Arquivo da tag: vinhos

Vila Don Patto oferece experiência da colheita de uvas durante o final de semana

Os visitantes serão acompanhados por funcionários que orientarão os melhores cachos. As variedades plantadas são os tipos Niágara branca e rosada, Nubia, Rubi, Isis e Itália

Neste fim de semana, dias 16 e 17 de janeiro, quem for à Vila Don Patto, complexo enogastronômico localizado em São Roque, a 65 km de São Paulo, terá a chance de viver uma experiência deliciosa: a partir do meio dia está liberado colher as uvas dos tipos Niágara branca e rosada, Nubia, Rubi, Isis e Itália que, desde o final de dezembro, dão cor e aroma ao parreiral.

A colheita acontece um ano após a retomada do plantio de uvas não viníferas, e será orientada por funcionários da Vila Don Patto, que indicarão a forma correta do corte e quais os melhores frutos. Não é necessário agendamento prévio: basta pedir pela experiência diretamente na Adega. Cada pessoa levará para casa uma caixa de uva com cerca de quatro cachos da fruta por R$ 20,00.

“Esta colheita é muito simbólica e importante porque há um século a minha família plantou a primeira uva aqui em São Roque”, conta Tulio Patto, diretor geral da Vila. “Cem anos depois, nós reavivamos a tradição por meio das mudas plantadas e que agora trazem cores e aromas para toda a Vila. E por que não compartilhar isso tudo com nossos visitantes?!”, aponta Tulio.

O parreiral tem 1000m² com espécies cultivadas para consumo e fabricação de sucos integrais. “Temos planos de, em breve, ter o plantio de uvas viníferas e retomar a produção de vinhos, renovando a história da minha família”, explica Túlio.

Vila na Fase Laranja

Seguindo todas as recomendações sanitárias do governo do estado de São Paulo durante a Fase Laranja no combate à pandemia do novo coronavírus, a Vila Don Patto está aberta de terça a domingo, com o horário de fechamento antecipado para às 20h, e com a limitação de público em 40%. Na gastronomia, o Café e Grelhados e o Restaurante Português oferecem as melhores opções para almoço, cafés e lanches. A Adega também permanece aberta ao público em geral, com rótulos variados, produtos de empório, massas artesanais produzidas no local e outras delícias.

Há também uma Loja de Artesanato para quem desejar levar uma lembrança da Vila ou um mimo para presentear alguém. Outras atrações são a Sorveteria, em parceria com a marca Quero Quero Sorvetes – referência em gelattos tradicionais e Premium da região -, a uma filial da Maison de La Bière, que fica parte alta do complexo, proporcionando uma vista perfeita para apreciar cervejas de rótulos de vários lugares do mundo, além de produções locais.

Para as crianças, além dos menus infantis e sorvetes disponíveis, há ainda Espaço Kids, em área aberta, com diversos brinquedos para elas.

Informações: Vila Don Patto

Especialista dá dicas de vinhos para Ceia de Fim de Ano

Combinação da bebida com diferentes pratos exige atenção. Se bem selecionados, os vinhos podem fazer com que receitas tradicionais de Natal e Ano Novo fiquem ainda mais saborosas

A harmonização está em alta e, entre bebida e comida, sempre foi um assunto importante, principalmente em ocasiões especiais. E com a proximidade das comemorações de fim de ano, Natal e Ano Novo, o banquete deve ser regado a vinho. Desta forma, os pratos tradicionais servidos nas célebres ceias desta época podem ganhar um novo paladar se acompanhados por rótulos bem escolhidos para essa experiência. 

Como harmonizar?

Freepik

As dicas para harmonização são do especialista em vinhos, Marcelo Copello, que observa cada ingrediente das receitas tradicionais para sugerir as combinações. “A harmonização pode ser uma experiência incrível quando bem executada e um desastre, caso alguns elementos não sejam observados”.

