Arquivo da tag: vinho

Vinho Casa Rossa Licoroso Rosado leva ouro em premiação

Union Distillery estreia no Brazil Wine Challenge com premiação conferida por júri técnico

O Casa Rossa Licoroso Rosado, elaborado pela Union Distillery Maltwhisky do Brasil, destilaria instalada no Vale dos Vinhedos e aberta ao turismo, acaba de ser reconhecido com Medalha de Ouro no 10º Brazil Wine Challenge, realizado de 13 a 15 de outubro, em Bento Gonçalves, numa promoção da Associação Brasileira de Enologia (ABE).

Foto: Augusto Tomasi

O concurso, único do Brasil com chancela da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) e da União Internacional de Enólogos, reuniu 774 amostras de 16 países. Entre os rótulos, 16 destilados e espirituosos, cabendo ao Casa Rossa Licoroso Rosado a distinção de Medalha de Ouro.

“A conquista é o reconhecimento de todo trabalho e dedicação para engarrafar uma bebida que simboliza a colheita. Afinal, somos especialistas em whisky e ao elaborar vinhos licorosos estamos prestando uma homenagem ao Vale dos Vinhedos que nos acolheu de braços abertos. Estamos muito felizes e compartilhamos com todos nossos clientes, visitantes e apreciadores este prêmio”, destaca o diretor executivo da empresa, Luciano Borsatto.

A Union Distillery tem mais de 70 anos de experiência, atuando na destilação de mal whisky e elaboração de bebidas. Com a unidade instalada no Vale dos Vinhedos, aberta ao turismo, a empresa resolveu ir além do whisky e lançar dois rótulos de vinhos licorosos na linha Casa Rossa: Casa Rossa Licoroso Tinto e Casa Rossa Licoroso Rosado. “Não poderíamos estar no Vale dos Vinhedos sem oferecer uma bebida feita a partir da uva. Afinal, nossa história começou elaborando vinhos”, relata Borsatto.

A Union Distillery tem mais de 70 anos de existência, atuando na destilação de malte whisky e elaboração de bebidas. Com a unidade instalada no Vale dos Vinhedos, aberta ao turismo, a empresa resolveu ir além do whisky e lançar dois rótulos de vinhos licorosos na linha Casa Rossa: Casa Rossa Licoroso Tinto e Casa Rossa Licoroso Rosado. “Não poderíamos estar no Vale dos Vinhedos sem oferecer uma bebida feita a partir da uva. Afinal, nossa história começou elaborando vinhos”, relata Borsato.

O produto

O Casa Rossa Licoroso Rosado é um vinho fortificado, elaborado a partir de uvas brancas aromáticas, envelhecido em barris de carvalho ex-whisky. Fruitivo, refrescante e leve, é delicioso quando servido levemente frio. Sua coloração lembra o âmbar evoluído com nuances douradas. É frutado com toques de abacaxi em calda, frutas vermelhas maduras e floral cítrico, além de damasco, baunilha, caramelo, tosta e uma presença sutil de notas terrosas e especiarias. Na boca, apresenta paladar doce e frutado, com taninos macios e persistentes. Tem boa estrutura de boca com frescor de uvas brancas aromáticas. A graduação alcoólica é de 18%.

Informação: Union Distillery

Plataforma Eniwine oferece entregas em minutos na cidade de São Paulo

Eniwine Fast lança serviço de entrega rápida

A mais completa plataforma digital de vinhos traz uma novidade aos amantes desse universo: o Eniwine Fast, um serviço de entrega em minutos para regiões da Grande São Paulo. A Eniwine já tem disponíveis mais de 50 rótulos nesta modalidade, número que está aumentando dia a dia.

O novo serviço ocorre diariamente, de segunda à sexta, das 10 às 21 horas, aos sábados entre 11 e 22 horas e, aos domingos e feriados, das 11 às 15 horas. Os prazos de entrega são de até 60 minutos para os bairros mais próximos ao Centro de Distribuição que fica no bairro Chácara Santo Antônio, ou em até 150 minutos nos pontos mais afastados, uma vez que o serviço se estende até as regiões distantes 40 km, caso de Santana de Parnaiba, Mairiporã, Guarulhos, São Bernardo e Zona Leste Paulista para citar algumas.

