Arquivo da tag: zeiss

Novas tecnologias revertem catarata de forma precisa, sem injeção e com rápida recuperação

Em outubro, a apresentadora Ana Maria Braga comparou a cirurgia para catarata a um milagre, por sua rapidez e conforto, a Zeiss reforça que diagnóstico precoce e inovações garantem bem-estar a pacientes

A catarata é hoje a principal causa de cegueira evitável no mundo, e seu tratamento exclusivamente cirúrgico ainda preocupa pacientes, que tendem a postergar exames por medo do procedimento. Casos recentes como da rápida recuperação da apresentadora Ana Maria Braga, porém, ajudam a esclarecer que avanços tecnológicos permitem hoje intervenções mais precisas e sem injeção local, garantindo mais segurança e bem-estar ao operado -como foi Ana, que declarou ter ficado surpresa com a agilidade e o conforto sentidos em sua experiência.

De acordo com a Pebmed (pesquisa médica e serviços tecnológicos da área da saúde), a catarata é a origem de metade dos casos de cegueira reversível em todo o mundo. No Brasil, os números divulgados no último ano pelo CBO (Conselho Brasileiro de Oftalmologia) impressionam devido ao crescimento de cirurgias de catarata realizadas pelo SUS (Sistema único de Saúde), que saltaram de 302.312, em 2009, para 600.844, em 2019 -aumento de aproximadamente 99%. Por isso, os avanços tecnológicos na área são fundamentais.

Diante do cenário, a alemã Zeiss, referência universal em tecnologia voltada à saúde ocular, alerta que um diagnóstico precoce é fator de extrema importância para evitar a perda da visão; estimula, ainda, o compartilhamento de informação atualizada sobre a reversão da enfermidade, que conta com o suporte de equipamentos em constante evolução para otimizar processos e minimizar incômodos.

Convidada pela Zeiss a oftalmologista Alessia Braz, diretora clínica da Univi (centro oftalmológico especializado no diagnóstico e tratamento de doenças oculares), responde às principais perguntas sobre o tratamento da catarata e ajuda a desmistificar crenças sobre a doença, que resume ser “a perda da transparência do cristalino, que é a lente interna do olho”.

O que é catarata?
É o processo de opacificação do cristalino. Considerado a lente natural do olho, o cristalino geralmente é incolor e permite a focalização de objetos.

Como ela se manifesta?
Embaçamento gradual da visão. Diminuição do contraste das cores e da forma dos objetos. Em alguns casos pode haver alteração do grau, com “indução de miopia”, chegando a dar a falsa impressão de melhora para ver de perto. Mancha branca na pupila pode surgir em casos avançados.

Quando ocorre?
O mais comum é haver a perda da transparência com o passar do tempo, configurando a catarata senil. Portanto, idosos são mais propensos à evolução da doença. Mas ela também pode ocorrer por questão congênita, trauma, uso de medicamentos como cortisona ou mesmo por alterações metabólicas como diabetes.

Como detectar?
Exames oftalmológicos periódicos com avaliação minuciosa permitem o diagnóstico precoce. Equipamentos modernos contribuem para a otimização desta etapa, a exemplo do IOLMaster 700, recém-lançado pela Zeiss, que permite a leitura fácil e precisa do comprimento completo do olho (comprimento axial), medindo a catarata avançada em 99% dos casos.

Tratamento


O tratamento é cirúrgico, com indicação cada vez mais precoce (a ideia de que a catarata precisa amadurecer para ser operada é conceito ultrapassado). No procedimento, o cristalino é substituído por uma lente intraocular, que corrige a visão. O cálculo do grau da lente a ser implantada é feito por equipamentos ultratecnológicos, como o IOLMaster 700, com muito mais precisão.

Avanços na cirurgia
Hoje, são feitas microincisões sem pontos nem injeção anestésica dentro do olho. A técnica ficou mais precisa; a anestesia é local, com colírio e sedação, e o paciente já sai movimentando todo o olho. São usados desde microscópios de alta resolução até aparelhos que permitem a remoção do cristalino com mais segurança.


Um desses dispositivos é o inovador Zeiss miLOOP, que acaba de ser lançado no Brasil e atua como uma espécie de laço em torno do cristalino opacificado para, minimizando o estresse em sua estrutura de sustentação, apertá-lo e fragmentá-lo, permitindo sua retirada com facilidade pelo cirurgião.

Reprodução Instagram

Pós-operatório
A lente intraocular pode permitir menor dependência dos óculos ou até mesmo uma total independência deles. Para o segundo caso, opera-se cada olho com intervalo de até três dias entre eles. O tampão de acrílico, como o usado por Ana Maria Braga, por exemplo, é uma medida protetiva para evitar contato durante banho ou sono.