Neste caso, Copello, que também é curador da Talk Wine (primeira startup dedicada à degustação virtual de vinhos), faz algumas recomendações, porém com ressalvas. “Carne bovina quase sempre combina com vinho tinto. As aves vão bem com branco, mas dependendo dos ingredientes do molho, a harmonização pode levar para o tinto. O mesmo vale para peixes, que combinam com vinho branco, mas podem ser servidos com tintos, como é o caso do salmão, atum e bacalhau. Em todos esses casos deve-se observar a composição das receitas e itens mais fortes como azeitona, tomate etc”, explica. 

Itens a observar na harmonização

Existem regras básicas que são muito úteis para a harmonização. Porém, elas sozinhas não são o suficiente. É preciso analisar cada item, dissecar as receitas. De modo geral as harmonizações seguem alguns conceitos como contraste ou semelhança.

No contraste, há elementos que se contrapõem, como acidez e gordura. Na semelhança podem ser observadas características similares, o que é ideal para sobremesas, onde há dulçor e corpo em complemento.

Indicação de Vinhos

Para o chester de Natal com molho de laranja, a indicação é um Chardonnay barricado do novo mundo, um vinho branco, com características cítricas, que acompanha o molho de laranja.

A bacalhoada portuguesa pede um clássico português: Marques de Borba Vinhas Velhas. O tinto, equilibrado e com taninos arredondados, vai bem com pratos intensos. 

O Peru de Natal com marinado de ervas vai bem com o Terre Natuzzi Chianti DOCG Reserva, tinto com paladar macio e frutado.

Se sua opção for um lombo defumado com bacon, vale investir no italiano Costa Arènte Ripasso della Valpolicella DOC. 

Para o agridoce Tender Califórnia (com abacaxi), Copello recomenda um Riesling alemão, vinho branco, elegante, pouco alcoólico e aromático.

Um salmão assado com alcaparras combina com o Cool Coast Sauvignon Blanc, vinho branco chileno com acidez firme e equilibrada, que apresenta forte presença mineral e final longo.

A clássica receita de carne assada, lagarto ao molho madeira, pede um tinto intenso como chileno Quinta Generación Tinto.

Para os veganos, um antepasto de berinjela, que harmoniza com o português Duorum Colheita Douro DOC, tinto que tem taninos firmes e aromas intensos, trazendo potência à refeição. 

Na hora de degustar um panetone, a dica é um espumante Moscatel brasileiro

E o tradicional pavê vai bem com um encorpado Vinho do Porto tipo LBV

Todos esses rótulos indicados por Copello podem conferir uma combinação perfeita para as receitas mais tradicionais das festas de fim de ano. E a boa notícia é que alguns dos vinhos estão disponíveis para compra no site, que além de degustações virtuais, comercializa os produtos de forma individual.

Maison GH Mumm lança novidades para o verão e grandes comemorações

Packs comemorativos com GH Mumm Grand Cordon e o novo GH Mumm Olympe Gold, o grande lançamento da Maison para o verão, já estão disponíveis

Vanguarda, estilo, qualidade, ousadia, tradição. Tomaria muitas linhas enumerar tantos atributos do champagne líder em mercado na França. Estamos falando de GH Mumm, marca mais que lembrada e icônica, e aliada à grandes eventos esportivos, celebrações, e presente nas boas mesas da gastronomia mundial.

Sempre surpreendendo, e se superando, a Maison acaba de anunciar seu mais novo lançamento: o champagne GH Mumm Olympe Gold, que promete ser um ícone neste verão, podendo ser degustado com gelo. O nome e design da garrafa prestam homenagem ao atleta Usain Bolt e suas medalhas olímpicas.

Não poderia faltar a icônica fita vermelha no vidro, produzida em colaboração com o designer Ross Lovegrove. Cria-se aqui, portanto, um novo terreno, para revelar a essência da Pinot Noir e seus atributos de elegância, presença marcante nos blends clássicos da Maison, figurando ao lado da Chardonnay e Meunier, para dar o toque floral e frutado únicos.

Destaque para a cor amarelo-dourado intenso, com perlage vivo e reflexos âmbar. No nariz, aromas frutados de pêssego, compota de pera, geleia de frutas e tentadoras notas de mel, pão de gengibre, patisserie, brioche e frutas secas. Na adega, está pronto para beber, ao ser comprado, mas tem poder de guarda por mais alguns anos, permitindo revelar mais intensidade de frutas secas.

