa região, o envelhecimento precoce e até o surgimento de feridas. Ao higienizar as mãos com o produto, a dica da profissional é hidratar as mãos logo após.

Em qualquer parte do corpo, fatores como exposição solar excessiva, procedimentos como bronzeamento artificial e até movimentos musculares repetitivos também favorecem o envelhecimento precoce, mas os fatores não são apenas tópicos: também acontecem de dentro para fora! “Hábitos como tabagismo, consumo excessivo de álcool, baixo consumo de água e má alimentação também aceleram esse processo”, adverte a dermatologista.

Soluções

Freepik

Ana acrescenta que a recomendação de produtos para retardar o envelhecimento e trazer outros benefícios varia com o tipo de cada pele. “Peles mais oleosas, por exemplo, devem evitar produtos que contenham óleo na sua composição e buscar produtos oil-free ou em gel. Já existem no mercado alguns produtos específicos para mãos e pescoços, mas protetores solares faciais também podem exercer bem essa função”, acrescenta. Independentemente do fototipo de pele, ela acrescenta que o ideal é usar protetor solar com FPS acima de 50 nessas regiões.

Os tratamentos não invasivos atuais para tratar as temidas linhas de expressão, inclusive, vão além dos cosméticos, como frisa a médica. “Temos cada dia mais novidades, tanto para profilaxia (nome dado aos cuidados médicos preventivos) como para ajudar na pele já mais envelhecida. Podemos usar hidratantes e óleos específicos, laser, ultrassom micro e macro focado (como o queridinho Ultraformer III), bioestimuladores de colágeno e até preenchedores com ácido hialurônico”, completa.

Dia Mundial do Transtorno Bipolar: uma das doenças com maior índice de suicídio

Hoje, 30 de março, se tornou o Dia Mundial do Transtorno Bipolar em homenagem ao aniversário do pintor Vincent Van Gogh, que possivelmente tinha este problema. Trata-se de uma doença mental que representa um desafio significativo para portadores, profissionais de saúde, familiares e comunidades. O objetivo da data é chamar a consciência mundial para transtornos bipolares e eliminar o estigma social.

De acordo com o psiquiatra Adiel Rios, Pesquisador do Programa de Transtorno Bipolar do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (IpQ-HCFMUSP), o transtorno bipolar é altamente incapacitante e está associado à mortalidade prematura. Uma taxa mais alta de doenças cardiovasculares comórbidas e taxas de suicídio explicam em grande parte a expectativa de vida reduzida.

A doença é crônica, caracterizada pela recorrência de episódios de mania/hipomania e depressão, com prevalência estimada na população em torno de 1% a 2,4%. As manifestações clínicas geralmente aparecem no final da adolescência e início da fase adulta, o que leva a grandes deficiências, redução da expectativa de vida e altas taxas de mortalidade.

Como identificar

No episódio de mania, o portador apresenta um aumento da energia, euforia, uma alegria intensa e felicidade fora do normal. Também apresenta ideias de grandeza, superioridade ou elevada autoestima e autoconfiança excessiva, que pode atingir um grau fora da realidade. A pessoa pode apresentar também irritabilidade e impulsividade de forma exacerbada.

“O pensamento fica acelerado, muitas ideias e projetos fluem simultaneamente ou numa sequência tão rápida que fica difícil entender sobre qual assunto a pessoa está falando”, diz o psiquiatra.

Há diminuição da necessidade de sono, comportamento sexual excessivo, descontrole nos gastos e atitudes sem a percepção de sua inadequação. Fica agitado, eventualmente agressivo, distraído e totalmente desconcentrado. Segundo Rios, a hipomania tem características similares às da mania, mas os sintomas são mais brandos.

Já o episódio de depressão se caracteriza por tristeza profunda, perda de interesse por tudo, pensamentos negativos (ideias de ruína, culpa, inutilidade, baixa autoestima) que podem ser intensos a ponto de configurar um delírio. Há modificações no sono: enquanto algumas pessoas têm insônia, outras apresentam hipersonia (dormem mais do que o habitual).

