Arquivo da tag: tratamentos

Da dieta rica em sal às roupas apertadas, descubra 7 maus hábitos que pioram a celulite

Conhecer os hábitos que influenciam no aparecimento da celulite é fundamental para saber como combatê-la

Apesar do fator genético ser a principal causa para a celulite, os hábitos de vida influenciam – e muito – no aparecimento ou piora do quadro – e também no resultado dos tratamentos. “Existe tratamento para essa alteração estética, mas eles devem ser iniciados após o paciente ter consciência da importância da mudança do estilo de vida, senão não haverá resultado”, afirma Cláudia Merlo, médica especialista em Cosmetologia pelo Instituto BWS. Abaixo, consultamos especialistas para explicar quais são os hábitos que estão envolvidos com o aparecimento da celulite:

Excesso de peso. Segundo o dermatologista Abdo Salomão Jr., basicamente, os hormônios femininos predispõem gordura nas regiões dos quadris e coxas e onde existe um acúmulo maior de gordura, existe maior probabilidade da instalação de celulite. “A gordura comprime as veias e os canais linfáticos, o que causa um inchaço no local. Então, a região, com pouca circulação, agrava mais ainda a celulite. A partir daí, surge um círculo vicioso que, se não for tratado corretamente, pode permanecer para sempre”, explica o dermatologista. Mas isso não quer dizer que mulheres magras não tenham celulite: “Ao ver uma mulher magra, não estamos realizando uma avaliação de composição corporal, sendo assim, ela pode ter alto percentual de gordura e consequente celulite. Não sabemos dos hábitos de vida dessa mulher magra e, além disso, do consumo de alimentos inflamatórios que ela ingere”, explica Cláudia. Mudar a composição corporal, com dieta e exercícios, é altamente recomendado, segundo os médicos.

Dieta inflamatória e refrigerantes. Os refrigerantes e alimentos ultraprocessados contêm alta concentração de açúcar e sódio. “O açúcar em excesso aumenta a gordura localizada e o sódio aumenta a retenção de líquidos, piorando a circulação local. Não apenas os refrigerantes, como todos os alimentos com alto teor de açúcar e gordura podem agravar as celulites, pois aumentam as células de gordura”, explica a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “Para celulite, além do excesso de açúcar, o de sal também é extremamente maléfico, na medida em que o sódio piora a retenção de líquidos. Deve-se fazer uma dieta hipossódica, ou seja, com pouco sal. Além disso, é indicado evitar alimentos ultraprocessados, frituras de imersão, massas, fast-foods e sucos de caixinha, que têm alta quantidade de sódio. É importante também inserir fibras na dieta, pois o bom funcionamento do intestino é um aliado na medida em que o aumento da pressão sobre as veias do abdômen, por conta da prisão de ventre e inchaço, pode comprometer a circulação, piorando a celulite. Coma mais frutas como mamão, legumes, verduras e sementes. Os alimentos pré e probióticos também podem ajudar, desde que bem orientados por médicos nutrólogos. Alimentos com atividade termogênica, como o café e chá verde, além das pimentas e especiarias como gengibre, cúrcuma, cravo e canela, também são indicados, já que todos ajudam a estimular a circulação sanguínea e podem trazer benefícios para o quadro”, explica a médica nutróloga Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Sedentarismo. “O ser humano hoje mal faz força; dentro do carro, o vidro é elétrico, o câmbio é automático; chega em casa, sobe de elevador; chega no trabalho, fica sentado. Ou seja, o sedentarismo está cada vez mais presente na vida das pessoas. E ele é perigoso, porque atrapalha a circulação, favorece o acúmulo de gordura e piora a celulite”, explica Salomão Jr. “Então, principalmente para quem vive em cidade grande tem que frequentar uma academia, tem que fazer exercícios físicos, principalmente os aeróbicos, que é o que vão consumir bastante energia e manter uma capacidade aeróbica correta para que a pessoa tenha uma vida saudável. Não adianta comer pouco se não faz exercício, senão o organismo acaba não fazendo músculo, o que deixa o corpo flácido e com mais propensão à celulite”, diz o médico. “A hipertrofia dos músculos aumenta o volume de toda a região e melhora muito a flacidez glútea. O músculo mais ativo melhora a circulação sanguínea de todos os tecidos ao redor e pode melhorar a celulite como consequência”, destaca a cirurgiã plástica Beatriz Lassance, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. “O retorno venoso, e também o linfático, fica extremamente ativo e funcional durante a atividade física. O efeito direto é a diminuição do inchaço das pernas, deixando-as mais descansadas; além de melhorar aquele aspecto de casca de laranja da celulite”, explica a cirurgiã vascular Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Beber pouca água. “A ingestão de água ajuda o organismo a eliminar as toxinas do organismo, ocasionando uma melhora na pele. O ideal é ingerir, no mínimo, 2 litros de água por dia”, diz a Dra. Paola. É claro que essa não será a solução do problema, mas Cláudia destaca que os tratamentos para a alteração estética devem ser iniciados após o paciente ter consciência da importância da mudança do estilo de vida, senão não haverá resultado. “Dieta, exercícios físicos e drenagem linfática são altamente indicados para tratar a celulite”, conta Cláudia.

Stefan Obermeir/Getty Images

Fumo e bebidas alcoólicas. “As substâncias tóxicas do cigarro acometem diversas funções do organismo, piorando a oxigenação e microcirculação da pele, o que diminui a produção de colágeno e promove o acúmulo de gordura localizada”, diz Paola. Não tem jeito: você precisa parar. “Para muitas pessoas, o cigarro está ligado ao hábito; quem consegue identificar o gatilho que a faz ter vontade de fumar pode tentar mudar esse hábito mais facilmente e largar o vício”, afirma Beatriz. “O álcool piora a celulite por ser uma substância inflamatória e de alta concentração de calorias, que consequentemente contribui com o ganho de peso e obesidade”, completa a Cláudia.

Sono e hormônios. Além desses hábitos, também é importante ficar de olho em pelo menos mais duas coisas: o sono e o uso de anticoncepcionais. “Não dormir bem dificulta a produção hormonal, atrapalha a circulação e piora o quadro de celulite”, diz o médico. “O sono é um potente detox. Durante o sono produzimos várias substâncias consideradas antioxidantes, como hormônio de crescimento e melatonina e diminuímos a produção de radicais livres, ou seja o sono é um regulador do estresse oxidativo”, afirma Beatriz. “Com relação aos hormônios, incluindo anticoncepcionais, eles podem iniciar ou agravar o quadro”, explica o dermatologista.

Shutterstock

Roupas apertadas. Paola explica que o uso de roupas apertadas não causa, mas pode agravar a celulite existente, uma vez que piora a circulação linfática e sanguínea. “Isso causa retenção de líquidos e piora a microcirculação local. Se você está tentando se livrar das celulites, dê preferência para roupas mais confortáveis”, diz a médica. Já as meias de compressão podem ajudar. “Mas elas precisam ser orientadas por especialistas vasculares (cirurgião vascular ou fisioterapeuta vascular), pois são inúmeras características de compressão da meia, portanto o uso é individualizado”, explica Cláudia.