GH Mumm Olympe Gold é par perfeito para sobremesas e harmoniza bem com sabores agridoces da cozinha tailandesa ou indiana. Também orna bem com queijos fortes como Roquefort, e outras variedades azuis, Munster, nozes, tâmaras e figos secos, tarte tatin ou bolo com ganache de chocolate. Preço sugerido: R$ 439,30.

Outro belo presente para causar o efeito “wow” ou para figurar nas festas de fim de ano é o pack de GH Mumm Grand Cordon – a mítica garrafa criada com a faixa vermelha prestando homenagem à Legion D’Honneur – com duas taças, ao preço de R$ 387,90.

O champagne se destaca por frutas maduras intensas, baunilha e caramelo, mas com frescor e personalidade. Sua composição inclui 45% de Pinot Noir (para ganhar força e estrutura) 25 % de Meunier (para conferir leveza e sabor frutado) e 30% de Chardonnay (para garantir mineralidade e elegância). É envelhecido por 20 meses, repousando na adega da Maison.

Champagne Real

Paixão por excelência, inovação e o caráter disruptivo da Maison – (foi a primeira a entregar seu champagne com drones em 2016, e criou uma versão para ser tomada no espaço – sim, no espaço!!) – remontam à data de sua criação em 1827, atributos vivos e perenes, mantidos pelo atual Master Cellar, Laurent Fresnet.

Como não ter, portanto, este lendário champagne nas festas e comemorações de fim de ano? Aliás, lembrando que acabou de estrear no streaming a quarta temporada da aclamada série The Crown, vale destacar que este lendário champagne leva o prestigiado selo By Appointment of Her Majesty The Queen, e portanto, mergulhar nas intrigas palacianas com uma bela taça de GH Mumm vem a calhar.

As bebidas são encontradas no site Drinks And Clubs.

Espumantes Saint Tropez: um convite da Vinícola Góes para brindar a vida

A linha de espumantes Saint Tropez é elaborada com uvas viníferas: Moscato, Chardonnay e Cabernet Franc cultivadas 100% em solo brasileiro com aroma, cor e paladar surpreendentes

Nas festas de fim de ano em 2020, a tradicional troca de presentes e comilança podem passar por adaptações, mas um bom espumante para comemorar a vida e torcer por dias melhores não pode faltar.

Os apreciadores de espumantes podem contar com a excelência e experiência de mais de 80 anos da Vinícola Góes para compor sua Ceia de Natal e Réveillon, com bebidas leves, de notas frescas e elegantes. Conheça os detalhes das variadas opções Saint Tropez:

Espumante Moscatel Rosé Saint Tropez

Elaborado com uvas da variedade Moscato Hamburgo e Moscato Italiano, cultivadas na região da Serra Gaúcha, fermentado em tanques de aço inoxidável hermético (Processo Asti) à baixa temperatura, com leveduras selecionadas específicas para que o produto preserve os aromas primários das variedades. O espumante tem graduação alcoólica de 7,5%vol, ideal para ser servido de 6ºC a 8ºC.

Apresentado na lindíssima coloração rosé, com leves tons de cereja, o Moscatel Rosé Saint-Tropez tem aspecto límpido e brilhante, com bolhas finas e persistentes. Com aroma intenso, porém fresco, notas florais e frutadas, que lembram mel e frutas, este espumante pode ser um agradável presente pra quem prefere no paladar uma sensação leve e doce. Pode ser harmonizado com sobremesas como: fondue de chocolate, tiramisu e torta de maçã.

Espumante Moscatel Saint Tropez

Elaborado com uvas da variedade Moscato, cultivadas na região da Serra Gaúcha, fermentado em tanques de aço inoxidável hermético (Processo Asti). Deve ser servido a de 6ºC a 8ºC e tem graduação alcoólica de 7,5%vol. Ótima opção de harmonização com carne suína com geleia, doces e sobremesas.

Moscatel de aspecto límpido e brilhante, bolhas finas e persistentes, tem a tonalidade amarelo-esverdeado clara. Com notas florais e frutas tropicais, pêssego e maçã verde, este espumante de aroma intenso, porém fresco, pode agradar quem gosta de paladar equilibrado, com boa acidez, leve e doce.

