Arquivo da tag: Unhas

Dez vitaminas que ajudam unhas e cabelos e onde encontrá-las

Elas são encontradas em alguns alimentos e, se inseridas no dia a dia auxiliam nesse fortalecimento

Quem não sonha com cabelos fortes e brilhantes, iguais aqueles que vemos nas propagandas. Sem esquecer das sonhadas unhas resistentes que não quebram por nada. Mas você sabia, que algumas vitaminas encontradas nos alimentos podem te ajudar nessa tarefa?

Segundo a nutricionista e pesquisadora Aline Quissak, da Nutri Secrets, um adulto perde em média 100 fios por dia; porém, quando essa quantidade aumenta é bom ficar alerta. E se suas unhas não andam resistindo muito, elas também podem estar sofrendo.

Existem vários fatores que podem influenciar nesses problemas. Um dos principais é a sua alimentação, já que você pode não estar ingerindo as vitaminas, minerais e proteínas necessários. “Vitaminas A, C, E, do complexo B, zinco, ferro, potássio, biotina, betacaroteno e aminoácidos são importantes para a saúde dos fios e unhas, por isso é fundamental que a pessoa tenha esses alimentos na rotina”, explica a especialista.

A boa notícia é que você não precisa se desesperar. Ingerir alguns alimentos pode te dar aquela forcinha, e para te ajudar nesta tarefa, a nutricionista preparou uma lista especial com alguns deles:

Vitamina complexo B – feijões, lentilhas, ervilhas, brócolis, peixes, leites, aves;

Vitamina C – acerola, goiaba vermelha, laranja, limão, abacaxi, espinafre, rúcula;

Steve Buissinne/Pixabay

Vitamina E – castanhas, amendoim, alho, brócolis, tomate, manga, kiwi, salmão, semente de girassol;

Vitamina A – leite e derivados, espinafres, couve, acelga, agrião, cenoura, manga, mamão, abóbora;

Pixabay

Zinco – castanhas, cereais integrais, grão de bico, aves, espinafre, semente de abóbora e de linhaça;

ovos-cozidos-stocksy
Stocksy

Ferro – carne vermelha, ovo, feijão, lentilha, hortaliças verdes escuras;

Potássio – abacate, pera, banana, leite e derivados, abóbora, batata doce, aveia;

Shutterstock

Biotina – castanhas, amêndoas, nozes, avelãs, ovo, carnes vermelhas;

Betacaroteno – cenoura, batata doce, abóbora, caqui, manga, mamão, melão, melancia, damasco, tangerina;

Aminoácidos – ovo, aves, carne de vaca, atum, salmão, sardinha, quinoa, chia, couve, alface, acelga e milho.

Para finalizar, a nutricionista lembra que é sempre importante procurar um especialista para ajustes individuais. “Quando introduzimos esses alimentos em nossa rotina, eles nos ajudam a fortalecer unhas e cabelos, mas é importante procurar um médico e um nutricionista para analisar o caso”, completa Aline.

Fonte: Nutri Secrets

Extremos na dieta: comer demais ou de menos pode arruinar a beleza da pele, cabelo e unhas

Queda acentuada de cabelos, manchas, acne, irritações, rugas, unhas quebradiças e sinais de envelhecimento são algumas das alterações que a alimentação desregulada pode causar. Situação pode ser ainda pior para quem tenta compensar um período de alimentação farta com momentos de escassez

No decorrer da pandemia, apesar das constantes informações sobre a importância de manter a alimentação saudável, muitas pessoas acabaram optando por extremos na dieta – alguns comendo demais, outros de menos. “As alterações emocionais são as principais responsáveis pelos comportamentos alimentares equivocados nesses tempos de pandemias. Muitos buscam o conforto das suas emoções nos alimentos e bebidas, muitas vezes se encaminhando para consumos compulsivos. Outros, por insegurança e desinformação, restringem o consumo de grupos ou quantidades alimentares importantes para a manutenção da saúde no momento atípico”, afirma a médica nutróloga Marcella Garcez, professora e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