Sobre os tratamentos, o dermatologista indica a tecnologia macrofocada do Atria, que conta com a Coagulação Radial Intermitente para entregar a energia de forma pulsada, com a mesma eficácia e menos dor, em um protocolo de quatro tratamentos a cada 15 dias. “Esse tratamento age na gordura, reduzindo seu volume, além de quebrar as traves fibróticas que puxam a pele para dentro e causam aqueles furinhos, e, também, melhora a tensão superficial, causando uma retração no tecido, tratando também a flacidez. Com isso, acontece uma reestruturação dos tecidos, com consequente melhora da celulite e da aparência da pele como um todo”, diz o Salomão. De acordo com Cláudia, em consultório, há opções como injeções redutoras de gordura, que são aplicadas em regiões com maior resistência de eliminar com dieta e exercícios físicos, subcisão das bandas fibrosas, radiofrequência e bioestimuladores de colágeno injetáveis. “Os procedimentos podem ser associados, de acordo com a avaliação médica sobre a necessidade da paciente”, finaliza.

Guia com 10 dicas para recuperar sua pele dos excessos da Páscoa

Os excessos na alimentação durante a época da Páscoa podem causar danos à pele, favorecendo o surgimento da oleosidade e o surgimento de alterações como inchaço, ressecamento e acne. Felizmente, é possível reverter esse quadro através de alguns cuidados simples

Certamente, a Páscoa é uma daquelas datas em que é difícil demais não se deixar levar pelas tentações. Afinal, ovos, barras de chocolate, sobremesas, colombas, massas, enfim, há uma lista de alimentos hiperpalatáveis que deixam a Páscoa mais especial. Mas, apesar de ser uma época deliciosa e recheada de comidas irresistíveis, os abusos na alimentação durante esse período do ano podem prejudicar seriamente a aparência e a saúde de sua pele. “Há um impacto direto da alimentação na pele que, por conta dos abusos, tende a ficar mais oleosa, desidratada, opaca e sofrer com aparecimento de acne e inchaço”, afirma a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Segundo o dermatologista Gustavo Saczk, membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, e consultor científico da Età Cosmetics, a má alimentação no período, juntamente com a falta de um sono de qualidade, pode deixar a pele com uma característica mais cansada e “exausta”. “Quando passamos por processos inflamatórios, seja pela dieta ou maus hábitos, nossa pele também evidencia alguns sinais de fadiga. E isso afeta a pele, dando um ar cansado e envelhecido, com alterações estéticas principalmente na região dos olhos (olheiras, bolsas e falta de hidratação e viço)”, explica o médico. Mas tranquilize-se, pois é perfeitamente possível recuperar os danos sofridos pela pele devido a alimentação desbalanceada da Páscoa através de alguns cuidados simples, que você pode conferir abaixo:

Higienize a pele com cuidado: se a sua pele acordou mais oleosa, não adianta apelar para o excesso de limpeza, principalmente quando ela já está debilitada. Existe até um termo chamado “overwashing”. “Não lave o seu rosto demais. Lavar muitas vezes a pele, prejudica a barreira cutânea: e ela é o que mantém a pele saudável. Para peles oleosas, é importante notar que a limpeza excessiva, sem repor a umidade, pode causar um ressecamento em um primeiro momento e depois a produção rebote de mais oleosidade. Além disso, nossa pele conta com um microbioma, uma ‘população’ de bactérias boas que nos protegem contra doenças e outros problemas, como ressecamento e sensibilidade da pele”, explica o dermatologista Daniel Cassiano, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

“A presença desses microrganismos mantém o pH da pele em equilíbrio. Mas usar sabonetes e cosméticos que reduzem demais essas bactérias pode deixar a pele desprotegida e suscetível a doenças de pele como a dermatite atópica e acne”, completa o médico. Mas como deve ser, então, a limpeza da pele? “A limpeza da pele remove substâncias indesejáveis, como sujeira, sebo e microrganismos, além de células córneas esfoliadas, contribuindo para rejuvenescer a pele. A água, isoladamente, consegue remover cerca de 65% da sujeira e óleo da pele, mas é necessário complementar com um limpador suave. O limpador ideal não deve irritar, danificar nem romper a pele ou barreira cutânea de hidratação”, explica Cassiano .

Pinterest

Aposte em uma esfoliação suave: para devolver a vida e o brilho a pele, é interessante estimular a renovação do tecido cutâneo através do uso de um esfoliante. “A esfoliação, com cautela, pode ser realizada uma a duas vezes por semana para ajudar na renovação celular. Mas, devemos evitar esfoliar peles finas”, aconselha a dermatologista Patrícia Mafra, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Um produto interessante para essa etapa é o Esfoliante Facial Tribeca, da B.URB, que é capaz de remover impurezas e células mortas da pele, desobstruindo os poros e ajudando na renovação celular. Com sementes de Apricot (damasco) em sua composição, o produto é ideal para higienizar o tecido cutâneo.

Realize uma massagem facial: a automassagem é uma ótima maneira de recuperar a beleza e a saúde da pele, reduzindo o inchaço, recuperando a vitalidade, melhorando o tônus muscular e conferindo hidratação à pele. “Isso porque a massagem facial proporciona uma melhora da circulação sanguínea, o que contribui para uma oxigenação eficiente e faz com que as células da pele sejam nutridas adequadamente”, explica a cirurgiã vascular Aline Lamaita, membro do American College of Lifestyle Medicine.

Invista nos antioxidantes: a hidratação tópica da pele é um dos cuidados mais importantes para a sua recuperação, pois, quando desidratado, o tecido não se renova de maneira regular, o que causa a piora da qualidade e textura da pele. “Nessa etapa, é especialmente interessante apostar em produtos altamente concentrados e que conseguem penetrar nas camadas mais profundas da pele, potencializando a hidratação. Na formulação, além do ácido hialurônico, as Vitaminas C e E, o resveratrol e outros antioxidantes podem ser incorporados para conferir mais vitalidade à pele”, diz Paola. Um lançamento que traz o resveratrol e alta propriedade hidratante é o Gel-Complex Antissinais, da Età. No produto, um dos trunfos é o resveratrol mimético, que ainda conta com uma associação de ativos naturais biotecnológicos que agem sinergicamente para impedir os danos causados pelos radicais livres, aumentar a quantidade de fibras de colágeno e elastina e melhorar a densidade e integridade da pele.

Dê uma atenção especial aos olhos: a área dos olhos tem pele extremamente fina, então é normal que ela demonstre um ar de “fadiga” após exageros na dieta. Já é uma realidade no mercado o surgimento de dermocosméticos com ação antifadiga, como o Gel-Creme Lifting para Área dos Olhos, desenvolvido pela Età Cosmetics. “Por meio de seus ativos, esses dermocosméticos são capazes de aumentar a produção de energia das células da pele. Com isso, elas voltam a exercer suas funções corretamente e isso ajuda a tratar as alterações estéticas”, diz Saczk. Um dos principais ativos para essa ação é a taurina vegetal. Presente no produto, ela é obtida do cultivo em fotobiorreatores da alga Janiarubens.