Espumante Brut Rosé Saint Tropez

Elaborado a partir das variedades Chardonnay, cultivada em Divinolândia (SP), e Cabernet Franc, cultivada em São Roque (SP). Este espumante deve ser servido de 6ºC a 8ºC e tem graduação alcoólica de 12%. Harmonize com canapés, saladas de folhas e queijos, culinária japonesa, peixes grelhados e risotos leves.

Com delicada coloração Rosé, este límpido e brilhante espumante vai agradar quem prefere um paladar equilibrado com boa acidez, fresco e cremoso. No aroma, predominância de frutas vermelhas e frutas cítricas.

Espumante Brut Saint Tropez

Variedade Chardonnay cultivada em Divinolândia, SP. Elaborado através do método Charmat. Com graduação alcoólica de 12%vol, sugere ser servido de 6ºC a 8ºC.  Acompanha bem canapés, queijos suaves, peixes, frutos do mar e carnes grelhadas.

Neste Brut, destaca-se a tonalidade palha com reflexos esverdeados, com bolhas finas e persistentes. Com aroma intenso, porém fresco, notas de flores, frutas cítricas, maçã verde e pão torrado indicado para aqueles apreciadores de espumantes que gostam de paladar equilibrado com boa acidez, frescor e cremosidade.

A linha completa Saint Tropez, nome inspirado na badalada praia francesa, pode ser encontrada no site em versões de kit festa, com quatro produtos, em combinações ou garrafas individuais. Uma boa pedida para presentear quem aprecia a vida com a sofisticação do espumante.

Fim de ano: Edega tem vinhos para presentear, harmonizar e celebrar

E-commerce do PNR Group preparou uma seleção especial de vinhos para tornar as festas deste fim de 2020 e início de 2021 ainda mais alegres e acolhedoras

As festas de final do ano estão chegando e o vinho é sempre o principal protagonista destas celebrações, tanto para presentear como para estar à mesa no Natal e Réveillon. A Edega, e-commerce da importadora PNR Group, do empresário francês Philippe de Nicolay Rothschild, tem algumas sugestões que são certeiras para essas ocasiões. Acompanhe:

Vinhos para presentear, harmonizar e celebrar

Champagne Barons de Rothschild Brut 2010, com Estojo Luxo (R$ 895,00)

Champagne Barons de Rothschild Rosé Magnum, com caixa de presente (R$ 1.470,00)

Champagne Barons de Rothschild Blanc de Blancs 2006 (R$ 1.990,00)

Vinho tinto francês Epsilon, Hermitage 2009, com estojo exclusivo (R$ 2.094,00)

Vinho tinto espanhol Centum Vitis 2010 – Delux Box (R$ 1.515,00)


Vinho tinto italiano Pietranera Brunello di Montalcino Riserva 1999 magnum (R$ 1.999,00)


Caixa de colecionador Le Dix de Los Vascos, com seis safras distintas (1996-2014) e avental de couro (R$ 8.435,00)

Itens que são um presente

Vinho rosé francês Lampe de Méduse 2018 (R$ 295,00)


Vinho rosé francês Château Sainte Roseline Cuvée La Chapelle de Sainte Roseline (R$ 597,00)


Decanter de cristal Barons de Rothschild (R$ 995,00)

Harmonizações de fim de ano

O diretor de produtos da Edega, o especialista Cédric Grelin, dá algumas dicas de vinhos que vão potencializar a experiência à mesa:

“Para os amantes da tradição, o espumante não pode faltar: é uma bebida bastante versátil, leve, traz sensação de frescor e dispõe de uma acidez ilustre, sendo figurinha carimbada nas grandes festas. Aproveite para conhecer os excelentes Champagnes Barons de Rothschild ou o Cava Reserva Secret.

O vinho branco também é outro clássico importantíssimo. Nos lares amantes das festas de final de ano onde os frutos do mar, os peixes ou as aves sempre marcam presença, os vinhos brancos são ideais neste festival de paladares. Nossa dica é optar por um Chablis do Daniel-Etienne Defaix que tem a mineralidade e o corpo perfeitos para esses pratos.

