Dia do Chocolate: marcas oferecem delícias para comemorar

Brasil Cacau dá desconto progressivo em linha de tabletes

A promoção pode chegar em até 25% de desconto e é válida até 10/07 em todas as lojas da marca no país

Hoje, 7 de Julho, é considerado o dia mais gostoso do ano, essa é a data escolhida para comemorar a existência de uma iguaria que faz sucesso em todo o mundo e agrada todas as faixas etárias: o chocolate.

Como a Brasil Cacau é de todo brasileiro e sabe bem que a nossa nação é uma das campeãs de consumo de chocolate, preparou uma promoção especial para celebrar a data: de 7 a 10 de julho, o consumidor poderá adquirir os tabletes da marca com descontos progressivos. Na compra de 2 unidades, ganha 15% de desconto, na compra de 3 unidades, 20%, e, se comprar 4 unidades, é 25% off, ou seja, o quarto tablete é totalmente de graça.

Essa é uma oportunidade para se deliciar com a diversidade do portfólio da Brasil Cacau e conhecer as novidades que passaram a integrar o mix de produtos da marca: a linha Brasilidades, que conta com recheios brasileiros, como pão de mel, cocada, brigadeiro, paçoca e beijinho.

Kopenhagen faz seleção de produtos para comemorar a data

Os produtos estão disponíveis nas lojas físicas, e-commerce e aplicativos

Hoje é a data mais gostosa do ano, afinal, é comemorado o Dia Mundial do Chocolate, essa iguaria que atravessa o mundo e as gerações é tão especial que ganhou um dia em sua homenagem. No Brasil, de acordo com a Abicab (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas), o sucesso é tanto, que cada brasileiro consome, em média, 2,6 kg de chocolate ao ano, resultando em um dos maiores mercados do mundo em volume de vendas de chocolate.

Tradicional nesse segmento, a Kopenhagen, que há 94 anos faz parte de diversos momentos dos brasileiro, selecionou alguns produtos especiais para quem quer saborear essa data.

Essa é uma ótima oportunidade para se deliciar com o portfólio de inverno da marca, que pela primeira vez lançou produtos especiais para a estação, a escolhida para essa estreia foi a icônica linha Língua de Gato, que foi desdobrada em itens de edição limitada para o inverno.

Nhá Benta Língua de Gato: a tradicional Nhá Benta ganhou um delicioso recheio de língua de gato, uma combinação perfeita de dois clássicos da marca para adoçar o Inverno. É possível encontrar o produto em sua versão unitária (50g) por R$ 16,90 e na caixa com 3 unidades (35g cada) por R$ 37,90.

Fondue Língua de Gato: o doce mais famoso da estação ficou ainda mais gostoso com o icônico chocolate ao leite Língua de Gato, a embalagem contém minitrufas maciças de chocolate ao leite para derreter no micro-ondas e línguas de gato para acompanhar (R$62,90).

Chocolate Quente Língua de Gato (200g): a bebida que resgata uma memória afetiva de dias frios ou chuvosos ganhou um sabor especial na versão de chocolate ao leite Língua de Gato. Para tornar a experiência de degustar um chocolate quente mais do que especial basta misturar 4 colheres do chocolate em pó ao leite quente. A caixa também acompanha colheres Língua de Gato para tornar o momento ainda mais delicioso (R$ 59,90).

Quem segue dietas com restrições de açúcar, glúten ou lactose também pode aproveitar esse período de temperaturas baixas na companhia de Língua de Gato. A Kopenhagen tem um portfólio dedicado a esse público, que cresce cada vez mais no país. A linha Soul Good, faz parte da plataforma de saudabilidade da marca, que oferece produtos com zero adição de açúcar, zero lactose, não contém glúten e sem adoçantes artificiais, com ingredientes naturais e fonte de fibras.
Bombons Língua De Gato Soul Good (160g): a sofisticada embalagem em forma de lata, vem recheada com 8 bombons de chocolate ao leite com recheio cremoso de sabor língua de gato. (R$ 59,90).
Língua De Gato Soul Good (85g): a tradicional Língua de Gato Kopenhagen em uma versão cheia de sabor e saúde. Perfeita para quem gosta de chocolate ao leite, mas busca por opções sem glúten, zero adição de açúcares e sem adoçantes artificiais. (R$ 33,90).
Creme De Língua De Gato Soul Good Spreads (165g): creme de Língua de Gato Soul Good Spreads, feito com creme de cacau para dietas com restrição de lactose. E ainda não contém glúten, adoçantes artificiais e é zero adição de açúcares. Perfeito para passar na torrada ou no pão. (R$43,90)
Para conhecer o portfólio completo, acesse site: http://www.kopenhagen.com.br ou baixe o app Kopenhagen, disponível para IOS e Android. Os produtos já estarão disponíveis para venda nas lojas físicas, site, aplicativo Kopenhagen e apps parceiros, como Rappi e iFood.

Brownie do Luiz traz rótulos do Fluminense, Flamengo e novos sabores Cookie – Blondie


Brownie do Luiz continua a apresentar novidades aos fãs de brownies. Só em 2021, a produção brasileira de chocolates cresceu 36% segundo a Abicab

O brasileiro fica com água na boca quando o assunto é cacau e o Dia Mundial do Chocolate está chegando amanhã (7/7) com novidades para todos os gostos. No Brasil, a indústria alcançou a marca de 693 mil toneladas de chocolates produzidos em 2021 – salto de 36%, em relação ao ano anterior – segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab), coletados pela consultoria KPMG.