“As algas são reconhecidas pela sua capacidade de produzir energia. Esse ativo energético e antifadiga, quando aplicado na pele, é capaz de aumentar a atividade mitocondrial em 24% e a produção de ATP (energia celular) em 50%. Como resultado, as células trabalham em sua perfeita forma para promover controle do estresse oxidativo, aumento da força de tensão dos fibroblastos e hidratação da pele. O ativo também reforça a reserva natural de água na epiderme, restaura a maciez e elasticidade da pele, estimulando a renovação celular e a função barreira da pele. O seu efeito é imediato: a Taurina Vegetal atenua os sinais de fadiga na primeira aplicação”, explica Saczk. A presença da Taurina Vegetal para melhorar o aporte de energia celular na pele é um avanço que se une aos outros mecanismos de ação do Gel-Creme Lifting para Área dos Olhos, um dermocosmético multifuncional que promove redução imediata e progressiva das bolsas sob os olhos, atenuando o aspecto de cansaço e também conferindo efeito tensor e preenchedor imediato para combater sinais do envelhecimento, além de ajudar a clarear olheiras e hidratar a pele.

Potencialize a hidratação com máscaras: para recuperar a pele de maneira ainda mais rápida, vale a pena apostar nas máscaras, que são capazes de promover hidratação por oclusão, assim potencializando o tratamento da pele. “O ideal é escolher as máscaras de acordo com sua necessidade. Por exemplo, enquanto as máscaras de argila e carvão ativado auxiliam no controle da oleosidade, as máscaras hidratantes com ingredientes calmantes contribuem para a hidratação e o viço da pele”, destaca Paola. Por exemplo, a Máscara Mineral de Argila Branca Poros, da Be Belle, auxilia na hidratação e na reestruturação da pele, promovendo ação antioleosidade, purificante e anti-inflamatória.

Consuma cápsulas antioxidantes: a suplementação com antioxidantes, como o Glycoxil e o Bio-Arct, é uma maneira excelente de recuperar a pele e devolver seu brilho natural. “O Glycoxil age inibindo o processo de glicação para impedir os efeitos do açúcar na pele, que podem torná-la envelhecida, opaca e manchada. Já o Bio-Arct aumenta a produção de energia no ATP celular, melhorando a nutrição da pele, com consequente resultado na iluminação e brilho facial”, diz a nutricionista Luisa Wolpe Simas, consultora de nutrição integrada da Biotec Dermocosméticos.

Não esqueça do fotoprotetor: o uso de protetor solar é indispensável para evitar que a pele fique ainda mais debilitada do que já está. “Isso porque, ao proteger a pele contra os danos causados pela radiação ultravioleta do sol, o fotoprotetor ajuda a preservar a barreira cutânea, mantendo a pele viçosa, iluminada e livre do ressecamento excessivo”, explica Cassiano. O ideal é que o fotoprotetor contenha, no mínimo, FPS 30 e proteção de amplo espectro (UVA/UVB/Infrared), como é o caso do protetor solar Bonelli Solare, da Be Belle, que ainda confere ação hidratante, antioxidante e rejuvenescedora.

Inclua sessões de HydraFacial: procedimento rápido, eficaz e sem downtime para conferir a melhor pele de sua vida, HydraFacial é precursor do inédito conceito de Beauty Health, que consiste em melhorar a aparência ao mesmo tempo em que promove uma restauração completa da pele para torná-la mais saudável e exuberante. HydraFacial é uma experiência personalizável de hidrodermoabrasão. “O HydraFacial promove melhora instantânea da qualidade da pele, auxiliando na uniformização do tom e da textura e no aumento da firmeza, viço, maciez e brilho da pele graças à patenteada tecnologia Vortex-Fusion presente nas ponteiras, que possui um design espiral exclusivo capaz de gerar um efeito de vórtice que, combinado a tecnologia de sucção a vácuo do equipamento, consegue expelir e remover facilmente as impurezas da pele enquanto fornece soluções hidratantes”, explica a dermatologista Mônica Aribi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. “Rápida, completamente indolor, não invasiva e sem downtime, assim não atrapalhando a rotina, a experiência HydraFacial pode ser vivenciada por qualquer pessoa, até mesmo por aquelas que possuem pele seca ou sensível”, diz a médica.

Invista nos hábitos saudáveis: de nada adianta apostar em uma série de cuidados para recuperar a pele e continuar com a mesma alimentação desbalanceada adotada no período da Páscoa. Por isso, volte à rotina dos bons hábitos, evitando alimentos ricos em gorduras e açúcar e buscando por opções mais saudáveis na alimentação. “Invista principalmente em alimentos antioxidantes, como a maioria dos vegetais escuros e as frutas. As proteínas também contribuem muito para a recuperação do tecido cutâneo, assim como a Vitamina C, que é um potente antioxidante, e a Vitamina D, responsável por regular diversas proteínas que fazem parte da estrutura da pele, como o colágeno. Além disso, procure dormir bem, praticar exercícios físicos e evitar vícios como o tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas”, finaliza a cirurgiã plástica Beatriz Lassance, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Isaps (International Society of Aesthetic Plastic Surgery).

Futuro da beleza: 3 grandes novidades do Congresso Americano de Dermatologia 2022

De lifting não cirúrgico à criolipólise injetável, especialistas contam em primeira mão os principais destaques do evento nesse ano

O Congresso Americano de Dermatologia é o principal evento do setor. Todos os anos, o evento, que em 2022 ocorre em Boston entre os dias 25 e 29 de março, é responsável por apresentar as maiores novidades em procedimentos, técnicas, aparelhos, protocolos e fórmulas cosméticas e nutracêuticas.

E, para aqueles que estão ansiosos para ver o que há de novo no mundo da dermatologia, a espera acabou: convidamos a dermatologista Valéria Campos, professora convidada do Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí e Pós-Graduada em Laser e Dermatologia pela Harvard Medical School, e a farmacêutica Patrícia França, professora de Cursos de Pós-Graduação e Extensão e gerente científica da Biotec Dermocosméticos, para contar em primeira mão as principais tendências do congresso nesse ano. Confira:

Lifting não cirúrgico Cytrellis

Segundo a dermatologista, essa é uma técnica inovadora de lifting facial que não exige cirurgias invasivas ou causa cicatrizes. “Nesse procedimento, pequenos pedaços da pele são removidos, deixando microfuros no local. No total, cerca de 10% do tecido da área tratada é retirado. Conforme esses furos cicatrizam, há a contração da pele, com consequente efeito lifting e diminuição da flacidez, o que resulta em uma aparência mais jovial”, explica a médica.

“Desenvolvido por um professor de Harvard, o tratamento é rápido, durando cerca de 30 minutos, pouco dolorido, já que é realizado com anestesia local, e tem tempo de recuperação mínimo: em um final de semana, já é possível retornar as atividades normalmente”, destaca. O tratamento já está aprovado nos Estados Unidos, então podemos esperar que chegue em breve ao Brasil. E o melhor é que seu efeito ainda pode ser potencializado através do uso de fórmulas nutracêuticas que combinam ativos como Exsynutriment, Vitamina C e FC Oral.