Em relação ao apetite, pode haver aumento no consumo de alimentos como forma de aliviar a ansiedade. No entanto, a perda de apetite é mais comum neste quadro. Há também diminuição da libido, perda do prazer, fadiga excessiva e desinteresse por tudo. “A pessoa mal tem vontade de levantar da cama pela manhã ou não existe força para realizar suas atividades básicas da vida diária”, ressalta o psiquiatra.

A sequência de manifestação dos episódios maníacos/hipomaníacos e depressivos é variada, ou seja, não acontece, necessariamente, de forma alternada. Os eventos de hipomania e mania, assim como os de depressão, têm duração, em geral, de dias ou semanas.

Relação com suicídio

O transtorno bipolar é uma das doenças psiquiátricas com maior índice de suicídios, ao lado da depressão. Segundo a Associação Brasileira de Transtorno Bipolar, de 30% a 50% dos pacientes com o diagnóstico tentam o suicídio, sendo que cerca de 15% cometem o ato.

No quadro agudo de euforia, a pessoa tem a sensação de que pode tudo, inclusive se colocar em situações de risco, podendo levar ao ato suicida. Já na depressão, a intensidade da angústia, da perda de interesse pela vida e dos pensamentos sempre negativos acaba chegando ao extremo do suicídio.

“Por isso, no transtorno bipolar, detectar os sintomas e o risco de um quadro suicida é uma tarefa ainda mais complexa, pois tanto na fase depressiva quanto na euforia existe a possibilidade do paciente chegar ao ponto do suicídio”, afirma o médico.

Diagnóstico

O diagnóstico costuma ser bastante difícil e pode demorar em média dez anos para ser estabelecido devido a tratamentos equivocados, ausência de comunicação entre os profissionais envolvidos, desconhecimento sobre como a doença se manifesta (seja pela falta de conhecimento como pela confusão dos seus sintomas com os de outros tipos de depressão), preconceito e autoestigmatização.

O histórico do indivíduo é decisivo para o diagnóstico conclusivo, já que alterações de humor anteriores, episódios atuais ou passados de depressão, histórico familiar de perturbação do humor ou suicídio e ausência de resposta ao tratamento com antidepressivos alertam para o diagnóstico do transtorno bipolar.

“A maioria dos pacientes não procura o psiquiatra na fase de hipomania, mas apenas quando entra em depressão. Se o diagnóstico não for exato, ou seja, se não houver uma maior investigação que aponte o transtorno bipolar, o uso de medicações antidepressivas, sem estabilização do humor, pode piorar o quadro”, pontua Rios.

Causas e tratamentos

Foto: MedicalNewsToday

Apesar de a doença se manifestar mais comumente no adulto jovem, ela pode acometer pessoas mais velhas, inclusive na terceira idade. Atinge ambos os sexos numa proporção semelhante e perdura a vida toda, ou seja, não tem cura, mas pode ser controlada.

A causa exata do transtorno bipolar é desconhecida, mas estudos sugerem que o problema pode estar associado a alterações em certas áreas do cérebro e nos níveis de vários neurotransmissores, como noradrenalina, serotonina e dopamina. Esse desequilíbrio reflete uma base genética ou hereditária para o transtorno. Há também fatores ambientais/externos, conhecidos como epigenéticos, como o uso de substâncias psicoativas (anfetaminas, álcool e cocaína, por exemplo).

O tratamento depende da fase da doença. De acordo com o psiquiatra, os quadros maníacos/hipomaníacos são tratados com estabilizadores do humor, como o lítio, anticonvulsivantes e antipsicóticos. Já nos quadros depressivos podem ser antidepressivos devidamente associadas com estabilizadores do humor e por curto período de tempo, para evitar a ocorrência de um quadro maníaco/hipomaníaco.

“Os sintomas de depressão são a causa mais frequente de incapacidade, sendo que mais da metade dos pacientes em episódios depressivos não respondem adequadamente aos tratamentos disponíveis. Portanto, há uma necessidade urgente de tratamentos coadjuvantes, visando à remissão completa do transtorno, afirma Rios.