Fonte: Zeiss

Alerta: uso excessivo de eletrônicos pode causar miopia

Vista cansada, queimação nos olhos e cansaço são alguns dos incômodos enfrentados por quem passa muito tempo em frente às telas de eletrônicos. Estudo do CBO relata aumento preocupante no número de casos de miopia entre crianças e adolescentes no país

Atualmente as pessoas passam o dia expostas à luz azul emitida por dispositivos digitais. Os chamados “home office” e “homeschooling” levaram milhares de pessoas a passarem longas horas em frente a computadores, celulares e tablets, o que faz com que, muitas vezes, sintam desconfortos como vista cansada, vermelhidão e queimação nos olhos, dores de cabeça, cansaço e dificuldade para dormir. O uso exacerbado de telas pode gerar ainda diversos problemas à saúde, sobretudo à visão.

De acordo com a American Optometric Association, esse cansaço visual é uma consequência direta da utilização prolongada de dispositivos digitais. Chamada de “vista cansada digital”, ou “síndrome da visão computacional” (SVC), a condição pode atingir pessoas em qualquer idade.

E a SVC não é o único agravante dessa nova realidade “conectada”. A incidência de doenças oculares entre crianças e adultos tem crescido consideravelmente. A miopia, ou dificuldade de ver de longe, por exemplo, está aumentando a um ritmo alarmante, sobretudo entre as crianças. Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil há aproximadamente 35 milhões de pessoas míopes. A OSM estima que o número de casos nos próximos 20 anos deve aumentar 89% no país e 49% em nível mundial.

Estudo inédito do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), divulgado esta semana pelo Estadão , revela que o número de diagnósticos de crianças e adolescentes com miopia aumentou durante a crise sanitária. No levantamento, 72% dos oftalmologistas entrevistados relatam maior detecção do problema na faixa etária de zero a 19 anos. A principal razão do problema, para a grande maioria dos profissionais ouvidos, é a maior exposição dos jovens às telas de aparelhos eletrônicos no ensino remoto e em lazer no isolamento social. Realizado entre abril e junho com 295 oftalmologistas que trabalham com público jovem em todo o país, estudo demonstra ainda que há agravamento acelerado dos casos que já tinham esse problema de visão.

Mas como aliviar a vista cansada e reduzir riscos à visão?

Zeiss convidou Alessia Braz, oftalmologista membro da Academia Americana de Oftalmologia e diretora clínica da Univi – centro oftalmológico especializado no diagnóstico e tratamento de doenças oculares, para falar sobre prevenção às doenças oculares. Abaixo dicas para ajudar manter a saúde ocular.

=Realizar um exame oftalmológico completo periodicamente: é essencial consultar regularmente o oftalmologista, ao menos uma vez ao ano. Começar a sentir a visão turva ou fadiga ocular poderá ser um sinal de que está na hora de agendar uma nova consulta;

Shutterstock

=Fazer pausas regularmente durante o trabalho ou estudo: da mesma forma que o corpo precisa de atividades físicas, exercícios para os olhos também podem beneficiar a saúde. O ideal é parar para relaxar os olhos a cada 20 minutos, mantendo-os fechados por 20 segundos e olhar para distâncias variadas por algum tempo, pois nem todos tem a chance de abrir uma janela e olhar para o horizonte. Os intervalos “20-20” são preciosos, pois é preciso lembrar ao cérebro a necessidade de olhar para todas as distâncias;

iStock

=Piscar sempre para evitar olhos ressecados: ao usar o computador ou o smartphone, tende-se a piscar menos e a não se fechar completamente as pálpebras. Piscar umedece os olhos e evita que ressequem e fiquem irritados. Por isso, é fundamental fazer intervalos para piscar intensa e prolongadamente.

=Umedecer os olhos: algumas pessoas sofrem de ressecamento nos olhos. Nesses casos, deve-se procurar um oftalmologista para avaliar a necessidade de lágrimas artificiais. Trata-se de um colírio lubrificante que aumenta a eficácia do filme lacrimal, evitando que a umidade evapore dos olhos rápido demais. Mas atenção, os colírios devem ser usados com orientação médica e sem excesso, pois alguns deles possuem conservantes que podem ser nocivos quando aplicados incorretamente.

=Limitar o tempo que as crianças passam em frente de telas: as crianças em crescimento, cujos olhos ainda estão em desenvolvimento, não devem usar dispositivos digitais durante longos períodos. Para elas, mais ainda do que para os adultos, é essencial fazer pausas e limitar o tempo de exposição às telas.