Por fim, aqueles que são apaixonados por uma boa carne vermelha ou pratos mais encorpados, os vinhos tintos entram como um triunfo. Os mais leves como um Chinon Les Blancs Manteaux ou um Las Veletas País para as carnes magras, e os mais encorpados como um Pauillac Moulin de Duhart ou um Ribeira del Duero de Callejo para harmonizar perfeitamente com os pratos de sabor mais marcado”.

Edega: loja online de vinhos
Atendimento: de segunda a sexta, das 9h às 18h
Contato: 0800-7720158/ (11)3074-6868/ Whatsapp (11) 99919-0404
Email: contato@edega.com.br
Instagram: @edega_vinhos
*Frete grátis para compras a partir de R$ 300,00 para todo o Brasil

21 espumantes para receber 2021

Carregando as marcas Miolo, Terranova, Seival e Almadén, espumantes com diferentes terroirs atendem aos mais diversos estilos com preços que partem de R$ 20

2020 passou. Era para ter sido bem diferente, mas vem aí 2021 carregado de boas energias e com muita expectativa. Para celebrar a vida, a Miolo Wine Group, que há 25 anos elabora grandes espumantes, ampliou seu portfólio desta categoria passando a oferecer 21 rótulos. Frisantes, moscatéis, brut (charmat e método tradicional), além de Nature e Sur Lie. Tem espumantes para todos os estilos, momentos e bolsos.

A relação da vinícola com a elaboração de espumantes começou com o Miolo Cuvée há 25 anos. Para comemorar a data, a empresa não apenas lançou o Nature como também aproveitou para modernizar a linha, toda ela agora com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos, certificando a origem e a qualidade do produto sem pagar mais por isso. “O Miolo Cuvée tem um significado muito especial para a história da vinícola. Foi com ele que entramos nesse segmento. E conquistar a Dow para toda a linha nos enche de orgulho. A renovação também posiciona o produto em seu lugar de direito, com o merecido destaque”, salienta o enólogo Adriano Miolo, diretor superintendente da vinícola. Nessa trajetória, o Miolo Cuvée arrematou 47 prêmios em concursos internacionais.

Entre as novidades, destaque também para o ultra premium Miolo Millésime Brut 2017, cobiçado entre os amantes da bebida. Mas o líder de vendas, ‘queridinho’ do verão brasileiro é o Terranova Tropical Moscatel, que está totalmente remodelado, exibindo toda brasilidade que a estação mais quente do ano exige. Outro lançamento do ano é o Almadén Moscatel Rosé, elaborado pelo método Asti com uvas cultivadas no Vale do São Francisco. Ideal para sobremesa ou aperitivo, é um espumante leve e descontraído, com baixa graduação alcoólica, atraente na cor, nos aromas e na refrescância.

São 21 rótulos que vão de escolhas descontraídas até as mais sofisticadas. Tem espumante para todos os gostos. A diversidade está nos estilos e no preço, com opções que vão de R$ 20, como é o caso do Almadén Brut (Branco e Rosé) e Demi Sec, até chegar ao Íride Miolo Sur Lie Nature 10 Anos, a R$ 350. Tem espumante tropical, espumante que conquistou até a França e espumante com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos.

Os rótulos das marcas Terranova, Seival e Almadén, por exemplo, colocam na taça toda pluralidade que o Brasil esbanja com um excelente custo-benefício. Elaborados com uvas cultivadas no Vale do São Francisco, na Campanha Meridional e Campanha Central do Rio Grande do Sul, estes espumantes são ideais para celebrar. Fáceis de beber, carregam expressões dos três terroirs em assemblages com uvas como Chardonnay, Pinot Noir, Chenin Blanc, Sauvignon Blanc, Verdejo, Moscato, Grenache, Pinot Gris, Shiraz e Semillon.