Segundo a Abrata (Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos), a adesão aos tratamentos tem como importância:
=Redução das chances de recorrência de crises;
=Controle da evolução do transtorno;
=Redução das chances de suicídio;
=Redução da intensidade de eventuais episódios;
=Promoção de uma vida mais saudável.

“O transtorno bipolar tem forte impacto na vida da pessoa e de seus familiares, comprometendo aspectos sociais, afetivos e profissionais. Na dúvida quanto à possibilidade de ser portador de transtorno bipolar, consulte o quanto antes um médico psiquiatra, que poderá fazer a avaliação dos sintomas, o diagnóstico e indicar o tratamento adequado”, finaliza Rios.

Fonte: Adiel Rios é Mestre em Psiquiatria pela Unifesp e Pesquisador do Programa de Transtorno Bipolar do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (IpQ-HCFMUSP)

4 formas de ‘reanimar’ a pele que sofre com rugas e o aspecto cansado

Exposição solar sem fotoproteção, alimentação desbalanceada e tabagismo são os principais fatores que contribuem para o aparecimento das rugas mais cedo do que o normal

Quem já passou dos 30 anos sabe: o metabolismo não é mais o mesmo e, de repente, olheiras aparecem com mais facilidade, as linhas finas surgem e algumas rugas passam até a ficarem mais demarcadas, o que expressa também uma aparência mais triste e cansada. Os locais mais comuns de aparecimento dessas rugas dependem do tipo de expressão mais frequente em cada pessoa, além de hábitos, principalmente com relação à exposição solar, alimentação, estresse, qualidade do sono e tabagismo. Mas a genética também pode influenciar.

“Por exemplo, o genótipo do gene MMP1 está relacionado a uma degradação do colágeno oito vezes maior que o normal após a exposição solar. Existe também o genótipo do gene COL1A1, ligado à menor produção de colágeno. Além disso, a carência de genótipos de genes como SOD2 e CAT compromete a capacidade antioxidante da pele em responder bem contra a ação dos radicais livres. E temos também genes que influenciam na hidratação e secura da pele. Ou seja, essas características predispõem o paciente a ter mais rugas e sofrer mais com o fotoenvelhecimento”, destaca o geneticista Marcelo Sady, Pós-Doutor em Genética e diretor geral Multigene.

Segundo o cirurgião plástico Mário Farinazzo, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), com cuidados diários como hidratação, proteção solar e hábitos saudáveis é possível postergar em 5 a 10 anos a evolução de rugas. No entanto, segundo o médico, com hábitos de vida ruins, as rugas mais profundas que deveriam aparecer após os 40 ou 50 podem surgir antes. Quando as alterações já apareceram, existem meios de tratá-las. Especialistas em Dermatologia e Cirurgia Plástica contam mais sobre as formas mais indicadas de ‘reanimar’ a pele:

Rejuvenescimento ultrafracionado: exclusivo do Pico Ultra 300, o modo de tratamento ultrafracionado é revolucionário, pois faz uma varredura na pele, segundo Letícia Bortolini, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “Diferente dos outros lasers de picossegundos, é possível com o comprimento de onda 532nm eliminar os sinais de fotodano, que são os causados pela radiação solar crônica, como pigmento acastanhado e vermelho, que vemos principalmente na poiquilodermia, condição em que há uma combinação de atrofia da pele, aparecimento de vasos e hiperpigmentação”, explica a médica.

“Nesse tipo de fotodano, além da hiperpigmentação, o envelhecimento ocorre pela desnaturação e redução de fibras elásticas e colágenas, então Pico Ultra 300 promove uma reorganização dessas fibras, além de aumento da produção dessas proteínas de sustentação da pele”, explica Letícia. A grande vantagem, segundo a médica, é o rejuvenescimento sem downtime ou com mínimo incômodo por pouco tempo.

“Hoje as pessoas não querem e não têm tempo para ficar vermelhas ou descamando em casa. Além disso, o tratamento não dói, mas ainda é possível aplicar anestésico tópico antes para pessoas mais sensíveis”, conta. No geral, são feitas três sessões, sendo uma a cada 30 dias, mas podem ser feitas mais vezes, dependendo da indicação.