O problema é que esses extremos na alimentação causam alterações físicas e estéticas importantes, impactando agressivamente na beleza da pele. “A pele denuncia rapidamente quando um paciente se alimentou excessivamente de alimentos mais inflamatórios, com alterações como acne, manchas, irritações sinais de desidratação. E quem vai ao outro extremo, de escassez para emagrecer, também nota muitos sinais importantes de carência nutricional, como queda de cabelo, ressecamento, unhas quebradiças, além de rugas e flacidez”, afirma a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e professora-fundadora do Dermacademy MB. Consultamos especialistas para entender por que essas alterações ocorrem:

Extremo 1 – Comer demais

alimentos-ruins-para-a-pele

De acordo com a nutróloga, no caso de quem comeu demais e principalmente abusou de junk foods, alimentos considerados mais inflamatórios (carboidratos de alto índice glicêmico, doces, gorduras trans, aditivos químicos), as consequências podem impactar o organismo como um todo porque a inflamação subclínica, que se instala com o consumo excessivo de açúcares adicionados e gorduras não saudáveis, aumenta o risco de doenças metabólicas, cardiovasculares, inflamatórias, degenerativas, neoplásicas e ainda acelera o envelhecimento cutâneo piorando a qualidade dos anexos como cabelos e unhas.

mulher queda de cabelo MNT
MedicalNewsToday

“O aumento da queda dos cabelos e unhas frágeis e quebradiças, descartadas as causas patológicas, podem ser consequência de uma dieta desequilibrada”, diz Marcella.
Segundo a nutróloga, o excesso de açúcares adicionados é um grande vilão, que geralmente vem acompanhado de uma ingestão reduzida em proteínas, vitaminas, minerais e antioxidantes, condicionais para manter a saúde do organismo como um todo e ainda sobrar para o adequado aporte à pele, cabelo e unhas. Segundo a dermatologista e tricologista Kédima Nassif, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, em um primeiro momento, o excesso de açúcar causa inflamação e liberação de radicais livres.

“Se isso acontece de forma contínua, o excesso de radicais livres pode alterar proteínas, lipídeos e até mesmo o DNA. Na pele, o excesso de radicais livres pode danificar o DNA das células provocando menor atividade celular, menor produção de colágeno e fibras elásticas, menor atividade de células de defesa e menor poder de cicatrização”, diz Kédima. Elastina e colágeno são substâncias responsáveis pela firmeza da pele.

“Elas deixam a pele mais esticada, mais firme. É o que uma pessoa jovem tem em excesso e, a partir dos 25 anos, vamos perdendo. Aliado a essa desestabilização provocada pela glicação destas células, que é a quebra de elastina e colágeno, faz com que a pele perca sua sustentação, como um arcabouço que vai se quebrando. A glicação, portanto, faz com que a pele perca colágeno e elastina, resultando em rugas e flacidez”, explica a dermatologista.

Mas não é só isso: “O processo de glicação age principalmente nas linhas de expressão e flacidez. Mas produz, sim, rugas e pode piorar as manchas pelo processo de oxidação celular”, alerta Kédima. Mas o excesso de açúcar, por potencializar a inflamação, influencia mais rapidamente também no aparecimento e na piora da acne e oleosidade.
Além disso, lembra a médica nutróloga, um perfil inflamatório exacerbado pelo consumo excessivo de açúcares pode fazer desencadear ou agravar doenças inflamatórias na pele como dermatite e psoríase.

“O excesso de açúcar na dieta pode comprometer a saúde dos folículos capilares aumentando a possibilidade de eflúvio (queda de cabelos). Muito açúcar circulando é um dos fatores que propicia um desequilíbrio da microbiota do organismo como um todo e consequentemente maior prevalência de atopias e proliferação de fungos que comumente atingem as unhas”, diz Marcella.