“Enquanto o Exsynutriment, um sílicio orgânico de Mônaco, promove hidratação e estimula a produção de colágeno para potencializar o rejuvenescimento, o FC Oral atua na resolução do processo inflamatório, otimizando a cicatrização e os resultados. A Vitamina C, por sua vez, é capaz de potencializar a ação do Exsynutriment na síntese do colágeno”, diz Patrícia França.

Criolipólise injetável Slurry

Ideal para eliminação de gordura, a criolipólise injetável tem resultados superiores quando comparada ao ‘congelamento’ convencional, já que é capaz de atuar profundamente. “O procedimento consiste em uma substância pastosa de glicerol e solução salina que é congelada e injetada no local a ser tratado para eliminar as células de gordura”, explica a Dra. Valéria Campos. Ainda sem aprovação da Food and Drug Administration (FDA), órgão regulador americano, o procedimento entrará na etapa de testes em humanos agora, mas já apresenta bons resultados nos testes em animais, com melhora das fibras de colágeno e redução de 55% da camada de gordura após 8 semanas do tratamento, o que ainda é melhorado através do uso de suplementos que unem Slim Green Coffee, Bio-Arct, Modulip e Coleus forskohlii.

“Esses ativos potencializam o processo de eliminação da gordura provocado pelo procedimento. O Slim Green Coffee, por exemplo, estimula a oxidação das células gordurosas. Já o Modulip promove a lipólise, isto é, a quebra de gordura por meio de modulação neural no tecido adiposo branco. O Coleus forskohlii, por sua vez, aumenta o AMP cíclico, um mensageiro celular, e, consequentemente, a atividade lipolítica. Por fim, o Bio-Arct acelera o metabolismo celular para que a morte das células de gordura ocorra de maneira mais eficiente”, destaca Patrícia França.

A criolipólise injetável também vem sendo estudada no combate à gordura visceral. “Por estar localizada na cavidade abdominal, próxima a órgãos vitais, esse é o tipo de gordura que predispõe a problemas de saúde como infartos. Essa é uma aplicação revolucionária, que já apresenta bons resultados em porcos, com diminuição da gordura visceral próxima ao coração sem prejudicar seu funcionamento, mas ainda não tem previsão para ser testada em humanos”, completa a dermatologista.

Criomodulação

Desenvolvida por pesquisadores de Harvard, no mesmo laboratório em que a famosa criolipólise foi inventada, a tecnologia de criomodulação também funciona através da ação do frio, assim atuando na eliminação de gordura e podendo, inclusive, ser associado ao uso dos ativos Slim Green Coffee, Bio-Arct, Modulip e Coleus forskohlii.

Mas essa não é a única aplicação do procedimento: “A tecnologia é capaz, por exemplo, de combater manchas na pele, pois reduz a capacidade dos melanócitos de produzir melanina e promove esfoliação do tecido, assim tornando a pele mais luminosa e com tom homogêneo. Além disso, a criomodulação é capaz de combater processos inflamatórios e diminuir a condição nervosa, assim podendo ser utilizada para reduzir dores e inchaços em diversas regiões do corpo”, diz Valéria Campos, que ressalta que o procedimento já tem aprovação do governo americano e deve chegar nos próximos anos ao território brasileiro.

Fonte: Biotec Dermacosméticos

Mudança de estação: afinal quais são as consequências para nossa pele?

A biomédica esteta Gabriela Silveira esclarece quais são as mudanças principais em nosso skincare e os principais tratamentos estéticos para cada estação

Você já reparou que nossa pele sempre sofre com alguma mudança, por mais sutil que seja, nas trocas de tempo? Ressecamento, desidratação, descamação, oleosidade e até mesmo acne pode ocorrer. Tudo vai depender da estação do ano. Por isso a rotina de skincare deve sempre seguir a estação e condição da pele em cada uma delas. É o que explica a biomédica esteta Gabriela Silveira, proprietária da clínica Slim Santé, além de relatar sobre os tratamentos estéticos perfeitos para primavera, verão, outono e inverno.

Na primavera nossa a pele começa a ficar um pouco mais oleosa devido à próxima estação, que é o verão, no qual a exposição solar e o calor diminuem a quantidade de água na pele e, como forma de defesa, ela acaba produzindo oleosidade em excesso. Por isso é importante tomar bastante líquido e usar hidratantes mais leves, como séruns e gel creme.

“Já no outono ela tende a ficar mais ressecada devido a próxima estação que é o inverno. Com a umidade do ar mais baixa, há uma sensação de ressecamento da pele, que piora junto a hábitos como banhos quentes. Coceiras e irritações também podem ocorrer, principalmente em peles sensíveis. É importante manter-se hidratado nessa época tanto com líquidos como com hidratantes mais potentes”, relata Gabriela.

Afinal, quais são os principais cuidados?

MyMedicineBox

Segundo a médica, é importante usar sempre protetor solar em todas as estações, assim como manter-se hidratado e ter uma alimentação balanceada, pois ela também pode refletir diretamente na pele e piorar os quadros de irritação ou oleosidade, por exemplo. Além disso, evitar água muito quente para lavar a pele e saber quando utilizar cremes mais hidratantes e quando trocar por séruns mais leves. “É essencial conhecer a pele e assim conseguirá sentir a necessidade dela a cada estação do ano”, explica.

Tratamentos estéticos para cada estação

No inverno procedimentos mais ablativos, que são aqueles chegam a camadas mais profundas da pele são mais recomendados, como laser de CO2 e peelings químicos. Em épocas mais quentes procedimentos um pouco mais superficiais são melhores porque diminuem riscos de complicações como manchas, mas não são impeditivos para a realização dos procedimentos citados no inverno. Cada caso deve ser avaliado com cautela, pois tudo depende também de como o pós-procedimento será seguido.

Existem na verdade procedimentos que podem ser feitos em todas as estações, porém depende dos cuidados de cada pessoa. “Tudo pode ser feito em todas as estações, mas se uma pessoa costuma tomar sol no verão, ela vai acabar pegando sol, então não seria o ideal fazer peeling, alguns lasers ou microagulhamento, mas caso não tome sol, nada impede de fazer. Então na verdade tudo depende dos cuidados de cada um mesmo”, conclui a médica.

Sobre: Gabriela Silveira é biomédica esteta, pioneira na aplicação da técnica de Microtox no Brasil, doutoranda em Ciências Biomédicas pela IESLA (em Rosário, Argentina), pós-graduada em Biomedicina Estética pelo instituto IBECO, pós-graduada em Biortomolecular pelo ISEEC, MBA em Cosmetologia aplicada à Estética, speaker na New York University, proprietária da Clínica Slim Santé em São Paulo e do Grupo Dra. Gabriela Silveira.