Já os valores das entregas variam entre R$ 18 e R$ 48, e são referentes as entregas de até quatro garrafas. Caso o pedido ultrapasse esse número, será cobrado R$ 3 por garrafa adicional, até o máximo de 12 unidades. Acima de 12 garrafas, um novo cálculo será gerado.

Informações/vendas: Eniwine Fast

Edega faz parceria com a Rappi para entrega imediata

Seleção especial de vinhos da loja Edega está disponível no app, com entrega imediata para a região dos Jardins e arredores

Deu vontade de tomar um vinho e está sem aquele rótulo que pode harmonizar com o prato que está fazendo? Então, agora, é possível ter acesso imediato a uma parte do catálogo da Edega a um clique: a parceria com a Rappi possibilita que os vinhos sejam entregues rapidamente para endereços na cidade de São Paulo localizados a um raio de 7 Km do escritório da empresa, na Avenida Brigadeiro Faria Lima. Isto significa que moradores dos bairros do Itaim, Jardins, Morumbi, Vila Nova Conceição, Vila Olímpia, entre outros, podem pedir – através do app no seu smartphone – alguns dos rótulos selecionados que estão na plataforma.

A Edega tem um portfólio rigorosamente selecionado pelo seu fundador, o empresário francês Philippe de Nicolay Rothschild, membro de uma das mais tradicionais famílias de produtores da França, o Chateau Lafite. A loja virtual oferece uma variedade de vinhos de regiões inusitadas, além de uma ampla seleção de produtos orgânicos, biodinâmicos e naturais, seguindo uma forte tendência mundial pelo consumo dessas categorias. Pelo site, o consumidor encontra mais de 240 rótulos de vários países, como França, Chile, Argentina, Espanha, Itália e Portugal, de renomados produtores, alguns dos quais entre os melhores do mundo em suas categorias.

No app da Rappi é possível encontrar cerca de 20 vinhos selecionados para entrega imediata. Veja alguns rótulos:

• Los Vascos Rosé 2018 (R$ 145,00)
• Secret Reserva Brut Nature NV (R$ 185,00)
• Dominio de Fontana Tempanillo-Syrah 2017 (R$ 125,00)


• Aussières Renaissance Chardonnay 2018 (R$ 145,00)
• Chateau du Cedre 2011 (R$ 228,00)
• Flor de Maio tinto 2016 (R$ 99,00)


• Reserve Spéciale Bordeaux Rouge 2017 (R$ 195,00)

Edega na Rappi – Cerca de 20 rótulos para entrega imediata em alguns bairros de São Paulo
Atendimento: todos os dias, das 10h00 às 20h00, inclusive feriados

Maior vitrine on-line de vinhos do Brasil conta com 2.000 rótulos disponíveis

Site da Eniwine tem mais de 12 mil rótulos para consulta sempre com novidades para os enófilos

A Eniwine, maior plataforma digital brasileira de serviços para os amantes de vinho, acrescentou novidades a sua vitrine. Agora, são 2.000 rótulos de vinhos de diversos parceiros – entre produtores, importadores e lojistas, disponíveis para compra no ecommerce. O site da Eniwine é cheio de diferenciais, já que não exibe apenas os vinhos que estão à venda, mas também um catálogo que conta com mais de 12.000 rótulos, uma base de dados que só vem aumentando. Segundo Marcelo Abrileri, idealizador, fundador e CEO da empresa, o foco é alcançar em breve 1 milhão de rótulos.