O consumo excessivo de sódio, gorduras não saudáveis como as gorduras trans e interesterificadas, frituras de imersão, além do excesso de corantes e conservantes dos alimentos processados e ultraprocessados também pode impactar a pele e os anexos cutâneos. “Além das consequências metabólicas nas estruturas cutâneas, essas moléculas podem ser responsáveis pelo aumento de reações alérgicas e de aumento da sensibilidade”, diz e nutróloga.

“Lembre-se de controlar a quantidade de sódio nas refeições, pois ele colabora na retenção de líquido e isso acaba piorando a sensação de inchaço facial e corporal. Temos visto que, dentro de casa por conta da pandemia, as pessoas acabam descuidando muito da alimentação e consomem mais produtos enlatados e processados, ricos em sódio. E fique de olho em sucos de caixinha, que também têm muito sódio na composição”, afirma a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Extremo 2 – Comer pouco

mulher alimentação 3

O ideal é que qualquer emagrecimento rápido ou que conte com perda ponderal de mais de 10% do peso corporal tenha acompanhamento médico. “Só assim é possível descartar patologias e carências que agravam os sinais físicos de um emagrecimento não orientado. Como em muitas ocasiões a perda de peso não é monitorada, as intervenções nutrológicas devem ser incorporadas assim que o aspecto de envelhecimento precoce ou acelerado pelo emagrecimento for notado”, diz Marcella.

“Quando pensamos em perda de peso, pensamos sempre na perda de volume e de gordura corporal, num corpo mais esguio, em mais energia e numa autoconfiança perdida que fora agora reconquistada. Até aqui, tudo bem, são efeitos naturais dos quilos perdidos. Mas um processo de perda de peso tem ainda implicações também no rosto, afinal perdemos gordura no corpo inteiro, e isso nem sempre agrada”, afirma o cirurgião plástico Mário Farinazzo, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

De acordo com o cirurgião plástico, a perda de peso excessiva e sem acompanhamento causa a redução do volume que mantinha a pele mais esticada. “Com essa redução, há uma ‘sobra’ da pele, obviamente se considerarmos uma perda expressiva de gordura”, diz o médico. “Este fenômeno é particularmente mais importante no rosto, sendo mais significativo no terço inferior e no pescoço”, afirma o especialista.

A acentuação da flacidez do rosto e do pescoço parece ser a consequência mais clara, porém, mais rugas, mais olheiras e mudança da expressão facial aparecem também.
Além disso, existe o problema das carências nutricionais. Uma alimentação com déficit calórico muito expressivo (ou seja, quando as calorias ingeridas são extremamente menores que a taxa metabólica) trará resultados para o emagrecimento, mas poderá causar sérios problemas ao corpo.

“Além do déficit calórico, o déficit proteico e a pouca ingestão de água são os fatores alimentares que mais rapidamente impactam negativamente as estruturas da pele, porém nutrientes importantes como vitaminas, minerais e antioxidantes são essenciais para a manutenção da saúde cutânea, portanto não há pele saudável sem alimentação equilibrada”, afirma Marcella.

Trocando em miúdos? Quando você escolhe pela escassez para emagrecer, está deixando seu organismo sem os nutrientes necessários para manter a beleza da sua pele, cabelo e unhas. “Automaticamente, tendemos a ficar com a aparência mais envelhecida, principalmente pela redução do aporte proteico que compromete a síntese de fibras colágenas para manutenção e reposição de estruturas dérmicas”, diz a nutróloga.

Mas o problema não para por aí: as carências de vitaminas, minerais, proteínas, gorduras e carboidratos de boa qualidade também impactam na saúde dos fios e do couro cabeludo. Seu cabelo é composto principalmente de proteínas, portanto, incluir quantidades adequadas em sua dieta é vital para o crescimento do cabelo.

atum lata lummi island wild
LuminiIslandWild

“Alimentos que são boas fontes de proteínas são peixe, frango, carne magra, ovos, feijão, quinoa, tofu e leguminosas. O ovo por exemplo é um velho conhecido quando o assunto é saúde capilar, sendo incluído em receitas caseiras de hidratação dos fios. Sua boa ‘fama’ vem do fato de que o ovo é rico em proteínas, ácidos graxos, aminoácidos essenciais, vitaminas e minerais como zinco, selênio e ferro. Esses micronutrientes são envolvidos nos processos de formação da fibra capilar e de multiplicação das células da raiz do cabelo, facilitando o processo. É por isso que o consumo de ovos contribui para sua saúde capilar”, diz Kédima.