Nano Fat: procedimento que visa melhorar o aspecto geral da pele através da injeção de pequenas partículas de gordura no tecido cutâneo. “No procedimento, utiliza-se da lipoaspiração para retirar uma pequena quantidade de gordura do próprio paciente, que é então transformada em partículas menores para ser novamente injetada na pele. Apesar de não conferir volume ou preenchimento, visto que as partículas de gordura são muito pequenas, a melhora no aspecto da pele é proporcionada pela presença de células-tronco na gordura, que promovem uma potente regeneração dos tecidos da região tratada”, diz Paolo Rubez, cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Realizado sob o efeito de anestesia local, o procedimento é feito em apenas uma sessão e não possui downtime, permitindo que o paciente retorne às atividades normalmente. No entanto, a aplicação de fotoprotetor é indispensável e atividades físicas só podem ser realizadas após 7 dias.

Litlift: é um tratamento que surgiu nos Estados Unidos baseado no anseio dos millenials para abandonar o uso de filtros e maquiagens, visando assim conferir resultados muito satisfatórios, mas sem afetar a naturalidade do rosto. “Ideal para otimização da harmonia facial, o litlift consiste na combinação estratégica de preenchedores e neuromodulares injetáveis que são aplicados sob a pele em uma sessão de, no máximo, 30 minutos para promover rejuvenescimento e melhora geral da aparência”, afirma Farinazzo. Com resultados visíveis em apenas uma semana, o tratamento não tem downtime e nem causa inchaço, vermelhidão ou descamação da pele, permitindo ao paciente retornar imediatamente as suas atividades.

Getty Images

Total Remake: os tratamentos rejuvenescedores a laser nem sempre precisam lesionar a camada mais superficial da pele – o que exige alguns dias longe das atividades diárias. Um exemplo é o Total Remake, um laser Erbium Glass com comprimento de onda de 1350 nanômetros. “Este laser tem afinidade pela água, sendo interessante para tratamentos onde a produção de colágeno é desejada. Esse é um tratamento não ablativo, ou seja, não faz furinhos na pele, mas age na derme promovendo coagulação, o que estimula colágeno”, explica a dermatologista Daniella Curi. O tratamento também melhora as cicatrizes de acne, poros abertos e a textura da pele, ajudando a tratar linhas finas. Apesar de não lesionar a camada superficial, o tratamento não é indolor, mas o uso de anestésico tópico ou resfriador externo auxiliam bastante no manejo dessa sensação. No geral, são indicadas de três a cinco sessões, com intervalo mensal entre elas.

Falando em prevenção, os cremes podem ajudar – e um exame genético também. “Como existem genes envolvidos em diversas alterações na pele, o exame permite um tratamento mais direcionado. Quando há uma menor produção de colágeno, por exemplo, o médico pode reforçar o tratamento tópico, melhorar a dieta do paciente e, principalmente, suplementar. Percebida essa alteração, será necessário um estímulo maior na produção desse tipo de colágeno com a utilização de cápsulas de Exsynutriment, um silício biodisponível, e In.Cell, um complexo extraído da gema do ovo que, em conjunto, atuarão na nutrição celular e formação desses tipos de proteína. No creme, é necessário utilizar ativos potentes como Hydroxyprolisilane C, Progeline e DensiSkin”, explica a farmacêutica Maria Eugênia Ayres, gestora técnica da Biotec Dermocosméticos. Além disso, não esqueça de consultar um dermatologista para a indicação correta de produtos para hidratação e ação antienvelhecimento, não esquecendo nunca a proteção solar, que deve ser diária.
Por fim, Farinazzo explica que também existem opções cirúrgicas, indicadas para alguns pacientes. “De qualquer maneira, o melhor é sempre procurar um médico para indicação do melhor procedimento para a necessidade do paciente”, finaliza o cirurgião plástico.