Bem-estar e natureza: Spa Insólito proporciona experiências exclusivas unindo os cinco sentidos

O Insólito Boutique Hotel, localizado em Búzios, teve investimentos desde o início da pandemia e reabre o Spa seguindo o conceito bem-estar de encontro com a natureza conectado a elementos e rituais do espaço de wellness

Som do mar, brisa da praia e contato com a natureza. Um verdadeiro refúgio proporcionado pelo reinaugurado Spa Insólito, instalado no Insólito Boutique Hotel, situado na Praia da Ferradura, em Búzios (Rio de Janeiro), que traz em seu conceito o despertar das emoções por meio dos elementos naturais, aliados às últimas novidades e tratamentos de bem-estar. Em seu DNA, o espaço une a personalização e a técnica, em benefício do encontro com a natureza e do despertar dos cinco sentidos bem em frente ao mar.

A empresa Amman Consultoria, especialista em spa, foi escolhida para trazer novos ares ao Spa Insólito e proporcionar uma experiência ainda mais marcante aos visitantes. O projeto, por meio de um ambiente acolhedor e exclusivo, explora um refúgio singular, onde o bem-estar é promovido dentro da natureza. O principal diferencial do spa são as salas de tratamento que estão localizadas na encosta da Praia de Ferradura, todas envidraçadas com vista para o mar.

No Spa, é possível encontrar cerâmicas personalizadas com cores que lembram a praia, além da aplicação de folhagens em algumas peças, que relaciona-se à vegetação local. Toda a decoração do ambiente remete-se à natureza com peças em madeira natural, acessórios em tons pastéis e tecidos de algodão e linho.

Os tratamentos são divididos entre as Prática de Boas-Vindas, que inclui escalda-pés, purificação e uma vivência auditiva com música e interação da terapeuta. Em seguida, é realizada a Prática Inicial, uma experiência olfativa com óleos essenciais e tátil, além de massagem para reconhecimento corporal. Na Prática Final é iniciado um ritual de encerramento e prática gustativa com chás ou água aromatizada. Elementos como a areia rosa, natural da região, rica em minerais, para promover a esfoliação e difusores elétricos com óleos essenciais são utilizados nos procedimentos, contemplando as experiências.

Mais sobre Insólito Boutique Hotel

Unindo conforto, cultura, comprometimento social e com o meio ambiente, a fim de oferecer uma experiência memorável, o Insólito Boutique Hotel, conta com localização privilegiada, na praia da Ferradura, em Búzios. O hotel é uma celebração à cultura brasileira. São exclusivamente 24 quartos decorados com diferentes temas, relacionados a arte e cultura do país. O hotel tem acesso exclusivo a praia e lindas vistas do pôr do sol. Além disso, conta com serviços singulares desde uma gastronomia diferenciada e serviço de excelência, experiências de bem-estar e lazer com o Spa Insólito e beach club e até heliponto.

Insólito Boutique Hotel: Rua E1, Lote 2 e 4, Praia Da Ferradura – Búzios Horários de Funcionamento: aberto diariamente. Reservas: 22-26232172 @insolitohotel

Procedimentos estéticos para pele negra: cuidados e particularidades

Cada tipo e tom de pele tem uma particularidade e “pede” cuidados especiais. A pele negra tipo tem como característica principal níveis mais altos de colágeno e melanina, que ajudam a evitar o envelhecimento precoce e minimizam as chances de câncer de pele, mas também têm maior tendência a foliculites, oleosidade, manchas e queloides. Por isso, na hora de fazer um procedimento estético, é preciso buscar médicos experientes e atualizados com as tecnologias mais indicadas.

Para cuidar dessas particularidades, o Cirurgião Plástico e fundador da Academia da Pele, Eduardo Kanashiro, reuniu algumas sugestões de procedimentos estéticos e cuidados especiais para mulheres e homens negros que querem manter a pele sempre saudável:

Getty Imagesb

Limpeza de pele – faça uma limpeza de pele regularmente para renovar as células do rosto, controlar a oleosidade, ajudar na hidratação e trazer luminosidade para a pele. Manter uma rotina de skincare em casa também, com as indicações do especialista, potencializa o tratamento. A frequência ideal vai depender se é uma pele mais seca ou mais oleosa, portanto, só o profissional pode indicar com precisão;
Criolipólise – o mais indicado para queima da gordura localizada para pessoas que possuem peles negras. No tratamento, o aparelho atua congelando as células de gordura, que são expelidas de forma natural pelo corpo. Eficaz e de rápida recuperação, pode ser feito em qualquer época do ano;
Ultrassom de alta frequência – muito usado para o pós-operatório de cirurgias plásticas e para o tratamento de flacidez. Não causa manchas ou queimaduras e também pode ser feito em qualquer época do ano;

Getty Images

Peelings ou lasers – esses procedimentos merecem cautela para evitar queimaduras na derme. Apesar da pele negra já ter um fator de proteção natural,existe uma tendência maior para o surgimento de manchas e queloides.

“Acho importante explicar melhor a predisposição de queloides em pacientes com pele negra. O que acontece é que peles com mais melanina também produzem mais colágeno, então quando há uma lesão na pele, principalmente cortes, é como se o corpo não soubesse a hora certa de parar a produção do nosso tecido para a cicatrização, formando esse excesso de pele fibrosa”, explica o médico.

Mas isso não é motivo para preocupação, pois já há diversas formas de prevenir essas marcas, principalmente na estética. Por isso, a importância de buscar um médico especialista que vai orientar quais procedimentos não oferecem riscos.

“Com o avanço da medicina, já temos conhecimentos suficientes para saber o que pode ou não ser arriscado para a pele negra e, assim, optamos sempre pelo mais seguro e com menor chance de sequelas. Claro que não podemos dar a certeza de resultados, mas mapear os riscos e sugerir algo específico é a forma mais responsável, eticamente falando”, finaliza o fundador da Academia da Pele.

Fonte: Academia da Pele

Mitos e verdades sobre beleza e bem-estar no inverno

Especialistas falam dos benefícios e desvantagens do frio para a beleza e a saúde

O frio engorda? A pele resseca? Não é raro que o inverno seja associado a mudanças negativas no corpo e que os benefícios e vantagens das temperaturas mais amenas sejam esquecidos ou ignorados. Se, por um lado, é natural sentir mais fome nos dias frios, por outro, o corpo apresenta espontaneamente um maior gasto energético, o que acaba levando muitas pessoas a adotarem hábitos equivocados. Para manter o corpo e a saúde em dia neste inverno, confira uma lista de mitos e verdades da estação segundo especialistas:

Foto: Shutterstock

É comum sentir mais fome nos dias frios
Verdade. Você certamente já se perguntou por que a gula parece vir com tudo no inverno. “Em temperaturas baixas, nosso metabolismo tem como tendência ficar mais acelerado. Com isso, é gerado mais calor na tentativa de aquecer o nosso corpo e, por consequência, o gasto calórico é maior, assim como a necessidade de se ingerir mais calorias. No frio, a sensação de prazer é muito maior quando ingerimos alimentos quentes. E, normalmente, eles são mais calóricos. Mas, é preciso cuidado porque costuma-se praticar menos exercícios físicos e é possível que se ganhe quilos a mais na balança”, alerta Nívea Bordin Chacur, nutróloga da Clínica Leger.