Coleção de espumantes da Miolo Wine Group
Íride Miolo Sur Lie Nature 10 Anos

Miolo Millésime Brut

Miolo Millésime Brut Rosé
Miolo Millésime Brut 6l


Miolo Cuvée Nature
Miolo Cuvée Brut
Miolo Cuvée Brut Rosé
Miolo Cuvée Demi-Sec
Magnun Miolo Cuvée Brut 1,5l
Magnun Miolo Cuvée Brut Rosé 1,5l
Terranova Brut
Terranova Brut Rosé
Terranova Demi-Sec


Terranova Tropical Moscatel
Terranova Baby (Brut e Moscatel)
Almadén Brut
Almadén Brut Rosé
Almadén Demi-Sec

Almadén Moscatel Rosé
Seival by Miolo Brut
Seival by Miolo Brut Rosé

Informações: Miolo

Dicas de vinhos surpreendentes para presentear no Natal

MMV traz rótulos da argentina Bodegas Krontiras, que alia agricultura orgânica com o biodinamismo: forma de cultivo que garante produtos com boas energias.

Sempre que o fim de ano se aproxima, é hora de começar a pensar nos presentes. E para quem pensou em um bom vinho para este Natal, uma ótima opção é inovar, com rótulos inusitados que tragam boas energias para o presenteado.

Pensando nisso, a importadora de vinhos MMV, de Curitiba, traz para o Brasil uma série de rótulos da Bodegas Krontiras, peculiares por seguirem uma filosofia especial em seu cultivo e produção.

A Bodegas Krontiras, localizada em Mendoza, na Argentina, se baseia no biodinamismo: um tipo de agricultura que alia os conceitos da agricultura orgânica com aspectos esotéricos, buscando, de uma forma sustentável, produtos livres de energia negativa.

Assim, desde a plantação das uvas até a preparação do vinho, é seguido um calendário astrológico, que respeita as fases da lua e o posicionamento dos astros. A interação com animais é constante, tendo eles livre acesso aos vinhedos. Outro aspecto peculiar é que a vinícola foi projetada em forma esférica, para que não haja “cantos” acumuladores de más energias.

As práticas garantem um vinho extremamente natural, livre de produtos químicos artificiais e com uma qualidade gigantesca. E todo o processo é “regido” pela famosa enóloga argentina Maricruz Antolin, que garante os processos biodinâmicos e exibe sua personalidade marcante em cada um dos vinhos produzido na Bodegas Krontiras.

Novos rótulos Krontiras na MMV

Jonas Martins, gerente comercial e sommelier da MMV, foi o responsável pela seleção de cinco rótulos da Bodegas Krontiras à integrar o portfólio da importadora curitibana.

O Krontiras Cosmic Amber é um vinho laranja produzido com a uva Chardonnay. Este processo envolve as cascas da uva, fazendo com que o produto seja encorpado, marcante e apresente a cor alaranjada. Ele ainda contém aromas de mel, marmelada, goiabada e nozes, sendo muito complexo ao nariz e agradável ao paladar.

Krontiras Cosmic Amber

Já o Krontiras Malbec Natural é produzido a partir de vinhedos centenários (sim, vinhedos com mais de 100 anos de idade) de Lujan de Cuyo. Além de trazer todo o peso dos Malbecs argentinos, apresenta algumas peculiaridades, como a colheita da uva que é feita à mão e o processo de fermentação em aço inox, com leveduras nativas e sem adição de sulfitos. O Krontiras Malbec Natural é um vinho indomado, com aromas de frutas escuras selvagens e um frescor em boca único, de corpo médio e agradável.

Krontiras Malbec Natural

Da coleção “Family Selection”, a MMV traz três rótulos muito especiais. O Krontiras Aglianico é produzido com uvas do mesmo nome que, têm a sua origem na Campânia, sul da Itália e que raramente são encontradas fora da região. É pesado em boca, com taninos presentes e grande persistência. Segundo Jonas Martins, é o vinho mais “poderoso” da MMV.

O Krontira Petit Verdot, envelhecido em barris de carvalho francês de 1 e 2 usos, é um vinho de intensa cor violeta, muito por conta dessa uva de cor escura (inclusive a polpa da Petit Verdot é roxa). No nariz apresenta aromas de cereja madura com um fundo de azeitonas pretas e notas de baunilha e chocolate, aportados pelo barril novo. Tem alta acidez em boca e taninos macios, extremamente agradáveis.