Dia Internacional da Mulher: Mega Studio Be Emotion realiza ações sociais e promoções

Além da ação “Mulheres Invisíveis”, que busca devolver a autoestima e dar visibilidade às mulheres dependentes químicas em recuperação, a rede de salões de beleza vai promover descontos e presentear as clientes, de 8 a 12 de março, em suas nove unidades próprias e três franquias espalhadas pela capital paulista

Comemorado no dia 8 de março, o Dia Internacional da Mulher é uma data histórica, que traz reconhecimento e visibilidade às mulheres e suas conquistas. Foco principal do Mega Studio Be Emotion, são elas as protagonistas da história da marca. Pensando nisso, o Mega Studio Be Emotion, rede de salões de beleza idealizada pela hairstylist Marcella Dias em sociedade com João Appolinário Neto, filho do fundador e presidente da Polishop, João Appolinário, promove ações sociais, além de promoções e presentes para as clientes, não só no dia, mas ao longo de toda a semana.

No âmbito social, o espaço de beleza oferece a ação “Mulheres Invisíveis”, com o objetivo de devolver a autoestima e dar visibilidade às mulheres dependentes químicas em recuperação. Reconhecida pela OMS como uma doença grave, que atinge até 28 milhões de brasileiros, a dependência química é capaz de destruir a dignidade de mulheres, que sofrem com o uso abusivo de substâncias e, consequentemente, com a discriminação e o preconceito trazidos por isso. Por meio da ação, o Mega Studio Be Emotion busca revelar as grandes mulheres que existem por trás da doença.

“Nossa equipe irá até uma clínica de recuperação para mulheres, para cuidar delas de perto e estimular uma nova visão de si mesmas, com cortes de cabelo, manicure e maquiagem. Nosso objetivo é fazê-las lembrar do seu próprio valor e, quem sabe, aliviar essa difícil batalha com um pouco de autocuidado”, explica João Appolinário Neto.

Além da ação social, de 08 a 12 de março, o salão promove a “Semana da Mulher Mega”, a fim de comemorar a data em grande estilo e proporcionar momentos de autocuidado para as mulheres, da cabeça aos pés. Sendo assim, todos os serviços do salão (cabelos, unhas e estética) terão preços especiais e ainda mais acessíveis, com descontos de até 40% no valor. “Nossa missão é democratizar a beleza com qualidade e preços acessíveis, e numa data tão importante como o Dia Internacional da Mulher, nosso objetivo é atingir o maior número possível de mulheres, para que todas, sem exceção, tenham acesso à beleza e possam se empoderar através do autocuidado”, comenta Marcella.

Finalizando as ações para a data, o salão, que recebe, em média, dois mil clientes mensalmente em suas nove unidades próprias e três franquias espalhadas pela cidade de São Paulo, também oferecerá rosas para as clientes. “Queremos, não só nessa data especial, como todos os dias, promover cada vez mais ações que visam o bem-estar, o autocuidado e o verdadeiro empoderamento das mulheres. É uma honra para nós conviver com elas em nosso dia a dia e em nosso trabalho”, finaliza João.

Mega Studio Be Emotion – Telefone: (11) 3444-0044 – Atendimento: Segunda a Sexta | Horário: das 9h às 18h.

Endometriose: doença atinge uma a cada dez mulheres no Brasil

Especialista em cirurgia por vídeo, Thiers Soares explica os principais sintomas e tratamentos para doença que já atingiu Tatá Werneck, Wanessa Camargo e Malu Mader

Segundo dados do Ministério da Saúde, uma a cada dez mulheres entre 25 a 35 anos no Brasil sofre de endometriose, doença inflamatória do sistema reprodutor feminino, que acontece quando o endométrio, tecido que reveste o útero por dentro, se implanta em vários locais na cavidade abdominal, como ovário, intestino e bexiga. Durante o mês de março, campanhas como o Março Amarelo, mês mundial de conscientização da endometriose, reforçam a importância sobre os cuidados com a saúde da mulher em relação à doença.