Aproximadamente 85% do cabelo é formado de queratina, que é uma proteína, e por ser um tecido de excreção, é formado de aminoácidos sobressalentes para essa função. “Se não houver sobra de aminoácidos, não há boa síntese de queratina. Além disso, minerais metálicos como ferro e cobre além de vitaminas do complexo B como a biotina participam da manutenção da saúde capilar”, diz a nutróloga.

Se você tiver carência desses nutrientes durante o déficit calórico extremo (e provavelmente você tem), seu cabelo irá cair mais num quadro intenso (eflúvio telógeno), a textura dos fios podem mudar, além de ficarem mais fracos e propensos à quebra. “O ferro também é crucial para manter a textura natural dos fios; um baixo nível do nutriente é um dos principais motivos do crescimento de fios curtos e finos, principalmente nas têmporas e laterais”, afirma Kédima.

Segundo Paola, como as unhas também são formadas por queratina, a alimentação deficiente nutricionalmente pode torná-las mais quebradiças e fracas, além do aparecimento de manchas brancas.

Extremo 3 – Comer pouco compensatoriamente após comer demais

fast food or health food
fast food or health food

Quem foi de um extremo ao outro durante a pandemia aproveitou o que há de pior no “8 e 80” da dieta e está mais propenso a continuar desenvolvendo alterações na pele, cabelo e unha, se não buscar ajuda médica nutrológica.

“Tanto as pessoas com restrições alimentares quanto as que estão consumindo compulsivamente determinados alimentos podem ter impactos negativos na pele e muitas vezes precisam de orientação médica. Ir de um extremo ao outro só prolonga o período em que o corpo está sendo mal-nutrido. Sem contar que outro fator com grandes impactos negativos na pele e anexos cutâneos nesses tempos de pandemia é o estresse, que pode ter inúmeras consequências de variadas intensidades, que geralmente precisam de intervenção médica”, afirma a médica nutróloga.

A melhor maneira de começar a pensar em novos hábitos é buscar ajuda médica. Com mudanças no hábito alimentar e a prescrição individualizada de suplementos alimentares, muito do aspecto indesejável que surgiu na pele pode ser minimizado.

“Existem diversos tratamentos para as alterações citadas e o dermatologista e cirurgião plástico podem ser consultados, mas sem esquecer de buscar ajuda de um médico nutrólogo. Muitos tratamentos externos não têm boas respostas sem a associação com orientações alimentares e suplementares de forma individualizada. O objetivo nessa situação é obter as melhores respostas e resultados nos procedimentos estéticos ou cirúrgicos eleitos para corrigir cada alteração”, completa Marcella.

Mas, no geral, a nutróloga afirma que quem percebeu essas alterações na pele, cabelo e unhas, pode investir em uma dieta adequada, equilibrada, variada e colorida, rica em proteínas magras, carboidratos complexos integrais e gorduras boas, além de vegetais folhosos, legumes coloridos, frutas e bom consumo de água.

Unhas fracas e quebradiças? Podóloga aponta soluções

Alimentação, visitas periódicas à rede de podologia de sua confiança e produtos específicos para o fortalecimento são alguns dos cuidados necessários

Ter unhas fortes e cheias de vida é o sonho de muita gente, mas é preciso tratá-las muito bem para conquistar esse resultado. Segundo Maria Lourdes Pinheiro, podóloga e coordenadora técnica da Doctor Feet, unhas fracas podem ser sintomas de algumas condições como diabetes, disfunção hormonal, estresse e até problemas de fígado, pulmão e coração.