Além do aplicativo, o usuário pode acessar as listas de vinhos pelo navegador do desktop, através dos filtros de buscas da vitrine digital. Para facilitar esse processo, a Eniwine disponibiliza o Digital Sommelier, uma inteligência artificial que aprende e personaliza o gosto de vinho do cliente com base em avaliações anteriores. Com isso, sugere notas que o usuário daria para vinhos que ele ainda nem experimentou, ajudando na escolha dentre os 2.000 rótulos. “O papel da Digital Sommelier é descobrir o estilo de vinho que você gosta, para evitar erros na compra e que seja um vinho que realmente agrade”, comenta Abrileri.

Aproveitando os novos rótulos do catálogo, a Eniwine sugere alguns vinhos, como o Los Intocables Black Malbec, um tinto encorpado da Argentina; o Bouza Sin Barrica Tannat, tinto de rubi intenso e profundo do Uruguai – região Montevidéu; e por fim o espumante Ferrari Maximum Brut da Itália, ideal para acompanhar peixes e frutos do mar. Vale ressaltar que os associados do Clube de Vinhos da Eniwine têm descontos e opções de preço especiais.

A vitrine fica na página inicial do site, que oferece diversos filtros por tipo, preço, país, região, safra e outras características e informações dos rótulos, e também os filtros “disponíveis” e “indisponíveis” que mostram os vinhos que estão ou não estão à venda na plataforma.

Informações: Eniwine

Conheça a diferença entre os salames e aprenda a harmonizá-los com vinhos

Com sabores fortes e marcantes, cada tipo de salame deve ser apreciado com vinhos diferentes para garantir a melhor experiência na degustação

O salame é uma iguaria de origem italiana, que vai muito bem em sanduíches, tábuas, petiscos, patês e até mesmo em pratos quentes, como tortas, quiches, massas e risotos. É um produto curado, feito geralmente com carne suína e toucinho. Há disponível no mercado boa diversidade de salames e a Hans, marca de frios e embutidos preparados com receitas de origem alemã, ensina as diferenças entre os salames e como harmonizá-los com os vinhos mais adequados.

Além do calibre, ou seja, a espessura do produto, o diferencial está na qualidade da carne empregada, que irá impactar diretamente no sabor. Além disso, o tempo de cura, maturação e adição de temperos específicos dão origem aos tipos de salames. Os mais comumente apreciados são os salames italiano, hamburguês e pepperoni.

Conheça as diferenças e aproveite o melhor da experiência gastronômica, com o acompanhamento de um bom vinho:

Salame Italiano Hans: produzido com paleta suína, carne de alta qualidade e saborosa, e toucinho lombar, uma gordura mais firme, que não derrete facilmente. Leva temperos típicos da culinária alemã, como kümmel e páprica, além de vinho tinto. Com maturação prolongada, que leva até 40 dias, ainda passa por rápida defumação no início da fermentação. É um produto com muito sabor e ótima acidez. É recomendado o acompanhamento por um vinho com boa acidez e doçura equilibrada, como o Lambrusco ou até mesmo o Moscatel. Os espumantes harmonizam bem com sabores mais salgados, pois, além da acidez, contam com o gás carbônico, que ajuda a limpar o palato do sal e abrem o apetite. O espumante Brut, o preferido do brasileiro, também harmoniza muito bem, ainda que perca a doçura do Moscatel, equilibrada pelo sal do salame.

 

Freepik

Salame Hamburguês Hans: é preparado com paleta suína e toucinho, assim como o Italiano. O seu tempero característico é a pimenta preta em grãos, que é aromática e saborosa. Apresenta alto rigor e controle nas etapas de cura e maturação, que são etapas fundamentais para deixar o salame com textura mais macia e levar mais sabor. É defumado naturalmente e possui tempo de preparo longo, entre 30 e 40 dias.
Para esse tipo de salame são recomendados os vinhos espumantes, como o Moscatel e Brut. A harmonização com vinho branco seco produzido com as cepas Reislin resultam em uma experiência completa. Os vinhos produzidos com estas duas castas, originárias da Alemanha, Áustria e Alsácia (França) são muito aromáticos, com notas de frutas cítricas e flores, e têm bastante acidez. Pela adição da pimenta preta e da defumação, o salame hamburguês é bem aromático e seu sabor é valorizado por estes vinhos brancos, leves e perfumados.