Celebrando o apetite crescente brasileiro por chocolate, apresentamos as novidades deliciosas do Brownie do Luiz. Para os amantes do futebol, chegaram as latas exclusivas do Fluminense e do Flamengo, na versão do famoso “Veneno da Lata”, com 200g das famosas casquinhas de brownie em formato de tiras. Um dos produtos mais vendidos da marca, o Veneno também com rótulos da dupla Patati Patatá.

A marca também está lançando as versões unitárias dos sabores Cookie e Blondie, que leva chocolate branco na massa. Agora, eles podem ser comprados em embalagens que vem com pedaços de 40g e 50g, respectivamente. O consumidor ainda pode encontrar os famosos brownies unitários nas versões Avelã, Chocolate Branco, Doce de Leite, Limão, Maracujá, Tradicional e sem adição de açúcar.

Todo os sabores estão disponíveis nas lojas físicas do Brownie e plataforma digital com o envio para todo o país.

Dia Mundial do Chocolate: conheça mitos e verdades em torno do produto + receitas

Considerado um dos alimentos que mais combina com o inverno, o chocolate traz dúvidas sobre os benefícios e efeitos na saúde; a nutricionista do Oba Hortifruti, Renata Guirau, traz dicas de como ingerir o alimento da melhor forma, com receitas exclusivas

Hoje, 7 de julho, é comemorado o Dia Internacional do Chocolate. A data surge como uma oportunidade de conhecer ainda mais as propriedades deste alimento que, apesar de muitas vezes ser visto como vilão, possui diversos benefícios para a saúde e para o bem-estar, contrariando alguns mitos que se ouve por aí.

Como ingrediente principal, o cacau possui ação antioxidante e protege contra doenças vasculares. Um estudo publicado em 2021 pela Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos revelou que o consumo de chocolate amargo pode estar relacionado a melhores níveis de colesterol e controle glicêmico.

“Mas, como qualquer alimento, é muito importante saber ingeri-lo com equilíbrio. Por se tratar de uma fonte rica em açúcar, o ideal é o consumo esporádico. Caso seja diário, em geral, não deve ultrapassar 20 gramas. Mas essa recomendação deve ser observada individualmente sempre”, explica a nutricionista do Oba Hortifruti, Renata Guirau. A especialista destaca, ainda, que na hora de escolher um chocolate, o ideal é optar por opções com o mínimo possível de componentes.

Além dos benefícios, o cacau tem fama de ser afrodisíaco, por aumentar o fluxo sanguíneo em partes do corpo. Sua relação direta com o desejo sexual não é comprovada cientificamente, mas a feniletilamina presente no fruto, conhecida como “hormônio da paixão”, potencializa a sensação de bem-estar, podendo afetar o impulso sexual.

Muitas pessoas relacionam o inverno com o desejo de doce. Segundo a nutricionista, apesar de não haver uma explicação comprovada para a sensação, as mudanças de temperatura tendem a despertar mais vontade por alimentos de maior densidade energética, como o chocolate.

Renata também pontua, que, mesmo com todas as propriedades benéficas, o chocolate deve ser evitado por algumas pessoas, como alérgicos ao cacau, por exemplo, à proteína do leite de vaca e portadores de algumas doenças específicas, como a fenilcetonúria.

Com o intuito de promover mais conhecimento sobre o alimento, a especialista desmistifica alguns mitos. Confira:

Mito ou verdade?

“É possível ficar viciado em chocolate, pois ele causa dependência”.
Mito.
O conceito de “vício” em relação a qualquer alimento é muito controverso na literatura científica.

“A pessoa com diabetes não pode comer chocolate”.
Mito.
Elas podem comer as versões sem adição de açúcar ou com teor de cacau elevado (acima de 85%).

“Chocolate alivia os sintomas da TPM”.
Mito.
Do ponto de vista de comida afetiva, podemos dizer que sim. Mas não há comprovação de que o chocolate em específico alivia sintomas de TPM.

“Chocolate causa acne”.
Verdade.
Pelo teor de gordura e por conter leite na composição, ele pode causar acne em pessoas com essa tendência.

“O chocolate amargo é mais saudável que o ao leite”.
Verdade.
Pois possui, em maior quantidade, os benefícios do cacau e, geralmente, menor teor de açúcar.

Para celebrar a data, Renata selecionou algumas receitas imperdíveis para quem não abre mão de consumir a iguaria. Não deixe de experimentar, também, a diversidade e os sabores dos chocolates Oba Bem, disponíveis no Oba mais próximo de você!

Cookie proteico

Ingredientes:
6 colheres de sopa de aveia
2 ovos
50 ml de água
2 colheres de sopa de leite em pó desnatado
2 colheres de sopa de cacau em pó
2 colheres de sopa de mel
1 colher de café de essência de baunilha
1 colher de café de fermento em pó

Modo de preparo:
Bata tudo na mão, com a ajuda de um fuê. Modele em formato de cookie e leve para assar em forno médio, em uma forma protegida com papel manteiga para não grudar. O tempo de cozimento é em média de 20 minutos ou até que os cookies fiquem crocantes.