De acordo com Thiers Soares, especialista em cirurgia por vídeo e robótica, muitos casos demoram anos para serem diagnosticados. O atraso médio mundial é de oito anos entre as primeiras queixas e o diagnóstico definitivo. A identificação acontece, muitas vezes, a partir de exames de imagem, como a ultrassonografia transvaginal e a ressonância magnética da pelve.

“A demora em diagnosticar os focos da doença pode levar ao estado mais grave do quadro, quando é necessário partir para uma intervenção cirúrgica”, explica o médico. Mesmo assim, é importante lembrar que a endometriose não tem cura. Ela é uma condição crônica, que deve ter acompanhamento constante.

No Brasil, 15% das mulheres, ou sete milhões, sofrem com a doença. Famosas como a apresentadora Tatá Werneck, a cantora Wanessa Camargo e a atriz Malu Mader já relataram sofrer com a condição e recorreram à cirurgia para aliviar as dores. Muitas mulheres manifestam o medo de não conseguirem engravidar devido a endometriose, mas o especialista em laparoscopia e robótica afirma que com o tratamento adequado para cada caso, é totalmente possível que a paciente tenha uma vida reprodutiva normal.

Principais sintomas

Entre os principais sintomas da endometriose estão as cólicas fortes – as quais podem impedir a mulher de praticar atividades comuns, como trabalho e exercícios físicos – e as dores abdominais frequentes, que podem também ocorrer fora do período menstrual. Além desses, também são comuns:
=Sangramento menstrual desregulado e intenso;
=Fadiga e cansaço;
=Sangramento intestinal durante o período menstrual;
=Dores fortes durante relações sexuais;
=Dificuldade de engravidar;

Tratamentos avançados diminuem riscos e cicatrizes

Primeiramente é importante realizar um acompanhamento com o ginecologista para entender o grau da condição e como prosseguir com o tratamento. Muitas vezes, o uso do anticoncepcional para suspender a menstruação é adotado para reduzir as dores.

Mesmo assim, quando necessário intervenções cirúrgicas, a ciência já avançou bastante para garantir procedimentos mais simples, que causem menos impacto na rotina dos pacientes.

Em alguns casos, recomenda-se a videolaparoscopia, cirurgia para a retirada dos focos de endometriose espalhados pelos órgãos. “A maioria das pessoas não sabe, mas existem métodos minimamente invasivos para esse procedimento, como a videolaparoscopia e a cirurgia robótica”, explica o especialista. Essas técnicas têm um pós-operatório muito mais seguro, com menos tempo de internação, menos chance de infecção e trombose, retorno mais precoce às atividades diárias e ao trabalho, entre outras vantagens.

Com os avanços tecnológicos, atualmente, a robótica é a técnica mais moderna e chega como alternativa para diminuir a necessidade de procedimentos mais complexos. Diferente da videolaparoscopia, a modalidade traz a visão 3D para a rotina do cirurgião, com movimentos mais refinados e articulação dos instrumentos muito mais ampla em comparação com a videolaparoscopia. Apesar da facilidade, nem todos os profissionais estão aptos a trabalhar com o equipamento, sendo necessário uma habilitação especial.

Segundo o especialista, campanhas como o Março Amarelo ajudam no alerta para identificar a doença, onde “a informação é o primeiro passo para o diagnóstico precoce e, com isso, evitarmos o comprometimento da qualidade de vida das pessoas afetadas por essa doença tão enigmática”, afirma.

Fonte: Thiers Soares é graduado em Medicina pela Faculdade de Teresópolis e Residência em Ginecologia e Obstetrícia pelo Instituto Fernandes Figueira – Fiocruz, RJ. Especialização em Endoscopia Ginecológica também peloFiocruz e Robótica pelo Memorial Hermann Institute, Houston, EUA. Presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Minimamente Invasiva e Robótica (Sobracil) no Rio de Janeiro.