Pepperoni Hans: é preparado com paleta suína e toucinho, assim como o Italiano e o Hamburguês. Sua característica mais marcante é a presença da páprica, que deixa o produto com cor avermelhada e com sabor picante. O seu tempo de preparo é de até 40 dias. Neste caso, a harmonização com melhor efeito é com o vinho tinto produzido com a casta Pinot Noir, que resulta em tintos leves, com boa acidez e taninos macios, o que torna os vinhos muito gastronômicos, fáceis de harmonizar com alimentos mais aromáticos, como o Salame Pepperoni.

Agora que você já conhece as diferenças entre os salames e a melhor harmonização possível com vinhos, a experiência gastronômica está garantida.

Fonte: Hans

Avaliação Nacional de Vinhos deste ano será on-line

Pela primeira vez na história, a maior degustação de vinhos de uma safra não será presencial, com transmissão nos canais da ABE, podendo ser acompanhada no mundo inteiro. Apreciadores poderão adquirir kits para degustar as 16 amostras

“A Safra das Safras não poderia passar em branco. Assim como o mercado de vinhos precisou se reinventar, a Avaliação Nacional de Vinhos Safra 2020 seguirá outro modelo em razão da pandemia. O processo técnico é o mesmo, mas a experiência final será totalmente diferente. Não teremos a confraternização presencial, mas apostamos num grande movimento de promoção do vinho brasileiro e num programa que deverá surpreender o público. Vamos fazer um espetáculo digital e todos poderão assistir”, destaca o presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), enólogo Daniel Salvador.

Além de poder acompanhar a transmissão ao vivo pelo Facebook, Instagram e Youtube da ABE, no dia 7 de novembro, a partir das 17 horas, os que desejarem também poderão adquirir o kit com as 16 amostras representativas da Safra 2020. Assim, será possível, além de assistir, degustar em casa, no aconchego do lar e em companhia, os vinhos classificados entre os 30% da safra. Os 700 kits estarão à venda desde o dia 23 de setembro pelo site.

Cada kit contem 16 garrafas baby (187 ml), o que permitirá que a amostra seja degustada por duas pessoas. O conjunto inclui, ainda, duas taças personalizadas de cristal para vinho, além das Fichas de Degustação e da Revista Brasileira de Viticultura e Enologia. O envio será feito pela ABE por transporte privado. Todo material será embalado numa caixa personalizada de papelão com isopor para melhor acondicionar as garrafas, todas com rótulo do evento e devidamente identificadas.

Entre as mudanças desta edição também está o local e o horário. Todo cenário será montado no SPA do Vinho, no Vale dos Vinhedos, única região do Brasil com Denominação de Origem de vinhos. Para explorar a beleza do lugar e também oportunizar maior comodidade em relação a participação das pessoas em suas casas, o evento deixa de ser de manhã e passa a acontecer a partir das 17 horas, excepcionalmente este ano.

Amigos do Vinho Brasileiro em ação

Esta grande mudança no formato do evento passa também por uma mobilização nacional que vai envolver todos os comentaristas que já participaram da Avaliação Nacional de Vinhos, convidados a se engajar e levar a Avaliação para seus amigos virtuais e seguidores. Para isso, a ABE está enviando para cada um deles, um teaser ‘Eu já descobri o meu vinho, e você?’ para mídia social que poderá, espontaneamente, ser utilizado pelos comentaristas em suas redes sociais.

Em 27 edições, foram mais de 400 comentaristas entre enólogos, médicos, sommeliers, jornalistas, celebridades e enófilos. Assim, a estratégia quer levar o evento para todo o Brasil, quiçá para o mundo. O conteúdo também pode ser postado por todos que já viveram a experiência única de estar na Avaliação e deseja compartilhar com seus amigos.