Creme de maracujá com chocolate

Ingredientes:
Polpa de 1 maracujá
1 pote de iogurte natural
1 sachê de gelatina sem sabor
100 g de chocolate amargo
2 colheres de sopa de creme de leite

Modo de preparo:
Prepare a gelatina conforme as instruções da embalagem. Bata a gelatina com o iogurte natural e o maracujá. Sirva em taças e leve para gelar por cerca de uma hora. Derreta o chocolate em banho maria, misturando com o creme de leite. Cubra o creme de maracujá já firme e sirva em seguida.

Brigadeiro com pistache

Ingredientes:
1 lata de leite condensado
2 colheres de sopa de pasta de pistache
1 colher de sopa de cacau em pó
1 colher de sopa de manteiga

Modo de preparo:
Em uma panela, derreta a manteiga e a pasta de pistache. Acrescente o leite condensado e o cacau em pó e cozinhe em fogo baixo até desprender do fundo da panela. Faça bolinhas ou sirva em copinhos. Se desejar, enrole ou finalize com pistache triturado.

Pipoca doce de micro-ondas

Ingredientes:
4 colheres de sopa de água
4 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de cacau em pó
1 colher de café de canela em pó
½ xícara de milho para pipoca

Modo de preparo:
Em um refratário, misture a água junto ao açúcar, o cacau e a canela em pó. Acrescente o milho de pipoca e misture bem. Cubra o refratário com filme plástico e faça pequenos furos na superfície. Leve ao micro-ondas por 5 a 8 minutos, dependendo da potência do aparelho.

Pasta de avelã caseira

Ingredientes:
1 xícara de chá de avelãs sem casca
1 xícara de chá de tâmaras picadas
2 colheres de sopa de cacau em pó
½ colher de café de canela em pó
2 colheres de sopa de água

Modo de preparo:
Coloque as avelãs no liquidificador e bata até formar uma farinha grossa. Acrescente as tâmaras picadas, o cacau em pó, a canela e a água e bata novamente até chegar a uma consistência pastosa. Se necessário, acrescente mais água aos poucos.

Fonte: Oba Hortifruti

Dia Mundial do Chocolate: qual a relação da iguaria com a circulação de sangue?

Se você não resiste ao chocolate, saiba que dá para fazer boas escolhas: tudo vai depender da concentração de cacau. Enquanto chocolate ao leite e branco têm, respectivamente, pouco e nada de cacau (um poderoso antioxidante), chocolate amargo tem baixo teor de gorduras e melhora a circulação

Chocólatras de plantão: saiba que dá para escolher um bom chocolate sem adquirir ou piorar problemas de saúde. “O chocolate pode, sim, ser uma boa opção desde que você saiba consumir no tipo certo, com a concentração ideal de cacau e na porção diária correta”, explica a angiologista Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Segundo a médica, a barra de chocolate ou bombons e doces podem ter vários componentes, como cacau, açúcar, gorduras e até oleaginosas como avelã, nozes e castanhas, que são fontes de vitaminas e minerais. “A concentração de cada um desses ingredientes é o que vai determinar o benefício ou malefício para o consumo”, afirma. A médica cita abaixo as diferenças principais entre eles:

Chocolate ao leite

Pixabay

Sem quantidade significativa de cacau, o chocolate ao leite não traz benefícios à saúde. E os exageros são perigosos: “O açúcar está relacionado com a obesidade e com a diabetes mellitus. Estudos mais recentes vêm apontando o carboidrato, o açúcar, como grande vilão também para o aumento de colesterol. Com o diabetes, podemos desenvolver problemas arteriais, causar um espessamento e acúmulo de placas de gordura dentro da parede das artérias, o que pode causar seu entupimento. Dependendo de qual lugar do corpo isso acontece (de qual artéria foi afetada), você pode manifestar um infarto, um derrame ou com aquele problema de claudicação – que é quando você vai caminhar e tem dificuldade de andar porque falta sangue nas pernas”, afirma. A gordura também favorece o aumento do colesterol e um processo de aterosclerose.

“O grande problema da lesão arterial principalmente é que às vezes é uma questão silenciosa: o colesterol aumentado pode não dar sintoma nenhum, só que aos poucos vai entupindo a sua artéria. Então às vezes a sua primeira manifestação vai ser um infarto ou um derrame, então você não tem muito o que fazer para prevenir. Eu falo que é uma doença que vem silenciosa e quando se manifesta já causa um problema sério”, alerta. Então esse tipo de chocolate deve ser consumido com parcimônia, em doses pequenas.

Amargo

O chocolate com, no mínimo, 70% de cacau tem efeitos anti-inflamatórios, propriedades antioxidantes, atividades antiplaquetárias, com melhora da função vascular e, além disso, está ligado, segundo estudos, a uma melhora na disposição, funcionamento cerebral e redução da vontade de comer doces. “Ele atua contra os danos no DNA celular, tem ação vasodilatadora e previne a formação de placa de gordura dentro das artérias”, explica a médica. “Por conta dos flavonoides presentes no cacau – e sua ação antioxidante com benefícios comprovados para a circulação, há a redução dos riscos de doenças vasculares, redução do mau colesterol (LDL) e aumento discreto do bom (HDL), além da diminuição do risco de doenças vasculares e melhora no envelhecimento da pele”, afirma. Mas atenção: a porção diária recomendada é de 30g ao dia, portanto uma barra de chocolate pode ser ingerida, em média, em uma semana para aproveitar ao máximo os benefícios.