Se exercitar no inverno ajuda a emagrecer
Verdade.
É normal bater aquela preguiça só de pensar em sair da cama nos dias mais frios, mas para quem quer emagrecer, essa pode ser a época ideal para dar início ao projeto verão. Isso porque no inverno o metabolismo do corpo acelera, pela necessidade de produzir mais calor, ativando mecanismos naturais que promovem a queima de gorduras. “Para impulsionar ainda mais essa tendência do corpo a gastar calorias, vale manter a rotina de exercícios sempre em dia. O ideal é praticar alguma atividade física diária por pelo menos 40 minutos”, completa Nívea.

É a melhor época para fazer cirurgia plástica e tratamentos estéticos
Verdade. Você sabia que é neste período que as clínicas de cirurgia plástica e estética apresentam um aumento de cerca de 40% no movimento? E isso tem explicação. De acordo com a dermatologista Gina Matzenbacher, que também atua na Clínica Leger, a tendência é que as pessoas passem mais tempo em casa e se exponham menos ao sol, o que torna o pós-operatório muito mais agradável. “A preocupação não está com a cirurgia em si, mas sim no pós-operatório. As cirurgias nos seios e abdômen, por exemplo, exigem o uso da cinta durante dias ou até mesmo meses, o que pode incomodar nos dias quentes de verão. Agora no inverno, recomendamos também, tratamentos como o laser de CO2 fracionado ou um peeling mais profundo, uma vez que o sol é inimigo da cicatrização e prejudica a recuperação da pele, podendo até piorar ou agravar o estado da cútis se exposta ao sol durante um tratamento. Costumamos dizer que o inverno é a nossa época de eleições para estes tipos de procedimentos estéticos”.

Pode dispensar o protetor solar no inverno
Mito.
O sol pode até não estar brilhando tão intensamente quanto durante os dias quentes de verão, mas isso não pode servir de desculpa para você abrir mão dos cuidados com a pele. Usar protetor solar diariamente, mesmo em dias nublados, continua sendo a recomendação dos especialistas. “O protetor solar, com fator de proteção 30, tem que ser aplicado em todas as estações do ano, com chuva ou sol. As radiciações UV estão presentes em qualquer momento do ano, até mesmo quando o tempo está nublado. Lembrando que o protetor solar tem uma duração de no máximo quatro horas, por isso é extremamente importante a sua reaplicação”, garante Ana Cecilia Corcini, médica especialista em estética da Clínica Leger. E não basta aplicar o produto no rosto. Todas as demais áreas expostas ao sol, como mãos, braços e colo, devem ser contempladas.

Pele ressecada é mais comum em baixas temperaturas
Verdade.
A queda na umidade relativa do ar aliada às alterações na temperatura comprometem a hidratação da pele nessa época do ano. É preciso um cuidado redobrado, pois é muito comum, além do ressecamento, rachaduras nos lábios e pés. O ideal é usar produtos para uma pele mais sensível e fragilizada, substituir o sabonete em barra pelo líquido, que já tem um hidratante na composição, além de aproveitar os três minutinhos após o banho, quando a pele ainda está úmida e vai absorver um pouco mais dos produtos tópicos, para passar um bom hidratante. Segundo Ana Cecilia Corcini, “no frio temos um hábito não muito saudável de aumentar a temperatura do chuveiro, com isso temos ressecamento da pele e maior produção de oleosidade no couro cabeludo, o que pode gerar até a queda capilar. Por isso é importante, investir em cremes a base de ureia e óleos e evitar o chuveiro muito quente ao lavar o cabelo”, reforça a médica.

Foto: Winzy Lee/Shuttestock

É a melhor estação do ano para tratamentos de varizes
Verdade.
“O inverno é a melhor época para tratar as varizes e os “vasinhos” (veias finas avermelhadas ou arroxeadas). Durante os meses de junho a setembro, as temperaturas são mais amenas e as pernas podem ficar mais protegidas do sol durante o tratamento. A maior vantagem em tratar as varizes no inverno é ficar com as pernas prontas para aproveitar o verão”, afirma Fernanda Federico, cirurgiã vascular da Clínica Leger. Além de melhorar a aparência estética, o tratamento das varizes proporciona melhora da saúde, bem estar e qualidade de vida. Às vezes, apenas os vasinhos são visíveis, mas é possível que haja microvarizes e varizes que também precisam ser tratadas. Antes de começar qualquer procedimento, ainda que para fins estéticos, é preciso fazer uma avaliação clínica vascular das pernas. “Menor exposição ao sol, roupas mais quentinhas e fechadas protegem as regiões tratadas e, assim, menor será a chance de surgir manchinhas na pele. Baixas temperaturas reduzem o inchaço e facilita o uso de meias elásticas”, conclui a médica.

Fonte: Clínica Leger

Como entender, diferenciar e tratar a enxaqueca e uma dor de cabeça momentânea

Quadros mais graves de enxaqueca podem gerar náuseas, irritabilidade com a luz, sons e cheiros e reduzir até a produtividade no trabalho

Dor de cabeça ou enxaqueca? Independente do diagnóstico, uma coisa é fato: não espere a dor piorar para tomar o remédio. Essa é o alerta do médico neurologista e neuro-oncologista Gabriel Novaes de Rezende Batistella, membro da Society for Neuro-Oncology Latin America (SNOLA). Abaixo, ele explica em 5 pontos como diferenciar e tratar as dores de cabeça e enxaqueca:

O que diferencia a enxaqueca de uma dor de cabeça momentânea?
Batistella: De fato, a chance de estarmos lidando com uma dor de cabeça momentânea é, aparentemente, maior do que estarmos lidando com uma dor de cabeça crônica ou uma dor de cabeça relacionada a uma doença grave ainda não descoberta. Dores de cabeça são, na maioria das vezes, por duas causas comuns e passageiras: tensional (dores geralmente mais leves que uma crise de enxaqueca, sendo notada nos dois lados da cabeça e sem uma sensação de náusea, irritabilidade com a luz e cheiros fortes) e enxaqueca (geralmente começa e fica de um lado da cabeça, atrapalha muito a rotina da pessoa, pode gerar muita náusea, irritabilidade com a luz, sons e cheiros, e pode gerar até mesmo dias perdidos no trabalho ou redução da produtividade de forma geral). Para termos uma ideia de quando precisamos de um acompanhamento neurológico para dor de cabeça, com certeza devemos considerar se a dor está impactando o paciente na sua rotina social, trabalho, reuniões de família, e principalmente quando não se sabe ainda o motivo da dor de cabeça e como tratar. A rigor, gostaríamos de que todos que possuem dor de cabeça procurassem um neurologista ou clínico geral ao menos uma vez, para orientação, mas muitas vezes isto não é possível, e culturalmente não temos este hábito. Acredito ser importante orientar que, na maior parte das vezes, a consulta irá ensinar a usar o que temos disponível na farmácia, de forma racional e controlada, evitando idas desnecessárias a um pronto-socorro, e evitando até mesmo muitas consultas médicas, mantendo o paciente na sua rotina confortável. Dores mais crônicas podem demandar mais no início, mas assim que controlarmos o paciente, vamos ‘dando um espaço’ para ele respirar das consultas e retornar a sua vida habitual.”