“Cada comentarista, cada apreciador, cada jornalista que já participou deste grande momento do vinho brasileiro foi fundamental para a construção da imagem de um setor tão apaixonante. Por isso, convidamos todos a se envolver e ajudar outras pessoas a descobrir o vinho brasileiro”, convoca o presidente.

A Avaliação

A 28ª Avaliação Nacional de Vinhos iniciou com a inscrição das amostras pelas vinícolas brasileiras. Este processo começou em julho e encerrou em agosto batendo recorde com 396 amostras de 56 vinícolas. A fase seguinte foi a coleta dessas amostras, realizada no período de 24 de agosto a 4 de setembro. Técnicos da Embrapa Uva e Vinho e da ABE rodaram o Brasil recolhendo os vinhos diretamente dos tanques de aço inox ou das barricas de carvalho. Teve amostra que percorreu mais de 3 mil km até chegar em Bento Gonçalves.

Em seguida veio a Degustação de Seleção, sob a Coordenação Técnica da Embrapa Uva e Vinho, realizada entre os dias 15 e 18 de setembro. O número de dias diminuiu, mas as degustações ocorreram em dois turnos: manhã e tarde. Em razão do novo coronavírus, ao invés de 120 foram 64 enólogos. Além disso, todos os protocolos de segurança foram seguidos, inclusive com o devido distanciamento. Em razão do formato digital e da megaoperação montada para que as amostras chegassem em tempo à casa das pessoas, a coleta e a Degustação de Seleção foram antecipadas.

 

Casamento perfeito: vinho e risoto

Especialista dá dicas de vinhos ideais para serem harmonizados com o clássico da gastronomia italiana

Nada melhor do que agradar as pessoas que gostamos. Uma maneira fácil e prática de conseguir isso, é com a gastronomia. Que tal apostar em um belo e versátil risoto, um clássico italiano, para conseguir uns pontinhos com aquela pessoa especial? Afinal, o jeito mais fácil de tocar no coração de alguém, é por meio do estômago.

O risoto pode ser servido como entrada em pequena quantidade, como prato principal ou ainda como acompanhamento de carnes. Além disso, a versatilidade permite que ele seja harmonizado com diversas bebidas, principalmente um vinho de qualidade. De acordo com Abel Blumenkrantz, executivo da Garage Vinhos, vinhos e risotos harmonizam tão bem que formam o “casal” perfeito da gastronomia.

Risotto alla milanese – Dreamstime

No Brasil, os risotos mais conhecidos são o Risotto alla Milanese (risoto milanês), o Risotto com Funghi (risoto ao funghi) e o Risotto al Quattro Formaggi (risoto aos quatro queijos). Alguns ingredientes são indispensáveis para a receita, entre eles o arroz dos tipos arbório, arbório integral, carnaroli ou vialone nano, caldos aromáticos, cebola, manteiga, vinho e queijo.

Mas na hora da harmonização, qual é o vinho ideal para cada risoto? Para Abel, os ingredientes do preparo irão definir essa escolha. “Os ingredientes utilizados no risoto é que vão determinar qual o melhor vinho para a harmonização. Antes de escolher a bebida, é fundamental prestar atenção nas peculiaridades do preparo. Como o risoto é muito versátil, o leque de vinhos para harmonização também é muito grande”, comenta.

Segundo o especialista, os vinhos brancos e rosés costumam acompanhar muito bem risotos preparados com ingredientes leves. “Se você for fazer um risoto com legumes ou frutos do mar, os brancos e rosés são um complemento perfeito”, explica. “Mas as receitas com carne, linguiça, cordeiro ou carne de caça, precisam de um vinho com mais intensidade. Daí eu sugiro a harmonização com tintos leves”, completa Abel.