Meio amargo

Com concentração significativa de cacau (acima de 40%), esse chocolate tem mais açúcar que a versão amarga, mas também traz benefícios antioxidantes. “É uma opção interessante e mais saborosa para quem não gosta do chocolate amargo. As versões com avelã, nozes ou castanhas fornecem vitaminas e minerais importantes, que têm ação antioxidante e melhoram a circulação sanguínea.” Também é necessário ficar de olho na porção diária, também de 30g.
Branco

Pixabay

Produzido com manteiga de cacau, a gordura obtida das sementes durante a fabricação do chocolate, esse chocolate é mais calórico e rico em gorduras. Mas cuidado, alguns chocolates brancos sequer têm algum resquício de cacau na composição. “Esses são produzidos apenas com óleos vegetais hidrogenados, cujo consumo resulta no aumento dos níveis do mau colesterol (LDL) e na redução do bom colesterol (HDL). Por isso, mesmo se você optar por esse tipo de chocolate, vale a pena dar uma olhada no rótulo”, afirma. Como é rico em açúcar e gordura, o chocolate branco também favorece a inflamação, o que pode retardar a circulação e colaborar para o aparecimento de doenças circulatórias. É um tipo de chocolate que deve ser consumido com muita restrição.

Diet

Os chocolates Diet também apresentam um risco, pois trazem maior quantidade de gordura, segundo a médica. Por isso, seu consumo deve ser indicado para quem tem diabetes e mesmo assim uma boa olhada no rótulo é essencial.

Com oleaginosas

Apesar de adicionar mais calorias ao chocolate, as castanhas, nozes, avelã e o amendoim, entre outros, são ricos em ômega 3, que favorecem o sistema circulatório e melhoram a qualidade da circulação, porque esse ômega diminui o colesterol ruim e aumenta o colesterol bom. “No caso dos chocolates com esses componentes, tudo vai depender do tipo de chocolate, mas com certeza as oleaginosas podem ‘enriquecer’ o benefício nutricional do produto”, finaliza.

Fonte: Aline Lamaita é cirurgiã vascular, membro da diretoria (comissão de marketing) da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, do American College of Phlebology, e do American College of Lifestyle Medicine. Curso de Lifestyle Medicine pela Universidade de Harvard. Possui título de especialista em Cirurgia Vascular pela Associação Médica Brasileira / Conselho Federal de Medicina. Instagram: @alinelamaita.vascular

Aprenda a preparar um coquetel que combina com os dias mais frios

Para aquecer os dias frios, Água Doce ensina receita fácil e prática de Coquetel de Inverno. Confira.

Coquetel de Inverno

Ingredientes:
1 colher de sopa de calda de chocolate
50g de chocolate meio amargo ralado
2 colheres de sopa de leite condensado
50ml de café expresso
Chantilly suficiente para completar
Canela em pó para decoração

Modo de preparo:
Decore a borda da taça com a calda de chocolate e envolva com o chocolate meio amargo ralado. Dentro da taça coloque, um sobre o outro sem misturar, o leite condensado e o café. Por último, complete com chantilly e decore com canela em pó.

Rendimento: 1 porção

Fonte: Água Doce Sabores do Brasil

Fondue no La Cucina Piemontese é programa ideal para temporada de baixas temperaturas

O inverno traz com ele mais uma deliciosa Temporada de Fondue no La Cucina Pimontese, restaurante do Chef Leandro Polack, localizado em um dos pontos mais charmosos de Alphaville.

“Os cardápios sazonais são uma das características principais de nossa casa, e trazem sempre os pratos mais procurados em cada estação ou nas datas especiais, preparados com os ingredientes mais frescos e adequados em cada época do ano. A Temporada de Fondue é uma das mais esperadas, pois o prato tem tudo a ver com o clima acolhedor do nosso restaurante”, explicou o chef Polack.

A fondue é um prato de origem suíça, que nasceu com base de queijo aquecido e fundido com vinho e temperos sobre um réchaud, onde as pessoas se servem diretamente à mesa. Uma das variações mais apreciadas é a fondue de chocolate, perfeita para a sobremesa. No La Cucina Pimontese, além dessa deliciosa versão doce que traz frutas e bolacha wafer como guarnição, há também a fondue de queijo tradicional ou trufado, acompanhados de pães, grissini e goiabada de corte.

Todos os pratos têm direito a uma reposição dos acompanhamentos, servem bem a um casal e custam R$ 166,00 o de queijo tradicional, R$ 186,00 o de queijo trufado e R$ 79,00 o de chocolate.

La Cucina Piemontese: Av. Valville, 550 – Alphaville – Funcionamento: de terça a sábado, almoço das 12h30 às 16h, jantar a partir das 19h. Aos domingos, das 12h30 às 16h.

Aromaterapia também é indicada para animais domésticos

Óleos Essenciais em pets podem complementar o tratamento de depressão e, até mesmo, ajudar a reduzir a sensibilidade a ruídos. Produtos podem ser também administrados em itens de higiene para oferecer ainda mais bem-estar ao animal

A aromaterapia – prática integrativa baseada no uso óleos essenciais com o intuito de melhorar o bem-estar físico e psicológico – também é indicada para os pets, é o que Débora Fazio Cigala, terapeuta holística e aromaterapeuta parceira da Phytoterápica, aborda no novo curso de Uso de Óleos essenciais para animais domésticos.