Quais as origens mais comuns da cefaleia?
Batistella:
A origem exata da dor de cabeça ainda está para ser melhor esclarecida na Medicina, mas podemos, com alguma certeza, apontar que neurônios sensitivos em alguns locais do cérebro estão mais ‘abertos’ aos estímulos, ficando muito ativos e gerando um processo neuroinflamatório que culmina na dor de cabeça. Não acredito que isto por si só vai explicar todos os tipos de dores de cabeça que podemos ter, mas esta hipótese nos ajuda a guiar o tratamento do paciente da melhor forma. Fica um pouco mais fácil entender o motivo do estresse gerar dor, assim como muita luz, barulhos intensos, cheiros muito fortes e outros. Com o passar do tempo o mecanismo de cada dor vem ficando mais claro, e podemos ter fé que novas formas mais efetivas de tratar irão surgir.”

No caso de uma dor de cabeça momentânea, como tratar o sintoma?
Batistella:
A dica é lembrar qual remédio geralmente funciona na rotina do paciente, podemos ter diversas opções. Gosto de ensinar aos meus pacientes que temos sempre que tratar na primeira hora de dor, mesmo que ele fique em dúvida se a dor irá crescer a ponto de precisar do remédio. Tratar na primeira hora aumenta a chance de eliminar, de vez, aquela crise, e reduz as chances de cronificação, então compensa! Outra dica, que considero muito importante, é tentar usar medicamentos que costumo chamar de ‘puros’, isto é, não combinados com diversos outros remédios, pois isto aumenta a chance de vício e redução ao longo do tempo da eficácia do remédio. Prefira sempre um remédio, um mecanismo de ação, como dipirona, paracetamol, ibuprofeno, e não os combinados com relaxantes musculares, cafeína etc. Tente sempre utilizar a dose correta sugerida, no Brasil temos o costume de utilizar doses menores, com medo do remédio, e isto não é correto.”

E no caso de um quadro crônico de enxaqueca, como tratar a doença?
Batistella:
Aqui temos um cenário difícil, mesmo, mas que vai exigir do médico e do paciente que ambos façam uma amizade no consultório, e se conheçam muito bem. Temos diversas opções, desde medicamentos orais até mesmo procedimentos utilizando toxina botulínica e medicamentos monoclonais, com bons resultados. A dor crônica pode ser muito incapacitante para o paciente, mesmo que ele não entenda isso, passando a ter uma noção do quanto atrapalhava somente quando sai do período de cronicidade. O tratamento deve ser algo contínuo, aqui o paciente deve entender que vai utilizar, por alguns meses ou até mais, um medicamento diário, devendo ser reavaliado periodicamente buscando resultados. O medicamento de uso diário não serve para tirar a dor naquele dia, mas sim para retirar o mecanismo que faz com que a dor venha todo dia, então o paciente deve entender que também irá aprender a usar remédios para dor do dia, somado ao tratamento diário para dor crônica. Sugiro também, neste contexto, que o paciente anote bem quantos comprimidos por semana ele toma de remédio, pois na grande maioria dos casos encontramos abuso de substâncias, e o desmame pode ajudar muito o paciente a sair do período de cronicidade, além de ser uma ótima economia de dinheiro para o paciente. O tratamento da dor crônica é muito mais efetiva hoje do que antigamente.”

Pode listar algumas dicas gerais para evitar a dor de cabeça?
Batistella:
Primeiramente já aviso que, na Neurologia de forma geral, tratamento algum estará completo sem que o paciente mude seu estilo de vida. Não menospreze uma boa alimentação, uma rotina de exercícios físicos, meditação ou tratamentos psicológicos. Não vamos fazer milagres com comprimidos, não devemos ter este pensamento de que ir ao neurologista resolverá tudo sem esforço por parte do paciente, infelizmente ainda não podemos terceirizar totalmente nosso tratamento para a equipe médica. Quando em tratamento, busque lembrar quais os medicamentos costumam ser efetivos, e tente entender se a dor é a mesma da passada. Dores que vêm piorando em intensidade, ficando mais frequentes na semana ou no mês, e mais resistentes aos medicamentos deveriam levar o paciente a buscar um neurologista. Dores que não passam com os medicamentos habituais, e estão atrapalhando muito a rotina do paciente, deveria ser conduzida com medicamentos venosos, num pronto-socorro, por exemplo, e de preferência num pronto-socorro com suporte neurológico. Quando com dor, evite computadores, evite televisão ou qualquer fonte luminosa direta artificial, isto inclui seu celular. Prefira não se exercitar neste dia, e nem fazer alimentações pesadas (evitar gordura, refrigerante, frituras, chocolates, sucos com açúcar e outros), e oriente seus familiares a reduzirem barulhos. Não se esqueça, tome o remédio já na primeira hora de dor, vamos aprender que não é correto deixar a dor piorar para tratar!”

Novos tratamentos

Um estudo da edição de agosto de 2020 do Journal of the American Society of Plastic Surgeons, maior revista científica de Cirurgia Plástica do mundo, afirma que as crises de enxaqueca podem ter um fim de forma segura por meio da cirurgia de enxaqueca. O artigo “A Comprehensive Review of Surgical Treatment of Migraine Surgery Safety and Efficacy”, feito em conjunto com o Comitê de Segurança do Paciente da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica, avaliou o procedimento como seguro e eficaz.

“Além disso, o artigo reforça a importância do tratamento a ser incorporado pelos cirurgiões plásticos e pelas sociedades de neurologia, como um tratamento padrão para a enxaqueca”, diz o cirurgião plástico Paolo Rubez, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, membro da Sociedade de Cirurgia de Enxaqueca (EUA) e especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University. O médico é um dos poucos no Brasil a realizar o procedimento.

“A Cirurgia de Enxaqueca é hoje realizada por diversos grupos de cirurgiões plásticos ao redor do mundo e em mais de uma dezena das principais universidades americanas, como Harvard. Os resultados positivos e semelhantes das publicações dos diferentes grupos comprovam a eficácia e a reprodutibilidade do tratamento”, afirma o médico.

A cirurgia para enxaqueca, disponível mais recentemente no Brasil e embasada cientificamente por uma série de estudos, promete ser um divisor de águas para quem sofre com o problema. O artigo foi uma revisão abrangente da literatura relevante publicada sobre o tema. Segundo o estudo, a experiência clínica recente com cirurgia de enxaqueca demonstrou a segurança e a eficácia da descompressão operatória dos nervos periféricos na face, cabeça e pescoço para aliviar os sintomas da enxaqueca. A cirurgia é pouco invasiva e tem o objetivo de descomprimir e liberar os ramos dos nervos trigêmeo e occipital envolvidos nos pontos de dor.

“Os ramos periféricos destes nervos, responsáveis pela sensibilidade da face, pescoço e couro cabeludo, podem sofrer compressões das estruturas ao seu redor, como músculos, vasos, ossos e fáscias. Isto gera a liberação de substâncias (neurotoxinas) que desencadeiam uma cascata de eventos responsável pela inflamação dos nervos e membranas ao redor do cérebro, que irão causar os sintomas de dor intensa, náuseas, vômitos e sensibilidade à luz e ao som”, diz o médico.