Confira algumas dicas especiais do especialista:

• Risoto de frutos do mar, com mexilhões, lulas e ou polvo.
Vinho: Casas del Toqui Reserva Sauvignon Blanc
Tipo de uva: Branca
Uva: Sauvignon Blanc
Origem: Chile

• Risotos de filé mignon, com funghi, carne seca e ou linguiça
Vinho: Casa Scarpa
Tipo de uva: Tinta
Uva: Barbera D’Asti
Origem: Itália

• Risoto de queijo brie:
Vinho: Las Perdices Reserva Chardonnay
Tipo de uva: Branca
Uva: Chardonnay
Origem: Argentina

• Risoto de aspargos com presunto parma
Vinho: Espumante De Vergy Blanc de Blancs Brut
Tipo de uva: Brancas
Uvas: Ugni Blanc, Colombard, Chardonnay
Origem: França

Vinvino recebe vinho preferido da Madonna

O Villa Francioni Rosé, produzido na serra catarinense, é um vinho leve, delicado e fresco que agrada a todos os paladares com suas notas equilibradas e envolventes

Em 2009, em sua passagem pelo Brasil, Madonna foi apresentada ao Villa Francioni Rosé pelo sommelier de um renomado restaurante brasileiro. A diva pop gostou tanto da sugestão que, já no primeiro gole, questionou onde poderia comprar outra garrafa. Nascia assim a fama internacional do vinho rosé produzido pela vinícola catarinense.

Criado pelo enólogo Orgalindo Bettú, o vinho é um composto das uvas Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Merlot, Malbec, Sangiovese, Syrah, Petit Verdot e Pinot Noir. A embalagem foi desenvolvida por um designer francês que, ao provar o vinho, desenvolveu a embalagem exclusiva, longa e esguia para fazer jus às virtudes do rosé de Santa Catarina.

O vinho de coloração rosa salmão claro, produzido em São Joaquim, possui um aroma complexo de frutas, que lembra romã, pêssego e goiaba, floral com destaque para rosas, avivados por um leve toque cítrico. Ele é bastante equilibrado e envolvente e pode ser degustado com ostra, camarão grelhado e peixes com molhos delicados. Além disso, harmoniza muito bem com canapés em momentos descontraídos e festivos, principalmente em dias quentes.

O Villa Francioni Rosé tem teor Alcoólico de 13,2 %, o tempo de guarda é 3 a 5 anos e deve ser consumido preferencialmente de 8ºC a 10ºC. Na Vinvino, o Villa Francioni Rosé 750ml pode ser adquirido por R$ 95,98.

Informações:  além do site da VinVino, também é possível fazer a compra via WhatsApp (41) 98725-6329. O frete é grátis para Curitiba e região.

 

 

Sommelier Clara Phileto ensina receita de bebida alcoólica para os dias mais frios

A dica é uma receita com vinho quente perfeito para o inverno

O inverno chegou e nada melhor do que apostar em uma bebida quentinha para acompanhar esses dias mais frios, principalmente nesse momento de isolamento social. Pensando nisso a sommelier, influenciadora e advogada, Clara de Carvalho Phileto, ensina a receita de um delicioso de vinho quente que pode acompanhar os mais variados pratos.

Vinho quente

Ingredientes
1 garrafa de vinho tinto seco
1/2 xícara de brandy ou rum
2 xícaras de água
1 laranja
1 limão
1/2 xícara de açúcar
1 xícara de canela em pau
1/2 xícara de anis estrelado
1/3 xícara de cravos
Noz-moscada a gosto

Como fazer:
Numa panela em fogo médio, coloque o açúcar e a água. Junte as cascas do limão, laranja e o sumo da laranja. Adicione o cravo, as estrelas de anis, o pau de canela e a noz-moscada. Deixe ferver e coloque em fogo mais baixo durante mais ou menos uma hora para redução do líquido – isto permitirá liberar os aromas. Após este procedimento, acrescente um copo de vinho. Quando reduzir até uma espécie de xarope, baixe o fogo ao mínimo e junte a garrafa de vinho e o brandy/rum. Deixe borbulhar e mantenha quente por cerca de 5 minutos.

Atenção: quanto mais tempo deixar, mais o álcool se evapora.