Débora conta que a autora Nayana Morag, em seu livro “Óleos essenciais para animais”, recomenda, por exemplo, a bergamota para pets com indícios de depressão, irritabilidade, hiperatividade e temperamento imprevisível. Já o lemongrass é indicado para fazer sprays contra pulgas e moscas, enquanto a Lavanda age na histeria nervosa e problemas na pele. Por último a terapeuta conta também que o olíbano é indicado para animais domésticos com comportamentos obsessivos (como o caminhar de forma medrosa e desconfiada), para medos específicos, como locais fechados, e àqueles com sensibilidade a ruídos, ansiedade e inquietude, fezes soltas.

“O uso de alguns óleos essenciais de forma diluída é recomendado em cães e animais de porte grande. Para gatos, recomenda-se o hidrolato, tanto para uso na pele quanto no pelo, por serem suaves e terem uma concentração muito baixa de alguns ativos de óleos essenciais”, revela a especialista. São úteis também para higienizar o pelo e auxiliar no tratamento de doenças da pele, como dermatites e coceiras em demais espécies.

Para garantir a segurança e os efeitos desejados, o óleo vegetal é imprescindível na diluição do óleo essencial, até mesmo para a inalação do animal. Para isso, produtos como jojoba, calêndula, gergelim podem ser a opção. Os óleos essenciais podem ser também administrados no xampu, condicionador, e outros itens de higiene pessoal do pet.

Débora ministrará um curso sobre o assunto, no dia 12 de julho, momento em que dará detalhes de segurança e de escolha dos óleos essenciais e vegetais. Interessados podem fazer a inscrição aqui.

Informações: Phytoterápica

Você usa xampu corretamente? Especialista lista 5 erros comuns

A cabeleireira Janny Mota explica que o uso incorreto pode ocasionar problemas no couro cabeludo e queda dos fios

A lavagem dos cabelos pode parecer uma tarefa simples, considerando que se trata de um hábito adquirido desde a infância e, muitas vezes, de maneira diária. Porém, o que muitos não imaginam a forma com que se faz o processo pode ser prejudicial à saúde dos fios.

A cabeleireira Janny Mota explica que alguns erros afetam o couro cabeludo e podem resultar na queda de cabelo e no aparecimento de caspa. Ela fez uma lista com cinco maneiras que podem estar afetando na estrutura e aparência dos fios. Confira:

Depositphotos

A frequência das lavagens
Janny conta que tanto o excesso quanto a falta de lavagens pode ser um fator negativo:
“Espaçar demais as lavagens resulta em coceira e irritações no couro cabeludo. Por outro lado, se exceder na quantidade de lavagens, pode deixar o couro cabeludo seco e resultar na produção extra de oleosidade para compensar. Se seu couro cabeludo não é oleoso ou se tem cabelo cacheado ou crespo, lavar o cabelo cerca de duas vezes na semana é suficiente”.

Não molhar o cabelo o suficiente
Para que a limpeza seja efetiva, o xampu só deve ser aplicado quando todo o cabelo estiver encharcado. A água ajuda a soltar o óleo, sujeira e resíduos de produto da raiz do cabelo. “Quando os fios não estão completamente molhados, o produto não espalha direito e, assim, a tendência é exagerar na quantidade. Por isso, é fundamental retirar bem o xampu antes de aplicar o condicionador para não diminuir sua eficácia. A água fria, na última lavada, ajuda a selar as cutículas e dar brilho aos fios”, detalha.

Usar o mesmo shampoo sempre
A ideia de que os fios se “acostumam” com o produto após algum tempo é um mito. É importante que haja a mudança do tipo de produto, de acordo com as variações do cabelo.
“No verão os fios demandam uma limpeza mais robusta. Já no inverno, quando o clima está mais seco, a necessidade de hidratação tende a ser maior. Fios que passaram por processos químicos, como alisamento ou tintura, pedem cuidados específicos para estarem saudáveis e brilhosos”.

Esfregar o xampu com força
Janny explica o modo correto de como massagear o couro cabeludo. “O processo deve ser feito delicadamente, pois ao esfregar a região com força pode resultar na quebra dos fios e até machucar o couro cabeludo. Para evitar arranhões e cortes no couro cabeludo, aplique o produto usando a ponta dos dedos e não as unhas”.

Aplicar xampu nas pontas
Um erro comum que, na correria do dia a dia, pode passar despercebido, porém causa uma série de problemas é a aplicação do shampoo nas pontas do cabelo. Isso pode ressecar os fios e causar nós difíceis de desembaraçar, facilitando a quebra. “O ideal é espalhar o produto da raiz, onde é produzida a oleosidade natural do couro cabeludo, até metade do comprimento. A água corrente naturalmente irá levar o xampu às pontas durante a lavagem, o que é o suficiente. A lavagem deve ser iniciada pela frente da cabeça, na região da testa, e continuada para a parte de trás”, finaliza.

Vult traz paleta de cores tendência para o inverno em Raízes, nova coleção de esmaltes da marca

Com efeito gel e cores aconchegantes, a coleção traz seis tons que representam as raízes que nos conectam

Referência em produtos com alta performance para unhas, Vult, uma das marcas líderes no mercado de beleza no território nacional, traz uma nova coleção para seu portfólio de esmaltes. Com tons reconfortantes que são tendência para o outono e inverno, Raízes foi inspirada na natureza e nas conexões que nos tornam humanos. A novidade ainda conta com acabamento em gel, que prolonga sua duração e garante um efeito brilhante natural.