“O ideal é cuidar das unhas com profissionais habilitados e, ao perceber que elas continuam quebrando com muita frequência, a dica é procurar um dermatologista”, alerta.

No entanto, algumas mudanças de hábito podem amenizar a quebra e deixar as unhas mais bonitas e saudáveis. Confira:

roer unhas dentes
Foto: Mouthhealthy.org

1. Evite roer as unhas ou levar as mãos à boca, pois a saliva enfraquece a unha e o mau hábito pode causar infecções causando até a perda da unha;

esmalte brilho unha
2. Invista em bases fortalecedoras e nutritivas que devem ser aplicadas sempre antes do esmalte;

freepik unhas manicure
Freepik

3. Mesmo que faça as unhas com profissionais semanalmente, não retire totalmente as cutículas já que elas ajudam na proteção contra doenças, como a micose, por exemplo;

pés unhas esmalte pixabay werby fabrik
Foto: Werby Fabrik/Pixabay

4. Não utilize produtos com formol, podem causar alergias;

frutas-citricas-limao-laranja
5. Aposte em alimentos ricos em vitamina C que fortalecem as unhas, a pele e, de quebra, favorecem o sistema imunológico;

unhas15
6. Mantenha as mãos e as cutículas sempre hidratadas;

envato-mascara luvas
7. Use luvas para realizar tarefas domésticas para proteger as unhas de produtos químicos;

mulher limpando esmalte da unha
8. Remova o esmalte com produtos específicos e que não contenham acetona, pois o componente causa danos nas unhas e resseca as cutículas;

shutterstock mulher lendo rotulo
Shutterstock

9. Atente-se aos prazos de validade de produtos como esmaltes, bases e cremes para as mãos. Não use se estiverem vencidos;

Freepik unhas
Freepik

10. E, por último, mas não menos importante. Deixe a unha respirar removendo todo o esmalte, pelo menos, dois dias antes de uma nova aplicação.

Fonte: Doctor Feet

Cuidados com cabelos, unhas e pele para evitar contaminação

O vírus da Covid-19 pode permanecer vivo mesmo fora do corpo humano e, como não sabemos ao certo o tempo que sobrevive, é importante mantermos os cuidados e as orientações que as autoridades de saúde recomendam: lavar as mãos frequentemente, manter o isolamento e o distanciamento social.

Cabelos

“Os cabelos têm papel de fômites na infecção pelo coronavírus, ou seja, objetos, locais ou superfícies que são capazes de absorver e carregar o vírus”, explica Paula Ferreira,
médica do corpo clínico do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

É importante entender que ao encostar a mão em alguma superfície que possa estar contaminada, como maçanetas, portas, itens do supermercado, maquininhas de cartão, e depois passar a mão nos cabelos, o vírus pode ser transferido para os cabelos. A médica alerta para o momento de distração: “é ao passar a mão nos fios contaminados e depois ter contato com alguma parte da face que a pessoa vai se contaminar com o coronavírus”.

Paula dá algumas orientações:

chuveiro banho mulher rosto

– Ao voltar da rua, busque ir direto para o banho. Não se esqueça de colocar toda a roupa que estava usando para lavar.
– Ao lavar os cabelos, deixe o xampu agir por, no mínimo, 30 segundos. Na hora do enxágue, procure inclinar a cabeça para trás ou para frente, evitando que o xampu entre em contato com seu rosto.
– Para pessoas com cabelos compridos, o ideal é prender os fios ao sair na rua, diminuindo a superfície que pode ser contaminada. Mesmo com os fios presos, é imprescindível lavar os cabelos.
– Caso seja extremamente necessário que você saia várias vezes no mesmo dia, o recomendado é tomar banho e lavar os cabelos em todas as vezes que retornar para casa, evitando o contato com objetos da residência antes do banho.