Vinhos brancos encorpados são uma excelente pedida para dias mais frios

Com a chegada do inverno, vinhos brancos com maior estrutura harmonizam perfeitamente com um belo menu para esquentar seus dias mais frios

Uma máxima bem conhecida entre apreciadores de vinho é que os tintos são ideais para o inverno, assim como os brancos casam perfeitamente com o verão. Normalmente, vinhos brancos apresentam uma maior acidez e refrescância, combinando com dias mais quentes, enquanto que vinhos tintos, geralmente mais encorpados e pesados, de coloração mais intensa, associam-se melhor à gastronomia do inverno, que pede pratos mais robustos e reconfortantes.

Contudo, existem muitos vinhos brancos que são ideais para dias mais frios, sim. Por serem mais encorpados e com maior estrutura, tornam-se pares ideais para um menu de inverno ou mesmo para uma degustação solo.

O sommelier Jonas Martins, responsável pelo portfólio de vinhos da MMV Importadora, de Curitiba, diz que o segredo para um bom vinho branco encorpado está na uva selecionada e no processo de fermentação e envelhecimento desse vinho.

“Para um bom vinho branco mais presente, é necessária uma uva com maior estrutura que suporte o envelhecimento e maturação deste vinho. Assim, a uva Chardonnay acaba sendo a escolha ideal para um vinho branco mais encorpado”, explica Martins.

De acordo com o especialista, o fato da Chardonnay ser uma uva de maior estrutura e de propriedades químicas mais ricas faz com ela seja mais encorpada e tenha maior presença na boca. Isso permite que os sabores do vinho permaneçam no paladar, mantendo sua presença. Uvas mais leves, como a Pinot Grigio, permite um vinho mais refrescante, com sabor tendendo ao cítrico, porém com baixa ou pouco persistência em boca.

Essa maior estrutura também faz da Chardonnay uma uva branca apta ao envelhecimento, aceitando muito bem o processo realizado em barris de carvalho, por exemplo. Isso confere ao vinho um sabor exclusivo, pois ao entrar em contato com o tanino existente na madeira, novos aromas e sabores emergem. O barril também permite que o vinho “respire” durante seu envelhecimento, acrescentando maciez ao paladar.

viapianoChar

O portfólio de vinhos da MMV apresenta bons exemplares de Chardonnay encorpados. O Viapiana Chardonnay, vinho brasileiro produzido em Flores da Cunha – RS, apresenta aromas de nozes, chocolate branco, flor de eucalipto, abacaxi e caldas de frutas. É seco e untuoso ao paladar, deixando uma nota de amanteigado ao final.

intrigoCHar

O Inserrata Intrigo Chardonnay é um vinho orgânico produzido na Toscana, Itália. Produzido com a técnica sur lie, quando o vinho é amadurecido em contato com as borras das casca das uvas, o Intrigo passa 4 meses por filtragem em peneira grossa. O vinho é extremamente frutado, com notas de manga, abacaxi, framboesa e gengibre, sendo volumoso a boca e de final alongado.

fortunaChard

A MMV também possui uma linha própria de vinhos, produzidas no Chile em parceria com vinã Requingua. Lá é feito o Fortunatus Reserva Especial Chardonnay, vinho que conta com a participação do sommelier na produção. “Buscamos atender ao paladar do brasileiro para vinhos com o Fortunatus, com muita qualidade, porém com preço acessível e agradável a boca”, afirma Martins.

O Fortunatus Chardonnay tem aroma frutado, toques de baunilha e nozes tostadas, sendo bastante cremoso na boca, macio e de final longo. Ele é envelhecido por seis meses em barris de carvalho francês.

Harmonização

Os vinhos Chardonnay encorpados harmonizam perfeitamente com queijos semiduros com sabores amendoados, como o emmental, gouda, edam. Peixes com um teor de gordura maior, como o salmão, bacalhau e tainha casam perfeitamente com vinhos de maior acidez e presença, em uma combinação de texturas muito agradável ao paladar.

Informações e vendas: MMV