Trazendo simbolicamente a importância de se conectar às origens, a coleção Raízes chega ao mercado com seis cores exclusivas que transitam entre tons mais terrosos e fechados, aos mais claros e delicados.

Os esmaltes rosa (Mãe Natureza) e bege (Origens) são superclássicos e dão uma sensação de conforto e bem-estar para a estação. Já o marrom (Terra Sagrada) e o verde suave (Árvore da Vida), além de serem as apostas de cores pra estação, são inspirados na força da natureza e trazem um toque de nostalgia. Por último, o vermelho terroso (Fogo Ancestral) aquece os dias mais frios com uma cor viva e intensa, enquanto o cinza (Rituais místicos) dá uma pitada de ousadia que é a cara de Vult!.

Com fórmula enriquecida com Extrato de Algas Marinhas, ativo rico em cálcio e magnésio que hidrata e fortalece as unhas, a linha também conta com o Big Brush, pincel com 900 cerdas e de corte arredondado que facilita a aplicação e não deforma com o tempo. Além disso, todos os esmaltes da linha são hipoalergênicos, veganos e contam com o selo Cruelty Free.

A linha completa estará disponível para compra no e-commerce oficial da marca e nas principais redes de farmácias e perfumarias em todo o Brasil

Dieta Mind: tudo que você precisa saber sobre o padrão alimentar que faz bem para o cérebro

Nem toda dieta foca apenas em benefício estético. Há também aquelas que melhoram o desempenho cognitivo

Quando pensamos em dieta, é normal associar isso à perda de peso ou algum benefício estético, como ganho de massa magra, ou ainda uma adequação em virtude de alguma intolerância ou alergia.

“Vemos muito sobre dietas na internet, muitas pessoas inclusive sugerem para os amigos, dizendo que são boas…, mas boas para quê? No caso de perda de peso, com certeza, algumas dessas dietas podem ajudar, mas algumas dessas dietas de emagrecimento sem acompanhamento podem fazer alguns pacientes piorarem sua saúde cardiovascular e cerebral. E nem todas as dietas precisam ter esse foco. Existem padrões alimentares que preconizam, por exemplo, a saúde cognitiva, preservando a função cerebral e prevenindo doenças neurodegenerativas, como é o caso da dieta MIND”, explica Marcella Garcez, médica nutróloga, professora e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e membro da Sociedade Brasileira para o Estudo do Envelhecimento.

“A alimentação é fundamental para a manutenção das estruturas do tecido cerebral e das funções do sistema nervoso em geral, porque ele é composto em grande parte por ácidos graxos. A manutenção dessas estruturas é essencial para a passagem de estímulos e comunicação entre os neurônios, células do sistema nervoso que precisam de glicose como principal substrato para manter suas funções e de aminoácidos para sintetizar neurotransmissores e repor estruturas”, completa a médica.

A base da alimentação na dieta MIND é a “comida de verdade”, ou seja, alimentos in natura (frutas, legumes, vegetais, oleaginosas, peixes e aves) estarão incluídos, enquanto há uma restrição para produtos alimentícios ultraprocessados e para aqueles da chamada “caloria vazia” – que geralmente não apresentam nutrientes e há excesso de açúcar. Portanto, no cardápio, alimentos como manteiga, margarina, fritura, fast-food, carne vermelha e processados ficam de fora.

“As folhas verdes, os vegetais, as frutas vermelhas, as oleaginosas, o azeite, os grãos integrais, o peixe, as leguminosas e as aves são alimentos que são considerados chaves para a dieta, uma vez que contam com micronutrientes que são de suma importância para a saúde cerebral, e macronutrientes, fundamentais para o funcionamento do corpo e da mente. Os carboidratos como cereais, pães e massas integrais, hortaliças, frutas devem constituir aproximadamente 50% da dieta, pois a glicose é o principal combustível energético do cérebro, portanto é fundamental manter os níveis de glicemia estáveis e em equilíbrio ideal ao longo do dia”, diz a médica.

A dieta MIND é uma mescla da dieta mediterrânea, baseada no consumo de alimentos frescos e naturais como azeite, frutas, legumes, cereais, leite e queijo, e excluindo ou evitando produtos industrializados como salsicha e comida congelada, com a dieta DASH, que tem como plano principal diminuir a pressão arterial. “Essa dieta também tem por objetivo aumentar a longevidade. O cardápio incorpora alimentos que atuam de maneira neuroprotetora ou possuem ação antioxidante. Os flavonoides, compostos químicos encontrados nas frutas e plantas, que lhes dão cor e poderes medicinais, desempenham um papel central nesse tipo de dieta. A principal razão pela qual os flavonoides são bons para nossa saúde é que eles têm efeitos anti-inflamatórios e são antioxidantes”, esclarece a médica.

Além dos flavonoides, o ômega 3, que são ácidos graxos, também fazem parte da dieta. “Eles podem prevenir a inflamação relacionada à idade e estresse oxidativo em células cerebrais, além de outros benefícios relacionados ao cérebro, incluindo a prevenção de doenças neurodegenerativas como as demências e declínio cognitivo. Os peixes de água fria, como salmão, atum, arenque, cavala, corvina e sardinha são excelentes fontes de ômega 3, portanto importantes para a função neurológica, sensibilidade cognitiva, aprendizado e comportamento. As castanhas-do-pará, nozes, amêndoas e sementes de chia e linhaça também contam com o ômega-3, além de vitaminas e minerais que reduzem o estresse oxidativo e melhoram o sistema imune, protegendo contra o envelhecimento celular”, destaca a médica.