Pele

mulher bandaid curativo pele
Ainda não há confirmações de estudos médicos que comprovem a contaminação por feridas na pele. Isso porque a Covid-19 é uma doença nova, então o seu comportamento e as diferentes formas de contaminação ainda estão em fase de descoberta.

“Pesquisadores chineses descobriram e sequenciaram o genoma do vírus, identificando que o principal receptor do nosso corpo que permite a entrada no vírus no organismo é o receptor ACE II. Esse receptor está presente na mucosa oral, nasal e ocular e nas camadas mais profundas da pele”, comenta a especialista. Quando a pele está se regenerando de uma ferida, por exemplo, fica “mais fácil” de chegar a essa camada, explica a médica.

Por isso, mesmo que não haja relatos de contaminação dessa forma, as feridas na pele podem ser uma via de contágio. “É melhor que as feridas sejam protegidas quando houver exposição, descartando o risco de transmissão”, aconselha.

Unhas

unhass

Assim como os cabelos, as unhas também podem carregar o vírus. A principal medida que as autoridades mundiais de saúde estão orientando para evitar a contaminação da Covid-19 é lavar as mãos por, pelo menos, 20 segundos. “A atenção ao lavar as unhas é fundamental para garantir que o vírus não permaneça na região, e unhas compridas podem dificultar a limpeza total, por isso a recomendação é mantê-las curtas nesse momento”, ressalta Paula.

Sobre retirar as cutículas, a especialista afirma: “é um procedimento desnecessário e prejudicial à saúde das unhas”. Além disso, ela lembra ainda que como pode causar feridas na pele, torna-se um meio de contágio do coronavírus, mesmo que ainda não haja relatos de contaminação dessa forma.

Fonte: Libbs Farmacêutica

Os queridinhos de Mavala para presente

Coffret especial da marca líder de nail care reúne seis passos para cuidar das unhas e mãos

Sérum, hidratante e base. Não, esta não é uma lista de skincare e maquiagem, são produtos para um tratamento personalizado das unhas. Afinal, elas também ficam expostas aos fatores externos e demandam cuidados especiais, assim como a pele. Para manter as mãos impecáveis, Mavala, marca líder mundial em nail care, traz um coffret especial com os seus produtos mais desejados.

Mavala’s Secrets Gift Box reúne seis produtos essenciais para uma rotina de cuidados com as mãos e unhas, resultando em uma manicure perfeita e bem-sucedida. O kit ainda conta com um descritivo para cada etapa e recomendação sobre o melhor uso dos best sellers da marca suíça.

Conheça os produtos que estão nesta caixa especial, uma boa opção para presentear as mães:

• Cuticle Remover (5ml)
Sua fórmula tixotrópica amolece, em uma única aplicação, as cutículas para que elas sejam empurradas cuidadosamente, para remoção da pele morta, resultando em um contorno limpo e perfeito.
• Mavala Scientifique K+ (2ml)
Endurecedor de unha sem formol, esta solução líquida penetra e sela as 3 camadas da unha, evitando que se quebrem ou descamem.
• Mavala 002 (5ml)
É uma base com dupla função, que protege a superfície da unha dos pigmentos contidos nos esmaltes, evitando seu amarelamento, e protege de choques ou qualquer fator externo.
• Colorfix (5ml)
Fixador de esmalte reforçado com acryl, que forma uma película brilhante, protetora e elástica, promovendo a longa duração do esmalte e extra brilho.
• Oil Seal Dryer (5ml)
Com ação rápida e eficaz, Mavala Oil Seal Dryer seca seu esmalte enquanto nutre e hidrata suas cutículas, ajudando na durabilidade de sua manicure.
• Hand Cream (30ml)
Hidratante para uso diário em mãos secas, danificadas ou para aquelas que gostam de se proteger. O creme traz colágeno marinho, que hidrata; alantoína, que acalma e cura; aminoácidos e óleos emolientes, que nutrem e protegem a pele.

mavala

Preço sugerido: R$ 485,81

Onde encontrar:Beleza na Web /Época Cosméticos