O último rótulo da “Family Selection” é o Tempranillo, clássico, ao estilo de Rioja. Com uma pegada cítrica, aromas de morango, cereja, framboesa e cranberry, possui acidez alta e taninos médios, com alto potencial de guarda.

“O brasileiro tem consumido cada vez mais vinhos e trazer rótulos tão especiais é um incentivo para uma maior imersão nesse mundo tão fascinante”, ressalta Jonas Martins.

Informações/venda: MMV

Da lareira à areia: vinho também é bebida de verão, garante especialista

Na estação mais quente do ano, espumantes, vinhos brancos, rosados e até tintos podem garantir a refrescância necessária, sem abrir mão do sabor e do prazer

No próximo dia 21, inicia-se oficialmente a estação mais quente do ano: o verão. A temporada será de sol, calor e muito vinho. Afinal, o apreciador da bebida não precisa abandonar seu costume por conta desse período. E a boa notícia é que existem rótulos indicados para serem tomados durante os dias em que a temperatura está mais elevada, incluindo os tintos, que se bem escolhidos podem garantir a refrescância necessária, sem abrir mão do prazer de um bom vinho.

A dica é do especialista em vinhos, Marcelo Copello. Ele explica que, apesar de vinculada ao inverno no Brasil, a bebida é consumida durante o ano inteiro em países com verões quentes, como a Europa Mediterrânea, Austrália, África do Sul, Chile, Argentina e algumas regiões dos Estados Unidos. “O vinho é fascinante e tem infinitas possibilidades, podendo estar presente em todas as estações, da lareira à areia da praia”, comenta.

Copello, que também é curador da Talk Wine, primeira startup brasileira dedicada à degustação virtual de vinhos em larga escala, elenca os espumantes e os vinhos brancos e rosados como os mais adequados à estação, mas abre precedente para quem não dispensa os tintos. “Para o brasileiro ‘tinto’ e ‘leve’ são duas palavras que não cabem na mesma frase. Isto é um equívoco e acontece porque em nosso país associa-se mais corpo e mais álcool a mais qualidade, o que não é verdade. Existem tintos mais leves e são esses que também podemos e devemos consumir no verão”.

Portanto, os tintos em geral não estão banidos da estação, mas desde que apresentem taninos aveludados. Esta característica permitirá servir a bebida mais gelada, conservando um paladar agradável. A temperatura ideal, porém, deve ser em torno de 14ºC. Boa acidez e teor alcoólico moderado — até 13% — completam as condições para o tinto de verão. “A acidez traz o frescor e o teor alcoólico moderado reduz aquela sensação de calor do álcool, que nos faz suar”, emendou Copello.

De acordo com o especialista, alguns países e regiões onde são produzidos ótimos tintos de verão são: França (Beaujolais, Borgonha, Loire, Alsácia), Alemanha, Áustria, Suíça, norte da Itália (Alto Adige, Piemonte, Veneto, Friuli), Portugal (Dão, Beiras, Bairrada, Lisboa e Vinhos Verdes), Nova Zelândia, Austrália (Tasmânia) e Brasil. “Os vinhos nacionais são uma ótima opção para o verão. O clima da maior parte de nossos vinhedos proporciona, além de espumantes consagrados, vinhos brancos, rosados e tintos de teor alcoólico moderado e ótima acidez”, recomendou.

Copello ressalta outras vantagens dos tintos de verão, como menor preço, facilidade para beber, comprar e até mesmo combinar com comida. “O ideal é optar por vinhos que não passaram por envelhecimento em madeira, buscando safras recentes, que são mais jovens e, portanto, mais frescas, ideais para a estação”.

Fonte: Talk Wine

Importadora Zahil lança clube de vinhos próprio e faz ação social em dezembro

O Winehouse Club conta com planos de assinaturas mensais com rótulos exclusivos, benefícios e experiências para afiliados; catálogo de Natal inclui espumante a R$ 58,00; parte das vendas de dezembro será revertida para uma associação que ampara crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social

A importadora Zahil está lançando o Winehouse Club, seu clube próprio de assinatura de vinhos. Diferente dos modelos existentes, as assinaturas incluem degustações, cursos, jantares harmonizados, descontos na compra de rótulos da importadora, além de uma rede de parceiros e de um espaço físico localizado no bairro do Itaim.