Segundo a nutróloga, as frutas com antioxidantes, como a laranja, que tem vitamina C, e a uva, que tem resveratrol, protegem os neurônios dos danos oxidativos dos radicais livres, o que também é importante nesse padrão alimentar. “Os ovos, ricos em colina presente nas gemas, também fazem parte da dieta. O nutriente é necessário à transmissão nervosa e à memória. Já os laticínios, aveia, cereais integrais e leguminosas como feijão, lentilha e soja, são fontes de triptofano, aminoácido precursor da serotonina e da melatonina que desempenham importantes papeis no sistema nervoso, como a liberação de alguns hormônios, a regulação do sono, a temperatura corporal, o apetite, o humor, a atividade motora e as funções cognitivas”, completa Marcella.

Para melhora da memória e do desempenho cognitivo, a médica explica que existem alimentos com efeitos imediatos, como as fontes de glicose que rapidamente restabelecem os níveis sanguíneos e o aporte cerebral, e os alimentos fontes de aminoácidos, que são precursores e propiciam a síntese de neurotransmissores. “Mas também existem nutrientes com funções de manutenção estrutural e prevenção de disfunções que atuam a médio e longo prazos, portanto devem ser inseridos dentro de um hábito alimentar saudável”, completa a médica.

Comer alimentos frescos e integrais é a melhor maneira de obter os nutrientes da forma como o cérebro precisa, mas não é a única maneira. “Se as frutas frescas não estiverem disponíveis, as misturas de frutas congeladas são uma boa alternativa. Frutas e vegetais que são congelados rapidamente retêm altos níveis de nutrientes, armazenam facilmente e podem adicionar variedade ao prato mesmo fora de época. Lembre-se de descongelar lentamente, na geladeira”, explica a médica.

A médica enfatiza que o foco dessa dieta não é o emagrecimento. “Mas com acompanhamento, essa dieta pode ser usada também para esse benefício. Além disso, ela também melhora a saúde do coração. É com enfatiza que, ao lado do hábito alimentar, os bons hábitos de sono, prática de atividade física moderada e frequente e um adequado manejo do estresse também têm grandes impactos nas funções cerebrais”, comenta a médica nutróloga.
Suplementos

Apesar da dieta MIND preconizar alimentos saudáveis, os suplementos nootrópicos também podem ajudar no desempenho cognitivo, principalmente para pacientes que buscam algum tipo de estímulo. “Os chamados alimentos nootrópicos – cujo nome vem do grego “nóos” (mente) e “tropo” (direção) – supostamente são capazes de ajudar a melhorar o desempenho mental sem efeitos colaterais negativos. São substâncias que estimulam a nossa capacidade cognitiva, seja por um incremento na memória, atenção, concentração ou motivação. Os nootrópicos são usados pelos homens há milhares de anos e atualmente inúmeros novos compostos com maior eficiência foram descobertos. Alguns alimentos nootrópicos são utilizados desde a antiguidade como o café e o cacau, entre outros”, afirma a médica. “Os suplementos, sempre prescritos por médicos, são indicados quando há necessidade de melhora na performance do cérebro, da memória e concentração”.

Segundo Inês Bloise, engenheira química e diretora de estratégia e negócios da AQiA Nutrition & Vet Solutions, no mercado, esse tipo de substância é geralmente encontrado em suplementos, cafés e chás fortificados e shots de bem-estar, mas as marcas estão adicionando também em chocolates, bebidas e snacks. Muitos novos formatos de produto foram lançados visando facilitar a inclusão na rotina alimentar. Segundo relatório da WGSN, empresa global de previsão de tendências e dados analíticos, este setor faz parte do mercado global de suplementos de saúde cerebral e está prestes a crescer substancialmente, com previsão de atingir 10,7 bilhões de dólares até 2025.

Segundo Inês, o Brasil conta com matérias-primas com esse foco para a indústria de suplementos. É o caso do Bioactive Nootropic N – Fosfatidilserina. “Ele é um componente natural da membrana neuronal do cérebro, que pode estar reduzido com o envelhecimento. A diminuição da fosfatidilserina no cérebro pode estar relacionada com declínio cognitivo, o que poderia ser atenuado com sua suplementação. O declínio de serina no cérebro impacta diretamente na memória, foco e atenção. Esse componente é muito indicado para adultos com uso excessivo de seus “bytes” disponíveis, jovens em fase de vestibular e alguns estudos apontam a funcionalidade para uso por autistas, melhorando a percepção das ações e o foco.

Alguns usuários relatam que há melhora na qualidade do sono, por agir diretamente na questão da atenção e foco no sono, facilitando a concentração na ação de dormir efetivamente. A forma fosfolipídio facilita a permeação nas membranas cerebrais aumentando sua biodisponibilidade”, explica a diretora de estratégia e negócios da AQiA Nutrition & Vet Solutions. Inês sugere também substâncias como Slim Green Coffee e Citarg.

No Brasil, a Biotec Dermocosméticos, do grupo AQiA, lançou para as farmácias de manipulação o conceito do Mind Potion, um suco funcional formulado para gamers e para qualquer pessoa que deseja melhorar o desempenho físico e mental. O suco une ingredientes considerados nootrópicos, como Lipo PS20, Bio-Arct e Slim Green Coffee. Segundo a farmacêutica Maria Eugênia Ayres, gestora técnica da Biotec Dermocosméticos, Lipo PS 20 é um ativo padronizado em fosfatidilcolina e fosfatidilserina, que irão atuar no processo de formação de novas memórias, concentração, aumento do metabolismo e funcionalidade cerebral.