=Evitar a luz azul por pelo menos duas horas antes da hora de dormir: todos os dispositivos digitais emitem algum tipo de luz azul. Quando os olhos são expostos a uma certa intensidade e espectro de luz azul, o corpo liberta menos melatonina (o hormônio do sono). Com isso, a pessoa permanece mais alerta e fica acordada por mais tempo.

Girl eating Broussels sprout

=Fazer escolhas saudáveis na alimentação: os olhos adoram hortaliças. Comer legumes verdes, como brócolis, espinafre e couve – e também cenouras, ajuda a manter a saúde dos olhos. A hidratação também é importante, pois garante que os olhos recebam a umidade de que necessitam.

=Passar mais tempo ao ar livre: ambientes fechados, com luminosidade artificial e ar-condicionado, por exemplo, geram uma série de malefícios à saúde. É muito importante passar períodos ao ar livre, seja no quintal ou na varanda, para que o organismo possa absorver a luz natural e a vista possa relaxar.

=Criar um posto de trabalho/estudo ergonômico: para uma maior proteção dos olhos, é importante prestar atenção em onde e como os dispositivos eletrônicos são utilizados. O ideal é que estejam a uma distância confortável do rosto e na altura dos olhos.

Como os óculos podem ajudar

Os óculos podem ajudar a reduzir a sensação de vista cansada, e há várias opções disponíveis. Existem até lentes concebidas especificamente para esse estilo de vida conectado e móvel – intensificado pela pandemia, como as Zeiss SmartLife.

Fonte: Zeiss

Abril Marrom: seis dicas para prevenir problemas oculares

O mês de abril é marcado pela conscientização para prevenção da cegueira, doença que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), afeta cerca de 39 milhões de pessoas em todo o mundo. A estimativa mostra ainda que 246 milhões de pessoas sofrem de perda moderada ou severa da visão. Atenta e sempre desenvolvendo soluções para à saúde da visão, a Zeiss, referência na área, alerta para a importância de cuidar adequadamente dos olhos com dicas da oftalmologista Alessia Braz, especialista em cirurgia refrativa e catarata, médica parceira da Zeiss.

alimentação-saciedade
Foto: Shutterstock

Alimentação: consumir alimentos como cenouras, folhas verdes, ovos, frutas vermelhas, frutas cítricas e peixes ajuda a evitar problemas na visão. Para se beneficiar, mantenha uma alimentação balanceada e adequada à sua rotina, incluindo alguns desses alimentos nas refeições e nos lanches.

mulher computador olhos optix
Foto: Optix

Exposição à luz: a constante exposição à luz azul violeta emitida por TVs, celulares, computadores, tablets e, também, por lâmpadas de LED- pode causar danos irreversíveis aos olhos, por isso, é muito importante fazer pausas a cada 30 minutos de exposição. Para isso, cubra os olhos com as mãos (em formato de concha e sem apertar) e permaneça assim, com os olhos fechados, por cerca de 1 minuto.

mulher meia idade diabete

Controle da diabetes: o descontrole do diabetes, que atinge 16 milhões de brasileiros segundo a OMS, pode causar bloqueio e rompimento do vaso sanguíneo dos olhos, a chamada retinopatia diabética que, se não tratada, causa cegueira. Assim, é muito importante fazer o controle periódico da glicemia e seguir as orientações médicas para evitar danos à visão.

mulher inverno oculos de sol pixabay

Exposição ao sol: o Brasil tem registrado alta incidência de raios ultravioletas (UV), segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC). A exposição solar de forma intensa e prolongada pode causar cegueira, por isso, é fundamental que as lentes dos óculos (solares e de grau) tenham proteção contra os raios UV. A alemã Zeiss possui tecnologia UVProtect, que expande o nível de proteção, em todas as suas lentes, garantindo o bloqueio máximo aos raios ultravioletas.

mulher dormindo quarto escuro

Dormir: o sono inadequado pode contribuir para a fadiga ocular, causando irritação nos olhos, dificuldade para focalizar, secura ou lágrimas excessivas, visão turva e sensibilidade à luz. Para evitar esses problemas, procure dormir no mínimo sete horas contínuas e em ambiente com nenhuma ou baixa luminosidade todas as noites.

Oftalmopatia-de-Graves-2

Exames em dia: a saúde dos olhos precisa ser levada a sério e, para isso, é essencial manter os exames oftalmológicos em dia, fazendo visitas periódicas ao especialista de confiança, além de conhecer o histórico familiar de doenças oculares. Proteja sempre os olhos de exposições excessivas à luz solar e artificial, e use lentes de alta qualidades adequadas à sua necessidade visual.

Fonte: Zeiss