6 rituais de beleza para adotar antes de dormir

Especialista dermatofuncional lista dicas de como criar uma rotina diária para cuidar da pele e corpo de forma saudável

Os cuidados com o corpo e a pele não devem ser esquecidos durante o período noturno. Inserir alguns hábitos simples na rotina antes de ir dormir pode fazer toda a diferença na aparência. Retirar a maquiagem do rosto, lavar a pele e manter hidratada fazem parte do ritual que ajudam a manter a pele saudável. Esses hábitos se tornaram ainda mais frequentes na pandemia, a rotina skincare virou febre entre homens e mulheres, famosas como Manu Gavassi, Juliana Paes, Isis Valverde e Paolla Oliveira também aderiram a tendência.

Segundo Aline Caniçais, especialista dermatofuncional da HTM Eletrônica – empresa referência na fabricação de equipamentos estéticos – durante a noite, o metabolismo das células da pele aumenta. “Ela absorve mais e melhor os nutrientes do que em qualquer outro período do dia. Além disso, à noite a pele se recupera das agressões sofridas durante o dia por causa de sol, vento, poluição, frio, entre outros”, explica.

Pensando nisso, a especialista separou seis dicas de beleza para colocar em prática antes de dormir:

Lave o rosto e retire a maquiagem
O primeiro passo da rotina de skincare deve ser retirar toda a maquiagem e limpar qualquer resíduo de produtos, poluição, fumaça de cigarro ou outras impurezas que atingem a pele ao longo do dia. O acúmulo de sujeira atrapalha o processo de regeneração da pele e impede que ela absorva os produtos de skincare.

ThatSister

Hidrate a pele antes de dormir
Uma vez que a pele esteja limpa, esse é o melhor momento para uma hidratação facial. Um bom hidratante é essencial para manter o viço da pele. Algumas fórmulas ainda contém ingredientes nutritivos, que ajudam a manter a função das células. Escolha um hidratante de acordo com o seu tipo de pele e orientado por um profissional.

Não esqueça os joelhos e cotovelos
Para uma hidratação da cabeça aos pés, não se esqueça das áreas mais ásperas e secas do corpo, como joelhos, calcanhares e cotovelos. Essa é a hora de aplicar cremes mais consistentes com ativos hiperidratantes e nutritivos – como manteigas e óleos naturais – em regiões como joelhos, calcanhares e cotovelos.

Deixe os lábios bem macios
Não economize no lip balm – hidratante labial que garante benefícios diários – antes de dormir se a intenção for despertar com os lábios bem hidratados. Escolha um que possua textura mais grossa e ativos potentes para deixá-los macios.

Preserve as áreas delicadas
A área dos olhos merece uma atenção especial, pois é uma região de pele muito delicada. Além disso, é a área que primeiro envelhece. Hidrate bem a área usando cremes específicos para essa região. É possível também fazer compressas com chá de camomila geladinho. Você pode usar os saquinhos de chá diretamente no rosto, ou lançar mão de um algodão embebido no líquido. Apenas 15 minutinhos são necessários para que a camomila faça efeito na pele.

Getty Images

Madeixas hidratadas antes de dormir
Qualquer que seja o tipo de cabelo pode se beneficiar de uma hidratação express. Na verdade, ao passar óleo essenciais no cabelo, antes de dormir, a sensação vai ser de uma rápida hidratação, mas, na verdade, o produto passará horas nos seus fios. O que é ótimo para melhor absorção e resultado. Já no caso de quem tem cabelos oleosos deve fazer isso, porém deve lavar pela manhã. Um detalhe importante: os óleos precisam ser vegetais, que conseguem nutrir os fios. Já os minerais criam uma capa protetora no fio, evitando que nutrientes entrem.

Cuidados que potencializam procedimentos estéticos
Vale lembrar que o home care corresponde a continuidade do tratamento estético em casa com a utilização de produtos para a pele, cabelos e corpo. Esses produtos complementam os tratamentos feitos nas clínicas, potencializando os resultados com a mesma qualidade dos procedimentos como: a fototerapia com LED/Laser Vermelho, que é bastante conhecida por promover um aumento da circulação dos fios, aumento do metabolismo folicular e a reativação do crescimento do cabelo; a radiofrequência, flacidez da pele e o tratamento com luz intensa pulsada, específico para o rejuvenescimento do rosto e da pele.

Fonte: HTM Eletrônica