“Em associação, Bio Arct, uma biomassa marinha padronizada derivada de uma alga vermelha denominada “Chondrus crispus” constituída pelo dipeptídeo citrulil-arginina, é capaz de aumentar a produção energética e o metabolismo celular, o que é importante para o bom funcionamento cerebral. Sua composição única possibilita a ativação da mitocôndria, nossa máquina de força, fornecendo micronutrientes e aumentando a produção de ATP, moeda energética das células, importante para o bom funcionamento cerebral”, acrescenta a farmacêutica.

Já o Slim Green Coffee é uma excelente fonte de compostos fenólicos, principalmente ácidos clorogênicos, e também cafeína natural. “O ácido clorogênico é um potente antioxidante que auxilia na prevenção do envelhecimento celular. A cafeína tem ação termogênica, lipolítica e antioxidante, além de manter o foco e energia”, conta a farmacêutica. O produto de uso oral tem indicação de uma dose por dia.

Por fim, Marcella lembra que os suplementos e medicamentos nootrópicos devem ser consumidos através de prescrição médica, porém os alimentos que têm a funcionalidade de melhorar o estado de atenção e a cognição, podem ser incluídos em um hábito alimentar saudável.

Inverno no Foglia

De pizza de fondue a pratos semanais que mudam a cada quarta-feira, novidades entram no cardápio de inverno da charmosa forneria da Via Nova Conceição

O estilo do chef Franco Ravioli é marcado pela criatividade e ousadia. No Foglia Forneria Artigianale, nova casa dos sócios Marcelo Fernandes e Sergio Degese, ele põe em prática essas qualidades, que em muitos casos, são passadas de pai para filho. Não à toa, o filho Lorenzo Ravioli (19) que divide as caçarolas da casa com Franco, ganhou o prêmio de Master Chef Junior, em 2015, confirmando a regra. Nessa temporada de inverno, ambos se dividem para surpreender clientes e habitués da charmosa forneria inaugurada em março desse ano, com boas novidades no menu.

Entre elas, a Pizza de Fondue, uma homenagem ao famoso prato que faz tanto sucesso no inverno, e a Del Capo, que também se soma às opções das redondas da casa, já conhecidas pela leveza e sabor, fazendo jus ao nome, que em português significa “folha”. A de fondue (79,39) leva como cobertura a tradicional fondue de queijo gruyère e emmental com presunto cru, tipo Parma.

Já a Del Capo, não menos saborosa, ganha cobertura de Tomate concassé, burrata, parmesão, alici e manjericão (79,39).

No capítulo dos pratos, a cada semana entram novidades que permanecem no menu de quarta a domingo, caso do Tornedos de mignon grelhado com fonduta e batatas rústicas, servido no almoço e jantar (R$ 98,39), e do Ossobuco alla Milanese con Risotto allo Zafferano (89,39) entre outros assados vigorosos e massas frescas artesanais

Na sobremesa, vale pedir o cannolo, uma das opções que fazem sucesso na casa, versão mais delicada dos tradicionais cannoli sicilianos, mas que nada deve em sabor e qualidade.

Sobre o Foglia Forneria Artigianale

Recém-inaugurado no bairro da Vila Nova Conceição, o Foglia Forneria Artigianale é o novo empreendimento do restaurateur Marcelo Fernandes – nome por trás do Dom, Mercearia do Francês Attimo, Kinoshita Clos de Tapas e Tradi – em parceria com o empresário Sergio Degese – expert no ramo de luxo e bebidas, que esteve à frente durante doze anos da Moët Hennessy Brasil, do grupo LVMH.

O nome Foglia – que significa folha em português – traduz a filosofia de leveza, presente nas massas – da pizza aos panini, e das pastas de grano duro aos pães artesanais – nos molhos e nas saladas que compõem o menu assinado pelo chef Franco Ravioli (58) e seu filho Lorenzo (19), vencedor do MasterChef Júnior (2015). Com uma ampla interpretação da cozinha italiana, o cardápio é dividido entre entradas para compartilhar, pizzas individuais de massa fina e borda aerada, massas, sobremesas e saladas.

O novo endereço fica em uma casa – totalmente remodelada. Os materiais predominantes são vidro, madeira, aço corten, pedra e granito rústico. Na entrada há um bar, um jardim vertical e, ao fundo, o balcão do chef, que circunda o forno. São três ambientes: terraço com teto retrátil, salão e mezanino para eventos, cursos e degustações. No alto fica a adega climatizada e envidraçada com variedade de rótulos de diferentes origens, que tem uma parte suspensa, com temperatura entre 0 e 6oC para vinhos brancos, espumantes e champanhes. As cadeiras e mesas são de madeira, onde se sobressaem jogos americanos de papel kraft reciclado que dão destaque aos pratos de cerâmica colorida nacional e de porcelana branca.

Foglia: Rua Domingos Fernandes, 548 – Vila Nova Conceição, São Paulo, SP. Horário de funcionamento – almoço: de segunda a sábado, das 12h às 15h, e aos domingos, das 12h às 16h; jantar: de domingo a quinta, das 18h às 22h30 e sextas e sábados, das 18h às 23h.