Com duas modalidades,  WHC II e WHC III, que custam R$295,00 e R$485,00 ao mês respectivamente, as assinaturas contemplam de 2 a 3 garrafas de vinhos selecionadas pelos especialistas da casa, incluindo alguns rótulos exclusivos, além de uma série de benefícios, como o curso online “Introdução ao Mundo do Vinho”, ministrado por Bernardo Pinto, o primeiro na América Latina a ter a certificação DipWSET, e 15% de desconto em compras nos vinhos da importadora. Especialmente para o lançamento, os assinantes receberão uma garrafa a mais nos dois primeiros meses. A assinatura pode ser cancelada a qualquer momento e figura como boa opção de presente de final de ano.

“Para nós que acreditamos no poder do vinho de conectar pessoas, ampliar a experiência para além da aquisição das garrafas foi um caminho natural”, explica Rodrigo Volponi, Diretor de Marketing da companhia. “Foram dois anos de projeto piloto até chegarmos a esse formato. O que nos diferencia de outros modelos de clube é a experiência completa que entregamos aos nossos assinantes, com um nível de cuidado na curadoria dos vinhos e conteúdos acima da média”, completa.

Para dezembro, além do relançamento do Winehouse Club, a marca preparou um catálogo especial de Natal, com descontos que chegam a 50%, com destaque para o espumante italiano Zardetto Spumante Private Cuvée Bruta vendido a R$58,00 em caixa de 6 garrafas, e irá destinar parte das vendas para a ONG Sinhazinha Meirelles, instituição sem fins lucrativos que tem como objetivo oferecer educação infantil e complementar de qualidade para 600 crianças e adolescentes do Rio Pequeno (Butantã – SP).

Vinho bom x vinho caro: conhecimento vale mais do que dinheiro*

Quem disse que vinho bom é vinho caro e que vinho brasileiro não é bom se equivocou duas vezes. A safra das safras, como está sendo chamada a safra referente a 2020 pelos enólogos, está aí para comprovar a qualidade dos terroirs brasileiros e a nossa expertise na produção vitivinícola.

Além de ressaltar a nossa capacidade na entrega de excelentes vinhos, a safra das safras também chamou a atenção para a acessibilidade das bebidas produzidas no Brasil. Por ser de produção local, produtos de extrema qualidade e premiados em diversos concursos, podem ser comercializados em valores mais acessíveis se comparados a rótulos estrangeiros.

Ultimamente temos visto diversas notícias sobre o engano de garçons na troca de produtos muito caros por vinhos mais baratos. E, em alguns casos, os clientes nem percebem. Esse é um dos indicativos de que o valor de um vinho nem sempre corresponde diretamente à qualidade. É possível entregarmos vinhos com pontuação altíssima e sem pesar no bolso, como é o caso do Panizzon Ancellotta 2018, que conquistou Medalha de Gran Gold no Wines of Brazil Awards 2020 e pode ser encontrado no comércio por a partir de R$ 29,90.

Então, o que importa na hora de escolher um vinho não é o valor que você possui na carteira, mas o seu conhecimento sobre a bebida. Para quem ainda não tem intimidade com o universo vitivinícola, a dica é se informar sobre os vinhos premiados e destacados em concursos nacionais e internacionais e se atentar a indicações de enólogos ou sites de sua confiança.

E quanto mais o apreciador for degustando, mais irá treinando o seu paladar para descobrir suas próprias preferências e, assim, se sentir mais seguro na hora da compra. Mas para isso, é preciso se aventurar, buscar novos rótulos e testar seus sentidos com novas experiências.

O universo do vinho é imenso e diverso e, muitas vezes, pode parecer complexo e afastar novos degustadores. Mas o vinho, e principalmente o bom vinho, não precisa ficar restringido a momentos especiais, a status social, a carteiras recheadas. O bom vinho pode estar em todos os momentos que quisermos, pode combinar com qualquer tipo de refeição e, principalmente, pode ser acessível sem deixar de ter qualidade.

*Filipe Panizzon é Presidente da Associação de Produtores dos Vinhos dos Altos Montes