Além da cirurgia, vários benefícios dos tratamentos com enxerto de gordura já foram publicados com relação à melhora nos sintomas da enxaqueca. Um estudo, de março de 2019 (Therapeutic Role of Fat Injection in the Treatment of Recalcitrant Migraine Headaches), publicado no Plastic and Reconstructive Surgery Journal, concluiu que os sintomas da enxaqueca foram reduzidos com sucesso na maioria dos casos com injeção de gordura. O tratamento feito realizado em pacientes que persistiam com alguma dor após a cirurgia de descompressão de nervos. “Diferentes moléculas secretadas por células-tronco do tecido adiposo expressam um efeito anti-inflamatório, melhorando a regeneração dos nervos, levando ao sucesso do resultado clínico. A dor foi melhorada em 7 de 9 pacientes no seguimento de 3 meses, segundo estudos”, diz Rubez.

O cirurgião destaca que a lipoenxertia tem se mostrado minimamente invasiva com poucos riscos, de fácil execução, além de um procedimento seguro, tolerável e eficaz na redução ou eliminação completa da neuropatia persistente. “Esta técnica demonstrou melhora significativa de sintomas, permitindo uma melhora importante da qualidade de vida com menos efeitos colaterais de drogas”, finaliza Rubez.

Fontes:
Gabriel Novaes de Rezende Batistella é médico neurologista e neuro-oncologista, membro da Society for Neuro-Oncology Latin America (SNOLA). Formado em Neurologia e Neuro-oncologia pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP, hoje é assistente de Neuro-Oncologia Clínica na mesma instituição. O médico é o representante brasileiro do International Outreach Committee da Society for Neuro-Oncology (IOC-SNO).
Paolo Rubez é cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS) e da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), Dr. Paolo Rubez é Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O médico é especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University, com o Dr Bahman Guyuron (em Cleveland – EUA) e em Rinoplastia Estética e Reparadora, pela mesma Universidade, e pela Escola Paulista de Medicina/Unifesp.

Cannabis medicinal pode auxiliar no tratamento de doenças respiratórias

Estudos são preliminares e apontam melhora no sistema imunológico

Com a chegada do outono, as doenças respiratórias alcançam um pico que segue em alta até junho, momento em que o clima e o ar estão mais secos. Os vírus respiratórios, que causam infecções das vias aéreas superiores – gripes e resfriados, pneumonias, crises de asma e bronquite, estão circulando com mais frequência no período. Segundo pesquisa da Universidade de Ciências Médicas de Teerã, publicada em 2018, um acúmulo de evidências sugere que o sistema endocanabinóide, através de receptores presentes no organismo (especificamente o tipo 2 – CB2) que se ligam nas substâncias presentes na cannabis (fitocanabinóides), desempenha um papel significativo na melhora de infecções respiratórias virais.

“A ação dos fitocanabinóides nesses receptores do sistema respiratório se mostra eficaz, podendo ser uma alternativa com menos efeitos colaterais no tratamento de doenças respiratórias. Vale ressaltar que cada paciente tem uma necessidade específica, sendo importantíssima a individualização do tratamento”, comenta Maria Teresa Jacob, médica que trabalha com a cannabis medicinal no alívio da dor crônica há alguns anos.

Um artigo do PubMed Central também aponta o uso do canabidiol (CBD), uma das substâncias presentes na cannabis, como um relevante anti-inflamatório nesses casos. A mesma pesquisa indica que o canabinóide pode fornecer mais benefícios neuroprotetores do que as vitaminas C e E, além de contribuir com a imunidade. A interação do CBD nos receptores endocanabinóides do organismo estimula o sistema imunológico, trazendo ainda outros alívios, como melhora na qualidade do sono e alívio de dores.

Em tempos de coronavírus, em que as taxas de ocupação dos hospitais estão elevadas, a cannabis medicinal tem sido cada vez mais explorada e pesquisada para auxiliar no tratamento de diversas patologias. “Ainda não existem muitos estudos em humanos devido aos anos de criminalização da planta, como a maioria das publicações científicas destacam. Com a mudança de classificação da cannabis na reunião da ONU em dezembro de 2020, reconhecendo o valor medicamentoso dela, mais pesquisas serão realizadas em humanos, reforçando inúmeras pesquisas realizadas in vitro e in vivo em estudos animais, que indicam o uso da cannabis inclusive para melhorar a imunidade”, finaliza Maria Teresa.

Fonte: Maria Teresa Jacob atua no tratamento de dor crônica desde 1992 e, há alguns anos, em Medicina Canabinóide para diversas patologias na clínica localizada em Campinas. Formada pela Faculdade de Medicina de Jundiaí, com residência médica em Anestesiologia no Instituto Penido Burnier e Centro Médico de Campinas. Pós-graduanda em Endocanabinologia, Cannabis e Cannabinoides pela Universidade de Rosário, Argentina. Especialista em Anestesiologia, Acupuntura e Dor. Especialização em Dor, na Clinique de la Toussaint em Strassbourgo, na França; especialização em Cannabis Medicinal e Saúde, na Universidade do Colorado e Cannabis Medicinal, no Uruguai. Membro da Sociedade Internacional para Estudo da Dor (IASP), da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED), da Sociedade Internacional de Dor Musculoesquelética (IMS), da Sociedade Européia de Dor (EFIC), da Society of Cannabis Clinicians (SCC) e da International Association for Canabinoid Medicines (IACM).
BEM – Medicina Canábica e Bem Estar.

Dia das Mães: Doctor Feet oferece gift card de podologia

Com valores a partir de R$ 116,00, rede oferece serviços de podologia, estética e relaxamento dos pés

O último ano não foi fácil e, se antes era importante cuidar de quem a gente ama, agora é ainda mais, especialmente em datas comemorativas. Para o Dia das Mães, a Doctor Feet apresenta o cartão presente como opção para agradar as matriarcas de toda a família, uma forma de demonstrar o carinho e o cuidado que temos por elas por meio de experiências positivas.

Com validade de um ano, o gift card oferece os serviços e produtos da rede para pessoas de todas as idades, com valor inicial de R$ 116,00, podendo chegar até R$ 250,00. O mimo pode ser adquirido em todas as lojas da rede, inclusive pelo drive-thru*. O voucher “completão” dá direito ao tratamento tradicional, que envolve reflexologia, desbaste de calos e calosidades, corte técnico das unhas, de forma a evitar que elas encravem, e retirada do excesso de pele que fica nos cantinhos. O procedimento termina com aplicação de creme hidratante que embeleza os pés.

Confira abaixo outras opções de tratamento para presentear:

Tratamento Tradicional Completo + Reflexologia = R$ 250,00
Tratamento Tradicional Completo + hidratação = R$ 237,00
Reflexologia = R$ 129,00
Hidratação = R$ 116,00

*Preços válidos para o estado de São Paulo. Para outras cidades e regiões, favor consultar a assessoria de imprensa. Consulte o site para saber as unidades que atendem por drive-thru.

Informações: Doctor Feet